Revista EisFluências - Junho de 2011

 

Embed or link this publication

Description

Revista de divulgação cultural, luso-brasileira y el idioma español

Popular Pages


p. 1

issn 2177-5761 issn 2177-5761 9 772177 576008 revista bimestral junho/2011 ano ii núm xi ainda e sempre fernando pessoa por carmo vasconcelos neste junho português tão cheio de lembranças e efemérides não vos trago camões no seu dia 10 de junho já foi largamente lembrado na nossa revista de junho/2010 nem vos trago os santos populares tão profusamente divulgados e que fazem a alegria dos arraiais nos bairros desta minha lisboa neste mês colorido início de verão quente alegre e iluminado É hora de trazer à revista eisfluências o mestre fernando pessoa muito a propósito nesta data já que precisamente nascido nesta cidade a 13 de junho de 1888 dia de santo antónio por isso baptizado de fernando antónio nogueira pessoa justamente há 123 anos para isso deixo-vos aqui um breve apontamento escrito e apresentado por mim no encontro zero da lusofonia que teve lugar em murça portugal no ano de 2006 e no qual integrei a comissão organizadora com dois grandes poetas e amigos portugueses joaquim evónio e moisés salgado sobre a sua biografia nada como deixar aqui as próprias palavras do poeta se depois de eu morrer quiserem escrever a minha biografia/não há nada mais simples/tem só duas datas a da minha nascença e a da minha morte/entre uma e outra todos os dias são meus notas complementares segundo o poeta e crítico brasileiro frederico barbosa fernando pessoa foi o enigma em pessoa o poeta mexicano ganhador do nobel de literatura octávio paz diz sobre f pessoa que os poetas não têm biografia sua obra é sua biografia e que no caso do poeta português nada em sua vida é surpreendente ­ nada excepto seus poemas e o crítico literário estadounidense harold bloom considerou-o no seu livro the western canon o mais representativo poeta do século xx ao lado do chileno pablo neruda pessoa escreve o seu primeiro poema aos 7 anos de idade e escreve até mesmo no leito de morte nos últimos momentos da sua vida pede os óculos e clama pelos seus heterónimos a sua última frase é escrita no idioma no qual fora educado o inglês i know not what tomorrow will bring não sei o que o amanhã trará pessoa e o ocultismo fernando pessoa possuía ligações com o ocultismo e o misticismo tinha o hábito de fazer consultas astrológicas para si mesmo de acordo com a sua certidão de nascimento nasceu às 15h29 tinha ascendente escorpião e o sol em gémeos realizou mais de mil mapas astrais lendo uma publicação inglesa do famoso ocultista aleister crowley pessoa encontrou erros no horóscopo e escreveu ao inglês para corrigi-lo já que era um conhecedor e praticante da astrologia conhecimentos estes que impressionaram crowley e o fizeram vir a portugal para conhecer o poeta junto com ele veio a maga alemã miss jaeger que passou a escrever cartas a fernando assinando com um pseudónimo ocultista mas não só a astrologia o fascinava como eu relato no meu estudo a fase mística de fernando pessoa elaborado em 2003 que se reporta principalmente à fase rosicruciana fase em que o poeta estudou e aprofundou toda ou quase toda a literatura que existia acerca da história dos rosacruzes desde muito jovem pessoa se interessou pelo mistério e pela metafísica como o testemunham poemas intitulados metempsicose o círculo e nirvana ou fragmentos de ensaios numa precocidade que ia já de encontro à sua tese o génio é um iniciado de nascença já numa carta de 1915 dirigida ao seu malogrado amigo mário de sá carneiro pessoa escreve a propósito dos livros teosóficos que fora convidado a traduzir o carácter extraordinariamente vasto desta religião filosofia a noção de força de domínio de conhecimento superior extra-humano que ressumam as obras teosóficas perturbaram-me muito assim como a leitura de um livro inglês sobre os ritos e os mistérios dos rosacruzes a possibilidade de que ali na teosofia esteja a verdade real me hante sic os heterónimos através dos heterónimos pessoa conduziu uma profunda reflexão sobre a relação entre verdade existência e identidade este último factor possui grande notabilidade na famosa misteriosidade do poeta falarei apenas e muito brevemente de Álvaro de campos entre todos os heterónimos foi o único a manifestar fases poéticas diferentes ao longo de sua obra era um engenheiro de educação inglesa e origem portuguesa mas sempre com a sensação de ser um estrangeiro em qualquer parte do mundo começa a sua trajectória como um decadentista influenciado pelo simbolismo mas logo adere ao futurismo após uma série de desilusões com a existência assume uma veia niilista expressa naquele que é considerado um dos poemas mais conhecidos e influentes da língua portuguesa tabacaria carmo vasconcelos em murça/portugal 1/7/2006

[close]

p. 2

02 eisfluências junho 2011 poemas em homenagem ao poeta apresentados no encontro zero da lusofonia em 1/7/2006 de joaquim evónio pouco antes de suicidar-se em paris mário de sá carneiro escreveu a fernando pessoa dizendo qualquer coisa deste género quando receberes esta carta já terei tomado dois punhados de estricnina eis a resposta que fernando pessoa poderia ter-lhe dado ofÉlia joaquim evónio carta para paris joaquim evónio eu sei o mundo fala de mim sem entender que o amor é ao mesmo tempo casto e sensual um dia alguém julgará o meu ardor pois o que a minha alma mais deseja e quer é o calor suave do teu suave corpo de mulher tenho andado pensar meu caro mário por que será que os poetas sempre morreram e ainda morrem de cirrose overdose tuberculose e outras formas de suicídio programado o inconformismo e a luta dão-lhes uma vida filha da puta desgaste de energia sem fim por isso não se pergunte aos poetas da poesia mas aos políticos da orgia por que morrem assim poetas carmo vasconcelos omnipresenÇa joaquim evónio poetas nos dizemos tu e eu mas a divina mestria está para além do que somos nossos versos poesia são apenas magros gomos duma iguaria completa gotas breves dum mar que imortalizou o verdadeiro poeta que a dor nunca nos doa do poeta que não fomos do estro que não floriu e bendigamos a asa que ao de leve nos tocou poeira que se espargiu e nós pegámos à toa quando a esquina dobrou o grande mestre pessoa o poeta ente solitário senta-se à mesa do café fica pensando fumando seu cigarro proletário da cinza cai o poema do fumo evola-se o mário ficha tÉcnica director victor jerónimo portugal/brasil directora cultural carmo vasconcelos portugal responsável pela redacção mercêdes pordeus brasil design gráfico e composição victor jerónimo nosso sítio http www.eisfluencias.ecosdapoesia.org conselho de redacção abilio pacheco brasil humberto rodrigues neto brasil luiz gilberto de barros brasil marco bastos brasil petrônio de souza gonçalves brasil rosa pena brasil correspondentes alemanha antónio da cunha duarte justo argentina maría cristina garay andrade bielorussia oleg almeida brasil elizabeth misciasci espanha maría sánchez fernández revista de eventos actualidades notícias culturais político/sociais e outras mas sempre virada à directriz cultural nas suas várias facetas propriedade de mercêdes batista pordeus barroqueiro recife/pe/brasil tiragem 100 ex distribuição gratuíta divulgação via internet depósito legal lei do depÓsito legal lei n° 10.994 de 14 de dezembro de 2004 biblioteca nacional brasil isnn 2177-5761 contacto eisfluencias@gmail.com

[close]

p. 3

eisfluências junho 2011 03 a bielorrÚssia em seis cliques por oleg almeida um dia destes estava folheando meu álbum de fotos e eis o que me veio à cabeça a maioria dos sul-americanos desconhece a bielorrússia país de cultura rica e multiforme que surgiu há 20 anos nas ruínas da união soviética decerto alguns deles queriam visitá-la como as distâncias transatlânticas são enormes e as passagens aéreas raramente entram em promoção que tal uma sucinta viagem virtual por aquelas plagas distantes a internet tem a capacidade mágica de remover as fronteiras não é mesmo a bielorrússia é composta de seis regiões cujas capitais ilustram os mais variados aspectos de seu passado tumultuoso e de sua atualidade pacífica brest a primeira dessas cidades brest encontra-se nas margens do rio bug que separa a bielorrússia da polônia e num sentido mais amplo da união europeia todos os trens que se dirigem à europa ocidental passam por brest sua posição de ponto estratégico revelou-se heroica e tragicamente em 1941 quando as tropas da alemanha nazista invadiram a urss a fortaleza da cidade repelia os violentos ataques alemães durante várias semanas todos os seus defensores morreram em combate ou foram aprisionados grodno a cidade de grodno fundada por volta de 1128 ostenta uma aparência claramente ocidental as ruas estreitas e tortuosas de sua parte histórica seus templos barrocos e casarões medievais trazem à memória os cartões postais de viena roma varsóvia e quem sabe até da velha lisboa vÍtebsk vítebsk é uma moderna cidade industrial cujas usinas e fábricas confeccionam televisores e aparelhos de precisão roupas de algodão e de lã relógios calçados e outros artigos exportados para dezenas de países centro de uma região limítrofe entre a bielorrússia a rússia e a letônia vítebsk sedia diversos eventos de grande porte tendo a feira eslava festival de música popular uma vasta repercussão internacional moguiliov reduzida a cinzas pelos invasores nazistas moguiliov foi totalmente reconstruída depois da guerra seus prédios principais a começar pelo suntuoso palácio do governo foram erguidos num prazo recorde e aí me lembro dos operários anônimos que construíram brasília minsk minsk é a capital da bielorrússia que conta hoje em dia com cerca de 2 milhões de habitantes possui gigantescas empresas e ricas bibliotecas instituições de pesquisa científica e de ensino reconhecidas no mundo inteiro não seria exagero dizer que todos os caminhos da bielorrússia levam a minsk gÔmel gômel é uma cidade bem especial para mim lá eu nasci e passei os melhores anos de minha vida afetada pela catástrofe nuclear de tchernóbyl e mais ainda pelo colapso do sistema marxista gômel sobreviveu e tornou-se nas últimas décadas um importante centro de produção e distribuição de bens materiais barulhenta um tanto poluída e não obstante poética segue o mesmo rumo otimista a bielorrússia é um país relativamente pequeno mas sua história milenar e sua diversidade presente engrandecem-na aos olhos do povo há nela florestas cobertas de neve e pântanos apelidados não sem razão de amazônia europeia fontes de petróleo e jazidas de sais naturais há teatros de ópera e bale sempre lotados museus e universidades de renome mas sua maior riqueza é sem sombra de dúvidas sua gente ­ amável hospitaleira e generosa ­ que cumprimenta os viajantes com um cordial kali laska as fotos usadas provêm da internet e do arquivo pessoal do autor oleg almeida brasília/df brasil www.olegalmeida.com

[close]

p. 4

04 eisfluências junho 2011 divulgação do nosso colaborador prof marco bastos sobre fred dantas ­ o homem o músico e a obra por marco bastos fotos de márcia barreto apresento-lhes com satisfação o músico frederico meireles dantas fred dantas nascido em salvador e até os quinze anos de idade residente em urandi uma pequena cidade no interior do estado da bahia o conhecimento pessoal que temos decorre do seu próprio trabalho de eu ser neto de júlio césar de souza que foi músico compositor e regente de filarmônica em mucugê/ba e dos laços de amizade que nascem quando há interação entre pessoas que admiram o que a outra realiza o primeiro contato que tive com fred dantas se deu no início da década de 70 quando fui convidado para assistir a um concerto na reitoria da ufba que dentre vários compositores apresentou uma das músicas compostas pelo meu avô essa teria sido a razão para o convite nessa ocasião percebi a extensão e o significado cultural do seu trabalho aquele concerto representava o fechamento do curso realizado na escola de música da ufba e a concretização de sua tese acadêmica ­ fred se propôs a reconstruir a memória musical do estado da bahia no que concerne às músicas de filarmônica naquelas duas horas de apresentação o jovem maestro regeu com talento e competência um conjunto musical que apresentou cerca de dez compositores baianos passados alguns anos recebi o primeiro cd da oficina de frevos e dobrados por ele criada e que conforme a sua ficha técnica apresentava-se formada por cinco flautas uma requinta três clarinetas dois sax-alto dois sax-tenor quatro trompas cinco trompetes três trombones um bombardino duas tubas e três instrumentos de percussão totalizando os trinta e um componentes da oficina nesse cd estão gravadas obras de treze compositores de música de filarmônica e no que considera um relato resumido de suas atividades no folder do cd há um manifesto de fred como produtor e regente que aqui transcrevo demos origem a um trabalho em duas direções pesquisar e executar as músicas das filarmônicas baianas enquanto levantamos a vida e obra dos seus mestres-compositores e apontar um novo caminho no repertório para a banda de música sem abdicar de sua formação original de sopro e percussão e a obra e fragmentos de vida de compositores que atuaram nas cidades de urandi condeúba curaçá belmonte mucugê juazeiro maracangalha salvador alagoinhas feira de santana maragogipe e caetité nos é apresentada de forma elegante competente e talentosa e o músico comparece agora como compositor com o dobrado papezinho que no seu depoimento é a reafirmação da forma dobrado em tempos de multi-meio feito em homenagem a uma criança presume a continuidade da banda de música e sua forma principal de composição preservando a introdução primeira parte forte e trio preenchidos com o caráter particular de cada um mas admitindo ritmos alternados e colagens de melodias apreciadas pelo menino como a jardineira e tigorrilho o músico acadêmico e culto filho de médico que iniciou sua aventura universitária como estudante de medicina e que logo abandona essa trilha por mais promissora que ela fosse tendo em vista a influência ambientação herança de clínica e clientela do pai agora se entrega à sua paixão pela música dedicando-se integralmente a ela depois do curso de mestrado atualmente freqüenta o curso de doutorado em música pela universidade federal da bahia sobre fred dantas há muito que se ler e para isso basta colocar seu nome em um site de busca a exemplo do yahoo ou google pela profundidade abrangência e extensão do texto àqueles que se interessam pelo assunto informo essa url que me foi enviada por Áurea charpinel competente musicista compositora e pesquisadora carioca http www.fundacaocultural.ba.gov.br/04/revista%20da%20bahia/musica filarmo.htm nesse texto há um pequeno resumo biográfico que aqui transcrevo fred dantas ­ baiano formado em composição e trombone pela escola de música da ufba onde fez também mestrado em música integrante da orquestra sinfônica da ufba fundou a oficina de frevos e dobrados a orquestra fred dantas e atualmente em parceria com o unicef é responsável pelo projeto filarmônica das crianças que vem desenvolvendo seu trabalho no centro histórico de salvador fred dantas é responsável ainda pela criação da escola e filarmônica ambiental em camaçari e pela lira de maracangalha por fim para aqui ouvi-lo à frente da oficina de frevos e dobrados desenvolvi o vídeo que postei no youtube associando à música trabalhos meus de poesia e pintura http www.youtube.com/watch?v=l-jdoq1u4rm ao fred os agradecimentos pela contribuição à nossa cultura e a todos uma boa leitura e audição.

[close]

p. 5

eisfluências junho 2011 05 o que fizeram nossos avós fred dantas em setembro de 2011 eu completo 40 anos de atividades relacionadas a bandas de música tomando como ponto de partida o dia 7 de setembro de 1972 quando pela primeira vez toquei o hino nacional brasileiro integrando a banda 21 de abril em frente à prefeitura da pequena cidade de urandi tendo à frente o mestre joão sacramento neto 1933-2010 o termo filarmônica isoladamente é um adjetivo significando qualquer grupo musical sem fins lucrativos ocorre que no brasil se tornou também um substantivo em que filarmônica isoladamente se aplica a um grupo de instrumentistas de sopro e percussão regidos por uma sociedade e que desenvolve repertório específico sempre ligado a datas lugares ou pessoas É momento de se perguntar além do tocar bem ou não de realizarem as tocatas com sucesso o que haveria de existir em uma cultura de filarmônica que justificasse essa atenção devotada digo que além da sólida formação sobre o que é ser músico chamou-me ao trabalho o fato que nessas bandas musicais condições favoráveis permitiram a músicos notáveis organizarem um pensamento próprio e importante gerando peças de rara beleza que permanecem grande parte sem serem editadas e correndo o risco de se perderem para sempre há notícias de sociedades filarmônicas documentadas no brasil desde 1802 mas desde 1600 os viajantes já descrevem conjuntos de instrumentos de sopro chamados terços ou ternos não por serem integrados por três músicos mas por possuírem metais madeiras e percussão nas primeiras povoações brasileiras a partir de 1808 o brasil passou a ser de fato um país antes éramos apenas uma colônia sem direito a nada onde se plantava algodão mas se proibia de fazer o pano quando o rei de portugal e sua administração deixaram a europa combalida pela guerra e sofrendo o ímpeto belicista de napoleão para cá vieram também os melhores artistas e a tal banda da armada real que causou espécie por ser um grupo bastante conhecido no continente europeu com instrumental considerado avançado para a época com tal exemplo fundou-se uma nova fase na música militar e as sociedades musicais que já existiam em grande parte ligadas a irmandades religiosas sentiram o impacto de um mundo que se modernizava nas cidades maiores surgiram orquestras cujos instrumentos de arco tiveram não só bons executantes e maestros mas também novas composições assim como ocorreu com os teclados foram no entanto os instrumentos de sopro que melhor se adaptaram às necessidades da música no brasil de então É música de locomoção feita em instrumentos que em certos casos podem tomar sol ou chuva assim como a vida pública não mais voltou a ser a mesma após o retorno da família real as corporações musicais não mais deixaram de tocar as novas marchas militares e fantasias concertantes que haviam chegado melhor passaram a gerar compositores que supriam novas necessidades de concerto e festa aí entra o trabalho dos nossos avós os mais antigos como aqui na bahia joão mariano sobral e o maestro santa isabel dedicavam-se a criar as harmonias ou seja adaptavam para banda de música partituras de trechos de ópera bastante conhecidas os arquivos da bandas civis em todo o brasil possuem esse tipo de arranjo feitos por muitos músicos cultos que existiam nas cidades de tradição na bahia na rica e movimentada cachoeira do final do século xix região do recôncavo um vulto como manuel tranquillino bastos 1850-1935 dá origem a um pensamento diferente examinando seu grande arquivo vamos acompanhando como ele aprendia enquanto atuava como copista e adaptador de trechos de j.s bach de verdi e de velhas marchas prussianas e surgem composições como o navio negreiro a polaca roza de maio ou a airosa passeiata pura música brasileira no mais rigoroso estilo de instrumentação filarmônica a geração seguinte antecipada um pouco antes entre 1910 e 1930 na cidade de maragogipe por heráclio paraguassu guerreiro 18771950 e antonino manoel do espírito santo estabeleceu de vez um estilo regional ao usar o chamado tangado hoje seria sambado em suas composições criando dobrados que nunca mais serviriam para uma marcha militar tal o emprego de firulas ornamentações interrupções e sobretudo o uso da síncope esse é o estilo de amando nobre 1903-1970 e estevam moura 1907-1951 a notável dupla dinâmica da música baiana dos anos 1930-1940 depois da segunda guerra vieram o rádio e a grande influência das orquestras americanas que deixaram as bandas numa situação de coisa antiga depois veio o iê iê iê com guitarras e teclados que praticamente obrigavam o jovem a se adequar aquilo depois veio a televisão e uma busca sem limites pela notoriedade e lucro se as bandas sobreviveram foi para que chegassem a esse momento quando todas as ilusões já foram postas à mesa oferecendo o exemplo dos nossos avós que criaram uma nova música para suas comunidades que acreditaram em princípios morais e de fraternidade sincera que tinham a música como algo muito importante e sagrado não consigo escrever poesia não sou poeta não consigo dispor as palavras com tal arte que elas reflictam as sombras e a luz não sou pintor mas consigo fazer tudo isso com a música wolfgang amadeus mozart n salzburg 1756 m viena 1791

[close]

p. 6

06 eisfluências junho 2011 un hombre que marcÓ su huella en Úbeda maría sánchez fernández hace mucho muchísimo tiempo en un mes de abril de un año lejano te asomaste a la vida para emprender un largo camino que fuiste alimentando con la semilla del buen sembrador haciéndola germinar con fuerza arrolladora en el amor para quienes te rodeaban la hiciste germinar con la lluvia transparente de tu sensibilidad en esas melodías que se te derramaban como los racimos dorados de tus parrales la hiciste germinar en muchas almas en la pasión por la música que tú incansablemente fuiste inculcando y modelando en tu forma de saber hacer a principios del mes de septiembre de aquel lejano año 1927 llegaste a Úbeda siendo un muchacho alegre y emprendedor con tu mochila cargada de juventud y rebosante de ilusiones y de enormes deseos de vivir viniste de allá de tu tierra del sur que se recuesta a orillas del mediterráneo de esa tierra que te amamantó con la savia de naranjos de limoneros y de parrales que te arrulló con nanas de peteneras y martinetes y te vio crecer a la sombra de gráciles palmeras viniste de aquella tierra donde el sol es oro puro que calienta y empapa sus naranjales llegaste a Úbeda y te enamoraste de ella y te quedaste en ella para siempre enredado embrujado por esta bendita tierra donde la luna es fría plata que se derrama y baña generosa sus campos de olivos te comprometiste con ella solemnemente como en un auténtico esponsal entregándote por entero en cuerpo y alma como amante esposo hoy nueve de abril sería tu cumpleaños papá y aunque ya no estés con nosotros quiero rendirte mi homenaje en la gran magnitud que representa este fuerte abrazo de amistad y solidaridad entre tantos y tantos queridos países hermanos que a través de la cultura solidarizan en el amor por las bellas artes entre las que resaltan la música y la poesía como un fuerte lazo de unión en esta página te presento a todos mis amigos este es mi padre biografía de un compositor emilio sánchez plaza nace un 9 de abril de 1899 en pechina almería un pueblecito blanco de la costa mediterránea en el seno de una familia sencilla amante de la cultura la amistad la generosidad y el bien hacer con sólo ocho años inicia sus estudios de solfeo con el director de la banda de su pueblo don josé montoro más tarde estudia el saxofón ingresando en dicha banda a los 17 años se hace cargo de la misma en septiembre de 1919 ingresa por oposición en la banda de música del regimiento de la corona con guarnición en almería allí y con el director de la misma don eusebio ribera amplía sus conocimientos en armonía instrumentación composición y formas musicales en 1920 se hace cargo con la autorización del coronel de dicho regimiento de la dirección de la academia y banda de música de la diputación provincial de almería en 1923 se desplaza a madrid para ampliar estudios superiores siendo uno de sus profesores don emilio vega manzano director de la banda del real cuerpo de alabarderos completada su formación académica se prepara para las oposiciones a directores de bandas militares no pudiendo opositar a pesar de su gran preparación por la reducción de las mismas según decreto del ministerio de la guerra en vista de ello regresa a su pueblo en 1926 y de forma totalmente desinteresada dada su gran vocación por la música crea en pechina una banda integrada por cincuenta y cuatro jóvenes con edades comprendidas entre los diez y quince años esta agrupación fue favorablemente acogida y comentada por la crítica en los sucesivos conciertos y certámenes que dan popularidad a su joven director simultáneamente reorganiza una banda de música en alhama de almería haciéndose cargo de su dirección en el año 1927 en concurso de méritos convocado por el exmo ayuntamiento de Úbeda para la creación de la plaza de director de la academia y banda municipal de música que hasta entonces no existían es nombrado para dicho cargo entre los ocho concursantes que se presentaron toma posesión el día 6 de septiembre de 1927 estando al frente de la academia y banda municipal hasta el año 1969 en que se jubila desfile en la plaza de toros de Úbeda en el año 1934 son muchas sus actividades en este periodo de tiempo en el que su dedicación es completa en la enseñanza y en la formación de nuevos profesionales de la música en el año 1933 organiza la masa coral ubetense compuesta por ciento veinte voces mixtas es constante su participación en conciertos con la banda municipal en toda la provincia y fuera de ella obteniendo numerosos premios en el año 1974 le es concedido por el exmo ayuntamiento de Úbeda el emblema de la ciudad en su categoría de plata y en el año 1984 es nombrado hijo adoptivo de Úbeda y se le concede el emblema de la ciudad en su categoría de oro.

[close]

p. 7

eisfluências junho 2011 07 nombramiento de hijo adoptivo de Úbeda e imposición del emblema de oro de la ciudad entre sus composiciones figuran varias marchas procesionales entre ellas santo entierro virgen de guadalupe amor corpus christi resurexit nuestra señora del amor etc varios pasodobles valses unas danzas españolas el cancionero de Úbeda que consta de seis canciones ­de gran difusión en españa y en el extranjero himno de la academia de la guardia civil himno de voluntarios de la 25 brigada mixta de Úbeda canto a la formación profesional y el himno oficial de Úbeda hizo también numerosas adaptaciones para banda de obras sinfónicas fallece el día 20 de enero del año 1999 próximo a cumplir cien años de edad emilio sánchez plaza pertenecía al cuerpo nacional de directores de bandas de música civiles en su primera categoría desde su fundación en reconocimiento a su entregada labor docente y creadora ha sido objeto de homenajes por parte de diversas entidades oficiales y particulares entre las que destacan 1969 banda municipal de música de Úbeda 1974 concesión por el exmo ayuntamiento de Úbeda del emblema de la ciudad en su categoría de plata 1983 ayuntamiento de pechina almería al que se sumaron autoridades y entidades nacionales y provinciales 1983 peña flamenca el yunque de pechina almería 1984 el exmo ayuntamiento de Úbeda le nombra hijo adoptivo de la ciudad y le concede el emblema de oro 1985 ayuntamiento de alhama de almería que le impuso el emblema de oro de la ciudad 1985 asociación cultural san nicolás de bari de alhama de almería 1988 concesión de la medalla de oro de la cofradía de el santo entierro de Úbeda 1989 asociación cultural amigos de la música de Úbeda que le impone el emblema de oro de dicha entidad 1989 academia de guardias de la guardia civil de Úbeda baeza 1992 asociación cultural urcitana de pechina almería 1998 agrupación musical ubetense que le impone el emblema de oro de la misma 1998 el eximo ayuntamiento de Úbeda acuerda poner el nombre de emilio sánchez plaza a una calle y glorieta de la ciudad el día 20 de enero de 1999 fallece en Úbeda a la edad de noventa y nueve años nueve meses y once días 2000.el eximo ayuntamiento de Úbeda instala en el auditorio del hospital de santiago una placa en conmemoración de su centenario 2002 el eximo ayuntamiento de Úbeda la asociación amigos de la música y la unión de cofradías le erigen en la glorieta que lleva su nombre un monolito en piedra con placa de bronce que muestra su imagen con una sentida dedicatoria placa en bronce que figura en el monolito de la glorieta que lleva su nombre y hasta aquí y para el mundo entero tu fructífera vida papá y el reconocimiento de tus muchos amigos que supiste conquistar con tu gran sapiencia simpatía y generosidad y que todavía te recuerdan y te siguen queriendo maría sánchez fernández Úbeda ­ espaÑa 2011

[close]

p. 8

08 eisfluências junho 2011 yvan o terrÍvel outro caso típico de obsessão humberto rodrigues neto segundo a história não obstante ter sido um dos mais competentes governantes da rússia ivan iv que viveu de 1530 a 1584 ficou conhecido por seus desapiedados instintos de crueldade os quais lhe valeram a célebre alcunha de yvan o terrível czar que espalhou por toda a rússia um sinistro rastro de terror poucas vezes igualado por outros monarcas com efeito é ele responsabilizado por cerca de 4.000 assassinatos inclusive figuras preeminentes do governo muitos dos quais fez questão de matar com as próprias mãos vergastando-os até á morte exterminou várias esposas através de estrangulamento e até o próprio filho a quem privou da vida com uma estocada de acordo com o livro ressurreição e vida ditado pelo espírito leon tolstoi a yvonne a pereira esse famigerado espírito renasceria pouco depois em kiev no corpo do abastado farmacêutico kozlovsky por ser republicano kozlovsky caiu em desgraça política sendo preso e condenado a trabalhos forçados na ilha sacalina na sibéria cujo clima permanentemente gelado danificou-lhe as articulações inferiores e acabou comprometendo-lhe depois quase todo o organismo tal doença degenerou em lepra os glóbulos dos olhos circundados de pálpebras corroídas pelo terrível mal reviravam-se dentro das fossas oculares recobertos de uma membrana esbranquiçada e esponjosa dando-lhe ao rosto a asquerosa feição de um monstro ficara cego paralítico cego e leproso em adiantado grau não mais tinha mãos mas apenas os cotos delas transformando-se num disforme e malcheiroso conjunto de farrapos humanos em decomposição contando apenas com a ajuda de um anão karl que em vida anterior fora cúmplice de seus tenebrosos crimes esse anão deixava-lhe ao pé da cama o alimento cuja vasilha tateava com os cotos das mãos e em cujo interior mergulhava os restos da boca como se fora um porco ou um cão toda a fortuna que amealhara despendera na doença os amigos se afastaram os vizinhos sequer se aproximavam temerosos de contágio e do faustoso palacete em que residira nada mais restava que um monte de escombros carcomidos pelo tempo e tomados pelo mato enquanto possuía olhos leu os evangelhos leu swedenborg e leu kardek para investigar a origem de seus males conforme contou ao conde dolgorukov capitão da guarda imperial que também paralítico ousara visitá-lo oportunidade em que pelas palavras de conforto a si dirigidas por kozlovsky acabou se convencendo das verdades da doutrina espírita recobrando novo ânimo para suportar como aquele infeliz suas provações quem diria das mãos que usara para chicotear apunhalar e constringir até a morte o pescoço de infelizes esposas nada mais restavam que impotentes e repulsivos cotos a demonstrar o quanto é grande a justiça de deus refletida que está na sábia predição de jesus a cada um será dado segundo as suas obras humberto rodrigues neto sociedade espírita eurípedes barsanulpho cdd disquete fatos históricos viva san juÃo humberto rodrigues neto cumé bão festa junina pois véia moça i minina tudas éla entra na dança nu pôntu ninguém num drómi us cabôco mata a fómi i túdu múndu ênchi a pança eu vô cumê uma canjica co a minha cunhada chica mais a cumádi zabé i adispois di um bão quentão eu vô vê si inda to bão pra caí nu arrasta-pé u tonho puxa a sanfona i a bilica sorterona sórta prá zéfa as fofoca contô qui u zé du realejo na candinha pregô um bêju c os bêiçu chêi di paçoca da fia du zébedeu túdu múndu iscafedeu co a farta di inducação adispois qui arregalô-se di pinhão batata dôci disandô a sortá rojão i tântu fidia aquilo nas venta nus gragumilo qui dava inté cumichão mai dêxa u fedô pra lá vâmu são juão festejá cum rojão o sem rojão s.p brasil quem foi camÕes humberto rodrigues neto não haverá em todo o mundo um português que não sentiu ferver o peito em emoções ao se inteirar da carismática altivez do vulto pátrio que um dia foi luiz de camões não foi apenas nos lusíadas que ele fez brilhar o nome da sua pátria entre as nações pois foi guerreiro cuja férrea intrepidez menor não foi que a das romanas legiões por ceuta por macau por moçambique e goa seu nome ilustre é uma legenda que ainda soa como um fanal das lusitanas tradições mas a sua pátria hoje não vê no parlamento ninguém que ostente pelo menos dez por cento daquele amor com que a serviu luiz de camões s.p/brasil

[close]

p. 9

eisfluências junho 2011 09 a falta que vocÊ me faz ivan jubert guimarães faz dois anos hoje que você partiu para outra dimensão escolheu um lindo dia para morrer mamãe o dia internacional da mulher ainda hoje e em quase todas as manhãs eu acordo chamando por você às vezes até em voz alta sinto falta do seu carinho do seu mimo coisas tão belas mas que tantos acham ruins e acham que tudo isso é defeito ser filho único sempre foi motivo de chacotas do tipo menino mimado é que não são todos que podem ter uma mãe só para ele como eu tive durante 60 anos você mãe que quase nunca precisou ir ao médico quer dizer até precisava mas não queria de repente cai vai para uma uti de onde nunca mais sairia eu sempre tive tanto para lhe falar mas não conseguia me expressar e foi por isso que cantei em seu velório eu não quis padres nem pastores falando de você pois ninguém a conheceu melhor do que eu eu me lembro de tantas coisas que passamos juntos de toda preocupação que você sempre sentiu por mim até de forma egoísta sempre quis o melhor para mim e muitas vezes esse melhor era um bife um pouco maior não sei se fui um bom filho confesso que algumas vezes eu sentia vergonha de sair junto com você quando eu era ainda um adolescente usava de desculpas inventava lições de casa trabalhos escolares só para não ser visto em sua companhia ou na de papai.descarregava minhas frustrações sempre em cima de você porque sabia de seu amor e que apesar de uma eventual mágoa eu já estava perdoado antes mesmo de meu desabafo dois anos se passaram e não me esqueço de você dentro de minhas crenças eu sei que hoje você está bem melhor do que antes com certeza deve estar aprendendo coisas que não deu para aprender durante sua estada aqui você me deu à vida e me deu também a sua vida não sei se isso foi bom para você mas agradeço de qualquer forma hoje dia internacional da mulher espero que você esteja em paz quanto a mim é muito grande a falta que você me faz ivan jubert guimarães 08/03/2011 http www.pensamentoliberal.com.br http pensamentoliberal.blog.uol.com.br antes do amanhecer ivan jubert guimarães É chegada a hora da mudança não dá mais para continuar assim já cresci deixei de ser criança e eu já estou bem mais perto do fim não não estou pensando na morte embora reconheça que ela se avizinha estou buscando tornar-me mais forte para que ela passe por mim e siga sozinha mas reconheço que preciso mudar meu jeito tentar melhorar ainda mais minha conduta e colocar mais coragem dentro do peito senão de nada vai adiantar tanta luta ainda lembro de atos de meu passado que pratiquei em um tempo já distante carrego o remorso comigo bem guardado isto é sinal de que não mudei o bastante eu preciso fortalecer a minha crença de que se eu quero tudo eu posso e para me livrar desta minha doença não preciso mais do que um pai nosso mas não de uma simples oração decorada deus ao ouvi-la saberá se a estou sentindo e me concederá a graça tão desejada se souber que não estou simplesmente fingindo se no entanto tiver chegado minha hora urge ainda mais que minha retomada comece o quanto antes de preferência agora e que vare toda a noite toda a madrugada o altar será montado exatamente na hora certa para que não seja de modo algum violado minha mente treinada deverá estar bem aberta para comandar um exército de células bem armado células sadias que vão expulsar as malignas e tenho que começar o ataque ainda nesta noite iluminando a batalha com a centelha divina que usarei como espada e como um açoite e assim a vitória poderá ser alcançada se deus achar que assim eu mereça que esta noite seja por ele abençoada e que eu me cure antes que o dia amanheça 02/09/2006 s.p brasil ivan jubert guimarães é poeta e escritor nasceu na cidade de pirajuí estado de são paulo desde a infância que reside na cidade de são paulo como escritor publicou o romance um amor na eternidade e escreve contos e crónicas sobre temas dos mais variados suas poesias versam sobre amor política e fundo social escreveu duas pequenas peças teatrais uma para apresentação em uma faculdade sobre o tema comunicação e outra encenada no anfiteatro de um hospital cujo tema era o transplante renal o rim tintim por tintim mantém um blog e um site com o nome de pensamento liberal.

[close]

p. 10

10 eisfluências junho 2011 natureza por alma lusa o céu era azul o sol brilhava e ia já alto nuvens nem vê-las estavam para as bandas do norte onde os ventos sopravam mais agrestes e o ar era mais frio bela e branca era a paisagem nessas bandas grandes blocos de gelo deslizavam entre montanhas para o mar criaturas deslocavam-se nos campos de gelo com andar bamboleante e engraçado o seu grasnar enchia o ar de melodia e a sua imagem transportava-nos para um baile em que os cavalheiros se vestiam de smoking negro e camisa branca bela a imagem que preenchia os nossos sentidos e estendia-se até onde a vista alcança ao longe camuflados de branco e focinho no ar deslocava-se calmamente um belo animal e suas crias vestidos a rigor pele branca de tom amarelado confundidos com a paisagem que vibrava de branco cintilando em contraste com o etéreo azul num jogo de luz e cor estonteante para o olhar comum as crias mais pareciam bonecos de peluche fofos e engraçados que o humano com tanto carinho presenteia os seus filhos uns e outros deslocavam-se de olhar atento sentido alerta uns para evitarem servir de repasto e outros movidos pela necessidade de se manterem fortes e saudáveis equilíbrio não mais do que a necessidade obriga os seus olhos brilhavam de alegria e vida alerta mas não preocupados todos eles conhecem as regras e o que a natureza espera deles em bandos andavam ou deslizavam pelo mar gelado seguidos de perto por seus acompanhantes que os miravam atentos na expectativa de uma brecha o etéreo está povoado por corpos elegantes e fusiformes que esbeltamente deslizam nos ares os seus olhos controlam o espaço as suas asas controlam os ventos em danças irrequietas e controladas mergulham no mar capturando os descuidados ou pouco velozes animais do mundo aquático que em movimentos esguios e rápidos se esgueiram dos bicos afiados o etéreo azul aos poucos desvanece e dá lugar a uma sintonia de cores ondulantes que num bailado efémero muda daqui para ali sem regra aparente numa simplicidade organizada negro é o palco multicolor o espectáculo movimento ondulante sem formas definidas equilíbrio em tudo vibra força e vontade de uma obra única leis justas e perfeitas a natureza e seus habitantes seguem o curso rítmico do horário celeste adaptados às variações das estações que em esplendor único vestem e despem os seus trajes qual artista em palco encarnando vários personagens o altíssimo a tudo rege com amor verdade e justiça partida alma lusa não chorem por mim não me procurem no meu lugar de repouso porque eu não estou lá parti de madrugada na comitiva dos filhos de zéfiro de ocidente para oriente o vento me levou e os quatro cantos do mundo percorri longas noites de breu foram iluminadas por astros reluzentes qual farol que entre neblinas indica o caminho para o remanso do lar amigo repousei nas asas da aurora conheci o amanhecer da penumbra à luz os meus olhos se afeiçoaram e o caminho ficou claro no etéreo naveguei fronteiras desconheci a liberdade assolou-me e a vida incandesceu vivi pressenti a magnificência de quem com sabedoria governa os mundos tal qual a criança que em confiança se aninha no regaço da mãe deleitosa assim meu espírito caminha confiante em direcção à luz À pátria e tudo isto para quê por alma lusa se ao atravessarmos o rio lete em direcção ao hades na barca de caronte o sono do esquecimento tudo apagará na lembrança correm mansamente entre margens agrestes as águas do esquecimento que no rio chamado lete e nas brumas cinzentas da madrugada transportam alma adormecida em barca deitada caronte de seu nome barqueiro de face coberta por capuz largo olhos cintilantes rosto marmóreo remo na mão forte movimenta em ritmo certo a alma adormecida e quieta lembranças memórias de vida passada fundem-se nas brumas da madrugada no esquecimento do tempo na orla de universos e a vida continua sincronizada com o relógio do tempo indiferente às filosofias e ao querer humano a natureza é e o que é é http circulodograal.com/site2/

[close]

p. 11

eisfluências junho 2011 11 sê livre por alma lusa livre só é o homem que vive nas leis de deus abdruschin no último século muito evoluiu a humanidade no desenvolvimento tecnológico na ciência na medicina nas artes no bem-estar é um resultado significativo do empenho e perseverança do homem na procura do melhoramento do seu modo de viver e enquadramento na natureza o século xx trouxe à humanidade uma estrondosa e rápida evolução em todas as áreas desde as artes até à medicina podemos afirmar sem redundância que a nossa capacidade intelectual atingiu o pico mais alto da escala na história da humanidade conhecida as artes e o conhecimento são bem o resultado do intelecto muito promissoramente nos apelidamos de intelectuais magnifico o homem moderno tecnológico senhor das comunicações e da mobilidade do conhecimento senhor do planeta e candidato ao espaço os meios urbanos crescem a economia cresce a produção cresce a nossa longevidade cresce o cosmos está à nossa frente comparando o nível e a qualidade de vida dos últimos dois milénios até ao tempo actual que abismo foi ultrapassado o homem esse enigma uma marca de sucesso no entanto apesar desta evolução e marca de sucesso nem tudo vai bem no reino da dinamarca este século também trouxe muito sofrimento duas guerras mundiais ficaram na memória da história com as legiões de horrores que carrega as muitas guerras e atentados à vida humana por motivos políticos e religiosos que se transportaram para o século presente bem como a incerteza e a dúvida quanto ao futuro próximo a fome não foi erradicada nem a miséria desconforto para os que tudo têm o fosso de desenvolvimento económico entre os povos fruto da ganância dos mais ricos e da corrupção dos desvalidos leva a sistemas económicos globais em que os grandes grupos dominam espalhando os tentáculos por entre os povos permissivamente as assimetrias entre os povos ditos desenvolvidos e civilizados e os subdesenvolvidos pobres e iletrados são gritantes o desequilíbrio é pujante os atentados ao meio ambiente e à dignidade humana são de tal modo graves que só não vê quem não quer e só não toma consciência quem olha para o lado a esperança média de vida aumentou à custa de fármacos que sustentam todas as maleitas que nos atormentam tornámo-nos seres artificiais para lá é o caminho clonagem e tudo isto é fruto da participação do ser humano rico ou pobre culto ou inculto religioso ou não politico ou não · do equilíbrio tem que haver uma harmonia equilíbrio entre o desenvolvimento espiritual e material lei no passado o homem olhava para o céu à procura da ligação com o seu criador hoje o homem olha para o céu à procura de novos lugares para habitar o maravilhoso planeta azul está a ficar esgotado e ele o homo sapiens tem consciência que ao ritmo de consumo das matérias-primas em determinado período de tempo o seu modo de vida vai ficar afectado ou terminar a sua religiosidade está enfraquecida motivada por um cultivo exagerado do materialismo que não permite a ligação ao espiritual e ele reza o homem vive acorrentado ao espaço e ao tempo à matéria e para esta chegará a hora como em todos os processos naturais a decomposição pela maturidade e a regeneração para um novo actuar qual fénix renascida e ele baixa o olhar em atitude beata não queira o homem estar presente na matéria quando este tempo chegar encontrem o caminho para o espiritual e aprendam o equilíbrio com a matéria sejam livres procurem o criador na sua obra nas suas leis essas leis que regem os universos e sobre as quais estamos sujeitos porque dela fazemos parte quem possui em si decisiva vontade para o bem e se esforça por outorgar limpidez a seus pensamentos esse já achou o caminho para o altíssimo possamos gritar agora somos livres mensagem do graal na luz da verdade autobiografia por ricardo martins a espiritualidade é uma constante na escrita de alma lusa pseudónimo de ricardo martins nascido mais a sul de portugal na capital da ria formosa olhão cidade da restauração cresci nas terras quentes de angola no deserto do namibe aprendi a ser buscador de verdades nas variadas doutrinas e filosofias do homem encontrei na mensagem do graal na luz da verdade o cadinho que me permitiu cimentar a personalidade e espiritualidade administrador do sítio http circulodograal.com e do blogue http www.graalrik.blogspot.com espaços que divulgam a cultura lusófona amo a minha pátria a língua portuguesa não sou poeta nem mesmo escritor sou amador da cousa amada a cultura tende por templo o universo por altar a consciência por imagem deus e por religião o amor leon denis

[close]

p. 12

12 eisfluências junho 2011 aliquando bônus por abilio pacheco aliquando bonus dormitat homerus de vez em quando o bom homero cochila ou mesmo homens da grandeza de homero cometem pequenos erros ou simplesmente até o sábio se engana existem outros provérbios correlatos quem come um boi se engasga com um mosquito mata cobras teme lagartas quebra toras tropeça em gravetos ou o mais recente todo mundo tem cinco minutos de idiotice por dia na literatura acho que a frase de mário de andrade para conceituar o conto ilustra bem o ditado o modernista heróico de são paulo afirmou que conto é tudo aquilo que o autor chamar de conto poderia contrapô-lo apenas citando uma frase de shakespeare na famosa cena da sacada se a rosa não se chamasse rosa não teria por acaso o mesmo perfume ou seja não importa o nome que se dê para a coisa ela não deixará ou passará a ser apenas por causa do nome que lhe derem ou lhe tirarem mas o maior problema da frase de mário de andrade em seus cinco minutos de desgenialidade não está no fato dele a ter dito ele tem todo o direito de ter seu aliquando bonus o problema maior o quanto ela é repetida ora a teoria é por si um terreno movediço para piorar mestres e doutores em letras repetem a exaustão esta afirmação instável talvez por isso tantos autores têm dúvidas sobre a diferença entre conto e crônica existem outras dúvidas binárias que deixo para outras reflexões a explicação pode ser longa deveria ser longa mas simplifico o conto assim como as narrativas literárias maiores a novela o romance a saga aprendi isto com a professora doutora em literatura tânia sarmento-pantoja tem que ter conflito a crônica não a crônica deve falar de assuntos relativos ao cotidiano ela pode até ser narrativa mas o conflito se existir estará a favor da informação cotidiana e não para causar suspense e levar o leitor à expectativa até meio catártica do clímax e do desfecho vejam as crônicas escritas a partir de notícias publicadas na folha de são paulo pelo escritor gaúcho moacyr scliar e que o autor denominou de crônicas ficcionais não custa nada lembrar que o bruxo do cosme velho também era costumaz em escrever crônicas ficcionais para não ficar apenas num critério vale acrescentar que o conflito é essencial para o conto e incidental para a crônica consequentemente poderíamos afirmar que o cotidiano é essencial para a crônica e incidental para o conto entretanto o conto pouco se prende ao cotidiano e quando se refere a este procura diluir tempo presente tornando-o a-histórico as crônicas ficcionais não se apresentam atemporais eu por minha vez penso em fazer crônicas com um toque bem pessoal o que é óbvio numa ou noutra tenho apresentado ao leitor a minha poética para a crônica o leitor atento já pode ter percebido isto por exemplo nas crônicas sobre política entre elas a operação cavalo de tróia em cheiro de café e na crônica de retorno nelas e sempre que possível discuto no fio do texto minha forma de conceber o gênero no que se refere ao estilo e ao fator mais discutido na crônica que é sua efemeridade e sua perenidade agora é importante pontuar que tanto crônica quanto conto não são textos de aconselhamento a experiência ­ algo importante para a literatura em prosa ­ não está abolida conselhos porém no imperativo aborrecem a literatura e fácil fácil cambam para a auto-ajuda isto talvez seja o pior de tudo autores iniciantes e mesmo uns que a mídia tem promovido pouco trabalham o texto e o transformam em lições de vida abandonam a estética a memória a narrativa ou a reflexão hodierna para enquadrarem o leitor este melindrado e bombardeado por lições de todo tipo como falar corretamente como se vestir direito como agir no trabalho como pentear o cabelo encontra lições de bem viver em textos que se apresentam como literários muitos outros pequenos problemas existem em torno da teoria literária oportunamente ainda poderei meter meu bedelho em um ou outro sem esquecer que o meu é um ponto de vista menos que aplausos espero provocar reflexão afinal receitas fáceis mastigáveis tem aos montes e eu poderia ter feito uma crônica desse tipo conceito de crônica tudo que o autor chamar de crônica será crônica ou para sair da paráfrase e cair propositalmente na paródia tudo que o autor chamar de crônica será dito por um autor crônico de argamassa ana meireles belém-pa de tijolos e cimento eram os versos que escrevia uma construção de inversos empilhamento de palavras bem casadas sem a beleza do efêmero no deslumbramento hoje escrevo à margem do tempo sem me convencer escavo a massa no sereno do momento formo a pasta que se tece ao vento dou gosto ao trigo verso sem constrangimento faço essa alquimiação ponho argamassa na alma toco o fino tecido do pergaminho e se na hora a inspiração chega e me devassa deixo que ela se vista de seda procure o seu caminho e o meu corpo abrace poema outorgado pelo prêmio literacidade 2ª edição www.abiliopacheco.com.br eu e o tempo airton souza marabá-pa desejo sorte a mim mesmo pela vaidade que vem me traindo aglomeração da solidão me consumindo ainda veloz sou digerido pelo tempo já me tornei quase uma lembrança me tornei esse momento infiel uma lembrança vadia já nem sei a que tempo pertenço a do ser ao qual nunca fui ou a do que ainda serei resta saber se o tempo sobrará para este momento indeciso ser cumprido poema integrante do livro rua displicente a ser lançado pela editora literacidade

[close]

p. 13

eisfluências junho 2011 13 há um gosto amargo nas flores ariovaldo cavarzan escrever prosa e poesia é como deixar marcas de passagem através das trilhas da vida importa vez ou outra parar para respirar fundo dar um tempo e admirar o quanto foi deixado à retaguarda haurindo ali forças e esperanças para a continuidade da jornada a.c em meus tempos de menino na ânsia de desvendar o mundo,deslumbrei-me ante o perfume e a formosura das flores que enfeitavam vasos canteiros e jardins de minha casa tentando identificar-lhes o perfume e o gosto aprendendo a apreciá-las em sua diversidade de cores fragrâncias e beleza os sabores eram quase iguais diferenciados apenas por um toque que ia do amargo puro ao agridoce com maior ou menor intensidade embora seus cheiros as tornassem inconfundíveis mas o olfato o paladar e a mente de menino acabaram guardando mais que as simples nuanças perceptíveis aos sentidos aprenderam que as variáveis amargas dos sumos que se esparramavam pelo interior da boca mostravam-se a mais inesquecível de todas as descobertas gravaram a verdadeira identidade de cada espécie eram rosas margaridas lírios malmequeres dálias girassóis cravos violetas bocas de leão copos de leite açucenas primaveras e flores do campo algumas floresciam em hastes de espinhos outras se esparramavam no chão como se fossem tapetes a cada nova surpresa minha mente de menino guardava uma valiosa lição cujos significados verdadeiros passo a entender agora em plena fase madura transportando-os para minha vida cotidiana não devemos nos encantar apenas com as aparências de flores e pessoas importa sentir-lhes o cheiro conhecer-lhes o sabor descobrir-lhes a identidade mais íntima conviver com elas para entender que embora algumas se apresentem presas a hastes de espinhos também podem mostrar-se formosas e perfumadas e há ainda aquelas outras que se espalham no chão como se fossem tapetes sem perder a dignidade e a formosura mas todas guardam dentro de si seus verdadeiros cheiros e sabores nem sempre doces nem sempre perfumados,com variáveis nuanças mais ou menos amargas tão somente à espera de um novo despertar da curiosidade de um menino com muita vontade de desvendar mistérios e peculiaridades escondidas o tempo se encarregará de revelar cada conformação cada haste em que se assenta uma pessoa ou uma flor espinhadas ou não ou a terra fofa e generosa que lhes prendem os pés exibirá por fim suas particularidades interiores suas cores,seus sabores sua beleza seu perfume seus humores sua espiritualidade e seus valores enfim sua capacidade de encantar embevecer aceitar compreender renunciar perdoar acolher pacificar esperar sonhar e amar ariovaldo cavarzan itapira ­ s.p/brasil ascese ariovaldo cavarzan viajo em desvãos do infinito ora fazendo alarde e ora abafando o grito feito aluvião que se esvai inaudito em irremediável desvario arrastando consigo beira de rio sou centelha divina imortal chama inteligente preexistente ao meu corpo e a ele sobrevivente no derradeiro instante da sina singro vagas contritas sensível aos lances da lida amparado em chispas benditas montanhas ecoam silêncios de indigentes amores idos relegados ao léu dos desfiladeiros corações aflitos acendem velas de bem evocadas saudades crepitando soluços de ternas vontades evolados em preces iguais a aquarelas feito fagulha imortal imperturbável sigo meu caminho vogando recônditos de paz e aflições em rascunhos de infindas paixões sem jamais sentir-me sozinho muitos sóis já aqueceram meus dias a muitas estrelas declarei serem minhas e a muitas luas já revelei meu amor sou imorredoura e imperturbável flama divina e inteligente chama que faz ofegar um coração renitente à espera tão só do instante de outra vez ao infindo ascender penitente itapira s.p brasil ariovaldo cavarzan é escritor poeta e pesquisador natural de itapira ­ sp brasil nascido aos 11/06/1945 um dos fundadores e ex-presidente da abas ­ associação banespiana de assistência social um dos fundadores e atual presidente da apabex ­ associação de pais banespianos de excepcionais www.apabex.org.br juntamente com geziel andrade coautor dos livros o regresso ­ o retorno à vida espiritual segundo o espiritismo espiritismo e vida eterna e manual e dicionário básico de espiritismo ­ todos editados pela editora eme capivari ­ sp brasil autor do livro infantil a esperança com texto adaptado para o espiritismo de mensagem veiculada na internet ­ editora eme capivari ­ sp brasil.

[close]

p. 14

14 eisfluências junho 2011 mais tempo de vida para morrer em corredor de pronto-socorro por elizabeth misciasci o instituto brasileiro de geografia e estatística ibge no anual de dezembro de 2007 informou que o brasileiro esta tendo crescente período de sobrevivência entardecendo o fenecer se a causa for natural então compreende-se que estamos gradativamente passando por transformações que estabelecem maior expectativa ou durabilidade de vida o instituto brasileiro de geografia e estatística ibge no anual de dezembro de 2007 informou que o brasileiro esta tendo crescente período de sobrevivência entardecendo o fenecer se a causa for natural então compreende-se que estamos gradativamente passando por transformações que estabelecem maior expectativa ou durabilidade de vida conforme dados estatisticamente divulgados a idade média de vida em 2005 era de 71.9 anos e em 2006 72.3 porém como toda transformação produz efeito evidente que o fato do brasileiro estar vivendo mais a grosso modo pode-se atestar ou alimentar a tese de que a qualidade de vida melhorou de forma significativa portanto o efeito de uma maior longevidade passa a surtir mudanças que vão diferir nas futuras aposentadorias pois ficarão mais achatados levando inegavelmente o trabalhador brasileiro há contribuir mais tempo para ter o mesmo valor do benefício enquanto a expectativa de vida aumenta piora o fator previdenciário uma vez que se prevê a redução no valor das aposentadorias porvir segundo especialista diretamente ligado ao setor estes dados provam que há uma grandeza de caráter prático inconteste objetivando e proporcionando qualidade principalmente na área da saúde de dimensão positiva muito mais elevada e benéfica do que se pressupõe ou seja se por um lado a previdência sofre ajuste por outro este ganho de vida se dá pelos investimentos direcionados a este setor o que vem proporcionando melhoria na estrutura do órgão facilidade e rapidez ao acesso do povo aos serviços de saúde prevenção de doenças e uma das maiores prioridades da gestão a vacinação todo este conjunto tem que ser analisado com positivismo complementa o especialista pois serve para comprovar que a pasta permanece organizada oferecendo a população brasileira a merecida dignidade no que tange a saúde pública de acordo com dados divulgados pelo ibge é veraz que as mulheres vivem mais que os homens ou seja as mulheres vivem em média 75,2 anos e os homens 67,6 anos conforme parecer de alguns estudiosos o menor tempo de vida dos homens em relação ás mulheres pode estar ligado para a maioria do sexo masculino a um comportamento mais arriscado nas ações do cotidiano que envolve menor tolerância além de um alto estresse que envolve competitividade profissional responsabilidade demasiadamente exagerada há casos que em virtude de herança machista do patriarcado aflora a sensação de fracasso para estes em que a completa necessidade de honrarem sozinhos todas as obrigações e responsabilidades financeiras do lar é apenas e exclusivamente do homem em razão desta concepção no caso de uma eventual crise que não supra tais obrigações a autoridade máxima da família pode chegar a sérias seqüelas provocadas pela sensação de derrota aumentando o índice de problemas cardiovasculares e outros tantos de ordem emocional segundo alguns pesquisadores os hormônios femininos da família dos estrogênios são os responsáveis pela longevidade das mulheres enquanto que os hormônios masculinos testosterona podem encurtar a esperança de vida dos homens sem contar outro fator importantíssimo os homens brasileiros se cuidam menos evitam médicos e tratamentos diz estudo embora a mulher viva mais que o homem e nós brasileiros ganhamos mais tempo de vida há uma observação muito séria a ser feita já que a trajetória da taxa de participação feminina no mercado de trabalho acaba refletida 30 anos depois na curva de evolução das aposentadorias femininas aquela tendência do mercado de trabalho tem se reproduzido na composição das despesas do inss a mulher ainda sofre quanto a desproporcional remuneração para exercer a mesma atividade profissional que o homem em contrapartida com a mudança no código civil passou a possuir mais obrigações e sendo hoje muitas dessas as únicas mantenedoras familiares legitimando que qualquer despesa extra pode e certamente irá causar transtornos e muito mais dificuldades pensando assim viver mais seja em virtude da composição hormonal ou pelas estatísticas não irá beneficiá-la sob nenhuma hipótese porém ter que contribuir mais com a previdência tanto sob o ponto de vista econômico quanto ao tempo trabalhado será ou melhor dizendo é para o feminil completamente desfavorável agora analisando de forma consciente mesmo que esta se aposente não cessa o trabalho só limita-se ao endereço pois a mesma permanece aos afazeres domésticos e se for à única a cuidar da manutenção da casa futuro dos filhos com a sobrecarga das despesas do lar tornar-se-á sem sentido ganhar mais tempo de vida se tiver que tentar sobreviver com cobradores a porta contas penduradas na geladeira ou a falta do alimento na mesa viver mais ou ganhar mais tempo de vida para morrer em corredor de pronto-socorro pois aposentado no brasil dificilmente consegue pagar plano de saúde para isso ou acumulou pela vida toda um pé de meia ou alguém próximo lhe presenteia contribuindo mensalmente com as tais mensalidades neste caso de nada adianta a quantidade ganhando mais tempo de vida e sim a qualidade mesmo que se viva menos porém com a dignidade suficiente já é o bastante elizabeth misciasci http www.eunanet.net/beth/index.php http www.revistazap.org

[close]

p. 15

eisfluências junho 2011 15 luiz gilberto de barros luiz poeta a revista eisfluências parabeniza o seu prezado membro da redacção poeta luiz gilberto de barros pelas medalhas de mÉrito cultural que lhe foram concedidas pela academia de letras do brasil aldrava letras e artes e casa das beiras continue somando sucessos prezado poeta olhando de soslaio luiz poeta luiz gilberto de barros ­ às 22 h e 15 min do dia 25 de maio de 2011 especialmente para a revista eisfluências o pobre finge que não vê quem solicita uma visita ao seu mundo abandonado enquanto o rico simplesmente regurgita seu caviar na boca do pobre-coitado o pobre chuta a sua pedra e xinga e grita um palavrão como esse povo é descuidado reclama sempre a cada dor que o irrita mas continua olhando a vida só de um lado quem acredita na bondade ressuscita o amor que imita o sonhador acorrentado À emoção de uma lágrima bendita que facilita o choro mais desesperado a vida olha de soslaio essa desdita e na bendita resistência acorrentado o pobre ri do próprio espelho onde fita a solidão de mais um dente cariado rj/brasil quando o amor transforma a dor em poesia luiz poeta luiz gilberto de barros ­ às 21 h e 30 min do dia 24 de maio de 2011 especialmente para a revista eisfluências nenhum poema flui de mim eu o convido ele se esquiva enquanto o tempo inflexível provoca a lágrima da dor mas eu revido com minha vida e meu amor irredutível piso uma pedra o palavrão é inevitável É razoável após xingar pedir perdão mas toda dor provoca a ação inadiável que fatalmente alimenta o palavrão a inspiração por precaução se intimida a dor revida à inércia ocasional que silencia a solidão mas faz a vida reassumir sua intenção mais passional nenhuma dor dessas que eu tenha é bem-vinda sofrer ainda é prova testemunhal de que a vida pode ser muito mais linda se rebeldia de viver derrota o mal a ideia paira sobre o tempo irrefutável de ser feliz criando a cor da fantasia e o meu amor por ser sublime e admirável transforma a dor do desamor em poesia rj/brasil

[close]

Comments

no comments yet