Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

PRIORITÁRIO PRIORITY O outro lado de Inhambane The other side of Inhambane OUTRAS PARAGENS OTHER STOPS Roma, entre religião e história Rome, between religion and history ROLAR TAXIING Do lixo para a sala From the trash to the room REVISTA DE BORDO DA LAM INFLIGHT MAGAZINE ESTE EXEMPLAR É SEU YOUR FREE COPY . MAI JUN MAY JUN . SÉRIE IV . Nº 37 . 2016

[close]

p. 2



[close]

p. 3

ÍNDICE CONTENTS 08 especial Special “A LAM deve ser um orgulho para todos os moçambicanos” “All Mozambicans should be proud of LAM” 64 Primeira fila First Row wissa O sonho de uma lutadora A fighter’s dream 14 Prioritário Priority O outro lado de Inhambane The other side of Inhambane 70 Terra land 14 Encontro com golfinhos selvagens Meeting with wild dolphins 26 Evasão Escape A experiência White Pearl The White Pearl experience 74 classes classes livro aberto Nutrindo sonhos com histórias em papel Nurturing dreams with stories on paper 32 Outras paragens Other stops Roma, uma viagem entre religião e história Rome, a trip between religion and history 78 32 GPS gps As mudanças dos viajantes Changes in the travelers 40 Gastronomia Gastronomy siri siri A maresia suculenta Succulent smell of the sea 82 Rolar Taxiing piratas do pau Do lixo para a sala From the trash to the room 52 Cultura culture costa neto A força e o poder na luta contra a fome The strength and power in the fight against hunger 88 74 Lugar Premium Premium Seat Quarenta e um Forty-one 90 Mundo LAM LAM’s World PRIORITÁRIO PRIORITY O outro lado de Inhambane The other side of Inhambane OUTRAS PARAGENS OTHER STOPS Roma, entre religião e história Rome, between religion and history ROLAR TAXIING Do lixo para a sala From the trash to the room REVISTA DE BORDO DA LAM INFLIGHT MAGAZINE 19/04/16 11:11 CAPA xx COVER vasco célio PROPRIEDADE xx PUBLISHER LAM - Linhas Aéreas de Moçambique SA; www.lam.co.mz; www.facebook.com/VOELAMM; Call Center: +258 21 468 800; Série Series IV, nº 37 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA LAM xx LAM’S BOARD OF DIRECTORS Dr. António Pinto de Abreu (Presidente do Conselho de Administração Chairman of the Board) Dr. António Pinto (Presidente da Comissão Executiva Chief Executive Officer) Dr. Hélder Júlio da Silva Fumo (Administrador do Pelouro Financeiro Chief Financial Officer) Eng.º Carlos Vasco Sitoe (Administrador do Pelouro Técnico Operacional Chief Technical & Operational Officer) Eng.º Faizal Abdulgafar Sacugy (Administrador do Pelouro Comercial e Sistemas de Informação Chief Commercial and Information Technology Officer) Prof. Dr. Manuel Renato Matusse (Administrador Não-Executivo Non-Executive Board Member) Dr. Paulo Guilherme Mingot Negrão (Administrador Não-Executivo Non-Executive Board Member) Directora Editorial xx Editor in Chief Ana Filipa Amaro Editor xx Editor Frederico Jamisse Editora Executiva xx Executive Editor Marta Curto Coordenadora Editorial xx Editorial Coordinator Paola Rolletta COLABORADORES xx CONTRIBUTORS Adelino Timóteo; Amâncio Miguel; Francisco Noa; Gil Filipe; Jorge Ferrão; Kaysa Johnsson; Laurindos Macuácua; Luís Loforte; Madyo Couto; Mia Couto; Rui Monteiro, Sónia Sultuane e Ungulani Ba Ka Khosa FOTÓGRAFOS xx PHOTOGRAPHERS Vasco Célio (Director de Fotografia Photography Director); Alexandre Marques; Acamo Maquinasse; Benoit Marquet; Chico Carneiro; Dudu Mogne; João Costa (Funcho); Koos van der Lende; Massimo Mastrorillo; Mauro Pinto; Madyo Couto; Mário Macilau; Ouri Pota; Paulo Alexandre; Pedro Sá da Bandeira; Piotr Naskrecki; Ricardo Franco; Ricardo Rangel; Tomás Cumbana e Yassmin Forte TRADUÇÃO xx TRANSLATION David Miranda, Pangeia - Serviços de Tradução REVISÃO xx COPY EDITING Patrícia Pinto da Cruz DESIGN Executive Moçambique PRODUÇÃO GRÁFICA xx GRAPHIC PRODUCTION Iona - Comunicação e Marketing, Lda (Grupo Executive) PUBLICIDADE xx ADVERTISING Departamento Comercial xx Commercial Department Ana Antunes (Moçambique Mozambique) ana. antunes@executive-mozambique.com; Pedro Dias (Portugal) pdias.contacto@iona.pt ADMINISTRAÇÃO, redacção E PUBLICIDADE xx ADMINISTRATION, EDITION AND ADVERTISING Executive Moçambique Rua Marconi, nº 43 Bairro Polana Cimento Maputo – Moçambique Tel.: +258 21 485 652 Telm.: +258 84 311 9150 geral@executive-mozambique.com DELEGAÇÃO EM LISBOA xx LISBON OFFICE Rua Filipe Folque, nº 10 J – 2º drtº 1050-113 Lisboa Tel.: +351 213 813 566 Fax: +351 213 813 569 iona@iona.pt IMPRESSÃO E ACABAMENTO xx PRINTING AND FINISHING Paarlmedia, a division of Novus Holding – Joanesburgo – África do Sul Johannesburg – South Africa Tiragem Print Run: 20.000 exemplares 20,000 copies Número de Registo Registration Number: 08/GABINFO-DEC/2006 SÉRIE IV . MAI JUN MAY JUN . Nº 37 . 2016 www.lam.co.mz ESTE EXEMPLAR É SEU YOUR FREE COPY . MAI JUN MAY JUN . SÉRIE IV . Nº 37 . 2016 3

[close]

p. 4



[close]

p. 5

EDITORIAL EDITORIAL Editorial editorial Estimado Cliente Amigo, bem-vindo a bordo da LAM, a Companhia Moçambicana! Nesta edição damos início à celebração do 36º aniversário da LAM, cuja criação aconteceu no dia 14 de Maio de 1980. No actual processo de renovação da empresa, estão em curso várias acções que serão implementadas salvaguardando o seu principal objectivo de prover os serviços de transporte aéreo com a qualidade requerida pelos clientes. Esta Administração, que tomou posse em Fevereiro deste ano, está a desenvolver esforços visando o contínuo aprimoramento da cadeia de valor da LAM, desde a aquisição da passagem, check-in, embarque, voo até ao desembarque, um processo que ao longo do tempo de existência da companhia traduziu-se no transporte de mais de 12 milhões de passageiros, em mais de 400 mil horas de voos. Estamos cientes de que este percurso nos desafia a dar o nosso melhor para rapidamente duplicarmos os marcos alcançados até ao momento, dando cada vez mais primazia à qualidade no atendimento, pontualidade dos voos e eficácia no transporte de passageiros, bem como de carga e correio. Continuaremos a orientar o nosso foco no estímulo do tráfego e na captação de novos clientes, numa estratégia que valoriza todas as faixas etárias e segmentos de mercado. Desta forma, formulamos votos para que o amigo cliente se junte a estas celebrações e voe sempre a bordo das nossas aeronaves. Votos de bom voo. Dear Customer and Friend, welcome aboard LAM, the Mozambican Company! In this issue we give way to the celebration of LAM’s 36th anniversary, whose establishment took place on May 14, 1980. In the current process of renovation of the company, several activities are underway which will be implemented, safeguarding its main purpose of providing air transport services with the high levels of quality required by customers. This Administration, which took office in February this year, is making efforts aimed at the continuous improvement of LAM’s value chain, from ticket purchase, to check-in, to boarding, and flight to landing, a process that over the company’s lifetime has resulted in the transport of more than 12 million passengers, and more than 400 thousand flight hours. We are aware that this path challenges us to be at our best, in order to quickly double the milestones achieved so far, lending increasing priority to quality service, flight punctuality and efficiency in the transport of passengers, as well as cargo and postal services. We will continue to focus on traffic promotion and attracting new customers, a strategy that values all age groups and market segments. Thus, we wish for you, our customer and our friend, to join us in these celebrations and always fly aboard our aircraft. Have a pleasant flight. António Pinto PRESIDENTE DA COMISSÃO EXECUTIVA DA LAM LAM CHIEF EXECUTIVE OFFICER 5

[close]

p. 6

ÍNDICO maio. junho May. JUNE Nota da Direcção A Note from the Management A empresa de direito moçambicano Executive Moçambique, Lda. foi convidada, em Novembro do ano passado, pela Administração cessante das Linhas Aéreas de Moçambique, na pessoa do seu Administrador Delegado, Dr. Iacumba Ali Aiuba, a fazer a produção editorial e gráfica da revista Índico. Tendo as Linhas Aéreas de Moçambique conhecido a nomeação de uma nova Administração, foi à pessoa do Presidente da sua Comissão Executiva, Dr. António Pinto e demais administradores, que fizemos a apresentação do projecto. Com um novo grafismo e pensada por uma equipa de profissionais experientes, a Índico manterá a tendência da exploração de temas de forte pendor cultural com o contributo dos melhores nomes de Moçambique. Este desígnio será estendido às áreas da economia, do turismo, da gastronomia e outras, de forma a continuarmos a apresentar o melhor de Moçambique e das suas gentes, trabalho que foi executado com notável qualidade, quer pelos anteriores editores, quer pelos colaboradores que desejamos manter no projecto. Tudo faremos para termos uma revista pontual, que cumpra os seus tempos de permanência nas aeronaves da LAM e justifique o investimento dos anunciantes. Agradecendo a confiança que nos foi depositada pela Administração das Linhas Aéreas de Moçambique, enaltecemos o contributo especial de Marta Curto, oferecido a esta edição na qualidade de Editora Executiva. Foi de grande importância e desejamos-lhe as maiores felicidades para os seus novos projectos. Agradecemos igualmente a Paola Rolletta pela sua também importante contribuição e a todos os colaboradores que assinam os textos deste número. Com enorme prazer, apresentamos Frederico Jamisse como o Editor da revista Índico. Figura prestigiada do jornalismo moçambicano, onde milita há mais de 22 anos, é licenciado em ensino de Português e Literatura. Fez formação específica em jornalismo cultural, económico, financeiro e de desenvolvimento rural, dando contributo em diversos trabalhos de investigação. Estamos certos de ter feito uma boa escolha, num talento do país, respeitado e prestigiado pelas melhores práticas profissionais, sentido ético e lado humano. A Direcção The Mozambican company Executive Moçambique, Lda. was invited in last November by the outgoing administration of Mozambique Airlines, represented by its Managing Director Iacumba Ali Aiuba, to carry out the editorial and graphic production of Índico Magazine. With a new administration being appointed for Mozambique Airlines, we presented the project to its CEO, António Pinto, and the remaining administrators. With a new look and thought out by a team of experienced professionals, Índico will keep the trend of exploring topics with a strong Mozambican cultural leaning, with the contribution of the best names in the country. This intention will be extended to the areas of economy, tourism, gastronomy and others, in order to continue presenting the best of Mozambique and its people, a work that was performed with remarkable quality, both by its previous editors and by employees we wish to keep on the project. We will do everything in our reach to present a timely magazine, which fulfills Mozambique Airlines schedules and justifies the advertisers’ investment. Thanking the confidence that has been placed upon us by Mozambique Airlines’s Administration, we wish to highlight Marta Curto’s special contribution, in her role as Executive Editor for this edition. It was of great importance and we wish her all the best for her new projects. We would also like to thank Paola Rolletta for her special contribution and all collaborators who authored articles in this edition. It is with great pleasure that we announce that Frederico Jamisse will take from now on the role of Índico Magazine’s Executive Editor. A prestigious personality in Mozambican journalism, where he has been working for more than 22 years, he holds a degree in teaching Portuguese and Literature. He underwent specific training in cultural, economic and financial journalism, and rural development, contributing to several research papers. We are sure we have made a good choice, electing a national talent, respected and complimented for representing the best professional practices, an ethical sense and humanity. The Management 6

[close]

p. 7



[close]

p. 8

ÍNDICO maio. junho May. JUNE Marcelino dos Santos fundador da companhia aérea moçambicana founder of the Mozambican airline “A LAM deve ser UM orgulho PARA todos os moçambicanos” “All Mozambicans should be proud of LAM” TEXTO TEXT: Frederico Jamisse FOTO PHOTO: Alexandre Marques Apaixonado pelo bem social, pelas artes e cultura, assim como pelo desporto, e político já em fase mansa, foi uma figura preponderante para a extinção da Direcção de Exploração de Transportes Aéreos (DETA) e criação imediata, em 1980, das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) numa época em que pouca ou quase nula era a experiência a nível de gestão dos transportes aéreos. O seu nome é Marcelino dos Santos. Hoje, com 87 anos, mantémse firme nos seus ideais e conserva na sua memória vários momentos e acontecimentos históricos, falando como se tivessem acontecido ontem. Visitámo-lo em sua casa para uma conversa a propósito da celebração de mais um aniversário da criação das Linhas Aéreas de Moçambique: uma data especial para muitos moçambicanos. “A criação da LAM foi um grande acontecimento para todos os moçambicanos. Foi uma vitória”. CRIAÇÃO DA COMPANHIA AÉREA MOÇAMBICANA O dia 14 de Maio de 1980 ficou na memória de muitos moçambicanos. Foi anunciada a extinção da DETA e criação da LAM, um acto que se deveu a situações graves detectadas durante a ofensiva. O jornal “Notícias”, edição do dia 14 de Maio de 1980, escreve: “A inexistência de uma política de formação de quadros moçambicanos, a falta de unidade Passionate about social welfare, the arts and culture, as well as sports, and a politician presently in his milder stage, he was a dominant figure in the extinction of the Directorate of Air Transport Operations (Direcção de Exploração de Transportes Aéreos or DETA) and the immediate establishment, in 1980, of Mozambique Airlines (LAM), at a time when there was little or almost no experience in terms of air transport management. His name is Marcelino dos Santos. Currently at 87, he stands strong in his ideals and keeps in his memory several moments and historical events, talking as if they happened yesterday. We visited him at his home for a conversation concerning the celebration of another Mozambique Airlines anniversary: a special date for many Mozambicans. “LAM’s establishment was a great event for all Mozambicans. It was a victory”. ESTABLISHMENT OF THE MOZAMBICAN AIRLINE COMPANY May 14, 1980 remained in the memory of many Mozambicans. The dissolution of DETA and the establishment of LAM was announced, an act that was due to serious conditions detected during the offensive. The newspaper “Notícias”, on its May 14, 1980 edition, reports: “The absence of a training 8

[close]

p. 9

ESPECIAL Special 9

[close]

p. 10

ÍNDICO maio. junho May. JUNE “ A criação da LAM foi um grande acontecimento para todos os moçambicanos. Foi uma vitória. “LAM’s establishment was a great event for all Mozambicans. It was a victory. “ no seio dos pilotos devido a diferenças com base na experiência política profissional ou de nacionalidade, assim como situações de choque entre o pessoal das operações e navegante, foram outras das inúmeras situações de irregularidades detectadas na antiga DETA”. Marcelino dos Santos, membro do Comité Político Permanente e secretário do Comité Central para a Política Económica do partido Frelimo, anunciou, durante a reunião realizada com os trabalhadores, a importante decisão do Partido e do Estado de extinguir a DETA e de, no seu lugar, criar a LAM. Relembrando os tempos eufóricos vividos aquando da criação da companhia moçambicana, Marcelino dos Santos advoga que qualquer vitória é animadora, mesmo que esta não agrade a todos. “Nunca tive a arte de me aperceber e degustar daqueles que contrariavam a vontade nacional. Vi gente que não estava contente, mas nunca me policy for Mozambican staff, the lack of unity among the pilots due to differences pertaining to professional political experience or nationality, as well as conflict situations between operations and navigation staff, represented some of the other numerous irregularities in the former DETA”. Marcelino dos Santos, member of the Permanent Political Committee and secretary of the Central Committee for Economic Policy of the Frelimo party, announced during the meeting with the workers the important Party and State decision to extinguish DETA and, in its place, establish LAM. Recalling the euphoric times experienced during the establishment of the Mozambican company, Marcelino dos Santos argues that any victory is encouraging, even if it doesn’t please everyone. “I never had the ability to perceive and appraise those who went against the na- 10

[close]

p. 11

ESPECIAL Special preocupei em perceber porquê. Temos que acreditar que estamos a caminho do futuro”, afirma Marcelino dos Santos. DESAFIOS DA LAM Conhecer Moçambique é uma obrigação, como defende Marcelino, mas há necessidade de união dos países africanos e da liberalização do espaço aéreo. “É preciso que os moçambicanos conheçam um pouco mais de África e isso pode materializar-se através do envolvimento de todos, jornalistas e sociedade em geral. Temos que fazer parcerias e esforços conjuntos”, mas, acrescenta: “Mesmo com a liberalização do espaço aéreo é necessário que a LAM permaneça. Para mim a companhia é um orgulho e todo o povo deve granjear muito gosto por ter a LAM. Não será de ânimo leve que o povo a vai deixar morrer”. MENSAGEM ESPECIAL AOS TRABALHADORES DA LAM “Gostaria de dizer a todos os trabalhadores da LAM que é preciso acreditar em algo e nós temos uma tional will. I saw people who were not happy but never bothered to understand why. We must believe that we are on the way to the future”, Marcelino dos Santos states. LAM’S CHALLENGES Getting to know Mozambique is a must, as Marcelino advocates, but there is need for unity among African countries as well as the liberalization of airspace. “Mozambicans need know a little more of Africa and this can materialize through everyone’s involvement, including journalists and the society in general. We have to establish partnerships and joint efforts”, but, he continues: “Even with the liberalization of airspace it is necessary that LAM remains. For me the company is a matter of pride and the people should cherish LAM a lot. The people won’t let it die gently”. SPECIAL MESSAGE TO LAM’S WORKERS “I would like to say to all of LAM’s workers that we must believe in something, and we have a company “Foi criada 1 recentemente a Fundação Marcelino dos Santos, vocacionada para o apoio à educação”. “The Marcelino dos Santos Foundation was recently established, dedicated to supporting education”. 11

[close]

p. 12

ÍNDICO maio. junho May. JUNE 1 companhia que é nossa. Apostando, fazendo o nosso melhor, podemos melhorar ainda mais a nossa companhia e torná-la mais útil para os moçambicanos. A LAM é nossa!”. FUNDAÇÃO MARCELINO DOS SANTOS Foi criada recentemente a Fundação Marcelino dos Santos. Vocacionada para o apoio à educação, a fundação já está a recolher livros para doar às escolas. “Nós, como fundação, não recebemos dinheiro. Aceitamos material escolar e o dinheiro pode ser canalizado para bibliotecas através de materiais”. A fundação já recebeu alguns livros e espera mais apoios de editoras e pessoas singulares. “Queremos contribuir para que as crianças entendam o que é educação e a assumam, tendo uma maior aproximação e convivência com o livro”, afirma o patrono da fundação. QUEM É MARCELINO DOS SANTOS? Marcelino dos Santos nasceu no Lumbo, em Nampula, a 20 de Maio de 1929. Após o ensino básico, realizado no Lumbo e em Maputo, that is ours. Betting on it, doing our best, we will be able to further improve our company and make it more useful for Mozambicans. LAM is ours!”. MARCELINO DOS SANTOS FOUNDATION The Marcelino dos Santos Foundation was established recently. Dedicated to supporting education, the foundation is currently collecting books to donate to schools. “As a foundation, we have not received any money. We accept school supplies and the money can be channeled to libraries in the form of supplies”. The foundation has received some books and expects more support from publishers and private citizens. “We want to contribute to raising awareness, so that children understand what education is and accept it, getting closer to and coexisting with books”, says the patron of the foundation. WHO IS MARCELINO DOS SANTOS? Marcelino dos Santos was born in Lumbo, in Nampula, on May 20, 1929. After undergoing primary and secondary education in Lumbo and in Ma- 12

[close]

p. 13

ESPECIAL Special “ UM POLÍTICO POETA A POET POLITICIAN Marcelino dos Santos é poeta e, desde os anos 50, com os pseudónimos Kalungano e Lilinho Micaia, começou a colaborar no “Brado Africano”. Tem livros publicados em Moçambique, URSS, República Popular da China e República Democrática Alemã, e poesias traduzidas em várias línguas. Foi galardoado com o prémio “LOTUS” da Associação dos Escritores Afro-Asiáticos e o prémio MIRSU TURSUM ZADE da União dos Escritores Soviéticos e do Comité Soviético de Solidariedade com os Povos de África e Ásia. É considerado uma das vozes poéticas mais autênticas do nacionalismo africano. Entre os vários poemas por ele escritos, partilhamos “Sonho de Mãe Negra”. SONHO DE MÃE NEGRA Mãe negra Embala o seu filho E esquece Que o milho já a terra secou Que o amendoim ontem acabou. Ela sonha mundos maravilhosos Onde o seu filho irá à escola À escola onde estudam os homens Mãe negra Embala o seu filho E esquece Os seus irmãos construindo vilas e cidades Cimentando-as com o seu sangue Ela sonha mundos maravilhosos Onde o seu filho correria na estrada Na estrada onde passam os homens Mãe negra Embala o seu filho E escutando A voz que vem do longe Trazida pelos ventos Ela sonha mundos maravilhosos Mundos maravilhosos Onde o seu filho poderá viver. Marcelino dos Santos is a poet and since the 50s, under the pseudonyms Kalungano and Lilinho Micaia, he began collaborating with “Brado Africano”. He published books in Mozambique, the USSR, the People’s Republic of China and the German Democratic Republic, and his poetry has been translated into several languages. He was awarded the “LOTUS” by the Afro-Asian Writers Association and the MIRSU TURSUM ZADE by the Union of Soviet Writers and the Soviet Afro-Asian Solidarity Committee, being considered one of the most authentic poetic voices of African nationalism. Among the many poems he wrote, we would like to share “A Black Mother’s Dream”. A BLACK MOTHER’S DREAM Black mother Rocks her child And forgets That the corn has already been dried by the earth That the peanuts ran out yesterday. She dreams of wonderful worlds Where her child will go to school To the school where men study Black mother Rocks her child And forgets Her brothers building villages and cities Cementing them with their blood She dreams of wonderful worlds Where her child would run on the road On the road where men go by Black mother Rocks her child And listening To the voice coming from afar Brought by the winds She dreams of wonderful worlds Wonderful worlds Where her child may live. Queremos contribuir para que as crianças entendam o que é educação e a assumam. We want to contribute to raising awareness, so that children understand what education is and accept it. “ tira o curso de Engenharia em Portugal, onde, bastante jovem, inicia as suas actividades políticas, participando, clandestinamente, na organização dos estudantes das colónias portuguesas. Em 1951, por decisão deste núcleo, parte para Paris, França, a fim de ampliar a acção organizativa. Estuda Ciências Políticas e Sociologia na Universidade de Sorbonne. Em 1959, em virtude do seu intenso trabalho no campo da luta anti-colonialista, é expulso de França e parte para a Bélgica, depois para Inglaterra, de onde segue para Marrocos onde, em ‘61, funda com outros intelectuais revolucionários a Conferência das Organizações Nacionalistas das Colónias Portuguesas. Ao mesmo tempo, é nomeado secretário das Relações Exteriores da União Democrática Nacional de Moçambique (UDENAMO). Em 1962, torna-se membro da Frelimo como secretário das Relações Exteriores, membro do Conselho de Presidência e Vice-Presidente. Em 1977, é eleito membro do Bureau Político do Comité Central e secretário do Comité Central para a Política Económica, e é designado secretário permanente da Assembleia Popular. A 25 de Setembro de 1980, é nomeado Major General e, a Janeiro de 1987, é eleito Presidente da Assembleia Popular. puto, he attained an Engineering degree in Portugal. In Lisbon, still very young, he begins his political activities, taking part clandestinely in the organization of students of the Portuguese colonies. In 1951, by decision of this organization, he leaves to Paris, France, in order to expand the organization’s activities. He studies Political Science and Sociology at the University of Sorbonne. In 1959, due to his hard work in the anti-colonialist fight, he is driven out of France and leaves to Belgium and then to England, from where he heads to Morocco where, in 1961, he founded with other renowned revolutionary intellectuals the Conference of Nationalist Organizations of the Portuguese Colonies, for which he was elected secretary general. At the same time, he is appointed secretary of Foreign Affairs of the National Democratic Union of Mozambique (UDENAMO). In 1962 he becomes a member of Frelimo as secretary of Foreign Affairs, member of the Board of Presidency and Vice-President. In 1977, he is elected member of the Political Bureau of the Central Committee and secretary of the Central Committee for Economic Policy, and permanent secretary of the People’s Assembly. On September 25, 1980 he is appointed Major General and on January 1987 he is elected President of the People’s Assembly. 13

[close]

p. 14

ÍNDICO maio. junho May. JUNE O outro lado de Inhambane The other side of Inhambane

[close]

p. 15

Prioritário Priority

[close]

Comments

no comments yet