Manual do Locatário

 

Embed or link this publication

Description

Manual, Guia

Popular Pages


p. 1

MANUAL DO LOCATÁRIO ◄

[close]

p. 2

MANUAL DO LOCATÁRIO 2 BEM-VINDO AO PERINI BUSINESS PARK Na competitividade dos dias de hoje, agradecemos imensamente pela escolha do nosso empreendimento para que juntos possamos crescer ainda mais! O presente manual tem por objetivo fornecer informações técnicas sobre o funcionamento, manejo e manutenção do imóvel locado de acordo com os sistemas construtivos empregados, visando evitar danos decorrentes do mau uso e esclarecer quanto aos riscos de perda de garantia por falta de conservação e manutenções preventivas adequadas. Para um maior esclarecimento sobre as regras e demais informações específicas que regem este empreendimento, há também o Regulamento Interno. Sugerimos a leitura atenta deste manual e do Regulamento Interno e a disseminação dessas informações para todos os colaboradores de sua empresa, para que, desta forma, possam contribuir para uma gestão mais eficiente. Esperamos que a sua permanência dentro do parque seja duradoura e coroada de sucessos! ◄ ◄

[close]

p. 3

MANUAL DO LOCATÁRIO 3 ESTRUTURA DO CONDOMÍNIO PROPRIETÁRIOS F.P.F.ANDROMEDA Fundo de Investimento Imobiliário Fundo de Investimento Imobiliário Industrial do Brasil ADMINISTRADORA CONDOMINIAL Condomínio Perini Business Park Rua Dona Francisca, 8300 – Casa 3, Vila Germânica – Condomínio Perini Business Park Joinville – SC – CEP: 89.219-600 Telefones: (47) 3028-8606 | 3028-8603 Para os finais de semana e horários fora do expediente: (47) 3424-0617 www.perinibusinesspark.com.br ADMINISTRADORA DA LOCAÇÃO Coinvalores C.C.V.M Ltda Av. Brigadeiro Faria Lima, 1461, 10º andar, Torre Sul, Bairro Pinheiros São Paulo – SP – CEP: 01.452-921 Telefone: (11) 3035-4141 www.coinvalores.com.br CONSTRUTORA RESPONSÁVEL Perville Engenharia e Empreendimentos S/A Rua Dona Francisca, 8300 – Bloco Z – Condomínio Perini Business Park Joinville – SC – CEP: 89.219-600 Telefone: (047) 3803-2200 www.perville.com.br HORÁRIO DE EXPEDIENTE Comercial / Financeiro - segunda a sexta das 8 às 12h e das 13:30h às 18h Portaria – 24 horas, todos os dias da semana ◄ ◄

[close]

p. 4

MANUAL DO LOCATÁRIO 4 SUMÁRIO 1) APRESENTAÇÃO..............................................................................................................................6 2) CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DO EMPREENDIMENTO....................................................................7 2.1) O TÉRREO E OUTROS PAVIMENTOS..........................................................................................7 2.2) COBERTURA.............................................................................................................................7 2.3) USO DO ESTACIONAMENTO........................................................................................................7 3) O IMÓVEL OBJETO DA LOCAÇÃO E AS GARANTIAS...................................................................7 4) PROCEDIMENTOS GERAIS PARA REFORMAS OU ADAPTAÇÕES NO IMÓVEL........................9 5) PERDA DE GARANTIA................................................................................................................... 10 6) DIRETRIZES PARA COLOCAÇÃO EM USO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO.............................. 11 6.1) FUNDAÇÕES E PISO INDUSTRIAL........................................................................................ 11 6.1.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA................................................................................................... 11 6.1.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO........................................................ 11 6.1.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA................................................... 11 6.1.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM A SUA PERDA.......................................... 12 6.2) SUPRA ESTRUTURA.............................................................................................................. 12 6.2.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA................................................................................................... 12 6.2.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO....................................................... 12 6.2.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA.................................................. 13 6.2.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA............................................. 13 6.3) DIVISÓRIAS INTERNAS.......................................................................................................... 13 6.3.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA................................................................................................... 13 6.3.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO....................................................... 13 6.3.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA.................................................. 14 6.3.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA............................................. 14 6.4) FORROS E COBERTURAS..................................................................................................... 14 6.4.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA.............................................................................................. 14 6.4.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO....................................................... 15 6.4.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA.................................................. 15 6.4.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM A PERDA DA GARANTIA............................. 15 6.5) INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS – ÀGUA FRIA............................................................. 15 6.5.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA................................................................................................... 15 6.5.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO....................................................... 16 6.5.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA.................................................. 16 6.5.4) GARANTIAS E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA............................................... 17 6.6) ESGOTO E ÁGUA PLUVIAL.................................................................................................... 17 6.6.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA................................................................................................... 17 6.6.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO............................................................ 17 6.6.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA....................................................... 18 6.6.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA............................................. 18 6.7) INSTALAÇÕES DE INFRAESTRUTURA PARA AR CONDICIONADO....................................... 19 6.7.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA............................................................................................... 19 6.7.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO........................................................ 19 6.7.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA................................................... 19 6.7.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA.............................................20 6.8) INSTALAÇÕES ELÉTRICAS.........................................................................................................20 6.8.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA..............................................................................................20 ◄ ◄

[close]

p. 5

MANUAL DO LOCATÁRIO 5 6.8.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO............................................................ 21 6.8.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA..................................................24 6.8.4) GARANTIAS E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA...........................................24 6.9) INSTALAÇÕES DE COMUNICAÇÃO....................................................................................... 24 6.9.1 INSTALAÇÕES TELEFÔNICAS.........................................................................................25 6.9.1.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA............................................................................................25 6.9.1.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO.........................................................25 6.9.1.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA................................................25 6.9.1.4) GARANTIAS E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA........................................25 6.10) ESQUADRIAS METÁLICAS....................................................................................................26 6.10.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA.............................................................................................26 6.10.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO......................................................26 6.10.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA.....................................................26 6.10.4) GARANTIAS E FATORES QUE ACARRETAM A SUA PERDA......................................26 6.11) VIDROS...................................................................................................................................27 6.11.1) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO E MANUTENÇÃO PREVENTIVA.27 6.11.2) GARANTIAS E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA.........................................27 6.11) ESQUADRIAS DE MADEIRA................................................................................................27 6.11.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA.............................................................................................27 6.11.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO......................................................27 6.11.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA.................................................28 6.11.4) GARANTIAS E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA.........................................28 6.12) PINTURA................................................................................................................................28 6.12.1) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO E MANUTENÇÃO PREVENTIVA.....28 6.12.2) PRAZOS DE GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM A PERDA DA GARANTIA.28 6.13) REVESTIMENTOS CERÂMICOS...........................................................................................29 6.13.1) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO E MANUTENÇÃO PREVENTIVA.29 6.13.2) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM A SUA PERDA........................................29 6.14) LOUÇAS SANITÁRIAS............................................................................................................29 6.14.1) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO E MANUTENÇÃO PREVENTIVA.29 6.14.2) PRAZOS DE GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM A PERDA DA GARANTIA.30 6.15) METAIS SANITÁRIOS............................................................................................................30 6.15.1) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO E MANUTENÇÃO PREVENTIVA....30 6.15.2) PRAZOS DE GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM A PERDA DA GARANTIA.30 7) RISCOS, REGISTROS E INSPEÇÕES........................................................................................... 31 8) PLANO DE MANUTENÇÃO............................................................................................................32 9) RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO CONDOMINIAL.....................................................35 9.1) RESPONSABILIDADE PELOS DEFEITOS DE CONSTRUÇÃO..............................................35 9.2) O LIMITE DA RESPONSABILIDADE.......................................................................................35 9.3) DA EXTINÇÃO DA GARANTIA................................................................................................35 10) SOLICITAÇÃO DE MANUTENÇÃO E ASSISTENCIA TÉCNICA..................................................36 11) DOCUMENTOS..............................................................................................................................36 ANEXO 1 – GARANTIAS E PRAZOS............................................................................................37 ANEXO 02 - INSTRUÇÕES GERAIS PARA REGISTRO DE ALTERAÇÕES NA EDIFICAÇÃO....39 ANEXO 03 – DADOS PARA SOLICITAR LIGAÇÃO NA CELESC..................................................40 ◄

[close]

p. 6

MANUAL DO LOCATÁRIO 6 1) APRESENTAÇÃO A Administração Condominial, representando o locador proprietário, entrega ao locatário o imóvel nas condições compromissadas, desejando que o mesmo lhe proporcione o máximo em praticidade, produtividade, conforto e condições para desenvolver suas atividades. O imóvel sendo locado é parte do Perini Business Park que foi implantado a partir do ano 1999 e continua em expansão. O sistema construtivo empregado é um dos mais modernos da construção industrializada e vem sendo aprimorado desde o início do condomínio. A concepção, projeto e execução das edificações do mesmo voltam-se ao melhor atendimento das exigências técnicas, de uso, desempenho, durabilidade e conforto especificadas em normas brasileiras e internacionais. Assim sendo, no intuito de manter a satisfação recíproca e visando a conservação da edificação, a Administração Condominial elaborou o presente Manual do Locatário. O propósito é fornecer informações técnicas sobre o funcionamento, manejo e ainda a manutenção do imóvel, de acordo com os sistemas construtivos e materiais empregados; evitar danos decorrentes do mau uso e esclarecer quanto aos riscos de perda da garantia pela falta de conservação e manutenções preventivas adequadas. O mesmo foi elaborado seguindo as prescrições das normas NBR 14037 – Manual de operação, uso e manutenção das edificações – Conteúdo e recomendação para elaboração e apresentação e NBR 5674 – Manutenção de edificações – Requisitos para o sistema de gestão de manutenção. Sugerimos a leitura atenta deste manual, pois as indicações e práticas nele contidas só lhe trarão benefícios. Além disso, constitui condição de garantia do imóvel para a correta manutenção preventiva da unidade e das áreas comuns do Condomínio, conforme as NBR’s citadas acima, nos termos do Manual do Locatário e do Regulamento Interno. O locatário é o responsável pela manutenção preventiva do imóvel e co-responsável pela realização e custeio da manutenção preventiva das áreas comuns. Após a entrega, a Administração Condominial poderá efetuar vistorias no imóvel a fim de verificar a efetiva realização dessas manutenções e o uso correto do mesmo, bem como avaliar os sistemas quanto ao desempenho dos materiais e funcionamento, de acordo com o estabelecido no Manual do Locatário e Regulamento Interno. O locatário deve permitir o acesso do profissional designado pela Administração Condominial para proceder à Vistoria Técnica, sob pena de perda de garantias. ◄ÍNDICE

[close]

p. 7

MANUAL DO LOCATÁRIO 7 2) CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DO EMPREENDIMENTO O imóvel locado faz parte do condomínio Perini Business Park, empreendimento de uso industrial e comercial, situado à rua Dona Francisca, 8300, no Distrito Industrial de Joinville/SC, CEP 89219-600. 2.1) O TÉRREO E OUTROS PAVIMENTOS No térreo encontra-se o espaço principal do imóvel destinado à produção e administração, sendo que em algumas edificações existe um mezanino. Em alguns galpões, também pode haver a existência de um módulo de serviço. Na parte externa existe o acesso de pedestres, veículos, estacionamentos, pátios de manobras e muros de periferia. É terminantemente proibido o depósito de materiais, de qualquer espécie, nas áreas de estacionamento e áreas comuns do condomínio. 2.2) COBERTURA A cobertura é composta de elementos pré-fabricados de concreto armado, madeira, aço e alumínio. Apenas a Administração Condominial pode fazer manutenções e vistorias nestes elementos. É terminantemente proibido usar a cobertura como depósito de materiais de qualquer espécie assim como aplicar-lhe cargas superiores às previstas em projeto. A Administração Condominial sempre deverá ser consultada expressamente nestas situações. 2.3) USO DO ESTACIONAMENTO Os espaços de estacionamento descoberto e/ou área de manobras de carga e descarga são para uso exclusivo do locatário não podendo ser usados com outro fim (produção e estocagem). O controle de acesso a esses espaços será de responsabilidade do locatário. 3) O IMÓVEL OBJETO DA LOCAÇÃO E AS GARANTIAS O imóvel foi construído com uma série de materiais heterogêneos que estão sujeitos ao desgaste e deterioração mesmo com o uso normal, mas, certamente, se além de usados adequadamente, receberem uma boa manutenção, manterão seu desempenho durante o período de uso do imóvel. A partir da vistoria inicial, a responsabilidade pela conservação de diferentes componentes é do locatário, independentemente das garantias legais assumidas pela Administração Condominial. Todas as garantias fornecidas pela Construtora deverão ser acionadas através da Administração Condominial, não só as garantias, como qualquer manutenção. Caso a Administração Condominial não consiga resolver o assunto, encaminhará aos responsáveis - Locador ou Construtora. Para um melhor entendimento das principais características técnicas da edificação, na tabela (quadro 1) são indicados os principais sistemas construtivos empregados e que serão descritos nos próximos itens: ◄ÍNDICE

[close]

p. 8

MANUAL DO LOCATÁRIO 8 ITEM Fundações Estrutura Piso industrial Piso das áreas administrativas Divisórias externas Divisórias internas Forros Instalações elétricas SISTEMA CONSTRUTIVO Estacas, blocos e vigas pré-fabricadas Pilares e vigas pré-fabricadas Concreto armado moldado in loco Concreto armado / contrapiso com acabamento conforme o padrão da Construtora. Painéis pré-fabricados de concreto armado com granilha na face externa Painéis pré-fabricados de concreto ou gesso acartonado e tijolos Mineral (área comum) e PVC (banheiros das salas) Medição individualizada e distribuição de fios e cabos por meio de eletrodutos, eletrocalhas e shafts Armazenagem em reservatório externo e distribuição com Instalações de água fria (com medição tubulações de PVC. Todas as edificações possuem reserindividualizada) vatórios em fibra Sistema de hidrantes de incêndio Sistema de iluminação de emergência Sistema de alarme de incêndio Esquadrias metálicas Armazenagem em reservatório externo e distribuição com tubulações de PEAD (Polietileno de Alta Densidade) para os gabinetes de incêndio Uso de blocos autônomos Uso de sinalizadores sonoros Alumínio anodizado ou aço pintado Quadro 1 . Principais sistemas construtivos do edifício No Anexo 1 deste manual estão descritas as garantias e seus prazos para os diferentes sistemas, componentes e instalações da edificação, com validade a partir da data da vistoria inicial do imóvel. Os prazos constantes neste manual foram estabelecidos em conformidade com as normas técnicas e regras legais vigentes sobre as relações de consumo em vista do estágio atual da tecnologia de cada um dos seus componentes, além dos serviços empregados na construção. Assim sendo, os prazos referidos correspondem a prazos totais da garantia. ◄ÍNDICE

[close]

p. 9

MANUAL DO LOCATÁRIO 9 4) PROCEDIMENTOS GERAIS PARA REFORMAS OU ADAPTAÇÕES NO IMÓVEL • A adaptação do imóvel ou reformas para atender futuras necessidades deverão seguir orientações e projetos técnicos elaborados por profissionais legalmente habilitados (engenheiro civil e/ou arquiteto) que deverão emitir ART (anotação de responsabilidade técnica) do projeto e de execução específica para cada serviço executado; • Todas as adaptações ou reformas feitas na edificação deverão ser autorizadas pela Administração Condominial. Sem esta autorização, qualquer obra fica impedida de ser realizada. Para tal, o locatário deverá encaminhar para análise da administradora os estudos e projetos desenvolvidos pelos profissionais habilitados para que sua viabilidade técnica seja analisada; • Assim, serão estabelecidos parâmetros para a realização dos trabalhos (materiais, equipamentos, horários, circulação e depósito temporário de materiais) e serão evitados futuros aborrecimentos, promovendo a ordem e segurança interna; • A responsabilidade pela boa prática da engenharia em sua adaptação e/ou reforma, é inteiramente do locatário e seus prestadores de serviço. O pessoal técnico da Administração Condominial poderá a qualquer momento fiscalizar a correta execução dos serviços; • No anexo 2 deste manual consta a indicada ficha com instruções para registro de alterações no imóvel que impliquem em mudanças de operação de uso e manutenção do mesmo. O preenchimento é obrigatório por parte do locatário e também deverá ser comunicado à Administração Condominial; • O não atendimento a qualquer um dos itens anteriores implica em perda de garantias sobre aqueles elementos da construção relacionados à reforma ou adequação do imóvel, podendo inclusive o proprietário cobrar indenizações por trabalhos que venham a afetar a construção existente. ◄ÍNDICE

[close]

p. 10

MANUAL DO LOCATÁRIO 10 5) PERDA DE GARANTIA • Caso haja reforma ou alteração que comprometa o desempenho de algum sistema ou componente da edificação previsto em projeto; • Caso haja mau uso da edificação, seus componentes ou não forem tomados os cuidados de uso recomendados neste manual; • Caso não seja implantado e executado de forma eficiente o Programa de Manutenção de acordo com a ABNT NBR 5674 – Manutenção de edificações – Requisitos para o sistema de gestão de manutenção, ou apresentada a efetiva realização das ações descritas no plano sugeridas no Quadro 2A e 2B deste manual; • Caso não sejam respeitados os limites admissíveis de sobrecarga nas instalações e na estrutura, informados no Manual e pela Administração Condominial; • Caso o locatário não permita o acesso do profissional destacado pela Administração Condominial às dependências quando for o caso de realizar a vistoria técnica ou os serviços de assistência técnica; • Caso seja executada reforma, alteração ou descaracterizações dos sistemas da edificação sem a devida autorização da Administração Condominial; • Caso sejam identificadas irregularidades em eventual vistoria técnica e as providências sugeridas não forem tomadas por parte do locatário; • Caso seja realizada substituição de qualquer parte do sistema com uso de peças, componentes que não possuam característica de desempenho equivalente ao original entregue; • Se, durante o prazo de vigência da garantia não for observado o que dispõe o Manual do Locatário, Regulamento Interno e a ABNT NBR 5674, no que diz respeito à manutenção correta para edificações em uso ou não; • Se, nos termos do artigo 393 do Código Civil, ocorrer qualquer caso fortuito, ou de força maior, que impossibilite a manutenção da garantia concedida; • Falta de comprovação da realização de manutenção eventualmente estabelecida, conforme previsto na norma ABNT 5674. NOTA 1: Demais fatores que possam acarretar a perda de garantia estão descritos nas orientações de uso e manutenção do imóvel para os sistemas específicos. NOTA 2: Situações não cobertas pela garantia: peças que apresentem desgaste natural pelo tempo ou uso. ◄ÍNDICE

[close]

p. 11

MANUAL DO LOCATÁRIO 11 6) DIRETRIZES PARA COLOCAÇÃO EM USO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO O imóvel faz parte de um condomínio industrial construído dentro de critérios técnicos que lhe asseguram a solidez e segurança necessária durante a vida útil da estrutura. Entretanto, na sua constituição existem componentes que merecem atenção especial para garantir-lhe a vida útil desejada, sendo necessária, por isso, a realização de manutenções preventivas. Os componentes que merecem atenção especial são salientados nos próximos itens. 6.1) FUNDAÇÕES E PISO INDUSTRIAL 6.1.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA As fundações são o conjunto de elementos responsáveis pela transmissão dos esforços ao solo (apoio). Este empreendimento possui fundações profundas do tipo estaca pré-moldada. Devido às características do terreno, o piso foi dimensionado para resistir a uma carga de 3 ton/m² (salvo em projetos especiais), tendo inclusive estacas que permitem a distribuição dessas cargas no solo. Sob nenhuma hipótese as fundações e piso devem ser alterados tanto na sua solidez como na aplicação de cargas acima das especificadas. 6.1.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO São terminantemente proibidas escavações, aberturas de buracos no piso ou perfurações próximas às fundações. Ninguém está autorizado a executar reformas ou alterações no piso e fundações, sem o prévio conhecimento e autorização da Administração Condominial. Caso sua empresa verifique que haverá necessidade de aplicar cargas maiores que as previstas, vibrações ou contato de substância química com os elementos do piso/fundação deverá encaminhar as informações técnicas necessárias para análise da Administração Condo minial. 6.1.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA Não é necessária a manutenção das fundações; entretanto na impossibilidade de prever com perfeição o comportamento do terreno ao longo dos anos em todos os pontos da fundação, podem eventualmente ocorrer pequenos recalques diferenciais determinando o surgimento de fissuras no piso sem comprometer a estabilidade da estrutura. Se isso ocorrer, a Administração Condominial deve ser informada para acionar a construtora. ◄ÍNDICE

[close]

p. 12

MANUAL DO LOCATÁRIO 12 6.1.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM A SUA PERDA As fundações têm a garantia da Construtora durante o período da locação, mas o locatário deve tomar cuidado de não incorrer nas condicionantes indicadas nos itens 3, 4 e 5 deste manual sob pena de ser acionado para restabelecer as condições de solidez, segurança e estabilidade das fundações e pisos. Além dos itens citados acima, algumas das principais causas a serem evitadas são: • Alteração, escariação, perfuração, ruptura ou retirada de quaisquer elementos estruturais do empreendimento, tais como blocos de fundação, pilares, vigas, escadas e lajes, com relação ao projeto original; • Sobrecargas nas estruturas e paredes além dos limites normais de utilização previstos; • Se não forem seguidos os procedimentos de uso e manutenção preventiva indicados nos itens 6.1.2 e 6.1.3. 6.2) SUPRA ESTRUTURA 6.2.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA Este empreendimento é constituído de um conjunto de elementos de pré-fabricados de concreto armado, composto de vigas, pilares e lajes. Todo este conjunto sustenta a edificação e transfere todas as cargas atuantes sobre ela para as fundações. 6.2.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO • Deve ser evitado o contato direto dos elementos da estrutura (pilares, vigas e lajes) com matéria orgânica, substâncias ácidas e produtos químicos; • Deve ser evitada a exposição das superfícies de concreto ao fogo ou altas temperaturas (acima de 80°C); • Em caso de necessidade de adequações no uso do imóvel que interfiram com a estrutura, consulte o item 4 deste manual. • Não é permitido durante a ocupação e uso: – A retirada parcial ou total de qualquer elemento estrutural, quer sejam pilares, vigas e lajes; – Submeter os elementos estruturais a sobrecargas não previstas no projeto original. A carga máxima a ser colocada em elementos como vigas, pilares e lajes deve ser consultada com a Administração Condominial; – Fazer aberturas de vãos não previstos no projeto original; – Perfurar qualquer elemento estrutural, para fixações de elementos de qualquer natureza, como, por exemplo, passagem de tubulações etc. e tal. – Romper a laje para embutir tomadas de piso; – Utilizar rompedores, marteletes e outros equipamentos semelhantes para perfurar ou romper elementos estruturais; ◄ÍNDICE

[close]

p. 13

MANUAL DO LOCATÁRIO 13 6.2.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA • Inicialmente, verifique com a Administradora Condominial os procedimentos de inspeção preventiva da estrutura previstos para a edificação; • O aparecimento de fissuras em lajes, vigas e pilares deve ser comunicado à Administração Condominial, a fim de verificar suas causas e corrigí-las; • A armadura da estrutura está protegida do ambiente externo pelo recobrimento de concreto que foi deixado na sua execução. Essa condição evita a corrosão e protege a estrutura contra eventuais sinistros. Se for observado em algum ponto da estrutura o aparecimento da armadura ou “mapeamento” da mesma, comunicar à Administração Condominial para avaliar a situação; • Se, por qualquer motivo, houver dano superficial no concreto e/ou alguma armação ficar exposta, o reparo estrutural deverá ser imediato. Comunique à Administração Condominial para receber as orientações a seguir no reparo. 6.2.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA A Supra-estrutura tem a garantia da Construtora durante o período da locação mas o locatário deve tomar cuidado de não incorrer nas condicionantes indicadas nos itens 3, 4 e 5 deste manual sob pena de ser acionado para restabelecer as condições de solidez, segurança e estabilidade do conjunto estrutural. Além dos itens citados acima, algumas das principais causas a serem evitadas são: • Substituição de revestimentos sem aprovação da Administração Condominial; • Submeter os elementos estruturais a condições não previstas no projeto; • Se não forem seguidos os procedimentos de uso e manutenção preventiva indicados nos itens 6.2.2 e 6.2.3. 6.3) DIVISÓRIAS INTERNAS 6.3.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA Conjunto de elementos constituído por painéis de gesso acartonado, chapa cimentícia estruturados com perfis de aço ou tijolos, com função de vedação dos vãos da estrutura, além de resistir a esforços oriundos de deformações estruturais, de seu peso próprio e pequenas cargas de ocupação. Dividem os espaços e ambientes. As características dos painéis e revestimento lhe conferem determinados índices de isolamento térmico e acústico, de impermeabilidade e resistência a impactos. 6.3.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO • Não sobrecarregar a estrutura além dos limites normais de utilização previstos em projeto, pois essa sobrecarga pode acarretar fissuras ou até comprometimento dos elementos estruturais e vedação. • Vistoriar as divisórias quanto à existência de sobrecarga devido à fixação de estantes, prateleiras, armários, etc. • Não retirar, parcial ou totalmente, uma parte das divisórias sem consulta prévia aos projetos ◄ÍNDICE

[close]

p. 14

MANUAL DO LOCATÁRIO 14 estruturais, elétricos e hidrossanitários, solicitando orientação à Administração Condominial sobre a segurança estrutural e passagem de canalizações. • Usar furadeira e buchas especiais para gesso ao perfurar a divisória para pendurar objetos. As divisórias convencionais (uma chapa de cada lado) podem suportar cargas pontuais de até 20 kg. Para cargas maiores deverão ser feitos reforços na estrutura de sustentação conforme orientações do fabricante das divisórias. Ainda deverá ser verificado se as fixações não irão agredir as instalações embutida nas divisórias. 6.3.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA • Inspecionar anualmente a integridade das divisórias; • Certificar-se anualmente da não proliferação de fungos, inexistência de furos e aberturas de vãos não previstos no projeto original. 6.3.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM SUA PERDA As divisórias têm a garantia da Construtora durante o período da locação, mas o locatário deve tomar cuidado de não incorrer nas condicionantes indicadas nos itens 3, 4 e 5 deste manual sob pena de ser acionado para restabelecer as condições de solidez, segurança e estabilidade das divisórias. Além dos itens citados acima, algumas das principais causas a serem evitadas são: • Demolição de paredes ou mudança da posição original; • Aberturas de vãos não previstos no projeto original; • Grandes impactos; • Substituição de revestimentos, sem aprovação da Administração Condominial; • Retirada total ou parcial de elementos da estrutura das divisórias; • Ocorrências de infiltrações não informadas; • Se não forem seguidos os procedimentos de uso e manutenção preventiva indicados nos itens 6.3.2 e 6.3.3. 6.4) FORROS E COBERTURAS 6.4.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA Na área administrativa o forro tem função estética, instalado abaixo da laje ou suspensa por estrutura metálica. No galpão de produção a cobertura é constituída por painéis de chapa metálica com madeira e/ou aço e calhas complementares de concreto pré-fabricado. ◄ÍNDICE

[close]

p. 15

MANUAL DO LOCATÁRIO 15 6.4.2) ORIENTAÇÃO QUANTO AOS CUIDADOS DE USO • Não fixar diretamente no forro equipamentos de som, luminárias, componentes de ar-condicionado e outros materiais pesados. Nestes casos, a fixação deve ser feita diretamente na laje (se existir) ou na estrutura de suporte do forro; • O forro poderá ter alçapões removíveis que visam facilitar manutenções futuras. O acesso a esses elementos deve ser preservado; • A limpeza do forro de fibra mineral deve ser feito com espanador e se necessário com aspirador (após espanar). O forro de PVC pode ser limpo com detergentes ou produtos neutros diluídos com água; • A cobertura dos galpões deve ser preservada, evitando colocar cargas sobre ou sob elas. A fixação de elementos como antenas de TV devem ser feitas nas peças de concreto pré-fabricado indicadas pela Administração Condominial. 6.4.3) PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA • Verificar anualmente a condição de fixação dos pontos embutidos; • Verificar anualmente a existência de fissuras; • Quanto ao forro da sala, atentar para as recomendações do fabricante do produto que tiver escolhido. 6.4.4) GARANTIA E FATORES QUE ACARRETAM A PERDA DA GARANTIA Trincas, riscos ou manchas no ato da entrega e de 6 meses em relação a empenamento e destacamento. Todas as condições indicadas neste manual nos itens 3, 4 e 5, acrescidas de: • Ambiente submetido à umidade excessiva; • Aplicação direta de água sobre a superfície; • Incidência de cargas e impactos não previstos; • Aquecimento superior a 400C por luminárias ou outros; • Se não for comunicada a existência de infiltrações à Administração Condominial; • Se não forem seguidos os procedimentos de uso e manutenção preventiva indicados nos itens 6.4.2 e 6.4.3. 6.5) INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS – ÁGUA FRIA 6.5.1) DESCRIÇÃO DO SISTEMA No Perini Business Park, o abastecimento de água potável vem de reservatório geral com hidrômetro localizado na cobertura da edificação. Nos galpões temos além dos pontos de água, um reservatório intermediário para atender às ◄ÍNDICE

[close]

Comments

no comments yet