Revista On - Março 2016

 

Embed or link this publication

Description

Revista On - Março 2016 - Edição 1

Popular Pages


p. 1

Ano I | N° 1 | Março/2016 Distribuição gratuita 20 Foto: Ana Colla Ziraldo no Colégio PM

[close]

p. 2

2 Tecnologia a serviço da saúde humanizada Com 90 anos de tradição na área da saúde, a Cruz Azul de São Paulo dispõe de um Complexo Hospitalar de grande porte e alta complexidade, além de sete ambulatórios descentralizados de diversas especialidades médicas. Com foco na humanização do atendimento, nos dedicamos a promover a medicina preventiva e a assistência integral à saúde da família policial-militar, com cerca de 823 mil atendimentos anuais, entre consultas, procedimentos médicos e Pronto Socorro. Revista Cruz Azul PET CT: equipamento de última geração em diagnósticos por imagem no Complexo Hospitalar Cambuci, viabilizando a identificação precoce de pequenas massas tumorais e alterações da função cerebral e miocárdica, além da pesquisa de focos infecciosos ocultos ou febres de origem indeterminada.

[close]

p. 3

3 Revista Cruz Azul

[close]

p. 4

4 Revista Cruz Azul E��������� Revista Cruz Azul é uma publicação trimestral da Associação Cruz Azul de São Paulo Corpo Diretivo: Superintendente Cel PM Julio Antonio de Freitas Gonçalves Coordenador de Saúde Cel PM Renato Aldarvis Coordenadora Clínica Dra. Joyce Mari Stocco Coordenador de Educação Cel PM Renato Penteado Perrenoud Coordenador de Logística Cel PM Marcos Roberto Chaves da Silva Coordenador de Sustentabilidade Cel PM Leônidas Pantaleão de Santana Coordenador de Finanças Cel PM Aguinaldo Nobre de Mello Chefe de Gabinete Cel PM Edson Teixeira Costa Publicação desenvolvida pela equipe da Comunicação Corporativa: Elisabeth Diniz, Fernanda Bigliatto, Lucas Leandro, Mário Dias, Rafaela Vieira, Sabrina Tono e Thiago Moreira. Jornalista Responsável: Bárbara Moraes - MTb.: 50.258/SP Banco de imagens: Acervo Cruz Azul e Shutterstock Tiragem: 25.000 exemplares Março/2016 comunicacao@craz.com.br www.cruzazulsp.com.br www.facebook.com.br/cruzazuldesaopaulo Certificações SISTEMA DE GESTÃO CERTIFICADO S������ 5 6 7 8 Editorial Casa e patrimônio da família policial-militar Tecnologia Foco no paciente Institucional Planejamento Estratégico Eventos Aniversário do Colégio PM 10 Radar da Saúde De olho no mosquito 12 Valores Combate ao Bullying 14 Saúde Jovem A importância da vacina HPV Quadrivalente 17 Saúde Humanizada Terapatas: terapia com quatro patas 18 Saúde da Mulher Contra o efeito sanfona 20 Capa Ziraldo no Colégio PM Magia de Ler Recontos, criações e narrativas do cotidiano 26 Saúde da Criança Nutrição infantil Horários na rotina alimentar 28 Sustentabilidade Agentes de desenvolvimento sustentável 29 Esporte Mente sã e corpo são 30 Saúde do Homem Informação: a melhor arma contra o câncer de intestino 33 Programas Educacionais Diversão inteligente no Colégio PM 34 Saúde na Melhor Idade Distúrbios de memória nos idosos 36 Conexão Estudantil Grêmio estudantil na Unidade Centro 37 Cidadania NBR ISO 14001:2004 Defesa Civil: a aventura 38 Saúde Mental Resiliência no trabalho L��� ���� ������ ������

[close]

p. 5

Tradição em cuidar da saúde e da educação dos familiares dos policiais Em 2015, a Cruz Azul de São Paulo completou 90 anos de dedicação à família policial-militar, enfatizando a importância do passado e presente com visão de futuro, além de destacar o importante trabalho social desempenhado. E, apesar da grave crise financeira que assola o país, no exercício anterior, a instituição apresentou índices expressivos de eficácia de 84,61% nas Unidades de Saúde e 90,51% nas Unidades de Educação, com 822.913 atendimentos médico-hospitalares e 10.890 alunos nos Colégios PM. Às vésperas do aniversário de 91 anos, nossos objetivos estratégicos para o biênio 2016-2017 permanecem embasados nas perspectivas: financeira, clientes e mercados, processos e crescimento e aprendizado, com foco em expandir os serviços para outras regiões em que residam os familiares dos policiais. Nesta edição da Revista Cruz Azul, reformulamos o projeto gráfico e editorial para alinhar os conteúdos à nova identidade organizacional, pois acreditamos que a saúde e a educação são dois pilares que convergem para a qualidade de vida. Pensando nisso, os temas abordados em nossas publicações são de interesse de todos os integrantes da família, permeando os conceitos que estão enraizados em nossa cultura, como, por exemplo, o incentivo à medicina preventiva e a assistência integral à saúde, paralelamente às iniciativas para fomentar o ensino de qualidade e o comprometimento com os valores humanos e a responsabilidade socioambiental. Afinal, a instituição nasceu para cuidar da família policial-militar, contribuindo para que os profissionais de segurança pública tenham mais tranquilidade ao desempenhar sua nobre função, a qual é imprescindível para a vida em sociedade. Como reconhecimento à tradição e excelência na prestação de serviços, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) destacou o Complexo Hospitalar Cambuci da Cruz Azul de São Paulo entre os hospitais do país que têm a certificação máxima de qualidade no atendimento, com base nos indicadores: acreditação, índice de readmissão hospitalar e segurança do paciente. Vale lembrar que nossa entidade filantrópica conquistou diversas certificações, como as normas ISO 9001 (Sistema de Gestão da Qualidade) e ISO 14001 (Sistema de Gestão Ambiental) nos Colégios, assim como a Acreditação com Excelência – Nível III da Organização Nacional de Acreditação (ONA) e, novamente, a ISO 14001 (Sistema de Gestão Ambiental) na área de saúde. Além disso, a Maternidade Santa Maria foi certificada com o Selo Ouro do SINASC (Sistema de Nascidos Vivos de São Paulo) por seis anos consecutivos, distinções que denotam o grande valor da Cruz Azul para a comunidade. Corpo Diretivo Revista Cruz Azul C��� � ���������� �� ������� ��������-������� EDITORIAL 5

[close]

p. 6

6 Revista Cruz Azul TECNOLOGIA F��� �� �������� Mais rapidez, qualidade e precisão nos diagnósticos por imagem com novo Tomógrafo Investindo na medicina preventiva e na assistência integral à saúde, a Cruz Azul de São Paulo adquiriu um novo equipamento de Tomografia Computadorizada (TC), o Ingenuity Elite (Philips) de 128 canais, que proporciona mais rapidez, qualidade e extrema precisão nos diagnósticos por imagem, contribuindo para aprimorar a prestação de serviços médico-hospitalares. Um dos diferenciais do novo Tomógrafo é o exame de angiotomografia coronariana para visualização tridimensional do coração, das suas estruturas e das artérias coronárias de forma não invasiva, estudo que é viabilizado somente com os mais avançados aparelhos da área da saúde. O equipamento também conta com diversos sensores que minimizam a exposição à radiação em até 60%, incluindo um software que possibilita a redução da dose radiológica para pacientes idosos e crianças. Por exemplo, os exames de coronárias passaram de 22 para 5 segundos, assim como as angiografias reduziram de 20 para 4 segundos. O Tomógrafo de última geração está disponível no Complexo Hospitalar Cambuci para realizar uma ampla gama de diagnósticos por imagem, tais como: crânio ou sela túrcica ou órbitas; mastóides ou ouvidos; face ou seios da face; articulações temporomandibulares; pescoço (partes moles, laringe, tireóide e faringe); tórax; coração (escore de cálcio coronário); abdome total (abdome superior, pelve e retroperitônio); abdome superior; pelve ou bacia; coluna cervical, dorsal ou lombar (até três segmentos); coluna (segmento adicional); articulação isolada unilateral (esternoclavicular, ombro, cotovelo, punho etc.); segmentos apendiculares (braço, antebraço, mão, coxa, perna ou pé); angiotomografia arterial ou venosa (de crânio ou pescoço ou tórax ou abdome total); angiotomografia da aorta torácica; angiotomografia da aorta abdominal; reconstrução tridimensional e tomografia computadorizada intervencionista (punção aspirativa e drenagem percutânea, ambas orientadas por TC). Novo tomógrafo do Complexo Hospitalar Cambuci

[close]

p. 7

INSTITUCIONAL 7 Revista Cruz Azul P����������� E���������� Nova identidade organizacional da Cruz Azul de São Paulo norteia a tomada de decisões na instituição Há 90 anos, a Cruz Azul de São Paulo se dedica a prestar assistência para a família policial-militar nas áreas de saúde e educação, dois pilares que são essenciais para o bem-estar e a qualidade de vida, o que denota nosso grande valor para a sociedade paulista e para a Polícia Militar. Para que possamos cumprir as metas com excelência, a Cruz Azul editou o Planejamento Estratégico para o biênio 2016-2017, que visa orientar as ações e a tomada de decisões administrativas, após um complexo estudo do cenário em que a instituição se insere. ASSEMBLEIA GERAL No dia 23 de março, foi realizada a 10ª Assembleia Geral Extraordinária e a 12ª Assembleia Geral Ordinária para deliberação sobre o balanço e o relatório anual de atividades e gestão organizacional da Cruz Azul de São Paulo. IDENTIDADE ORGANIZACIONAL DAS ÁREAS DE SAÚDE E EDUCAÇÃO: SAÚDE Missão Promover cuidados à saúde da família policial-militar e de outros segmentos da sociedade de forma humanizada com elevado padrão de qualidade. EDUCAÇÃO Missão Promover ensino de qualidade e contribuir para a formação de cidadãos comprometidos com os valores humanos e responsabilidade socioambiental. Visão Ser referência na prevenção e promoção da saúde de forma ética, segura e sustentável. Visão Ser reconhecido pela qualidade de ensino e pelo comprometimento com os valores Saber, Honra e Disciplina. Valores • Atendimento humanizado • Comprometimento • Ética • Segurança • Sustentabilidade Valores • Saber • Honra • Disciplina Política Assegurar a satisfação da família policial-militar e demais partes interessadas por meio da garantia da qualidade e da melhoria contínua dos processos de educação, com enfoque na sustentabilidade socioambiental, na prevenção da poluição e no atendimento aos requisitos legais. Política Assegurar continuamente a satisfação dos clientes e demais partes interessadas por meio da melhoria dos seus processos, buscando a sustentabilidade socioambiental, com a racionalização do uso dos recursos naturais, a neutralização, a minimização ou compensação de impactos ambientais em atendimento aos requisitos legais.

[close]

p. 8

8 Revista Cruz Azul EVENTOS A���������� �� C������ PM 38 anos dedicados aos valores: saber, honra e disciplina No dia 20 de fevereiro, o Colégio PM completou 38 anos de tradição e qualidade de ensino, contribuindo para a formação de cidadãos comprometidos com os valores humanos e a responsabilidade socioambiental. Atualmente, são cerca de 12 mil alunos matriculados em Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II, Ensino Médio, Cursos Técnicos e Profissionalizantes. A solenidade de aniversário foi comemorada em todas as Unidades. Em 19 de fevereiro, por exemplo, a Unidade Centro promoveu um evento com a presença do Superintendente Cel PM Julio Antonio de Freitas Gonçalves, do Coordenador de Educação Cel PM Renato Penteado Perrenoud, do Chefe de Gabinete Cel PM Edson Teixeira Costa e de representantes de empresas parceiras, como a Editora Melhoramentos e o Sistema Anglo de Ensino. Na ocasião, também foram apresentados dois ex-alunos que se destacam em suas trajetórias profissionais após a formação no Colégio PM: o professor Reginaldo Poso, que é graduado em Letras, Jornalismo e pós-graduado em Psicopedagogia Clínica e o estudante Breno Silva, que está enfocando seus estudos na importância da leitura na vida acadêmica ao cursar a faculdade de Filosofia. Com base em uma política inclusiva, as 10 Unidades de Educação estrategicamente instaladas em diversas regiões do Estado de São Paulo estimulam a pluralidade cultural como uma referência na atuação pedagógica, formadora e orientadora, em um ambiente comprometido com o desenvolvimento humano, com destaque para o Programa “O Líder em Mim”, um eficaz processo de transformação comportamental para alunos, educadores e pais. De acordo com consagrado livro “Os 7 hábitos de pessoas altamente eficazes”, este programa foi desenvolvido nos Estados Unidos pela Franklin Covey Co. e adaptado à realidade brasileira pela Somos Educação, com foco no treinamento para o aprendizado de liderança e valores, que são fundamentais para o sucesso na escola e na vida. ÁRVORE DOS 7 HÁBITOS Hábito 7 Afine o instrumento. O equílibrio é melhor. Hábito 6 Crie sinergia. Junto é melhor. Hábito 5 Hábito 4 Pense ganha-ganha. Todos podem vencer. Procure primeiro compreender, depois ser compreendido. Ouça antes de falar. Hábito 3 Faça primeiro o mais importante. Primeiro o trabalho, depois o lazer. Hábito 2 Hábito 1 Seja proativo. Você está no comando. Comece com o objetivo em mente. Tenha um plano.

[close]

p. 9

EVENTOS O Colégio PM também se destaca pela preocupação com as questões socioambientais, que impactam diretamente em nosso dia a dia. O projeto Educação Ambiental na Escola, por exemplo, é um processo participativo, no qual o educando participa ativamente no diagnóstico dos problemas ambientais em busca de soluções. O aluno é preparado para atuar como agente transformador, desenvolvendo habilidades e estimulando atitudes positivas, por meio de uma conduta ética. Além disso, por ser uma entidade filantrópica, a mantenedora Cruz Azul de São Paulo viabiliza a cessão de bolsas de estudo para a comunidade, assim como descontos progressivos para dependentes de policiais militares e também para apadrinhar alunos que não tenham vínculo familiar com os PMs, como forma de reforçar nosso comprometimento com os valores: saber, honra e disciplina, que são fundamentais para que os alunos exerçam sua cidadania plenamente. 9 Revista Cruz Azul Ex-alunos Breno e Reginaldo Alunos da Educação Infantil apresentam o programa O Líder em Mim

[close]

p. 10

10 Revista Cruz Azul RADAR DA SAÚDE D� ���� �� �������� Médico Infectologista explica sobre Dengue, Chicungunya e infecção por Zika Vírus Temos no Brasil hoje um cenário com risco elevado de epidemias. Estamos enfrentando em vários Estados um aumento progressivo de casos de três doenças: Dengue, Chikungunya e Infecção por Zika Vírus, que apresentam várias similaridades: mesmo vetor de transmissão, o mosquito Aedes aegypti; semelhança nas manifestações clínicas; dificuldade de diagnóstico laboratorial (com exceção da Dengue); inexistência de vacinas e dificuldade de implementação e manutenção de medidas educativas e sanitárias de prevenção. Diante disto, faz-se necessário organizar ações de prevenção e controle e promover assistência adequada aos pacientes. A melhor forma de prevenir é evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Cada cidadão tem que zelar pelo seu domicílio e arredores e o Estado pelas áreas comuns, evitando locais e objetos com “água parada”, que são os principais criadouros desse vetor. PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DENGUE Febre alta, dor de cabeça, dores no corpo, dor retro-orbitária. O exantema, manchas vermelhas no corpo, aparece em 50% dos casos. O surgimento de sintomas como vômitos, dor abdominal e qualquer sangramento é sinal de alerta de gravidade. A hidratação oral e/ou endovenosa é a principal medida de tratamento, além do controle da febre e das dores. A Dengue, além dos sintomas clássicos e da Dengue hemorrágica, pode ter também manifestações neurológicas, cardíacas, pulmonares e gastrintestinais. DOR DE CABEÇA DOR ATRÁS DOS OLHOS DORES NO CORPO FEBRE ALTA

[close]

p. 11

RADAR DA SAÚDE 11 Revista Cruz Azul CHIKUNGUNYA Causada pelo vírus CHIKV, teve seus primeiros casos descritos em 1952. Em 2013, ocorreu uma grande epidemia no Caribe, depois disseminando-se para outros países da América Latina. A palavra Chikungunya vem de uma língua falada na Tanzânia que significa “aqueles que se dobram” em alusão às intensas dores articulares que a doença provoca. O quadro clínico caracteriza-se por febre, dores de cabeça, fadiga e o sintoma principal é a dor nas articulações. O processo febril agudo dura, em geral, em torno de uma semana, porém, as dores articulares podem se tornar crônicas e persistir por mais de três meses. Podem levar ao prejuízo na qualidade de vida e redução na produtividade das pessoas acometidas. Isso pode ter grande impacto econômico em áreas com grande número de pessoas doentes. O tratamento é sintomático, ou seja, medicação analgésica e anti-inflamatória. DOR DE CABEÇA DORES ARTICULARES FADIGA FEBRE INFECÇÃO POR ZIKA VÍRUS Além da transmissão pelo mosquito, hoje estão sendo relatados casos de possível transmissão sexual. Também constam no quadro clínico: febre, dores no corpo e são mais frequentes o surgimento de manchas vermelhas no corpo e conjuntivite (vermelhidão nos olhos). Pode causar, após melhora da fase aguda, a Síndrome de Guillain Barré. Esta tem como característica a perda progressiva de força de membros inferiores estendendo-se de forma ascendente, tendo sua maior gravidade quando atinge os músculos da respiração levando à insuficiência respiratória. Além desse quadro clínico, no Brasil, em outubro de 2015, o Estado de Pernambuco notificou aumento de casos de microcefalia em recém-nascidos. Esse aumento passou a ser atribuído à possível infecção pelo vírus Zika em gestantes. Atualmente, além desse problema congênito, os especialistas estão estudando outras possíveis complicações que podem surgir na gravidez. Sabe-se também que a infecção Chikungunya e a Dengue podem ser causas de abortamento e prematuridade. DOR DE CABEÇA VERMELHIDÃO NOS OLHOS FADIGA FEBRE MANCHAS VERMELHAS Com todos esses dados descritos e conhecidos pela comunidade científica e pela população, entendemos a necessidade de prevenção com a participação de todos – Estado e população - no sentido de diminuir e amenizar a incidência dessas doenças e suas complicações. Além do controle de vetores, há medidas de proteção individual como uso de roupas que cubram a maior parte do corpo, mosquiteiros e repelentes a base de Icaridina ou DEET. Esses repelentes podem ser usados também por gestantes e crianças acima de dois anos. Por Dr. Aldo Luis Lembo Silveira Médico Infectologista da Cruz Azul de São Paulo, do Instituto Emílio Ribas e do Hospital São Luiz (Anália Franco)

[close]

p. 12

12 Revista Cruz Azul VALORES C������ �� B������� Nova legislação dispõe sobre medidas de conscientização, prevenção e combate à intimidação sistemática Já entrou em vigor a Lei 13.185/15 que institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying) em todo o território nacional, contemplando medidas de conscientização, prevenção, diagnose e combate à “violência física ou psicológica, intencional e repetitiva que ocorre sem motivação evidente, praticada por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas”. Segundo a legislação, o Bullying é caracterizado por atos de intimidação, humilhação ou discriminação, tais como: ataques físicos, insultos pessoais, comentários sistemáticos e apelidos pejorativos, ameaças por quaisquer meios, grafites depreciativos, expressões preconceituosas, isolamento social consciente e premeditado e pilhérias (ofensas), com destaque para o cyberbullying praticado na rede mundial de computadores ao utilizar os recursos digitais para depreciar, incitar a violência, adulterar fotos e dados pessoais com o intuito de criar meios de constrangimento psicossocial. Tais ações de intimidação sistemática são classificadas conforme as respectivas práticas: verbais (insultar, xingar e apelidar pejorativamente), morais (difamar, caluniar e disseminar rumores), sexuais (assediar, induzir e abusar), sociais (ignorar, isolar e excluir), psicológicas (perseguir, amedrontar, aterrorizar, intimidar, dominar, manipular, chantagear e infernizar), físicas (socar, chutar e bater), materiais (furtar, roubar e destruir pertences de outrem) e virtuais (depreciar, enviar mensagens intrusivas da intimidade, enviar ou adulterar fotos e dados pessoais que resultem em sofrimento ou com o intuito de criar meios de constrangimento psicológico e social). Vale lembrar que, desde 2004, o Colégio PM desenvolve o inovador Programa “Neutralizando o Bullying”, o qual agrega um conjunto de valores, ações e comportamentos que rejeitam as atitudes agressivas e previnem os conflitos por meio de orientações, diálogos, debates e reflexões que promovem a conscientização dos alunos, professores e funcionários, sob a coordenação dos psicólogos escolares.

[close]

p. 13

VALORES 13 Revista Cruz Azul C�������������� � �������� ��� ������� ��������� Há 12 anos, o Colégio PM inova no cenário educacional com o projeto “Neutralizando o Bullying” O fenômeno Bullying é um dos principais problemas da sociedade contemporânea, não mais considerado um aspecto apenas da área educacional. A nova legislação visa combater as agressões que ocasionam a exclusão social intensa que pode acarretar em depressão, fobia escolar, transtorno do pânico, transtornos alimentares, ansiedade etc., questões que já estavam sendo trabalhadas pela Cruz Azul de São Paulo desde 2004. Com 38 anos de tradição focada nos valores saber, honra e disciplina, os profissionais do Colégio PM atuam incessantemente como orientadores para a mudança de postura e respeito às diferenças no combate à prática do Bullying, por meio do estímulo de sentimentos de amizade, solidariedade e afetividade. O “Projeto Neutralizando o Bullying” contempla todas as etapas da Educação Básica até o Ensino Médio e visa implementar ações efetivas para a prevenção e redução do comportamento agressivo entre estudantes. Com o objetivo de sensibilizar a comunidade escolar para a existência do problema e suas consequências, o programa busca despertá-los para o reconhecimento do direito de toda criança e adolescente a frequentar uma escola segura e solidária, capaz de gerar cidadãos conscientes no que se refere ao respeito à pessoa e às suas diferenças. Essas iniciativas promovem valores que influenciam diretamente o cotidiano dos nossos alunos de forma positiva. Entre eles: confiança, respeito, reciprocidade, afeto, generosidade, empatia, ética, interesse voltado para o conhecimento, disciplina, dedicação, percepção correta e adequada das condições emocionais (maturidade) e sabedoria. Atuando sobre o tema há 12 anos, a equipe do Colégio PM continua trabalhando com afinco para identificar e prevenir ocorrências de Bullying, neutralizando seus efeitos e proporcionando às nossas crianças e adolescentes uma escola de valores, onde o brincar é possível e o aprendizado é uma realidade com base na criação de vínculos para a sociedade do futuro. “Neutralizando o Bullying” é desenvolvido em todas as Unidades do Colégio PM, sob a coordenação da Psicologia Escolar, integrando o Programa Valores. Acesse www.cruzazulsp.com.br/educacao para conhecer as ações alinhadas ao projeto político-pedagógico, inclusive: Campanhas Sociais e Ambientais, Projeto Nutrir e Alimentação Saudável, Palavrinhas Mágicas, Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) e O Líder em Mim. Por Josiano Martins de Moraes Diretor do Colégio PM Unidade Santo Amaro

[close]

p. 14

14 Revista Cruz Azul SAÚDE JOVEM A ����������� �� ������ HPV Q������������ Dicas de prevenção da médica da Cruz Azul que atende a especialidade Hebiatria, focada na saúde dos adolescentes A vacina contra o HPV (Papilomavírus Humano) é feita gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nas meninas de 9 a 13 anos de idade e é muito importante na prevenção do câncer de colo do útero, que é o terceiro tipo que mais mata mulheres no Brasil, atrás apenas do de mama e de brônquios/pulmões. O número de mortes por câncer do colo do útero no país aumentou 28,6% em 10 anos, passando de 4.091 óbitos, em 2002, para 5.264, em 2012, de acordo com o Atlas de Mortalidade por Câncer no Brasil, publicação do Ministério da Saúde e do Instituto Nacional do Câncer. O HPV (Condiloma) é uma Doença Sexualmente Transmissível muito frequente, que acontece em ambos os sexos e, infelizmente, cerca de 50% da população sexualmente ativa vai entrar em contato com esta DST em algum momento da vida. Os HPV dos tipos 6 e 11 causam 90% das verrugas genitais e do ânus, enquanto os dos tipos 16 e 18, são responsáveis por 70% dos cânceres de colo de útero. Ele é transmitido pelo contato direto com a pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual, seja por via genital/genital, genital/anal ou oral/genital. Pode ocorrer o contágio mesmo sem penetração vaginal ou anal. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto, podendo causar a Papilomatose Respiratória Recorrente na criança. O HPV pode permanecer no organismo por anos, desenvolvendo alterações celulares e evoluindo para as doenças relacionadas ao vírus: verrugas genitais, lesão pré-maligna de câncer (lesões precursoras) e o câncer (de colo de útero, vagina, vulva, ânus, pênis e orofaringe). Os tratamentos disponíveis atualmente para a infecção pelo HPV podem não ser tão eficazes, e sendo assim, sua prevenção é muito importante. VACINA CONTRA HPV A vacina contra HPV tem eficácia comprovada para proteger mulheres e homens que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus, daí a importância de vacinar meninas e meninos a partir dos 9 anos de idade. Mesmo que a pessoa já tenha tido relação sexual e esteja infectada por um tipo do HPV, ela pode obter proteção contra os outros tipos contemplados na vacina. Contudo, infelizmente no Brasil, devido à decisão política de custo-benefício, a vacina contra HPV em meninos não está sendo feita pelo SUS, estando disponível apenas em clínicas particulares de imunização.

[close]

p. 15

SAÚDE JOVEM Desde 2014, o SUS oferece a vacina quadrivalente (contra os quatro tipos do vírus HPV: 6, 11, 16 e 18), intramuscular, para as meninas, que confere proteção com 98% de eficácia em quem segue corretamente o esquema vacinal. O médico virologista alemão Harald zur Hausen, que obteve o prêmio Nobel de Medicina de 2008 por ter descoberto a relação entre o HPV e o câncer do colo do útero, informou que a vacina é muito segura e altamente eficaz: atualmente existem estudos publicados sobre a quantidade de efeitos colaterais e mostram que alguns destes podem aparecer nas primeiras 24 horas após a vacinação (vermelhidão e dor no local da vacinação: comuns na maioria das vacinas) e que a chance de aparecer alergia à proteína do HPV, presente na vacina, é muito baixa, na proporção de 1:100.000 doses aplicadas (taxa muito menor do que os efeitos colaterais de muitas outras vacinas que damos a crianças pequenas). A Organização Mundial de Saúde (OMS) reafirmou a segurança dessa vacina em todo o mundo, por meio de seu Comitê Consultivo Mundial sobre Segurança das Vacinas. No país, a Sociedade Brasileira de Imunizações, a Sociedade Brasileira de Pediatria, a Sociedade Brasileira de Infectologia e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia recomendam a vacinação e concordam com a eficácia e segurança do tratamento. 15 Revista Cruz Azul ESQUEMA VACINAL O esquema recomendado pelo fabricante da vacina é composto de três doses para completar a proteção: a segunda deve ser tomada dois meses depois e a terceira, seis meses após a primeira dose. O Ministério da Saúde, a partir deste ano, alterou o esquema para duas doses ao invés de três (a segunda após seis meses da primeira dose), baseado em estudo canadense que comprovou que a vacina é eficaz com apenas duas doses. A limitação que temos é o curto período de observação, o que não nos permite ainda confirmar se esses resultados persistirão com o passar do tempo. A vacina HPV também é indicada para mulheres de 9 a 26 anos que têm HIV (AIDS) e estas devem continuar recebendo as três doses da vacina. Para receber a vacina no SUS, as meninas de 9 a 13 anos deverão apresentar o cartão de vacinação e o documento de identificação na Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima do seu domicílio. Já os meninos maiores de 9 anos, por enquanto, somente podem ser vacinados em clínicas particulares de imunização. ATENÇÃO! • A vacina contra HPV não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais! • Para evitar as DSTs, diminua o número de parceiros e use sempre o preservativo! Por Dra. Susana Scarin Silveira Pediatra do Ambulatório da Cruz Azul em Santo André e da Prefeitura de São Bernardo do Campo, atuando em: em Pediatria, Nutrologia e Hebiatria

[close]

Comments

no comments yet