Informando 2016

 

Embed or link this publication

Description

Informando 2016

Popular Pages


p. 1

Edição 2015 A revista do Nosso jardim ficou mais bonito A nova marca do Colégio Pueri Domus Unidade Jardim. p.24 7. Liceu Jardim, polo aplicador dos exames de Cambridge 28. Formação para múltiplas competências 35. ENEM 2014, entre as melhores escolas do país 1

[close]

p. 2

Índice 3 Ponto de Vista Idiomas 5 Capacitação Pedagógica Resultados 7 ENEM Educação Infantil 12 Fundamental I Fundamental II 20 Ensino Médio Matéria de Capa 26 Escola Ampliada Escola Bilíngue 28 Atividades Extracurriculares Esportes 32 Projeto Social Aconteceu no Jardim 34 31 27 24 16 8 6 4 Editorial Essa edição da Revista Informando é particularmente especial, pois traz, pela primeira vez, a nova marca e identidade do nosso colégio: Liceu Jardim. A atualização da marca encerrou o ciclo de ajustes planejado para inserir o Jardim no grupo das melhores escolas brasileiras. Após o forte reposicionamento do seu projeto pedagógico e o desvínculo da Rede Pueri Domus, iniciaram-se os estudos para a implantação da nova marca, mais representativa do nosso ideário pedagógico e do perfil sociocultural das nossas famílias. Além dessa grande novidade, a revista traz, também, uma mostra dos projetos e atividades que permeiam nossa rotina escolar e contribuem para a formação sólida e completa dos nossos alunos. Dentre eles, destacamos os projetos pedagógicos da Educação Infantil, que envolvem e encantam as crianças, despertando-as para o aprendizado; e o projeto de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental I, que trabalha a leitura, a escrita e a oralidade dos estudantes. As estratégias e recursos utilizados no Ensino Médio para preparar os jovens para os principais vestibulares do país e para os diversos desafios da vida contemporânea também merecem destaque, reafirmando a qualidade do nosso projeto pedagógico e da equipe docente. Eventos importantes como o Escambo Cultural, Páscoa Solidária e comemoração ao Dia das Mães e dos Pais também são abordados na revista, bem como o amplo leque de atividades extracurriculares que complementam a formação dos nossos alunos. Enfim, são tantas atividades que torna-se um grande desafio condensá-las em algumas páginas. Sendo assim, convidamos a todos para conhecerem de perto o nosso projeto pedagógico e todo o trabalho que consolida o Liceu Jardim como uma das 40 melhores escolas do país, segundo o ranking do ENEM 2014. Boa leitura! Equipe do Liceu Jardim Expediente A Revista Informando é uma publicação interna do Liceu Jardim, produzida pelo Depto. de Marketing e Comunicação. Responsável: Fernanda Barbosa da Silva Projeto Gráfico: Lamp Comunicação Conselho editorial: Daniel B. Contro (diretor presidente), Stella Maris G. Poças (diretora Ed. Infantil), Ana Claudia B. de Andrade (diretora E. Fundamental I), Claudia Verginia D. Joaquim (diretora do E. Fundamental II e Ensino Médio), Patricia R. T. Passos (vice-diretora do E. Fundamental II e Ensino Médio), Sami Jomaa (coordenador pedagógico do E. Fundamental II e Ensino Médio) e Fernanda Barbosa da Silva (diretora de Marketing). Colaboradores: Yuri Micael, Renata Ap. Filipini, Giane Goulart, Juliana R. Casadei, Erica da S. P. de Araújo, Danielle Beividas, Shirlei Moreira, Ana Claudia B. de Andrade, Hani Jomaa, Arthur Sacek, Jefferson Feitosa, Edson Eziquiel, Eloir Silva, Michelle Rinaldi de Miranda. Fotos: Tiago A. Spalatto e professores Tiragem: 3 mil exemplares Rua Silveiras, 70 - Vila Guiomar - Santo André - SP - CEP 09071-100 - Tel: (11) 4993-5200 - www.liceujardim.com.br 2

[close]

p. 3

Ponto de Vista Deixe seu filho cortar o bife A última edição do Pisa Internacional, além das áreas conhecidas: matemática, ciências e linguagem, avaliou, também, as habilidades tidas como não-cognitivas: raciocínio, liderança, iniciativa, tolerância e autonomia. Tal qual nos conteúdos acadêmicos, os estudantes brasileiros têm, neste quesito, um dos mais reles desempenho do planeta. Ou seja, além de não saber matemática e seu idioma, eles são igualmente débeis nas competências alusivas à atitude. Por que nossos jovens têm níveis tão tênues de autonomia e liderança? Não faltou quem logo imputasse o mau êxito às suas escolas. De certo, elas têm lá sua parcela de contribuição. Todavia, em farta medida, o fato dimana da superproteção com que, como pais, passamos a educar os filhos. Difundiu-se uma crença irracional de que é preciso tutelar os filhos incondicionalmente, projetando uma infância indolor, um mundo inexistente. Neologismos oriundos da pueri-onipotência, como infantocracia e babylatria, têm sua mais rematada expressão entre nós. Qualquer cenário que ameace esse universo azul dos filhos é, incontinente, rechaçado e tido à conta de inimigo da felicidade. Soma-se a inquebrantável superproteção paterna ao ambiente macunaímico das escolas e ao fenômeno se retinta de tons de tragédia... Como é a rotina escolar de nossos estudantes? Vejam seus deveres diários... simulacros e rarefeitos, validados mesmo que tardos ou inconclusos; leniência nas regras e combinados; materiais caóticos; provas que exigem menos que o mínimo; dicas indecorosas nos exames, enunciados bisonhos, assentidos como conceitos exatos, quando não os substituem os pais, numa espécie de consórcio do engodo. Nossas escolas estão mais para um centro de culto à indolência do que para forja de hábitos. Experimente ficar na portaria de um colégio, logo após o início do período. Não tardará despontar um séquito de pais energúmenos - em ritmo com porteiros ciosos - resignados à missão de tutelar, remindo tarefários, brochuras e livros , lanche, touca, itens negligenciados que, pelo telesocorro mobile, seus príncipes lhes requerem, inclementes... Aqui está a oficina pela qual a atitude ganha têmpera e o talento lustre. O Brasil despontará melhor ranqueado no PISA e nossos filhos nos certames da vida. Ora, toda superproteção, ao contrário, enfraquece e não beneficia a ossatura pessoal. Crianças postas em ambientes indulgentes, sem os papéis que lhes são naturais, gestam os adultos de vidro, com débil nível de autonomia e compromisso. Benção é a criança reorganizar objetos que utilizou, guardar e classificar roupas e calçados, manter a ordem dos seus espaços, treliçar o tênis, cerzir renda, cozer grão, botar lixo fora, ajudar a organizar a despesa mensal, planilhar os deveres e objetos de estudo, enfim, cortar sozinha seu bife... Na ausência desse treino de cada dia, forjam-se os perfis hesitantes, faltos de raciocínio estruturado ou aptidão para arrostar desafios - candidatos à inépcia laboral. As habilidades colaborativas - como a própria lexicologia exara - são mais da vontade que da genética. Ou seja, ninguém tem-nas como herança do berço. Herdamo-las do ambiente no qual nos erguemos. Só mesmo a ignorância é mal comparável à criança instruída sem a premissa da emancipação. Em um cenário laborativo, onde a iniciativa, o empreendedorismo e a liderança são incensados como virtudes olímpicas, que antever aos super-totoriados? A decana sabedoria exorta: não faça por ele nada do que ele é capaz de fazer por si mesmo. Daniel Contro Diretor Presidente - Liceu Jardim 3

[close]

p. 4

Idiomas Liceu Jardim se transforma em polo aplicador dos Exames de Cambridge A partir de 2014, o Liceu Jardim tornou-se um Centro Autorizado Cambridge English, passando a oferecer aos alunos do 4º ao 9º ano do Ensino Fundamental os exames Young Learners, KET, PET e FCE. “Esses exames permitem acompanhar o progresso do aprendizado, pois proporcionam uma análise complexa do conhecimento global do aluno na língua inglesa”, diz Giane Goulart, coordenadora de Idiomas. “Após realizá-los, o aluno contará com certificados reconhecidos mundialmente e alinhados aos padrões estabelecidos pelo Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR) - referência internacional para descrever a habilidade em idiomas”, explica. Segundo a coordenadora, fazer os exames anualmente garante ao estudante a manutenção do idioma em nível internacional, uma vez que ele pontua todo o conhecimento teórico e prático já adquirido. “A aprovação indica se o aluno está preparado para o próximo nível ou se ainda precisa se aprofundar/rever algum conteúdo, preparando-o para os exames mais desafiadores, necessários para uma colocação profissional ou uma escolha universitária”, diz. Fazer o exame no próprio colégio favorece o desempenho do aluno, uma vez que ele já está familiarizado com o ambiente escolar. “Essa conquista é mais um diferencial no currículo dos nossos jovens”, conclui Giane. Acesse e veja o vídeo para saber mais sobre o CEFR. O que são os exames de Cambridge? • Young Learners: O “Young Learners English: Starters” é o exame que inicia a jornada de seu filho na aprendizagem de inglês. O teste apresenta o inglês falado e escrito do dia a dia de um modo divertido e motivante. O “Cambridge English: Starters” é o primeiro de três testes “Cambridge English: Young Learners”, voltados para jovens no ensino básico. • KET: O “Key English Test” (KET) é uma qualificação de nível básico que demonstra que você é capaz de utilizar o inglês para se comunicar em situações simples. Representa um bom começo no aprendizado de inglês. • PET: “Preliminary English Test” (PET) é uma qualificação de nível intermediário. Ele demonstra que você é capaz de utilizar suas habilidades na língua inglesa para trabalhar, estudar e viajar. • FCE: Cambridge English: First, também conhecido como First Certificate in English (FCE), é uma qualificação de nível intermediário superior. Ele comprova que você consegue utilizar o inglês, escrito e falado, para trabalhar ou estudar. Os exames Cambridge English são aceitos por mais de 20.000 universidades, empregadores e governos no mundo todo. Podem abrir as portas para a educação superior, melhorar as oportunidades de emprego e aumentar as opções de estudo e trabalho para os estudantes. Fonte: www.cambridgeenglish.org/br 4

[close]

p. 5

Capacitação Pedagógica Formação de professores nossa maior prioridade! A capacitação da equipe docente é uma das premissas do Liceu Jardim. As práticas assertivas são igualmente divididas e apreciadas entre os professores, enriquecendo as aulas e atividades acadêmicas. Investindo em formação e atualização pedagógica, o colégio possui o “Fundo de Apoio a Mestrado e Doutorado” – recurso exclusivamente destinado aos professores, que incentiva e contribui na formação de cada docente, oriundo do percentual do faturamento anual da escola. “Esse projeto patrocina programas de mestrado, participação em seminários, congressos, viagens culturais e outras atividades que enriquecem o currículo da nossa equipe”, diz Daniel Contro, diretor presidente. Além do incentivo à formação acadêmica, a escola promove, também, cursos e treinamentos voltados à equipe gerencial e administrativa. Confira os principais eventos realizados no primeiro semestre: Capacitação – Neurociência: Cérebro e Aprendizagem Nos meses de abril e maio, os professores e a equipe diretiva do Liceu Jardim participaram de um curso com o Prof. Dr. Nelson Francisco Annunciato (renomado neurocientista, doutor em Ciências Biomédicas pela Universidade Médica de Lübeck - Alemanha e Universidade de São Paulo, e pós-doutor em Programas de Reabilitação Neurológica no Centro Infantil de Munique - Departamento de Pediatria Social da Universidade de Munique, Alemanha). Ao todo, foram 9 encontros que abordaram o tema “Neurociência e Aprendizagem”, trazendo, para reflexão, questões importantes como aprendizagem e memória, cérebro e linguagem, aquisição da leitura e escrita, cérebro e alimentação, entre outros. Capacitação para equipe administrativa e gerencial “Atendimento e tratamento” foi o tema do treinamento oferecido aos colaboradores no início do ano. Ministrado pelo palestrante e consultor Benedito Muniz, o encontro reforçou a importância da eficácia no atendimento e do cuidado no tratamento com as famílias, que são valores primordiais da nossa escola. Curso executivo para gerentes e coordenadores No mês de abril, a equipe gerencial do colégio participou do curso “O coordenador como gestor na instituição de ensino”, ministrado pela DCM 3 – empresa especializada em consultoria e treinamento para escolas. O curso teve como objetivo debater sobre o papel atual do coordenador pedagógico e contribuir para que sua atuação se tornasse ainda mais clara, profissional e conectada aos desejos da Instituição. Além disso, nossa equipe também participou de congressos e eventos educacionais, como o “Educar” e o “Transformar”, sempre em busca de novidades e das últimas tendências em educação. 5

[close]

p. 6

Resultados Olimpíadas Acadêmicas estimulam a resolução de problemas Muitos creem que estudar para participar de uma olimpíada acadêmica é apenas avançar no conteúdo trabalhado em sala de aula. Porém, não é nada disso. Normalmente, os problemas de uma olimpíada não exigem uma dose maior de conhecimento e sim o despertar de um raciocínio e de muita criatividade. As olimpíadas de matemática, por exemplo, são compostas, em geral, por problemas de análise lógica, nos quais o aluno deve buscar maneiras distintas de resolvê-los. Ser rápido é importante! Estamos convictos de que, treinados, todos os alunos conseguiriam o máximo de pontos se o tempo de prova fosse infinito; o próximo passo a ser seguido, então, é ser mais rápido. Nas aulas preparatórias para as olimpíadas oferecidas pelo Liceu Jardim são trabalhadas com os alunos algumas “regras” a serem seguidas para aumentar sua eficiência: 1. Estude bem a teoria e tenha o máximo de domínio de cada assunto. Tenha coragem de estudar especialmente os temas em que você não se dá muito bem, assim não vai precisar depender da sorte para ir bem na prova. 2. Exponha-se à maior quantidade de ideias possível. Resolva o mesmo problema com várias técnicas e caminhos diferentes, até ser um “especialista” nele. 3. Tome cuidado para não ficar “bitolado” em uma ou outra técnica. 4. Busque sempre uma solução mais curta. Após resolver um problema pela primeira vez, pense em como você poderia otimizar sua solução. Pondere as ideias que seguiu e faça um resumo (escrito) delas (uma espécie de outline da solução que se mostrar mais eficiente). 5. Estruture em sua mente as principais ideias e fique atento aos momentos em que você pode usá-las. Com este trabalho direcionado, o colégio vem conseguindo ajudar os alunos a galgar degraus cada vez mais altos nesses importantes eventos acadêmicos, sempre em busca de ampliar o conhecimento. Arthur K. Sueiro, medalha de ouro na Olimpíada Paulista de Física 2014 Arthur K. Sueiro, Clarice B. Onias e Felipe L. Santana, com o Prof. Bruno Terlizzi – Olimpíada Nacional de História do Brasil Leandro A. Cordeiro, medalha de ouro na Olimpíada Paulista de Química 2015 Resultados de 2014 Em 2014, foram conquistas 47 medalhas, sendo: • Prata e Bronze na Olimpíada Brasileira de Física; • Ouro na Olimpíada Paulista de Física; • 35 medalhas na Olimpíada Brasileira de Astronomia (6 de Ouro, 17 de Prata e 12 de Bronze) - Esse resultado colocou o Liceu Jardim entre as melhores escolas do país nesta competição, inclusive com o maior número de alunos selecionados na região do ABC para o processo seletivo das olimpíadas internacionais de astronomia; • Prata e Bronze na Olimpíada Paulista de Matemática; • 2º lugar geral na Olimpíada de Matemática da Unicamp; • 7 medalhas da Olimpíada de Matemática do Grande ABC (2 de Ouro, 2 de Prata e 3 de Bronze) – 1º colocado geral Parabéns, alunos e professores! Resultados de 2015 Só nesse ano, nossos alunos conquistaram 66 medalhas na Olimpíada Canguru de Matemática, as inéditas medalhas de ouro e prata na Olimpíada Paulista de Química e a menção honrosa na Olimpíada Nacional de História do Brasil, realizada na Unicamp. Além disso, vale a pena destacar: • 28 alunos classificados para a 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Física; • 27 alunos na avaliação final da Olimpíada Brasileira de Astronomia; • 122 participantes na 1ª fase da Olimpíada de Matemática do Grande ABC; • 106 participantes na 1ª fase da Olimpíada Brasileira de Matemática; • 66 participantes na 1ª fase da Olimpíada Paulista de Física. 6

[close]

p. 7

1º lugar no ABC 13º lugar no estado 40º lugar no país Escolas com mais de 80 participantes Parabéns, alunos , pais e professores! Mais uma vez, entre as 40 melhores escolas do país! No dia 5/8/15, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) divulgou os dados referentes ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014. Mais uma vez, temos todos os motivos para felicitar nossos alunos e professores pelo excelente resultado. Segundo o Diretor Geral do Liceu Jardim, Daniel Contro, a análise desses dados requer um olhar crítico. “Alguns colégios renomados utilizam-se de um artifício questionável para alcançar uma posição elevada no ranking: subdividem-se em estruturas menores, compostas por pouquíssimos alunos de desempenho muito acima da média, ou seja, por pequenos gênios”, diz. Se desconsideradas tais “miniescolas”, o Liceu Jardim, como ocorre desde 2006, mantém a liderança inconteste na região do Grande ABC, conquistando a cada edição do Enem uma posição melhor no ranking nacional. A questão apontada pelo diretor é tão séria que foi tema de uma matéria veiculada no jornal O Estado de S. Paulo, no dia 05 de agosto de 2015, intitulada “Escolas que não existem representam 80% dos primeiros lugares no Enem”. “Como explicar que escolas com milhares de alunos matriculados tenham grupos tão reduzidos de alunos do Ensino Médio participando do Enem?”, questiona Daniel. Os números abaixo comprovam essa incongruência: Colégio Objetivo Colégio (unidade Paulista) Farias Brito Ari de Sá Coleguium COC Ribeirão Preto Anglo Leonardo da Vinci Escola Villare Número de participantes do Enem 42 44 24 18 42 18 23 [ Se o Liceu Jardim criasse uma “miniescola” dentro de si mesmo (Jardim Plus, por exemplo), composta apenas por seus 30 melhores alunos, sua média corresponderia a 729,37 pontos, resultado que classificaria a escola como a 2ª melhor do estado e a 6ª melhor do país no ranking divulgado. ] 7 Porém, como a escola preza pela honestidade e transparência, conforme os últimos dados divulgados pelo Inep, considerando apenas as escolas com mais de 80 participantes, o Liceu Jardim (antiga Unidade Jardim) é a 1ª colocada no Grande ABC, 13ª no estado e 40ª no país. “Todavia, não é apenas no Enem que nossos alunos têm demonstrado a robustez de sua formação acadêmica. Nos vestibulares 2015, 61% dos nossos estudantes foram aprovados em universidades públicas – índice alcan- çado por apenas algumas das mais bem conceituadas escolas do país”, explica o diretor. Daniel reforça ainda a importância da família para o bom desempenho dos alunos. “Cabe ressaltar o papel valioso das famílias, as quais, contrariando a tendência brasileira, ao invés de permitirem que seus filhos escolhessem o caminho mais fácil, priorizaram o seguro caminho do estudo sólido, cujos frutos são para a vida toda. Parabéns!”, diz.

[close]

p. 8

Educação Infantil Projetos pedagógicos - um jeito divertido de aprender! Os projetos pedagógicos são grandes diferenciais do Liceu Jardim Kids. Representam uma linha de trabalho que permite uma grande riqueza de abordagens. A partir de problemas reais, de questões que fazem parte do cotidiano das crianças, são desenvolvidas atividades sequenciais, integradas e interdisciplinares que culminam na formação de atitudes e valores e na construção de conhecimentos em todas as áreas. Assim, as crianças perguntam, investigam, aprendem, descobrem e, ao mesmo tempo produzem, expressam suas ideias e vivenciam o que aprendem. Este processo é rico e possibilita intensas transformações, comprovadas pelos pais que observam em seus filhos o prazer em vir à escola e o quanto voltam para casa empolgados e cheios de novidade para contar. A cada ano, mais novidades! A cada ano, a equipe pedagógica supera-se na elaboração dos projetos da Educação Infantil, acrescentando atividades criativas e envolventes, que encantam e motivam as crianças para o aprendizado. Um exemplo foi a abertura do projeto “Contos de fadas”, do Infantil II, na qual os professores encenaram a história de João e Maria, usando como palco a Fazendinha da escola. Foi um verdadeiro espetáculo realizado em um cenário real, ao ar livre, que encantou as crianças! Outro momento importante e inédito foi a abertura do projeto “Sarau de Poesias”, desenvolvido com as turmas do 1º ano do Ensino Fundamental. No dia do evento, os alunos foram convidados para assistir a um sarau, que contou com a participação dos Trovadores Urbanos e dos autores que eles conhecerão ao longo do ano: Cecília Meireles, Lalau e Laura Beatriz, Vinícius de Moraes, Elias José e José Paulo Paes. “Esse contato despertou a curiosidade das crianças em relação aos personagens”, conta Stella. Os alunos do Infantil também participaram de uma atividade inédita que enriqueceu o projeto “Turma da Mônica”. No primeiro bimestre, as crianças confeccionaram um cofrinho com material reciclável para depositar moedas que foram utilizadas na compra de gibis da Turma da Mônica. A compra aconteceu em um divertido passeio à banca de jornal, para que todos pudessem participar da escolha dos títulos. Em seguida, receberam na escola a visita da Mônica, que participou da inauguração da gibiteca do Infantil. A novidade do projeto do Infantil I, “Brinquedos e brincadeiras” foi a saída para a Cia dos Bichos, realizada no mês de agosto. No passeio, as crianças conheceram diversas brincadeiras antigas e personagens folclóricos, enriquecendo os estudos relacionados ao projeto. O projeto das turmas do Minimaternal e Maternal, “Ninoca”, manteve-se no mesmo formato, com atividades que contribuem para o desenvolvimento das crianças. Assim, com tantas atividades lúdicas e envolventes, os projetos só poderiam ser um sucesso! 8

[close]

p. 9

Oficinas com pais conhecendo a rotina escolar dos filhos Você sabe como seu filho aprende os números? E o alfabeto? Qual a melhor forma de ajudar a criança na lição de casa? Como incentivar a leitura? Essas e outras importantes questões foram esclarecidas nas Oficinas Pedagógicas, realizadas com os pais dos alunos da Educação Infantil e 1º ano do Ensino Fundamental, no primeiro semestre. Nos encontros, eles participaram de dinâmicas realizadas com os alunos durante as aulas, como cantar as músicas e compreender a rotina do dia. Além disso, vivenciaram desafios acadêmicos e sociais, como reconhecer os números, as letras, dividir brinquedos e aprender a se relacionar com o próximo. Para os pais do 1º ano, o encontro esclareceu dúvidas e curiosidades em relação ao processo de ensino e aprendizagem. Na oficina do Infantil, os pais participaram de uma atividade realizada anteriormente com os alunos: a releitura de uma obra de arte utilizando açúcar e café. Laboratório de Ciências permite trabalhar a alfabetização científica desde o Maternal Desde o Maternal, as crianças participam de aulas semanais de Ciências que contribuem para ajudá-las a entender o mundo e interpretar ações e fenômenos que observam e vivenciam no dia a dia. Para facilitar a realização de experiências e permitir o aprendizado de forma prática, o Liceu Jardim dispõe de um laboratório exclusivo para crianças. Com recursos específicos para essa faixa etária, o espaço permite desenvolver experiências de educação ambiental e científica, mostrando, de forma lúdica, conceitos importantes da disciplina. 9

[close]

p. 10

Minicidade e Fazendinha Os alunos do Liceu Jardim ganharam dois novos espaços de aprendizagem: a Minicidade e a Fazendinha. A Minicidade proporciona a vivência de experiências do cotidiano em uma área especialmente criada para este fim. Com prefeitura, banco, supermercado, floricultura, padaria, livraria, correio e outros ambientes típicos de uma metrópole, o novo espaço permite trabalhar, na prática, valores como autonomia, responsabilidade, regras básicas de convivências e outras questões importantes para a cidadania. Em contrapartida, a Fazendinha traz para perto das crianças as características da vida rural e o contato com a natureza. Em uma área de 4 mil m2, os alunos encontram diversos tipos de animais, pomar, viveiros com pássaros, lago e outros itens que enriquecem o aprendizado e a formação dos nossos pequenos estudantes. Aprender assim é muito mais gostoso! novos espaços de aprendizagem do Jardim 10 Educação Infantil

[close]

p. 11

Sala de sensações Minimaternal e Maternal Fastrackids - reforço para o aprendizado do Inglês As professoras do Minimaternal e do Maternal contam com um importante recurso que vêm enriquecendo a rotina das crianças: a sala das sensações. O espaço, especialmente planejado para essa faixa etária (de 1 a 3 anos), proporciona aos alunos explorar diferentes texturas, tamanhos de objetos, cores, além de trabalhar os cinco sentidos: olfato, paladar, audição, visão e tato. “Esses estímulos são fundamentais para o desenvolvimento das crianças”, explica Stella Maris G. Poças – diretora da Educação Infantil. 1º ano desenvolve projeto de compostagem com resíduos alimentares consumidos no colégio Durante as aulas de Ciências, os alunos do 1º ano desenvolveram um projeto muito interessante e rico em descobertas. Sob a coordenação das monitoras Danielle Beividas e Shirlei Moreira, realizaram a experiência de compostagem na horta do colégio, utilizando resíduos alimentares como cascas de frutas, verduras e legumes para obter um adubo livre de agrotóxicos. “Buscamos utilizar a horta do colégio como processo pedagógico, ressaltando a importância do consumo de alimentos naturais, orgânicos e sem agrotóxicos”, diz Danielle. As crianças participaram de todas as etapas do projeto e se divertiram a cada descoberta! Para estimular ainda mais o desenvolvimento intelectual das crianças e o aprendizado da língua inglesa, iniciamos o trabalho com o programa americano FasTracKids com as turmas do Maternal ao Infantil II. A projeto une a tecnologia ao lúdico, abordando o conhecimento de maneira interativa e prazerosa. As aulas acontecem no laboratório de informática, tendo a lousa eletrônica como principal recurso. As atividades propostas permitem à criança estimular e desenvolver aptidões e habilidades importantes, como: pensamento crítico, criatividade, comunicação, colaboração, autoconfiança, entre outras. Segundo a professora Natália Bandeira, o projeto traz inúmeros ganhos para as crianças. “As atividades contribuem para treinar o listening e as habilidades interpessoais dos alunos, além de servirem como um bom instrumento de avaliação, pois, como são realizadas individualmente, nos permite observar o progresso da aprendizagem”, diz. Educação Infantil 11

[close]

p. 12

Fundamental I Ler, Escrever, Compreender... O aprendizado depende da prática O ensino da língua portuguesa nas escolas é, sem dúvida, e sem menosprezar as demais disciplinas, o mais importante. Vários estudos são realizados a respeito da aquisição da escrita e da leitura e esses são fortemente subsidiados por diferentes áreas do conhecimento, tais como a neurociência, a psicologia da educação e a linguística. Vivemos em uma sociedade grafocêntrica, por isso a importância do domínio da língua escrita. A formação na disciplina de Língua Portuguesa impacta fortemente nas demais disciplinas. Um aluno que domina a leitura e a interpretação de textos, por exemplo, será mais capaz de compreender e resolver situações-problema em Matemática, elaborar e responder questões em História, Geografia, Ciências entre outras. Estimular o aluno é fundamental, pois sabemos o quanto o meio ambiente interfere no seu desenvolvimento e desempenho. Ao processar as diferentes atividades envolvendo leitura e escrita, o cérebro processa as informações e estabelece múltiplas conexões e inúmeras possiblidades de aprendizagem. Diversificar o trabalho realizado com o aluno, garante um fluxo dinâmico das informações absorvidas por nosso cérebro. Segundo Santos e Navas (2002), quanto mais frequente o fluxo das atividades mais forte será a conexão, o aprendizado. É a repetição da proposta e o estímulo em usar determinada função mais de uma vez que vão fazer com que a criança aprenda. O aprendizado depende da prática. É importante ressaltar que as conexões que funcionam em nosso cérebro são reforçadas com o uso e as que não funcionam são enfraquecidas. O processamento das informações envolve sensação, percepção e memória. A aprendizagem constitui a memória. Sendo assim, nosso trabalho tem que possibilitar a multiplicidade de informações para que o aluno seja sempre desafiado a fazer o seu melhor. Nossos alunos do 2º ao 5º ano têm a possibilidade de desenvolver diferentes habilidades da nossa língua com as diversas atividades desenvolvidas na disciplina de Língua Portuguesa: • leitura – livros mensais, roda de leitura, textos diversos. • escrita – caderno dos grandes escritos, produção de texto. • ampliação de vocabulário – dicionário pessoal. • ortografia – exercícios no livro de gramática, no caderno de palavras (ditado, caça-palavras). Ana Claudia B. de Andrade (Diretora do Ensino Fundamental I) Alunos do 4º ano realizando a leitura do livro paradidático. 12

[close]

p. 13

Pequenos Escritores Atividade extracurricular contribui para aperfeiçoar a leitura, escrita e oralidade dos alunos. Estimular a criatividade dos nossos jovens estudantes é uma das estratégias utilizadas nas aulas do projeto “Pequenos Escritores”. Além de aperfeiçoar a escrita, o projeto tem como objetivo enriquecer o vocabulário dos alunos e estabelecer conexões com a atualidade, de maneira lúdica e divertida, gerando muito aprendizado. “Nossas atividades contribuem para que o aluno expresse-se de diversas maneiras, utilizando seus conhecimentos prévios e, ao mesmo tempo, adquirindo novos, desenvolvendo, assim, o raciocínio-linguístico”, diz a professora Jucilei Fetter, do 4ºano D, responsável pelo projeto. As aulas acontecem semanalmente e contam com a participação de 40 alunos do 3º, 4º e 5º ano do Ensino Fundamental. Entre as atividades desenvolvidas no primeiro semestre, destacam-se as produções diferenciadas de vários gêneros textuais, como biografias, contos literários, lendas folclóricas entre outros. “Foram aulas preciosas e prazerosas, que contribuíram muito para a aquisição do conhecimento. Aguardem, porque no segundo semestre tem mais!”, conclui a professora. 13

[close]

p. 14

Clubinho da Matemática Além do “Pequenos Escritores”, o Liceu Jardim também oferece o Clubinho da Matemática para os alunos do Fundamental I. O projeto tem como objetivo estimular e ampliar o raciocínio-lógico, desenvolver a criatividade, aprimorar a interpretação de problemas matemáticos e a resolução de situações-problema, além de aumentar o interesse dos alunos pela disciplina. Olímpiada de Matemática Canguru 1º lugar no país! Iniciada na França em 1993, a Olímpiada de Matemática Canguru está presente em 52 países e acontece anualmente no mês de março. Em 2015, completou sua 22ª edição com a participação de mais de 6 milhões de alunos em todo mundo. Nesse ano, o Liceu Jardim estreou nessa olimpíada e, como já era de se esperar, com excelentes resultados! Mais de 270 alunos participaram do exame, do 3º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio, conquistando 66 medalhas: 15 de ouro, 25 de prata e 26 de bronze! Desta vez, o grande destaque foram os estudantes do Ensino Fundamental I, que, impulsionados pelo ótimo trabalho desenvolvido em sala de aula e no Clubinho da Matemática, conquistaram 39 medalhas! “Para muitos, foi o primeiro contato com uma competição acadêmica, por isso ficamos tão felizes com o resultado”, explica a diretora Ana Claudia B. de Andrade. 14 Fundamental I

[close]

p. 15

Saídas pedagógicas – diversão e aprendizado No primeiro semestre, os alunos do 2º, 3º e 4º ano participaram de saídas pedagógicas que fizeram a alegria da criançada, além de contribuir para o aprendizado de conteúdos vistos em sala de aula. 2º ano – Teatro Turma da Mônica No 2º bimestre, nossos pequenos alunos estudaram sobre as modificações que o ser humano faz no meio ambiente e suas consequências para o planeta. Observaram imagens, leram textos e opinaram sobre o assunto. Para complementar os estudos realizados nas áreas de Geografia e História, as crianças assistiram à peça teatral “Turma da Mônica em um plano para salvar o planeta”. Misturando música, dança e teatro, as crianças aprenderam um pouco mais sobre o respeito ao meio ambiente. 3º ano – Fazenda Mãos na Terra Para enriquecer ainda mais os conceitos trabalhados em classe, especialmente o projeto Almanaque das Personalidades Brasileiras, os alunos visitaram a Fazenda Mãos na Terra, localizada na cidade de São Roque – SP. Nesse local, vivenciaram uma grande aventura proposta pelo autor Monteiro Lobato e puderam conhecer um pouco mais das cinco regiões do Brasil, como o folclore e brincadeiras típicas, além de experimentarem alimentos regionais. Durante o passeio, também puderam interagir com os animais e o meio ambiente de maneira alegre e descontraída, entendendo como a fauna e a flora fazem parte da vida do homem e a importância dessa interação para o equilíbrio do planeta. 4º ano - Fazenda Nossa Senhora da Conceição Como forma de aproximar o estudo sobre a imigração e a influência africana na formação do povo brasileiro, conteúdos trabalhados no projeto “Brava Gente Brasileira” e nas aulas de História, os alunos do 4º ano visitaram a Fazenda Nossa Senhora da Conceição, localizada no município de Jundiaí. O local é uma fazenda centenária que cultivava cana-de-açúcar e café. Contava com 120 escravos africanos e, após o fim da escravidão, recebeu imigrantes italianos. Através de construções preservadas, objetos, documentos e fotos da época, os alunos enriqueceram seus conhecimentos sobre este período da história do Brasil. 5º ano – Sítio do Carroção Localizado em Tatuí – SP, o Sítio do Carroção é conhecido por ser o único resort pedagógico do Brasil e foi eleito pelo Discovery Channel o melhor da América Latina. Entre os dias 5 a 7 de agosto, os alunos do 5º ano vivenciaram um mundo de aventuras, diversão e descobertas, além de participarem de atividades com temas educativos. Durante a viagem, muitas “aprendizagens invisíveis” aconteceram, proporcionadas pelo exercício da autonomia, responsabilidade, organização e equilíbrio emocional exercidos durante o passeio. Fundamental I 15

[close]

Comments

no comments yet