Jornal Show da Fé - Março 2016

 

Embed or link this publication

Description

Jornal Show da Fé - Março 2016

Popular Pages


p. 1

Jornal Show da Fé Cumpra a vontade de Deus PÁGINA 22 ANO 3 - Nº 26 - MARÇO DE 2016 SHOWda FÉ O JORNAL DA PALAVRA DE DEUS MARCOS AC MARCOS AC Palavras de fé do Missionário PÁGINA 24 “Queriam cortar minha perna” Vítima de erisipela, Ana Paula Macena não conseguia mais andar sozinha nem cuidar do filho pequeno. Ela chegou à reunião de fé carregada pelo marido, mas saiu andando sem ajuda e sem inchaço na perna. MARCOS AC Página B2 Cura e perdão Além de constatar a cura das pernas e dos pés, que viviam inchados e doloridos, Maria Chagas surpreendeu a todos quando pediu perdão a R. R. Soares por não suportar vê-lo pela televisão. “Era o inimigo que não queria que o Senhor me usasse para curar você”, explicou o Missionário. Com uma lesão profunda na perna, Tathyana não conseguia andar sem ajuda do marido, Diego, que presenciou a cura MARCELO NEJM Página B4 “Eu via uma caveira” Mergulhado no mundo das drogas, Fabrício Rodrigo não conseguia mudar de vida. Pensamentos de morte vieram à sua mente, até que ele se deparou com o único caminho que poderia salvá-lo. Ela estava sendo comida viva Tudo começou com dores intensas na perna, evoluindo para nódulos, bolhas e inchaço, até se tornar uma grande ferida. A lesão aumentava a cada dia. Por mais de um ano, Tathyana Areno conviveu com uma enfermidade não diagnosticada. “Sentia como se algo comesse minha carne”, afirma. No entanto, em um dos cultos do Missionário R. R. Soares, ela pôs a fé em ação, acreditou no milagre e obteve sua bênção: a dor cessou, e a ferida começou a cicatrizar. Página B1 Página B11 SHUTTERSTOCK Bullying, um assassino disfarçado Normalmente originado no ambiente escolar e, muitas vezes, apresentado como uma simples brincadeira, o bullying pode levar a vítima à morte, seja por depressão ou por suicídio. Nesta edição, histórias de quem sofreu e superou esse tipo de violência. Páginas 20 e 21 Recitarei o decreto: O SENHOR me disse: Tu és meu Filho; eu hoje te gerei (Salmo 2.7).

[close]

p. 2

2 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 Expediente Jornal Show da Fé Editorial Palavras de fé do Missionário PÁGINA 24 Cumpra a vontade de Deus PÁGINA 22 ANO 3 - Nº 26 - MARÇO DE 2016 SHOWda FÉ O JORNAL DA PALAVRA DE DEUS MARCOS AC MARCOS AC “Queriam cortar minha perna” Vítima de erisipela, Ana Paula Macena não conseguia mais andar sozinha nem cuidar do filho pequeno. Ela chegou à reunião de fé carregada pelo marido, mas saiu andando sem ajuda e sem inchaço na perna. MARCOS AC Página B2 A palavra de quem é ungido pelo Senhor tem o poder divino para levar os perdidos a se desprenderem dos laços do maligno e a alcançarem a plena libertação em Jesus. Cura e perdão Além de constatar a cura das pernas e dos pés, que viviam inchados e doloridos, Maria Chagas surpreendeu a todos quando pediu perdão a R. R. Soares por não suportar vê-lo pela televisão. “Era o inimigo que não queria que o Senhor me usasse para curar você”, explicou o Missionário. Com uma lesão profunda na perna, Tathyana não conseguia andar sem ajuda do marido, Diego, que presenciou a cura MARCELO NEJM Página B4 “Eu via uma caveira” Mergulhado no mundo das drogas, Fabrício Rodrigo não conseguia mudar de vida. Pensamentos de morte vieram à sua mente, até que ele se deparou com o único caminho que poderia salvá-lo. Ela estava sendo comida viva Tudo começou com dores intensas na perna, evoluindo para nódulos, bolhas e inchaço, até se tornar uma grande ferida. A lesão aumentava a cada dia. Por mais de um ano, Tathyana Areno conviveu com uma enfermidade não diagnosticada. “Sentia como se algo comesse minha carne”, afirma. No entanto, em um dos cultos do Missionário R. R. Soares, ela pôs a fé em ação, acreditou no milagre e obteve sua bênção: a dor cessou, Página B1 e a ferida começou a cicatrizar. Página B11 SHUTTERSTOCK Bullying, um assassino disfarçado Normalmente originado no ambiente escolar e, muitas vezes, apresentado como uma simples brincadeira, o bullying pode levar a vítima à morte, seja por depressão ou por suicídio. Nesta edição, histórias de quem sofreu e superou esse tipo de violência. Páginas 20 e 21 A humanidade precisa que você seja uma bênção. Recitarei o decreto: O SENHOR me disse: Tu és meu Filho; eu hoje te gerei (Salmo 2.7). Diretor executivo R. R. Soares Conselheiro editorial Eber Cocareli Editora Elaine Monteiro R epórteres Amanda Pieranti Claudia Santos Mônica Ferreira R epórteres colaboradores Isabel Querino e Marcos Couto Fotografia Marcos AC Luiz Fernando Marcelo Nejm R evisão Célia Cândido (Direção), Joseane Cabral (Supervisão), Magdalena Soares (Prova), Jorge Guimarães e Marcella Peçanha (Originais) Direção de arte Kleber Ribeiro Diagramação e A rte-final Bruno Moraes, Leandro Alves Rodrigo Magno e Tatyanne Rangel Site www.ongrace.com/ jornalshowdafe E-mail jornalshowdafe@ongrace.com R edação Estrada dos Bandeirantes, 1.000 - Taquara - Rio de Janeiro RJ - CEP 22.710-113 Telefone: (0xx21) 3077-5168 É expressamente proibida a reprodução total ou parcial de matérias, entrevistas, artigos, fotos e ilustrações sem prévia autorização dos titulares dos direitos autorais. O Jornal Show da Fé é uma publicação da Graça Artes Gráficas e Editora LTDA. MARCELO NEJM Um coração que guarda a Palavra de Deus dá à sua boca as palavras que o libertam de qualquerataque maligno. A fala de quem vive diante do rosto de Deus é doce como o mel, é refrigério para a alma e saúde para o corpo. As palavras dos lábios de Deus guardarão você das veredas do destruidor.” O milagre da gravidez O sonho de Josiane de ter um filho quase foi destruído. Porém, ela teve fé e rejeitou o diagnóstico de que não poderia engravidar Amanda Pieranti MARCOS AC E amanda.jornalshowdafe@gmail.com m 2013, Josiane de Sousa Ferreira Fernandes se casou. Assim, realizou o primeiro desejo. O segundo seria a maternidade. “Tive um sonho, e Deus disse que eu teria um filho, cujo nome seria Daniel”. Porém, os planos foram interrompidos por causa de uma menopausa precoce. “O médico dizia que eu não teria condições de engravidar”. Em vez de se sentir triste, ela saiu do consultório crendo que aquela situação seria revertida. “Deus havia falado comigo, por isso, quando meu marido perguntou sobre o diagnóstico do médico, eu disse que estava tudo bem. Não contei a ele o que estava acontecendo”. Em um culto de libertação na Igreja da Graça, uma palavra lhe deu mais certeza da vitória. “Notei que o Senhor estava falando comigo. Na mesma hora, sen- ti um reboliço na minha barriga, como se fossem cólicas. Em casa, vi que estava menstruada”. Aquele era o sinal de que Deus estava trabalhando na vida de Josiane. “Quando retornei ao médico, já estava grávida. Ele quis saber como isso tinha acontecido, e eu respondi que, quando o homem não pode, Deus pode tudo”. Hoje, Daniel está com sete meses. “Agora, minha vida está completa. Se eu quiser, ainda posso ter outro bebê”, comemora ela, que congrega na Igreja Internacional da Graça de Deus, ao lado do esposo, José Airton Fernandes. Não aceitou ficar cega Em julho de 2015, Geralda de Queiroz Barbosa não teve um amanhecer animador. “Acordei e vi tudo embaçado e, mesmo depois de mexer nos olhos, a situação não mudou”. Em um ato de fé, Geralda pegou o óleo ungido ao Senhor que recebeu na Igreja e determinou a saída daquele mal. “Pouco tempo depois, o olho direito começou a melhorar, mas a vista esquerda estava totalmente escura”. No oftalmologista, Geralda foi submetida a exames, e foi constatado descolamento de retina. “Eu teria de ser operada imediatamente, porém, enquanto ouvia a notícia, repreendi tudo aquilo, pois temos de usar nossa fé nesses momentos”. No mesmo dia, ela foi encaminhada ao especialista que faria a cirurgia. Enquanto aguardava o atendimento, teve mais um momento de oração. “Falei com o Senhor que não queria operar nem ficar cega”. E Ele ouviu seu clamor. Após refazer os exames, a cirurgia foi descartada. “Fui para casa, fiz o repouso que o médico pediu e continuei orando, passando o óleo ungido e repreendendo o mal. Voltei a enxergar bem e, ao retornar ao consultório, tive alta. Graças a Deus, estou curada e muito feliz”, testemunha ela, que congrega na Igreja Internacional da Graça de Deus.

[close]

p. 3

SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 3 Milagres pela TV O Show da Fé, programa de TV que alcança diariamente milhões de brasileiros, está levando os sofredores a receberem as mais fantásticas bênçãos em suas casas. MARCOS AC “Mandei o mioma para o inferno” Com indicação para cirurgia, Severina ouviu o Senhor, seguiu o que Ele disse e viu o milagre acontecer Amanda Pieranti D amanda.jornalshowdafe@gmail.com urante cinco anos, Severina Francelina lutou para conseguir operar um mioma, mal que a deixava debilitada. “Fui dez vezes ao médico, mas a minha pressão sempre estava alta”. Severina, então, passou a clamar ao Altíssimo. “Ouvi a voz do Senhor orientando-me a orar de madrugada”. Na ocasião, ela ainda não acompanhava o programa Show da Fé, porém começou a assistir à programação. “Um dia, tive uma cólica forte e expeli o mioma, que pesava quase um quilo. Glória a Deus, pois não precisei ser submetida à cirurgia. Mandei o mioma para o inferno, que é o lu- gar dele”, testemunha Severina, que, há 15 anos, está curada dessa enfermidade. Porém, as bênçãos não pararam por aí. Outra conquista foi ficar livre da artrose, tendinite e osteoporose nas pernas. “Andava de muletas, pois meus pés viviam inchados. Tomava remédios, mas orei com o Missionário pela tevê e, há quase dez anos, estou curada”. MARCELO NEJM Irmãs determinaram a cura diante da tevê durante as madrugadas no hospital Quando Adjanira Madalena dos Santos Leal se deparou com um problema na pele de sua irmã, ela exercitou a fé e não aceitou o diagnóstico médico. A senhora estava com o corpo todo manchado e inchado, e os médicos diziam que a probabilidade de se tratar de hanseníase era de 90%. Membro da Igreja Internacional da Graça de Deus, Adjanira buscou ajuda no Altíssimo. “Minha irmã ficou internada durante 15 dias. Como os médicos não sabiam ao certo qual era o diagnóstico, deram-lhe uma medicação paliativa; porém, para piorar a situação, ela teve pneumonia no hospital. Tendo em vista que o remédio era muito forte e ocasionava vários efeitos colaterais, além de a paciente estar com 83 anos, o tratamento foi suspenso”. De acordo com Adjanira, os especialistas descartaram a hipótese de hanseníase e trataram a enfermidade como artrite. Durante as madrugadas no hospital, as irmãs passaram a assistir ao programa Show da Fé. “Minha irmã foi curada durante as ministrações e recebeu alta. O mais lindo de tudo é que ela aceitou Jesus ouvindo a Palavra de Deus por intermédio de R. R. Soares. Estamos muito felizes por termos aprendi- do a usar a fé enquanto assistíamos ao Missionário pela TV. Fomos ensi- nadas a confiar em Deus acima de tudo”, comemora Adjanira. Depressão e nódulo na mama sumiram Para Maria Aparecida de Araújo Nunes, a programação MARCELO NEJM da Nossa TV e o Show da Fé foram um marco em sua vida. Em tratamento para depressão e precisando de remédios para dormir, ela gostava de assistir ao programa e à oração da fé. “A Palavra me trazia ânimo para determinar a vitória”. Foi assim que Maria Aparecida recebeu a cura de que necessitava. “Não preciso mais fazer tratamentos, pois fui liberada pelos médicos. Eu tive depressão quando constataram um nódulo na minha mama. Porém, quando Deus faz a obra, ela é completa. Ao determinar a restauração da minha saúde, não só fiquei livre da depressão, como também do nódulo”.

[close]

p. 4

4 Fotonovela ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 SHOWda FÉ Vivia à beira de um surto Assim como a mãe, Tânia Maria Sostizzo sofria de irritabilidade. O comportamento destrutivo afetou a convivência com seu esposo e suas filhas. “Era algo terrível. Tudo me irritava, e isso lhes causava danos físicos, porque eu atirava objetos neles”. Além disso, Tânia e o marido eram viciados em bebida alcoólica, cigarro e jogos de azar. As brigas entre eles eram constantes, e ela chegou a expulsá-lo de casa. Porém, um dia, ao assistir ao programa Show da Fé, Tânia sentiu que sua vida podia mudar e tomou uma decisão. Criada com muita violência por sua mãe, Tânia cresce oprimida. Forma sua própria família, onde cria uma rotina de agressão física. Ela lança objetos contra todos os que encontra pela frente. Temendo surtar, ela sempre guarda as facas quando está lavando louça. Tânia e o marido são viciados em cigarro, jogos de azar e bebida alcoólica. Conturbado, o casamento acaba, pois ela expulsa o esposo de casa. Um dia, enquanto trocava de canal, sintoniza no programa Show da Fé e reconhece a própria vida naquela pregação. Assídua da programação, Tânia começa a ter o coração transformado, abandona os vícios e não se irrita mais. Ela procura uma Igreja, mas nunca entra no templo. Sabendo de sua situação, uma vizinha a encoraja a participar de um culto, e Deus muda a vida de Tânia. Ela, então, é liberta da possessão maligna, e a paz entra em seu lar. Sua família aceita Jesus, e o marido volta para casa. PROTAGONISTA: PARTICIPAÇÕES: ROTEIRO E PRODUÇÃO: ASSISTENTE: FOTOS: ARTE: EDITORA: Hoje, todos servem ao Senhor na Igreja da Graça.

[close]

p. 5

MILAGRES O SENHOR TE GUARDARÁ DE TODO MAL (Salmo 121.7a). Missionário R. R. Soares SHOWda FÉ MARÇO DE 2016 B1 Quem vê a tentação se aproximar, mas não clama a Deus, mostra que Ele não é muito importante em sua vida. Isso é triste, porque, quando houver necessidade de ser atendido, o Altíssimo não poderá prestar-lhe socorro. O Senhor não Se cansa nem Se fadiga, por isso, sempre que precisar dEle, ore com fé e creia que Ele irá atendê-lo, pois não pode negar-se a si mesmo (2 Tm 2.13). Deus tem prazer em ajudar todos os que O buscam. Estava sendo comida viva Com uma grande ferida na perna, Tathyana viveu momentos de desespero Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com MARCOS AC D or nas costas, problemas nos joelhos e no estômago, depressão, sequelas de acidentes e enfermidade sem causa diagnosticável pelos médicos. Os males são variados, mas, durante os cultos do Missionário R. R. Soares, Deus não deixa de curar nenhuma pessoa que clama a Ele com fé. Esses encontros, realizados no Brasil e no exterior, transformaram-se na oportunidade de quem está enfermo ver o impossível acontecer em sua vida. Tathyana Areno Valentim Menezes é um exemplo disso. Em dezembro de 2014, uma intensa dor no tornozelo esquerdo deu início ao seu martírio. “Latejava muito, e eu não conseguia dar mais do que dez passos. Tomava remédios, no entanto nada resolvia”. Após um ano, apareceram nódulos internos, semelhantes a ínguas, o que lhe causava um calor na região afetada. “Então, apareceu uma bolha, que logo estourou. No local, surgiu uma ferida que não parava de crescer. Apesar de todos esses sintomas, os médicos não descobriam a causa do problema”, relata ela, que, além de ficar com o pé escurecido, não pôde mais andar. O SENHOR será a tua luz perpétua, e os dias do teu luto findarão (Isaías 60.20b). O sofrimento Como a situação dela piorou, o marido teve de se afastar da empresa que acabara de abrir para ajudar a esposa. “A dor só aumentava. Nos últimos dias, eu não conseguia nem dormir. Já estava vendo minha perna sem vida, roxa. Embora colocasse gelo no local, não via melhoras”. Segundo Tathyana, a ferida em sua perna media 22 centímetros, aproximadamente. “A enfermidade estava bastante profunda. Além disso, saía pus do local. Sentia como se algo estivesse comendo minha carne. Estava desesperada, achando que teria de amputar a perna”. O milagre Ao ver o sofrimento da filha, a mãe da moça, que assiste ao programa Show da Fé, sugeriu a ela que fosse ao culto do líder da Igreja da Graça. Acompanhada do marido, Tathyana enfrentou duas horas e meia de viagem e muita dor para participar da reunião. “Cheguei amparada pelo meu esposo, pois minha perna e meu pé doíam terrivelmente”. No entanto, ela acreditava que aquele quadro seria revertido e, durante a oração da fé, alcançou o que parecia impossível. “Jesus tem poder, pois a dor sumiu. Firmei o pé no chão e pude andar sem ajuda. Além disso, a ferida está cicatrizando. Estou extremamente feliz”.

[close]

p. 6

B2 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 MARCOS AC “Queriam cortar minha perna” A dor, a ferida e o inchaço não deixavam que Ana Paula cuidasse do filho Amanda Pieranti a saúde restaurada. Ela sofria de erisipela, doença de pele infecciosa caracterizada pelo surgimento de feridas vermelhas, inflamadas e dolorosas, além de estar com a perna esquerda muito inchada havia dois meses. Como os tratamentos não proporcionavam o resultado esperado, os especialistas cogitavam amputar o membro a fim de deter a enfermidade. MARCOS AC amanda.jornalshowdafe@gmail.com “V ocê tem de ser uma pessoa positiva. Acredite que Jesus já lhe deu todas as bênçãos de que necessita. Então, ore e tome posse delas”. Após ouvir essa mensagem do Missionário R. R. Soares e participar da oração da fé, Ana Paula Macena da Silva teve Ultimamente, Ana Paula só andava apoiada em alguém e não podia trabalhar nem cuidar do filho de oito anos. “Ele vivia chorando e dizendo que eu ia morrer”, revela Ana Paula, que quase não se levantava da cama. “Meu marido era quem cuidava da casa. Ele era meu apoio para andar e me carregava nos braços nos dias em que eu não aguentava colocar o pé no chão”. O Evangelho do Reino dos Céus, e não o do reino da miséria”, declarou o líder da Igreja Internacional da Graça de Deus ao vê-la partir em disparada. Após o milagre, a vida de Ana Paula foi transformada. “Retornei para casa bastante feliz e subi e desci do ônibus sem o auxílio do meu marido. Além disso, minha perna desinchou, a ferida está cicatrizando, e estou andando bem, graças a Deus. Já voltei até a trabalhar. Daquele dia para cá, é só bênção”. Chegou à Igreja carregada pelo marido Foi com a ferida envolta em uma gaze, consequência de uma enfermidade, e carregada pelo esposo que Ana Paula chegou ao culto de R. R. Soares. “Minha perna estava tão dolorida que eu não conseguia ficar em pé para louvar a Deus. No entanto, permaneci confiante na vitória e, após a oração, a dor passou”, diss ela ao Missionário enquanto caminhava no altar, chorando, sem o apoio de ninguém. “Queriam cortar minha perna, mas o Senhor não deixou”, acrescentou Ana. “Esse é o Deus em que eu creio. Esse é o Evangelho que abracei aos seis anos. MARCOS AC Úlcera sumiu Com uma ferida na perna, Marilene chorava de dor e já não conseguia se alimentar Marilene Maria da Conceição, que estava com uma úlcera na perna direita havia quatro meses, também foi abençoada durante o clamor da cura. “Tudo começou com uma pequena ferida que foi aumentando. Eu já estava com medo de ficar com um buraco na perna”. À noite, Marilene quase não dormia por causa da dor que sentia. “Chorava de soluçar sentada na cama, com sono, mas sem poder dormir. Botava a perna para cima, para o lado, po- algo horrível Era rém não encontrava uma posição devido à queimação. Era algo horrível”. Remédios e curativos não resolviam o problema, que, além do sono, também tirava o apetite de Marilene. “Cheguei a emagrecer, pois não tinha forças para me alimentar”. Alguns dias depois do culto, Marilene agradece a Jesus pela cura. “A úlcera desapareceu, e minha perna voltou ao normal. Não sinto mais dor, posso me deitar e dormir e já estou comendo até demais”.

[close]

p. 7

SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 MARCOS AC MARCOS AC B3 Osso não sai mais do lugar Em decorrência de uma queda, havia mais de cinco anos que Deise Dias Cordeiro sentia dor na coluna. “Caminho muito e, em alguns dias, a dor era tão forte que a lombar inchava, e eu ficava praticamente imóvel”. Segundo ela, que é doméstica, trabalhar era um sacrifício. “Como não podia me afastar do emprego, tomava remédio para combater aquele sintoma e fazia massagem para sentir um pouco de alívio. Mesmo assim, a minha perna esquerda travava devido à dor. Era como se o osso saísse do lugar”. Porém, ao colocar a fé em ação e confiar no poder de Jesus, Deise recuperou a saúde. “Estou curada! Minha perna está ótima, e já peguei até uma faxina extra para fazer”. MARCOS AC O milagre de Dulce Tinha medo de ficar aleijada Após um AVC, Maria passou a andar arrastando a perna E m maio de 2013, Maria de Fátima do Rosário sofreu um acidente vascular cerebral (AVC). Após fazer duas cirurgias na cabeça, ela ficou com sequela na perna direita, que passou a doer bastante. “Não conseguia andar direito nem me levantar à noite. Caso forçasse, chorava de dor. Tinha medo de ficar aleijada”. Sem encontrar solução na Medicina, Maria de Fátima recorreu ao socorro divino. “Cheguei à Igreja puxando a perna, mas, graças a Deus, saí andando perfeitamente. A dor sumiu, e já posso até correr”. Curada, ela reconquistou a independência. “Não podia me abaixar, mas, agora, consigo ficar sentada no chão para montar meus quebra-cabeças. Além disso, após aquela reunião, nunca mais tive dificuldade para fazer nada. Minha vida melhorou”. Maria Dulce Araújo da Silva sofreu um acidente no dia 8 de dezembro de 2015, quando um caminhão bateu na moto em que ela estava com o marido. “Antes de cair, eu gritei: ‘Jesus’, e Ele nos deu o livramento. Embora não tenha quebrado nada, fiquei com o joelho direito dolorido. Não havia jeito de eu melhorar e, por isso, mancava muito”. Diarista, ela não podia trabalhar por causa do problema. Porém, após determinar sua cura em Nome de Jesus, o joelho parou de doer, e ela voltou a andar sem limitação alguma. “Já consigo até me ajoelhar para agradecer a Deus pelo milagre”, afirma Dulce, pronta para voltar ao trabalho. Volte seus pés para o caminho do Criador enquanto há tempo.”

[close]

p. 8

B4 SHOWda FÉ Cura e perdão Após ficar livre da artrose nos joelhos, o que a fez sofrer por mais de dez anos, Maria Chagas pediu perdão ao Missionário pelo comportamento dela no passado ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 MARCOS AC M aria Chagas Carneiro, que sofria de artrose, não se cansa de olhar, emocionada, para os joelhos desde que foi curada no culto do Missionário. “Olho e choro de alegria, porque vivi, por mais de dez anos, com inchaço e dores que afetavam também as pernas e os pés. Não tinha um sapato que entrasse no meu pé, porém, de repente, o Senhor me curou. Ele é maravilho- so”, testemunha ela, que chegou à reunião com uma dor intensa e sem conseguir andar direito. Maria não podia subir escadas, mas, após o milagre, subiu os degraus do altar da Igreja da Graça para contar o que Deus fez na vida dela. “Jesus tirou as dores das minhas pernas, dos meus joelhos e dos meus pés, que logo desincharam. Isso é extraordinário”. O mal tentou impedir a bênção No entanto, Maria não deixou todos admirados somente pela cura. Ela sensibilizou e surpreendeu os participantes do encontro de fé ao se retratar com o Missionário. “Por que você quer pedir perdão a mim?”, indagou o líder da Igreja da Graça. “Eu não gostava de você. Quando o vi na televisão pela primeira vez, peguei um lençol e me cobri dos pés à cabeça, porque não queria ver o senhor. Só escutava a sua pregação”, recordou-se, emocionada. “Era o inimigo que não queria que o Senhor me usasse para curar você”, declarou R. R. Soares. Maria, que serviu aos espíritos malignos por 40 anos, acredita ter sido esse o motivo do seu comportamento no passado. “Não era eu. Aquilo que sentia era o mal tentando me impedir de aceitar Jesus como Salvador. O intuito do maligno era me manter na escuridão. Porém, Deus me abençoou, e passei a assistir ao seu programa normalmente. Agora, eu gosto do senhor”, acrescentou, chorando. “Então, dê um beijinho no Missionário”, pediu R. R. Soares, comovido. Convertida, liberta e curada, Maria viu sua vida ser completamente mudada. “Retomei minhas atividades. Lavo, passo, cuido da casa e ainda ajudo meu irmão sem sentir dor alguma”. MARCOS AC MARCOS AC Emocionada após ser curada, Maria Chagas revelou que não suportava olhar para o Missionário na televisão e pediu perdão a ele A dor já estava atingindo sua coxa Durante um mês, José da Silva sentiu fortes dores no joelho direito. “Tenho um trailer, que está com o pneu vazio, e eu necessitava removê-lo. Por ser pesado, precisei da ajuda de duas pessoas. Mesmo assim, forcei muito o joelho, que passou a doer demais. Quase não conseguia mexê-lo”. Nos últimos dias, José passou a ter dificuldade para andar, principalmente quando descia ou subia a ladeira Clamei com fé, e Jesus me curou da rua onde mora. “A dor já estava atingindo a coxa”. Trabalhar também era complicado. “Sou marceneiro e pedreiro, e doía bastante quando eu tinha de pegar o carrinho cheio de cerâmica e madeira. Porém, clamei com fé, e Jesus me curou. Faço tudo normalmente, inclusive me abaixo para colocar piso e ando de bicicleta, atividades que, antes, faziam meu joelho doer mais ainda”.

[close]

p. 9

SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 MARCOS AC B5 Abandonou a bengala por ter certeza da cura A confiança em Deus de que seria curada fez Rita ir à reunião sem o apoio Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com R Os cristãos da Igreja primitiva foram ensinados a orar com fé e a crer que o Altíssimo cumpriria a Sua promessa, por isso foram muito abençoados. O tema oração deveria dominar os salvos, pois, por meio dela, como ocorreu no início da igreja, eles podem conseguir as mesmas intervenções do Senhor. Os passos que devemos dar são: orar por fé, crer que o Pai está agindo e não confessar derrota. Sem dúvida, quem crê vê a glória de Deus. ita Vieira Lima deixou a bengala em casa e, determinada a ser curada, deu as costas para a doença que a afligia e partiu, mesmo andando com muita dificuldade, para assistir ao culto que o Missionário R. R. Soares realizaria em sua cidade. “Fui acreditando na vitória”. Por dois anos, Rita sentiu dor nos joelhos devido a problemas na coluna. “Eu não pisava direito e andava apoiada na bengala. Não podia fazer nada, nem lavar um lenço, e o médico falou que meu problema não tinha solução”. Sem aceitar o diagnóstico, Rita decidiu clamar a Deus e foi atendida. “Não sinto mais dor. Meus joelhos estão curados, e ando normalmente, sem apoio. Estou muito feliz”. MARCOS AC Gritava de dor Porque ele livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude (Salmo 72.12). Maria Aparecida da Silva sempre gostou de se exercitar. Entretanto, após fazer um exercício aeróbico, sentiu dor no joelho, que, em pouco tempo, inchou. “Passei a mancar, e a dor atingiu também a perna”, diz ela, que estava preocupada com essa situação. “O médico me disse que a causa do problema poderia ser artrite ou artrose, receitou remédios e mandou que eu fizesse raios X. Porém, os sintomas persistiam. Eu chegava a gritar de dor. Andava me arrastando e não conseguia mais cuidar da casa”. No entanto, antes de receber o resultado do exame, Maria Aparecida foi curada por Jesus no culto de R. R. Soares. “Aquela dor, que se estendia do tornozelo até o quadril, desapareceu. Ando perfeitamente e subo e desço escada. Além disso, voltarei para a academia”.

[close]

p. 10

B6 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 MARCOS COUTO Quatro anos puxando a perna Carolina Kowalski só encontrou a cura para seu problema ao clamar a Deus Marcos Couto marcosstefano@gmail.com D urante vários anos, Carolina Kowalski Picur sofreu de bronquite. Os piores momentos eram à noite, quando ela sentia muita falta de ar. No desespero, queria ligar para todo mundo, pedindo socorro. No entanto, ela teve a saúde restaurada ao clamar a Deus por uma solução. Foi essa cura que deu à Carolina a confiança para en- frentar mais um drama. “Há quatro anos, comecei a sentir dor nas pernas, principalmente na esquerda. Logo, passei a andar com dificuldade”, relata ela, que procurou diversos médicos. “Como os especialistas suspeitavam de osteoporose, fui submetida a tratamentos, mas nada adiantou. Só conseguia andar se, antes, fizesse um alongamento. Além disso, era bastante difícil me sentar. Só me levantava com ajuda”. MARCOS COUTO Disposta a ter vitória novamente, Carolina foi à reunião do Missionário. E, quando ele falou que a oração seria em prol daqueles que estivessem com qualquer problema nas pernas, ela se levantou cheia de confiança e teve seu clamor atendido pelo Todo-Poderoso. “As dores sumiram, o inchaço desapareceu, e ando sem dificuldade alguma. Estou plenamente sarada”. “Eu estava meio travada” Maria de Lourdes Ferreira também foi abençoada no mesmo culto de que Carolina participou. Ela, por sua vez, chegou à Igreja da Graça mancando bastante, consequência de um mau jeito na perna direita. “Meu joelho ficou inchado, dolorido e com um nódulo na parte posterior. Além disso, eu estava meio travada. Quando me sentava, não podia mais me levantar”. Apesar de ter chegado ao templo desse modo, Maria tinha certeza da vitória e a alcançou. “Estava confiante. Em casa, já havia repreendido o mal e fui ao culto buscar minha bênção e agradecer ao Senhor. Na oração da cura, primeiro senti algo refrescante na minha perna. Depois, percebi que o inchaço e o nódulo tinham desaparecido. Não sinto mais dor nem tenho limitações. Posso fazer qualquer movimento perfeitamente”. MARCOS COUTO A chave da vitória A forte dor na região lombar tirava o sono de Aluizio Ferreira Pontes. “À noite, não conseguia dormir nem me virar na cama”. Ele padeceu do problema por uma semana, até ser abençoado por Jesus. “Sabia que precisava buscar a Deus para ser curado, pois só Ele tem a chave da vitória”. De fato, Aluizio sabe disso por experiência. Em 2002, sofreu um acidente no trabalho e, por causa disso, uma veia de sua perna estourou. A situação se agravou a ponto de os médicos darem apenas 5% de chance de ele sobreviver. “Fui sarado pelo Senhor. Ele me vivificou”. Com essa mesma confiança, Aluizio recebeu a oração em prol da enfermidade nas costas e, imediatamente, as dores sumiram. “Faço qualquer movimento e não sinto mais nada. Estou curado”. Venha receber a sua bênção IIGD POMPANO BEACH – 1261 East Sample Road Pompano Beach, FL 33064 – Igreja: (954) 785-3699 Pr. Willian Sodré – pompano@iigdusa.com ENTRADA GRÁTIS Missionário R. R. Soares Reuniões: segundas, quartas e sextas-feiras – 7:30pm Domingos – 10am e 7pm

[close]

p. 11

SHOWda FÉ MARÇO DE 2016 B7 CAMPANHAS DE FÉ AMO AO SENHOR, PORQUE ELE OUVIU A MINHA VOZ E A MINHA SÚPLICA (Salmo 116.1). MARCOS AC Missionário R. R. Soares Antes de Adão pecar, não havia doenças na Terra, pois tudo o que Deus tinha feito era bom. Com a entrada do pecado, o diabo penetrou em nosso mundo e transtornou tudo. Hoje, é quase impossível encontrar uma só pessoa que não tenha algum sofrimento. Portanto, precisamos contar a essa gente que a cura de todos os males já foi executada na cruz do Calvário e, para recebê-la e ser liberto de qualquer mal, basta crer no Evangelho. Desejava a morte As dores de cabeça diárias, os tremores nas mãos e a depressão faziam Cláudia Silva pensar em se matar Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com D iariamente, Cláudia Silva da Costa sentia dor de cabeça. Além disso, suava frio e tinha sen- sação de desmaio e tremores nas mãos, o que a impedia de segurar objetos. “Senti isso por mais de 12 anos. Embora tomasse mais de 20 comprimidos por dia, esses tratamentos não surtiam o efeito esperado”, relata. A angústia e a tristeza de não conseguir ter uma vida normal a levaram a uma depressão grave. “Como não queria me alimentar, emagreci bastante. Também ficava vagando pelas ruas, sem destino. Diversas vezes, pensei em me matar, porque não aguentava tanto sofrimento”. “Sou outra pessoa” Porque restaurarei a tua saúde e sararei as tuas chagas, diz o SENHOR (Jeremias 30.17a). Segundo Cláudia, o médico informou que ela tomaria remédios para o resto da vida, pois a Medicina não tinha cura para os problemas de saúde que ela enfrentava. Porém, ao participar do culto do Missionário R. R. Soares, Cláudia tomou uma atitude de fé, e Jesus mudou essa sentença. “O Senhor me curou da depressão, da dor de cabeça, dos tremores e do suor frio. Também não tenho mais desejo de morrer”, afirma. Dias após o milagre, ela foi a uma consulta, e todos ficaram surpresos com sua recuperação. “Meu neurologista disse que sou outra pessoa. Fui à reunião na certeza de que seria curada de todas as enfermidades, e Cristo ouviu o meu clamor”. Leia mais “Parecia que algo limpava meu organismo” Lilian Rodrigues Cataldi – Página B9 “Não tinha cura, mas eu mantive minha fé” Maria de Paula Dias – Página B10

[close]

p. 12

B8 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 Agora, dispensa ajuda do marido Com artrite e artrose, Josefa dependia do esposo para se pentear e se vestir porque o movimento do braço estava limitado Amanda Pieranti Marcos Couto MARCOS AC amanda.jornalshowdafe@gmail.com marcosstefano@gmail.com “N ão sou eu quem cura; sou apenas um servo de Deus. De mim, você só terá alguma coisa se prestar atenção àquilo que Ele me usa para dizer. Atentando-se para isso, seu entendimento se abrirá e você conseguirá ouvir a voz do Todo-Poderoso e entender a vontade dEle. Assim, ao orar, Ele operará o milagre em sua vida”. Josefa Sousa dos Santos foi uma das pessoas que ouviu e compreendeu essa mensagem do Missionário R. R. Soares e, ao clamar ao Altíssimo, foi abençoada. Seu sofrimento começou após sofrer três quedas, o que acabou comprometendo seu braço direito. Ela, então, passou a padecer de artrite e artrose, enfermidades que a acompanharam por sete anos. “Fazia fisioterapia, mas continuava no mesmo estado. Além disso, as dores eram constantes. Era um sacrifício cortar uma carne, passar pano na casa e lavar o banheiro”. Josefa também dependia da ajuda do esposo para se pentear e se vestir, porque o movimento do braço estava limitado. Isso até ela participar da reunião de fé, quando foi totalmente curada. “O marido, agora, está ‘desempregado’”, brincou o Missionário, enquanto ela contava o milagre que acabara de receber. Feliz e com a saúde restaurada, Josefa comemora o retorno à vida normal. “Meu esposo pediu que eu cortasse o cabelo, mas me neguei a fazer isso porque acreditava que seria curada por Jesus. Hoje, posso tomar banho, me pentear e me vestir sozinha”. MARCOS AC Dores pioravam com o frio Após quebrar o cotovelo, Margarida Martins de Castro sofreu de dor no braço direito por oito anos. Embora tenha se submetido a uma cirurgia, seu braço ficou torto. “O médico disse que MARCOS AC Não penteava mais os cabelos Lúcia de Melo Ancigam tinha artrite, artrose e bursite nos ombros e braços. “Cortei o cabelo bem curto por não poder penteá-lo devido às dores. Não levantava o braço para nada”. Ela revela que só lavava roupa porque era teimosa. “À noite, eu sofria as consequências disso. Lutava para conseguir dormir. Só sentia algum alívio quando fazia massagem no local”. Lúcia só melhorou quando colocou a fé em prática e determinou a vitória em Nome de Jesus. “Estou completamente restaurada. Consigo movimentar meu braço e fazer tudo sem dificuldade”. Não podia mexer o braço eu teria de fazer uma nova operação, mas, como me recusei, fiquei com sequelas. Devido a isso, ficava impossibilitada de realizar minhas tarefas domésticas, pois não podia mexer o braço. Sentia uma dor que começa- va em cima do ombro e ia até o cotovelo”. Para suportar esse mal, Margarida tomava vários medicamentos, mas o problema persistia. “Tinha dificuldade para dormir e passava a noite procurando uma posição que atenuasse a dor. No frio, sofria mais ainda. Era impossível ligar o ar-condicionado”. Porém, ao determinar a cura, o quadro de Margarida foi revertido. “Meu braço está ótimo. Agora, durmo bem e passo até pano na casa. É mais fácil viver quando se está saudável”.

[close]

p. 13

SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 MARCOS COUTO B9 A fé contra a dor no estômago “T em alguém aqui que está com forte dor na região da barriga. Deus quer curar você”, disse o Missionário R. R. Soares, apontando para a área de seu es- Durante cinco dias, fiquei me sentindo muito mal tômago em uma dos cultos que realizou pelo Brasil. A declaração dele foi como um convite para que Lilian Rodrigues Cataldi exercesse a sua fé. MARCOS AC Em dieta para perder peso e fazer a cirurgia de redução de estômago, ela alterou o cardápio e decidiu comer uma tapioca. “Durante cinco dias, fiquei me sentindo muito mal e com intensa dor no estômago. Fui ao médico, tomei remédios na veia, mas nada adiantou. Não conseguia nem dormir”. Durante o clamor, Lilian encontrou a solução que tanto esperava. “Senti, inicialmente, uma bola no ventre; depois, uma ardência. Doía até a coluna. Por fim, fiquei anestesiada, parecia que algo estava limpando meu organismo”, explica Lilian, que já não sente qualquer dor e celebra a vitória na companhia de uma amiga e dos filhos. MARCOS AC “Não suportava mais viver assim” Áurea Régia Vieira não se arrepende de ter aceitado o convite de um sobrinho para participar da reunião do Missionário. Havia três meses que ela estava com uma dor no braço direito, o que a atrapalhava nas tarefas domésticas. “Doía dentro do osso, e eu não conseguia colocar o braço para trás”. O problema também atrapalhava o trabalho e o sono de Áurea. “Para dormir, apoiava um travesseiro embaixo do braço. Como não suportava mais viver assim, aceitei o convite do meu sobrinho”. Segundo Áurea, ao chegar ao culto, ela afirmou que teria a saúde restabelecida. “E, durante a ministração de fé, meu braço parou de doer, e voltei a movimentá-lo sem qualquer dificuldade. Atualmente, trabalho e durmo muito bem”. Dor passou quando ela clamou com fé O braço direito de Aurilene Ferreira da Silva passou a incomodá-la há cerca de três meses. “Acho que se tratava de dor reumática. Minhas articulações doíam bastante, e eu não podia mais cuidar da minha casa”. Quando Aurilene fazia algum esforço, como carregar sacolas de compras, os sintomas aumentavam. “Eu não realizava quase nada. Era uma dor chata que passou quando clamei a Jesus com fé”, diz ela, que não tem limitação alguma. A oração é um momento de íntima comunhão com Deus e de solução para todos os nossos problemas.”

[close]

p. 14

B10 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 26 - USA - Março de 2016 MARCOS COUTO Curados de refluxo A oração de cura mudou a vida de várias pessoas que sofriam dessa enfermidade E m um de seus cultos, o Missionário orou por pessoas que sofriam de refluxo. Era o caso de Maria de Paula Dias, que padecia desse problema havia seis anos, aproximadamente. Além disso, tinha sinusite crônica e vivia com mal-estar. “Era como se vives- se entalada. O médico dizia que não havia cura para mim, mas eu mantinha a fé, pois conhecia o sobrenatural do Senhor. Inclusive, há uns 14 anos, meu filho foi liberto e curado. Por isso, sei que Deus é poderoso e toma conta de mim”, revelou, após ser abençoada durante o clamor. Apesar de chegar à Igreja indisposta, foi com muita fé que Maria se levantou para receber a oração e ficar livre do mal. “O refluxo é algo do passado. Estou curada e com uma nova vida, pela graça do Senhor. Estou ótima e parei de pigarrear a todo momento”. MARCOS COUTO MARCOS COUTO A dor sumiu Maria José de Jesus Costa enfrentou um drama parecido com o de Maria de Paula. Ela sofria de refluxo, tinha dificuldades para dormir e, além do incômodo, precisava lidar com fortes dores no estômago. Porém, isso só acontecia quando estava deitada. “Dessa vez, esse distúrbio apareceu antes de eu chegar ao culto. Era tão intenso que quase me fazia engasgar. Foi difícil ir à Igreja, mas, como eu sabia que se tratava de uma guerra espiritual, resisti”. Maria José é experiente, pois aprendeu a pleitear suas causas e a determinar a vitória assistindo ao Show da Fé pela televisão. Assim, já foi curada de tendinite nos braços e recebeu salvação na família. Já o refluxo foi enfrentado durante a oração com o Missionário na Igreja e, mais uma vez, ela saiu vitoriosa. “Fui curada. Não sinto mais nada. O mal e a dor sumiram”. “Tudo o que eu comia me fazia mal” As consequências da enfermidade atingiram Marta Garbini de Lara um dia antes do culto. “Senti dor de cabeça e no estômago e tive refluxo. Embora esteja de dieta, tudo o que eu comia me fazia mal”. Na reunião, Marta foi fortalecida e avivada pela Palavra de Deus e assumiu a posição de guerrear ao lado do Senhor. Assim, sentiu o toque divino e alcançou a cura. “Não estou sentindo mais nada. O refluxo e todo aquele mal-estar foram repreendidos pelo poder de Deus e desapareceram”. MARCOS COUTO “Recebi fé para vencer” “João, Jesus lhe dá saúde”. Para muitos, as palavras do Missionário R. R. Soares não passaram de um exemplo, mas não para João da Costa Agra. Ele tinha certeza de que se tratava da mais pura inspiração de Deus. Havia 32 anos que João sofria de refluxo, gastrite e hérnia de hiato, mesmo depois de passar por vários especialistas e fazer tratamentos. No entanto, endoscopias sucessivas e o recorrente mal-estar revelavam que os problemas continuavam. Porém, ele mantinha sua fé. “Busco minha vitória faz tempo”. Foi com esse propósito no coração que ele participou do culto. “Quando o Missionário chamou meu nome e disse que Jesus dava saúde, tive fé de que venceria. A partir dessa oração, não senti incômodo ou qualquer dor. Estou livre do refluxo”. Venha receber a sua bênção IIGD BOSTON – 85 Washington Street Somerville, MA 02143 Igreja: (617) 996 9194 Pr. Glauber Morare – somerville@iigdusa.com Segundas, quartas, quintas e sextas-feiras – 8pm Domingos – 10am e 7pm MISSIONÁRIO R. R. SOARES ENTRADA GRÁTIS

[close]

p. 15

LIBERTAÇÃO E EXPULSAVAM MUITOS DEMÔNIOS, E UNGIAM MUITOS ENFERMOS COM ÓLEO, E OS CURAVAM (Marcos 6.13). Missionário R. R. Soares SHOWda FÉ MARÇO DE 2016 B11 Missionário R. R. Soares Quem procura se achegar a Jesus pode estar certo de que somente Ele tem condições de colocar o oprimido em liberdade. Cristo garantiu que ficam realmente livres aqueles a quem Ele liberta. Fica evidente que, no Filho de Deus, está a solução para todos os problemas das pessoas que querem a libertação. Quem é liberto pelo Senhor jamais volta a ser afligido pelos espíritos malignos; afinal, a porta que Jesus fecha ninguém abre, e a que Ele abre não há quem feche. Mergulhado no mundo das drogas, Fabrício vivia alucinado, e a morte parecia ser a única solução Mônica Ferreira MARCELO NEJM “Parecia um zumbi” monica.jornalshowdafe@gmail.com N Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade (2 Coríntios 3.17). a adolescência, Fabrício Rodrigo da Silva descobriu a bebida. Como um abismo chama outro abismo, ele sentiu vontade de usar algo mais forte. Aos 20 anos, foi apresentado às drogas, das quais foi dependente por mais de uma década. “No início, consumia apenas aos finais de semana; depois, o uso passou a ser diário. Toda hora era hora. Estava em busca de felicidade, mas, após o efeito das substâncias, voltava o vazio, e a depressão tomava conta de mim”. Para manter a dependência, Fabrício gastava todo o seu dinheiro. “Minha casa era um inferno. Usava os entorpecentes dentro do quarto e até mesmo em locais públicos. Além disso, comprei uma moto e passei a comercializar drogas, o que agravou o meu problema. Então, meus pais descobriram o que eu fazia, e isso me deixou muito mal”. As constantes visões e perturbações deixavam Fabrício desorientado. “Via uma bala entrando na minha cabeça, ouvia vozes e ficava totalmente alucinado. Eu não queria mais aquela vida, porém não tinha forças para sair. Parecia um zumbi e eu via uma caveira toda vez que me olhava no espelho. Sentia medo de tudo. Por isso, afirmo com propriedade, o mundo das drogas é um contato direto com o diabo”, enfatiza. Por causa de sua situação, as pessoas foram se afastando de Fabrício. “Perdi minha namorada e cheguei a ficar seis dias sem comer e tomar banho. Eu me trancava o dia inteiro no quarto e, quando não tinha dinheiro, meus colegas sempre providenciavam algumas drogas para usarmos juntos”. O desejo de mudança Até que, certo dia, Fabrício sentiu um desespero tão grande que pensamentos de morte começaram a invadir sua mente. Diante dessa situação, ele procurou sintonizar a tevê em um canal evangélico, a fim de encontrar algo que o confortasse. “Deparei-me com o Missionário R. R. Soares, e suas palavras foram me trazendo paz. Bebi a água que ele pediu que consagrássemos e comecei a ler a Bíblia e a entender que somente Cristo poderia me resgatar do abismo em que me encontrava”. Decidido a mudar de vida, Fabrício procurou a Igreja Internacional da Graça de Deus e passou a frequentá-la. “Comecei a me sentir bem, mas logo tive uma recaída e me afastei. No entanto, quando voltei, eu me entreguei de verdade. Então, fui batizado e consegui que o mal saísse da minha vida em definitivo”. Enfim, Fabrício alcançou a tão esperada paz de espírito. “Tenho uma felicidade imensa. Pelo meu testemunho, meus familiares estão indo para a Igreja. Posso dizer que, há dois anos, sou um novo homem. Estou feliz com meu Jesus e tenho o sonho de fazer a obra e ser pastor. Se Deus permitir, pretendo ter uma clínica de reabilitação para ajudar outras pessoas que passam pelo sofrimento pelo qual passei”, finaliza ele, que é membro da IIGD.

[close]

Comments

no comments yet