Jornal do Sintáxi

 
no ad

Embed or link this publication

Description

Edição 179 - Janeiro 2016

Popular Pages


p. 1

C om o fim do recesso parlamentar o projeto de lei de autoria do executivo e que altera a Lei Municipal nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, será encaminhado à Câmara Municipal no próximo mês, a fim de que seja votado e aprovado pelos vereadores. Menos de dois anos depois de entrar em vigor a lei que rege o sistema de táxi de Porto Alegre será alterada e o objetivo do prefeito José Fortunati é “dar uma resposta” ao aplicativo desenvolvido pela empresa norte-americana Uber. As alterações propostas serão discutidas na Câmara de Vereadores, mas a direção do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi) já encaminhou ofício ao prefeito Fortunati questionando alguns artigos do projeto. O certo é que haverá um amplo debate no parlamento municipal em decorrência do projeto e é provável que os vereadores apresentem emendas ao texto que deverá tramitar nas comissões antes de seguir para votação no plenário. Mudança no traje utilizado pelos taxistas, redução do tempo de vida útil do veículo, novas regras para concessão e renovação do “carteirão”, entre outras propostas apresentadas no projeto podem ser conferidas nesta edição do JORNAL DO SINTÁXI. Páginas 3 e 4 Projeto será encaminhado ao legislativo municipal Divulgação Combustíveis sobem e forçam o reajuste da tarifa do táxi Os preços do litro da gasolina, etanol e do m³ do gás natural veicular (GNV) resolveram desobedecer a ordem econômica do país e estão em alta. O resultado desta equação é o aumento generalizado em todos os setores da economia, inclusive o táxi. A lei em vigor determina que toda a vez que o aumento médio dos três combustíveis ultrapassar o índice de 8%, cabe ao Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi) solicitar o imediato reajuste da tarifa, evitando perdas irreparáveis para a categoria, já que gasolina, etanol e GNV são imprescindíveis para os mais de 3 mil táxis que circulam diariamente pelas ruas da cidade. E foi exatamente isto que o Sintáxi fez no dia 12 de novembro do ano passado, mas a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) só concedeu o reajuste neste mês sem considerar o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) de dezembro, só que o preço dos combustíveis continua subindo. Página 5

[close]

p. 2

JS - Janeiro de 2016 - Página 2 Estamos do lado do Brasil Está em análise, na Câmara dos Depu- São legais? Se encontram dentro da legalidade tados, em Brasília, o pedido de abertura de prevista? processo de impedimento do exercício do manSe a resposta for sim, fica claro que não dato da presidenta da República, Dilma Vana ocorreu nenhum crime e, desta forma, não se Rousseff. Enquanto isso, eclode inúmeras mani- justifica qualquer tipo de ação visando o impedifestações pelo Brasil dividindo o povo em duas mento do exercício do mandato da presidenta. facções: os que defendem a permanência da Mas, se a resposta for não, então é necessámandatária no comando da Nação até 31 de rio abrir o processo, para que a presidenta possa dezembro de 2018; e os que querem sua saída apresentar sua defesa e o caso seja julgado conimediata, antes mesmo que ocorra a condenação forme determina a lei, respeitando todo o rito no Senado Federal, isto depois de vencido o rito processual. processual, conforme determina a lei. Assim caminha um país livre, demoO Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre crático, onde a lei é respeitada, ninguém está (Sintáxi), entidade sindical representativa dos acima do bem e do mal e todos respondem por cerca de 10,4 mil profissionais do volante licen- seus atos. ciados para o exercício da atividade na capital Este é o principal ponto que o Sintáxi degaúcha, é chamado para assumir posição oficial fende: o Estado Brasileiro e a lei. frente aos acontecimentos. Por isso, o Sintáxi não segue a polarizaO Sintáxi não se posiciona a favor da ção dos “contra” e dos “a favor”, mas se coloca permanência da presidenta Dilma Rousseff no ao lado do Brasil, dos brasileiros e dos poderes comando do Brasil, muito menos deseja sua constituídos: executivo, legislativo e judiciário. saída do Palácio do Planalto, sem que todas as O pedido de abertura do processo de etapas do rito processual sejam impedimento do exercício do vencidas. mandato da presidenta Dilma O cerne da questão está Rousseff foi encaminhado à O cerne da questão muito longe da polarização dos Câmara dos Deputados peestá muito longe “contra” e dos “a favor”. É a lei. los três juristas oriundos da da polarização dos O que diz a lei. Universidade de São Paulo “contra” e dos “a favor”. E este é o principal pro(USP) que apresentaram suas É a lei. O que diz a lei. blema, pois juristas, especiaponderações e embasamentos listas em direito, advogados, justificando o ato. promotores e estudantes estão Por isso, a decisão não divididos sobre as alegações apresentadas por pode ser política, sob pena de se cometer um ato Hélio Pereira Bicudo, 93 anos [jurista, político, ilícito, na tentativa de justificar outro ato que militante de direitos humanos, bacharel em ainda não se sabe se é ilegal ou não. Direito pela Faculdade de Direito da UniverSe a legislação brasileira não é clara, sidade de São Paulo, turma de 1947], Miguel então, talvez, esteja na hora de se desfazer de Reale Júnior, 71 [jurista, professor, doutor em certas amarras improdutivas que não geram direito penal pela Universidade de São Paulo, nenhum benefício ao Brasil. em 1971] e Janaína Conceição Paschoal, 41 Quem exerce mandato eletivo tem com[advogada criminalista, professora de direito e promisso ético e moral com seu município, esdoutora em direito penal pela Universidade de tado, país e todo o conjunto de leis que regem a São Paulo, em 2002]. organização do Estado Brasileiro. Então, se a lei não é clara para definir se a A partir de fevereiro, quando as atividades presidenta Dilma Rousseff cometeu ou não um da Câmara dos Deputados forem retomadas, o ato ilícito que justifique a abertura do processo assunto voltará à pauta e não poderá ser objeto de impedimento do exercício do mandato, como de troca de favores, mas se tornar uma ampla os brasileiros podem se dividir em dois blocos? tribuna aberta para que a discussão seja feita Muito mais do que a vontade de uns e de à luz da lei. outros, o que importa é a lei que organiza e disTodos têm direito de pensar e opinar, ciplina o Estado Brasileiro. mas a polarização não é lei, nem tribunal para A discussão deve ser centrada na lei e no julgar o que é certo ou errado. Não adianta ser esclarecimento pleno sobre os atos praticados pe- passional, pois a história sempre se encarrega la presidenta Dilma no exercício do mandato. de mostrar a verdade dos fatos.

[close]

p. 3

JS - Janeiro de 2016 - Página 3 P Com menos de dois anos de vigência EPTC quer alterar a lei que rege o sistema de táxi da Capital refeito José Fortunati vai encaminhar à Câmara de Vereadores projeto alterando alguns artigos da Lei Municipal nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014 (a Nova Lei do Táxi). O esboço do texto havia sido apresentado pelo diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Luís Cappellari, durante encontro realizado no dia 1º de dezembro do ano passado, no auditório do órgão público. Dirigentes do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi) encaminharam ofício, no dia 7 deste mês, questionando dois pontos do projeto: a exigência de uma única cor de vestimenta para o taxista utilizar no exercício da atividade e a redução do tempo de vida útil do veículo. A proposta apresentada pela EPTC prevê a implantação de uniforme padrão para todos os mais de 10,5 mil taxistas licenciados para o exercício da atividade vetando o uso de bermudas, redução do tempo de vida útil do carro para cinco anos e uso de Gás Natural Veicular (GNV) somente para veículos que possuam motor com cilindradas a partir de 1.6. O presidente do Sintáxi, Luiz Nozari, esclarece que o poder judiciário já se manifestou contrário à exigência de uma única cor de camisa. “Sugerimos que seja adotada cores sóbrias como azul, cinza, bege e camisas de tecido liso sem estampas”, comenta. Com relação à redução do tempo de vida útil do táxi para cinco anos, o dirigente sindical entende que a nova regra deve valer apenas a partir do início da vigência da nova lei. O projeto da EPTC prevê a implantação de outras exigências para confecção ou renovação da Identidade de Condutor de Transporte Público - Táxi (ICTP), o popular “carteirão”, além das que já estão em vigor, como a aplicação de exame psicotécnico. Uma questão polêmica é a possibilidade de suspender o “carteirão” dos taxistas com antecedentes pelos crimes consumados ou tentados, contra a vida, fé pública, administração, dignidade sexual, Com menos de dois anos de vigência a EPTC quer alterar a lei que rege o sistema de táxi Divulgação hediondos, roubo, furto, estelionato, receptação, formação de quadrilha ou bando, sequestro, extorsão, trânsito, tráfico de drogas, posse e comercialização de armas de fogo e munição ou violência contra a mulher. A lei brasileira define que todos “são inocentes até que se prove em contrário” e enquando não houver condenação as negativas das justiças Estadual e Federal não apontam nenhuma restrição. Para a EPTC negar a emissão ou renovação do “carteirão” de um taxista, que responde a qualquer inquérito em liberdade, antes da sentença, terá que contar com o apoio da justiça. A proposta da EPTC surgiu a partir da chegada do aplcativo Uber na Capital gaúcha, que opera de forma irregular desde o dia 19 de novembro do ano passado. Segundo a EPTC, até o fechamento desta edição do JORNAL DO SINTÁXI, 14 veículos cadastrados no Uber haviam sido apreendidos. O projeto de lei prevê ainda a obrigatoriedade de manter o ar-condicio- nado do táxi ligado, observar os equipamentos sonoros como rádio e CD se estão de acordo com o gosto do passageiro e abir o porta-malas. Nozari entende que as alterações propostas pela EPTC não surtirão efeito se não houver boa vontade por parte dos profissionais do volante, que precisam se conscientizar da necessidade de oferecer um serviço de qualidade. “Educação e higiene são duas coisas que as pessoas aprendem em casa. É ridículo ter que fazer uma lei, determinando que o taxista use roupas limpas, tome banho, corte o cabelo e faça a barba. Estes são itens básicos para todos que pretendem trabalhar em contato direto com o público e a forma mais eficaz é manter e ampliar a clientela combatendo efetivamente qualquer tipo de concorrência. A lei de mercado de implacável, se não atendermos às exigências do consumidor, outros atenderão”, comenta Nozari. Leia na página 4 a íntegra do projeto que será enviado à Câmara Municipal.

[close]

p. 4

JS - Janeiro de 2016 - Página 4 A íntegra do Projeto de Lei que altera a Nova Lei do Táxi “Art. 23 ... XXXIII - colocar e retirar a bagagem no porta-malas do veículo; XXXIV - no início da viagem, questionar o usuário quanto ao acionamento e à temperatura do ar-condicionado, mantendo o carro climatizado caso por este assim solicitado; XXXV - somente acionar ou manter os equipamentos sonoros do veículo (rádio, reprodutor CD, etc.) quando assim solicitado pelo usuário, observados o volume, as estações, o estilo musical e demais opções por este indicadas;” ART. 5º Ficam incluídos os §§ 3º a 15 no art. 23 da Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, com a seguinte redação: “Art. 23 ... § 3º A identidade visual referida no inciso XVII deste artigo, para os taxistas que operem nas Categorias Comum e Especial, deverá ser adotada pelos profissionais do transporte público mediante a opção por peças de vestuário que observem os seguintes parâmetros: a) camisa social ou camisa polo, de manga curta ou longa, em qualquer tonalidade da cor azul, desde que de cor única (lisa); b) calça social ou jeans, de cor única (lisa) por ele escolhida dentre as cores preta ou azul-escuro; c) calçados fechados; d) casaco, jaqueta, abrigo, pulôver ou assemelhados, em cor única (lisa) por ele escolhida dentre as cores preta, cinza ou azul-escuro. § 4º A identidade visual das taxistas do sexo feminino observará o padrão referido no § 3º deste artigo, acrescida de opções de vestuário que atendam aos seguintes requisitos: a) fica permitido o uso de modelos de calça e saia abaixo do joelho, de cor única (lisa) por ela escolhida dentre as cores preta ou azul–escuro. b) fica permitido o uso de colete de modelagem feminina, de cor única (lisa) azul–escuro. c) fica permitido o uso de sandálias, desde que presas ao calcanhar, observadas as disposições do CTB. e) fica vedado o uso de peças de vestuário decotadas ou com ombros ou costas expostas. § 5º Compete ao taxista manter-se asseado e adequadamente trajado durante a condução do prefixo, zelando para que as peças de vestuário por ele utilizadas se encontrem limpas e em bom estado de conservação. § 6º O taxista deverá observar cuidadosamente sua barba e cabelo, que deverão estar devidamente aparados. § 7º Fica vedado o uso de quaisquer coberturas, como bonés, toucas, chapéus ou assemelhados. § 8º Fica vedado o uso de qualquer tipo de camiseta; chinelo; bermuda; calção; calça ou abrigos de moletom ou esportivos; de material de times esportivos e de quaisquer peças a estas assemelhadas. § 9º Fica vedado o uso de peças de vestuário cortadas, rasgadas, manchadas ou descoloridas ou, ainda, que se mostrem sujas ou com odores além daqueles normais advindos de sua normal utilização para a execução do serviço de transporte. § 10 Fica vedado o uso de qualquer peça, mesmo avulsa, que contenha propaganda comercial, inscrição, alusão, caracteres ou símbolos, sobretudo de elementos associados a material de cunho discriminatório, político, religioso, esportivo, partidário, associativo ou clubístico. § 11 As peças de vestuário devem ser lisas, sem estampas, manchas ou descolorações. § 12 Ficam excetuados ao disposto no § 11 deste artigo, desde que lançadas de forma respeitosa, discreta e com pequena dimensão, a inscrição ou identificação: I - de fabricante da peça de vestuário. II - indicativa de entidade sindical ou associativa da própria categoria dos condutores profissionais de táxi, § 13 A camisa deverá estar com todos seus botões abotoados, ao menos, até o penúltimo, contado de baixo para cima, e com a parte inferior disposta dentro da calça. § 14 No tocante ao uso de calçados, deverá ser observado, ainda, o disposto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). § 15 A definição do vestuário a ser utilizado na ocorrência de situação excepcional de cunho pessoal do taxista, como, exemplificativamente, nos casos de enfermidade ou obesidade, será avaliada pelo órgão gestor, mediante prévia solicitação do profissional.” ART. 6º Fica alterado o § 5º do art. 27 da Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, que passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. 27 ... § 5º Fica assegurada ao prefixo que, na data de publicação desta lei, não se enquadre nas disposições dos §§ 1º e 2º do presente artigo, a utilização do veículo até sua substituição voluntária ou o vencimento da vida útil estabelecida no art. 31.” ART. 7º Ficam alterados o ‘caput’ e o § 3º do art. 31 da Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, que passam a vigorar com a seguinte redação: “Art. 31. O Serviço Público de Transporte Individual por Táxi somente poderá ser prestado por veículos cuja idade de permanência ou vida útil máxima, contada do ano do primeiro emplacamento, seja igual ou inferior a 5 (cinco) anos. § 3º A vida útil referida no ‘caput’ fica prolongada em 24 (vinte e quatro) meses para os veículos que já se encontravam na frota de táxi do Município de Porto Alegre na data de publicação do presente parágrafo. Vencido o somatório dos prazos do ‘caput’ e do § 3º deste artigo, deverá o permissionário do prefixo providenciar a substituição do veículo em até 120 (cento e vinte) dias, observadas as especificações fixadas pela legis-lação.” ART. 8º Fica incluído o art. 31-A na Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, com a seguinte redação: “Art. 31-A Fica vedada a inclusão de veículos 1.0 (um ponto zero) cilindradas na frota de táxi do Município de Porto Alegre.” ART. 9º Fica incluído o art. 31-B na Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, com a seguinte redação: “Art. 31-B. A utilização de Gás Natural Veicular (GNV) na frota de táxi do Município de Porto Alegre somente será permitida: I - para os veículos que possuam potência de 90 (noventa) cavalos-vapor (cv) ou superior, ou II - para os modelos de veículo dotados de GNV de fábrica. Parágrafo Único. Excetua-se a aplicação das disposições do ‘caput’ para os veículos comprovadamente adquiridos pelo permissionário em data anterior à publicação do presente artigo.” ART. 10 Ficam incluídos os §§ 18, 19 e 20 no art. 58 na Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, com a seguinte redação: “Art. 58 § 18 O taxista que for alvo de fiscalização de transporte poderá ser submetido a teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que, por meios técnicos ou científicos, permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa que determine dependência. § 19 A condição de estar o taxista sob a influência de álcool ou substância psicoativa também poderá ser caracterizada mediante imagem, vídeo, constatação de sinais que indiquem alteração de sua capacidade psicomotora ou, ainda, mediante a produção de quaisquer outras provas em direito admitidas. § 20 Serão aplicadas as medidas administrativas previstas nas alíneas ‘c’, ‘e’ e ‘h’ do inciso II e as penalidades previstas nas alíneas ‘e’ e ‘f’ do inciso I ao taxista que se recusar a se submeter a qualquer dos procedimentos previstos no § 18 deste artigo.” ART. 11 Esta lei entra em vigor na data de sua publicação. PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE José Fortunati Prefeito Municipal PROJETO DE LEI... Altera a redação do art. 1º, §1º; do art. 23, XVIII; do art. 27, § 5º; do ‘caput’ e do § 3º do art. 31, e inclui o §1º no art. 1º; os incisos XXXIII, XXXIV e XXXV e os §§ 3º a 15 no art. 23; os arts. 31-A e 31-B, e os §§ 18, 19 e 20 no art. 58 da Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, que institui o Institui o Serviço Público de Transporte Individual por Táxi no Município de Porto Alegre. ART. 1º Fica incluído o § 2º e alterado o § 1º do art. 1º. da Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, que passam a vigorar com a seguinte redação: “Art. 1º ... § 1º Define-se como transporte individual por táxi o serviço remunerado de transporte de passageiros aberto ao público, por intermédio de veículos de aluguel, para a realização de viagens individualizadas, com contraprestação paga pelos passageiros na forma de tarifa fixada pelo Executivo Municipal, segundo as normas e os critérios fixados na legislação vigente, e cuja exploração somente será permitida às pessoas físicas cadastradas na Secretaria Municipal dos Transportes (SMT) e na Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), vinculadas a um só prefixo e registradas, obrigatoriamente, na função de condutor de táxi. § 2º O serviço de transporte individual por táxi nas categorias Comum e Especial somente poderá ser executado mediante a utilização de taxímetro no veículo, conforme especificações técnicas do órgão gestor.” ART. 2º Fica alterado o § 1º e incluídas as alíneas ‘a’ a ‘e’ no art. 8º da Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, que passam a vigorar com a seguinte redação: “Art. 8º ... § 1º A ICTP somente será emitida ou renovada em favor dos requerentes que apresentarem: a) Certidão de distribuição de feitos criminais da Justiça Federal, emitida pelo Tribunal Regional Federal, b) Certidão Judicial de 1º Grau, emitida pelo Tribunal de Justiça, c) Certidão Judicial de Distribuição Criminal de 2º Grau, emitido pelo Tribunal de Justiça, d) Alvará de Folha Corrida, emitido pelo Tribunal de Justiça. e) Laudo de aprovação em exame psicotécnico aplicado por profissional habilitado pelo órgão gestor, conforme regulamentação desta lei. I - Para a expedição da ICTP e, a qualquer tempo, a manutenção na condição de taxista, os documentos referidos nas alíneas ‘a’ a ‘d’ deste parágrafo não poderão apontar a existência de condenação ou antecedente pelos crimes, consumados ou tentados, contra a vida, contra a fé pública, contra a administração, contra a dignidade sexual, hediondos, de roubo, furto, estelionato, receptação, de quadrilha ou bando, sequestro, extorsão, de trânsito ou aqueles previstos na legislação alusiva à repressão à produção não autorizada ou ao tráfico ilícito de drogas, ao registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição ou à coibição da violência doméstica e familiar contra a mulher. II - A expedição da ICTP e, a qualquer tempo, a manutenção na condição de taxista ficam condicionadas, ainda, à análise discricionária da EPTC, isolada ou conjunta, acerca do teste psicotécnico referido na alínea “e” deste parágrafo e do histórico policial, judicial e de trânsito do interessado, podendo o requerimento ser indeferido mediante justificativa fundamentada do órgão gestor.” ART. 3º Fica alterado o art. 23, XVIII, da Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, que passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. 23 ... XVIII - observar com rigor a identidade visual do taxista do Município de Porto Alegre, estando permanente e adequadamente trajado e utilizando vestimenta apropriada para a função de prestador de um serviço público” ART. 4º Ficam incluídos os incisos XXXIII, XXXIV e XXXV no art. 23 da Lei nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014, com a seguinte redação: O projeto de lei do Executivo será encaminhado no próximo mês à Câmara Municipal, quando terminar o recesso parlamentar. Os vereadores terão que analisar as propostas apresentadas e aprovar o texto no plenário da casa. Durante a tramitação do projeto na Câmara Municipal é possível apresentar emendas que deverão ser incluídas no texto para apreciação no plenário. A mudança na Lei do Táxi é uma resposta à empresa norte-americana Uber, que começou a operar na Capital no dia 19 de novembro do ano passado de forma irregular, apesar de contar com a “simpatia” da população.

[close]

p. 5

JS - Janeiro de 2016 - Página 5 Alta dos preços dos combustíveis eleva valor da tarifa do táxi O Novos valores vigoram desde o dia 5 deste mês Editoria de Arte/SP Comunicação ano de 2015 terminou e deixou o reajuste da tarifa do táxi como herança para o Ano-Novo. Desde o dia 5 deste mês está em vigor os novos valores para as Bandeiras “1” e “2”, assim como a Bandeirada (largada do taxímetro). Tudo por conta do aumento médio dos preços dos combustíveis (gasolina, etanol e gás natural veicular) registrados entre os dias 30 de abril e 14 de novembro. Segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), o índice chegou a 10,35%, ultrapassando o limite de 8%, previsto na Lei Municipal nº 11.582, de 21 de fevereiro de 2014. Desta forma o reajuste ficou em 7,82%, conforme a variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas. O valor do quilômetro rodado passou de R$ 2,33 para R$ 2,51 na Bandeira “1”, e de R$ 3,03 para R$ 3,27 na Bandeira “2”. A Bandeirada subiu de R$ 4,66 para R$ 5,02. As demais tarifas do sistema também têm novos valores: hora parada (R$ 17,80), sacola de supermercado (R$ 0,70), volume de mão e mala (R$ 1,45) e grandes volumes e animais de estimação de pequeno e médio porte (R$ 7,05). O pedido de reajuste da tarifa do táxi foi feito pelo Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi) em 12 de novembro e aprovado pelos membros do Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu), durante sessão extraordinária realizada no dia 29 do mês passado. O último reajuste da tarifa do táxi aconteceu em 30 de abril do ano passado. Foi o aumento anual previsto em lei e o índice apontado pelo IGP-M de 3,16%. Prejuízo A EPTC deveria ter concedido o reajuste ainda no decorrer do mês passado e, por decisão unilateral, determinou os novos valores a partir do dia 5 de janeiro desconsiderando o IGP-M de dezembro na ordem de 0,49%. Isto significa que os taxistas perdem R$ 0,01 em cada quilômetro rodado e R$ 0,02 na largada do taxímetro. O índice acumulado do IGP-M é de 8,31%. O presidente do Sintáxi, Luiz Nozari, questiona a demora dos técnicos da EPTC em calcular e autorizar o reajuste da tarifa do táxi. “Nós encaminhamos o ofício em novembro e a EPTC levou mais de 40 dias para dar um parecer e deixou de fora o índice do IGP-M de dezembro causando prejuízo à categoria”, desabafa Nozari. Exigência Taxistas que foram buscar as tabelas complementares reclamaram que os funcionários da EPTC exigiam a quitação antecipada da mensalidade dos rastreadores com vencimento em 10 de janeiro. A diretoria do Sintáxi está apurando o caso, pois se forem confirmadas as denúncias, trata-se de coação por parte dos servidores da EPTC. Isto é ilegal e a direção do órgão municipal terá que responder pelo ocorrido. Novas alíquotas de ICMS forçam aumento no preço dos combustíveis Desde o início de 2016 vigoram as novas alíquotas do Imposto Sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) para gasolina e etanol. Por conta disto, os preços dos dois combustíveis foram reajustados em mais de 8%. O litro da gasolina já é vendido a R$ 3,999 em diversos postos na Capital e, por conta da nova alta dos combustíveis, a diretoria do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi) vai solicitar novo estudo, a fim de verificar se o custo médio da gasolina, etanol e gás natural veicular ultrapassaram o índice previsto na legislação que dispara o gatilho de reajuste do valor da tarifa do táxi, como ocorreu no ano passado. A tarifa do táxi é reajustada a cada 12 meses pela variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas. A lei garante um gatilho quando os combustíveis são reajustados acima de 8%. A EPTC concedeu o reajuste referente aos aumentos nos preços dos combustíveis registrados no decorrer do ano passado, deixando de fora o índice de 0,49% relativo a dezembro. Este percentual ainda poderá ser recuperado num novo cálculo, caso haja outro reajuste na tarifa do táxi nos próximos meses.

[close]

p. 6

JS - Janeiro de 2016 - Página 6 A Aperte o “Botão do Pânico” e espere o socorro em dois tempos regra foi definida no convênio firmado entre o Governo do Estado do Rio Grande do Sul, através da Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP-RS) e a Prefeitura Municipal de Porto Alegre com a Empresa Pública de Transporte e Circulação. Desta forma, toda a vez que um taxista apertar o “Botão do Pânico”, solicitando socorro, o acionamento será verificado por um agente da EPTC e só então, depois que for constatado que se trata de uma emergência, a Brigada Militar entrará em ação. O convênio entre os governos estadual e municipal foi firmado no dia 18 do mês passado, durante cerimônia no Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI), na sede da SSP-RS. Por um lado os taxistas ficam satisfeitos que o convênio tenha sido firmado e a BM passe a atender os pedidos de socorro. Por outro existe a desconfiança do mecanismo de ação, já que um agente da EPTC, que não é especialista na área da segurança, terá que checar se o acionamento do “Botão do Pânico” não foi acidental e se o profissional do volante se encontra numa situação de risco. Este sistema vai atrasar o atendimento em caso de emergência, pois a BM só entrará em ação depois que o agente da EPTC conseguir contatar o permissionário, via telefone fixo ou celular móvel e este entrar em contato com o condutor auxiliar que acionou o botão. Embora o secretário da Segurança Pública do RS, Wantuir Francisco Brasil Jacini, evite comentári- Autoridades públicas e taxistas convidados acompanharam a cerimônia de assinatura do convênio na sede da SSP-RS Tomás Sá Pereira Filho/SP Comunicação os, a defasagem de policiais militares impede ações amplas e preventivas e, para socorrer quase 4 mil carros e mais de 10 mil taxistas, sem confirmar os casos de emergência, não é possível manter o convênio. Como a confirmação do acionamento do dispositivo de emergência será feito via telefone, o ideal é que cada permissionário combine uma fala ou frase codificada, a fim de confirmar que o condutor do táxi se encontra numa situação de risco de vida. O diretor Administrativo do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi), Adão Ferreira de Campos, entende que a assinatura do convênio entre o Estado e o município traz benefício aos taxistas, mas ele espera que não ocorra nenhum problema por conta da confirmação que deverá ser feita, toda a vez que o “Botão do Pânico” for acionado. “Se o taxista está sendo assaltado, raptado, fica ferido, ou sofre um mal súbito, ele vai acionar o dispositivo na esperança de receber o socorro imediato por parte da BM, mas se a EPTC ainda fará contato com o permissionário e, só depois é que o condutor auxiliar será procurado, existe o risco de se perder uma vida, por conta deste processo burocrático”, comenta Adão Campos. O diretor Administrativo do Sintáxi acredita que este processo deverá ser alterado com o passar do tempo e a SSP-RS e a EPTC deverão criar uma sistemática de confirmação mais rápida e efetiva, reduzindo o tempo de espera do socorro. Por enquanto é apertar o “Botão do Pânico” e esperar a confirmação, para receber auxílio em situações de risco.

[close]

p. 7

JS - Janeiro de 2016 - Página 7 A Segurança em táxi, ônibus e lotação é tema de debate em Comissão na AL-RS mudanças na legislação para acabar com a impunidade e a síndrome do “não dá nada”. Ele criticou a falta de estrutura para os policiais investigarem crimes e a colocação de presos provisórios em delegacias distritais (DP’s). Quanto à proposta do deputado de criar delegacia específica para crimes no transporte público, o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, delegado Marcelo Moreira afirmou que a demanda será avaliada pelo Chefe da Polícia Civil gaúcha. O diretor disse que há casos em que os motoristas têm receio de reconhecer os assaltantes, temendo represálias. Quanto ao perfil dos criminosos, ele afirmou que são indivíduos que roubam e correm para o interior de vilas. Moreira lembrou que as delegacias especializadas demandam mais agentes para o trabalho de investigação. “Se me perguntarem se nós teríamos pessoal para criar uma nova DP, a resposta seria não”, lamentou. Por enquanto a segurança pública no sistema de transporte público de passageiros seguirá sem efetivo suficiente e investimentos básicos e necessários. criação de uma Delegacia de Polícia para o Combate aos Crimes no Transporte Público foi proposta pelo líder da bancada do PTB na Assembleia Legislativa do RS (AL-RS), deputado Maurício Dziedricki, durante audiência da Comissão de Serviços Públicos. O encontro realizado no dia 10 do mês passado tratou dos assaltos a ônibus, lotações e táxis e também dos atentados aos coletivos através de incêndios registrados em Porto Alegre. Somente na empresa Carris, responsável por 25% das linhas de ônibus na Capital gaúcha, foram mais de 200 assaltos registrados nos coletivos em 2015. “Nos lotações, geralmente o assalto também tem como alvo o passageiro, não só o motorista”, afirmou o gerente executivo da Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação de Porto Alegre (ATL), Rogério Lago. Segundo ele, em muitos casos os assaltantes, quando são presos, acabam liberados antes mesmo das vítimas, durante o registro da ocorrência na Área Judiciária do Palácio da Polícia. O presidente do Sindicato dos Taxistas de Por- Presidente do Sintáxi, Luiz Nozari, falou na audiência na Comissão de Serviços Públicos do parlamento gaúcho Divulgação/Agência AL-RS to Alegre (Sintáxi), Luiz Nozari, afirmou que os assaltos são diários, mas “só aparecem quando matam um colega”. Ele cobrou dos presentes que as discussões sobre o tema costumam não resultar em nenhum efeito prático para a realidade dos taxistas. Em Porto Alegre são 20 mil profissionais que trabalham no transporte público, levando diariamente 1 milhão e 200 mil passageiros. Cobrado por rodoviá- rios e passageiros presentes na audiência, o representante da Brigada Militar, TenenteCoronel Carlos Alberto de Andrade, do Comando do Policiamento da Capital (CPC), afirmou que, muitas vezes, os assaltantes são presos mas acabam liberados. “Estamos fazendo o que é possível dentro do cobertor curto”, declarou numa referência ao decrescente número de brigadianos. O deputado Maurício lembrou o fato de a AL-RS não poder legislar na área criminal, mas se comprometeu a discutir o tema com a bancada federal gaúcha no Congresso Nacional (Câmara dos Deputados e Senado Federal). O parlamentar também cobrou a nomeação de mais policiais civis e militares assim como agentes para a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e técnicos para o InstitutoGeral de Perícias (IGP). Presente no encontro, o ex-chefe de Polícia, Ranolfo Vieira Júnior, defendeu

[close]

p. 8

JS - Janeiro de 2016 - Página 8 P Feliz 2016 para quem gosta de esporte Por enquanto só foram definidas as seleções cabeças de chaves dos quatro grupos. No “A”, Estados Unidos; “B”, Brasil; “C”, México; e “D”, Argentina. A Copa América é disputada entre as dez seleções da América do Sul e, desde 1993, com mais dois convidados completando 12 equipes. No ano passado o evento aconteceu no Chile, que sagrou-se campeão pela primeira vez. O Brasil foi eliminado pelo Paraguai nas quartas de final. Desde 1916 já foram disputadas 44 edições do torneio e o Uruguai é o maior vencedor com 15 títulos, seguido da Argentina, 14, Brasil, oito, Paraguai e Peru, dois cada, Chile, Bolívia e Colômbia todos com um. Venezuela e Equador nunca venceram. Eurocopa O torneio de futebol de seleções do velho continente que já foi definido como: “Copa do Mundo sem as seleções do Brasil e Argentina”, terá mais uma edição com 24 países que se encontrarão na França. A Eurocopa é organizada pela União das Federações Europeias de Futebol (UEFA), o organismo máximo responsável pelo futebol europeu congregando as 54 federações nacionais existentes no velho continente. A Eurocopa é disputada a cada quatro anos desde 1960, quando aconteceu a primeira edição. Alemanha e Espanha são os países mais vitoriosos com três conquistas cada, seguidos da França com duas Euros. A lista traz ainda União Soviética (atual Rússia), Itália, Holanda, Tchecoslováquia (atual República Tcheca), Dinamarca e Grécia com um título cada. O governo francês se prepara para receber as seleções e turistas que circularão pelo país durante os 30 dias de competição. Tudo por conta dos atentados ocorridos no dia 13 de novembro do ano passado em Paris e arredores, promovidos por integrantes do Estado Islâmico (EI). A premiação da Eurocopa também impressiona, pois cada uma das 24 seleções participantes do torneio receberá 8 milhões € [cerca de R$ 36 milhões]. Por jogo será pago 1 milhão € pela vitória [em torno de R$ 4,5 milhões] e 500 mil € em caso de empate [aproximadamente R$ 2,25 milhões]. Jogos Olímpicos O Rio de Janeiro vai ferver com a 31ª edição dos Jogos Olímpicos. Pela primeira vez a principal competição esportiva do mundo chega ao Brasil. A expectativa é de que mais de 12 mil atletas de cerca de 210 países participem do evento. Os Jogos Olímpicos acontecerão entre os dias 3 e 21 de agosto, sendo que a abertura oficial está programada para o dia 5, no Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã. Estarão em disputa mais de 30 diferentes categorias esportivas: atletismo, badminton, basquetebol, box, canoagem, ciclismo, esgrima, futebol, ginástica (artística, rítmica e trampolim), golfe, halterofilismo, handebol, hipismo, hóquei sobre a grama, judô, lutas, nado sicronizado, natação, polo aquático, pentatlo moderno (hipismo, esgrima, natação, tiro esportivo e corrida), remo, râguebi, saltos ornamentais, taekwondo, tênis, tênis de mesa, tiro, tiro com arco, triatlo (natação, ciclismo e corrida), vela, vôleibol e vôleibol de praia. Jogos Paraolímpicos De 7 a 18 de setembro o evento será realizado no Rio de Janeiro. Cerca de 4 mil atletas de mais de 170 países deverão participar dos Jogos Paraolímpicos. O principal objetivo da competição é a inclusão social de todos através do esporte, respeitando os limites da cada atleta. Em 1945 o médico alemão, Ludwig Guttmann, usava o esporte na reabilitação física dos soldados feridos na Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O sucesso foi tanto que em 1948 aconteceu a primeira competição internacional para atletas com deficiência física na Inglaterra. Em 1960, foi realizada a primeira edição oficial dos Jogos Paraolímpicos, em Roma, na Itália. ara quem gosta de esporte, especialmente futebol, 2016 será perfeito. Três grandes competições esportivas vão agitar os meses de junho, julho e agosto. Nos Estados Unidos, de 3 a 26 de junho, acontecerá a Copa América, o mais antigo torneio de futebol de seleções do mundo, que celebrará os 100 anos - a primeira edição aconteceu em 1916. Serão 16 seleções (10 da América do Sul e seis representantes das Américas Central e do Norte). Na França, de 10 de junho a 10 de julho, 24 países disputarão a Eurocopa. De 3 a 21 de agosto o Rio de Janeiro sediará a 31ª edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. “Prato cheio” para quem gosta de esporte e suas diversas modalidades como: vôlei, basquete, tênis, atletismo e claro, futebol masculino e feminino. Quem não tiver condições de viajar ao Rio de Janeiro, Estados Unidos ou França poderá acompanhar tudo pela televisão. Os canais abertos Bandeirantes, Globo (RBS TV) e Record, assim como os de TV por assinatura, Band Sport, ESPN Brasil, Fox Sport e SporTV transmitirão estes eventos esportivos que agitarão o ano de 2016, sendo que o SporTV prepara uma transmissão especial dos Jogos Olímpicos com 16 canais em alta definição utilizando a estrutura do Premiere (canais do pay-per-view do futebol). É só preparar a pipoca, gelar a cerveja, encilhar o mate, reunir os amigos e ligar a TV para assistir ao melhor do esporte no Brasil e no mundo. Copa América Para celebrar o centenário da Copa América será realizada uma edição especial do torneio e, pela primeira vez, unificando todo o continente com as duas confederações, a da América do Sul (Conmebol) e das Américas Central, do Norte e Caribe (Concacaf). Serão 16 seleções divididas em quatro grupos. O sorteio das chaves será realizado em data e local a serem definidos pela comissão organizadora do evento.

[close]

p. 9

JS - Janeiro de 2016 - Página 9 Parque Deodoro, um dos locais onde acontecerão as competições dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro André Motta/Divulgação/Brasil2016.gov.br Problemas para organizar os eventos no Brasil, EUA e Europa Apesar do glamour dos três eventos, seus organizadores tiveram muitas dificuldades para promovê-los e realizá-los. Tudo por conta de escândalos e supostos desvios de verbas oriundas de patrocinadores. A edição centenária da Copa América, visando reunir todo o continente, correu o risco de não acontecer, pois os Estados Unidos, país-sede do evento, quase desistiu de promover a competição. Tudo por conta do escândalo que cerca a entidade máxima que representa o futebol mundial: a Federação Internacional de Futebol e Associados (Fifa). Problemas semelhantes na União das Federações Europeias de Futebol (UEFA), organizadora da Eurocopa, que teve seus dirigentes afastados por determinação da justiça. No Brasil, a realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos também enfrenta problemas com as obras que estão em andamento no Rio de Janeiro. Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta a demora do Plano de Legado da Olimpíada, especialmente das arenas esportivas. O custo da realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Rio de Janeiro passa de R$ 38 bilhões. Segundo o relatório do TCU, a manutenção destas arenas esportivas, depois dos eventos é muito cara e a tendência é de que virem “elefantes brancos”. A Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, produziu dois “elefantes brancos” que estão atirados: as arenas Pantanal e Amazonas, que correm o mesmo risco do Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro, inaugurado em 30 de junho de 2007, custou cerca de R$ 380 milhões e está fechado desde o ano passado, pois precisa de reformas estruturais. Roubos, escândalos, propinas, faturamentos, entre outros formam um “jogo sujo” que mancha a força e a qualidade do esporte, seja futebol ou Olimpíadas com suas inúmeras modalidades. O torcedor gostaria de poder ligar o televisor da sala, ao lado de familiares, vizinhos e amigos, para assistir o melhor do esporte. Torcer e se emocionar com os jogos e as competições esportivas, mas, infelizmente, precisa conviver com uma competição paralela, realizada longe dos gramados, ginásios e arenas esportivas. Neste jogo todos perdem. Por isso, é necessário “virar a mesa” no sentido positivo, a fim de que o esporte volte a brilhar, levando a emoção da vitória para todos os torcedores. A centenária Copa América Fotos Divulgação A Eurocopa com sotaque francês

[close]

p. 10

JS - Janeiro de 2016 - Página 10 O Taxistas precisam estar atentos na troca do taxímetro atende o disposto no decreto, desta forma, o condutor poderá desligar o taxímetro inúmeras vezes que não será registrado no painel instalado na EPTC. Os testes foram acompanhados por representantes da EPTC, Show Tecnologia e de uma empresa que comercializa taxímetros na Capital. “Todos têm ciência dos problemas que ainda demandam ajustes no equipamento oferecido para que possamos autorizar a instalação do mesmo”, comenta Zigomar. O fabricante do taxímetro marca Mig x7 deve providenciar os ajustes o quanto antes, pois desde o dia 4 deste mês a EPTC está exigindo a troca dos equipamentos dos demais veículos que já operam no sistema. Os taxímetros precisam ter duas entradas, uma para o acoplador do rastreador e outra para a instalação da impressora. Duas lojas em Porto Alegre comercializam o AT Evolution, o único aparelho disponível no mercado e que atende as exigências da lei. O monitoramento da frota de táxi em tempo real está previsto na Lei Municipal nº 11.466, de 29 de julho de 2013. taxímetro da marca Mig x7 não foi aprovado pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), conforme a Resolução nº 5/2015, em vigor desde o dia 1º de dezembro do ano passado. De acordo com os estudos realizados pelos técnicos do órgão municipal o equipamento apresenta dois problemas que precisam ser sanados pelo fabricante para que possam ser liberados. O tarifário deve ser automático sem a intervenção do motorista, além disto, o taxímetro pode ser desligado a qualquer momento e as informações deixam de ser transmitidas em tempo real. Por enquanto apenas o táximentro AT Evolution preenche todos os requisitos previstos na legislação em vigor. O gerente de Transportes da EPTC, Zigomar de Souza Galvão, explica que a bandeira automática “1” ou “2” é selecionada pelo taxímetro que dispõe de calendário e relógio internos. O condutor do táxi apenas liga o aparelho e o mesmo identifica qual o tarifário que será utilizado. Para o caso do apontamento do número de desconexões sofridas o equipamento não

[close]

p. 11

JS - Janeiro de 2016 - Página11 ão é piada! Taxistas que deveriam transportar passageiros pelas ruas de Porto Alegre estão cometendo diversos crimes como desordem, brigas, assaltos e homicídio. O vendedor ambulante, Geovani Pereira de Melo, 35 anos, foi morto na manhã do dia 16 deste mês, próximo de sua residência na Rua Ildefonso Pinto, no Morro Santa Teresa, zona Sul da Capital, com dois disparos de arma de fogo. O autor do crime é um taxista que está preso. A titular da 6ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (6ª DHPP), delegada Elisa Ferreira de Souza, não quis revelar o nome do suspeito, mas disse que as imagens das câmeras de monitoramento de trânsito da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) foram fundamentais para identificar os prefixos e as placas dos táxis envolvidos na perseguição do Centro Histórico até o Morro Santa Teresa, onde Geovani Melo acabou sendo morto. O vendedor de tapetes e peças artesanais à domicílio, Geovani Melo saiu de uma boite localizada na Rua N Taxistas são acusados de diversos crimes contra a sociedade como assaltos, roubos e homicídio Marechal Floriano, no Centro Histórico, por volta das 5h, acompanhado de uma adolescente de 14 anos. Ele dirigia uma caminhonete Mitsubishi Pajero. De acordo com relato da jovem à polícia, Melo teria se incomodado com buzinadas de um taxista. Os dois discutiram. O condutor do táxi teria chamado três colegas, que saíram atrás do ambulante, segundo informou a menina à polícia. A perseguição por sete quilômetros durou cerca de 15 minutos. Melo teria tentado fugir do comboio, entrando em um acesso em declive - com espaço para passar apenas um carro -, perto de onde morava, na entrada de um beco na Rua Ildefonso Pinto. Ao reduzir a velocidade para manobrar a caminhonete, teria sido barrado pelos taxistas. Dentro do carro, conforme a testemunha, o ambulante levou socos, e um dos perseguidores sacou uma arma e atirou duas vezes, acertando a cabeça e a perna esquerda do ambulante. Desgovernada, a caminhonete percorreu o beco por cerca de 10 metros, batendo contra paredes, até parar atravessada. Familiares escutaram os tiros e o estrondo do carro. Correram até o local, mas não visualizaram os agressores, e encontraram Melo já sem vida. Ao lado dele estava a adolescente. A delegada Elisa Souza disse que os outros dois taxistas que participaram da perseguição já foram identificados e estão foragidos. A EPTC aguarda o andamento do inquérito para cassar as licenças dos três taxistas. Briga No início da madrugada do dia 16 deste mês um grupo de taxistas se envolveu numa briga com os funcionários do Estacionamento Fontana, localizado na Rua General Lima e Silva, próximo da Rua Joaquim Nabuco, bairro Cidade Baixa, zona Central de Porto Alegre. Moradores vizinhos ao estacionamento gravaram imagens que foram disponibilizadas no site do jornal Zero Hora, mostrando os taxistas tentando invadir o local, enquanto os funcionários revidavam. A briga começou depois que um funcionário daquele estabelecimento comercial pediu que o taxista retirasse seu veículo que estava parado junto ao portão do estacionamento impedindo o acesso de um cliente. “O taxista parou na frente da garagem e foi pedido para tirar o táxi porque tinha um mensalista chegando.” O relato é de Leandro Carneiro, funcionário do estacionamento. Junto a outros colegas, o homem teria tentado invadir o local, portando barras de ferro, e agredido os funcionários. Alexandre Carneiro, irmão de Leandro, que também trabalha no estabelecimento, sofreu lesões em uma das mãos e no rosto. Ele foi levado ao Hospital de Pronto Socorro (HPS) para atendimento. Taxista assaltante O taxista Andrey Rodrigues Polla, 24 anos, foi preso na noite do dia 23 do mês passado, depois de assaltar seus passageiros na zona Norte de Porto Alegre. Ele trabalhava como motorista de táxi há pelo menos oito meses e usava uma pistola de brinquedo para atacar as vítimas dentro do veículo. A policia chegou até ele depois que duas pessoas que foram assaltadas ligaram para a Brigada Militar, e informaram a placa e o prefixo do veículo. Os policiais começaram a monitorar o trajeto feito pelo veículo através do sistema de monitoramento instalado nos táxis pela EPTC. O taxista foi preso no cruzamento das avenidas Oscar Pereira e Coronel Aparício Borges. Além dele, a polícia prendeu também Charles Moura da Silva, de 27 anos, que ajudava a abordar as vítimas. Para o presidente do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi), Luiz Nozari, estas pessoas são marginais travestidos de taxistas. É importante que sejam identificados, presos, respondam por seus crimes e tenham suas licenças cassadas pela EPTC e, se houver algum permissionário envolvido nesses crimes, que tenham a permissão revogada, conforme determina a lei em vigor. “O poder público tem ferramentas que permitem fiscalizar, identificar e afastar estes suspostos taxistas que mancham a imagem da categoria perante à opinião pública. Não queremos este tipo de gente, bando de marginais, bandidos que não deveriam ser chamados de taxistas”, desabafa Nozari.

[close]

p. 12

JS Janeiro de 2016 - Página 12 Sintáxi e Defensoria Pública debatem o Uber em Porto Alegre Sempre é tempo de ajudar Quando chega o período das férias existe um senso comum de que todos ficam felizes, mas isso é uma falsa percepção e, o pior, torna-se uma pressão social às pessoas que não sentem essa felicidade toda. Há situações nas quais a pessoa simplesmente não consegue se sentir feliz, está longe da família, perde o status social ou fica inseguro quanto ao futuro e essa realidade interna não está de acordo com o desejado pela sociedade. Nessa hora fica fácil se desestabilizar, deixar a pressão interna falar mais alto e estourar, como uma bexiga de ar colocada sob o sol forte. O Centro de Valorização da Vida (CVV) presta um serviço gratuito e realizado exclusivamente por voluntários, oferecendo apoio emocional às pessoas que sentem necessidade de conversar de forma aberta e acolhedora, sem receber críticas, julgamentos ou cobranças, seja por telefone, skype, chat, e-mail, carta ou pessoalmente. O CVV auxilia no apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. São mais de 1 milhão de atendimentos anuais, realizados por cerca de 2.200 voluntários em 18 estados, mais o Distrito Federal, pelo telefone 141 (24 horas), pessoalmente (nos 72 postos de atendimento) ou pelo site www.cvv.org.br via chat, VoIP (skype) e e-mail. No Rio Grande do Sul o telefone é 188, ligação gratuita mesmo de celular. Outras informações sobre o CVV podem ser obtidas na nossa página www.cvv.org.br.,www.facebook.com/cvv141, portoalegre@cvv.org.br, ou setembro.amarelo.rs@gmail.com. O CVV está ao lado de todos nas 24 horas do dia. Sempre que precisar, busque nosso apoio e carinho. Nós estamos prontos para te ouvir sempre que precisares. O Encontro aconteceu na Defensoria Pública Tomás Sá Pereira/SP Comunicação Uber opera de forma irregular em Porto Alegre, desde o dia 19 de novembro do ano passado e no dia 15 de dezembro a Defensora Pública, Patrícia Kettermann, recebeu a visita do presidente e do diretor Administrativo do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi), Luiz Nozari e Adão Ferreira de Campos, para tratar do assunto. O objetivo da Defensoria Pública é buscar uma solução de consenso entre taxistas e motoristas parceiros da Uber, evitando brigas e confusões nas ruas da cidade. Os dirigentes do Sintáxi explicaram o funcionamento do sistema de táxi da Capital gaúcha, esclarecendo que a Uber deixou de lado uma parte da população sem acesso ao aplicativo, já que estes não têm conta bancária, cartão de crédito, smartphone e a cesso à internet. Enquanto isso os taxistas precisam atender a todos sem discriminação, inclusive cadeirantes. Já a Uber não se sujeita às regras determinadas pela legislação. Por conta disto, o Sintáxi sugeriu o credenciamento de 500 carros da frota de táxis para atendimento especial, conforme o sistema da Uber, criando uma nova opção aos usuários que buscam um serviço diferenciado. Vitor Alfredo Stumpf Voluntário do CVV

[close]

p. 13

JS - Janeiro de 2016 - Página 13

[close]

p. 14

JS - Janeiro de 2016 - Página 14 PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS Tarefa escolar corrigida na aula seguinte Aponto Faz traços em Coberto com capa www.coquetel.com.br Período de 90 dias © Revistas COQUETEL Herói indígena (Lit.) Barulho do (?) Seixas, relógio cantor Noticiar (na TV) Redução; queda (de preços) Fruto vermelho e doce Urbano Loes, ator brasileiro Luiz Carlos, líder do "Raça Negra" O cheque do crediário Pouco comum Transtorno ObsessivoCompulsivo (sigla) Derrama lágrima Vogal do masculino Sem dinheiro; quebrado (gíria) Transferido (de data) O "U" de EUA Chupar a bebida pelo canudo Propósito do frequentador da sauna Ração seca que se dá ao gado Desacompanhado; sozinho Cortar em pedaços (o papel) Pequena embarcação a remo Sérgio Reis, cantor sertanejo 4/feno — peri. 5/baixa — quica — risca. 6/rasgar. Deslizar com o próprio peso Emílio Santiago, cantor brasileiro Capazes; habilitados Pula (a bola) Boné de soldado Dirigida; governada Consoantes de "toga" BANCO 7 Solução T T R A B B A L C H O D F E C A S R A U N I D O S I N D I C O M E U N C X A P R A A D R O O Q A I U C G A R P I S T R E C I A R A Q U I U L E R E S T O C I A D O Q R S U A R U E P E G T G A N O A R S R O leite disse para o vinho: - Eu sou tão doce e tu és azedo! O vinho respondeu: - Ah é? Mas minha mãe é uma uva e a tua é uma vaca! O sujeito entra na loja de produtos veterinários e diz ao vendedor: - Quero um remédio para pulgas. - Pois não. De que mal elas sofrem? A mãe pergunta para seu filho: - Onde foi parar a maçã que estava aqui na mesa? O filho responde: - Dei para um menino faminto. A mãe pergunta: - Quem era esse menino? E o garoto diz. - Eu, mamãe. Um casal de namorados estavam bem à vontade. De repente, a garota pede ao rapaz: - Diz no meu ouvido algo que me deixe louquinha. Então, ele diz: - Tu estás gorda! Um amigo chega para o outro e diz: - Tenho uma notícia boa e outra ruim. Qual tu queres ouvir primeiro? - Conte primeiro a ruim. - A ruim é que não tem notícia boa. - E a boa? - A boa é que não tem notícia ruim. O recenseador visita uma residencia e colhe alguns dados com o morador: - Nome? - Adão. - E o da esposa? - Eva. - Que coincidência, tu és Adão e tua esposa, Eva! E a serpente, será que vive aqui também? - Ah, vive sim! Só um instante... sogrinha, estão te chamando! O casal de brasileiros entra em um restaurante, em Portugal, que tem uma linda vista para um grande e charmoso rio e pergunta ao garçom: - Podemos sentar naquela mesa com vista para rio? E o garçom responde: - Acho melhor sentarem nas cadeiras!!!

[close]

p. 15

JS - Janeiro de 2016 - Página 15 R Usuários já podem avaliar a qualidade do serviço prestado pelos taxistas Por meio do canal os usuários poderão identificar todos os taxistas que prestam serviço em Porto Alegre. Ao todo são 3.920 táxis cadastrados, mais de 10 mil condutores credenciados, todos os carros possuem botão de pânico e são monitorados nas 24 horas do dia. Com a informação do prefixo do veículo o passageiro pode encaminhar uma avaliação sobre o atendimento prestado pelo condutor. No site é possível ver as fotos do permissionário e dos motoristas credenciados naquele táxi, para avaliação. Em caso de denúncia, o sigilo é garantido. A análise do caso pode resultar em advertência até a perda da licença do táxi. A criação deste canal de comunicação é uma resposta do poder público municipal à chegada do aplicativo Uber em Porto Alegre. eclamar ou elogiar o sistema de táxi de Porto Alegre. Duas ações que podem ser feitas em poucos minutos através do site www.eptc.com.br. Desde o dia 17 do mês passado a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) disponibiliza este serviço para os mais de 200 mil passageiros que diariamente utilizam o táxi como meio de transporte. O processo é simples, rápido e pode ser feito em qualquer lugar, basta ter acesso à rede mundial de computadores com notebook, tablet ou smartphone. Mas para acessar o sistema e preencher o formulário é necessário saber o número do prefixo do táxi. O numeral é composto por quatro dígitos que aparecem no luminoso instalado no teto do veículo, nas laterais junto com a faixa azul ou com o selo da vistoria colado no vidro do táxi. Prefeito José Fortunati e secretário Vanderlei Cappellari no lançamento do aplicativo desenvolvido pela EPTC Luciano Lanes/Divulgação/PMPA Balcão de NEGÓCIOS Procura-se táxi para trabalhar * Luís Artur - Turno dia, moro no bairro Santa Isabel, Viamão. Fone: 8513.2699. * Leandro - Turno da noite, moro em Viamão. Fones: 8015.2770 - 9779.5889. * Anderson - Turno dia, moro em Viamão. Fone: 9779.5889. * Gelson - Turno da noite, experiência c/radiotáxi, moro na Lomba do Pinheiro. Fone: 9515.4901. * José Carlos - Turno dia, exp. c/radiotáxi e aplicativos, moro na Agronomia. Fone: 9974.5771. * Eduardo - Turno dia, 1º carteirão, moro no Partenon. Fone: 8245.7159. * Everton - Qualquer turno, moro no Partenon. Fones: 9648.2530 - 8539.7587. * Rodrigo - Qualquer turno, moro na Cavalhada. Fones: 9837.2900 - 3339.9400. * George - Qualquer turno, ou folguista, moro no Cristal. Fone: 8557.7801. * Régis Renan - Preferência p/manhã, 1º carteirão, moro na Medianeira. Fone: 9438.7546. * Carlos Eduardo - Turno dia, moro no bairro Bom Jesus. Fones: 8444.1211 - 9270.1274. * Hélio - Qualquer turno, trabalho sozinho, moro no Centro e tenho box p/guardar o carro. Fone: 9219.1638 - 9101.4239. * Ronaldo - Turno dia, 1º carteirão, moro no Centro. Fone: 30127653 (recados). * Paulo - Qualquer turno, tenho Easy Táxi no celular, moro no Passo D’Areia. Fone: 8614.7392. Permissionário/Arrendatário procura motorista para trabalhar * Vanderlei - Motorista para turno dia, preferência resida zona Sul. Fone: 9913.9680. * Sérgio - Motorista para turno dia. Fone: 8903.2728. * Vanderlei - Folguista sábado (diurno) e domingo (noturno), Bourbon Country. Fone: 9269.2634. Outros * João Batista - Vendo Rádio PX M-130 Motorola completo c/antena e PTT, sintonizado Cooptáxi. R$ 550,00. Fone: 9604.9696. As informações contidas neste espaço são de inteira responsabilidade dos anunciantes. Este espaço é cedido, gratuitamente, para os taxistas associados ao Sintáxi, em dia com suas mensalidades. Para anunciar é necessário se dirigir à secretaria do Sintáxi e preencher o formulário específico.

[close]

Comments

no comments yet