Revista-Comercio-Industria-Marco-2016

 

Embed or link this publication

Description

Revista-Comercio-Industria-Marco-2016

Popular Pages


p. 1

1

[close]

p. 2

Novo complexo da São Francisco Saúde oferece proteção 24 horas aos beneficiários de Araraquara. Responsável técnico: Dr. José Carlos Lucheti Barcelos CRM nº 81.223 O Pronto-Atendimento construído pela São Francisco Saúde já está à disposição dos beneficiários do plano e vem reforçar a rede própria local, que já conta com uma clínica para consultas eletivas em mais de 20 especialidades médicas. Em amplas instalações, de quase 1.000m2 de área e modernos equipamentos, o ProntoAtendimento oferece estrutura e equipe médica à disposição 24 horas por dia, inclusive finais de semana e feriados. O novo prédio conta com salas de recepção, emergência, curativos, procedimentos, imobilização gessada, observação masculina, feminina e infantil, medicação, inalação, Raio-X, laboratório, infraestrutura de suporte e consultórios médicos. ANS - Nº 30209-1 saúde 0800 777 90 70 saofrancisco.com.br Unidade de Pronto-Atendimento de Araraquara: Rua 9 de Julho, nº 5 - Centro (Via Expressa) 2

[close]

p. 3

3

[close]

p. 4

4

[close]

p. 5

5

[close]

p. 6

ÍNDICE CAPA Coxinhas Douradas de Bueno RANKING Triângulo, só um 12° lugar SERVIÇO ACIA implanta SCPC EMPREENDIMENTO Corredor comercial da 36 10 Quinze anos são passados; o pequeno bar do Freitas foi transformado em cartão postal da gastronomia brasileira, graças ao empreendedorismo de Sônia e Paulo Freitas. 15 A ARTESP avaliou a gestão das concessionárias de rodovias no Estado e a Triângulo do Sol, mais familiar a nós por causa da Washington Luís, não foi bem. 18 A Diretoria da Associação Comercial anuncia parceria com a Boa Vista para disponibilizar às empresas associadas, informações cadastrais dos consumidores no SCPC. 22 Em café da manhã, a Bild Desenvolvimento Imobiliário anuncia em Araraquara a construção do Intercity Hotels, na Avenida 36, com 150 apartamentos. Editorial 09 | Jornalista Ivan Roberto Peroni fala do avanço do desenvolvimento econômico local e as dificuldades para se administrar o município. Orla Ferroviária 12 | A CEAGESP talvez tenha que alterar seu sistema operacional quando for implantado o Parque dos Trilhos, às margens da Via Expressa. Inadimplência 26 | Números passados pelo Sincomercio apontam que aumentou em 13% a inadimplência em Araraquara no passado. Tocha Olímpica 48 | Atletas escolhidos para carregar a tocha dos Jogos Olímpicos em julho, descrevem antecipadamente a emoção que estão sentindo. Curso de Endodontia na Unesp Araraquara O curso visa formar Considerando a grande cirurgiões-dentistas evolução da Odontologia especialistas e procura quanto às pesquisas, aos transmitir todas as situações novos materiais e às novas e enfermidades decorrentes técnicas operatórias, o desta especialidade profissional tem necessidade capacitando-os a realizarem de buscar um curso uma endodontia com de aprimoramento da Especialidade que cuida do segurança e eficiência. Cabe especialidade que escolheu, interior do dente ao curso, também, apresentar procurando conhecer todas e ensinar as diversas técnicas e aparelhos as variáveis patológicas de tratamento para se de uso endodôntico oferecidos no mercado. tornar especialista na área. Ajudar ao próximo O Fundo Social de Solidariedade de Araraquara recebeu em fevereiro, doações de alimentos, água e roupas. O material foi arrecadado durante os meses de janeiro e fevereiro, inclusive no carnaval pelos proprietários do Boteco Pé na Cova que doaram 40 cestas básicas. A coordenadoria da Defesa Civil também destinou ao órgão 1.683 litros de água mineral. “Agradecemos a população de Araraquara, sempre sensível no auxílio ao próximo”, disse Zi Barbieri, presidente do Fundo. Você já parou para pensar quanto vale a sua Marca? Não perca tudo o que já foi investido na imagem de sua empresa. Proteja-se! Solicite uma pesquisa de marca gratuita: 0800 703 9009 www.vilage.com.br 6

[close]

p. 7

DA REDAÇÃO Sônia Maria Marques TECNOLOGIA Os drones nas lavouras DESCOBERTA Um tesouro no IEBA E nós, à mercê da Triângulo do Sol Nesta edição estamos focando a posição nada agradável que a Triângulo do Sol, concessionária de rodovias, uma delas a Washington Luís, ocupa no momento, segundo a Artesp. Até agora ela aparece em 12° lugar dentre as 19 que ganharam a concessão no Estado de São Paulo, abastecidas com postos de pedágio. Quer dizer, está abaixo da classificação mediana, péssimo para quem detém uma das mais importantes rodovias do país e coloca essa mesma rodovia apenas entre as nove melhores em termos de qualidade. No contrapé da história a Triângulo do Sol, age politicamente, ao distribuir para prefeituras da região de Araraquara e São Carlos, cerca de R$ 23 milhões em repasses provenientes do ISS-QN, incidente sobre as tarifas de pedágio. Se é imposto, logo é plenamente justo e também dever. Só Araraquara abocanhou desta fatia R$ 3 milhões. Criada em abril de 1998, a empresa diz ter investido até 2014 - R$ 25 bilhões. Ao longo deste período também pesa sobre ela uma série de críticas pelo seu atendimento insatisfatório, estado de conservação das rodovias que administra e o privilégio de ter criado um dos pedágios mais caros do Brasil na extensão da Washington Luís. A Triângulo em seu próprio site se vangloria em estar localizada em uma região marcada pela diversidade de atividades econômicas e com as melhores posições nos quesitos riqueza, escolaridade e longevidade; ela administra 442 quilômetros de rodovias pelos quais são transportados boa parte da produção sucroalcooleira, de laranja e derivados, grãos e têxtil do interior do Estado de São Paulo. Bem ou mal vamos ter que suportá-la até 18/07/2021 ficando sem alternativas no ir e vir na Washington Luís. Mas, por pagar tanto imposto e investir tanto, imaginem o quanto ela faturou... 29 Automatização da agricultura leva os produtores rurais a utilizarem os drones para o monitoramento. A região de Araraquara não fica fora. 56 Aparelhos como essa Máquina Eletrostástica, datatos de 1920, foram encontrados no porão do IEBA por uma pesquisadora que conseguiu recuperá-los. Ergonomia 54 | Como aplicar os conceitos no seu dia a dia. Orientações vêm com o apoio publicitário da Estilo Móveis para Escritrório. Saúde 60 | Zika é o nome dela. Entrevista com o médico Walter Figueiredo avalia a chegada do Aedes e as consequências na cidade. Araraquara faz audiência pública sobre concessão de gás canalizado Em fevereiro aconteceu na Câmara Municipal a audiência pública da Gás Brasiliano, organizada pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp). O encontro teve o objetivo de colher subsídios para a proposta de celebração do quarto termo aditivo ao Contrato de Concessão n° CSPE/02/99, firmado entre o Estado de São Paulo e a Gás Brasiliano Distribuidora, que visa alterar as metas mínimas da exploração de serviços de distribuição de gás canalizado e estabelecer extensões das redes de gás canalizado, atendendo aos municípios de Macatuba, Igaraçu do Tietê, Barra Bonita e Jaú. Participaram os diretores da Arsesp, Marcos Barros (Regulação Técnica e Fiscalização dos Serviços de Energia), José Bonifácio Amaral Filho (Regulação Econômico-Financeira e de Mercado) e Paulo Goes (Relações institucionais). Com sede em Araraquara, a Gás Brasiliano possui em sua área de concessão 927,05 km de rede de gás, distribuídas em 30 municípios, atendendo cerca de 11 mil usuários faturados. O evento foi aberto pelo presidente da Câmara, Elias Chediek. Elias Chediek, abriu o evento EDIÇÃO N°128 - MARÇO / 2016 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Redação: Rafael Zocco Diretor Comercial: Humberto Perez Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Marcos Assumpção, Heloísa Nascimento Design: Carolina Bacardi, Bete Campos, Mário Francisco Pedrolongo Tiragem: 5 mil exemplares Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131 A Revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região * INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 * COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br 7

[close]

p. 8

8

[close]

p. 9

EDITORIAL Neste momento não dá para tapar o sol com a peneira Dentro de um cenário político e econômico estapafúrdio (inacabado, malfeito, aquilo que desajeitadamente tenta um pequeno voo e cai sem graça no chão) que estamos vivendo no País, Araraquara até que tem conseguido atrair os bons olhos dos investidores nacionais e internacionais. Ninguém pode evidentemente tirar do atual prefeito Marcelo Barbieri esta virtude, pois são ações que causarão impacto no futuro, gerando arrecadações e empregos, base fundamental para o desenvolvimento econômico de qualquer município. Ruas e avenidas esburacadas, mato em exagero, também fazem parte deste contexto administrativo e não há como tapar o sol com a peneira e dizer não temos; aliás, não dá nem mesmo para se contemporizar o quadro, quando aos olhos da população saltam as imagens. O prefeito sabe disso e não ignora que é preciso agir, porém, tudo ao seu tempo certo, pois só um louco vai tapar buracos com as chuvas que estão caindo. A vinda da Randon e depois da Hyundai Rotem, é um exemplo recente que se alia a implantação do Intercity Hotels Araraquara trazido pela Bild Desenvolvimento Imobiliário e que erguirá na Avenida 36, um dos principais corredores comerciais da cidade. Podemos dizer, seguramente, que com esses investimentos - citamos apenas três - o município mantém um equilíbrio sócio-econômico interessante em relação a outras cidades e os recursos que se anunciam, a serem aplicados para revitalização das nossas vias públicas - após a passagem das chuvas - mostrarão que vivemos tempos diferentes daqueles em que se era possível dizer todo dia “Araraquara, a cidade mais limpa das três Américas”. Frases assim escapuliram pelos vãos dos nossos dedos, tanto quanto as famosas: “Vivemos no país do futebol”, “São Paulo, a cidade que mais cresce no mundo”, “Rio, Cidade Maravilhosa” ou a mais novinha “Brasil, Pátria Educadora”, solta pela Dilma, deixando transparecer que essa seria a prioridade das prioridades. Não podemos mais ter São Deputado Roberto Massafera, Governador Geraldo Alckmin e Marcelo Barbieri estarão na inauguração da Hyundai Rotem no dia 23 de março Paulo como a “terra da garôa”, com tanta inundação. Nos tempos em que Araraquara era a “cidade mais limpa das três Américas”, o prefeito Rômulo Lupo não tinha tão expressivo número de desafetos políticos dentro de uma comunidade com 60 mil habitantes, quanto o prefeito Marcelo Barbieri. A começar pela Câmara Municipal, onde vereadores naqueles tempos não recebiam salários; eram só dois partidos e havia coerência nas reivindicações que se voltavam apenas para o bem-estar do município. Hoje não, as desavenças extrapolam, o desrespeito acontece até mesmo entre eles e é impossível dimensionar o desgaste do poder Legislativo com reflexos no Executivo, pois ambos estão interligados por uma série de interesses. Não é de hoje que as ações políticas seguem na contramão: ao invés da união de todas as forças para que a cidade se mantenha em destaque e com Poder de obter mais benefícios e investimentos, o foco se centraliza na disputa pelo Poder político, no mando sobre todas as coisas. Isso às vezes desaponta as pessoas que acabam cultuando duas frustrações: a dos que têm poder mas não têm competência para exercer e a dos que têm competência mas não têm poder. Na verdade, ninguém pode contestar a vontade que certamente o prefeito sempre teve de manter a cidade livre dos matagais e também possibilitar a ela uma estrutura econômica capaz de colocá-la em evidência no cenário nacional. Não fez porque não teve como fazer e olha que ele tem interesse nisso, como político. E se tivesse feito seria ele abençoado o tempo todo. Mas não é bem assim. A desgraça econômica neste país vem em efeito cascata pelas mãos de uma política desastrosa e atingirá a próxima administração municipal; o que precisamos é ter orgulho da cidade em que vivemos, pois até nossas vidas passam por uma reconstrução diária. 9

[close]

p. 10

REPORTAGEM DE CAPA Paulo de Freitas e Sônia Maria Ao comemorar 15 anos, as Coxinhas Douradas de Bueno mostram que não são apenas deliciosas e sedutoras dentro da gastronomia regional: elas se tornaram bem afetivas ao longo do tempo e agora acabam de se transformar em lembranças (souvenirs) para quem visita o pequeno distrito de 2 mil habitantes, famoso no país pelo empreendedorismo de Sônia Maria e Paulo de Freitas. A história do Bar e Mercearia Freitas se assemelha à simplicidade de Bueno. Talvez tenha sido esse jeito acaipirado é que deu às coxinhas, o sabor de saudade, pois é impossível esquecêlas num cenário de mesas e cadeiras à sombra das árvores no meio da praça, convivendo com um ambiente de paz e tranquilidade. EU ESTIVE EM As Coxinhas Douradas simbolizam Bueno e a gastronomia regional, tendo sua imagem em canecas, xícaras, guardanapos e chaveiros como uma doce lembrança BUENO Coxinhas Douradas de Bueno Diariamente cerca de 2 mil pessoas passam pelo único corredor comercial do Distrito de Bueno de Andrada: Avenida Dr. Nilo Rodrigues da Silva, uma mistura de via pública com rodovia, na interligação de Araraquara e Matão. Bem no meio do trajeto entre as duas cidades, o Bar e Mercearia Freitas se orgulha de produzir as mais saborosas coxinhas do Brasil, que ganharam fama pela sua crosta dourada nas crônicas do escritor Ignácio de Loyola Brandão, aproximando o lado caipira da culinária regional ao desejo das famílias se juntarem principalmente nos fins de semana para uma viagem de volta ao passado. comemorando 15 anos de sucesso Sônia Maria e Paulo de Freitas, a partir de 2001 apostaram na revitalização de um bar com mais de 50 anos e investiram na produção de coxinhas seguindo técnicas de manipulação. O sabor diferenciado virou propaganda de boca em boca e a casa se transformou em recanto turístico. 10

[close]

p. 11

O Bar e Mercearia Freitas hoje revitalizado e abaixo com apenas duas portas (1978), quando o estabelecimento era dirigido pelo pai de Paulo, Júlio de Freitas Av. Dr. Nilo Rodrigues da Silva, 670 | Bueno de Andrada faleconosco@coxinhasdouradas.com.br | 3335-4176 Foi com esse perfil inovador que eles transformaram Bueno de Andrada em cartão postal e parada obrigatória para degustação das coxinhas em vários sabores: “Além da tradicional coxinha de frango, que é a mais pedida, temos a de queijo e a de carne e muitos outros sabores no cardápio. Nossa equipe tem o cuidado em pesquisar e criar novos sabores para agradar todos os paladares, por isso, desenvolvemos coxinhas especiais, como as sem glúten, que são muito procuradas; as veganas e em breve, teremos as coxinhas de massa integral. Temos que oferecer o melhor e o que seja mais saudável possível”, diz Sônia. Além dessas coxinhas especiais, os clientes e visitantes encontram no Bar e Mercearia Freitas, a coxinha de nutella, que é uma das últimas novidades, muito apreciada por quem gosta de doces. Logo, também, será lançada a coxinha de doce de leite, que promete ser outra delícia. Sônia lembra que hoje, a Coxinhas Douradas possui diversos souvenirs para aqueles que queiram levar uma lembrança, como xícaras, cofrinhos em forma de coxinha, chaveiros (miniatura de coxinha), guardanapos, além da mascote, que é uma coxinha, em miniatura, igual a que está localizada na área de lazer, onde os visitantes aproveitam para tirar fotos e passar horas agradáveis. O Bar e Mercearia Freitas, diante do intenso movimento, agora também está aberto ao público nas segundas-feiras, a partir das 12h até 22h. Nos demais dias o horário de atendimento, é das 8h30 às 22h, lembrando que as Coxinhas Douradas de Bueno aceitam cartões de crédito, que é mais uma comodidade para seus clientes. Quiosque e área de lazer para o público As tradicionais coxinhas de frango Coxinhas de frango e brócolis, sem glúten e sem lactose figuram no cardápio das Coxinhas Douradas de Bueno LINHA BUFFET COM MINI-COXINHAS “A linha Buffet mini-coxinhas é para atender aniversários, festas, além de encomendas. É um projeto desenvolvido com muito carinho, pois a qualidade e o sabor são indispensáveis”. Coxibe com carne e queijo, uma das novidades Um dos espaços do Bar e Mercearia Freitas Coxinhas de bacalhau 11

[close]

p. 12

ESTAÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA ORLA FERROVIÁRIA Exposição aberta até 4 de abril O futuro da Ceagesp co A armazenagem é uma das principais atividades da CEAGESP em Araraquara desde 1973, quando foi criado o entreposto na orla ferroviária; só no ano passado a companhia movimentou cerca de 600 mil toneladas de grãos, vindas de várias partes do país. Qual o impacto que a CEAGESP sofrerá com a implantação do projeto Parque dos Trilhos nos próximos anos? A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais do Estado de São Paulo (Ceagesp) ainda não tem conhecimento oficial sobre a retirada dos trilhos ou Projeto Parque dos Trilhos. Em nota à RCI, a companhia explica que as unidades armazenadoras, na Vila Xavier e Graneleiro, próximo à Avenida Expressa, poderão ser impactadas com a retirada dos trilhos mas não nas atividades atualmente desenvolvidas, já que a maioria das operações de recepção de produtos ocorre via rodoviária. O assunto passou a fazer parte das discussões entre o município e a Ceagesp a partir do mês passado quando aqui esteve o presidente da companhia, Carlos Nabil Ghobril. Ele explicou que veio a cidade para conhecer os imóveis da CEAGESP, sendo este seu primeiro contato com o município após a posse na presidência da unidade, em novembro. Embora o prédio esteja fora do espaço negociado com a ALL, parte dos Mais de 70 mil pessoas já viram o museu em outras cidades No Palacete das Rosas chega um evento que reproduz o conceito central do Museu da Língua Portuguesa. Depois de passar por sete cidades entre 2013 e 2014, a Estação da Língua, exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, retomou sua viagem em 2016, e já está em Araraquara. A mostra é parte das atividades desenvolvidas pelo Museu, paralelamente à sua reconstrução, e fazendo jus à proposta que lhe deu origem: seu acervo é a língua viva, falada por todos os povos de lusófonos, nos seus mais variados sotaques e evoluções. Nos anos anteriores, a exposição itinerante recebeu quase 70 mil visitantes ao estacionar em Santos, Registro, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e São Bernardo. Reproduzindo o conceito central do Museu da Língua Portuguesa, a Estação da Língua tem a interatividade e a tecnologia como veículos para apresentar o nosso idioma. A mostra vai até o dia 2 de abril. São mais de 300 metros quadrados de área expositiva; a exposição montada no Palacete das Rosas também recebe programação paralela à Estação da Língua, como oficinais e atividades especiais. Carlos Ghobril, presidente da Ceagesp trilhos usada como fonte de embarque dos produtos armazenados aos vagões está dentro do parque. O desvio ferroviário ainda está ativo usando a bitola larga para transbordo de produtos destinados à exportação pelo Porto de Santos, contudo quase toda operação na atualidade é realizada através de rodovias. No ano passado a Ceagesp armazenou 530 mil toneladas de soja 12

[close]

p. 13

om o Parque dos Trilhos O ARMAZÉM A armazenagem é uma das principais atividades desenvolvidas pela CEAGESP em Araraquara desde 1973, quando foi criado o entreposto. A companhia sabe que a produção agrícola é a maior riqueza do agricultor e oferece as melhores condições de armazenamento para a safra. A gestão da rede é de responsabilidade do Departamento de Armazenagem (DEPAR). A CEAGESP possui a maior rede pública de armazéns, silos (grandes depósitos, em forma de cilíndro, para guardar produtos agrícolas) e graneleiros (locais que recebem ou abrigam mercadorias a granel) do Estado de São Paulo e uma das maiores do Brasil. São 18 unidades próprias interligadas à malha ferroviária, todas de fácil acesso e instaladas próximas das áreas de produção e escoamento. Contudo, o transporte rodoviário ainda supera o ferroviário. No ano passado passaram pelo entreposto da CEAGESP, cerca de 530 mil toneladas de soja, 1130 toneladas de milho e 11 mil toneladas de sorgo, quinto cereal mais produzido no mundo, antecedido pelo trigo, o arroz, o milho e a cevada. Também ficaram estocadas para embarque cerca de 31 mil toneladas de açúcar. Em relação a 2014, o armazenamento de soja caiu e o de milho subiu. Segundo a CEAGESP, o armazém convencional em Araraquara tem capacidade para armazenar 5,1 mil toneladas; o silo horizontal, 20 mil toneladas; o silo vertical, 5 mil toneladas e o graneleiro, 40 mil toneladas. De acordo com o vereador Elias Chediek, presidente da Câmara, o Parque dos Trilhos pode funcionar independen- O prédio da Ceagesp ao fundo na orla ferroviária e as locomotivas fazendo manobra, cenário que aos poucos vai desaparecer te da CEAGESP, já que a operação ferroviá ria diminuiu drasticamente. “O ideal, com o tempo, é que ele seja transferido para fora da área central e que suas instalações atuais possam ser aproveitadas pelo município. Há estudo preliminar de novos acessos rodoviários ao local, tanto pela atual quanto pela futura via expressa”, diz ele. O traçado hoje mantido pela CEAGESP deverá ser alterado, segundo Chediek 13

[close]

p. 14

AVISO SAT dá prazo para empresas Prazos se encerram em 2017 para postos de combustíveis; intenção do Estado é erradicar falhas de envio. O Sistema de Autenticação e Transmissão (SAT) foi implantado inicialmente no Estado de São Paulo em meados de 2015. Com o intuito de agilizar os processos de envio de informações para a Secretaria da Fazenda, o próprio Estado criou um software que facilitou a vida dos empresários e gerentes no momento de registrar as vendas. Com o SAT, a Redução Z, operação que deve ser realizada no final do expediente do comércio para transmitir as vendas, será inutilizada juntamente com a ECF (Emissores de Cupons Fiscais). Desta maneira, o SAT contabiliza todas as operações realizadas e transfere instantaneamente os resultados para a SEFAZ, quando conectado à internet. Os prazos para as adaptações se iniciaram no dia primeiro de julho de 2015 para postos de combustíveis e agora estão sendo exigidos também para outros estabelecimentos comerciais. Desde o dia primeiro de janeiro de 2016, além dos postos de combustíveis, os hipermercados, supermercados, minimercados, mercearias e armazéns que utilizem ECF com mais de cinco anos desde o primeiro lacre, também devem se adequar. Os comércios que se encaixarem nas opções descritas e que faturem mais de R$ 100 mil ao ano devem adaptar-se ao novo formato. O primeiro dia do ano de 2017 é o prazo final para que todos os postos de combustíveis encerrem de vez o uso do ECF. Cupom modelo emitido pelo sistema SAT. Esses cupons são emitidos pelo sistema SAT com o quadro codificado abaixo, chamado QR Code. O cliente pode fazer a leitura do quadro com um aplicativo do celular e “ler” o cupom na íntegra, saber quanto de imposto pagou, além de legitimar o uso correto do Cupom Fiscal, sendo impossível sonegar impostos. Com a instalação do SAT, um mesmo equipamento pode ser utilizado por vários PDVs, diferente do ECF. A MOURA A Moura Informática, há mais de 25 anos no mercado, está atualizada e saiu na frente com o SAT. Todos os seus softwares estão integrados com o novo sistema. Além disso, a Moura também comercializa os equipamentos, realizam a instalação e fornecem treinamento para os proprietários e colaboradores responsáveis pela operação, com suporte 7 dias por semana, até às 22h. Equipamento SAT da DIMEP 14

[close]

p. 15

VAI MAL Triângulo do Sol, apenas um 12° lugar no ranking das concessionárias paulistas Apesar de usufruir de um dos trechos de pedágio mais caros do país, a Triângulo do Sol não ofereceu em 2014 (premiação 2015) aos seus clientes, serviço de qualidade e sua posição no ranking da Artesp está abaixo da classificação intermediária. A Triângulo do Sol, concessionária que administra a rodovia Washington Luís, ocupou em 2015 o 12º lugar em ranking com 19 administradoras de estradas paulistas divulgado pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Além da via que corta Araraquara, a Triângulo também controla trechos das rodovias Brigadeiro Faria Lima e da SP-333. Na Washington Luís que é a SP 310, vai de São Carlos até Mirassol, com cerca de 326 km. O ranking, de acordo com a Artesp, avaliou a gestão das concessionárias em 2014 e envolveu cinco categorias: segurança rodoviária, melhorias nas rodovias, qualidade dos serviços prestados aos usuários, relacionamento com a sociedade e opinião do usuário. Foi a primeira edição do ranking com esse formato. Para cada categoria, um sistema de pontuação serviu para avaliar os serviços prestados pelas concessionárias. Técnicos da agência e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) elaboraram uma metodologia que leva em conta 20 indicadores. Os dados foram monitorados pelo Centro de Controle de Informações da Artesp. A concessionária que registrou o melhor desempenho foi a Renovias, seguida pela Autoban e a SPVias. Segundo a Artesp, o ranking foi criado como forma de incentivar as concessionárias a adotarem ações que tornem as pistas mais seguras. A agência também divulgou as melhores em cada categoria. A Triângulo do Sol não ficou entre as três primeiras em nenhuma delas. Pedágio da Triângulo rendeu para o município de Araraquara - mais de 3 milhões de reais A Triângulo do Sol informou que está verificando os dados referentes à pontuação do prêmio da Artesp, visando estabelecer, se for o caso, ações de melhoria. Outras duas concessionárias que administram rodovias que passam pela região ficaram em posições melhores. A Vianorte foi a sexta colocada e a Tebe foi a nona. ARARAQUARA RECEBEU 3 MILHÕES DA TRIÂNGULO DO SOL Na região de Araraquara, 16 prefeituras foram beneficiadas com R$ 22,4 milhões em repasses provenientes do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISS-QN), que incide sobre as tarifas de pedágio, no ano de 2015. O valor é superior ao arrecadado no ano anterior, que foi de R$ 22,36 milhões. A verba proveniente do ISS-QN sobre os pedágios é significativa na composição orçamentária das administrações municipais, principalmente em pequenas cidades. Entre os municípios da região, São Carlos é que mais teve arrecadação com o ISS dos pedágios recebendo R$ 3,84 milhões, seguido de Santa Rita do Passa Quatro (R$ 3,73 milhões) e Araraquara (R$ 3,02 milhões). OUTRA PESQUISA No ano passado, a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) divulgou um ranking com as melhores rodovias do país. A Washington Luís, rodovia pedagiada pela Triângulo do Sol, ficou em 9º lugar, posição nada agradável por ter um dos preços de pedágio mais caros do país e com serviço que não consegue ter notas que provem boa qualidade. Ranking da Artesp Concessionárias 1° - Renovias 2° - Autoban 3° - Spvias 4° - Autovias 5° - Rota das Bandeiras 6° - Vianorte 7° - Centrovias 8° - Ecopistas 9° - Tebe 10° - Intervias 11° - Ecovias 12° - Triângulo do Sol 13° - Viaoeste 14° - Via Rondon 15° - Rodovias do Tietê 16° - Colinas 17° - Rodoanel Oeste 18° - Cart 19° - SPMar Principais rodovias José André de Lima (de Campinas a Mococa); Ademar Pereira de Barros (de Mogi Guaçu a Águas da Prata) Bandeirantes e Anhanguera Castello Branco (de Tatuí a Santa Cruz do Rio Pardo) e Raposo Tavares (de Araçoiaba da Serra a Itapetininga) Anhanguera Dom Pedro 1° na região, administra 54,9km da rodovia Armando de Salles Oliveira, de Sertãozinho a Bebedouro Washington Luís (de São Carlos a Cordeirópolis) Ayrton Senna e Tamoios Rodovias José Della Vechia e Orlando Chesini Ometto (SP-323) de Taquaritinga a Pirangi com 44,10km; Brigadeiro Faria Lima (SP-326) de Bebedouro a Barretos com 47,03km; Comendador Pedro Monteleone (SP-351) de Bebedouro a Catanduva com 64,85km Anhanguera Anchieta e Imigrantes Rodovias Washington Luís (SP-310) de São Carlos a Mirassol com 226,50km; Brigadeiro Faria Lima (SP-326) de Matão a Bebedouro com 86,27km; Carlos Tonani, Nemésio Cadetti e Laurentino Macari (SP-333) de Sertãozinho a Borborema com 129,43km Castello Branco e Raposo Tavares Marechal Rondon Marechal Rondon Castello Branco Rodoanel trecho oeste Raposo Tavares Rodoanel trecho sul 15

[close]

Comments

no comments yet