Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Vera Lúcia Campos Martins Maria José Ataide Mendes Rafael Belém de Sarges Renan Augusto Figueiredo Nunes Helena Joseane Raiol Souza Douglas Bastos Brandão Regina Célia Viana Martins-da-Silva Embrapa Brasília, DF 2015

[close]

p. 4

Embrapa Amazônia Oriental Tv. Dr. Enéas Pinheiro, s/n. CEP 66095-903 – Belém, PA Caixa Postal 48. CEP 66017-970 – Belém, PA Fone: (91) 3204-1000 Fax: (91) 3276-9845 www.embrapa.br www.embrapa.br/fale-conosco/sac Unidade responsável pelo conteúdo e pela edição Embrapa Amazônia Oriental Comitê Local de Publicação Presidente: Silvio Brienza Júnior Secretário-Executivo: Moacyr Bernardino Dias-Filho Membros: Orlando dos Santos Watrin Eniel David Cruz Sheila de Souza Correa de Melo Regina Alves Rodrigues Luciane Chedid Melo Borges Supervisão editorial Luciane Chedid Melo Borges Revisão de texto Narjara de Fátima Galiza da Silva Pastana Normalização bibliográfica Luiza de Marillac P. Braga Gonçalves Projeto gráfico, ilustrações, capa e editoração eletrônica Vitor Trindade Lôbo 1ª edição Publicação digitalizada (2015) Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei nº 9.610). Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Embrapa Amazônia Oriental Tipos nomenclaturais do Herbário IAN da Embrapa Amazônia Oriental / Vera Lúcia Campos Martins ... [et al.]. – Brasília, DF : Embrapa, 2015. PDF (v. 3, 102 p.) ; 15 cm x 21 cm. ISBN 978-85-7035-525-6 1. Plantas - Herbário – Classificação. 2. Leguminosae (Fabaceae). 3. Instituto Agronômico do Norte – Herbário – Acervo. I. Martins, Vera Lúcia Campos. II. Embrapa Amazônia Oriental. CDD (21 ed.) 580.7428115 © Embrapa 2015

[close]

p. 5

Autores Vera Lúcia Campos Martins Bióloga, mestre em Ciências Biológicas (Botânica), Museu Nacional (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ Maria José Ataide Mendes Graduanda em Agronomia, estagiária da Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA Rafael Belém de Sarges Engenheiro-agrônomo, Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Belém, PA Renan Augusto Figueiredo Nunes Graduando em Ciências Biológicas, estagiário da Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA Helena Joseane Raiol Souza Química-industrial, especialista em Oleoquímica, analista da Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA Douglas Bastos Brandão Técnico em Florestas, estagiário da Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA Regina Célia Viana Martins-da-Silva Bióloga, doutora em Ciências Biológicas (Botânica), pesquisadora na Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA

[close]

p. 6



[close]

p. 7

Agradecimentos Ao NatData – Plataforma de Recursos Naturais dos Biomas Brasileiros: Integração, Sistematização e Disseminação de Dados e Informações para Sustentabilidade e Competitividade da Agricultura (Macroprograma Embrapa 02.10.04.002.00.00), pelas bolsas concedidas aos autores Rafael e Maria. À Iniciativa Global de Plantas (GPI), pelas bolsas concedidas aos autores Renan e Douglas. Ao Projeto Reflora – Integração, Qualificação e Disponibilização dos Dados Relacionados com Coletas Botânicas na Amazônia Brasileira, pela disponibilização de equipamentos de informática. Ao Projeto Aprimoramento do Sistema de Informação das Coleções Biológicas da Embrapa Amazônia Oriental (Edital da Funape Concurso nº 003/2012 – Funape/UFG/MCTI, Processo nº 7774/2012), pela disponibilização de equipamentos de informática. Ao Dr. Jorge Fontelle Pereira e à Dra. Luci Senna Vale, do Departamento de Botânico do Museu Nacional/UFRJ, pelas críticas e sugestões ao texto. Aos funcionários do Laboratório de Botânica da Embrapa Amazônia Oriental, pela localização dos exemplares analisados, e a José Ribamar dos Santos (Pelé), funcionário da biblioteca da Embrapa Amazônia Oriental, pela obtenção das fontes internacionais. Aos funcionários da biblioteca do Museu Nacional do Rio de Janeiro, em especial a Antônio Carlos Gomes Lima, pela ajuda em localizar a bibliografia.

[close]

p. 8



[close]

p. 9

Apresentação Este trabalho dá prosseguimento à organização e divulgação dos tipos nomenclaturais do Herbário IAN da Embrapa Amazônia Oriental, sendo o terceiro volume a ser publicado no formato de livro. O primeiro tratou da compilação contendo atualizações de dois volumes publicados na série Documentos (273 e 387) da Embrapa Amazônia Oriental sobre os tipos nomenclaturais do Herbário IAN dessa Unidade. Nesse volume, foram reunidos 1.316 exemplares, circunscritos em 805 táxons, pertencentes a 57 famílias botânicas. No segundo volume, foram tratados 321 táxons, distribuídos em 20 famílias, totalizando 525 exemplares. O presente volume apresenta 249 táxons referentes a 381 exemplares da família Leguminosae (Fabaceae). A divulgação dos exemplares tipos contidos no acervo desse herbário visa ao avanço científico no conhecimento da diversidade vegetal brasileira, pois, durante as revisões taxonômicas, os tipos são consulta obrigatória e a sua localização torna-se tarefa árdua para os taxonomistas. Adriano Venturieri Chefe-Geral da Embrapa Amazônia Oriental

[close]

p. 10



[close]

p. 11

Sumário Introdução .................................................................................................13 Metodologia .............................................................................................14 Resultados ..................................................................................................15 Leguminosae (Fabaceae) ................................................................................... 15 Abarema ...............................................................................................................15 Aeschynomene ..................................................................................................15 Aldinia ...................................................................................................................17 Andira ....................................................................................................................17 Bauhinia ................................................................................................................19 Bocoa .................................................................................................................22 ....................................................................................................24 ....................................................................................................36 Calliandra .............................................................................................................23 Campsiandra Cassia Copaifera Crotalaria Cynometra Dalbergia Deguelia Dicymbe Dioclea Elizabetha Clathrotropis .................................................................................................................25 ...........................................................................................................36 ...........................................................................................................39 ......................................................................................................39 ............................................................................................................41 ............................................................................................................41 ...........................................................................................................41 .................................................................................................42 ............................................................................................................43 ..........................................................................................................46 .....................................................................................................47 Dimorphandra Diplotropis ..........................................................................................................45 Enterolobium Eriosema Erytrhrina Exostyles Harpalyce Eperua ..................................................................................................................48 .............................................................................................................49 ............................................................................................................51 ..........................................................................................................51 ..........................................................................................................51

[close]

p. 12

Henriettea ................................................................................................................52 Hymenaea ................................................................................................................52 Hymenolobium Inga Klugiodendron Leptolobium Machaerium ....................................................................................................53 ..................................................................................................57 ........................................................................................................57 ......................................................................................................58 ..................................................................................................................54 Lupinus ....................................................................................................................58 Macrolobium ...........................................................................................................59 Martiusia ...................................................................................................................63 Millettia ........................................................................................................................63 .................................................................................................69 Mimosa ....................................................................................................................64 Moldenhawera Monopteryx Ormosia Parkia Ormosiopsis ...........................................................................................................69 ......................................................................................................74 ................................................................................................................70 ..................................................................................................................74 Peltogyne ...........................................................................................................77 Periandra ...........................................................................................................79 Petaladenium .........................................................................................................79 Phanera ...........................................................................................................79 Pithecollobium Poencilanthe Pseudopiptadenia ...................................................................................................80 ..........................................................................................................81 ...............................................................................................82 Pterocarpus ............................................................................................................82 Recordoxylon ..........................................................................................................82 Sclerolobium ...........................................................................................................83 Senegalia .................................................................................................................85 Senna ...................................................................................................................87 ..........................................................................................................87 Stizolobium Stryphnodendron...............................................................................................87 Swartzia .................................................................................................................88 Tachigali ...........................................................................................................97 Vataireopsis ...........................................................................................................98 Zollernia ...........................................................................................................98 Zornia .........................................................................................................................99 Referências ............................................................................................100

[close]

p. 13

Introdução Tipos nomenclaturais de um herbário são os exemplares mais importantes do acervo, pois serviram de base para a descrição original de um táxon. Dessa forma, tornamse documentos histórico-cientí�icos importantíssimos que, juntamente com a obra prínceps, comprovam a proposta de um novo táxon para a ciência. Durante as revisões taxonômicas, a análise desses exemplares torna-se obrigatória e os taxonomistas despendem muito tempo tentando localizar em que herbário eles se encontram. Nesse contexto, optou-se por divulgar os exemplares tipo que estão depositados no acervo do Herbário IAN. Esse herbário está localizado no Município de Belém, PA, e, atualmente, encontrase sob a responsabilidade da Embrapa Amazônia Oriental. Fundado em 1945, pelos botânicos João Murça Pires e William Archer, conta, até o presente, com um acervo de 193 mil exsicatas; coleção de tipos com aproximadamente 3 mil exemplares; xiloteca formada por 8 mil amostras de madeira; fototeca com 30 mil fotogra�ias de tipos; carpoteca com 700 frutos desidratados e 289 em meio líquido, 321 �lores em meio líquido, sementes de 191 coletas, 54 plântulas em meio líquido e 65 desidratadas. Renomados botânicos contribuíram para a formação desse patrimônio cientí�ico, como G.A. Black, D.C. Daly, A. Ducke, R. de L. Fróes, A.M.F. Glaziou, J.M. Pires, G.T. Prance, dentre outros. Seu acervo encontra-se em processo de organização com o intuito de localizar, por meio de pesquisa na literatura especí�ica, tipos nomenclaturais; classi�icá-los e divulgar a localização destes visando subsidiar estudos taxonômicos. O presente trabalho é o terceiro volume que trata dos tipos nomenclaturais do Herbário IAN, no qual se apresenta a família Leguminosae (Fabaceae), com 381 exemplares pertencentes a 249 táxons infragenéricos 13

[close]

p. 14

Metodologia Utilizou-se a mesma metodologia adotada no primeiro e no segundo volume dos tipos nomenclaturais do Herbário IAN (MARTINS et al., 2006, 2012, 2015a, 2015b), a qual constou das seguintes atividades: • • • • • • Levantamento, no herbário, dos espécimes que continham alguma informação (n. var., n. sp., tipo, etc.) que indicasse tratar-se de um provável “tipo” nomenclatural. Espécimes coletados, anteriormente à data de publicação do respectivo táxon, foram separados como prováveis tipos. Consulta às obras de referência para a localização dos trabalhos originais. Cada exemplar separado como provável tipo teve seu status conferido na obra prínceps do respectivo táxon. Caracterização dos “tipos” com base nos protólogos e nos dados contidos nas etiquetas (schedulae), de acordo com o Código Internacional de Nomenclatura para algas, fungos e plantas (MCNEILL et al., 2012). A caracterização dos tipos apresentados foi baseada nos nomes escritos nas etiquetas do herbário, não se discutindo sobre a aplicação correta dos nomes, que podem ser sinônimos ou não. Organização dos dados obedecendo à seguinte ordem: nome cientí�ico, autor abreviado segundo Brummitt e Powell (1992), citação abreviada da obra prínceps de acordo com Taxonomic Literature (STAFLEU; COWAN, 1983) e dos periódicos segundo Botânico-Periodicum-Huntianum (LAWRENCE et al., 1968) e Botanicum-Periodicum-Huntianum/Supplementum (BRIDSON; SMITH, 1991), transcrição da citação do “tipo” como consta na obra prínceps, sigla do herbário, transcrição das etiquetas (schedulae). 14

[close]

p. 15

Resultados Leguminosae (Fabaceae) 1. Abarema piresii Barneby & J.W. Grimes, Acta Amaz. supl. 14(1/2):96, fig. 1. 1984 [1986]. “TYPE. BRAZIL. Fronteira Amazonas-Pará-Mato Grosso: Boca do Rio Juruena, terra �irme, 31.XII.1951 (fr), J. Murça Pires 3704. - Holotype, NY; wood-sample at IAN. FURTHER COLLECTIONS. BRAZIL. Amazonas: km 498 on BR 319, Manaus-Porto Velho, 18.X.1974 (�l), Prance & al. 23016 (G, K, MG, NY, R, US). Pará: 25 km SW of Tucuruí, 3°35’S, 49°47’W, 14.XI.1981, D. Daly & al. 1312 (NY). Pará: Jari, estrada entre Planalto A e Tinguelim, km 16, 12.VIII.1969 (fr), N.T. Silva 2403 (MG, NY); ibid., Estrada do Munguba, 31.III.1969 (fr), N.T. Silva 1818 (NY, US); ibid., estrada Monte DouradoMunguba, km 4, 17.V.1969 (fr), N.T. Silva 1973 (NY).” IAN 71307 – Isotypus Sched.: “Plantas da Amazônia, Pará, Boca do Rio Juruena, fronteira Amazonas, Pará, Mato Grosso, terra �irme, J.M. Pires 3704, 31 de março de 1951. Árvore com 10 m de altura e 30-40 cm de diâmetro. Os frutos abrem deixando a casca presa no galho.” IAN 133687 – Isoparatypus Sched.: “Plantas da Amazônia, Pará, região do Rio Jarí, Estrada de Munguba, mata de terra �irme, Nilo T. Silva 1818, 31 de março de 1969. Árvore de 20 m e 40 cm diâmetro.” IAN 133842 – Isoparatypus Sched.: “Plantas da Amazônia, Pará, região do Rio Jarí, estrada entre M. Dourado e Munguba, km 4, Nilo T. Silva 1973, 17 de maio de 1969. Mata de terra �irme. Árvore de 18 m e 15 cm de diâmetro.” IAN 134227 – Isoparatypus Sched.: “Plantas da Amazônia, Pará, região do Rio Jarí, estrada entre Planalto A e Tinguelim, km 16, mata de terra �irme, Nilo T. Silva 2403, 12 de julho de 1969. Árvore de 25 cm e 35 cm de diâmetro.” 2. Aeschynomene evenia var. serrulata Rudd, Contr. U.S. Natl. Herb. 32(1):61. 1955. “TYPE: In the U.S. National Herbarium, nº 1193123, collected in a pond, San Juan de los Morros, Aragua, Venezuela, Dec. 28, 1923, by H. Pittier (No. 11321). Isotypes at GH, NY, and Ven. UNITED STATES: TEXAS: Dimmit County: Winter Haven, Reed, July 17, 1939 (GH). LESSER ANTILLES: ST. LUCIA: Bray (NY); Walsh, Sept. 1889 (NY). VENEZUELA: MONAGAS: San Antonio, Bond, Gíllin, & Brown 120 (US). BOLÍVAR: Ciudad Bolívar, Holt & Gehriger 197 (NY, US). COLOMBIA: META: La Poyata, Cuatrecasas 4472 in part (Ch). BRAZIL: PARÁ: Belém, Archer 7682 (Ch, US); Silva 106 (US); Pires & Black 623 (US). Marabá, Fróes & Black 24710 (US). CEARÁ: Fortaleza, Drouet 2293 (Ch, GH, MO, NY, R, US). Pacatuba, Allemão 352 in part (R). BAHIA: Ilheos, Martius Herb. 1145 (GH, MO, 15

[close]

Comments

no comments yet