Bom Dia Catas Altas

 

Embed or link this publication

Description

Fevereiro de 2016 - Edição Número 100 - Ano X

Popular Pages


p. 1

Catas Altas Cidade Histórica e Ecológica - Fevereiro de 2016 - Ano IX - Nº 100 - Distribuição Gratuita Dirigida BOM DIA Catas Altas receberá parte dos R$250 milhões de dívida da Vale Páginas 3 SAGA DO CARAÇA “Serra do Caraça Bier Fest” deixa o Centro Histórico A Biblioteca Páginas 4 e 5 Páginas 6

[close]

p. 2

Catas Altas BOM DIA Fevereiro 2016 - Página 2 Mineração x Vida x Economia / Turismo Não existiria momento mais oportuno para retornarmos ao debate sobre Mineração / Vida / Economia / Turismo. Estamos a pouco mais de 100 diasda tragédia do rompimento da barragem do Fundão, da Mineradora Samarco / Vale / BHP Billinton – barragem essa muito conhecida dos catasaltenses. Passados esses 100 dias, apesar do desastre ser consideradoo maior do mundo em termos de rompimento de barragens de rejeito de minério e ser considerado o maior desastre ambiental do pais, para quem está longe e não sofreu diretamente os efeitos da catástrofe, já nem se importa e nem lembra mais – isso sem contar que as empresas envolvidas, principalmente a Samarco e a Vale, trabalham para apagar esse lamentável episódio. Mas e as vidas perdidas? Feche os olhos – agora imagine o telefone tocando – ao atender alguém do outro lado da linha diz: “Sinto muito, houve um acidente na barragem da Samarco – seu FILHO está desaparecido”. E aí – isso muda alguma coisa? Além das vidas que o desastre levou, imaginem EXPEDIENTE Fotos: Divulgação Catas Altas • Diretor Geral/Responsável: Geraldo Magela Gonçalves • Comercial: 3851-1515 • Diagramação: Sérgio Henrique Braga • Bom Dia online: www.bomdiaonline.com Circulação: Catas Altas e mala direta para todo Brasil Impressão: Gráfica Bom Dia CNPJ - 02.179.351/0001-37 Todos os Direitos Reservados bomdia@cidademais.com.br BOM DIA quantos animais domésticos foram soterrados, e quantas toneladas de peixes... mataram todo um sistema – vários rios e com isso mataram milhares de sonhos. Feito essa introdução ressalto que não é possível vivermos sem a mineração, mesmo porque, só em Minas Gerais a mineração continua sendo a mais importante atividadeeconômica. Para se ter uma ideia, basta citar que a indústria mineral responde por maisde 50% das exportações do Estado, além de gerar cerca de 130 mil empregos diretos em suas mais diversas regiões. Segundo o Instituto Brasileiro deMineração – IBRAM, Minas Gerais responde por 35% da produção mineráriabrasileira, sendo o maior produtor deminério de ferro doBrasil,além de Fosfato, Ouro, Tantalita e Zinco, além de ser omaior produtor de Nióbio do mundo. Apesar dos efeitos econômicos que a atividade minerária obtém, tem-se quelevar em consideração que a atividade possui duas características principais. A primeiradecorre da própria jazida a ser lavrada que além de ser um bem não-renovável, produzinterferências marcantes e inevitáveis no meio ambiente. A segunda é que, apesar das riquezas extraídas em determinadas minas em determinadas cidades, a maioria da popu- lação desses locais permanecem pobres e esses mesmos locais estão longe de serem os mais desenvolvidos, comprovando que mineração não é sinônimo de desenvolvimento. Fim da mineração A simples paralização da produção da Samarco e Alegria – já que a Vale depositava rejeito na barragem do Fundão (ilegalmente), já foi o suficiente para reduzir drasticamente a arrecadação dos municípios de Catas Altas, Mariana e Ouro Preto. O que se fala nessas cidades é “crise”. Já nem levam mais em consideração o desastre causado pela mineração, isso sem contar que novos desastres são questões de tempo – mais cedo ou mais tarde um novo rompimento pode acontecer – seja em Catas Altas, Mariana, Ouro Preto, Santa Bárbara etc, etc, etc... Mas se apenas com a paralização já criou essa situação de desespero, imaginem quando o MINÉRIO ACABAR. O QUE VAI SOBRAR? Um monte de barragens abandonadas prontas para matar tudo pela frente – crateras enormes em todas as montanhas – desemprego – falência das prefeituras e das cidade e o pior – SECA – ACABOU A ÁGUA – O MINERAL MAIS PRECIOSO... E aí? Turismo Ao contrário da mineração que apenas destrói, centraliza poder e gera dependência econômica, o turismo apenas gera preservação, distribuição de renda, qualidade de vida e uma indústria de bens infinita. No turismo, quanto mais preservado, mais valorizado. No caso de Catas Altas – imaginem a serra preservada – e a cidade dependendo apenas de sua beleza cenográfica. Está na hora de começar a pensar uma nova realidade – antes que – daqui alguns anos sobre apenas uma foto em um quadro na parede. Exemplo e experiência a população já tem até demais.

[close]

p. 3

Catas Altas BOM DIA Fevereiro 2016 - Página 3 Catas Altas receberá parte dos R$250 milhões de dívida da Vale VALOR REFERENTE A DIFERENÇA DE CFEM, SERÁ PAGO AINDA NESSE PRIMEIRO SEMESTRE Fotos: Divulgação Embora a dívida antiga da Vale com os municípios mineradores referentes ao recolhimento da Compensação Financeira pela exploração de recursos minerais (Cfem) - estivesse inicialmente orçada em cerca de R$4 bilhões referente a diferenças desde 1996 (valor não reconhecido pela empresa), a companhia admitiu o débito de cerca de R$ 335 milhões (2001 a 2006) com cidades de Minas Gerais e do Pará e quitará o valor até o fim do primeiro semestre. Deste total, R$ 250 milhões deverão ser destinados aos municípios de Minas e o restante (R$ 85) para os do Pará. O montante a ser pago foi em acordo com o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e confirmado mediante parecer jurídico da Advocacia Geral da União (AGU). Na avaliação do presidente da Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais (Amig), que também é prefeito de Congonhas, José de Freitas Cordeiro, conhecido como Dívida é referente a diferença do Cfem - na foto Mina do Complexo do Fazendão, aos pé das costas da Serra do Caraça Zelinho, os recursos chegarão em um bom momento , dada a atual conjuntura econômica brasileira e o péssimo momento em que vive a mineração. “Nesse momento econômico desfavorável, a Amig, com muita luta, Mineração vai deixando seu rastro e população continua pobre conseguiu um grande feito, realizando um acordo com a mineradora sobre a quitação de uma dívida que já durava anos. Temos de comemorar essa parcela e aguardar o restante. Se, no futuro, a justiça julgar que ainda restam débitos, a mineradora complementará o pagamento. Caso contrário, já o terá feito”, explica. O recolhimento da Cfem é motivo de divergências entre mineradoras e municípios. Em 2012, após negociação com o DNPM, a companhia chegou a reconhecer uma dívida de R$1,4 bilhões. Porém, conforme já publicado, o valor é referente somente ao pe- ríodo entre 2001 e 2006, e a companhia teria mais cinco anos para quitar, no entendimento dos municípios mineradores. De acordo com Zelinho, o pagamento será realizado de forma parcelado, em quatro vezes, e a primeira parte será depositada ainda este mês. Ele lembra, no entanto, que o montante de R$335 milhões é o valor total que será repassado ao DNPM e o órgão será responsável em realizar a repartição da Cfem de acordo com o critério de distribuição dos percentuais do royalty (65% para o município produtor, 23% para o estado produtor e 12% para a União). “Somente no caso de Minas gerais, dos R$ 250 milhões, cerca de R$ 160 serão repassados aos municípios, aproximadamente R$ 57 milhões ao governo estadual e mais ou menos R$ 30 milhões ficarão com a União”, diz. Ao todo, 12 municípios associados da Amig receberão os dividendos, sendo eles Barão de Cocais, Belo Vale,Brumadinho, Catas Altas, Congonhas, Itabira, Itabirito, Mariana, Nova Lima, Outo Preto, Rio Piracicaba e Santa Bárbara. “Destes Itabira deverá receber a maior parcela, pois detém a maior parte de extração da companhia”, completa.

[close]

p. 4

Catas Altas BOM DIA Fevereiro 2016 - Página 4 A Biblioteca SAGA DO CARAÇA – 23.ª PARTE por Eder Ayres Siqueira A Saga do Caraça é de suma importância para o trabalho de Educação Patrimonial que vem sendo desenvolvido no município, desde o ano de 1999, quando foi lançado pelo mesmo autor desta Saga, com a finalidade de apresentar a história catas-altense para todas as pessoas de todas as idades, isto é, fazer com que todos leem, pesquisem, conheçam, passem a gostar de um dos maiores patrimônios de Catas Altas que é a sua história, e ajudem a preservá-la, e também os demais bens que fazem o diferencial do município. O Caraça é uma das pupilas de Catas Altas, além de ser uma das sete maravilhas da Estrada Real. Está inserido nos tombamentos em níveis federal e estadual, respectivamente 1955 e 1990.

[close]

p. 5

Catas Altas CURIOSIDADES SOBRE A BIBLIOTECA DO CARAÇA O Padre José Tobias Zico nos deixou relevantes obras que nos fazem viajar no tempo, conhecer a real história do Caraça e imaginar o inimaginável. Ele também, relacionou algumas obras mais curiosas da Biblioteca, sendo: 1 – INÉDITOS DA HISTÓRIA PORTUGUẼSA, pela Academia Real de Ciências de Lisboa – 1826 – IV volume; 2 – ILÍADA, de Homero, em sete idiomas – 2 volumes, 1837; 3 – PARAÍSO PERDIDO – de Milton, 1884 com as belíssimas ilustrações de Gustavo Doré; 4 – A BÍBLIA em francês, também com ilustrações de Gustavo Doré, 1866; 5 – OS LUSÍADAS, de Luís de Camões – edição Monumental – 1946; 6 – ENCICLOPÉDIA GENERAL DEL MAR, de José Martins e Hidalgo – em 6 belos volumes. Madrid – Barcelona – 1957; 7 – Diversas Coleções importantes de diversos escritores brasileiros e estrangeiros. Joaquim Maria Machado de Assis (Rio de Janeiro, 21 de junho de 1839 - Rio de Janeiro, 29 de setembro de 1908) foi um escritor brasileiro, amplamente considerado como o maior nome da literatura nacional. Humberto de Campos Veras (Miritiba, 25 de outubro de 1866 - Rio de Janeiro, 5 de dezembro de 1934) foi um jornalista, político e escritor brasileiro. Paulo de Oliveira Leite Setúbal (Tatuí, 1 de janeiro de 1893 - São Paulo, 4 de maio de 1937) foi um advogado, escritor e jornalista brasileiro. Pedro Calmon Moniz de Bittencourt (Amargosa, 23 de dezembro de 1902 – Rio de Janeiro, 16 de junho de 1985) foi um professor, político, historiador, biógrafo, ensaísta e orador brasileiro. Plínio Salgado (São Bento do Sapucaí, 22 de janeiro de 1895 – São Paulo, 8 de dezembro de 1975) foi um político, escritor, jornalista e teólogo brasileiro que fundou e liderou a Ação Integralista Brasileira (AIB), partido de extrema-direita inspirado nos princípios do movimento fascista italiano. Gilberto de Mello Freyre (Recife, 15 de março de 1900– Recife, 18 de julho de 1987) foi um polímata brasileiro; Como escritor, dedicou-se à ensaística da interpretação do Brasil sob ângulos da sociologia, antropologiae história. Foi também autor de ficção, jornalista, poeta e pintor. Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Mello, mais conhecido como Assis Chateaubriand ou Chatô, (Umbuzeiro,4 de outubro de 1892 - São Paulo, 4 de abril de 1968) foi um jornalista, empresário, mecenas e político destacando-se como um dos homens públicos mais influentes do Brasil nas décadas de 1940 e 1960. Foi também advogado, professor de direito, escritor e membro da Academia Brasileira de Letras. José Francisco da Rocha Pombo (Morretes, 4 de dezembro de 1857 - Rio de Janeiro, 26 de junho de 1933) foi um jornalista, advogado, professor, historiador, político e escritor brasileiro. José Maria de Eça de Queiroz (Póvoa de Varzim, 25 de novembro de 1845 – Paris, 16 de agosto de 1900) é um dos mais importantes escritores portugueses da história. Abílio Manuel Guerra Junqueiro; (Ligares, Freixo de Espada à Cinta, 15 de setembro de 1850 – Lisboa, 7 de julho de 1923) foi alto funcionário administrativo, político, deputado, jornalista, escritor e poeta português. Camilo Ferreira Botelho Castelo Branco (Mártires, Lisboa, 16 de Março de 1825 - Vila Nova de Famalicão, São Miguel de Seide, 1 de Junho de 1890) foi um escritor português, romancista, cronista, crítico, dramaturgo, historiador, poeta e tradutor. Antônio Feliciano de Castilho, 1.º visconde de Castilho, (Lisboa, 28 de Janeiro de 1800 - Lisboa, 18 de Junho de 1875) foi um escritor romântico português, polemista e pedagogista, inventor do Método Castilho de leitura. Alexandre Herculano de Carvalho e Araújo (Lisboa, 28 de Março de 1810 - Quinta de Vale de Lobos, Azoia de Baixo,Santarém, 18 de Setembro de 1877) foi um escritor, historiador, jornalista e poeta português da era do romantismo. João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett e mais tarde 1.º Visconde de Almeida Garrett, (Porto, 4 de fevereiro de 1799 – Lisboa, 9 de dezembro de 1854) foi um escritor e dramaturgo romântico, orador, par do reino, ministro e secretário de estado honorário português. Padre Antônio Vieira (Lisboa, 6 de fevereiro de 1608 – Salvador, 18 de julho de 1697), foi um religioso, filósofo, escritor e orador português da Companhia de Jesus. Dante Alighieri (Florença, entre 21 de maio e 20 de junho de 1265 - Ravena, 13 ou 14 de setembro de 1321) foi um escritor, poeta e político italiano. É considerado o primeiro e maior poeta da língua italiana, definido como ilsommo poeta (“o sumo poeta”). CesareCantù (Brivio, 5 de dezembro de 1804 – Milão, 15 de março de 1895) foi um historiador, escritor e importante intelectual italiano. Augustin François César Prouvençal de Saint-Hilaire (Orleães, 4 de outubro de 1779 – Orleães, 3 de setembro de 1853) foi um botânico, naturalista e viajante francês. Robert Southey (Bristol, Inglaterra, 12 de agosto de 1774 - 21 de março de 1843) foi um historiador, escritor prosador e poeta britânico da escola do romantismo e “Poeta laureado”. Archibald Joseph Cronin (Cardross, 19 de Julho de 1896 – Montreux, 6 de Janeiro de 1981) foi um escritor escocês. Era formado em Medicina. Escreveu romances idealistas de crítica social, traduzidos em vários idiomas e alguns deles adaptados ao cinema e à televisão, como The Citadel (1937) e The Minstrel Boy (1975), etc. ETAPA E assim, encerra-se tudo aquilo de antigo e novo da biblioteca do Caraça, todos os livros de Filosofia e Teologia, de Exegese, Ascética e Mística, de História Universal e Direito Civil e Eclesiástico, de Ciências e Línguas; de estudos especializados e de interessantes curiosidades. Conforme o Pe. Tobias, o Padre Sarneel que foi professor e bibliotecário do Caraça, tinha alma de poeta, escrevia muito bem em latim quanto em português, com simplicidade, elegância e graça, deixou escrito o seguinte: “Todos os livros que vês, caro visitante, foram manuseados por mãos lazaristas, foram comprados com as economias de sua pobreza vicentina e, qui, foram eles dispostos em classificação bem distinta e distribuída. No frontispício da biblioteca, bem se poderia estampar o dístico do célebre impressor Elzevir: “Concordia res parvaecrescunt: - aos poucos se formou esta biblioteca – no silêncio e na paz, na união e no trabalho.” É uma colmeia, cujos favos são as suas estantes, onde as abelhas de São Vicente, vindas de toda parte, em enxames internacionais, depositaram, de ano em ano, o néctar da literatura universal, e onde podes, estudioso romeiro, saciar-te do doce e substancioso mel da verdade e da poesia”. “Na porta da biblioteca, o arquivista do Caraça reproduziria, com prazer, o frontispício de um de seus livros mais velhos, onde se vê uma fonte a jorrar água por muitas bicas e se lê o dístico latino: “Ego sitientidabogratis”! - aqui se bebe de graça...” … “Bom turista, como o Imperador D. Pedro II, cobiçarás mais de um livro. Não levarás nenhum.” ... BOM DIA Fevereiro 2016 - Página 5

[close]

p. 6

Catas Altas BOM DIA Fevereiro 2016 - Página 6 POR SEGURANÇA E CONFORTO “Serra do Caraça Bier Fest” deixa o centro e vai para área de eventos Diante o número de público que o Caraça Bier Fest vem conquistando a cada ano, revelando o sucesso total e absoluto do evento, a organização da mais charmosa festa da cerveja de Minas Gerais resolveu promover alguns ajustes visando proporcionar mais conforto e segurança aos participantes. Outra preocupação da organização é referente ao expressivo crescimento de público que podea vir causar impactos negativos ao patrimônio da cidade, principalmente na Praça da Matriz de Catas Altas que é tombada como Patrimônio Histórico de Minas Gerais e do Brasil. O Serra do Caraça Bier Fest 2016 acontecerá no dia 23 abril na área de eventos de Catas Altas e contará com uma infraestrutura adequada para proporcionar conforto e segurança aos participantes. No local, além de haver um controle de entrada – o que proporcionará segurança a quem se dispõe a curtir a festa com tranquilidade, terá tambémum amplo estacionamento, onde o visitante poderá deixar seu veículo bem próximo à área do evento. A área destina ao evento contará com aproximadamente 10.000 m2, onde será criada um estrutura harmônica com a paisagem local – bem aos pés do Pico dos Horizontes de Catas Altas e à frente da Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Esse ano a organização trabalhará para colocar 12 cervejarias no evento, com mais de 25 tipos de cervejas para o deleite dos amantes do líquido saboroso. Para acesso serão disponibilizados passaportes que darão o direito à além da entrada, a caneca oficial do evento, isso sem contar a curtição das bandas de Jazz, Blues e Rock. Os passaportes serão comercializados a partir de 1º de março pela plataforma Aguardem a programação completa e outras informações sobre o evento.

[close]

p. 7

Catas Altas Divulgação BOM DIA Fevereiro 2016 - Página 7 Vale está ampliando a vida útil de Fazendão Apesar do desastre que abalou a região em novembro, quando a barragem do Fundão se rompeu, deixando um rastro de destruição e morte desde Bento Rodrigues até o oceano Atlântico, as mineradoras não cessam suas atividades, ao contrário, trabalham para ampliar. Matéria veiculada no jornal O Tempo, de Belo Horizonte, informa que a Vale vai expandir e ampliar a vida útil da mina de Fazendão, em Catas Altas. Com o projeto de expansão, a empresa irá alongar por mais 27 anos a exploração de minério de ferro e manter no longo prazo a produção do complexo de Mariana, do qual a mina de Fazendão faz parte. O Conselho Municipal de Meio Ambiente (Codema) deu o parecer favorável para a expansão. Já ambientalistas do Movimento pelas Serras e Águas de Minas (Movsam) são contrários à expansão e afirmam que a comunidade do Morro de Água Quente será a mais afetada pelo projeto. Eles alegam que são inúmeros os impactos ambientais na região devido às atividades de mineração. A matéria ainda informa e Cobras/Paiol - 5,7ha. Barragens Depois do acidente de Bento Rodrigues, a população começou a ter mais atenção quanto a implantação dessas barragens. Com essa ampliação de extração do Complexo do Fazendão, o distrito de Morro D´Água Quente ficará abaixo das barragens da Vale, que receberão bilhões de litros de lama. A população local já vem sofrendo com a poeira que vem das minas e, apesar do licenciamento prever o controle desse material em suspenção, segundo moradores, nada tem sido feito e sempre a comunidade é tomada pela poeira. De acordo com matéria do Jornal O Tempo, a Vale vai expandir e ampliar a vida útil da mina de Fazendão, em Catas Altas que a Vale não pretende iniciar as atividades antes de 2017. Fazendão O Complexo Minerário de Fazendão localiza-se nas proximidades do Povoado de Morro daÁgua Quente, no Município de Catas Altas, a sudoeste de sua sede municipal a uma distância de 6 km. A Mina São Luiz prevê a lavra de 270 milhões de toneladas de minério de ferro, com uma relação estéril/minériomédia de 0,23, a ser lavrado em um período de 19 anos, até 2027. A mina ocupa atualmente uma áreade 163,13ha e é composta pelas estruturas minerárias abaixo descritas: 1 - Cava de São Luiz – 86ha;2 - Cava São Luiz Sul - 5,0ha;3 - Pátio de carregamento da pêra ferroviária - 28,6ha;4 Pilhas de estéril (1A, 1B, 2 e 4) -17ha;5 - Barragens de contenção: Patos - 14,13ha, Dicão - 6,70ha

[close]

p. 8

Catas Altas BOM DIA Fevereiro 2016 - Página 8

[close]

Comments

no comments yet