Jornal Conecta Baixada - 8ª Edição

 

Embed or link this publication

Description

Jornal Conecta Baixada - 8ª Edição

Popular Pages


p. 1

995-75-4545 www.conectabaixada.com.br 2016 BAIXADA FLUMINENSE D E S G O V E R N A D O A INFORMAÇÃO VAI ATÉ VOCÊ Divulgação 16 a 1 de Março ANO 2 - N° 8 Distribuição gratuita GAROTO DE BRONZE LUTADOR DE MESQUITA É PODIUM NOS EUA Depois de vender rifas para conseguir dinheiro, menino de 9 anos conquista terceira colocação no Panamericano de Jiu-Jitsu Página 12 Lélio Neto/Conecta Baixada Prefeitura de Mesquita acumula problemas devido a gestão desastrada Página 3 LIÇÃO DE SUJEIRA No primeiro dia do ano letivo, alunos das escolas da Rede Municipal de Ensino de Mesquita tiveram uma aula de desreipeito. À frente de várias escolas da cidade Página 2 montes de lixo, mau cheiro e insetos. QUEM AVISA AMIGO É Davi Boechat/Conecta Baixada Assustados com uma onda de assaltos, moradores da rua da Verdade, no Centro de Mesquita, espalharam cartazes para alertar quem passa pelo local sobre os riscos de assaltos. Os ataques acontecem a qualquer hora do dia e os ladrões usam de bicicleta a carros para surpreender as vítimas. Maioria das vítimas, porém, não faz registro na delegacia. Página 6

[close]

p. 2

OPINIÃO/GERAL 2 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR JORGE MIRANDA jorge.miranda@conectabaixada.com.br Empresário Mesquitense PARA CADA CRIANÇA, UMA ÁRVORE A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados aprovou Projeto de Lei, que cria um programa de incentivo ao plantio de muda de árvore para cada nascimento de criança na rede pública de saúde do município. A proposta permite parcerias da iniciativa privada com o poder público para a doação de mudas de árvores para plantio. Os municípios que aderirem ao projeto receberão o título de Cidade Amiga da Natureza. Já as famílias receberão o certificado de Criança Amiga da Natureza, no qual constará a data de nascimento e a data do plantio. PORQUE ESTE ANO TEM..... ELEIÇÕES! Há tempos estamos acostumados com a velha política do toma lá da cá. E neste ano parece que não será diferente, os hábitos estão mais uma vez repetindo-se como se estivéssemos numa grande roda gigante que gira bem à nossa frente na velocidade de um relógio, que passa mais devagar para as pessoas que necessitam dos atendimentos e condições básicas que o poder público pode e deve proporcionar a qualquer cidadão. Para as pessoas que entendem o processo político isto e bem claro. Afinal, este ano tem eleições. Em contrapartida existem também aqueles que nutrem o público comissionado. sentimento de que algum Analisando todas essas dia alguém vai fazer di- vertentes podemos afirferente, pois estão mar que a sedentos por memaior parte Você lhorias tanto dos da populaserviços como da ção precisa paga seus qualidade de vida efetivamenimpostos em seus municípios. te de meNão posso deixar de para ter lhorias nos citar também aque- retorno serviços púles que dependem blicos para do poder público como úni- consequentemente melhoca válvula de escape para rar as condições da prósuas vidas e, por isso, se pria vida e da sua família. vêem na obrigação de de- Enfim, devemos levar em fender até o indefensável. conta certos questionaÉ o que na maioria das mentos e perguntas, mas vezes acontece com quem não podemos esquecer quer a continuidade para que é nessa hora, quando garantir a manutenção de podemos mudar ou dar seu salário como servidor continuidade ao que está “ ” exposto de forma como o governo que está à frente de seu município. Está satisfeito com os serviços que você paga para utilizar em seu município. Sim, afinal de contas você paga seus impostos para ter retorno em serviços. E aí, você esta satisfeito com as ações do governo de sua cidade desde o início do atual mandato? Elas são frequentes ou só acontecem em ano de eleições? Já se perguntou os porquês de tudo acontecer neste ano: inauguração de praça, prefeito presente nas ruas, oferecimento de café da manhã na estação de trem. Afinal, esse ano tem eleições. LIXO E MAU CHEIRO NO CAMINHO PARA A ESCOLA No primeiro dia do ano letivo em Mesquita alunos têm uma lição de sujeira Municipal de Educação Infantil Pedrinho, em Santa Teresinha. Sacolas plásticas, móveis quebrados e entulho, revoltou alunos, pais e professores. “É muito entulho. Só quero ver quem vai resolver se eles pegarem ‘alguma coisa’. Descaso total”, afirma Ana Paula Gomes, de 38 anos, mãe de dois alunos. À frente da unidade de ensino, um veículo a serviço da prefeitura fazia a entrega de alimentos para a merenda ao lado do lixo acumulado. Os resíduos espalhados atraem insetos e animais transmissores de doenças infecciosas e aumenta o número de incidência de dengue, zika e chikungunya, pois favorece a proliferação do mosquito aedes aegypti. “Os riscos são grandes para todos que entram em contaLélio Neto/Conecta Baixada Leilane Oliveira leilane.oliveira@conectabaixada.com.br lunos da Rede Municipal de Ensino de Mesquita tiveram uma lição de desrespeito no primeiro dia do ano letivo. Há mais de dois meses com a coleta irregular na cidade, estudantes encontraram montes de detritos à frente das escolas. Além do mau cheiro e dos insetos, os detritos causam risco à saúde de crianças e adolescentes. “Eles não se importam com a gente, muito menos com as crianças. Olhe isso aqui, cheio de sujeira. Tudo uma nojeira”, desabafa José Antônio Soares, 38 anos, avô de uma aluna da Escola Municipal Ernesto Che Guevara . Perto dali, o mesmo cenário na porta do Escola A to, direto e indiretamente, com este lixo. A população é a mais prejudicada, por causa da decomposição do lixo, que atrai os mais diversos tipos de animais”, explicou o infectologista Roberto Socaccio, da Universidade de São Paulo (USP).

[close]

p. 3

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 3 GERAL MESQUITA MESQUITA, UMA CIDADE DESGOVERNADA Equívocos, desmandos e falta de zelo com a administração pública revelam a face neocoronelista do prefeito e revoltam a população Davi Boechat/Conecta Baixada Lélio Neto/Conecta Baixada Lélio Neto/Conecta Baixada A Defesa Civl de Mesquita interdita o campo do América antes de jogo Polícia Civil faz operação na sede da Dinâmica e flagra despejo de lixo E ra véspera do jogo de estreia do Flamengo contra o Boavista no campeonato carioca. A partida marcada para acontecer no campo do América, em Mesquita, no sábado (30) já tinha mais de seis mil ingressos vendidos, quando servidores da Defesa Civil municipal anunciaram a interdição do estádio sob o argumento de “risco iminente de desastre”. A iniciativa gerou surpresa entre dirigentes dos clubes e da federação estadual. Afinal, todas as exigências à realização da partida foram cumpridas. A bola fora teria partido da prefeitura, que horas depois voltou atrás liberando o estádio, sem maiores explicações. Faltando pouco mais de oito meses para as eleições municipais, o governo de Rogelson Sanches Fontoura, o Gelsinho Guerto do Ônibus da reiro, vivencia Saúde, um conuma sucessão sultório odonde desmandos tológico móvel. que não se limiA denúncia foi tam apenas ao confirmada por fechamento reuma equipe da lâmpago de um Light, que enestádio de futeviou o caso para bol. Nos últimos a Delegacia de quatro meses, o Defesa de Sergoverno enfrenviços Delegados tou problemas (DDSD). Novapara pagar formente, o desnecedores, premando virou judicando por Funcionário da prefeitura faz “gato” em poste para o Ônibus da Saúde caso de polícia. tabela funcionários de Diante de tanto desreno da Dinâmica, esempresas terceirizadas governo a prefeitura se trutura onde funcionam e, sobretudo, a populacala. Contudo, Gelsinho secretarias e até uma ção. Um exemplo é a coGuerreiro não é um caso padaria escola. leta de lixo domiciliar, isolado. Para a diretoO desmando com o ra-executiva da ONG que desde de dezembro passado é feita desorde- lixo virou caso de polí- Transparência Brasil, cia. Mas não foi o úninadamente e já levou à Natália Paiva, muitos prisão o secretário de co. No último dia 4, às prefeitos brasileiros Obras e seu sub, que fo- vésperas do carnaval, agem como imperadoram flagrados por uma um servidor do muni- res, pois raramente há equipe da Delegacia de cípio foi flagrado pelo oposição nas câmaras Proteção ao Meio Am- Conecta Baixada fazen- municipais. Nesse cebiente (DPMA), literal- do uma ligação clan- nário, a maioria dos vemente, empurrando o destina, o velho gato de readores acaba apenas lixo para debaixo do ta- eletricidade, para ga- desempenhando a funpete. Nesse caso, o ter- rantir o funcionamen- ção de despachantes de luxo dos prefeitos, sem cumprir a atribuição de fiscalizar as contas do Executivo. Além da falta de controle por parte de vereadores, o Ministério Público também é lento ao apurar irregularidades praticadas por prefeitos, principalmente, em cidades pequenas. Em Mesquita, nem mesmo os procuradores concursados que atuam na administração municipal têm acesso às decisões do prefeito. Prova disso foi o “remanejamento” de R$ 13 milhões do Fundo de Aposentadoria para contas da prefeitura. Movimentação financeira que contrariou parecer técnico dos procuradores municipais, mas que foi ignorado por Gelsinho Guerreiro. No último ano de seu primeiro mandato, o prefeito oscila. Ora adotando ações populistas, ora desgovernadas.

[close]

p. 4

EDUCAÇÃO CURSOS PROFISSIONALIZANTES GRATUITOS NA UNIABEU Paulo Azevedo 4 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR A estudante Yasmin Freitas estuda também na biblioteca da Uniabeu Uniabeu está com as inscrições abertas para os cursos gratuitos profissionalizantes de Auxiliar Administrativo e Secretariado Jurídico. As aulas serão ministradas às sextas-feiras com turmas no horário da manhã e tarde, com duração de quatro horas e carga horária total de 8 horas. O iníco está marcado para para 19 de fevereiro e 04 de março respectivamente. O foco dos treinamentos da Uniabeu é a aplicação da teoria na prática através de atividades em grupos sob orientação de professores de reconhecimento no mercado profissional. Com aulas presenciais e metodologia participativa, os alunos vivenciam o ambiente de trabalho durante os encontros. “Utilizando dinâmicas, no curso de Auxiliar Administrativo, nossos estudantes conhecem e aprendem o funcionamento dos setores RH, contabilidade, administração e marketing da empresa”, explica o coordenador de Educação Profissional, Lásaro Stephanelli. A gestora Ana Parada lembra que o treinamento de Secretariado Jurídico pode contribuir também para quem já atua no segmento, porque, segundo ela, ofe- A rece conhecimento de uma área que faz parte do seu cotidiano, embora não tenha a formação em Direito. “Secretárias, auxiliares de escritório, contínuos podem agregar valor ao currículo fazendo esse treinamento”, destaca. Os alunos que apresentarem conhecimento diferenciado durante o curso serão encaminhados para oportunidades de empregos em empresas conveniadas com a Uniabeu. As vagas são limitadas, e os interessados devem fazer a matrícula na Av. Nilo Peçanha, 1.250, Centro, Nova Iguaçu, de segunda a sexta-feira, de 10h as 18h. Aos sábados o atendimento é de 9 as 12h. Os documentos necessários são carteira de identidade e CPF . No caso de menor de idade é necessário a presença de um responsável. Serviço Cursos gratuitos: Auxiliar Administrativo e Secretariado Jurídico Inscrição: Auxiliar Administrativo: até 19/02 - Secretariado Jurídico: até 04/03 Matrícula: De segunda a sexta: 9h às 18h – sábado: 9h às 12h Endereço: Av. Nilo Peçanha, 1250 - Centro - Nova Iguaçu

[close]

p. 5

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 5 GERAL CONEXÃO GERAL Davi de Castro davi.castro@conectabaixada.com.br PREFEITURA NA PINDAÍBA QUEIMA LIXO NA RUA Davi de Castro prefeitura de Mesquita encontrou uma maneira nada agradável e muito prejudicial ao meio ambiente para resolver o problema do acúmulo de lixo que se espalha pela cidade: incinerar a lixarada em plena rua. Pelo menos foi o que se viu no dia 10, na lixeira publica situada na rua Baronesa de Mesquita (foto), em frente ao cemitério Jardim da Saudade. A queimada cobriu toda a região com uma fumaça negra e densa, dificultando a visibilidade e atrapalhando o trânsito por um longo trecho. Foi necessária a presença do Corpo de Bombeiros para debelar o fogaréu. Os boateiros de plantão diziam que era homenagem do prefeito à quarta-feira de cinzas. A ESTRATÉGIA Sandro Matos, prefeito de Meriti, que, este ano se despede do povo deixando tristes marcas, usa de estratégia para continuar mandando. Para encarar o peso do médico dr. João Ferreira, ele lança dois candidatos. Finge apoio a um, mas quer o outro. SE QUISER Alguém teria a coragem de falsificar assinatura do Corpo de Bombeiros para legalizar o funcionamento de um estabelecimento comercial? Responda se quiser. Mas se tiver dúvida, pergunte ao Shopping da Moda, na Via Dutra. Ele responde, se quiser. FALTA CAMINHÃO O que já não era bom ficou ainda pior por causa de irregularidades no contrato da empresa coletora, apontadas pelo TCE. Uma operava com cerca de 10 caminhões e a outra não se sabe quantos, mas seria uma frota ainda menor. TÓXICO Assim, falta caminhão compactador, e os detritos se acumulam pelos bairros. Com isso, a queima é feita em vias públicas, contrariando a Lei Nacional de Resíduos Sólidos e produzindo substâncias tóxicas que se espalham pela atmosfera e prejudicam a saúde. CRIME O crime da queima de lixo é tão grave que entidades protetoras do meio ambiente condenam tal prática até mesmo em usinas específicas no mundo. Ativistas do Greenpeace, por exemplo, já promoveram ato de protesto na porta de usina, na Nova Zelândia. PEDALEIROS Dia 27, das 8h às 14h, o Projeto Pedaleiros estará no campus da Unig, em Nova Iguaçu. Deficientes visuais terão oportunidade de passear de bicicletas por todo o campus. A iniciativa é de Fátima Cristina, conselheira tutelar em Cabuçu. MAIS UM NA FILA DO VOTO Fernandinho Muguet é mais um dos postulantes ao cargo de prefeito em Nova Iguaçu. O jovem já foi ungido pelo presidente regional do PTdoB, Vinícius Cordeiro, e já canta de galo, estufa e peito e bate pé firme, dizendo que, a partir de agora, os institutos de pesquisas terão de incluir seu nome nos formulários de coleta de opinião pública sobre a preferência do povo aos prefeitáveis.

[close]

p. 6

SEGURANÇA PÚBLICA ROUBOS EM SÉRIE 6 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR MEDO RONDA A RUA DA VERDADE, EM MESQUITA Davi Boechat/Conecta Baixada GUARDAS MUNICIPAIS SÃO ATACADOS NA CORÉIA WhatsApp/Conecta Baixada A viatura foi atingida na porta do carona e na coluna ao lado do motorista os constantes assaltos na região levaram os moradores a espalhar cartazes para alertar sobre a ação dos assaltantes Davi Boechat davi.boechat@conectabaixada.com.br O que a aparente tranquilidade esconde os cartazes afixados aos postes revelam: o medo. Desde o fim do ano passado, de acordo com moradores, passar pela Rua da Verdade, no Centro de Mesquita, se tornou sinônimo de risco. Roubos têm sido frequentes e fazem vítimas a qualquer hora do dia ou da noite. O aeroviário Edson Silva, de 40 anos, passa pelo local todos os dias. Há algumas semanas, ele foi abordado por criminosos durante a madrugada. Armados, eles levaram dinheiro e celular da vítima, prejuízo que chegou a mil reais. “Ao menos eles devolveram o crachá da empresa e os documentos”, comentou Edson. Ingrid Batista (nome fictício usado para preservar a identidade) também foi vítima. Abordada pelos bandidos, que atuam sempre em dupla, a moradora foi agredida por não ter o que entregar. Cinco pontos na boca deixaram as marcas da violência. “É horrível passar por isso. Levei socos na cara só por não ter o que tivesse valor para eles”, relatou. NÚMEROS OFICIAIS NÃO MOSTRAM ROUBOS Apesar dos relatos de roubos constantes na Rua da Verdade, em toda Mesquita foram registrados apenas apenas três dos 132 roubos roubos à celular que aconteceram em dezembro passado na área do 20º Batalhão, de acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). “A Polícia Militar conta com a colaboração da sociedade através do registro de ocorrência. Por ele é esquematizado o policiamento”, disse a PM em nota, que disponibilizou para denúncias o telefone do setor de inteligência do 20º BPM: (21) 3765-5114. “A subnotificação gera índices abaixo da realidade, o que atrapalha o trabalho da polícia. Não se pode deixar de registrar, ainda que seja incomodo ir à delegacia”, comentou Jayme Soares, presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Nova Iguaçu. Dois guardas municipais de Mesquita foram atacados a tiros por criminosos enquanto faziam a vigilância de uma cabine onde funcionará um Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO), na comunidade da Coreia, na segunda-feira de carnaval (7). Eles cumpriam uma ordem dada pela prefeitura do município para realizar o patrulhamento ostensivo, função da Polícia Militar. A região é centro de uma disputa entre facções criminosas rivais, desde o ano passado. Segundo relatos, cinco homens fortemente armados passaram pela cabine em um carro preto e atiraram contra os guardas. Disparos acertaram a lataria e furaram o pneu do carro da secretaria de Ordem Pública do município. As imagens foram enviadas para o WhatsApp do Conecta Baixada (2199575-4545). “Os bandidos ameaçaram eles, disseram que vão matar os guardas municipais e os policiais que ficarem aqui. Ainda falaram que irão destruir o DPO quando estiver pronto”, disse. Os guardas faziam a proteção da cabine, construída pela prefeitura no antigo campo do clube de futebol do Potiguar, onde funcionará o DPO do 20º Batalhão. Revoltados com a gravidade da situação, testemunhas afirmaram que a Prefeitura foi irresponsável. “A prefeitura expôs a integridade do servidor ao colocar eles em um lugar perigoso. A obrigação deles não é só manter a ordem pública e a segurança patrimonial? Deus não permitiu que algo pior acontecesse”, desabafou uma moradora A Polícia Militar informou que o espaço ainda não foi entregue à Corporação e acrescentou que o patrulhamento ostensivo em Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis é feito pelo 20º BPM, que conta com pouco mais de 600 policiais para garantir a segurança de 1.191,221 habitantes. A média é de um policial para 1,9 mil pessoas. Área de risco Desde o início de novembro de 2015, criminosos do TCP invadiram os morros da Chatuba, Coréia, em Mesquita, e Caonze, em Nova Iguaçu. O bairro Coréia tem sido um dos principais palcos de conflitos entre as facções. Mais de cinco corpos foram encontrados no ponto mais alto da com-

[close]

p. 7

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 7 SAÚDE Lélio Neto/Conecta Baixada FARMÁCIAS VAZIAS PACIENTES SEM REMÉDIOS E SEM ESPERANÇA Portadores de doenças crônicas deixam de receber medicação Marcelle Bappersi marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br crise na administração pública de Mesquita atingiu também a distribuição de medicamentos fornecidos de graça à população. Portadores de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, sofrem para seguir com o tratamento. São quase 30 tipos de medicamentos em falta no município. Remédios básicos como Dipirona, Diazepan, Capotem e antibióticos integram a relação dos que deixaram de ser entregues a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Em meio a inúmeras A falhas nos setores administrativos do município, a Saúde é a que se mostra mais precária. Segundo a doméstica Cátia Regina da Silva, de 37 anos, além da demora no atendimento e a carência de especialidades nas unidades básicas, a falta de medicamentos ainda é a que mais pesa no bolso. Ela relata que a orientação recebida nos postos de saúde é para pegar os remédios do filho, que tem aneurisma cerebral nas farmácias públicas. Mas afirma que eles nunca estiveram disponíveis. “Me sinto desamparada. O remédio mais caro custa R$100, e olha que são quatro caixas por mês; Paciente mostra os remédios que foi obrigado a comprar após deixar de recebê-los da Secretaria de Saúde de Mesquita fora os outros. Só queria saber: onde estão os nossos direitos?”, indaga. Cátia ainda conta que a mãe, de 86 anos, também é vítima do descaso. Há um mês e meio, a doméstica tentou marcar uma consulta para a idosa no Hiperdia (Programa que atende diabéticos e hipertensos), mas só conseguiu vaga para o fim de março. “Eles gastam muito com praças e ruas, mas esquecem que o povo precisa de médicos, saúde e educação”, ressalta a doméstica. O problema também revolta funcionários que vivenciam a realidade de incertezas dos pacientes. Um enfermeiro que não quis se identificar revela que muitos hipertensos chegam aos postos infartados ou em meio a picos hipertensivos. “A falta de anti-hipertensivos tem sido a causa de muitos infartos”, lamentou. As vacinas obrigatórias para crianças de até um ano também estão em falta nos postos de saúde. No dia 4 de fevereiro, um casal percorreu cerca de três postos de saúde para vaci- nar a filha de cinco meses. Segundo o pai da criança, Márcio Dal Cin, de 30, funcionários da UBS de Edson Passos pediram para que a família procurasse a dose em postos de saúde de outros municípios. Ele conta que só conseguiu em Nova Iguaçu. “ Achei um absurdo. Cheguei lá e disseram que não tinha nada. Nenhuma. Me mandaram ir até Nilópolis ou Nova Iguaçu para ver se vacinavam a menina. Por sorte, consegui achar a vacina no posto Vasco Barcelos”, disse. IDOSA ESPEROU QUATRO HORAS PARA SER MAL ATENDIDA NA UPA Leilane Oliveira leilane.oliveira@conectabaixada.com.br Raphael Oliveira/Conecta Baixada As horas sentada na sala de espera da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Edson Passos jamais serão esquecidas por Elvira Cardoso, de 65 anos. A idosa chegou à unidade, no dia 3 de fevereiro com falta de ar devido a uma crise de asma. Ela teve que aguardar por cerca de quatro horas em uma cadeira inadequada até ser atendida. Revoltada com o tra- tamento que a mãe recebeu na UPA, a depiladora Suzana Cardoso, de 38, conta que enquanto aguardava para passar pela triagem com a mãe, viu uma atendente abrindo a porta de um dos consultório, e lá dentro havia um médico dormindo. “É absurdo passar por isso, é um descaso total com a sociedade. Vários pacientes na sala de espera e ele dormindo?” relatou a depiladora. Já a dor e os hematomas nos braços de Elvira são lembranças dos péssimos momentos em que passou dentro da unidade. Suzana relata que os machucados foram feitos durante a coleta de sangue para exames. Ela diz que enfermeiros se distraíram durante uma conversa e erraram a veia da idosa. “Eles não se importam com os pacientes. Por falta de atenção deles, minha mãe ,agora está com os dois braços roxos. Descaso total, total”, desabafou Suzana. Elvira mostra os hematomas nos braços, provocados por um enfermeiro

[close]

p. 8

EMPREENDEDORISMO INOVANDO 8 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR VIDA DE UM EMPREENDEDOR Jorge Eduardo jorge.eduardo@conectabaixada.com.br NOMES CRIATIVOS TAMBÉM PODEM AJUDAR NO SUCESSO DO NEGÓCIO VOCÊ JÁ PIVOTOU? Na coluna passada, graças a uma inspiração após uma aula de Taekwondo, eu falei sobre como o empreendedor não pode desistir em meio às dificuldades. Hoje falarei sobre pivotar, que até pode parecer o inverso, mas você vai ver que não estou me contradizendo e como esse termo é muito importante em alguns momentos da sua carreira empreendedora. Esse é um termo muito conhecido pela nova geração de empreendedores, mas é um assunto que para alguns é como falar de morte, “nunca é bom mencionar, principalmente para quem não conhece o termo a fundo!”. Segundo a revista Exame o termo é derivado do inglês to pivot (“mudar” ou “girar”) e designa uma mudança radical no rumo do negócio. A questão é que o termo e o significado dele estão em voga e precisam ser encarados para que cada vez fique mais natural tomar essa atitude. Como você percebeu pivotar não é desistir, na verdade, é mudar o rumo do negócio de maneira estratégica, após algumas análises que podem mostrar o fim do negócio anterior. Empresário, fique atento, pois é muito importante saber se seu negócio está caminhando por um caminho errado, isso pode evitar o fechamento do negócio. Para você fazer as análises sobre quando é momento certo de pivotar é importante que tenha feito um plano de negócios. No plano de negócios você irá desenvolver todo modelo de gestão financeira, operacional e de vendas do seu negócio. Para pivotar o empresário necessita fazer uma alteração no rumo do negócio, mas não algo superficial. Para o empresário pivotar de verdade ele precisa fazer grandes o alterações que envolvem todos os setores, inclusive no rumo e atividades do negócio. -Verifique o fluxo de caixa: analise se sua empresa está tendo uma receita similar a do planejamento feitou, ou até dos concorrentes. - Faça pesquisa com o cliente para saber se eles percebem o contexto que sua empresa está passando, ou se o número de clientes caiu drasticamente. - Teste novas alternativas para produtos, sem perder a posição conquistada pela empresa no mercado. Cerveja gelada, petiscos, boa conversa e nomes criativos. Esses são os segredos do sucesso de alguns dos bares da Baixada Leilane Oliveira U leilane.oliveira@conectabaixada.com.br ma das etapas mais difíceis e que exige uma boa dose de esforço mental para quem abre o próprio negócio é a escolha do nome, princi- palmente em se tratando de bares e restaurantes. Ele pode garantir o sucesso ou não do novo negócio. A escolha correta do nome pode fortalecer a imagem do empreendimento, trazer clientes da concorrência e atuar como alavancador da expansão da empresa. O nome é considerado tão importante quanto a culinária e o bom atendimento. Um bom exemplo de que essa teoria é verda- WhatsApp 995-75-4545 deira é o empreendmento de Renan Clacino, de 26 anos, e Weverson de Freitas, de 32, donos do bar Tô no Escritório, aberto há cinco meses na Vila Emil, em Mesquita. A escolha do nome aconteceu, segundo os comerciantes, depois de observarem que a maoria dos clientes do bar que frequentavam e que funcionava no mesmo local, ao receberem ligaões de suas esposas ou namoradas sempre diziam que estavam no escritório. Quando compraram o ponto da dona do bar, não tiveram dúvida e usaram o velho jargão dos amigos como marca. O resultado veio já nos primeiros dias de funcionamento, com aumento de mais de 50% da cientela, atraídos pelo nome inusitado. Especalizado em petiscos e cerveja gelada, o Tô no escritório tem música ao vivo de quarta a sábado. Serviço: Bar Tô no Escritório Rua Nilza Gurgel, 408 Vila Emil De 17h ao último cliente.

[close]

p. 9

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 9 RELIGIÃO E FÉ PROFESSOR CLÁUDIO DUARTE evangelho@conectabaixada.com.br NA CRUZ, O SIM À VIDA! Em meio às iniquidades praticadas pela Igreja de Jesus nestes dias, entre tantas tão graves, uma é a de não mais pregar a mensagem da Cruz, a única mensagem que traz vida, hoje e eternamente, pois reconcilia o homem com Deus, o seu Criador. A pregação da mensagem da Cruz, que fala eloquentemente acerca do sacrifício de obediência de Jesus, o Filho Unigênito de Deus, para nos trazer a paz com nosso Senhor, é tolamente substituída por dancinhas, mensagens de auto-ajuda psicológica e as tais correntes puramente humanas, algumas ou muitas vezes para explorar a fé de ingênuos e incautos. Vou repetir: é somente a mensagem da Cruz, que prega a morte e a ressurreição de Jesus, que pode trazer para quem a acolhe e aceita a Salvação eterna, pela Graça de um Deus que nos ama, apesar de sermos pecadores, e proveu em Jesus o Único sacrifício para nos reconciliar com Ele. A Salvação já lhe foi concedida! Está consumado! Você não necessita mais submeter-se a jugos impostos por homens, alguns maus e opressores, bastando apenas hoje, agora, aceitar Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador, e pedir-lhe que faça morada em você! É de graça, pois o preço do sacrifício já foi pago na Cruz por amor a você! “Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”(Isaías 53:5). Bendita seja a Cruz de Cristo! Bendita seja a mensagem da Cruz! GIRO PELAS IGREJAS A Comunidade Profética Colheita realiza cultos às quartas feiras, 19:30, sob a liderança do pastor Edson Cesar de Matos. A igreja fica localizada na Avenida Eternidade, 657, Vila Emil. Aos domingos, 10:30 e 19:30, cultos de louvor e adoração a Deus na Primeira Igreja Batista em Edson Passos, situada na Rua Nelson Ramos, 169. Mande para nossa coluna a programação e eventos de sua igreja, e divulgaremos GRATUITAMENTE. O endereço do e-mail é claudio.duarte@conectabaixada.com.br.

[close]

p. 10

COMPORTAMENTO/CULTURA BECO FESTIVAL EDM N. IGUAÇU 10 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR Fotos: Lélio Neto /Conecta Baixada O Beco Festival reúne representantes de diversas tribos em uma noite de muita música e cultura na Rua Getúlio Vargas, no Centro de Nova Iguaçu Festa estranha com gente criativa Marcelle Bappersi marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br S em essa de separar os ritmos musicais por dia e evento. A segunda edição do Beco Festival, que acontecerá no próximo dia 21, vai misturar as tribos para ver no que dá. “E vai dar bom”, na opinião de Wesley Brasil, um dos idealizadores do evento. “Aqui somos todos lado B”, disse. E não para por aí: o Festival vai acontecer de graça na Rua Getúlio Vargas, no centro de Nova Iguaçu, a partir das 18h, e contará com a presença dos rappers Marcão da Baixada, Léo da XVII e F2L. “É legal conhecer outras tribos, em termos de diversão. No último festival não teve rivalidade, teve amor. A galera entendeu bem Solta o tamborzão! Baile mescla ritmos como hip hop, kuduro, dubstep a intenção do festival e entrou no clima. Era rockeiro cantando funk e vice-versa. Foi lindo”, contou. E se na outra edição as maiores festas iguaçuanas, como Bazinga e Bang Bang, fizeram a alegria da galera, a novidade desse ano será a irreverência da Anti Social, de São João de Meriti, e o batidão frenético da Heavy Baile, do Centro do Rio. “O festival resgata a tradição das matinês que aconteciam na Baixada Fluminense. Querendo ou não, é música”, afirma o rapper Marcão da Baixada. A característica democrática do Beco se destaca dos demais festivais de música. Para Rafaela Viana, de 21, levar a festa Anti social para rua será uma experiência singular, já que Meriti não permite a utilização de espaço público para eventos sociais. “Nossas festas são feitas em espaços alugados. Aqui será diferente. É a nossa primeira vez na rua”. Ela ainda revela o que está tramando para o Beco. “Vamos trazer a zoeira, a mau criação. Queremos representar o que a galera de São João e Meriti gostaria de encontrar”. A boa e velha música. A festa nostalgica relembra o melhor das décadas de 1990 e 2000 Fotos: Lélio Neto /Conecta Baixada Tiroteio musical. A festa é pAra quem gosta de rap. As refrências vão do funk ao trap music Os organizadores resolveram mudar o esquema para este ano: ao invés de um dia para cada escolheram misturar tudo pra ver no que vai dar A festinha dos amigos. A playlist dessa social vai do funk, agita com pop music e rock and roll

[close]

p. 11

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 11 PASSATEMPO EXPEDIENTE: Presidente: Ricardo Lucena Consultor Editorial: Sérgio Ramalho Coordenador Editorial: Marco Antonio Canosa Projeto Gráfico : Daniel Souza e Renato Ferreira Diagramação: Renato Ferreira Tecnologia: Ronald Henrique Tiragem: 20 mil exemplares Distribuição Gratuita Edição Quinzenal Impressão: NewsTech - (21) 3552-0580 O Jornal Conecta Baixada não se responsabiliza pelas opiniões emitidas por colunistas e colaboradores. Redação: Rua Dr. Mário Guimarães . Nº 428, SL. 308 . Centro, CEP: 26255-230, Nova Iguaçu, RJ. Tel: (21) 3765-3423 Comercial: (21) 3765 3423 WhatsApp: 995-75-4545 Email: contato@conectabaixada.com.br

[close]

p. 12

ESPORTES MESQUITA NO PODIUM 12 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 1 de Março WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR Divulgação ATLETA DE 9 ANOS É BRONZE NOS ESTADOS UNIDOS Rodrigo Melo rodrigo.melo@conectabaixada.com.br C om apenas nove anos, Kaíque Oliveira acaba de conquistar medalha de bronze no Panamericano de Jiu Jitsu, realizado em Long Beach, na Califórnia (EUA), no último dia 14. Apesar da pouca idade, o jovem campeão tem mais de 200 medalhas e ocupa a primeira colocação do ranking nacional na categoria leve, faixa amarela. Até a consquista do bronze, o atleta mesquitense, da equipe Nova União, enfrentou três fortes adversários e precisou suar o quimono. Kaíque, que treina no projeto Alvo da Luta e na academia Nova União, era o único brasi- leiro na categoria peso leve, faixa amarela, na competição. O que poderia ser um obstáculo, contudo, acabou se tornando motivação. Sem nenhum patrocínio, o atleta teve que passar três rifas para conseguir juntar dinheiro para pagar os custos das passagens aéreas e estadia na Califórnia, Estados Unidos. “O Kaíque veio treinar com a gente há três meses para melhorar sua rotina no esporte. Nós temos uma parceria com a academia Nova União, comandada pelo mestre André Bastos, e tivemos que passar três rifas para que ele pudesse custear as passagens para os Estados Unidos. Só de ir para outro país representar o Brasil, me Kaíque, de quimono preto, conquistou o terceiro lugar após enfrentar três adversários dos Estados Unidos deixa muito orgulhoso. Fico feliz por fazer parte da história do Kaíque. Essa medalha é a prova do trabalho duro que nós fazemos no Alvo da Luta”, afirmou o faixa preta Jordan Almeida Confiança é a palavra que define Kaíque Oliveira. Jovem e sem saber direito a proporção do que foi competir fora do país, o pequeno “casca grossa”(gíria para lutado- res duros no Jiu-Jitsu), sabe das dificuldades que passou para chegar no nível que está. “Estou muito feliz. Só tenho que agradecer a minha família, André Bastos e ao mestre Jordan de Almeida, que me acolheu, ajudou na preparação e me ajudou rifas. Nunca pensei que um dia representaria meu país e voltaria com uma medalha para casa. Vou treinar mais para um dia, quem sabe, voltar com a medalha de ouro no peito”, disse Kaíque. Para participar do Projeto Esportivo Social Alvo da Luta é preciso ter a partir de quatro anos e estar matriculado em escola da rede pública ou privada. As aulas acontecem às 2ª, 4ª e 6ª, de 19h00 às 22h00, na Rua Mercúrio 85, Centro, Mesquita. Nova Iguaçu FC/Divulgação NOVA IGUAÇU ANUNCIA REFORÇO PARA DISPUTAR SÉRIE B DO CARIOCÃO O Nova Iguaçu apresentou mais um reforço para a temporada de 2016. O zagueiro Raphael Azevedo, de 31 anos, jogou no Bangu e no Audax Rio e chega para dar mais experiência ao setor defensivo. “Aceitei o convite do Nova Iguaçu pela estrutura que tem e pelas condições de trabalho que o clube oferece, além da ambição da diretoria de formar um time forte para conquistar a Série B e disputar o título da Copa Rio”, afirmou Raphael. Experiente, o atleta de 1,86m de garante que o clube tem totais condições de conquistar o acesso e voltar à série A do cariocão em 2017. “Estou vindo para somar. Disputei a Série B no ano passado pelo Audax e vi que é uma competição muito dura, com muito contato, até mesmo devido aos gramados, a bola fica muito viva”, finalizou. Mesclando experiência e juventude, o Nova Iguaçu estreia na série B do estadual dia 5 de março contra o Goytacaz, no Laranjão, às 15h. Raphael Azevedo tem 31 anos e já defendeu o Bangu e o Audax Rio

[close]

Comments

no comments yet