Edição 69

 

Embed or link this publication

Description

O Samburá

Popular Pages


p. 1

O Samburá BARRA DE CARAVELAS, BAHIA - ANO VI - EDIÇÃO NÚMERO 69Tiragem 2.000 Exemplares jornalosambura@gmail.com MENSAL - Período de Dezembro 2015 Estudo avalia comportamento dos mergulhadores em Abrolhos Mergulhador visita o naufrágio Rosalinda. Crédito: Áthila Bertoncini Página 06 Aproveitamento dos resíduos do Camarão para geração de renda. Página. 05 Filarmônica Lira Imaculada Conceição comemora 79 anos. Página 02 Curso Agente de Desenvolvimento Cooperativista. Página 03 População de baleias jubarte no Brasil cresceu 30% conforme Censo de 2015. Página 05 Informes do Programa De Educação Ambiental E Comunicação Do Empreendimento: Dragagem – Acesso Ao Canal do Tomba. Página 04 Festa da Imaculada Conceição da Barra de Caravelas. Página 02 Oficinas sobre o acordo de gestão do caranguejo na Resex de Cassurubá. Página 03 Projeto” Práticas Sustentáveis para um Acordo de Gestão do caranguejo-uçá (Ucides cordatus) na Reserva Extrativista de Cassurubá, caravelas, BA”. Página 02 Pesquisadores analisam se as águas de Abrolhos foram contaminadas. Página 08 Defeso da lagosta está em vigor. Atenção: regras valem para todos, inclusive consumidores e turistas! Página 08

[close]

p. 2

O Samburá Filarmônica Lira Imaculada Conceição comemora 79 anos A Filarmônica Lira Imaculada Conceição é uma instituição filantrópica, fundada em 08 de dezembro de 1938 e ficou desativada a décadas. Após 40 anos sem ouvir seus instrumentos, a comunidade da barra em 1999, buscou apoio para a reativação da banda, o que veio ocorrer após um ano. Reativada e devidamente regularizada em 08 de dezembro de 2000, foi constituída uma nova diretoria e foi adquirido 14 instrumentos . O senhor Manoel Sebastião, músico e maestro, natural de Maceió, foi contratado para coordenar os serviços da renascente Lira Imaculada Conceição com 42 músicos. Hoje a filarmônica com a sigla FLIC tem a frente regendo a banda, o maestro Benedito Belmiro Melgaço, onde vem fazendo ótimos trabalhos, realização de projeto como “ Na rota da Música” e outros. “Estou muito Feliz pela filarmônica está comemorando mais um ano dentro de nossa comunidade. Ainda me lembro quando o Srº Manoel assumiu a filarmônica, sem nenhum instrumento, sem nada... Nos ensinou a ler as partituras, a tocar os poucos instrumentos que conseguiu na época. Hoje sou maestro da FLIC e devo isso a ele com sua paciência de ensinar”. Relembra Benedito Belmiro Melgaço. AMIGOS DO SAMBURÁ* Amarina Antunes Célia Siquara Cida Macário Corina Melgaço Ceça de Yayá Dadá Souza Emerson Barbosa Fábio Pinheiro Jose Esperidião Jorge Magalhães Jorge Oliveira Mª de Lourdes P. Inácio Marinalva Tavares Vanessa Santana Festa da Imaculada Conceição da Barra de Caravelas As comemorações da festa da padroeira iniciou no dia 29 de novembro com as tradicionais novenas cantadas em latim que antecedem o dia 08 de dezembro, dia da grande festa, onde acontece o encerramento em homenagem a padroeira. Todas as noites após o ato religioso a população se divertiu com quermesse, barracas e comidas típicas, queimas de fogos, banda Filarmônica Lira Imaculada Conceição, missas, procissão e shows musicais organizado pela comunidade católica com o apoio da Prefeitura Municipal de Caravelas. Foto: Robson Falcão *É Amigo do Samburá quem acredita na força da comunicação de base comunitária. Obrigado a todos por nos ajudar a produzir e divulgar esse importante veículo de comunicação da Comunidade de Barra de Caravelas. Jornal Comunitário O Samburá surgiu entre um grupo de jovens da pequena comunidade de pescadores e pescadoras artesanais de Barra de Caravelas em 2009 e hoje tem distribuição gratuita mensal de 2.000 exemplares em toda região de Caravelas. ♦ Para saber mais visite o BLOG: http://jornalcomunitarioosambura.blogspot.com/ ou entre em contato: jornalosambura@gmail.com ♦ DIAGRAMAÇÃO: Robson Falcão ♦ REPORTAGEM: Adriene Coelho Edvaldo Souza e Robson Falcão ♦ IMAGENS: Robson Falcão, Girlândia Rodrigues, Resex♦ SUPERVISÃO: Antônio Emídio. ♦ Colaboradores nesta Edição: IBJ, Resex do Cassurubá, ICMBio, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Fibria, Vinicius Giglio . O Página 2 O Samburá Foto: Robson Falcão

[close]

p. 3

O Samburá Projeto” Práticas Sustentáveis para um Acordo de Gestão do caranguejo-uçá (Ucides cordatus) na Reserva Extrativista de Cassurubá, caravelas, BA” Cassurubá, Caravelas, BA”, reali- que conste no Acordo de gestão!! Fizado pela Associação dos Maris- quem atentos para essa importante reuqueiros de Ponta de Areia e Cara- nião! velas – AMPAC com o apoio financeiro da SOS Mata Atlântica e Para mais informações nos procuapoio técnico da Conservação re!! Não fique de fora dessa imporInternacional e ICMBio. No âmbito tante discussão, as regras aqui na deste projeto foram realizadas Resex é você que faz!! oficinas para demostrar o transporte adequado do caranguejo, intercâmbio com outras Resex, e também oficinas para discussão de um acordo de gestão que asoficina com demonstração prática da técnica da basqueta . segure a conservação dos recursos e a qualidade de vida das Desde março de 2015, vem acontecendo comunidades dependentes do caranguena Resex de Cassurubá o projeto jo. “Práticas Sustentáveis para um Acordo O projeto ainda não terminou, falta realide Gestão do caranguejo-uçá (Ucides zar a Assembleia Geral que definirá cordatus) na Reserva Extrativista de quais regras as comunidades irão querer técnica do laço realizada no mangue. Informe: Oficinas sobre o acordo de gestão do caranguejo na Resex de Cassurubá. cais de cada comunidade que participaram ativamente e foram essenciais para a realização das discussões. Seguindo o plano de trabalho - apresentado no Conselho Deliberativo da Resex – foi realizada a primeira reunião na sede da AMPAC em Ponta de Areia– com ampla divulgação na sede (através de radio poste e mobilização de porta em porta) e outras duas na sede da Colônia de Caravelas. Essas oficinas contaram com a participação de pessoas envolvidas com a captura e comercialização do caranguejo e demais interessados. As discussões iniciaram-se com a apresentação do que é o acordo de gestão e qual a importância do mesmo, seguidas dos conceitos de sustentabilidade e da demonstração do resultado do monitoramento de estoque realizado anualmente pelo CEPENE. Nesse sentido seguiu-se com as discussões sobre quais aspectos importantes deveriam ser colocados no acordo (que estará disponível na ata e também na minuta). As primeiras oficinas foram de suma importância para iniciar as discussões e reflexões acerca da importância de se ordenar os recursos e dialogar sobre as melhores formas de contribuir para a sustentabilidade da pescaria do caranguejo dentro da Resex de Cassurubá. Demonstrou também aos participantes a importância da participação de cada um deles durante este importante processo na Resex. Ocorreu em outubro as primeiras discussões sobre o Acordo de Gestão do caranguejo, promovidas pela Associação dos marisqueiros de Ponta de Areia (AMPAC) e Caravelas em parceria com a Conservação Internacional, Associações locais e o ICMBio local. As oficinas foram mobilizadas pelas lideranças lo- Curso Agente de Desenvolvimento Cooperativista O Pronatec Empreendedor integra o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e tem como principal objetivo aplicar conteúdos destinados ao empreendedorismo em diferentes cursos da educação profissional em todo Brasil. Esses conteúdos buscam desenvolver a construção de ações empreendedoras planejadas e tecnicamente embasadas para a transformação da realidade. Durante 2 meses ocorreu em Caravelas o curso Agente de Desenvolvimento Cooperativista, que tem como objetivo fortalecer empreendimentos coletivos, através do desenvolvimento da infraestrutura das cadeias produtivas e vocações econômicas locais. O curso ocorreu na sede da AMPAC e capacitou cerca de 40 alunos da comunidade. O Samburá Página 3

[close]

p. 4

O Samburá Informes do Programa De Educação Ambiental E Comunicação Do Empreendimento: Dragagem – Acesso Ao Canal do Tomba Programa de Apoio à Comunidade de Pescadores Programa de Educação Ambiental dos Trabalhadores—PEAT O Programa de Educação Ambiental dos Trabalhadores iniciou-se em 18 de dezembro com o treinamento dos trabalhadores da dragagem. O evento ocorreu no Centro de Visitantes do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos e contou com a presença de 35 pessoas. Visando a capacitação continuada dos trabalhadores envolvidos direta e indiretamente na dragagem, foram debatidos temas sobre o histórico e biodiversidade da região, impactos e acidentes ambientais, gerenciamento de resíduos, especificações técnicas do empreendimento, monitoramentos ambientais e sustentabilidade. Nos próximos meses serão realizados Diálogos sobre Meio Ambiente com esses colaboradores em seus locais de trabalho. Dessa forma atende-se as metas estabelecidas para o PEAT – Programa de Educação Ambiental dos Trabalhadores do Empreendimento. Pelo Comitê de Dragagem, foi realizada uma reunião no dia 07 de dezembro de 2015 entre as associações de pescadores e extrativistas dos municípios de Caravelas, Nova Viçosa e Alcobaça e os representantes da Fibria, para definir os prazos da proposta da condicionante de Apoio à Comunidade Pesqueira. O grupo entrou em consenso que a substituição das redes deve ser o projeto prioritário diante dos demais que serão cumpridos no decorrer dos próximos 4 anos. A Fibria realizou o repasse do recurso para a Associação Mãe dentro do prazo acordado e a aquisição será realizada pela Associação com base em orçamentos obtidos no mercado. Os panos de redes serão adquiridos no início de 2016 e encaminhados para cada uma das associações comunitárias de acordo com a demanda estabelecida, com acompanhamento da equipe de consultoria da Fibria. Para tirar suas dúvidas entre em contato com a associação mais próxima de você. Página 4 O Samburá

[close]

p. 5

O Samburá Aproveitamento dos resíduos do camarão para geração de renda passada, durante reunião na sede regional do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Nordeste (Cepene), em Caravelas (BA), entre representantes da Resex, do Centro e da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Na abertura do encontro, os professores Marcelo Ehlers Loureiro e Anders Schmidt, da UFSB, apresentaram o edital lançado pela organização Brasil Foundation, que apoia projetos sociais no País, como uma oportunidade de financiamento do projeto da Resex. O projeto, que teria a participação dos moradores da reserva, em especial da Associação da Comunidade da Barra de Caravelas, do Cepene e da UFSB, se soma ao trabalho já desenvolvido por estudantes residentes na Resex de aproveitamento da casca do camarão para a produção de farinha. ( Edição 66 do Jornal “O Samburá”). Conhecimento e geração de renda Os gestores da reserva consideraram o projeto uma “possibilidade única” para conciliar estímulo educacional, produção de conhecimento científico, geração de renda, práticas ambientalmente sustentáveis e fortalecimento comunitário. Já os representantes do Cepene demonstraram total interesse em apoiar a proposta. Eles chegaram a colocar à disposição dos pesquisadores os laboratórios da instituição para o desenvolvimento dos trabalhos que demandem maior estrutura técnica. Ao final do encontro, ficou acertado que a Associação da Barra de Caravelas, que tem status de organização da sociedade civil, e a UFSB vão preencher conjuntamente o edital, com o objetivo de concorrer ao financiamento para viabilizar o projeto. FONTE: ASCOM ICMBio. Imagem da Web Gestores e comunidade da Reserva Extrativista do Cassurubá, gerida pelo ICMBio, acabam de dar os primeiros passos para a execução de projeto sobre o aproveitamento de resíduos de camarão. O camarão é pescado na reserva e comercializado pelos moradores. A ideia é aproveitar as cascas e cabeça, que normalmente sobram após o processo de limpeza que antecede a venda, para uso na produção de quitina e quitosona. A quitosana é uma fibra de origem marinha, encontrada principalmente no exoesqueleto de crustáceos. Produzida a partir da quitina, ela é muito utilizada pelas indústrias farmacêutica e alimentícia na absorção de óleos e gorduras, principalmente em dietas para emagrecimento. Em busca de financiamento O projeto foi discutido, pela primeira vez, na semana População de baleias jubarte no Brasil cresceu 30% conforme Censo de 2015 Cerca de 17 mil baleias jubarte visitaram a costa brasileira ano passado, segundo os resultados do último censo realizado pelo Projeto Baleia Jubarte. O número é 30% maior do que o verificado no censo anterior, de 2011, quando foram estimadas 11,4 mil baleias. O cálculo é feito com base em uma amostragem de observações aéreas, depois extrapoladas — com base em critérios científicos — para toda a temporada de reprodução da espécie na costa brasileira, que vai de julho a novembro. As jubartes usam as águas calmas e quentes do Brasil para se reproduzir, dar à luz e amamentar seus filhotes. O litoral nordestino (em especial a Imagem da WEB região de Abrolhos) é um dos melhores lugares do mundo para se avistar baleias nesse período. O aumento do número de baleias no ano de 2015 é mais um indicador de sucesso dos esforços de pesquisa e conservação que vêm sendo colocados em campo no Brasil há quase três décadas pelo Instituto Baleia Jubarte, com apoio de empresas e do governo federal. Em maio de 2014, o Ministério do Meio Ambiente retirou oficialmente a jubarte da lista de espécies ameaçadas de extinção no Brasil. Texto de Herton Escobar para Ciência Estadão O Samburá Página 5

[close]

p. 6

O Samburá Estudo avalia comportamento dos mergulhadores em Abrolhos Mergulhador toca acidentalmente o coral de fogo Millepora alcicornis). Crédito: Johnatas Alves Você já reparou em quantas vezes toca o recife durante um mergulho? E em quantos desses toques é em algum organismo frágil, como corais, esponjas e gorgônias? Para responder essas questões, pesquisadores da Universidade Estadual de Santa Cruz e da Macquarie University (Austrália) observaram o comportamento de 142 mergulhadores SCUBA no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos. Essa informação é importante para verificar os possíveis impactos do mergulho recreativo e subsidiar medidas de gestão a fim de reduzi-los, como a determinação da capacidade de suporte e zoneamento do uso. No estudo foram realizadas comparações entre três tipos de recife: franja, chapeirão e recife artificial. Também foram comparadas as características do mergulhador como gênero, experiência, uso de câmeras e side Página 6 mount que é um colete com a unidade de flutuação nas costas e que foi modificado para receber os cilindros na lateral do corpo. Os resultados revelaram que a cada mergulho, o mergulhador toca em média nove vezes os animais do recife e dessas, uma causa algum dano físico aos organismos que vivem associados ao fundo como os corais, esponjas e gorgônias. A grande maioria dos contatos foi acidental, através das nadadeiras e no início do mergulho, fase em que os mergulhadores estão ajustando o equipamento e a flutuabilidade. O local que recebeu a maior média de contatos foi o recife artificial e os mergulhadores que mais tocaram os organismos foO Samburá ram os fotógrafos especialistas e usuários de side mount. Diferente do que se esperava, os mergulhadores mais experientes não causaram menos contatos que os novatos. O estudo sugere medidas para a redução do número de contatos, como a inclusão de aspectos ecológicos e fragilidade dos corais no briefing pré-mergulho com o objetivo de sensibilizar os mergulhadores a não tocar no recife, iniciar o mergulho em locais com baixa abundância de corais e incentivar os condutores de mergulho a interferirem e auxiliarem quando algum mergulhador tocar o recife. Desta maneira, espera-se melhorar a qualidade do uso público das Unidades de Conservação, garantindo a saúde do recife e a continuidade do mergulho num local bem conservado e repleto de vida. Fonte: Vinicius GIglio

[close]

p. 7



[close]

p. 8

Pesquisadores analisam se as águas de Abrolhos foram contaminadas. No fim de novembro, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse que a lama do desastre causado pela Samarco não deveria chegar a Abrolhos devido a correntes marítimas, mas imagens de satélite e inspeções aéreas apontaram que a mancha de lama que surgiu após o rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG) já pode ter chegado ao arquipélago de Abrolhos, no sul da Bahia, uma das áreas de maior diversidade do Atlântico Sul. A presidente do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Marilene Ramos, e o presidente do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), Claudio Maretti, informaram em entrevista coletiva, que estão monitorando uma mancha no oceano que chegou à região sul da Bahia. No mês de janeiro o presidente do ICMBIo, Cláudio Maretti, estará em Caravelas para se reunir com técnicos, comunidade e operadores de turismo. Com uma postura séria e objetiva, ele tem publicado informações atualizadas através das redes sociais sobre o assunto. Segundo o presidente: "Não há nenhuma indicação de restrição ao turismo no sul da Bahia, mas o monitoramento visa comprovar origem dos sedimentos e comprovação de eventual dano à biodiversidade. As unidades de conservação, como parques e reservas, são tão importantes para os interesses de conservação da sociedade brasileira que merecem essa atenção. A Reserva Biológica de Comboios, no ES, foi a mais afetada até agora, mas há outras cinco sob análise -- APA Costa das Algas, Reserva de Vida Silvestre de Santa Cruz, Reservas Extrativistas de Cassuruba e Corumbau, além do Parque Nacional Marinho de Abrolhos".

[close]

Comments

no comments yet