EETAD em Revista Edição 40

 

Embed or link this publication

Description

EETAD em Revista Edição 40 - Teologia, nossa vocação em ensinar sua vocação e servir

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

Palavra do Presidente Teologia: nossa vocação para ensinar, sua vocação para servir T Informativo semestral da enho dois assuntos para compartilhar com você. O primeiro tem a ver com a sua vocação para servir; o segundo é sobre nossa vocação para ensinar. Nossa vocação para ensinar Há alguns meses atrás, na edição de número 38 de nossa revista, falei sobre a importância de rever conceitos, mas manter os valores. De fato, aquela foi uma ocasião muito especial na história da EETAD e da FAETAD, pois estávamos implantando uma reformulação acadêmica sem precedentes – algo que influenciará a forma como a Teologia é ensinada em nosso país. Exatamente, aliás, como aconteceu na década de 1980, quando a EETAD apresentou seu plano educacional para as Assembleias de Deus brasileiras e todas as muitas outras denominações evangélicas que acreditaram e apoiaram esta visão desde o início. Agora, uma vez mais, redijo a abertura de nossa revista para discorrer sobre mais algumas importantes mudanças que estão em andamento em nossa estrutura de gestão escolar. Escola de Educação Teológica das Assembleias de Deus Presidente Pr. Terry Johnson Diretor Pr. Josué de Campos Editor Márcio Matta Colaboradores – Gunar Berg – Miriam Estevan – Beth Kinas – Milena Reis Capa Bruno William Gunar Berg Diagramação Bruno William Rodovia Campinas-Mogi Mirim, Km 119 Rua Pr. Bernhard Johnson, 500 Bairro Tijuco de Telha 13086-600 Caixa Postal 1031 Campinas (SP) 13012-970 Fone: 19 3757-5700 www.eetad.com.br Distribuição gratuita Proibida a reprodução de qualquer parte desta revista sem a autorização, por escrito, da EETAD. Sua vocação para servir Capazes de captar a quintessência da vida, os filósofos nos surpreendem com definições e conceitos. Dentre tantos, é muito interessante a seguinte definição sobre o que é a vocação: vocação não tem a ver com prazer, isso é passatempo; vocação tem a ver com tolerância. Essencial! Pense em porquê você escolheu estudar e veja: apesar da eventual satisfação que isso pode trazer, na maior parte do tempo, estudar desafia a sua tolerância! Tolerância a horas de estudo. Tolerância à leitura sem fim. Tolerância ao nervosismo pré-teste. Tolerância, muito mais que satisfação. Agora, pense em porquê você escolheu estudar teologia na EETAD/FAETAD... Durante 4 meses, Essas instituições, apeuma equipe multisar da qualidade e traA certeza de estudar a Bíblia departamental da EEdição que possuem, corretamente não vem do TAD e da FAETAD, optaram por não se trabalhou com afinco MEC, mas, do Espírito Santo sujeitarem ao modismo na mais profunda reda teologia reconhecida forma já feita do Manual do Núcleo. pelo MEC. Então, responda: porque você optou por estudar a Bíblia na companhia A propósito, até mesmo o nome destas de nossos manuais de estudo, e não com normas mudou: Guia do Núcleo. Assim os livros de qualquer outro educandário como o nome, as normas também se carimbado pelo MEC? Eu respondo: por simplificaram, se tornaram mais fáceis e causa da sua vocação para servir, meu caro! precisas. Tudo porque a EETAD e a FAETAD reconhecem que o cumprimento Se vocação tem a ver com tolerar, sigde sua missão passa pelo serviço abnenifica, então, que você escolheu a EETAD e a FAETAD porque pode suportar horas gado que os responsáveis pelos Núcleos de estudo, porque é capaz de sobreviver a desempenham em suas igrejas. Logo, até 8 provas por disciplina e é capaz de ler tudo o que puder ser feito para facilitar o 10.000 páginas de conteúdo sentindo-se labor de nossos combem por não ter o aplauso dos acadêmicos panheiros Diretoe intelectuais seculares. Estudar na EETAD res, Coordenadores, e na FAETAD ressalta a sua vocação em Monito-res e Secreservir ao Pai, e em ser reconhecido apenas tários, de-ve e será por Ele. A certeza de estudar a Bíblia corfeito. Essa é nossa retamente não vem do Governo Federal, vocação, porque pomas, do Espírito Santo de Deus. Você é demos suportar o capaz de viver sem os aplausos do mundo. peso da excelência Aleluia! Isso é vocação verdadeira! no ensino da Palavra Pr. Terry Johnson de Deus.

[close]

p. 4

Estudo Bíblico ORANDO COM OS GIGANTES T enho sido indagada por várias pessoas que me perguntam: – “Por que ainda trabalha na sua velhice? Não está na hora de descansar?” Ao que respondo: – “Você ora por mim?” – “Claro que sim!” – “Então, a culpa é sua porque ainda trabalho”. Outra pergunta que ouço frequentemente: – “Poderia recomendar-me um bom manual sobre a oração, pois preciso aprender a orar melhor?” – “Absolutamente. O melhor manual que já encontrei chama-se Bíblia Sagrada”. A Bíblia registra mais de 650 orações. Por quê? Porque Deus e a oração são inseparáveis; Ele comunica-se conosco por meio dela. 1. Por que devemos orar? “... a oração fervorosa de um justo tem grande poder e resultados maravilhosos.” (Tg 5.16 – BV). sofria vendo os filhos pequenos serem levados para a casa dos irmãos da igreja. A família ficou separada por um ano, mas o meu pai orava sem cessar, pedindo a Deus que providenciasse uma mãe para seus filhos, assim a família voltaria a se unir. Deus respondeu ao clamor de um intercessor e nos mandou uma madrasta, que criou os oito filhos, junto com nosso pai. 2. Desde o início Deus comunica-se com o homem Foi iniciativa de Deus estabelecer a comunicação com o homem. Observermos: com Adão e Eva, no Éden: “E Deus os abençoou e Deus lhe disse...”; “E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia...” (Gn 1.28; 3.8). Também, os patriarcas se comunicaram com Deus: “... andou Enoque com Deus”; “E edificou Noé um altar ao Senhor...” (Gn 5.24; 8.20). 3. Oração de compaixão O que significa compaixão? Compaixão é a graciosa habilidade de participar no sofrimento dos outros. Não é uma emoção temporária, mas duradoura: “... que todos vocês tenham o mesmo modo de pensar e de sentir. Amem uns aos outros e sejam educados e humildes uns com os outros.” (1Pe 3.8 – NTLH). A primeira grande oração da Bíblia é de compaixão, proferida por Abraão, que intercedeu por uma cidade pecaminosa (Gn 18,19). Mas será que Ló, encarando a morte com os outros moradores de Sodoma, merecia compaixão? Apesar de toda a maldade, Abraão intercedeu pela vida do sobrinho. Deus nos ajude a orarmos com compaixão pelos desviados e não salvos. Co-mo orar por pessoas que não gostamos? Somente com a ajuda do Espírito Santo. O antônimo de compaixão é indiferença. Deus está nos alertando para nos importarmos com um mundo indiferente. Deus honrou a intercessão de Abraão pela vida da família de Ló porque: 1. ouviu a voz de Deus. Estava em comunhão constante com Deus. 2. obedeceu a voz de Deus. 3. orou fielmente. É importante notar que todas as vezes que Abraão saía de um lugar para outro, logo depois de armar sua tenda, edificava um altar para comunicar-se com Deus. A tenda e o altar eram inseparáveis. O primeiro altar foi perto de Siquém onde Deus apareceu e falou com ele. O segundo foi perto de Betel e, neste local, Abraão acampou, fez um altar e orou. O terceiro altar construído ao Senhor foi perto de Hebron. Abraão sempre comunicava-se com Deus para dEle receber perdão, direção, consolação, força, sabedoria e muito mais. É interessante notar que no AT Deus falava muito e os homens pouco. 4. Oração de intercessão Dentre os patriarcas, falaremos de Moisés – um grande intercessor. Pobre Moisés, com sua congregação carnal que estava sempre se queixando, chorando, criticando e xingando. Encontramos no livro de Êxodo três orações de Moisés: 1. Após receber as tábuas de pedra, Deus começa a falar-lhe. Enquanto falava, o Senhor indignado disse a Moisés que descesse, pois o povo era rebelde e teimoso. Disse mais: “irei destruí-los e depois farei de você uma grande nação.” Mas, Moisés implorou a Deus que não A oração é a chave que abre a porta dos milagres. É o ponto de captação do poder de Deus! A oração é mais o que somos do que o que dizemos ser! Nos 62 anos de ministério, tenho aprendido que o meu maior desafio é manter uma disciplina de oração poderosa. Tive o privilégio de, ainda criança, aprender a orar com meu pai, um homem consagrado a Deus; um diácono fiel. Vi milagres acontecerem em casa e na igreja por causa das orações do meu pai. Minha querida mãe faleceu após o oitavo parto, deixando um recém-nascido e mais sete filhos órfãos. Meu pai

[close]

p. 5

fizesse isto. Disse mais: “Senhor, por que ficar indignado com este povo? Com o povo que tiraste do Egito com grandiosos milagres? Não quererá que os egípcios falem mal de Ti, dizendo que trouxe o povo de Israel para as montanhas para o destruir da face da terra! Volte atrás, eu peço, e apague a fúria da sua indignação. Desista de fazer esse terrível mal ao Seu povo! Lembre-se da promessa que fizeste aos Seus servos Abraão, Isaque e Israel, pois, prometeste-lhes multiplicar os seus descendentes como as estrelas do céu para herdarem e possuirem este território para sempre.” Resultado: o Senhor desistiu de destruir Israel! (Êx 32.9-14). 2. A segunda oração, registrada em Êxodo 32.31-34, relata que Moisés voltou ao Senhor e disse: “O povo cometeu grande pecado, fazendo para si deuses de ouro. Mas lhe imploro que perdoe esse pecado, senão, peço que me risque do livro que escreveu. E o Senhor respondeu a Moisés: Riscarei do meu livro aquele que pecar contra mim. Agora vá e conduza o povo para onde já lhe falei. Esteja certo que o meu Anjo irá à frente. Mas, no tempo certo, visitarei o povo e castigarei por causa do pecado que cometeu.” 3. Na terceira oração, fervorosamente diz: “... Rogo-te que mostre a tua glória.” (Êx 33.18). Moisés bem sabia que não poderia continuar na liderança do povo de Israel sem receber revelação da glória de Deus. Como a liderança da Igreja hoje necessita desta revelação! Denominações necessitam da revelação da glória de Deus. Igualmente, precisamos de respeito renovado ao Calvário e sua agonia. Necessitamos de respeito renovado ao amor do Pai e ao conforto do Espírito Santo. 5. Oração sem palavras Primeiro exemplo de oração de uma mulher registrado na Bíblia foi de Ana. Sua oração gerou um dos mais influentes profetas de Israel, Samuel, que se tornou o agente de Deus para unção do incomparável rei Davi. 1 Samuel 1.10,11 diz: “... com amargura de alma, orou ao Senhor e chorou abundantemente... fez um voto, dizendo: ... Se benignamente atentares para a aflição da tua serva... mas à tua serva deres um filho varão, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida... Ana, no seu coração, falava, e só se moviam os seus lábios, porém não se movia a sua voz...”. A fé de Ana pode ser evidenciada quando dá ao seu filho um nome, cujo significado é o nome de Deus. Depois do nascimento do filho varão que ela havia pedido do Senhor, fez sua segunda oração começando na forma da mais elevada exaltação ao Senhor, culminando numa inspirada declaração profética (1Sm 2.1-10). 6. Oração de poder Atos 4.24-31 mostra-nos um grupo de crentes reunidos e unidos em uma oração de poder, cujas palavras chegaram ao trono de Deus, visto que, depois desta oração, o prédio onde estavam reunidos foi sacudido e todos eles foram cheios do Espírito Santo. Capacitados para trabalhar, anunciavam a poderosa mensagem de Deus – o Evangelho de Jesus, nosso Senhor! Aleluia! Lições que devemos aprender acerca desta oração: 1. Ao surgirem perseguições e ameaças, devemos nos reunir com o povo de Deus e orar. 2. Quando estamos orando, fortaleçamos a nossa fé, confessando a grandeza de Deus, a quem oramos. 3. Precisamos orar com base na Palavra de Deus. 4. Não oremos meramente por nossa autopreservação e escape, quando, por exemplo, surgirem perseguições e formos ameaçados, mas oremos para que tenhamos um ministério eficaz, a despeito dessas mesmas perseguições e ameaças. 5. Oremos para que Deus aumente a nossa capacidade de sermos cheios do Espírito Santo e que Ele confirme em nós a Sua Palavra com sinais miraculosos. 7. Oração – um combustível Jesus ensinou sobre quatro tipos de oração básica: oração individual (no aposento); oração de parceiro; oração em grupo pequeno e oração corporativa que inclui o corpo de Cristo. Ele não somente foi um exemplo através de Sua vida e ministério da necessidade de oração pessoal, mas também da necessidade de ter parceiros de oração (Pedro, Tiago e João). Diante do altar da oração recebemos perdão para nossos pecados, pois os confessamos. É o momento que adoramos; nós falamos e Deus escuta, Ele fala e nós escutamos. Quando oramos milagres acontecem! Diariamente somos desafiados a “habitar no lugar secreto do altíssimo” para que possa “permanecer sob a sombra do Onipotente.” Este é o lugar do poder da oração sem o qual ficamos totalmente impotentes. Romanos 8.16 diz: “Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimí-veis.” Com estes dois parceiros divinos de oração, Jesus Cristo, à mão direita do Pai intercedendo por nós, e o Espírito Santo habitando em nós, podemos obedecer nosso comandante e irmos onde Ele quer que vamos e sermos o que Ele quer que sejamos. Louvado seja o nome do Senhor! Missionária no Brasil desde 1957, Doris Johnson é ministra ordenada pelas Assembleias de Deus americanas e presidente do Ministério Bernhard Johnson, nos EUA. EETAD em revista | 03

[close]

p. 6

Quem É Quem no Conselho Fiscal da FAETAD Pr. Temóteo Ramos de Oliveira Membro do Conselho N ascido em 13 de Outubro de 1940, pastor Temóteo é filho do Pr. Benjamim e Maria Oliveira. É casado com Ada de Oliveira e têm 5 filhos, 2 genros e 3 noras, dos quais advieram 8 netos. Sua formação acadêmica inclui o bacharelado em Teologia e em Direito e outros cursos profissionalizantes. Aos 7 anos entendeu o significado da fé no Evangelho. Foi batizado no Espírito Santo aos 11 anos. Sua chamada ao ministério se deu em Janeiro de 1962 de forma muito clara, sendo sua ordenação em 1964. Teve o início do labor na Bolívia e, em seguida, na Espanha. Ao regressar ao Brasil, pastoreou a AD em Santo Aleixo (RJ). Foi Co -Pastor e Vice-Presidente na AD no campo de São Cristóvão (RJ), ao lado do Pr. Túlio Barros. Em 24/10/1989, assumiu o pastorado da AD em Petrópolis (RJ), onde permanece até esta data, sendo ainda – Pastor-Presidente da AD em Petrópolis – Presidente da CONFRADERJ – 2º Vice-presidente da CGADB o pastor presidente da AD no bairro de Benfica (RJ). Atualmente, preside a CONFRADERJ (Conv. Fraternal das ADs do R. de Janeiro) Também preside cerca de 10 outras igrejas vinculadas à sede em Petrópolis. Serviu a CGADB em quase todos os seus órgãos inclusive foi funcionário da CPAD. Prestou relevantes serviços às CONFRADERJ e CEADER na condição de Vice-Presidente, 1º Secretário e Secretário Executivo. Escreveu seis livros e é articulista dos periódicos da CPAD e outros. Fundou a revista informativo de missões Senami em Foco. Tem viajado por muitos países em função da obra missionária, visão primordial que recebeu do Senhor Jesus. Pastor Temóteo declara que os momentos significativos do seu ministério, naturalmente, foram os que comprovaram a ação do Espírito Santo convencendo os pecadores e revestindo os crentes com a virtude de Deus para serem testemunhas de Cristo (At 1.8). E, continuar fazendo a obra de Deus é minha meta, pois a vida só tem sentido se estiver no plano de Deus. Ele é quem traça o nosso rumo. A FAETAD sente-se honrada em ter Pr. Temóteo como Conselheiro e enseja as ricas bênçãos do Senhor sobre sua vida, família e ministério. Aconteceu Mudanças na gestão dos Núcleos demandam um dos maiores treinamentos Interessados em instalar Núcleo e demais membros de diretoria das mais diversas regiões do Brasil (ES, DF, RJ, SP, TO) para este encontro. Ministrado pelo pastor Josué de Campos (dir. adm.), pelo irmão Márcio Matta (assessor adm.) e pelo professor Gunar Berg (coord. acadêmico da FAETAD), este treinamento teve como objetivo informar os novos procedimentos relacionados à reestruturação e a unificação do curso ministrado pela EETAD e FAETAD, bem como a capacitação para os novos membros de diretoria dos Núcleos. A diretoria da EETAD/FAETAD deixa aqui registrado seu profundo agradecimento a todos os participantes pelo esforço empregado no atendimento ao convite. Também, aos demais membros de diretoria de Núcleos, pela dedicação ao exercício de suas respectivas funções, durante ano de 2014, que resultou em notável desenvolvimento e engrandecimento para o Reino de Deus. Pr. Josué de Campos Márcio Matta Gunar Berg

[close]

p. 7

EETAD/FAETAD: CADA VEZ MELHOR! Conheça as novidades que estão facilitando, barateando, simpliöcando... + BARATO + RÁPIDO + SIMPLES PAPEL BENEFÍCIO BENEFÍCIO DIRETO AO DIRETO AO ALUNO NÚCLEO Certidão gratuita de conclusão de ciclo. A partir de 1º de Janeiro de 2015, ao completar os estudos do Ciclo, o aluno receberá gratuitamente esse documento. Porém, se ele optar por receber um documento de conclusão especial, basta fazer a solicitação e o pagamento por este serviço Migração de ciclo. Quando o aluno precisava mudar do 1º para o 2º Ciclo, era preciso revalidar cada uma das disciplinas já estudadas, pelo que se pagava um determinado valor por cada matéria. Agora, as disciplinas já cursadas permanecerão com a nota e o crédito original, e o aluno não paga nada por isso Assinatura nos formulários. Em consideração aos muitos afazeres que os Diretores dos Núcleos, que são os próprios pastores-presidentes das igrejas, naturalmente acumulam, em grande parte dos formulários não é mais preciso a assinatura deles. Nestes casos, basta a assinatura do Coordenador do Núcleo, que, claro, é sempre alguém indicado pessoalmente pelo Diretor Taxas. Foram desmembradas e simplificadas, para baratear o processo – em alguns casos, houve até isenção de cobrança. O pagamento de algumas taxas passou a ser via internet, simplificando o trabalho do Núcleo e agilizando a vida estudantil Taxa de abertura de Núcleo. Já não existe mais. Recuperação acadêmica. A partir de 1º de Janeiro de 2015 será totalmente on-line. O aluno solicitará a prova e fará o pagamento dela pela internet. Taxa de Matrícula e Rematrícula. A partir de 1º de Janeiro de 2015, os alunos que ingressarem no sistema EETAD/FAETAD, ou que retornarem aos estudos, pagarão uma taxa, sendo que 50% do valor ficarão para o Núcleo. Essa iniciativa visa reforçar financeiramente os Núcleos EETAD em revista | 05

[close]

p. 8

Especial Núcleo 151 celebra a conquista do 1º lugar entre os melhores de 2013 F undado em Julho de 1980, o Núcleo 151 instalado na Igreja Assembleia de Deus de S. Luís de Montes Belos (GO), presidida pelo pastor Gleidison Joaquim Bastos (dir. do Núcleo), comemorou no culto de 08/06/2014 o 1º lugar em crescimento e desenvolvimento conquistado no ano 2013. Pastor Gleidison, um dos grandes incentivadores da EETAD, recebeu das mãos do pastor Josué de Campos (dir. adm.), um quadro por este mérito. Presti-giando o evento, esteve pastor Oides José do Carmo, pastor-presidente da Igreja Assembleia de Deus, em Goiânia (GO). A diretoria do Núcleo, juntamente com todos os alunos expressaramm sua gratidão a Deus por esta grande conquista. Atualmente, o Núcleo possui o 1º Ciclo – Básico com 145 alunos e o 2º Ciclo – Médio com 20 alunos, totalizando 165 alunos. Os demais membros da diretoria são: Pr. Antonio Evaristo Mendanha (coord. e monitor do 2º Ciclo); Helenice Theodoro de Rezando (monitora do 1º Ciclo); e Pr. Idivânio Zanquetin (secretário-tesoureiro). Acima: equipe de pastores presentes no culto. À esquerda: Pr. Gleidison (E), segura o quadro de homenagem entregue pelo pastor Josué. R anking dos 20 maiores n úcleos da eetad Set/2014 POSIÇÃO ATUAL N úc. CIDADE (UF) Formação Teológica 1º Ciclo – Mat.: Os Livros Poéticos 2º Ciclo – Mats.: Princ. de Acons. Fam. / Apologética I ALUNOS Qtde. 1C-B 2C-M DENOMINAÇÃO DIRETOR DO NÚCLEO 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º 1.000 325 72 69 47 63 720 466 1 151 84 107 380 569 1467 805 1095 1510 302 990 São Paulo (SP) 1.573 Ipatinga (MG) 433 Rio Branco (AC) 394 Porto Velho (RO) 349 Piracicaba (SP) 296 Caxias do Sul (RS) 259 Bauru (SP) 207 Gov. Valadares (MG) 199 Rio Branco do Sul (PR) 185 S.L. Montes Belos (GO) 165 Ariquemes (RO) 127 Canoas (RS) 125 Jaru (RO) 104 Rio Claro (SP) 104 Pindamonhangaba (SP) 100 Lavras 99 C. dos Goytacazes (RJ) 97 Porto Feliz (SP) 95 Jaboticabal (SP) 91 Mogi Guaçu (SP) 91                                    Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Assembleia de Deus Pr. Samuel Cássio Ferreira Pr. Antônio Rosa da Silva Pr. Luiz Gonzaga de Lima Pr. Joel Holder Pr. Dilmo dos Santos Pr. Daniel Regis Cavalcante Pr. Antonio Baltazar Cardoso Pr. Salatiel Fidelis de Souza Pr. Eloir dos Santos Pr. Gleidison Joaquim Bastos Pr. Nels dos Santos Pr. Edegar de Souza Machado Pr. Manoel Cardoso da Cruz Pr. Marcos José Fogaça Pr. Euclides Vaz Jr. Pr. Antonio L. Cerqueira Pr. Elias de Souza Moreira Pr. Hélio Santana da Rocha Pr. Rubens Nunes da Silveira Pr. Gessé Plácido Ribeiro

[close]

p. 9



[close]

p. 10



[close]

p. 11



[close]

p. 12

Artigo Teológico F A E T A D A TEOLOGIA É NOSSA A Educação Teológica é um patrimônio cristão. E deve continuar assim Professor Gunar Berg H á um apelo para a renovação da educação teológica, um vocativo que trata dos objetivos, dos propósitos deste patrimônio cristão que é a formação teológica. Para alguns, o atual paradigma de educação teológica é falho. Bem poucos cristãos, no entanto, querem modificar essa herança. Quem está certo: alguns acadêmicos ou os muitos crentes? Se entendermos o propósito de ser da educação teológica, compreenderemos por-que ela é um tesouro da cristandade, e para permanecer como tal, deve manterse como está. O essencial para a educação teológica não é mudar, mas, sim, recuperar e manter sua singularidade e distinção. Do ponto de vista bíblico, portanto, ela consiste na formação do povo de Deus na verdade de Deus, com a finalidade de pessoal reno-vação e parti-cipação no cumprimento da missão da Igreja. Logo, a educação teológica é a for mação q u e gera transformação por meio do povo de Deus. Se esse é o certo, e é, ao invés de apostarmos em uma renovação, deveríamos acreditar no poder de um aviva-mento educacional pela Palavra. Essa deve ser a nossa meta! Mas quais seriam as mudanças mencionadas no primeiro parágrafo? São, na verdade, duas; uma é conjuntural, a outra conteudista. Conjunturalmente, deseja-se fazer da formação teológica não algo formal, mas estatal. Aos olhos de alguns esta pode ser uma argumentação exagerada, mas não levará tempo até que alguém sugira uma reserva de mercado para a atividade teológica. Ora, não é o que pretendem os conselhos e confederações de teólogos que estão a pipocar em toda parte? Esquecem-se os que isso propõem que teólogo não é pro-fissão, é função, e como tal não é regulada porque é fruto da consciência espiritual, e não da chancela do estado. A mudança conteudista tem a ver com a inserção de grande carga filosófica no currículo teológico, como se a Rainha de todas as Ciências necessitasse de muletas para manterse em pé. Esquecemse os que assim querem, que a 10 | EETAD em revista

[close]

p. 13

Previsão de Remessa filosofia é das mais voláteis ciências, o que não combina com a certeza do pensamento teológico, que em dois milênios fez amadu-recer, mas não transmutar-se. Manter a educação teológica como herança e um patrimônio cristãos requer o estabelecer de uma meta, de um objetivo. Em tempos de relativismo, no entanto, a nossa missão pode soar idealista demais e pouco prática. Isso é, porém, uma armadilha pósmoderna, pois nosso ideal não é um devaneio divorciado da realidade, mas a manifestação da verdade bíblica. Logo, a educação teológica, bem como os educadores e os educandos, devem ter só e somente um propósito (qual é ele, veremos adiante), que, se assumidos, impede que a educação teológica se subverta em um meio sem objetivos, em um fim em si mesmo. Para muitos a finalidade da educação teológica é acadêmica. Se o objetivo é intelectual apenas, então estamos diante de uma disciplina qualquer, uma ciência a mais no caleidoscópio do saber. Mas seria somente isso a formação teológica, um diploma a mais, apenas mais uma cátedra entre tantas? É lógico que não! A Teologia é muito mais que uma área do saber humano; ela é a própria sede humana pelo saber. Ela é a sede e a fome por saber sobre Deus. Como já dito, a Teologia é um patrimônio da cristandade, e não algo que possa ser regulamentado pelos governos e os homens. A teologia é um direito de todo o cristão, e não um assunto de estado. Ela não deve ser regulamentada porque deve ser vivida. Nota-se um recente esforço estatal pela regulamentação do ensino teológico. Que ele queira interferir nisso, não é novidade. Na verdade, é mister. O impressionante é a velocidade com que muitos cristãos cedem a isso, imaginando que seu conhecimento bíblico terá mais valor quando chancelado pelo Ministério da Educação. Não entendem eles que isso significa desvirtuar completamente o propósito da formação teológica? É mudar a herança que a dois milênios está em nossa família em um transitório patrimônio acadêmico, que gradativamente será assemelhado a todos os outros. Aceitar que uma chancela do governo lhe valide o estudo sobre Deus é rebaixar a Teologia de Rainha das Ciências à condição de mera princesa, talvez duquesa. Esse texto não é um manifesto qualquer contra a intregalização de créditos teológicos livres pelo MEC. É muito mais que isso. É um alerta a todos os estudantes de teologia, para que não se percam na grande jornada teológica, para que não se desviem no caminho que se estende da mente ao coração. A finalidade da formação teológica não é o saber pelo saber, mas o saber sobre Deus para servir a Deus e ao povo de Deus. Precisamos nos render a isto: a educação teológica é a obra do Espírito Santo. A educação geral exige um desempenho eficiente de tarefas, mas a educação teológica vai além e exige um desempenho do espírito. 1º Semestre

[close]

p. 14

Com a Palavra, Liderança e alunos V ejo a EETAD como uma instituição séria, a serviço do Reino de Deus, que colabora com a Educação Cristã de maneira efetiva, através de seus programas e currículos, voltados para a edificação do Corpo de Cristo. Seus alunos, nos diversos cursos, recebem o que há de melhor, em termos teológicos e bíblicos. A EETAD é reconhecida no país e fora dele como uma escola de formação de obreiros, que muito contribui com as igrejas evangélicas. Pr. Elinaldo Renovato de Lima Pastor-Presidente da Igreja Assembleia de Deus, em Parnamirim (RN) GRATIDÃO Ser aluna da EETAD tem sido para mim grande bênção do Senhor. Glorifico a Deus pela vida do meu pastor Elias dos Santos que tem me apoiado grandemente nesta jornada. A EETAD tem me proporcionado grande conhecimento, que muito tem me ajudado nas aulas da EBD. Agradeço e parabenizo todos vocês pelo maravilhoso trabalho. Deus Abençoe! Lidia Quaresma Núcleo 990 – Mogi Guaçu (SP) Satisfação Louvo a Deus pela EETAD, pois tem sido um instrumento de Deus para me levar ao crescimento das Santas Escrituras. E, como resultado, o Senhor me concedeu o privilégio de ser ministro de Sua Palavra, como professor da EBD. Ozéias R. da Silva – TeleCurso Nº 5444 – Formosa (GO) BÊNÇÃO O curso bacharel em teologia pela FAETAD foi uma bênção em minha vida, pois além do exercício constante da fé, proporcionoume o desenvolvimento da habilidade autodidática, pois vários temas para mensagens e estudos surgiram enquanto eu estudava, ampliando o conhecimento teológico e experiência com Deus. Finalmente, algo novo e marcante foi o estudo do grego, para compreender a sua importância no resgate da originalidade da interpretação dos textos sagrados. José dos Reis Lopes – Nº 11.0047 Ipatinga (MG) OPORTUNIDADE O curso Bacharel em Teologia da FAETAD tem sido uma bênção em minha vida, pois possui uma grade de alta qualidade e de valor internacional, produzida por grandes mestres. Este curso é para mim, uma grande oportunidade. Adriano A. S. Cunha – Nº 11.0002 Duque de Caxias (RJ) Privilégio Tive o privilégio de concluir o curso da EETAD. Hoje, agradeço a Deus pela oportunidade de adquirir conhecimento bíblico de alto nível através da FAETAD, aperfeiçoando, assim, o ministério que recebi do Senhor Jesus, para compartilhar as Sagradas Escrituras com outras pessoas. Só a eternidade revelará o quanto estas escolas são instrumentos e canal de bênçãos para o povo de Deus. Daniel F. da Silva – Nº 11.0018 Água Boa (MT) Ajuda Sou grato a Deus por ser mais um dos alunos da EETAD, através da modalidade Telecurso. A EETAD tem muito ajudado nas mensagens e ensinamentos. Obrigado a todos, meu abraço a todos da diretoria. Sebastião A. Lopes – TeleCurso Nº 3010 – Rio de Janeiro (RJ) Esta seção é reservada aos alunos da EETAD e da FAETAD. Envie texto, foto, nº do Núcleo e nº de sua matrícula para revista@eetad.com.br 12 | EETAD em revista

[close]

p. 15



[close]

Comments

no comments yet