RLB 39 - Dez 2015

 

Embed or link this publication

Description

Só falta você!

Popular Pages


p. 1

Ano 6 – nº 39 – Dezembro de 2015 – R$ 6,50 Só falta você!

[close]

p. 2

a folia do carnaval Pacotes de 7 Noites | 06 a 13 de Fev Passagem aérea Traslados de chegada e saída ida e volta Hospedagem Café de manhã Os melhores destinos para curtir sem juros 10x Porto de Galinhas Pousada Água Marinha A partir 10x R$ Total à vista R$ 2.743,00 274 199 Pousada Tabajuba A partir ,30 10x R$ Total à vista R$ 2.761,00 276 ,30 Armação Porto de Galinhas A partir 10x ,10 R$ Total à vista R$ 2.998,00 299 ,70 ,80 Maceió Marinas Maceió A partir Porto da Praia A partir 10x R$ ,80 10x R$ Total à vista R$ 1.998,00 Total à vista R$ 2.043,00 204 Ritz Suites A partir 10x R$ Total à vista R$ 2.387,00 238 279 ,55 Maragogi | Praia Dourada A partir 10x R$ Total à vista R$ 3.829,00 382 10x ,90 Salvador Sol Bahia A partir 10x R$ Total à vista R$ 2.327,00 232 Sol Plaza Sleep A partir ,70 10x R$ Total à vista R$ 2.385,00 238 Sol Victoria Marina A partir Sol Barra A partir 10x ,50 R$ ,80 R$ Total à vista R$ 2.798,00 Total à vista R$ 3.490,00 349 ,00 Cruzeiros pelo Brasil Roteiro: Santos, Cabo Frio, Ilhabela e Santos Cabine Interna Dupla Bella Entrada de 59,50 + A partir 10x Noites/saídas 4 Noites | 14 de Dez 3 Noites | 29 de Jan 3 Noites | 26 de Fev R$ Total à vista R$ 595,01 53 Valores por pessoa em apartamento/cabine dupla. Saídas de Brasília, taxas de embarque não inclusas. Cruzeiros não incluem parte aérea. Forma de pagamento: entrada à vista e saldo em 9x mensais com cheque ou cartão de crédito. Lugares limitados e reservas sujeitas a confirmaçåo. Tarifas e condições de pagamento sujeitos a alteração sem prévio aviso. Cadastur: 07.000152.10 0001-0 SEPN Q 504 bloco C sala 201 Ed. Marianna Brasília/DF | 70730-523 61 3202.1245 | 0800.940.1286 | www.casadeviagens.com.br Desde 2000, sempre à disposição

[close]

p. 3

| Outro olhar | Árvore de Natal do Casa Park, em Brasília Ft.: Alfredo Bessow

[close]

p. 4

Índice O Brasil na pauta Vai pro Rio? Sob o reino do sol e do mar 05 08 10 13 14 17 18 24 26 32 Este 2015 que chega aos seus estertores ficará marcado como o ano no qual a intolerância tentou - ainda sem sucesso - extirpar da face da terra aqueles que pensam diferente de supostos donos da verdade. Para mascarar a incapacidade de aceitar a divergência, o caminho tem sido da violência e da intransigência. Esta conduta é essencialmente a postura dos nazistas e fascistas que, nos anos 20 e 30 do século passado, apregoavam a necessidade de extirpar aquilo que eles consideravam “o mal”. Nunca é demais lembrar no que redundou a omissão de muitos diante da violência e da truculência que se seguiu. Quem estará disposto a pagar a conta de tanta intolerância? Boa leitura! Bacalhau do Rei, uma alternativa Ponto de Vista Novidades Parceria ou escravidão? Em 2016, novas Cias Aéreas Rua da Praia Tribuna Onde pulsa o coração da capital gaúcha Que venha logo o novo ano RT - Grécia Balaio Mais que uma viagem Festival de hip-hop em janeiro Especial de Natal Comer & Beber Cerveja sem glúten As lições de quem semeou apenas o amor Leia também... Alfredo Bessow Editor Pág 30 - Para quando o futuro chegar... 4 Leitura de Bordo | Dezembro 2015 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 5

| Capa | Sob o reino do sol e do mar www.leituradebordo.com.br | Dezembro 2015 | Leitura de Bordo 5

[close]

p. 6

| Capa | Com o dólar nas alturas, o “destino Brasil” voltou a ser a opção do brasileiro que nos anos de bonança descobriu o prazer de viajar e dos turistas que aproveitam o câmbio para se esbaldar. O risco mais evidente é o aumento no preço no litoral brasileiro por conta de uma demanda aquecida. Em alguns casos, há uma previsão de incremento no número de turistas da ordem de 30% - expectativa dos operadores de Santa Catarina. O aquecimento passa também por um incremento no número de turistas dos países do Cone Sul, seduzidos pela magia de praias e, claro, de olho num real cada dia mais fraco e desvalorizado. E o que não falta no litoral brasileiro é diversidade de opções em termos de paisagem, história, gastronomia, cultura, arquitetura e alto astral. Desde as praias mais frias do Rio Grande do Sul, com sua paisagem característica, até as praias do Nordeste, sobram opções e alternativas. Santa e bela Se o grande destaque de Santa Catarina é o conjunto de praias de Florianópolis, a verdadeira meca é Balneário Camboriú – que chega a receber mais de um milhão de turistas no verão, fazendo com que cada centímetro de areia seja disputado por diferentes sotaques. Nos últimos anos, houve investimento em infraestrutura de saneamento e uma ampliação nas opções de lazer. Quem opta pelo Balneário tem várias opções de passeios interessantes – Blumenau está a 70km pela BR-486; Beto Carrero a 37km. Rio de Janeiro Principal destino turístico que o Brasil vendeu ao longo de muitas décadas, o Rio de Janeiro continua lindo. Não tão perigoso como a mídia muitas vezes vende e nem tão calmo quanto o trade gostaria. Mas é destino inevitável para quem gosta de verão – ainda que o ideal seria aproveitar a estada para conhe6 Leitura de Bordo | Dezembro 2015 | www.leituradebordo.com.br cer mais do rico patrimônio histórico, artístico e cultural da cidade. Passeios sempre recomendados apontam o Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Maracanã, Santa Teresa, Teatro Municipal, Centro Cultural BB, Jardim Botânico, Real Gabinete Português da Leitura, Forte de Copacabana, Museu do Futuro, e praias, muitas praias e botecos...

[close]

p. 7

| Capa | Subindo... É verdade que o Espírito Santo tem Guarapari, mas é no litoral baiano que as opções históricas levam o turista às raízes do Brasil: Porto Seguro, Santa Cruz de Cabrália e, bem mais acima, Ilhéus e Morro de São Paulo. Para quem quiser evitar Salvador, a opção é ir adiante: que vale a pena. Se Alagoas tem Maceió e um sem fim de praias paradisíacas, o que dizer de Pernambuco, do Rio Grande do Norte e do Ceará? A grande vantagem deste circuito do Nordeste é a proximidade entre os destinos. De Natal(RN) até Fortaleza (CE) são 550km. De Maceió (AL) até Recife, 260km. Outros Brasis Claro que essas são as opções para quem gosta de praia, mas há muitas alternativas que merecem destaque, outros roteiros históricos, outras geografias e até mesmo outras culinárias, outros sotaques. Como se fossem outros Brasis, dentro de um mesmo e imenso Brasil... www.leituradebordo.com.br | Dezembro 2015 | Leitura de Bordo 7

[close]

p. 8

| Roteiro Testado | Bacalhau do Rei tradição da cozinha portuguesa na zona sul carioca Por Samantha Riera Fundado em 1984, o restaurante Bacalhau do Rei tornou-se referência carioca da rica culinária portuguesa e parada obrigatória para quem quer explorar as delícias gastronômicas da cidade. Com uma grande diversidade de pratos, a casa se mantém fiel aos temperos e receitas da autêntica cozinha lusitana. Localizado no coração da Gávea, tradicional bairro da zona sul do Rio de Janeiro, o restaurante prima pela alta qualidade dos produtos que compõem o seu extenso cardápio. São mais de 21 pratos com bacalhau para agradar aos mais exigentes paladares, além de entradas, petiscos, iguarias de frutos do mar e sobremesas. As opções de entradas são capitaneadas pelo delicioso Bolinho de Bacalhau. Considerado um dos melhores da cidade, o bolinho é levemente crocante por fora e possui uma textura macia por dentro, simplesmente delicioso. Mas o que é bom ainda pode ficar melhor: a versão com recheio de camarão deixa o petisco ainda mais saboroso. No Bacalhau do Rei, a escolha do prato principal não é uma tarefa fácil devido à grande variedade de saborosos pratos com a iguaria, como o Bacalhau à Lagareira (com batata ao murro, cebola e brócolis), Bacalhau do Porto do Rei (bacalhau cozido e desfiado, batata palha, cebola, ovo mexido, azeitona, cheiro verde e alho) e Bacalhau Grelhado à Alentejano (com batata corada e cebola refogada com salsa e azeite). No entanto, apesar do laborioso trabalho da escolha, o destaque vai para o apetitoso Bacalhau Assado de Lisboa. A iguaria vem acompanhada com batata, brócolis, pimentão, champignon, alho, cebola, salsa e azeite e, como todos os pratos da casa, tem opções para uma ou duas pessoas. A maratona gastronômica, que pode ser harmonizada com o Espumante Hórus Brut, é encerrada com chave de ouro com o Pastel de Santa Clara, uma das sobremesas portuguesas da casa, que ainda oferece o Don Rodrigo, Ninho de Ovos, Ovos Moles, Pastel de Belém, Barriga de Freira e Toucinho do Céu. Bacalhau do Rei www.bacalhaudorei.com.br Rua Marquês de São Vicente, 11 Gávea, Rio de Janeiro. Fones: (21) 2239 8945 / 3489 8646. Segunda a sábado: 10h - 01h Domingo: 10h - 20h 8 Leitura de Bordo | Dezembro 2015 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 9

Manter a democracia é uma tarefa imprescindível As democracias conduzem regularmente eleições livres e justas, e as sociedades democráticas devem se empenhar nos valores da tolerância, da cooperação e do compromisso. As democracias devem reconhecer que chegar a um consenso requer compromisso. Nas palavras de Mahatma Gandhi, “a intolerância é em si uma forma de violência e um obstáculo ao desenvolvimento do verdadeiro espírito democrático”. É o que, infelizmente, vemos hoje no Brasil – uma democracia ainda jovem. Alguns pregam sem pudores o impeachment, instituto reservado para circunstâncias extremas - um instrumento criado para proteger a democracia. Por isso, ele não pode jamais ser utilizado para ameaçá-la ou enfraquecê-la – como querem alguns agora -, sob pena de incomensurável retrocesso político e institucional. Esses que se apresentam como paladinos dos princípios republicanos e pregam o impeachment, são os mesmos que não aceitaram a derrota eleitoral pela quarta vez, fazendo uma aposta na agenda do “quanto pior melhor”. Isso criou sérios entraves para o país, sobretudo à luz da instabilidade, do ambiente hostil e da prevalência de uma agenda extremamente retrógrada. Houve, sem dúvidas, pedaladas fiscais em governos anteriores, assim como tivemos inflação. O país passou por diversas crises ao longo dos últimos 30 anos. Umas maiores, outras menores. Mas seguiu em frente, sem que esses fatores fossem utilizados como desculpa para a abertura de um processo de impeachment contra uma presidente legitimada nas urnas. Principalmente porque não houve crime algum. A defesa da democracia contra o golpe tem caráter estratégico e é um fator determinante para o equilíbrio e uma transição mais rápida para a retomada do crescimento econômico Vale lembrar que as tais pedaladas fiscais não se configuram desvio de dinheiro para o bolso de ninguém. Elas são recursos dos governos para ajustar o dinheiro público aos gastos necessários. Além disso, existem pedaladas para garantir os direitos e outras que violam os direitos. Aécio Neves, por exemplo, é uma das cabeças por trás do pedido de impeachment, mas parece que todo mundo esqueceu que ele também fez pedaladas. Mais de R$ 9 Bi deixaram de ser aplicados no SUS, quando ele e Anastasia maquiaram os gastos no governo de Minas Gerais. Se houver o impeachment e um governo PMDB/ PSDB se colocar no Palácio do Planalto, o arrocho e todas as políticas de austeridade irão piorar em muito a vida de todos, principalmente do trabalhador, porque a proposta econômica desse agrupamento partidário é suprimir avanços trabalhistas, reduzir a presença do Estado nas políticas públicas, erradicar direitos conquistados, reformar a previdência de forma que o trabalhador perca o direito à aposentadoria, entre outros. Tudo isso para direcionar os recursos públicos ao chamado “ajuste fiscal”. É inegável que vivemos uma crise, mas acreditamos que a melhor forma de a enfrentar é com o aprofundamento da democracia e da transparência, com respeito irrestrito à legalidade. O Sinpro-DF sempre esteve na construção de um país democrático. E isso traz para a nossa categoria uma responsabilidade a mais que é a de esclarecer, diuturnamente, o que é um golpe de estado e a quem ele serve. Afinal, o que está em jogo agora são a democracia, o Estado de Direito e a República, nada menos.

[close]

p. 10

| Ponto de Vista | PARCERIA ou ESCRAVIDÃO? 10 Leitura de Bordo | Dezembro 2015 | www.leituradebordo.com.br O setor de agenciamento de viagens no Brasil:

[close]

p. 11

| Ponto de Vista | Primeiro, uma pequena história -­ exemplo: Dias atrás, preocupado em renovar o seguro do meu carro, pois não conseguia falar com o corretor, liguei direto para a Seguradora…. Atendente: Em que posso ajudá-lo, senhor? Após me identificar, informei que o seguro do meu veículo vencia naquela data! Que não havia conseguido falar com o corretor e queria renovar o seguro! Atendente: Como já são 17h30, não temos como falar com o corretor. Também, SOMENTE O CORRETOR PODE COMERCIALIZAR. Sendo o senhor nosso cliente, prorrogarei o seu seguro até amanhã e enviarei uma mensagem para que o corretor entre em contato com o senhor e faça o atendimento! Por que estou narrando essa história? O AGENTE DE VIAGENS, atividade regulamentada pela Lei 12.974 de 15 de maio de 2014, monta seu escritório, investe em equipamentos, treinamentos, tecnologia e pessoal, Atende seu cliente em domicilio ou escritório, com hora marcada ou fora do horário comercial, sábado, domingo e feriados. Depois, “encaminha” SEU cliente para uma cia aérea, ou hotel ou navio ou ou ou… preocupando-se em garantir-lhe seu assento preferido, suas bonificações, seu check-in, tipo de acomodação ou cabine que melhor se adapta às necessidades, condições e exigências. Busca conhecer TODOS OS PRODUTOS E SERVIÇOS para oferecer aos seus clientes! Responsabiliza-se pelo pagamento, garante facilidades e comodidade. Assim ele trata seus clientes. Os fornecedores dos serviços turísticos, as cias aéreas, meios de hospedagem, navios, seguros de viagem, locadoras de veículos, etc têm por hábito dizer que são PARCEIROS dos agentes de viagens, que esses são imprescindíveis e tecem loas aos ventos. Porém, após o cliente do agente de viagens adentrar seus “serviços”….: Para qualquer problema ocorrido, o primeiro ato pensado é cobrar multa e culpar a agência de viagens; Após a confirmação dos dados do cliente, esses são tratados como “passageiros” com todos os significados que o vocabulário possui. De posse dos dados dos “passageiros”, de imediato, passam a assediá-los por e-mail, torpedos, etc, com mensagens convidando os clientes das agências de viagens (que eram parceiras) a comprar diretamente seus produtos, onde terão tarifas menores e tratamentos melhores… E o que leva os fornecedores a tratarem os agentes de viagens assim? A MENTIRA… a mentira do domínio, da hegemonia do mercado, no seu mais alto grau e repetida diariamente: é uma tendência mundial É assim no mundo todo! Nos países de primeiro mundo já funciona assim! Porém, NUNCA sabem dizer qual o primeiro país a implantar ou de qual país foi importado o “modelo”! Vejamos em outros setores na economia mundial: - A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA disputa mercado com as farmácias ou distribuidores? NÃO! - A indústria BÉLICA disputa mercado com as lojas ou distribuidores de seus produtos? NÃO! - A indústria PNEUMÁTICA disputa mercado com as revendas? NÃO! - A indústria AERONÁUTICA, disputa mercado com as cias aéreas? NÃO! - E a indústria NAVAL se mete a fazer cruzeiros? NÃO! - A indústria AUTOMOTIVA disputa Mercado com as concessionárias? NÃO! Então por que a “indústria de viagens” tenta destruir seus pontos de comercialização e vendas? Será que as indústrias citadas são retrógradas por respeitar os “vendedores” de seus produtos e serviços? NÃO! Por que será que ao menor abalo “econômico”, a “indústria de viagens” literalmente corre atrás dos agentes de viagens, oferecendo remuneração que foi cortada “por ser uma tendência mundial”? O setor de agenciamento de viagens precisa “se repensar”, se reunir e debater seus problemas e suas ambições. Afinal, os grandes “players” se esquecem que são falíveis e ao menor erro na prestação de seus serviços, quem paga pelos seus “desmantelos” é o agente de viagens que, obrigado pelo Código de Defesa e Proteção do Consumidor, é o responsável por todo e qualquer serviço ofertado, vendido ou comercializado para seu cliente, MESMO SEM TER COMETIDO NENHUM FALHA. Faz-se necessário diferenciar parceria de escravidão. Segundo o dicionário Aurélio: PARCERIA: acordo, união, cooperação. ESCRAVIDÃO: o que vive em absoluta sujeição a outrem. Talvez, a única falha cometida, seja não escolher direito ou melhor, seus parceiros…É hora de mudarmos as regras do jogo em nosso favor. www.leituradebordo.com.br | Dezembro 2015 | Leitura de Bordo 11

[close]

p. 12

| Now Boarding | A TAP Portugal realizou happy hour, em parceria com a Hplus Hotelaria, para agradecer aos melhores parceiros em 2015 e brindar o novo ano que se aproxima. Anne (Diretora Clan Turismo) Gabriela e Mercedes (Diretoras Berlin Turismo), Rogério Carnevalle e Ricardo (Diretor Clan Turismo) Rogério Carnevalle, Wagner Lima (Diretor da Trips) e esposa Ione Rogério Carnevalle, Silvania e Junior (Bancorbrás) e Roberta (TAP) Rogerio Carnevalle e Carlos Vieira (Presidente ABAVDF e Casa de Viagens) Marcio e Regina (Diretores da Confiança/West Central), Rogério Carnevalle e Claudio Vilanova (Master Franqueado CVC-DF) 12 Leitura de Bordo | Dezembro 2015 | www.leituradebordo.com.br Eliane Reis (Agente de Vendas-TAP), Rogerio Carnevalle (Gerente Regional Centro Oeste da TAP) e Roberta Brito ( Executiva de Contas da TAP)

[close]

p. 13

| Novidades | Novas cias aéreas nos ares em 2016 Ao mesmo tempo em que as companhias aéreas – de todos os portes, de todas as partes – anunciam prejuízos gigantescos e algumas tratam de readequar suas linhas na tentativa de sobreviver, surgem duas novidades. No Uruguai, anuncia-se que dos escombros da Pluna, está surgindo a Alas Uruguay – com o primeiro voo previsto para 21 de dezembro partindo do aeroporto de Carrasco, no Uruguay, com destino ao Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, em Assunção no Paraguay. Idealizada por ex-funcionários da Pluna e vital para incrementar o turismo uruguaio, a nova aérea terá frota de três aviões Boeing B737-300 e há a expectativa de uma quarta aeronave que ficará de stand-by. Baseada em Montevidéu, no belíssimo aeroporto de Carrasco, a Alas Uruguay tem como destinos iniciais Assunção, no Paraguay; Buenos Aires e Córdoba, na Argentina; Punta del Este, no próprio Uruguay; Santiago, no Chile e São Paulo e Rio de Janeiro como objetivo no Brasil – e também estaria em estudo voos para Curitiba (PR). transporte aéreo regular de passageiro e carga, a nova cia aérea deverá começar a voar ainda em dezembro – com três destinos básicos: Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. A proposta da Flyways é ser uma “regional”, e, dentro desta estratégia, utilizará aviões da empresa franco-italiana ATR, líder mundial no mercado de aeronaves regionais com 90 assentos ou menos. O modelo selecionado foi o turboélice ATR 72-500 na configuração de 68 lugares. Informações: www.alasuruguay.com.uy www.flyways.com.br Novidade nacional Com o aval da Anac - Agência Nacional de Aviação Civil que liberou a Flyways Linhas Aéreas para a exploração do serviço público de www.leituradebordo.com.br | Dezembro 2015 | Leitura de Bordo 13

[close]

p. 14

| Roteiro Testado | Rua da Praia, onde pulsa o coração da capital dos gaúchos 14 Leitura de Bordo | Dezembro 2015 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 15

| Roteiro Testado | Primeira rua de Porto Alegre, construída em 1752 e local onde os primeiros casais lusitanos que fundaram a cidade construíram suas casas, tem o nome ligado ao fato de que corria ao lado e ao longo do Guaíba, ainda então apenas um rio. Com os sucessivos aterros, a rua afastou-se do rio, mas jamais do nome. Nem mesmo o oficialismo que em 17 de agosto de 1865 impôs o nome de Andradas e muito menos o progresso foram suficientes para arrancar ou matar a mística de um espaço plural, democrático e onde convivem resquícios arquitetônicos de muitos momentos pelos quais passou a capital gaúcha. Mas nem sempre foi assim... Em 1799, a rua, na sua parte central onde hoje está a Praça da Alfândega, recebeu a primeira pavimentação. E mesmo a extensão dela mudou. Nos primórdios, a Rua da Praia começava na margem do rio – onde hoje está a Usina do Gasômetro – e terminava na Rua da Ladeira – hoje General Câmara. O trecho que leva até a Praça Dom Feliciano era Rua da Graça. Isso mudou www.leituradebordo.com.br | Dezembro 2015 | Leitura de Bordo 15

[close]

Comments

no comments yet