RLB 33 - Jun 2015

 

Embed or link this publication

Description

A cozinha das Gerais

Popular Pages


p. 1

Ano 6 – nº 33 – Junho de 2015 – R$ 6,50 e d Ca r p o n ol c a ar ir r o A cozinha das Ge is

[close]

p. 2

Cartas/Expediente 2 Leitura de Bordo | Junho 2015 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 3

Outro olhar A semente do amanhã... Ft.: Rogério L. C. Leite www.leituradebordo.com.br | Junho 2015 | Leitura de Bordo 3

[close]

p. 4

Índice A cozinha das Gerais Diversidade gastronômica em Brasília 05 10 12 16 21 22 25 26 28 30 Brasília, soma dos muitos Brasis que somos, acaba comtemplando moradores e visitantes com uma diversidade cultural e gastronômica - como para contrastar com a hegemonia de um padrão arquitetônico. Aqui, como bem escreveu Sandra Fernandes em belo poema, “se fundem em um só bloco (que é o padrão de moradia), churrasco, tacaca e acarjé”. Aproveitando o tempo de férias, há um caderno especial com imagens para colorir. Por conta da qualidade do papel usado, é preciso usar canetas hidrográficas. Outro destaque é a abertura das seções voltadas ao turismo de luxo e para a arte. Boa leitura! Trade - Guia Turístico de SP SPTuris trabalha roteiros segmentados Tour de France no Brasil Luxo - uma nova seção Rede francesa de hotéis boutique Prova fará etapa para ciclistas brasileiros Tribuna - Paulo Antenor Evento - Festuris Feira é realizada em Gramado (RS) O remédio está matando o paciente Refletir Cifras O desafio de falar de Deus O piano de Claudio Santoro Must have e os novos tênis Games - The Witcher 3 Um lançamento marcante Reebock e Olympikus apresentam novidades Leia também... Alfredo Besssow Editor Pág 24 - Brasília, destino preferencial para congressos 4 Leitura de Bordo | Junho 2015 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 5

Capa Fartura e qualidade: a cozinha das Gerais na Capital da República Minas Gerais, seu povo, sua cultura e sua gastronomia estão umbilicalmente ligados a Brasília. Não só pelo fato da construção ter sido capitaneada pelo presidente Juscelino Kubitschek, mineiro de Diamantina. Há histórias de cidades mineiras, como Patos de Minas, que sofreram perda populacional durante a construção de Brasília ao ponto de alguns chamarem o bairro de Taguatinga de Patatinga, tantos eram os que vieram de lá para buscar uma nova vida na cidade que surgia. A rica culinária mineira, construída ao longo dos séculos, é presença marcante no cenário gastronômico de Brasília. As boas opções, onde ambientes realçam o sabor de pratos, estão por todo o DF – mas, principalmente, no Plano Piloto e na Vila Planalto. Essa realidade ainda se faz presente. Dados da Codeplan - Companhia de Planejamento do Distrito Federal reunidos na Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios 2014 (PDAD) indicam que 21% dos moradores do Plano Piloto – área tombada – nasceram em Minas. Outro setor amplamente dominado em Brasília pelo jeito mineiro é a gastronomia – mormente no Plano Piloto e na Vila Planalto. Há restaurantes que já se inseriram na história da www.leituradebordo.com.br | Junho 2015 | Leitura de Bordo 5

[close]

p. 6

Capa Capital, como o Feitiço Mineiro – criado pelo irrequieto empresário e poeta Jorge Ferreira, falecido em julho de 2013. Nascido em Cruzília, Jorjão, como era mais conhecido, criou o Feitiço em 1989, quando já havia outras casas que ofereciam cardápio baseado na gastronomia das Gerais. Novo patamar Figura carismática, com visão empreendedora e investimento pesado no marketing, Jorge acabou por mudar o perfil das ofertas, optando pela qualidade dos produtos. Algumas casas que já funcionavam e outras que foram surgindo acabaram sendo influenciadas pelo padrão que o Feitiço Mineiro criou. Hoje, há uma diversidade de opções – sempre seguindo o roteiro básico com três buffets: comidas de sal, doces e saladas. Entre as primeiras, costelinhas, torresmos, galinha caipira com quiabo, jiló, lombo de porco, linguiças e ovos fritos... Nos doces, ambrosia, pudim, queijadinha, figo, doce de leite, musses e muito mais. Nas saladas, verduras e conservas para todos os gostos. 6 Leitura de Bordo | Junho 2015 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 7

Capa Esquina Mineira Exemplo desse padrão de excelência que as casas foram adquirindo pode ser constatado por quem visitar – e almoçar! - no Esquina Mineira. Lá, tudo remete para as Gerais – inclusive o prédio, com uma arquitetura que lembra os casarões do passado. Mas é por dentro que a mineiridade se faz definitivamente presente. Desde a entrada com suas paredes decoradas, com seu ambiente agradável – você acaba sendo transportado para um mundo totalmente mineiro. O empresário Clayton Machado é quem comanda o empreendimento. Mineiro de Mercês, faz questão de enfatizar que o Esquina é uma casa temática, porque não são apenas os pratos que lembram as Gerais, mas o ambiente, o modo de preparar cada iguaria, os pratos esmaltados para quem quiser, as boas cachaças de Minas (e de outros estados, uai), a diversidade de doces. Assim, o verdadeiro desafio é transmitir ao cliente a sensação de que realmente está saboreando uma boa comida mineira – em Brasília. www.leituradebordo.com.br | Junho 2015 | Leitura de Bordo 7

[close]

p. 8

Capa Outros destinos Quem se aventurar pela Vila Planalto, hoje destino dos que buscam boas alternativas em termos de alimentação, encontrará muitas casas que servem comida mineira. O atendimento também segue o mesmo padrão de servir apenas almoço - sendo que poucas casas abrem à noite. Uma das mais conceituadas é o Caminho de Minas – que também tem uma unidade que funciona junto à Hípica de Brasília. Seguindo o mesmo padrão de pratos, o Fogão Nativo, que funciona no SIG, nas proximidades do TJDFT, Câmara Legislativa e Palácio do Buriti, acabou inserindo o churrasco como alternativa – iniciativa que alguns mais puristas podem não aceitar, mas que agrada aos clientes. 8 Leitura de Bordo | Junho 2015 | www.leituradebordo.com.br SERVIÇO: Esquina Mineira SCRN 704/705 Bl. D Lj 42 – Fone: (61) 3273-7373 Func.: 2ª a 6ª – 11h30 às 15h – 6ª a dom. – 11h30 às 16h Feitiço Mineiro CLN 306, Bl. B, Ljs 45/51 Fone: (61) 3272-3032 Func.: 2ª a sábado - 12h às 2h – dom. 12h às 17h Fogão Nativo SIG , Qd 3, Bl B Lj 16 – Fone: (61) 3344-2138 Func.: todos os dias - 11h30 às 15h Restaurante Caminhos de Minas Vila Planalto R. 2, Lt. 33, Acamp. DFL – Fone: (61) 3306-1977 Func.: todos os dias – 11h30 às 15h Sociedade Hípica de Brasília SHIPsul Conj. 08 – Fone (61) 3346-6580 Func.: 3ª a dom – 11h30 às 15h

[close]

p. 9

www.leituradebordo.com.br | Maio 2015 | Leitura de Bordo 9

[close]

p. 10

Trade Carro elétrico para hóspedes O 1Hotel South Beach, primeiro empreendimento da luxuosa rede 1Hotels aberto em março passado, em South Beach, Miami, oferece um novo estilo de hospitalidade. Conscientemente concebido em colaboração com arquitetos de interiores, paisagistas e artesãos que compartilham da mesma visão sobre sustentabilidade, o 1Hotel South Beach oferece muitas comodidades. Uma delas é o serviço de carro elétrico da Motors que os hóspedes têm à disposição para circulação dentro de um raio pré-definido. As comodidades incluem ainda bicicletas e estacionamento gratuito para hóspedes que trouxerem seus próprios veículos elétricos. A nova rede 1Hotels é mais do que uma nova marca de hotelaria. É a transformação dos padrões de hospedagem. Informações: www.1hotels.com Holiday Inn® em Cúcuta, na Colômbia A marca Holiday Inn abriu as portas de seu primeiro hotel em 1952 e, desde então, vem tornando as viagens mais prazerosas para gerações de viajantes de todo o mundo. O hotel recém-construído, com 98 apartamentos, é a primeira propriedade da IHG em Cúcuta e o quarto Holiday Inn na Colômbia. Suas instalações incluem piscina ao ar livre, academia de ginástica totalmente equipada e espaço para reuniões, com capacidade para 450 pessoas. Os hóspedes também podem desfrutar o restaurante Madeira, dentro do hotel, que oferece pratos locais e regionais. O hotel se localiza na cidade de Cúcuta, a capital do Norte de Santander e a sexta maior cidade da Colômbia. A cidade é um importante centro comercial e é notável por sua indústria e comércio bilateral. Informações: www.holidayinn.com Guia turístico da Zona Leste de São Paulo A SPTuris, empresa municipal de turismo e eventos da capital paulista, lançou um material inédito dedicado à Zona Leste que traz informações sobre 34 atrativos turísticos espalhados pela região mais populosa de São Paulo. O roteiro temático também conta com a indicação de locais para compras e destaca construções históricas que remetem à colonização da cidade, como a Capela de São Miguel Arcanjo. Para a elaboração do material, técnicos da SPTuris pesquisaram a história de 33 distritos e o crescimento da região, que hoje abriga cerca de quatro milhões de habitantes - população próxima a de países inteiros, como a Irlanda. O Roteiro Temático da Zona Leste tem 60 páginas de uma série de outros 10 elaborados pela São Paulo Turismo (Arquitetura pelo Centro Histórico, Cultura Afro, Arte Urbana, Cidade Criativa, Eco-rural, Independência do Brasil, Café, Futebol, Mirantes e Geek). As edições, disponíveis nas versões português/inglês e português/ espanhol, podem ser encontradas nas Centrais de Informação Turística espalhadas pela cidade e também podem ser baixadas no site oficial de turismo de São Paulo, no link cidadedesaopaulo.com/download 10 Leitura de Bordo | Junho 2015 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 11

Ponto de Vista Eu, tu, ele, nós, vós e eles... todos viajamos oferecer alternativas de viagens com preços justos e condições de pagamento favoráveis. Assim como todos têm preferência por um médico, um contador, um advogado, uma manicure, um restaurante, viajar também requer um consultor de viagens de confiança. Um que lhe atenda quando e a hora que precisar! Lembrem-se que a despeito das facilidades da tecnologia virtual, de preços aparentemente compensadores, estsa é apenas uma ferramenta de venda, não de atendimento. Os agentes de viagens estão se preparando, se atualizando e se dedicando a organizar para que cada pessoa realize a melhor viagem, evitando contratempos e sempre contando com a retaguarda de um profissional treinado e capacitado. Então, carpe diem e boa viagem! Viajar sempre foi o item número um na pauta dos sonhos de consumo dos brasileiros. E, por um bom tempo, os brasileiros conseguiram transformar o sonho em realidade. E viajaram. Pode-se viajar por diversos motivos: negócios, estudos, eventos, lazer, tratamento de saúde, visitar parentes, para comemorar, para se despedir, para encontrar... E também se viaja simplesmente por viajar. Independente da motivação, o ato de viajar cria inúmeras oportunidades, sensações e experiências: seja de novos panoramas, novas pessoas, novos objetivos (mesmo que durem minutos), novas experiências gastronômicas, novas e velhas emoções. Cada um com seu cada um. Basta observarmos em um grupo de pessoas viajando juntas, no mesmo período e para um mesmo destino – cada uma tem um objetivo, um interesse e um segredo! E todos juntos e separados! O ato de viajar nos permite até que nos conheçamos melhor, pois nos expomos a situações muitas vezes, imprevisíveis. Por isso, mesmo com o (des)governo levando o país à bancarrota, o setor de viagens trabalha para se adaptar aos novos momentos, às novas necessidades e vontades do viajante e www.leituradebordo.com.br | Junho 2015 | Leitura de Bordo 11

[close]

p. 12

Roteiro testado Brasil terá etapa da Tour de France O evento será em 25 de outubro deste ano e terá 112 km de extensão A Estância Climática de Cunha (SP), localizada a 241 km da capital paulista e a apenas 53 km de Paraty (RJ), será palco da prova de ciclismo L’Étape du Tour, que existe desde 1993 e é a versão para amadores da aclamada e centenária Tour de France. O evento está marcado para 25 de outubro e terá um percurso de 112 km, passando pelas belas paisagens do Parque Estadual da Serra do Mar e do Parque Nacional da Serra da Bocaina – este uma das maiores áreas protegidas de Mata Atlântica, com mais de 104 mil hectares. A expectativa é que aproximadamente três mil atletas participem. A L’Étape du Tour foi lançada em 1993 para ciclistas amadores e conta atualmente com duas etapas, sendo que a da França tradicionalmente reúne cerca de 200 brasileiros e a da Argentina 100. Agora em 2015, além da etapa de Cunha, também serão feitas uma no Paraguai e 12 Leitura de Bordo | Junho 2015 | www.leituradebordo.com.br outra no Reino Unido. Já a Tour de France existe há 103 anos e é restrita a atletas profissionais. “Cunha é um destino sensacional para quem pedala e tem cenários cinematográficos. Algumas das estradas que serão usadas para o trajeto têm características francesas”, explica Márcio Flores, CEO do Grupo Manga, idealizador do projeto no Brasil. “Sempre quisemos fazer um evento lá”, completa. Haverá uma programação especial para os atletas e suas famílias nos restaurantes e pousadas da cidade, inclusive com cardápios à base de carboidratos e horários diferentes para as refeições. As inscrições custam R$ 180 para fãs da prova e entre R$ 690 e R$ 850 para competidores. Informações: Sobre a etapa brasileira: www.letapebrasil.com.br Sobre Cunha (SP): www.cunha.sp.gov.br Sobre a Tour de France: www.letour.fr/us/

[close]

p. 13



[close]

p. 14

REFORMA POLÍTICA critica aprovação do movimento sindical classifica como retrocesso a aprovação, pela Câmara dos Deputados, no dias 27 de maio, da proposta que inclui na Constituição Federal a doação de empresas privadas a partidos políticos. Foram 330 votos favoráveis (32 a mais do que o mínimo necessário – 308), 141 contra e uma abstenção. Os dirigentes sindicais alegam que, além de ser uma fonte inesgotável de corrupção, o financiamento privado só contribui para degradar ainda mais o sistema político brasileiro vigente. A votação ocorreu após uma manobra executada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com o apoio de partidos de oposição. No dia anterior (26), o plenário da Câmara havia rejeitado o financiamento privado. Foram 266 votos, 44 a menos do que o necessário para que haja mudanças na Constituição. Acreditando na aprovação da medida, Cunha acertou com os partidos que aquela seria a única votação sobre o tema. Porém, ao ser derrotado, ele reconsiderou com a justificativa de que fez um “comentário talvez equivocado”. Na ementa escrita pelo deputado Celso Russomano (PRB/SP) para o segundo dia de votação, foi incluído no texto original do relator, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o seguinte parágrafo, que abre margem para interpretação: “É permitido aos candidatos receber doações de recursos financeiros ou de bens estimáveis em dinheiro de pessoa físicas”. No entanto, na pressa, os dois deputados esqueceram que os partidos são pessoas jurídicas. Sendo assim, não poderiam repassar nenhum centavo para financiar as campanhas de seus candidatos. Na opinião dos dirigentes sindicais, é necessário atentar para a questão da corrupção eleitoral e do fisiologismo, uma vez que, ao receber os recursos, o partido poderá manipular a verba e favorecer alguns candidatos em detrimento de outros. A reforma política está sendo votada em primeiro turno e ainda terá de ser submetida a uma votação em segundo turno na Câmara. Depois, segue para apreciação no Senado. Movimento sindical privado de campanhas O financiamento

[close]

p. 15

“Derrota grave” O representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas, Aldo Arantes, qualificou a aprovação do financiamento privado de campanha também como um profundo retrocesso. “É uma derrota grave para o sistema eleitoral brasileiro”, frisou. E assegurou: “Mas vamos continuar na luta”. “Essa decisão da Câmara, além de inconstitucional, prejudica a democracia porque coloca na Constituição uma das principais causas da corrupção. É uma decisão que vai na contramão do que espera a população, que não aceita a influência do poder econômico decidindo quem se elege e quem não se elege”, acrescenta Marcelo Lavenere, representante da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) na Coalizão. “Distritão” Os deputados rejeitaram, no dia 26 de maio, a proposta que previa a mudança do sistema eleitoral no Brasil do atual proporcional com lista aberta para o chamado “distritão”. Atualmente, os votos para cargos legislativos (exceto o Senado) são direcionados às legendas. Quanto mais votos a legenda consegue, mais parlamentares ela consegue eleger. No modelo chamado distritão, defendido por Cunha, Estados e o Distrito Federal seriam transformados em “distritos eleitorais” e os candidatos eleitos seriam os que obtivessem o maior número de votos, da mesma forma que prefeitos, governadores, presidentes e senadores são eleitos.

[close]

Comments

no comments yet