Jornal Conecta Baixada - 4ª Edição

 

Embed or link this publication

Description

Informativo quinzenal da Baixada Fluminense

Popular Pages


p. 1

PERFIL PORTUGUÊS PARA DESESPERADOS Professora Caroline Mendonça cria página na internet para ajudar, com muito humor, concurseiPágina 10 ros de todo o Brasil. DIABÉTICOS E HIPERTENSOS FICAM SEM REMÉDIOS Programa de atendimento a doentes crônicos deixa de distribuir insulina, fitas e exige devolução de Página 3 aparelho de medição. www.conectabaixada.com.br 2015 995-75-4545 BAIXADA FLUMINENSE A INFORMAÇÃO VAI ATÉ VOCÊ Davi Boechat/Conecta Baixada 16 a 31 de Dezembro ANO I - N° 4 Distribuição gratuita Lélio Neto/Conecta Baixada MESQUITA SOB O LIXO CÃES ABANDONADOS SE MULTIPLICAM NAS RUAS DE MESQUITA Paralisação de programa que recolhia animais para tratamento e castração jogou na rua centenas de cães, que passaram a ocupar as praças da cidade. Criadora do projeto e presidente da comissão de proteção aos animais na Alerj, Daniele Guerreiro nada fala. Página 9 Após encerrar contrato com empresa que recolhia resíduos na cidade, prefeitura de Mesquita transformou terreno onde funcionam 13 secretarias em lixão clandestino. Denúncias levaram Polícia Civi a fazer operaão no local e prender secretário e subsecretário de Obras Lélio Neto/Conecta Baixada MESQUITA LEVA “PAU” EM TRANSPARÊNCIA Página 6 FALTA DE COLETA DE LIXO EXPÕE POPULAÇÃO A DOENÇAS Página 7

[close]

p. 2

OPINIÂO E POLÍTICA 2 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR JORGE MIRANDA Empresário Mesquitense jorge.miranda@conectabaixada.com.br Presidente do Conselho ricardo.lucena@conectabaixada.com.br PF FAZ BUSCA EM IMÓVEIS DE BORNIER Os apartamentos do prefeito de Nova Iguaçu, Nelson Bornier (PMDB), no apart hotel Mont Blanc e no Condomínio Atlântico Sul, na Avenida Sernambetiba, na Barra da Tijuca, amanheceram na terça-feira (15) cercados por agentes da Polícia Federal. Os imóveis do político foram alvo de uma ação de busca e apreensão realizada pela PF e procuradores do Ministério Público Federal. A operação batizada de Catilinárias, desdobramento das investigações da Lava Jato, também percorreu outros endereços de parlamentares do estado, a maioria ligada ao PMDB, incluindo o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha. Ao G1, Nelson Bornier afirmou ter sido pego de surpresa com as buscas. Para ele, o fato de ter sido colega de bancada de Cunha quando deputado federal. Bornier afirma desconhecer os motivos da ação. Q PREFEITO BRINCA DE GOVERNAR ENQUANTO A CIDADE É TOMADA PELO LIXO serviço de limpeza e coleta de detritos, como quem troca de camisa. Sofre a população, sofrem os garis demitidos e suas famílias. Como de costume, o prefeito planejava contratar outra empresa a toque de caixa, sob o argumento da urgência urgentíssima para driblar a Lei de Licitações. Dessa vez, no entanto, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) entrou na jogada e paralisou o processo de contratação de outra empresa. Para piorar, a decisão de varrer o problema para o terreno da Dinâmica virou caso de polícia. O pequeno ditador finge não enxergar os problemas de sua administração, como os cortes de luz, telefone e os salários atrasados. Resta ao prefeito correr para a praça, que reformou a um custo desconhecido, onde finge ouvir a população. Enquanto brinca de governar, sofremos todos nós, os 168,3 mil habitantes de Mesquita. uem não lembra da cena onde Charlie Chaplin, travestido de Hitler, dança com um globo nas mãos em “O grande ditador”. O filme de 1940 é um clássico e a imagem já foi usada na abertura da novela “O dono do mundo” da TV Globo. Então, lembram? O irreverente balé com o planeta nas mãos, sendo jogado de um lado a outro, era uma crítica à fome de dominação de Hitler. Guardada as devidas proporções, claro, lembrei da imagem ao ver a cidade onde nasci tomada pelo lixo enquanto o prefeito brinca com a população. Os sacos espalhados por garis à frente da prefeitura, na semana passada, refletiam o desespero de trabalhadores, que às vésperas do Natal ficaram sem seus salários e empregos. Apesar de eleito, o prefeito age feito um ditador, uma espécie de Hugo Chaves mesquitense. Amparado por uma Câmara de Vereadores, sem oposição, que parece lembrar do povo apenas no período eleitoral, o prefeito governa como bem entende. E foi assim que decidiu derrubar árvores na Praça Elizabeth Paixão, dando início a uma reforma feita às escuras, sem consultar a população e sem ao menos informar o custo do serviço, mais uma vez ignorando o que determina a Lei de Acesso à Informação. Não é a toa que a administração ganhou nota 2,40 do Ministério Público Federal, que avaliou os portais de transparência das 5.568 prefeituras do País. Resultado, entre as 92 prefeituras do estado do Rio, Mesquita ficou na 67ª colocação. Falta transparência aos atos do prefeito e quem diz não sou eu, mas os procuradores da República. Prova disso é o lixo espalhado pela cidade. Símbolo de uma administração, que decide trocar a empresa que prestava o

[close]

p. 3

SAÚDE SEM REMÉDIO EM MESQUITA 3 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR PACIENTES DE DIABETES SOFREM COM ATENDIMENTO IRREGULAR “ Fotos: Lélio Neto/Conecta Baixada Entrego tudo para Deus, por isso que não temo mais a morte Tadeu Monteiro, 59 ” “ Marcelle Bappersi Leilane Oliveira marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br Se não fosse minha mulher, já teriam amputado a minha perna Benedito Sampaio, 69 ” Alternativas naturais Para driblar a falta de medicamentos, Tadeu cultivou uma Cis sus sicyoides, planta conhecida como insulina vegetal, para diminuir a taxa de glicose. Já Benedito plantou uma horta com diversos tipos de vegetais nos fundos de sua casa para ajudar no sustento da família. leilane.oliveira@conectabaixada.com.br H á seis meses, Tadeu Monteiro, de 59 anos, e Benedito Sampaio, de 69, convivem com uma rotina de incertezas e medo. Eles sofrem de diabetes e não conseguem receber do município de Mesquita as medicações necessárias para o controle da doença crônica, que pode levar à morte. O drama vivenciado por Tadeu e Benedito se repete nas casas de outros pacientes de enfermidades crônicas que moram em Mesquita. Apesar de estarem cadastrados no Programa de Atendimento Especial a Diabéticos e Hipertensos (Hiperdia), muitos não conseguem ter acesso aos remédios. Nem mes- Pacientes recadastrados Funcionários de uma das unidades de atendimento da prefeitura informaram que o programa está passando por um processo de recadastramento e que os pacientes cortados não se enquadram no mo as fitas de teste usada no aparelho para medir os níveis de glicose no sangue dos pacientes têm sido entregues no posto médico da cidade. perfil exigido pelo Ministério da Saúde. Segundo eles, 70% dos diabéticos não se tratavam de forma adequada e chegaram ao posto com a doença em estágio agravado, como feridas e amputações. E ainda há casos em que os pacientes estão sendo obrigados a devolver o medidor de glicemia. Foi o que aconteceu com Tadeu, que ao ir ao posto para tentar pegar insulina foi informado que deveria devolver o medidor. O aposentado acrescenta que deveria receber regularmente as fitas de medição, mas ao invés disso, a secretaria de Saúde do município passou a exigir o aparelho medidor de glicose de volta. “Recebi uma ligação do posto de saúde me informando que eu teria que levar. Não consigo marcar médico no posto, e com isso, pago um particular. Faço o que posso para me manter vivo: sigo a dieta e tomo os remédios que compro, mas eles dizem que não pertenço mais ao perfil porque não uso insulina. Só entrego tudo para Deus, por isso não temo mais a morte”, desabafou. Com feridas nas pernas, que não cicatrizam por falta de tratamento, Benedito sente dores e não consegue dormir. Morador da Vila Emil, ele sofre de diabetes tipo 2. O aposentado reclama que o tratamento começou a demonstrar falhas no mês de janeiro, mas a distribuição do material foi interrompida em junho. “Eles não me deram mais a fita porque eu não uso insulina, mas a minha taxa glicêmica é completamente desregulada. Se não fosse minha mulher, já teriam amputado a minha perna, porque minha glicose dispara e eu não sinto”, contou. O Hiperdia é um sistema de cadastramento de pacientes de hipertensão arterial e diabetes criado pelo Ministério da Saúde, com contrapartida dos municípios, para oferecer tratamento especializado aos doentes crônicos.

[close]

p. 4

GERAL EM APENAS DOIS MESES... 4 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR CONECTA BAIXADA SE TORNA REFERÊNCIA EM INFORMAÇÃO REGIONAL Redes sociais e versão impressa conseguem número recorde de seguidores e leitores: mais de um milhão Lélio Neto/Conecta Baixada WhatsApp (21) 995-75-4545 ESGOTO JORRA NA CHATUBA Foto do Leitor Jornal já atingiu a marca de 80 mil exemplares distrbuídos gratuitamente Davi Boechat davi.boechat@conectabaixada.com.br E m pouco mais de dois meses, o Conecta Baixada já rompeu a marca de um milhão de visualizações no Facebook! Nesse período, o número de curtidores atraídos no mês experimental do jornal, quadriplicou. Já são quase 4,5 mil seguidores! Na inauguração oficial, no dia 6 de outubro, as informações sobre o corte de luz por falta de pagamento na Prefeitura de Mesquita garantiram mais de 30 mil acessos únicos em apenas um dia. Essa foi uma das reportagens noticiadas primeiro no Conecta Baixada e posteriormente repercutidas na grande imprensa. Imagens exclusivas do Conecta foram exibidas nos telejornais da Record, SBT e Band. Os jornais Extra e O Dia também ilustraram reportagens com fotos do Conecta. A edição impressa, distribuída de graça nos bairros de Mesquita, Nova Iguaçu e Nilópolis, além de estações de trem, fóruns, prefeituras e câmaras, já chegou a 80 mil exemplares. Além disso o Conecta forneceu a milhares de pessoas internet de graça. O Wi-fi grátis está presente na Praça João Luiz Nascimento, mais conhecida como ‘Praça da Telemar’. Os números são reflexo de um trabalho sério, que atende aos moradores da Baixada Fluminense com informações relevantes. O envolvimento da população garante o sucesso do Conecta Baixada. Há mais de um ano, um vazamento na Rua Sarapuí, na Chatuba, em Mesquita, jorra esgoto, oferecendo riscos e mal cheiro aos moradores. A denúncia chegou pelo WhatsApp do Conecta Baixada: (21) 99575-4545. A torrente sai de um buraco entupido na altura do número 379 e deixa um rastro de insalubridade até um bueiro no inicio da rua. EXPEDIENTE: Presidente: Ricardo Lucena Consultor Editorial: Sérgio Ramalho Coordenador Editorial: Marco Antonio Canosa Projeto Gráfico : Daniel Souza e Renato Ferreira Diagramação: Renato Ferreira Tecnologia: Ronald Henrique Tiragem: 20 mil exemplares Distribuição Gratuita Edição Quinzenal Impressão: Infoglobo O Jornal Conecta Baixada não se responsabiliza pelas opiniões emitidas por colunistas e colaboradores. Redação: Rua Dr. Mário Guimarães . Nº 428, SL. 308 . Centro, CEP: 26255-230, Nova Iguaçu, RJ. Tel: (21) 3765-3423 Comercial: (21) 3765 3423 WhatsApp: 995-75-4545 Email: contato@conectabaixada.com.br

[close]

p. 5

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 5 GERAL CONEXÃO GERAL Davi de Castro davi.castro@conectabaixada.com.br PREFEITO VIROU PAPAI NOEL DE SI MESMO...? JOÃO DE MERITI Sandro Matos (PHS), pre feito de São João de Meriti, terá de suar a camisa e juntar os cacos de seu governo para tentar alavancar seu sucessor. Prova disso foi a inauguração da sede do PR, partido de seu adversário, o médico e deputado federal João Ferreira. No evento, ele mostrou que vem com força para a disputar a sucessão municipal e já recebeu convite do PMDB. P assava pouco das 15h30 de segunda-feira (07) quan do o prefeito Rogelson Fontoura Sanches, o Gelsinho Guerreiro, chegou correndo à Praça Elizabeth Paixão. Esbaforido, arrancou as embalagens do trenó de Papai Noel, montado no local, e sentou na cadeira do bom velhi nho. Posou para fotos, muitas fotos. O que deu nele!!!!???. Será que se sentiu Papai Noel?? TELHADO DO GG Falando em Gelsinho Guerreiro, o telhado do seu governo começa a desmoronar com a prisão de integrantes de seu secretariado por crime ambiental. GG também é investigado pelo Ministério Público estadual por vários outros crimes, inclusive, o de enriquecimento ilícito. FOI OLHO GRANDE... Empresários de Nova Iguaçu estão de olho na desafetação de uma gigantesca área de domínio público, ou seja, do povo, a Praça Rui Barbosa, no coração da cidade. A proposta é transformar o espaço em um grande centro comercial. ...OU CASTIGO ? Desafetar, seria tirar do povo para dar de graça a outros. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), secção de Nova Iguaçu, já avisou que vai entrar com ação contrária à cessão do espaço público para a construção de um shopping. TRANSPARÊNCIA? A prefeitura de Nova Igua çu, cujo o portal de transparência ganhou nota máxima do Ministério Público Federal, ainda não explicou qual foi o alimento servido aos 17 estudantes da Escola Municipal Monteiro Lobato, que após uma festinha de confraternização acabaram internados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Edson Passos. E AI, CALAZANS, PODE ISSO? Morador de Nilópolis, o jornalista Geraldo Perelo puxa as orelhas do prefeito da cidade Alessandro Calazans. Ele publicou em sua timeline no Facebook que a Resolução 336/2009 do Contran proíbe a instalação de quebra molas, olho de gato, tachões, tachas reflexivas de forma inadequada. Ele se refere à entrada de Nilópolis.

[close]

p. 6

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 6 Geral 10 Nota dada pelo MPF a Nova Iguaçu e Duque de Caxias. 0 0,20 2,40 Paracambi ficou com zero na avaliação dos procuradores. Essa foi a pontuação obtida pela prefeitura de Japeri. Com essa nota Mesquita ficou em 67ª colocação entre as 92 cidades do RJ. Renato Ferreira/Conecta Baixada Exemplo de falta de transparência: a revitalização da Praça Elizabeth Paixão, no Centro de Mesquita, não teve placa informativa de valores, obrigatória pela lei. Ninguém sabe quanto custou nem a prefeitura informa diminuição dos se instituído pelo prefeito repasses federais, Dennis Dauttmam (PCassociada à má doB) favoreceu secretágestão de recursos pú- rios, sub-secretários, que blicos, esvaziou os cofres tem os salários mais altos das prefeituras da Baixa- e seguem intocáveis. Por da Fluminense. Fechar lá, Saúde e Educação foas contas tem sido tarefa ram os setores mais afeárdua e para equilibrá-las tados com os cortes no ormedidas de austeçamento. Servidores ridade estão sencom salários mais Salários Prefeituras cordo tomadas. baixos foram os tam salários A diminuição mais afetados. para tentar driblar a crise de salários de Manter a adcargos comissioministração púnados, gastos com blica em ordem combustível, luz e telefotambém está na mira de ne, além de renegociação Duque de Caxias. dos valores de aluguéis e Mesquita na contracontratos de prestação de -mão. Ao contrário das serviços, são alguns dos outras cidades, a prefeimeios utilizados para dar tura de Mesquita, que folego ao erário. esta com pagamentos de Em Nova Iguaçu, as fornecedores atrasados e revisões, que começaram convive com problemas em agosto, visavam eco- de infraestrutura. Apesar nomizar R$ 5 milhões disso, a prefeitura decidiu todo mês. Já em Belford investir na restauração Roxo, 2.500 nomeados de praças, como a recém foram demitidos. No en- inaugurada Elizabeth tanto, o Gabinete de Cri- Paixão, no Centro. A Ivan Teixeira/Jornal de Hoje SEM TRANSPARÊNCIA Em Belford Roxo, servidores terceirizados formas às ruas contra atrasos nos salários. Prefeitura mandou 2.500 embora mas manteve altos salários do 1º escalão ECONOMIA Em Nova Iguaçu as medidas de austeridade garantiram reforço de R$ 5 milhões aos cofres. DEMISSÕES Em Belford Roxo, 2.500 servidores foram demitidos, mas o secretariado foi mantido. Se os prefeitos das 13 cidades que compõem a Baixada Fluminense fossem alunos de uma classe escolar, menos da metade teria passado de ano, sendo que apenas dois com nota máxima. Já a maioria, sete deles, acabaria reprovada. Esse é o resultado de uma avaliação feita pelo Ministério Público Federal sobre o cumprimento da Lei de Acesso à Informação. Entre os sete prefeitos reprovados a situação mais grave foi constatada em Paracambi, que ficou com nota zero, seguida por Japeri; 0,20, Magé; 0,40, Nilópolis; 2,20, Mesquita; 2,40, São João de Meriti; 4,80, e Seropédica; 4,80.

[close]

p. 7

GERAL 7 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 83 Trabalhadores da Inova foram demitidos após término do contrato 6 Meses foi o tempo que a prefeitura teria deixado de pagar à Inova 4 Milhões seria o valor total da dívida da prefeitura com a empresa 13 Secretarias funcionam no terreno, onde o lixo era acumulado pela prefeitura Davi Boechat/Conecta Baixada Nos bairros da periferia o lixo se acumula, atraindo insetos, ratos e pombos, colocando a população em risco. Nos últimos dias, somente as ruas do Centro tiveram o lixo recolhido população de Mes- do de lixiviado ou choruquita, principalmen- me, que causa poluição te os servidores e o no solo e pode atingir público que circulam pelo corpos hídricos, como prédio onde funcionam 13 córregos, rios ou mesmo secretarias e diversos ou- o lençol de água subtertros órgãos municipais, râneo. “Além disso, os conhecido como Dinâmi- resíduos expostos atraem ca, em Rocha Sobrinho, moscas, baratas, ratos, correram sérios rismosquitos e outros cos nos últimos animais”, diz. Doenças São muitas que dias. A razão foi Quanto às dopodem ser provoa decisão da preenças que podem cadas pelo despejo irregular do lixo feitura de usar acometer a popuo terreno como lação exposta ao aterro clandestino lixo, a pesquisadora de lixo, após rescindir cita algumas muito gracontrato com a empresa ves. Peste bubônica, tifo que fazia a coleta de resí- murino e leptospirose, duos na cidade, à qual dei- febre tifóide, amebíase, dixou de pagar pelo menos senteria, giardíase e ascaseis meses, culminando ridíase, malária, dengue, com greve e demissão de febre amarela e leishmamais de 80 garis. nioses. Além dessas doPara a sanitarista Ca- enças, a população que mille Mannarino, pesqui- entra em contato direto sadora em Saúde Pública com águas contaminadas da Fundação Oswaldo por chorume pode adquiCruz, a decomposição rir diarreias infecciosas e das matérias orgânicas Hepatite A, causadas por gera um líquido chama- bactérias e vírus. A Davi Boechat/Conecta Baixada LONGE DA CIDADE Sem salários e demitidos às vésperas do Natal, os garis fizeram protesto em frente à sede da Prefeitura. No dia seguinte, algns foram contratatos “de boca” POLÍCIA No último dia 11 a Polícia fez uma operação na qual o secretário e o sub de Obras foram presos. POR FORA Para tentar diminuir o impacto, a prefeitura contratou os garis “de boca”, pagando em dinheiro. A sanitarista Jussara Kalil, membro da Câmara Temática de Resíduos Sólidos da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (Abes), alerta para o perigo de manter um lixão em área urbana. “Uma disposição ambientalmente correta pressupõe um local afastado de áreas urbanas pelo menos dois quilômetros, longe de rios e outras fontes de água, em posição contrária aos ventos predominantes e outros critérios”, diz. Segundo ela, o manejo incorreto do lixo “dá acesso a todo tipo de animais e favorecendo a contaminação do solo com o chorume”, revela.

[close]

p. 8

EMPREENDEDORISMO VIDA DE UM EMPREENDEDOR Jorge Eduardo jorge.eduardo@conectabaixada.com.br 8 O CALDINHO DO MUMU BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR FAMÍLIA QUE COZINHA UNIDA LUCRA COM A VENDA DE SOPAS Lélio Neto/Conecta Baixada COMO VOCÊ CONTRATA SEUS FUNCIONÁRIOS? Minha pergunta é feita porque diversos estudos comprovam que as microempresas contratam muito mal seus funcionários. E nesse período que estamos vivendo onde não estão abrindo vagas, contratar mal pode ser um erro ainda pior. A consultoria Gi Group afirma que a contratação errada pode custar até três vezes o salário anual do funcionário. É um custo muito grande quando inserido na realidade das microempresas. O cálculo para estimar as perdas financeiras com a contratação equivocada leva em consideração o pagamento de salários, encargos, benefícios, indenizações, além dos custos do processo seletivo. E essa conta não inclui as despesas decorrentes de uma nova seleção nem do treinamento do substituto ou os prejuízos indiretos, de difícil mensuração, como a desmotivação da equipe. Como podemos ver as empresas podem perder muita coisa por erros nas admissões. Contudo a contratação de empresas especializadas ou uma boa equipe de RH custa muito caro. Sem saída os microempresários contratam por si mesmos e acabam não levando em conta os fatores e indicadores que um especialista planejaria e preveria no processo seletivo. Agora vamos a uma solução que pode ajudar os pequenos negócios: Em algumas universidades brasileiras existem soluções como as empresas juniores. São firmas formadas por alunos e orientadas por professores para oferecer soluções de consultoria, que se encaixam no bolso dos micro e pequenos empresários, com o mesmo nível de qualidade. Em conversa com a Diretora de Recursos Humanos da empresa júnior da Universidade Castelo Branco, Danielle Andrade - que presta um serviço especializado de recrutamento e seleção para microempresas na Baixada - ela nos dá uma dica. O serviço custa até 60% menos que o elaborado por uma empresa de consultoria de RH. Com isso, seus clientes ficaram muito satisfeitos com os frutos e a produtividade que as contratações geraram. Gostou da solução? Você pode conversar com a Empresa Júnior da Universidade Castelo Branco pelo número: 3216-7705. Food truck de Mesquita : À frente do carrinho sopeira, Mumu e sua equipe comemoram o sucesso do negócio em família Leilane Oliveira leilane.oliveira@conectabaixada.com.br O apelido dado por um amigo na época de escola se espalhou entre a vizinhança. Logo, Romulo Argolo passou a ser conhecido apenas como Mumu. E o que era uma brincadeira acabou dando nome a um empreendimento familiar: o Caldinho do Mumu, uma versão do “food truck”, a comida vendida em veículos adaptados. É o caso do carrinho criado há cinco anos por Romulo, que decidiu investir na ideia de trabalhar por conta própria, vendendo sopas e caldos. No carrinho especial há 16 cubas com os variados sabores produzidos por Mumu e a mulher Suzane Lessa. O casal também tem como sócias a irmã de Romulo, Vivian Argolo, e a amiga Ana Marcela Lima. Mumu já teve outros tipos WhatsApp 995-75-4545 de trabalhos em comércio. Foi balconista numa loja de cópias e em uma padaria. Mumu fez até um curso de culinária japonesa, mas acabou deixando o sushi de lado e se rendeu mesmo aos temperos das sopas e caldos. O empreendimento que começou em Nova Iguaçu acabou transferido há três meses para Mesquita, onde vive a família. O sucesso pode ser medido pelo movimento à frente do carrinho. Nos sábados e domingos, Mumu atende ao menos 180 pessoas por dia. E o cardápio é variado. São 20 tipos de caldos diferentes, com variações diárias, com exceção dos preferidos do público: angu à baiana, sopa de ervilha, caldo verde e mocotó. Há ainda caldos sofisticados como o de lagostinha, bobó de camarão, feijão branco com camarão e caldeirada. O Caldinho do Mumu funciona de terça-feira a domingo, das 18h30 às 23h45, na Rua da Verdade, nº 432 - Centro de Mesquita. Você também pode pedir pelo telefone 3589-7061.

[close]

p. 9

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 9 GERAL CACHORRADA SOLTA EM MESQUITA Programa de assistência a animais foi abandonado Marcelle Bappersi marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br T ropeçar em animais pelas ruas de Mesquita é tão comum quanto andar para frente. Com o crescente abandono de cães e gatos, moradores de todos os bairros da cidade buscam alternativas para tentar assistir os animais. “Já resgatei cinco gatos e três cães. Geralmente me apego e fico com os bichos, mas sempre peço ajuda de parentes e amigos para conseguir dar um lar a eles”, disse Denise Câmara, 31 anos, moradora de Mesquita. A prefeitura contava com um projeto para cuidar dos animais sem lar, mas o trabaho foi encerrado em agosto, sem aviso prévio, segundo funcionários que participaram do serviço. “Eles tiravam os bichos da rua, levavam ao veterinário e depois devolviam eles para rua. Só que o projeto está parado e só deve voltar ano que vem”, disse um funcionário. “Resgatei uma cadelinha de um valão, acionei a equipe e ela foi levada para a castração. Ela voltou para minha casa cheia de pontos, mas não demorou muito, morreu. Até hoje não me ligaram para saber sobre a cachorrinha”, contou Denise. Animais contaminados que não recebem o tratamento necessário se tornam transmissores de doenças. “A cinomose e a parvovirose passam de animais para animais, e são disseminadas pela urina. Já a sarna, leptospirose e a doença do carrapato podem contaminar humanos”, conta a bióloga Thais Almeida. Criado pela atual deputada estadual Daniele Guerreiro quando ainda era secretária de Proteção dos Animais em Mesquita, o Melhor Amigo do Homem tinha como objetivo recolher os animais da rua, castrá-los e colocá-los para adoção. Procurada, a prefeitura não confirmou a paralisação nem mesmo informou quando será a próxima ação do projeto. A deputada também não retornou as ligações e e-mails enviados ao gabinete. Sem recolhimento, os animais, muitos doentes, perambuampelas praças e ruas da cdade levando risco à saúde da população

[close]

p. 10

PERFIL 10 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR UMA PROFESSORA PARA DESESPERADOS Marcelle Bappersi marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br SEM PAPAS NA LÍNGUA S e tem uma coisa que a professora Caroline Mendonça, de 25, insiste em sala de aula é que o caráter é muito mais valioso do que o domínio das regras gramaticais. Formada em Letras pela Universidade Estadual do Rio e Janeiro (UERJ), a mesquitense afirma que tenta conscientizar suas alunas de que no tempo de crise, mais vale um boy (futuro namorado) de bom coração do que se incomodar com as xavecadas do tipo “Gata, quer que eu te busco?”. E toda brincadeira tem por trás um motivo bem maior. “Sempre digo para que não menosprezem as pessoas por causa de erros ortográficos, pois isso é fácil de corrigir, já o caráter não tem jeito mesmo”, conta. Carol é dona da página Português para Desesperados, que já tem mais de 34 mil seguidores no Instagram e Facebook. Com humor e criatividade, ela publica imagens com frases sobre o cotidiano, quando é comum as pessoas errarem, seja na colocação das palavras ou na conjugação dos verbos.”Linda, olha só ela compõe música. Eles compõem música. Por favor, não confundam os plurais”. Mas seu foco é ajudar alunos e concurseiros de todo o Brasil. “Tenho poucas aulas gravadas no Youtube. Pretendo deixar um curso de português completo, sem brincadeiras”, revelou. Segundo Caroline, temas polêmicos são discutidos em sala para que alguns preconceitos sejam desconstruídos. Ela explica que a sinceridade é uma arma poderosa para trazer os alunos para a realidade, incentivando-os a manterem o foco. “Vivo dizendo para eles: chifre é uma coisa normal: vocês vão colocar e vão receber. Nada de ficar triste e deixar isso atrapalhar os estudos”, disse. Longe das redes sociais, Carol da aulas a estudantes a partir do 6º ano, além de cursoa pré-militar. Em sala de aula, usa a diversão para lecionar e garantir bons resultados. Ela conta que se apaixonou pela profissão quando ainda estava no ensino médio e que a decisão de se tornar professora não foi bem aceita pela mãe. “Minha mãe disse: coitada! Hoje ela é só orgulho”, diz, entre risadas. Fotos: Lélio Neto/Conecta Baixada Criatividade: A professora Carol usa o humor e a sinceridade para motivar alunos e seguidores no estudo da Língua Portuguesa. Com conselhos rápidos, ela aborda situações do cotidiano e palavras e expressões que estão na boca do povão, na maiora das vezes erradas. Suas páginas no Instagram e Facebook já atraíram mais de 34 mil pessoas

[close]

p. 11

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 11 RELIGIÃO E FÉ/CULTURA PROFESSOR CLÁUDIO DUARTE evangelho@conectabaixada.com.br CORRUPÇÃO MATA, INCLUSIVE VOCÊ ! “Não pervertam a justiça nem mostrem parcialidade. Não aceitem suborno, pois o suborno cega até os sábios e prejudica a causa dos justos”. Deuteronômio 16: 19 “Tu não és Deus que tenha prazer na injustiça, contigo o mal não pode habitar”. Salmo 5:4 De uma longa lista de versículos e trechos bíblicos que tratam da perigosa questão da corrupção humana e suas irmãs diletas, como a injustiça, a maldade, a indiferença ao sofrimento e dores ESPORTES do outro, listei os dois textos acima. De maneira muito eloquente, eles gritam toda a indignação de Deus, que é Santo, contra todo tipo e toda forma de corrupção praticada pelos homens. Para ajustar melhor este texto, quero circunscrevê-lo à corrupção aparentemente interminável e endêmica de governos e administrações e administradores públicos, estejam no âmbito federal, estadual ou municipal. Infelizmente tornou-se comum pessoas se referirem a conhecidos atos de corrupção e seus autores, imundos corruptos, até de forma jocosa e anedótica. Esta é uma atitude anticristã, que beira as raias do mais puro absurdo. Nós, os cristãos evangélicos, precisamos condenar veementemente a corrupção. Nós, os cristãos evan gélicos, precisamos dizer “Não” a todo tipo de corrupção de nossos governantes e ad ministradores públicos. Nós, os cristãos evangélicos, precisa mos denunciar publicamente todo tipo de corrupção e seus autores. Quando alguém rouba, desvia, sonega dinheiro PÚBLICO - que é nosso - está roubando você, roubando sua família, roubando seu presente e seu futuro. Este dinheiro que é surrupiado é gerado pelo seu penoso e diário trabalho e pelo suor de seu rosto, e quando o corrupto rouba dinheiro público está tirando da boca de crianças a merenda escolar, de doentes o remédio e o socorro, de idosos a esperança de vida. Enfim, estas pessoas, com sua corrupção desenfreada, roubam a Vida. Corrupção mata! Corrupção sempre tem nome e sobrenome! Que você, que verdadeiramente ama Jesus, desenvolva asco, nojo, inconformismo com toda forma de corrupção, seja onde for, seja ela qual for, parta de onde partir. Mande para nossa coluna a programação e eventos de sua igreja e ministério, e divulgaremos GRATUITAMENTE. O endereço de e-mail é claudio.duarte@conectabaixada.com.br. ALUNO DO PROJETO ALVO DA LUTA VAI DISPUTAR TORNEIO MUNDIAL Rodrigo Melo Divulgação rodrigo.melo@conectabaixada.com.br C apital dos Emirados Árabes Unidos, Abu Dhabi vai sediar um torneio internacional de Jiu-Jitsu no próximo ano. E entre os atletas classificados há um mesquitense bom de tatame, aluno do Projeto “Alvo da luta”, parceria com a academia Nova União. O “cara” é Leonardo Ramos do Nascimento, de 34 anos, um dos grandes destaques da equipe. Comandado pelo campeão brasileiro de Jiu-jitsu Jordan de Almeida, o projeto foi criado em 2013 e tem como finalidade a inclusão social através do esporte, com aulas de BJJ, Judô e Luta Livre Esportiva. Com mais de 150 participantes e muitas medalhas em etapas nacionais Professor Jordan e o campeão Leonardo e internacionais, Jordan explica que, mesmo sem um patrocinador absoluto para arcar com as despesas do “Alvo da Luta”, os resultados são surpreendentes. Com apenas três anos de Jiu-Jitsu, Leonardo coleciona medalhas em eventos nacionais. Ga- nhador da etapa “Rei do Rio”, em novembro, o atleta pode terminar o ano na primeira colocação do ranking nacional. Sem condições de viver apenas do esporte, Leonardo trabalha em uma padaria pela manhã e ainda consegue tempo para ser Pastor Auxiliar na Assembléia de Deus no fim da tarde. “Faço o esporte por amor. Conciliar tudo isso é complicado, pois sou casado, tenho três filhos e as vezes deixo de participar de campeonatos por uma questão de logística”, revela. O projeto Alvo da Luta recebe candidatos a partir de 4 anos e é necessário cumprir algns pré-requisitos. As aulas acontecem 2ª, 4ª e 6ª, das 19h às 22h, na Rua Mercúrio 85, Centro, Mesquita.

[close]

p. 12

ESPORTES ESPORTE OLÍMPICO Rodrigo Melo rodrigo.melo@conectabaixada.com.br 12 BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Dezembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR C om fracassos recentes no futebol, como a goleada de 7 a 1 para a Alemanha, muitos brasileiros acabaram atraídos para outras modalidades. Rafael Ribeiro, morador de Nova Iguaçu, é um exemplo. Para fugir da ”gorduchinha”, ele decidiu adotar a bola oval e, em 2008, por meio de uma rede social, criou com alguns amigos o “Maxambomba Rugby Clube”. O esporte, um dos que mais crescem no Brasil, fincou pé em Nova Iguaçu e tem atraído muitos adeptos. Apesar dos números, a modalidade sofre com a falta de patrocíno. Os jogadores treinam apenas duas vezes por semana nas vilas olímpicas de Nova Iguaçu e Mesquita. De acordo com Rafael, qualquer pessoa apta para praticar atividades físicas pode participar do treino. “Não importa o tamanho ou a força, nós aceitamos todos que queiram praticar o esporte. Às vezes existe um prejulgamento sobre o Rugby ser muito violento, mas isso não é verdade. No futebol, vôlei e qualquer outro esporte existem lesões. Por ter contato constante com o adversário, o Rugby acaba sendo um pouco mal visto por leigos”, disse o jogador e técnico da equipe Felippe Aguiar, presidente e um dos fundadores do clube, confirma a pequena visibilidade do esporte no Brasil. “Falta uma pouco de apoio da iniciativa privada e do governo. O Rugby precisa ser mostrado nas partes mais carentes, onde as crian- NOVA IGUAÇU É CAPITAL DA BOLA OVAL NA BAIXADA Lélio Neto/Conecta Baixada O Maxambomba Rugby Clube treina nas vilas olímpicas de Nova Iguaçu e Mesquita, onde são feitas as inscrições para novos jogadores ças não têm acesso, pois os jogos oficiais só são transmitidos na TV fechada. Não existem muitas matérias feitas sobre essa modalidade de esporte nos jornais e na TV aberta. Quan- do o Rugby começar a ser mais conhecido no País, talvez a partir dos Jogos Olímpicos do Rio, as pessoas poderão ver uma oportunidade assim como no futebol”, finalizou. Treinos Quarta-feira, 19h - Vila Olímpica de Nova Iguaçu. Sábado, 14h - Vila Olímpica de Mesquita. Prêmios Quarto lugar - Campeoanto Estadual 2011 - Série B Vice- Campeão - Campeonato Estadual 2010 - Série B Campeão - Torneio Rosa dos Ventos de Rugby Sevens ORIGEM O esporte começou a ser praticado em 1820, mas foi só em 1846 que as primeiras regras foram estabelecidas. Charles Müller, mais conhecido por ser o homem que trouxe o futebol ao país, também tentou introduzir o Rugby em terras brasileiras. No Rio de Janeiro, o “Clube Brasileiro de Futebol Rugby”, em 1891, foi o primeiro clube do País. Sem muito sucesso, a equipe chegou ao fim pouco tempo depois. Em 1995, a ABR (Associação Brasileira de Rugby) se filiou a IBR (International Rugby Board), entidade máxima do Rugby mundial. Em 2004, a seleção brasileira feminina foi campeã do primeiro torneio Sulamericano da categoria Sevens (modalidade com sete jogadores). O campeonato é disputado anualmente e o Brasil foi campeão de 2004 a 2014. Após 92 anos, a modalidade voltará às olimpíadas em 2016, no Rio de Janeiro, o que pode ajudar a popularizar a modalidade. Atualmente, o Rugby é o esporte que mais cresce no Brasil, cerca de 15% ao ano. REGRAS - 7 jogadores titulares - 5 jogadores reservas - 3 substituições por jogo - Dois tempos de 7 minutos - Prorrogação de 5 minutos - 1 minuto de intervalo

[close]

Comments

no comments yet