Gazeta Valeparaibana

 

Embed or link this publication

Description

Dezembro de 2015

Popular Pages


p. 1

Ano VIII - Edição 97 - Dezembro 2015 Distribuição Gratuita Vale do Paraíba Paulista - Litoral Norte Paulista - Região Serrana da Mantiqueira - Região Bragantina - Região Alto do Tietê RECICLE INFORMAÇÃO: Passe este jornal para outro leitor ou indique o site - Boa música Brasileira Cultura Educação Cidadania Sustentabilidade Social Agora também no seu .www.culturaonlinebrasil.net Baixe o aplicativo IOS Artigos Recomendados EDITORIAL Mensagem do Editor Página 2 ******************* Crônica de Natal Lembro-me que na minha infância não tínhamos muito dinheiro para presentes, mas toda vez que montávamos nossa árvore de Natal e preparávamos as decorações, mesmo sendo simples, era uma felicidade sem tamanho para mim. O sentido do Natal era tão grande que os presentes vinham como consequência. Página 3 ******************* Porque será que o Brasil não dá certo? Página 4 ******************* O natal e os excluídos Página 5 ******************* Um conto... Uma história A galinha Página 6 ******************* Página da Tia Genha Contos, Poesia e Crônicas Página 12 A História do Samba Página 13 Página 7 ******************* A Família do Século XXI Página 8 ******************* Quem falta, faz falta! Página 9 ****************** Islamofobia existe? Página 10 ****************** Os crimes socioambientais e a pedagogia da catástrofe A MAIOR FRAUDE DA HISTÓRIA Parte VII - FINAL “reinventamos o português, os tugas a aprenderem conosco, somos colonos desta vez” Continuação - Parte VII A lusofonia é uma Bolha Página 16 E tem mais... Confira! Página 15 Página 11 www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 2

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 2 Editorial Mensagem do Presidente Estamos chegando a mais um final de ano. São promessas e esperanças que se renovam, como se as festas de natal e passagem de ano significassem um marco, a partir do qual pudéssemos zerar nossos erros e reiniciarmos novas vidas. Isso, apesar de ser quase verdade, é muito bom, já que aceitar compromissos e rever procedimentos significa vida, alegria de viver, sonho de felicidade. O projeto “Formiguinhas do Vale” só tem a comemorar em virtude do sucesso de seus meios de comunicação “Gazeta Valeparaibana” que já alcançou a significativa marca de 3.2 milhão de downloads e a sua rádio Web que também já ultrapassou a marca de 130 mil ouvintes únicos e mais de 2.5 milhões de acessos. Enfim, realizações e sonhos que se renovam junto com o compromisso de bem servir à nossa comunidade. Que cada um de nós possa encontrar a paz e um pouco de felicidade neste período de festas e no ano que se inicia. Muito obrigado a todos pelo incentivo e apoio. Boas festas. Até o próximo ano. Filipe de Sousa Leia mais em 2016 “A leitura é uma conversação com os homens mais ilustres dos séculos passados.” René Descartes “Descobri que a leitura é uma forma servil de sonhar. Se tenho de sonhar, porque não sonhar os meus próprios sonhos?” Fernando Pessoa “A leitura especializada é útil, a diversificada dá prazer.” Sêneca “Às vezes a leitura é um modo engenhoso de evitar o pensamento.” Arthur Helps “A leitura é para o intelecto o que o exercício é para o corpo.” Joseph Addison “A leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede.” Carlos Drummond de Andrade “Amar a leitura é trocar horas de fastio por horas de inefável e deliciosa companhia.” John F. Kennedy “A maior parte do tempo de um escritor é passado na leitura, para depois escrever; uma pessoa revira metade de uma biblioteca para fazer um só livro.” Samuel Johnson Gazeta Valeparaibana e CULTURAonline BRASIL Um novo ano Vacina de ano novo Muitos me desejaram paz e amor em 75. Mas havendo amor, haverá paz? Amor é o contrario radioso dela. É inquietação, agitação, vontade de absorver o objeto amado, temor de perdê-lo, sentimento de não merecê-lo, ânsia de dominá-lo, masoquismo de ser dominado por ele, dor de não o haver conhecido antes, dor de não ocupar seu pensamento 24 horas por dia, e mais dias a pedir ao dia para ocupá-lo, brasa de imaginá-lo menos preso a mim do que eu a ele, desespero de o não guardar no bolso, junto ao coração, ou fisicamente dentro deste, como sangue a circular eternamente e eternamente o mesmo. Amor é isso e mais alguma triste coisa. E a tristeza incurável do tempo não passa fora de nós, passa é dentro e na pele marcada da gente, lembrando que eternidade é ilusão de minutos e o ato de amor deste momento já ficou mergulhado em ter sido. Amor é paz? Carlos Drummond de Andrade Rádio web CULTURAonline Brasil NOVOS HORÁRIOS e NOVOS PROGRAMAS Prestigie, divulgue, acesse, junte-se a nós ! A Rádio web CULTURAonline Brasil, prioriza a Educação, a boa Música Nacional e programas de interesse geral sobre sustentabilidade social, cidadania nas temáticas: Educação, Escola, Professor , Família e Sociedade. Uma rádio onde o professor é valorizado e tem voz e, onde a Educação se discute num debate aberto, crítico e livre. Mas com responsabilidade! Acessível no link: www.culturaonlinebrasil.net IMPORTANTE Todas as matérias, reportagens, fotos e demais conteúdos são de inteira responsabilidade dos colaboradores que assinam as matérias, podendo seus conteúdos não corresponderem à opinião deste projeto nem deste Jornal. A Gazeta Valeparaibana é um jornal mensal gratuito distribuído mensalmente para download Editor: Filipe de Sousa - FENAI 1142/09-J CULTURAonline BRASIL Ajude-nos a manter este projeto por apenas R$ 2,00 mensal Email: assinaturas@gazetavaleparaibana.com Juntas, a serviço da Educação e da divulgação da CULTURA Nacional

[close]

p. 3

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 3 Crônica de Natal Acho que as festividades de Natal nos nossos dias se revestem de muito mais que pura hipocrisia. Tem sem dúvida á mistura com esta ou por via dela, num flagrante e desmesurado aproveitamento comercial, diria que quase a todos os níveis. Para os presentes – quase todos por obrigação e não por amizade ou admiração, para as decorações – para não se perder o lugar no campeonato perante a vizinhança, e outras coisas com outros objetivos que me abstenho de aqui apresentar. Nunca fui capaz de entender como é que uma comemoração em honra do nascimento – “natális, nascor, nascéris, natus sum “ – puxa a objetivos tão dispersos e distantes da alegria pelo nascimento. Sabemos o significado forte da vinda a este mundo das crianças, dos nossos filhos, que quase comumente nos conduz a sentidas lágrimas com misto de alegria e felicidade, que se repetirão ao longo da sua vida, do seu crescimento, obviamente com marés altas e baixas, mas sempre para nós, sentidas como pais ou familiares, profunda e sinceramente, sem a obrigação hipócrita da oferta diária de presentes e prendinhas e prendinhas e presentes, para lhes lembrarmos que existimos e que estamos ali para eles. Porque, ótimo e bom e humano é sentirem-nos sempre próximos com ao calor da proximidade sem limite de amor e sacrifício quando necessário. E tal surge natural e espontaneamente com a grandeza e força incomensurável dum beijo ou dum abraço, dum auxílio no leito dum hospital, no aconchego com a palavra reconfortante perante a crueldade da vida e dos outros. Este, para mim é que deve ser o presente, a comemoração, o que quiserem como símbolo e prática de natal – a preço zero. Acho que o Natal não é sempre que o homem quiser – tem de o ser mesmo quando não quer! O natal atualmente não é mais que um reflexo da sociedade que fomos criando e que temos hoje. É um natal, frio, cheio de sentimentos fantasiados, hipócrita onde toda a gente tenta como que apagar os erros que fez ao longo do ano. No passado quase que não havia presentes, apenas pequenas lembranças e peças que necessitávamos, mas com sentimento, isso sim era importante. Hoje se compra e se gasta dinheiro em presentes para muitos alguns dos quais não nos dizem nada, apenas porque parece bem, fica bem, é uma obrigação muitas vezes desprovida de qualquer sentimento nobre e que valha a pena. Foi isto que fomos criando e que cada vez se acentua mais nos nossos dias, o natal do fica bem e do faz de conta. Olhemos para dentro de nós; paremos, e pensemos no que realmente é o natal. De certo seremos mais verdadeiros durante todo o ano. Um Bom Natal a todos Vós Filipe de Sousa O fim do ano é sempre um tempo de alegria e esperança: alegria por tudo aquilo que conquistamos durante todo este ano de 2015 e esperança para tudo que nos aguarda em 2016. Neste tempo, lembramo-nos de tudo que nos aconteceu e também das pessoas que entraram em nossa vida, nos fizeram felizes, dividiram conosco momentos felizes, algumas, com certeza, se casaram, outras tiveram a alegria de ter um filho (talvez aquele tão esperado há muito tempo), outras entraram na faculdade, muitas outras encontraram verdadeiros amigos que as ajudaram a vencer um sofrimento, uma dor, a encontrar a direção perdida pelo caminho e, assim, a vencer diversas dificuldades. Que no final de 2016, possamos ter as mesmas lembranças. Gazeta Valeparaibana Calendário do mês Alguns Feriados e Datas Comemorativas 01 - Dia Internacional da Luta contra a AIDS 02 - Dia Nacional das Relações Públicas 02 - Dia Nacional do Samba 02 - Dia da Astronomia 02 - Dia Panamericano da Saúde 03 - Dia Internacional do Portador de Deficiência 04 - Dia Mundial da Propaganda 08 - Dia da Família 08 - Dia da Justiça 10 - Declaração Universal dos Direitos Humanos 14 - Dia Nacional do Ministério Público 15 - Dia Nacional da Economia Solidária 23 - Dia do Vizinho 25 - Natal 31 - Réveillon (Dia de São Silvestre) DEMOCRACIA A verdadeira Democracia (onde o povo participe de alguma forma das decisões que interferem nas relações sociais) supõe uma prática pedagógica: educar para a cidadania. Educar é um ato que visa não apenas desenvolver nossas habilidade físico-motoras e psíquico-afetivas, mas igualmente à convivência social, a cidadania e a tomada de consciência política. A educação para a cidadania significa fazer de cada pessoa um agente de transformação social, por meio de uma práxis pedagógica e filosófica: uma reflexão/ ação dos homens sobre o mundo para transformá-lo. Este é um dos objetivo do Jornal Gazeta Valeparaibana www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 4

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 4 Social Porque será que o Brasil não dá certo? aos montes, mesmo sem pagar e sem treinar professores ou, diríamos melhor, "reciclar" o magistério, mas isso já é uma outra história. Existem formados e conformados, sempre "conscientes" da intimidade com a "verdade", embora essa "verdade" muitas vezes seja apenas a repetição de velhos e carcomidos chavões, preconceitos, definições "perfeitas" e elaboradas que jamais são ou serão questionadas. Por falar em preconceito, para os que vivemos num país de profunda miscigenação racial, mas onde o negro, o mulato, o deserdado e principalmente o pobre não têm vez, o Brasil adotou até mesmo o "elevador social" e o de "serviço", separando, nos edifícios residenciais, a companhia indesejável de "senhores" e "servos". É essa a pátria amada, salve, salve! Existem dois livros relativamente recentes, fundamentais para quem deseja ter compreensão mínima de como funciona a nossa sociedade: "Chatô", de autoria de Fernando Morais, e "Mauá", de autoria de Jorge Caldeira. O primeiro enfatiza a "formação política", a estruturação das principais mazelas nos nossos quadros dirigentes, enquanto que o segundo dá panorâmica exemplar a respeito de nossa "formação econômica". Não são livros apenas dirigidos aos estudiosos dos temas, dos assuntos citados, mas, direcionados a todos os que desejam ampliar conhecimentos e decifrar o mínimo das estranhas mensagens emitidas das entranhas da sociedade nacional. Isso sem citar o clássico do jurista Raymundo Faoro, intitulado "Os Donos do Poder", editado pela Editora Globo. Num país onde existem cerca de 90% de analfabetos, muitos diplomados e que raramente abrem ou folheiam um livro (povo movido pela paixão, pela emoção pura e barata, que se deixa levar pela lavagem cerebral da Rede Globo), o preconceito com relação à candidatura do Dr. Enéas é fato que não chega a chocar, apresenta-se mais do que compreensível. Pergunte-se a pessoas de classe média se a candidatura Enéas pode ser considerada opção e, entre respostas de "vamos ver" e "quem sabe(?)" escutar-se-ão os que o apontam como "maluco" e "nazista", embora sem saber dizerem, tais pessoas, qual holocausto o indigitado "nazista" tomou parte ou ato insano praticado deva servir de referência à adjetivação. Isso num país que vem repetindo, eternamente, os mesmos erros e fracassos. Que não ousa mudar e que a cada novo pleito indica um representante ligado aos mesmíssimos grupos que se perpetuam e se perpetuam, por todos os séculos e séculos, amém! REFRESCANDO A MEMÓRIA sil é caso de polícia ou de deposição pelas Forças Armadas, se os militares não estivessem tão "queimados" e sentindo-se tão culpados pela longa permanência efetuada a partir de 64. O problema é que, se demorar muito, não vai sobrar mais motivo e nem razão para intervir. O Brasil terá se transformado, como está se transformando, num amontoado de "vagabundos" e desagrupados, o paraíso dos picaretas. O Brasil se encontra quase que inteiramente dominado pelo tráfico de drogas, pela roubalheira institucionalizada, pela desestruturação educacional, pela rapinagem sem fim. "Vender" a Vale do Rio Doce, como o presidente Fernando Henrique Cardoso "vendeu", é caso passível de severa punição por traição aos altos interesses da nação, crime de lesapátria. Além do mais, na maioria dos 26 estados da Federação, os governantes que ali se encontram encastelados teriam de estar, imediatamente, cumprindo longas penas de prisão! São ladrões do dinheiro público, assaltantes dos cofres da nação, batedores de carteira, os verdadeiros culpados pela desordem e pelo desmonte de nosso país. O povo? Ora, direis, o povo! Encontra-se anestesiado pelas novelas imundas e pornográficas da Rede Globo, a jogatina desenfreada e imoral dessa mesma emissora e de todas as outras que lhe seguem o exemplo vil, com os carnavais "fora de época", estimulados e patrocinados pelos governantes, a prostituição adulta e a infantil, a dificílima sobrevivência, enfim, a atividade diária nesse inferno em que estamos mergulhados. Vivemos como na "Salve Rainha", "gemendo e chorando nesse vale de lágrimas". E porque os militares ainda não intervieram, quando se sabe que a presente situação é muito mais estarrecedora do que aquela vivida antes de 64? Porque ficaram mais tempo do que o devido, ao darem o golpe naquele ano. Porque, ao invés de promoverem a necessária correção de rumos, retornando o poder constitucional aos civis, resolveram gozar as delícias do Olimpo. Porque os grupos que ali chegaram, no Palácio do Planalto, não honraram o nome e nem a tradição das Forças Armadas, respingando lama na instituição. Aliaram-se e foram envolvidos pela escória civil (esses políticos), a mesma escória que aí continua a sangrar o dinheiro público. Do jeito que as coisas estão caminhando, com as Forças Armadas sem equipamento e sem efetivo, vivendo à míngua, dependente dos entreguistas que estão no poder, não vai sobrar muita coisa em curtíssimo espaço de tempo. Por isso, se nós temos uma saída democrática, e se essa saída democrática é pelo voto, mesmo manipulado pelas pesquisas, confundido pela máquina administrativa e comprado pelas estruturas partidárias (onde se reduz criminosamente o tempo gratuito de televisão que seria destinado aos opositores do sistema), está na hora de mudar e de se procurar alternativa para o Brasil antes que seja tarde demais. Vamos entrar nessa campanha, atuar como se fosse a última esperança, trabalhar os que temos consciência desse gravíssimo quadro, para remover o lixo apodrecido de nossa atividade política e administrativa. Vamos, acima de tudo, acreditar, mais uma vez, procurando o melhor para os nossos descendentes, agindo, por questão de dever cívico e de cidadania. Porque será que o Brasil não deu certo, não dá certo, nada funciona? Dizem alguns que tudo de ruim que acontece é em função de origem, do domínio português. Que nenhuma das antigas colônias de Portugal conseguiu prosperar, basta ver a situação do Timor Leste, Macau, Cabo Verde, Angola,… …a lista é interminável, a grande maioria imersa na mais deprimente miséria. Que lá mesmo em Portugal, nosso antigo colonizador, a taxa de analfabetismo é muito alta e o país está sofrendo uma série de problemas, enfrentando dificuldades quase que insuperáveis na tentativa de integração à Comunidade Européia. Outros preferem acreditar, ainda, que "é tudo uma questão dos trópicos", do "carma" do Continente, citando como exemplo as três Guianas colonizadas por países do primeiríssimo mundo, mas, mesmo assim, não fugiram ao círculo de desespero e nem ao horror que tão bem conhecemos. Esse assunto talvez pudesse ser melhor definido por um estudioso das sociedades, um sociólogo (epa!). A questão é estarmos tão vacinados contra certos sabichões que preferimos ficar presos às nossas próprias divagações e lucubrações, tentando descobrir que infelicidade é essa, a nossa, que vai se tornando crônica. Outros existem, mais radicais, iconoclastas e ateus convictos que colocam a culpa de tudo na religião. No tipo de religião que formou o nosso país. A Igreja Católica, segundo esses outros, seria a culpada de tudo: "criou vícios insanáveis e acostumou o povo na desgraça". Eles entendem que o fato de o catolicismo pregar a conformação e a renúncia, o desapego a coisas materiais, o abandono de tudo que é terreno, preparando-se para entrar "no outro lado" com a alma limpa (onde tudo já se encontra pronto e arrumado, desde que o mundo é mundo), abateu o ânimo das pessoas, do "populacho", deixando pleno convencimento de que "o que tiver de vir, virá, não adianta correr atrás". Afinal, dizem os incrédulos, a Igreja Católica já trouxe tudo pronto, o Céu, o Purgatório, o Inferno, tudo montado e burocratizado: "porque alguém iria pensar em lutar por mudanças?" A mistura desses ingredientes (continente e religião), afirmam os descontentes, ao se adicionar ao pensamento português, "deu no que deu". Como conseqüência cria-se uma ideologia de massacre nessa submissão. Desde a chamada "Revolução de 30" até agora, as coisas vêm mudando sim, mas sempre para pior. Tivemos Getúlio Vargas por 15 anos, Eurico Gaspar Dutra(1946-51), novamente Getúlio(1951-54), Café Filho, Carlos Luz e Nereu Ramos, os três últimos no intervalo entre o suicídio de Getúlio (1954) e a posse de Juscelino Kubitschek(1956-61). Jânio Quadros, que renunciou(1961), João Goulart(1961-64) e 21 anos de regime militar(1964-85). Depois, a famosa "redemocratização". Vieram, pela ordem (ou pela desordem?) José Sarney(1985-90), Fernando Collor de Mello(1990-92), Itamar Franco(1992-94) e, por fim, Fernando Henrique Cardoso. Este último apresentou, de cara, projeto igual ao de Essa é uma tarefa gigantesca, colocada com todo o seu peso No Brasil, ora no Brasil(!?), a maioria passa a vida inteira sem Carlos Menem (Argentina) e Alberto Fujimori (Peru), pois nos ombros daqueles que ainda conseguem pensar no Brasil. abrir um livro, sem ler, sem refletir, repetindo o que ouve aqui pretende ficar no cargo, se possível, a vida inteira. O que e alhures, quase todos com diploma universitário à mão, di- Fernando Henrique Cardoso está fazendo no Brasil e ao Brazendo-se "doutor". Faculdades e universidades nós as temos Da redação www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 5

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 5 Nossos deveres moração, e sim o fictício Papai Noel, que esti- Por mais que existam pessoas que reprovem mula o consumo de presentes, portanto, mais Jesus Cristo nos dias de hoje, por serem coninteressante para o Mercado. tra religiões por diversos motivos, Jesus é o É uma época onde principalmente as crian- maior símbolo de solidariedade que existe até ças ganham presentes, muitos adultos tro- o momento. E se o Natal foi criado para se cam presentes entre si, parentes e amigos comemorar o aniversário de Jesus Cristo, é muito próximos se reúnem para cearem jun- incoerente as pessoas celebrarem o Natal tos. É uma época onde as pessoas se unem. mas, não serem solidárias com os excluídos. Porém, não funciona assim para todos. Pessoas que moram na rua, pessoas que já não têm família ou nunca tiveram, pessoas que são simplesmente recusadas e excluídas pela sociedade civil não desfrutam de tal prazer, de tal confraternização. Não recebem presentes de ninguém, não têm a oportunidade de cear como os mais favorecidos têm. A sociedade civil tem que começar a rever os seus conceitos, começar a procurar entender melhor as coisas. Para que celebrar um rito cristão se não concordam com a proposta de Cristo? Mas, se concordam com a proposta, por que excluem parte dos indivíduos que compõem a sociedade civil? Por que tanta segregação, tanta discriminação? O Natal e os excluídos Neste mês, no próximo dia vinte e cinco, é mais um Natal. O Natal é uma cerimônia de origens pagãs que foi assimilada pelo Cristianismo com a finalidade de comemorar o aniversário de Jesus Cristo. Atualmente, não é Jesus Cristo o grande destacado da come- O Natal, outrora cerimônia religiosa, virou um O Natal é uma época ótima para que as pessímbolo do consumismo capitalista. Só quem soas reflitam sobre o assunto. tem dinheiro para consumir que é levado em consideração. Só quem tem dinheiro é que João Paulo E. Barros. pode celebrar com a mesa repleta. Neste Natal seja mais presente! Todos nós, ao chegar nesta época, poderíamos nos perguntar qual o melhor presente para se ganhar e para dar. Só que este presente precisa ser algo que realmente tenha algum significado. Normalmente ganhamos e procuramos dar apenas coisas materiais. Estas também são importantes. Todavia, muitas vezes, há momentos e coisas que ganhamos, as quais nos engrandecem e são impagáveis. Lembro-me que na minha infância não tínhamos muito dinheiro para presentes, mas toda vez que montávamos nossa árvore de Natal e preparávamos as decorações, mesmo sendo simples, era uma felicidade sem tamanho para mim. O sentido do Natal era tão grande que os presentes vinham como consequência. Hoje em dia, infelizmente isso mudou. As crianças já esperam ganhar roupas, brinquedos e outros presentes das lojas. Infelizmente, elas não são estimuladas a esperar algo diferente disto. Por isso, neste Natal, podemos fazer com que o significado do “presente” seja mais interessante do que apenas ganhar roupas, jóias, brinquedos, etc. Podemos usar a criatividade para surpreender quem amamos de outras formas. E certamente serão muito mais significativas. E falando em presentes, o melhor presente é o Livro. Pensem nisso! Filipe de Sousa Porque precisamos fazer a Reforma Política no Brasil? Seus impostos merecem boa administração. Bons políticos não vem do nada. Para que existam bons políticos para administrar o país, toda a sociedade precisa colaborar para que eles possam nascer e terem sucesso. É preciso um sistema eleitoral moderno para melhorar a qualidade da política. Os políticos "tradicionais" tem horror à reforma política, porque ela pode mudar a situação atual onde eles usam e manipulam o eleitor e são pouco cobrados ! DESIGUALDADES Os contrastes sociais são responsáveis por todas as desigualdades raciais, étnicas e interculturais. Mesmo em tempos pós emancipação quem tem muita melanina, na maioria das vezes, é olhado de canto, é temido. Julgado e culpado. Prostrado à marginalização e banalidade. Jogado à sorte do destino. É triste ver que muitos são obrigados a sobreviver com pouca coisa, enquanto poucos riem e fazem de tudo um circo, vivendo bem e muito bem, "com muitas coisas" O problema da desigualdade social não é a falta de dinheiro para muitos, e sim o excesso na mão de poucos. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 6

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 6 Um conto, uma história. rua, no meio do trânsito deparando-se com pessoas elegantes indo ao shopping e que jaEstava minha amimais se aproximariam dela. Um horror! ga andando numa rua arborizada e Faço o que então? Pensou ela. agradável no bairro Pego a galinha rapidamente e a levo para aldo Morumbi com gum lugar que a cuide de forma adequada... seus dois cachorPense em uma amiga, já na “melhor idade”, ros, grandes, pretos agitada numa via de seu nobre bairro, tentane, quem os via, ficava com receio de chegar do capturar uma galinha. Primeiro quem via perto, pois, apresentavam um porte soberbo e não entendia e nem poderia imaginar uma ela, cara de quem tinha sorte de eles serem pessoa culta e brilhante correndo atrás de uma guardiães da sua casa. galinha. Pelos anos de amizade que temos,sei da dociMas, eis que para sorte dela, apareceu uma lidade desses cães e a amabilidade como são viatura policial bem à sua frente, não hesitou tratados. Sempre cuidou com comprometimenem pedir ajuda relatando sua preocupação to e carinho outros animais que viveram por com a galinha que poderia ter um final trágico. longos e felizes anos com ela. Os policiais pararam e a ouviram, mas, não Ela teve uma gata muito engraçada que me obteve êxito, pois não teria cabimento levar divertia muito em ouvir suas pitorescas histó- uma galinha para a delegacia e sugeriram que rias e uma delas presenciei: descia elegante- ligasse para o Centro de Zoonose o que tammente as escadas da casa e no meio do cami- bém não foi solução porque não estavam mais nho deparou-se com os“temíveis” cães. Pas- ativos para esse tipo de atendimento. mem! A gata, no meio do trajeto, parou e fez Novamente diante do problema, recorreu aos movimentos contorcionistas próprias de felinos policiais que então sugeriram que levasse a e,subitamente um deles,literalmente, ficou pagalinha pra casa e cuidasse dela. ralisado olhando agatinha que continuou seu trajeto suavemente, passando por eles tranqui- “Um estalo” – maravilha de ideia, pensou, só lamentee seguindo para suas aventuras notur- que não conseguiria pegá-la, mas eles, por nas. Lembro até hoje dessa cena e penso que serem treinados para diversas ocorrências, o observador deveria estar apaixonado pela poderiam facilmente ajudá-la a capturar a famigata e não podendo assumir essa paixão que gerada. não é politicamente correta entre cães e gatos. E assim foi, pararam a viatura, correram pra lá A GALINHA O QUE ELES DISSERAM SOBRE A LEITURA “A leitura é a viagem de quem não pode pegar um trem.” Francis de Croisset “A leitura, como a comida, não alimenta senão digerida.” Marquês de Maricá “A leitura, após certa idade, distrai excessivamente o espírito humano de suas reflexões criadoras. Todo o homem que lê demais e usa o cérebro de menos, adquire a preguiça de pensar.” Albert Einstein “A leitura engrandece a alma.” Voltaire “A leitura deve ser para o espírito como o alimento para o corpo, moderada, sã e de boa digestão.” Marquês de Maricá “A leitura nutre a inteligência.” Sêneca “A leitura não é uma atividade elitizada, mas uma ferramenta de transformação social dos indivíduos.” Julian Correa “A leitura não deve ser mais do que um exercício para nos obrigar a pensar.” Edward Gibbon “São necessários anos de leitura atenta e inteligente para se apreciar a prosa e a poesia que fizeram a glória das nossas civilizações. A cultura não se improvisa.” Julien Green “O importante é motivar a criança para leitura, para a aventura de ler.” Ziraldo “Um público comprometido com a leitura é crítico, rebelde, inquieto, pouco manipulável e não crê em lemas que alguns fazem passar por idéias.” Mário Vargas Llosa Oh! Seria uma vergonha, um cão apaixonar-se e pra cá atrás da penosa e a entregaram para por uma gata, talvez por isso ele ficasse incri- minha amiga já que para sorte deles, não havia provas de quem praticou esse crime contra a velmente paralisado... mesma e que justificasse os defensores da lei Continuando a falar de minha amiga, uma lutaainda terem que fazer um boletim de ocorrêndora em prol dos humanos a vida toda, hoje cia. luta pelos animais e abraça as causas com determinação e sabe tanto sobre eles que me Despediram-se cordialmente e, com certeza, fascinou e até me fez gostar e entender me- devem ter comentado que encontraram uma velha maluca que os fizeram correr atrás de lhor “os gatos”, MEAU! uma galinha. Mas, eis que no derradeiro dia de seu passeio, ocorreu um fato inédito, fora o dia do sapo cu- Perguntei a minha amiga: ruru e outras histórias que estou disposta a - Afinal que fim teve a galinha? investigar e, que poderão ser descritas em outros contos. No momento dedico-me a esse Ela me respondeu que um amigo a levou para um sítio e que lá terminou seus dias muito fepeculiar acontecimento que vou relatar: liz. Saiu de casa e deparou-se com uma galinha, desgovernada, assustada e notou que a coita- Cá entre nós, acho que ela teve outro final que não devo contar pra ela, mas, posso contar da precisava de um “ombro amigo”. pra vocês: Imaginou que a coitadinha poderia ter caído de algum transportador, que não a viu cair, ou Pra mim, ela virou canja! algum insensato que não a quis mais e a jogou ao léu sem pensar no pavor de uma galinha na Genha Auga Contar histórias é uma atividade que ocupa a imaginação humana há milhares de anos. Gente de todos os lugares conta histórias para divertir, ensinar, relembrar ou apenas passar o tempo. As pessoas começaram a contar histórias muito antes de a escrita ter sido inventada. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 7

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 7 Contos, Poesias e Crônicas volvimento de nossos pequeninos, fortalecendo sua personalidade com suporte físico e psicológico até para enfrentar os conflitos Ser avó é ser mãe que virão na adolescência. pela segunda vez Aprendem conosco a respeitar os mais vecom o que incrivel- lhos aceitando suas limitações, diferenças e mente a natureza fragilidades bem como respeitamos as denos brinda na idade les. mais avançada com paciência, flexibilidade, compreensão e de forma bem mais tranqui- Em contrapartida, nos beneficiamos dessa la. É vivenciar aventuras, imaginários, tra- relação porque nos afastam da depressão quinagens que nem sempre tivemos tempo do contexto do mundo adulto. Os netos nos de fazer com nossos filhos, ocupados que representam sempre um tempo de renovafomos sempre em suprir nossas obriga- ção e que nos rejuvenesce. ções. Eles nos ativam e nos tornam úteis além do Há quem ache que mimamos e estragamos netos e na verdade o que fazemos é manter um relacionamento melhor, leve e divertido realizando tarefas com cumplicidade, nos divertindo e fortalecendo o carinho através do lúdico, da fantasia, nos aventurando nesse mundo onde, pais são “proibidos” de entrar. (infelizmente nem todas podem desfrutar e usufruir dessa melhor parte de ser avó). lavar, cozinhar, realizar tarefas que devem ser exclusivas dos pais, e isso, nos permite a movimentação, o passear livremente, brincar do jeito de criança e que todos da “menor e melhor idade” adoram. SER AVÓ Nossos queridos netos nos motivam para a sociedade moderna, com eles vestimos mudanças diariamente e tomamos conta das ferramentas tecnológicas que aprendemos com eles. Geramos com isso, uma infância cheia de Concluí que a melhor troca de geração é: descobertas e transformações que é o ca- De mãe para avó. minho para a adolescência com proteção, Genha Auga amor e atenção, quesito básico no desenMINIBIOGRAFIA DA AUTORA Jornalista formada pelas FIAM - Faculdades Integradas Alcântara Machado. Membro da UBE – União Brasileira dos Escritores. Atualmente: Cronista – Contista – Poetisa - Aplicadora e ledora de provas em concursos públicos e vestibulares e de avaliações de instituições do ensino médio e superior. - Atuei na coordenação do núcleo de educação, exatas e saúde das FMU -Faculdades Metropolitanas Unidas. - Atuei como Jornalista Responsável das Revistas na Área da Saúde e na publicação da “Coletânea das Semanas Científicas”da Faculdade Santa Marcelina e Escola Sophia Marchett. - Publicações em antologias de contos e poesias, (Brasil - Genebra – Portugal). - Participação com poemas/contos/crônicas de minha autoria em e-book - abertura de shows - saraus literários – rádio/jornal online – bienal - blogs – sites – portal. Contatos:e-mail: genhauga@gmail.com Genha Auga Genha Auga jornalista MTB:15.320 Então os pássaros voaram e com eles os meus anjos se foram. Então, me vi só, seguindo meus próprios passos. Agora serei eu e mais ninguém... Olhei para trás e vi uma sombra! Percebi que não era a minha e sim a “Dele”. Segui com passos firmes e segura. Sei que não cairei porque “Ele” está sempre comigo. Uma manhã ensolarada após um dia muito difícil... Genha Auga Assim como um dia bem aproveitado proporciona um bom sono, uma vida bem vivida proporciona uma boa morte. ... O dia mais feliz é aquele que você se faz especial. Numa sociedade movida à dinheiro e hipocrisia, encontramos pessoas propensas aos mais diversos rumos incluindo-se a devassidão. Cuidado com quem andas, pois tua companhia sumariza quem és. Não tenha medo de lutar pelo que acredita, apenas seja você mesmo nos mais divergentes momentos que possam surgir. Fazendo isto, certamente afetará os que estão à tua volta que não gostam do que veem. Saberão fazer a triagem do joio e do trigo. Só tome cuidado com o lado com que ficará, pois uma escolha errada pode te afetar drasticamente. Pense no seu futuro. Sua escolha hoje, será o seu futuro amanhã. Seja feliz, haja com honestidade sempre. Mas acima de tudo, cuidado com o que te tornarás! Filipe de Sousa www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 8

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 8 A família A Família do século XXI nos, vejamos então: Está presente a intolerância, a discriminação, o preconceito, a falta de respeito a dignidade da pessoa humana, o desrespeito a liberdade e outros direitos que fazem parte da nossa existência e de nós enquanto seres humanos. Um conceito que faz parte de um projeto de lei aprovado em setembro de 2015 por uma comissão especial composta por nossos representantes legais. Eu me pergunto a quem eles realmente representam? Pessoas que estão fomentando a intolerância, a discriminação. Existe um conceito correto sobre o que é família? Então casais homoafetivos por exemplo ficam de fora desse conceito, como se assim eles deixassem de existir. Família é a que é formada por laços consanguíneos e também por afinidade, o sexo dos casais pouca importância tem. Não tem como não citar o Art.1º da Declaração de Princípios sobre a tolerância. “A tolerância é o respeito, a aceitação e a apreço da riqueza e da diversidade das culturas de nosso mundo, de nossos modos de expressão e de nossas maneiras de exprimir nossa qualidade de seres humanos.” É fomentada pelo conhecimento, a abertura de espírito, a comunicação e a liberdade de pensamento, de consciência e de crença. A tolerância é a harmonia na diferença. nos garantirão as condições necessárias para que tenhamos uma vida digna e ao mesmo tempo nos auxiliar para que possamos dar sentido a nossa própria existência. Existe uma nova diversidade estrutural, em que os papéis de cada um não são estáticos. Mudam conforme a necessidade de cada núcleo familiar. Fato é que a família, não importa de que tipo seja, continua sendo importante na formação do indivíduo e na inserção dele na sociedade. Os padrões patriarcais já não cabem mais. As mudanças sociais e culturais exigem que se repense sobre a “instituição família”. A família ideal não existe. Existe a família possível, aquela que nos acolhe, transmite valores, educação, amor, nos socializa, onde nossas primeiras aprendizagens ocorrem e onde nos desenvolvemos como seres humanos. “No Estatuto da família está definido que família é a união entre homem e mulher por meio de casamento ou união estável, ou a comunidade formada por qualquer um dos pais junto com os filhos.” Sabemos que a família é o primeiro núcleo social do qual fazemos parte, e sabemos que esse conceito não mais se sustenta. O mundo mudou, as pessoas mudaram, evoluímos, quero crer que para uma sociedade melhor, menos preconceituosa e que entende que amor não tem cor, nem sexo, vem do coração e só. Casais homossexuais com filhos são uma família, tanto quanto casais hetero. No mundo contemporâneo não cabe mais apenas a forma tradicional de família. Novas combinações surgiram. Temos a família Mononuclear; (Famílias formadas por mãe, pai e filhos) Família Homomaternal; (Famílias formadas por mães e filhos) Família Homopaternal; (Formada por pais e filhos), a mãe que cuida dos filhos sozinha, Monoparental; Pais independentes; (Pais que cuidam dos filhos sozinhos) pluriparental (o casal ou um dos dois têm filhos provenientes de um casamento ou relação anterior); extensa ou ampliada (tem parentes próximos com os quais o casal e/ou filhos convivem e mantém vínculo forte, podemos continuar citando outros tipos de relação, não importa que tipo é, importa que sejam respeitadas e que sejam reconhecidas para que tenham seus direitos garantidos. Nesse conceito de família que está no nosso estatuto, temos várias violações aos Direitos Huma- Compreender essas mudanças estruturais é algo complexo, muitas são as dificuldades que surgem. A visão conservadora, o preconceito, a discriminação. A falta de visão dessa nova realidade acaba por se estender ao Direito, que está engatinhando no que diz respeito à previsão legal desses novos tipos de relação. Os conflitos surgem a todo o moA diversidade faz parte da nossa sociedade, con- mento e legitimar esses novos relacionamentos é ceitos antigos devem ser mudados, mas para que fundamental para a sociedade. isso aconteça é necessária uma mudança de postura, de visão, e de um novo olhar sobre esse no- O Estado existe para nos defender, para salvavo mundo. Outro direito violado por esse conceito guardar nossos direitos, criando condições para ultrapassado de família é a igualdade, é um direito que possamos agir livremente e conduzir nosso fundamental, que faz parte da segunda geração próprio destino sob sua proteção, através da prodos Direitos Humanos. É sobre a liberdade e a moção e da proteção dos direitos individuais, sem igualdade que está fundamentada a dignidade da com isso interferir e desrespeitar o direito a dignipessoa humana, passa pelo direito a dignidade e dade da pessoa humana. a igualdade o respeito à orientação sexual de cada um. O respeito pela maneira de ser e de viver. Ser feliz é tudo o que queremos. Termos nossos direitos respeitados e salvaguarO Estado tem o dever de proteger as liberdades dados já é um passo nessa direção. Nossa felicifundamentais da pessoa humana e seus direitos, dade deve vir em primeiro lugar. E que as novas como liberdade de se expressar livremente, seu famílias sejam acolhidas e respeitadas e tratadas direito de escolha, de credo, seus valores, direito com igualdade perante a lei. a intimidade e tantos outros. Quem somos nós para dizer que um casal homoafetivo não pode Mariene Hildebrando Professora e especialista em Direitos humanos formar uma família? Dignidade e liberdade estão ligadas, cabe ao Estado assegurar os meios que Email: marihfreitas@hotmail.com www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 9

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 9 Discutindo a Educação QUEM FALTA FAZ FALTA alegado que as Diretorias de Ensino e as esComo driblar a evasão escolar e maximizar colas já realizam vários movimentos para reo corte de custos na educação. duzir o número de falta, novamente é afirmado que isso “já se reflete através dos indicadores Que a evasão escolar é um problema naciode aprovação e na redução da reprovação por nal, principalmente no Ensino Fundamental II faltas”. e Médio, isso ninguém discorda. O grande problema é: Por que esses jovens faltam tanto ou Inicialmente é preciso destacar que já publicaevadem à escola? Necessidade de ajudar fi- mos algumas reflexões sobre a questão da nanceiramente suas famílias? Não se encon- falta e do abandono escolar, inclusive apretraram na escola? Cerceamento da sua liber- sentando algumas dicas de como o professor, dade de expressão? Não encontraram signifi- o coordenador pedagógico e o diretor de escocado na escola? Ou simplesmente por que la devem tratar essa questão. Abaixo é possível verificar os endereços para esses dois artinão quiseram mais ir para a escola? gos. Quando se discute ausência escolar e evasão, deve-se levar em conta que cada caso é um A legislação brasileira traz para o poder públicaso. De qualquer forma, ainda que este pro- co a responsabilidade sobre a permanência do blema seja um problema sociológico, é preciso jovem na escola, porém, na prática o que adeixar bem claro que isso também se reflete contece é que muitos não querem ou não poem um problema econômico de curto, médio e dem frequentar a escola. No papel, cabe ao longo prazo, a saber: A curto prazo, entende- poder público e aos pais zelar pela aprendizase que a evasão vá trazer um maior custo pa- gem do aluno (basta consultar a Constituição ra quem financia a educação, já que este está Federal, o Estatuto da Criança e do Adolesocupando a vaga de alguém que poderia estar cente e as Diretrizes e Bases da Educação estudando; A médio prazo, uma vez que o jo- Nacional). vem tende a voltar para a escola (na modali- O nó na garganta se dá ao refletir sobre o prodade EJA), sendo necessário mais investimen- jeto “Quem falta faz falta” se dá sobre aquele tos e; a longo prazo, quando este jovem in- aluno que não foi para escola ao longo do ano gressar no mercado de trabalho sem compe- pelo simples motivo de não querer ir pra escotências e habilidades mínimas para exercer la, pois nada ali lhe despertava o interesse e a alguma profissão, uma vez que não foi devida- motivação para frequentar aquele lugar. Na mente trabalhado na escola. prática, este projeto se articula de uma forma De qualquer forma, governos se articulam pa- com que, independente de qualquer coisa,fará ra minorar a problemática da evasão. Novas com que o aluno seja promovido. No limite, o propostas curriculares se articulam, diferentes aluno foi chamado junto com seus pais e foi compras de materiais tecnológicos são feitas, oferecido uma oportunidade impar: fazer um campanhas para trazer o aluno de volta para a “trabalhinho” para passar de ano. Imagine que escola são realizadas e até a “ajuda” do Con- supostamente este aluno não vá apresentar o tal trabalho solicitado. Sabe o que vai aconteselho Tutelar é requerida. cer? Adivinhe: vai passar de ano, vai ser proÉ louvável e até importante que se queira artimovido, vai ser empurrado para a série secular diferentes planos para garantir que o joguinte e aqui vou levantar dois pontos: (1) alvem não evada a escola, porém, há que se guns dirão: “mas a vida vai ensinar este jotrazer ao debate as políticas que não se preovem” e, (2) “não é justo que eu tenha me escupam em trazer o jovem para a escola porforçado o ano todo para que ele também fosse que estão pensando no futuro da sociedade, e promovido sem fazer absolutamente nada”. sim em cortar custos e elevar índices, e é sobre isso que se trata esse artigo. Mais especi- O que se observa é que o Governo de São ficamente, um projeto do Estado de São Pau- Paulo tem tomado medidas desesperadas para conter custos com a educação. No final de lo. 2014 (logo após as eleições) foi cortada a ver“Quem falta faz falta”. É com esse slogan que ba de manutenção das escolas e a verba de a Secretaria de Estado de Educação de São papelaria. Chegamos ao absurdo de ver proPaulo lançou em 19 de agosto de 2015 a Refessores levando giz e papel higiênico para as solução SE 42 que institui o programa que le- escolas. Não somente em 2014, mas no corva este nome. O programa apresentado tem rente ano, o corte de verbas continuou. Foi dicomo único objetivo “Reduzir ainda mais o núminuído drasticamente a verba de papelaria, a mero de faltas e o abandono escolar no Estaverba de manutenção e o corte 100% da verba do” (SECRETARIA DA EDUCAÇÃO, 2015) e é para realização de projetos (PRODESC) e do exatamente sobre este ponto que será dada Programa Cultura é Currículo, isso sem falar esta discussão. No vídeo institucional citado é no fim do projeto “Residência Educacional” e no corte dos programas “Escola da Família” e “Bolsa Alfabetização”. No início de 2015 pipocaram várias denúncias sobre fechamento de salas de aula com superlotação de alunos e no segundo semestre essa medida mais recente da “reorganização” que pretende fechar 94 escolas. Observa-se claramente a importância que se dá à educação. Será que realmente está correto o que o Estado de São Paulo está fazendo? Aprovar o aluno sem critérios mínimos de aprendizagem só para conter custos e elevar índices é uma boa opção? Alguém já parou para calcular o custo social da aprovação automática que se instalou neste país? Alguém já parou para pensar que essa aprovação automática já chegou ao ensino superior e hoje os médicos se formam sem noções básicas de biologia? Advogados não conseguem interpretar uma lei? Professores que não tem proficiência na leitura? Professores de matemática que não sabem matemática? Engenheiros que não sabem diferenciar solo de rocha? Você acredita que um aluno que não frequentou essa escola que não lhe ofereceu atrativo ou significância mínima para sua aprendizagem, e que fez no final do ano um “trabalhinho”, realmente aprendeu alguma coisa? Pois é caro leitor, é assim que vai acontecer neste ano. Um feliz natal e um próspero ano novo! SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Conheça o projeto Quem falta faz falta. Disponível em: https://goo.gl/0Nv5jx Acesso em 24 nov. 2015. 1. Quem é o maior responsável pela educação do meu filho http://goo.gl/r2ivlt 2. Sobre faltas e evasão escolar: a responsabilização das faltas http://goo.gl/N2jY1O Ivan Claudio Guedes Geógrafo e Pedagogo ivanclaudioguedes@gmail.com OUÇA-NOS Todos os Sábados 16 horas Na CULTURAonline BRASIL E agora José? Com : Ivan Claudio Guedes www.culturaonlinebrasil.net www.culturaonlinebr.org PROGRAMA: www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 10

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 10 Opinião Islamofobia Existe? em três projetos de dominação global: 1) a elite governante da Rússia-China, especialmente os serviço secretos desses dois países; 2) a elite financeira ocidental, tal como representada especialmente no Clube Bildeberg, no Council on Foreign Relations (CFR) e na Comissão Trilateral; 3) a Fraternidade Islâmica , as lideranças religiosas de vários países islâmicos e também alguns governos de países muçulmanos (CARVALHO, O. de. Os EUA e a Nova Ordem Mundial. Vide Editorial). A mídia resolve toda essa questão imputando aos EUA, à Israel e ao Ocidente toda a culpa das desgraças macro e micro que acontecem dentro da África e no Oriente Médio, identificando falsamente o Clube de Bildeberg com os EUA. Basta apenas um detalhe para constatar que tal afirmação carece de fundamento. As três forças históricas tem como objetivo a destruição de três coisas: o Ocidente cristão, os EUA e Israel. Ora, como é possível que os EUA quisesse destruir a si mesmo se de fato, pertence ao segundo grupo, o da elite financeira ocidental? Os EUA não são o centro de comando do projeto globalista da elite financeira ocidental, mas, ao contrario, sua vítima prioritária, marcada para morrer. Só uma farsa tremenda pode veicular tal tese. 2) BAEPLER, Paul. White Slaves, African Masters: an anthology of american Barbary captivity narratives. University of Chicago Press, 1999 – o livro fala da escravidão dos negros pelos negros mostrando que ela foi imensamente maior que a promovida pelos brancos europeus; 3) N’DIAYE, Tidiane. Le genocide voilé: enquête historique. Gallimard.- o livro trata da escravidão promovida pelos muçulmanos dentro da África. A “Islamofobia” existe? Não! “Islamofobia” é uma palavra ligada à chamada guerra cultural (movida pelas três forças históricas que disputam o poder no mundo), a guerra que reduziu a cultura a instrumento de propaganda e manipulação. Inexiste “Islamofobia” no Ocidente. Existe, sim, sentimento "anti-muçulmano" ou "anti-islâmico”, fundamentado em bases muito concretas de ameaças impostas pela Sharia, cujo mandamento primeiro decreta que a Sharia é Universal e nada existe fora dela. Esse sentimento é legítimo? Evidente que sim, dado que refere-se a uma ameaça real ao Ocidente cristão feita pela Sharia. Após os atentados terroristas de Paris, França e Bélgica decretaram “estado de emergência” e fecharam suas fronteiras. Imediatamente, a mídia mundial (seja a oficial ou a paralela) saiu em defesa dos radicais islâmicos, lançando uma chamada de atenção para que tais medidas não reacendam a “Islamofobia” na Europa, nos EUA e no mundo. A retórica midiática culpa o Ocidente pelo ataque e transforma o algoz em vítima. Palavras com o sufixo "fobia" indicam a existência de algum medo irracional sobre alguma coisa, isto é, sem justificativa real para sua proporção ou existência. Desta feita, será “Islamofobia” uma palavra adequada para definir o “preconceito” contra muçulmanos?Não seria mais apropriado falarmos em sentimento "anti-muçulmano" ou "anti-islâmico", na mesma medida que falamos em antissemitismo em vez de semitofobia? Parece que sim. Por quê? Porque, "Islamofobia" é um termo esquerdista inventado para sugerir que ter medo de assassinos e terroristas é doença mental.Assim, por definição, todo “islamofóbico” é um doente mental.Por conseguinte, o conceito inerente a definição da palavra sugere que inexiste o radicalismo islâmico e o terrorismo, pois, isso é fruto de uma cabeça doente. É preciso estar atento a este fato, pois, palavras não surgem no vácuo, aleatoriamente e, refletem sempre interesses aos quais ela atende, visto que foi escolhida por um grupo para iniciar uma qualquer definição semântica. “Islamofobia” é um termo inventado por quem defende a Sharia. A dificuldade dos jornalistas, comentaristas e acadêmicos de entender a Sharia advém, em parte, da falta de visão do lugar que o Islam ocupa na geopolítica clássica, qual a natureza geopolítica do Islam no mundo e quais são os poderes que disputam a hegemonia do mundo. Os analistas de plantão “não têm a menor condição de entender como é o processo proA pergunta que é proibida de se fazer é por- fundo da guerra de civilizações, porque para que as três forças históricas pretendem des- isso seria preciso estudar o Islam até às últimas fontes da espiritualidade islâmica, que truir e coisas: estão bem remotas da política diá1) as comunidades cristas, católicas ou pro- ria” (CARVALHO, O. de. O segredo da invatestantes de todos os países; são islâmica). 2) a nação judaica; "Mas, quanto mais o tempo passa, mais vejo 3) o nacionalismo conservador americano? Que a extinção dessas três comunidades está em curso desnecessita ser provada, basta que se veja diariamente o patente assalto cultural, midiático, político e jurídico que se move contra elas mundo afora. Essas três comunidades tem respondido aos ataques de modo pontual, desconexo e de longe, inexiste um plano que unifique suas ações. O livro de Joel Richardson ISLAMIC ANTICHRIST traça um panorama atualíssimo sobre o tema. Quanto às interpretações falsas que imputam ao Ocidente cristão, à Israel e aos EUA todos os males internos da África, recomendo a leitura de grandes especialistas do tema cujas obras analisam os problemas internos da própria da África, criados pelas estruturas das suas culturas: que a incapacidade de fazer as perguntas corretas é a grande falha da classe falante: falam, falam, mas às vezes o problema está na frente deles e eles nem percebem que existe o problema, não percebem a questão. E, não fazendo a pergunta, evidentemente não têm as respostas. Então, o mistério desse movimento tremendo, avassalador, aparentemente sem cabeça, sem comando, que vai tomando conta do mundo, até hoje não suscitou a pergunta correta porque as pessoas procuram [uma resposta] no nível do comando político ou, no máximo, religioso no sentido mais externo da coisa, e não no sentido do comando espiritual que unifica uma civilização" (Nahum Sirotsky). 1) LUGAN, Bernard. Histoire de l’Áfrique- des Para se ter uma ideia da complexidade do teorigens a nos jours. Ellipse, 2009) – o livro rema, atualmente, há três forças históricas que lata a escravidão branca dentro da África; disputam o poder no mundo que se articulam Loryel Rocha culturaseidentidades@gmail.com Os atentados de 11 de Setembro de 2001, em Nova Iorque, e depois, em 11 de Março de 2004, em Madrid, e a 7 de Julho de 2005, em Londres, e agora mais recentemente o massacre no jornal satírico Charlie Hebdo e os ataques do final de Novembro em Paris, praticados por extremistas muçulmanos, a maioria deles de nacionalidade Europeia exigem sim dos Estados meios eficazes no seu combate. Mas estes crimes não podem conduzir a atos de vingança e Islamofobia contra migrantes ou refugiados. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 11

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 11 Meio Ambiente No Brasil, a pedagogia dos crimes das mineradoras não sensibiliza governos nem parlamentares (1984), que oficialmente resultou em 93 mortes, mas há estimativas de que foram mais de 500. As catástrofes das fábricas e os artefatos nucleares são de grande vulto: a bomba atômica de Hiroshima e Nagasaki, em 1945, no Japão; Three Miles Island, em 1979, nos Estados Unidos; Chernobyl, em 1986, na Ucrânia, ex-URSS; o césio de Goiânia, em 1987; e Fukushima, em 2011, no Japão. Como se isso não bastasse, há o justo temor de catástrofes biológicas, via armas biológicas “bioengenheiradas”. Jesuis aprometeu que havéra de sarvá A todos fiéis que o pé da cruiz bejá. Bejemo, rebejemo, tornemo a rebejá, Que é pra Jesuis querê nos sarvá. (Música cantada por beatas na periferia paulistana no final dos anos 1960) A igreja do Senhor qual será pararapapá. A igreja do Senhor qual será pararapapá. Será a que cura os enfermo E que espanta o capetá. (Música cantada por um pregador evangélico e seus seguidores no Largo da Concórdia, no final dos anos 1960) DITADOS POPULARES: Muitos ditados relacionados a Deus são “edificantes”, conformistas. Há o clássico “Deus dá o frio conforme o cobertor”, usado na bela música Saudosa Maloca, de Adoniran Barbosa. Dizem que “o homem põe e Deus dispõe”, ou “se Deus é por nós, quem será contra nós?”, ou “o futuro a Deus pertence”. Ou ainda que “o pouco com Deus é muito e o muito sem Deus é nada”. E tem aquela: “Quem não morre, não vê Deus”. Mas há outros não tão piegas assim. Aí vão alguns: Deus é bom, e o diabo não é mau. *** O diabo não é tão feio como o pintam. *** Se o diabo morresse, poucos se importavam com Deus. *** De dinheiro e santidade, a metade da metade. *** O diabo é o outro. *** Deus é grande, mas o mato é maior. *** O homem põe, e Deus dispõe. *** Oração curta depressa chega ao céu. *** O diabo ajuda os seus. *** O diabo reza também. *** O diabo sabe muito, porque é velho. *** Quem é besta pede a Deus que o mate e ao diabo que o carregue. Os crimes socioambientais e a pedagogia da catástrofe Desde a década de 70 está em gestação o esboço de um pacto em torno da defesa do planeta Terra, tido como um patrimônio comum da humanidade. Ao menos, esse é o discurso consensual corrente, embora não haja uma compreensão coesa do que seja realmente a “defesa da natureza”. O povoado de Barreto, em Barra Longa, Todavia, a marca pública dos debates eco- também foi soterrado, sem mortes humalógicos é a denúncia da degradação que o nas, mas perdeu escolas, pontes, estradas ser humano impôs à água, ao ar e à terra. e casas. Bento Rodrigues contava mais de O sentimento mais presente nos discursos 200 anos, mas agora acabou! Sete mortes foram confirmadas, 12 pessoas estão desaecológicos é o medo. Não sem razão. parecidas e os impactos socioambientais Os exemplos são terríveis: as catástrofes são incomensuráveis. das indústrias químicas, como em Seveso, o gás mortífero da fábrica Icmesa, na Itália, Rompimento de barragens de mineradoras em 1976; o gás tóxico de Bhopal, na Índia, em Minas Gerais não é novidade: em Nova em 1984; a poluição do rio Reno pelo in- Lima, cinco operários morreram (2001); Cacêndio da fábrica da Sandoz na Basileia, na taguases (2003); Rio Pomba (2007); e ItabiSuíça, em 1986; a doença de Minamata, no rito (2014), na qual três operários morreram Japão, por intoxicação de mercúrio da fábri- e cinco ficaram feridos. Porém, os governos ca Chisso, que lançava dejetos desde 1930 de Minas e os brasileiros foram incapazes na baía de Minamata – o primeiro caso hu- de beber na “pedagogia da catástrofe” – mano diagnosticado ocorreu em 1956, mas constatação do ecologista suíço René Lonmorreram cerca de 2.000 pessoas, e as se- get, que diz que Seveso “mudou a visão da opinião pública a respeito da indústria quíqueladas são incontáveis! mica, passando a considerá-la potencialNão ficam atrás os casos das indústrias pemente perigosa”. trolíferas: marés pretas da Bretanha, do Alasca, do Rio de Janeiro (2000), na Espanha (2002), no golfo do México (2010) etc. Fátima Oliveira, em O TEMPO O incêndio por vazamento de gasolina na Email: fatimaoliveira@ig.com.br Vila Socó, em Cubatão, em São Paulo Texto original: VIOMUNDO Mas eis que em 5 de novembro passado, por volta das 16h, o povoado de Bento Rodrigues, em Mariana, foi soterrado pela não inócua lama tóxica – rejeitos de mineração – após o rompimento das barragens do Fundão e Santarém, da mineradora Samarco, de propriedade da anglo-australiana BHP Billiton e da Vale, ex-Vale do Rio Doce… www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 12

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 12 Na Escola pela Escola 2- O objetivo central da “reorganização” é corte de verbas. Centenas de escolas serão fechadas, já que o remanejamento de mais de 1 milhão de alunos é concentrar a demanda em determinadas unidades de ensino e fechar outras. 3- Os professores temporários serão demitidos, pois haverá ainda menos aulas para atribuir. 4- Trabalhadores terceirizados da merenda e limpeza, que possuem contratos de trabalhos mais frágeis, também serão demitidos. 5- Mais alunos por sala de aula. A realidade de aulas lotadas será ainda pior. 6- A reorganização é uma preparação para abrir a escola pública ainda mais para a iniciativa privada. Com a municipalização do ensino fundamental, parcerias públicos privadas na gestão escolar poderão ser implementadas. No final de novembro milhões de pessoas que vivem a realidade da escola (professores, trabalhadores da escola, pais e alunos) tomaram conhecimento da proposta do governo do estado de São Paulo de “reorganização” do ensino público. O projeto em longo prazo é municipalizar todo ensino fundamental, mas imediatamente dividir as escolas por ciclo único: primeiros anos do ensino fundamental, anos finais do ensino fundamental e ensino médio. Buscamos nesse artigo elencar os dez impactos mais importantes dessa profunda alteração das escolas estaduais em 2016. 7- Os alunos terão que estudar até 1,5 km da escola de origem, o que significa 3km entre uma escola e outra (se cada uma tiver na ponta do diâmetro) e em linha reta. Isso dificultará enormemente para os pais que tem filhos em ciclos diferentes. 8- Aumenta a evasão escolar, principalmente no ensino noturno, já muitos alunos organizam sua vida em função do trabalho, estudam até as 23hs e acordam muito cedo. 9- Reduzirá oferta pelo ensino noturno e os cursos de EJA ou tornálos extremamente precários. 1- O projeto de reorganização escolar mudará a vida de todos, porém 10- Com o ensino em ciclos divididos por escola, a implementação do não foi debatido com professores, pais, alunos e funcionários das es- Ensino em Tempo Integral e a flexibilização do currículo serão facilitacolas de forma democrática. Fomos informados pela televisão e nos- dos, retirando disciplinas e esvaziando a escola de conteúdo. so destino será definido por decreto. Fonte: esquerdadiario.com.br O que é viver? Viver é sentir alegria , dor, amor, raiva , medo. viver é querer muitas coisas , uma casa , um doce , um brinquedo , paz , um amigo de verdade . Mas uma coisa é sentir ,é querer ,outra coisa é ser capaz de falar de nossos desejos , sentimentos . Podemos então recorrer aos poetas capazes de com sua poesia iluminar a vida e traduzir em palavras os seus sentimentos . Poesia é uma ilha e ao mesmo tempo Um continente. ROSEANA MURRAY. ATENÇÂO A Gazeta Valeparaibana, um veículo de divulgação da OSCIP “Formiguinhas do Vale”, organização sem fins lucrativos, somente publica matérias, relevantes, com a finalidade de abrir discussões e reflexões dentro das salas de aulas, tais como: educação, cultura, tradições, história, meio ambiente e sustentabilidade, responsabilidade social e ambiental, além da transmissão de conhecimento. Assim, publica algumas matérias selecionadas de sites e blogs da web, por acreditar que todo o cidadão deve ser um multiplicador do conhecimento adquirido e, que nessa multiplicação, no que tange a Cultura e Sustentabilidade, todos devemos nos unir, na busca de uma sociedade mais justa, solidária e conhecedora de suas responsabilidades sociais. No entanto, todas as matérias e imagens serão creditadas a seus editores, desde que adjudiquem seus nomes. Caso não queira fazer parte da corrente, favor entrar em contato. Rádio web CULTURAonline Brasil Prestigie, divulgue, acesse, junte-se a nós. A Rádio web CULTURAonline BRASIL, prioriza a Educação, a boa Música Nacional e programas de interesse geral sobre sustentabilidade social, cidadania nas temáticas: Educação, Escola, Saúde, Cidadania, Professor e Família. Uma rádio onde o professor é valorizado e tem voz e, a Educação e o Brasil se discute num debate aberto, crítico e livre, com conhecimento e responsabilidade! www.culturaonlinebr.org Acessível no link: redacao@gazetavaleparaibana.com www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 13

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 13 2 de Dezembro História do Samba Aquarela do Brasil; e Adoniran Barbosa, de compositores de partido alto mais conhecidos Trem das Onze. são: Moreira da Silva, Martinho da Vila e Zeca Pagodinho. Na década de 1970 e 1980, começa a surgir uma nova geração de sambistas. Podemos Pagode destacar: Paulinho da Viola, Jorge Aragão, Nasceu na cidade do Rio de Janeiro, nos aJoão Nogueira, Beth Carvalho, Elza Soares, nos 70 (década de 1970), e ganhou as rádios Dona Ivone Lara, Clementina de Jesus, Chico e pistas de dança na década seguinte. Tem Buarque, João Bosco e Aldir Blanc. um ritmo repetitivo e utiliza instrumentos de Outros importantes sambistas de todos os percussão e sons eletrônicos. Espalhou-se tempos: Pixinguinha, Ataulfo Alves, Carmen rapidamente pelo Brasil, graças às letras simMiranda (sucesso no Brasil e nos EUA), Elton ples e românticas. Os principais grupos são : Medeiros, Nelson Cavaquinho, Lupicínio Ro- Fundo de Quintal, Negritude Jr., Só Pra Condrigues, Aracy de Almeida, Demônios da Ga- trariar, Raça Negra, Katinguelê, Patrulha do roa, Isaura Garcia, Candeia, Elis Regina, Nel- Samba, Pique Novo, Travessos, Art Popular. son Sargento, Clara Nunes, Wilson Moreira, Elizeth Cardoso, Jacob do Bandolim e Lamar- Samba - canção tine Babo. Surge na década de 1920, com ritmos lentos e letras sentimentais e românticas. Exemplo: Ai, Ioiô (1929), de Luís Peixoto. Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo Os tipos de samba mais conhecidos e que fazem mais sucesso são os da Bahia, do Rio de Samba carnavalesco Janeiro e de São Paulo. O samba baiano é Marchinhas e Sambas feitas para dançar e influenciado pelo lundu e maxixe, com letras cantar nos bailes carnavalescos. exemplos : simples, balanço rápido e ritmo repetitivo. A Abre alas, Apaga a vela, Aurora, Balancê, Calambada, por exemplo, é neste estilo, pois beleira do Zezé, Bandeira Branca, Chiquita tem origem no maxixe. Bacana, Colombina, Cidade Maravilhosa entre outras. Já o samba de roda, surgido na Bahia no século XIX, apresenta elementos culturais afro- Samba-exaltação brasileiros. Com palmas e cantos, os dançari- Com letras patrióticas e ressaltando as maranos dançam dentro de uma roda. O som fica vilhas do Brasil, com acompanhamento de orpor conta de um conjunto musical, que utiliza questra. Exemplo: Aquarela do Brasil, de Ary viola, atabaque, berimbau, chocalho e pandei- Barroso gravada em 1939 por Francisco Alro. ves. Samba de breque Este estilo tem momentos de paradas rápidas, onde o cantor pode incluir comentários, muitos deles em tom crítico ou humorístico. Um dos mestres deste estilo é Moreira da Silva . Samba de gafieira Foi criado na década de 1940 e tem acompanhamento de orquestra. Rápido e muito forte na parte instrumental, é muito usado nas danças de salão. Sambalanço Surgiu nos anos 50 (década de 1950) em boates de São Paulo e Rio de Janeiro. Recebeu uma grande influência do jazz.. Um dos mais significativos representantes do Sambalanço é Jorge Ben Jor, que mistura também elementos de outros estilos. Sabe por que o Dia Nacional do Samba cai em dois de dezembro? Não, não é a data de nascimento de Tia Ciata. Também não é quando gravaram "Pelo Telefone". Muito menos quando Ismael Silva e os bambas do Estácio fundaram a Deixa Falar. O Dia Nacional do Samba surgiu por iniciativa de um vereador baiano, Luis Monteiro da Costa, para homenagear Ary Barroso. Ary já tinha composto seu sucesso "Na Baixa do Sapateiro", mas nunca havia posto os pés na Bahia. Esta foi a data que ele visitou Salvador pela primeira vez. Engraçado, não? A festa foi se espalhando pelo Brasil e virou uma comemoração nacional. O samba surgiu da mistura de estilos musicais de origem africana e brasileira. O samba é tocado com instrumentos de percussão (tambores, surdos timbau) e acompanhados por violão e cavaquinho. Geralmente, as letras de sambas contam a vida e o cotidiano de quem mora nas cidades, com destaque para as populações pobres. O termo samba é No Rio de Janeiro, o samba está ligado à vida de origem africana e tem seu significado liga- nos morros, sendo que as letras falam da vida do às danças típicas tribais do continente. urbana, dos trabalhadores e das dificuldades da vida de uma forma amena e muitas vezes As raízes do samba foram fincadas em solo com humor. brasileiro na época do Brasil Colonial, com a chegada da mão-de-obra escrava em nosso Entre os paulistas, o samba ganha uma conotação de mistura de raças. Com influência itapaís. liana, as letras são mais elaboradas e o sotaO primeiro samba gravado no Brasil foi Pelo que dos bairros de trabalhadores ganha espaTelefone, no ano de 1917, cantado por Baia- ço no estilo do samba de São Paulo. no. A letra deste samba foi escrita por Mauro Principais tipos de samba: de Almeida e Donga . Tempos depois, o samba toma as ruas e espalha-se pelos carnavais do Brasil. Neste período, os principais sambistas são: Sinhô Ismael Silva e Heitor dos Prazeres . Samba - enredo Surge no Rio de Janeiro durante a década de 1930. O tema está ligado ao assunto que a escola de samba escolhe para o ano do desfile. Geralmente segue temas sociais ou cultuNa década de 1930, as estações de rádio, em rais. Ele que define toda a coreografia e cenoplena difusão pelo Brasil, passam a tocar os grafia utilizada no desfile da escola de samba. sambas para os lares. Os grandes sambistas e compositores desta época são: Noel Rosa Samba de partido alto autor de Conversa de Botequim; Cartola de Com letras improvisadas, falam sobre a realiAs Rosas Não Falam; Dorival Caymmi de O dade dos morros e das regiões mais carentes. Que É Que a Baiana Tem?; Ary Barroso, de É o estilo dos grandes mestres do samba. Os Comemora-se em 2 de dezembro o Dia Nacional do Samba. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 14

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 14 Dia Nacional da Economia Solidária O Dia Nacional da Economia Solidária é comemorado anualmente em 15 de dezembro, no Brasil. dedicado à nobre causa que representou a contro de Seringueiros e cria o Conselho Navida de Chico Mendes: o Dia Nacional da E- cional dos Seringueiros. conomia Solidária. A liderança de Chico Mendes na luta dos seringueiros e na preservação da floresta atingiu CHICO MENDES repercussão nacional e internacional. Em 1987 proferiu um discurso na reunião do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Miami (EUA), denunciando a destruição da floresta e solicitando a suspensão do financiamento para a construção da BR – 364, que atravessava o estado de Rondônia e chegaria ao Acre. O objetivo da rodovia seria criar um caminho para escoar a produção gerada pelos estados amazônicos e pelo Centro Oeste, que chegaria ao Pacífico pelo porto peruano. Chico Mendes (1944-1988) foi um líder serinNesse mesmo ano, Chico Mendes recebeu gueiro, sindicalista e ativista ambiental brasiem Xapuri, uma comissão da ONU, que viu de leiro. Lutou pela preservação das Floresta Aperto a destruição da floresta e a expulsão mazônica e suas seringueiras nativas. Recedos seringueiros. Dois meses depois o finanbeu da ONU o Prêmio Global de preservação ciamento foi suspenso e o BID exigiu do goambiental. verno brasileiro o estudo do impacto ambienChico Mendes (1944-1988) nasceu em Xapu- tal na região. O Senado americano, onde Chiri, Acre, no dia 15 de dezembro de 1944. Filho co Mendes também foi convidado a falar, fez do seringueiro Francisco Alves Mendes e de recomendações a diversos bancos que tamMaria Rita Mendes, desde criança acompa- bém financiavam projetos na região. No mesnhava seu pai pela floresta. Sem escolas na mo ano Chico Mendes recebeu da ONU o região, só foi alfabetizado com 19 anos de i- Prêmio Global 500, de Preservação Ambiendade. tal. Em 1975 iniciou sua atuação como sindicalista, foi nomeado secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Basiléia. No ano seguinte iniciou sua luta em defesa da posse de terra para os habitantes nativos da região. Criou os “empates” – forma de luta pacífica para impedir o desmatamento da floresta, onde toda a comunidade se mobilizava e fazia barreiras com o próprio corpo nas áreas ameaçadas de destruição pelos serralheiros e fazendeiros. Em 1988 é criada no Acre, a União Democrática Ruralista (UDR). Nesse mesmo ano Chico Mendes participa da criação primeira reserva extrativista do Acre. Após a desapropriação das terras do fazendeiro Darly Alves da Silva, Chico Mendes recebe ameaças de morte, por prejudicar o progresso da região, e denuncia às autoridades pedindo proteção. Durante o Terceiro Congresso Nacional da CUT, Chico Mendes volta a denunciar as ameaças que vem recebendo. A tese que apresenta "Defesa do Povo da Floresta", em nome do sindicato de Xapuri, é aprovada por unanimidade. Chico Mendes é eleito suplente na direção da CUT. A data tem o objetivo de incentivar a defesa do trabalho associado e voluntário, a partir do desenvolvimento sustentável, respeito à vida e com justiça social. O principal intuito do Movimento de Economia Solidária do Brasil é fomentar a criação de políticas públicas nacionais de economia solidária. Muitas empresas brasileiras já trabalham com os princípios da economia solidária, ou seja, utilizam técnicas e modelos de produção que garantem o bem-estar dos seus funcionários, a preservação do meio ambiente e a organização autogestionária da empresa. Apesar de o nome ter sido criado no Brasil, economia solidária é um movimento que ocorre no mundo todo e diz respeito a produção, consumo e distribuição de riqueza com foco na valorização do ser humano. A sua base são os empreendimentos coletivos (associação, cooperativa, grupo informal e sociedade mercantil). Origem do Dia Nacional da Economia Solidária O Dia Nacional da Economia Solidária foi criado em homenagem ao ambientalista Chico Mendes, que nasceu em 15 de dezembro de 1944. Chico Mendes ficou conhecido pela luta em defesa dos seringueiros da Bacia Amazônica, através da conscientização das empresas em preservar a floresta nativa. O ativismo ecológico de Chico Mentes ganhou dimensões internacionais. O Movimento de Economia Solidária do Brasil decidiu que o dia 15 de dezembro deveria ser Em 1977 participou da fundação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri. Nesse mesmo ano foi eleito vereador pelo MDB. Recebeu as primeiras ameaças de morte por parte dos fazendeiros. Em 1981 assumiu a No dia 22 de dezembro de 1988, ao sair de direção do Sindicato de Xapuri, do qual foi sua casa em Xapuri, Chico Mendes é assassipresidente. nado com tiros de escopeta, deixando esposa Em 1982 candidata-se a deputado federal pe- e dois filhos pequenos. Em dezembro de lo PT, mas não consegue se eleger. Em 1984 1990, a justiça brasileira condena o fazendeifoi acusado de incitar os posseiros a praticar ro Darly Alves a dezenove anos de prisão peviolência. Julgado pelo Tribunal Militar de Ma- la morte de Chico Mendes. naus foi absolvido por falta de provas. Em ouDa redação tubro do ano seguinte lidera o Primeiro En- www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 15

Dezembro 2015 Gazeta Valeparaibana Página 15 Os donos do mundo (artigo continuado) por uma bagatela e os revendem a preços usurários. Milhões de pessoas e negócios vão Continuação — Parte Final à falência, perdem suas casas e até a roupa c o r p o , e n q u a n t o A Guerra da Coréia (1950-1953) e do Vietnam d o os moneychangers continuam sua opulenta (1959-1975) são exemplos das práticas do fractional reserve lending praticada pelos trajetória de acumulação de dinheiro e poder. bancos centrais para prover os governos de "E deves destruir todos os povos que o Serecursos para custear os conflitos, então já nhor teu Deus te der, e teu olho não terá piesob controle global dos moneychangers. O dade deles." Deuteronômio 7: 16 assassinato do presidente Kennedy em DalDesconhecidas pela grande maioria das peslas, Texas, em 1963, é uma repetição das cirsoas no planeta, essas informações estão a cunstâncias envolvendo a era de Jesus há clamar uma decisão séria e definitiva da po2.000 anos. No dia 30.06.1963, Kennedy propulação diante desse cruel sistema de ganânmulgou a Ordem Executiva número 11.110, cia e poder exercido por um pequeno grupo retirando do Fed o poder de emprestar dinheihá mais de 300 anos, em contrapartida aos ro a juros ao governo federal norte-americano. ensinamentos de amor ao próximo, irmandaCom uma canetada, o pres. Kennedy criou as de e temor a Deus professados pela religião. condições para encerrar as atividades do Será que somos suficientemente civilizados Banco Central americano. Essa ordem restau- para tomar esta decisão de forma adequada, rou ao Depto. do Tesouro o poder de emitir quer individual ou coletivamente, para as futudinheiro sem passar pelo Fed e, portanto, ras gerações? Ou também nós, diante do disem cobrança de juros. O dólar deixou de ser nheiro e de todas as oportunidades e do ponomeado Federal Reserve Note e passou a der que ele oferece, seremos tomados pela ser emitido como United States Note e não ganância e pela usura? seria mais emprestado ao governo, seria imUma coisa é certa. A civilização contemporâpresso por ele, sem juros. Essa lei foi sua nea, tal como está estabelecida, não subsistisentença de morte. Cinco meses depois, em rá por muito mais tempo. Os problemas gera22.11.63, Kennedy foi assassinado em Dallas dos pela cultura do dinheiro, do lucro, da gapor Lee Oswald, que por sua vez foi morto a nância e do individualismo já estão destruindo tiros por Jack Ruby no dia em que daria seu a natureza do planeta de forma irreversível primeiro depoimento público sobre o caso. Jepara os nossos descendentes. Aí reside o cersus também confrontou os moneychangers e ne da delicada decisão que nossa civilização o tribunal Sanhedrin do templo judeu revelanterá que adotar, mais cedo ou mais tarde. Se do sua ganância monetária e acabou morto. não enfrentarmos vigorosamente o embate Diante da possibilidade de perder o controle milenar entre fortes X fracos e ricos X pobres, das massas e o direito de cobrar taxas e imbuscando ascender a uma consciência coletipostos, os moneychangers agem rápida e viova mais humana e amorosa e suprimindo os lentamente. valores argentários, estaremos certamente acelerando nosso caminho para o fim. É preciso que alcancemos sabedoria através de um renascimento espiritual, se quisermos deitar o pavimento para a sobrevivência das gerações futuras. A MAIOR FRAUDE DA HISTÓRIA 5 Banqueiro, financista e colecionador de arte americano que dominou o financiamento corporativo e a consolidação industrial no século XIX, ele articulou a fusão das empresas Edison General Electric e Thompson-Houston Electric Company que se transformou na General Electric, a conhecida GE. Também participou ativamente da criação da United States Steel Corporation, fruto da união da Federal Steel Company com a Carnegie Steel Company, que se tornou uma das grandes siderúrgicas americanas. Doou grande parte de sua fabulosa coleção de arte ao Metropolitan Museum of Art em Nova Iorque. 6 Fractional Reserve Banking = Sistema Bancário de Reserva Fracional, em que apenas uma pequena fração (às vezes até nenhuma, zero) dos depósitos bancários tem lastro em moeda corrente disponível para saque dos depositantes. 7 Greenback = verso verde. Os dólares impressos por determinação do presidente Abraham Lincoln tinham o verso em cor verde, para diferenciá-los das demais cédulas da moeda americana. 8 Do presidente Andrew Jackson, ao expulsar uma delegação de banqueiros internacionais do Salão Oval da Casa Branca: "Vocês são um ninho de vespas e ladrões cuja única intenção é acampar em torno da administração federal americana com sua aristocracia monetária perigosa para as liberdades do país". 9 Do presidente James Madison (quarto presidente americano): "A história registra que os moneychangers se utilizaram de toda sorte de abusos, intrigas e de todos os meios violentos possíveis para manter o controle sobre governos através da emissão de moeda". 10 A propósito, leia sobre "A República de Weimar", período de inflação galopante na Alemanha entre a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais, em que o poder de compra do marco alemão foi completamente pulverizado pela altas taxas cobradas dos países aliados vencedores do conflito. "E deves destruir todos os povos que o Senhor teu Deus te der, e teu olho não terá piedade deles." Deuteronômio 7: 16 Alguém ainda tem dúvida sobre a origem da atual crise econômica que assola o planeta, iniciada com a retomada dos imóveis da categoria sub-prime e depois com o desmantelamento da "bolha" de investimentos de Wall Street, cujos efeitos irão impactar severamente todos os países do mundo, lamentavelmente os mais pobres com mais crueldade? Fica fácil compreender o papel dos bancos centrais mundiais, liderados pelo Fed em todas essas crises. Quem é mesmo que está emprestando cerca de US$ 850 bilhões ao mercado nos EUA, injetando dinheiro nas empresas e nos bancos? Ele mesmo, o Fed. Desta forma, expandindo e contraindo o dinheiro em circulação no mercado, os bancos maiores retomam ativos e o patrimônio das pessoas * Nehemias Gueiros Jr. é advogado especializado em Direito Autoral e CyberLaw, Professor da Fundação Getúlio Vargas/RJ., Professor da pós-graduação da Escola Superior de Advocacia da OAB/RJ e Consultor Jurídico do site CONJUR (www.conjur.com.br) Rio de Janeiro "O mundo já está preparado para se submeter BRASIL. a um governo mundial. A soberania suprana- ** Cabe aqui uma pequena retificação, pois há docucional de uma elite de intelectuais e de ban- mentos e registros dessa usura e ganância que remonqueiros mundiais, seguramente é preferível à tam até trezentos anos antes da data referida pelo autor. autodeterminação nacional." *** Apesar de algumas pessoas jurarem, até pela alma David Rockfeller da própria mãe, que não sabem de nenhum conluio, é Hannah Arendt (citada pelo judeu Attali) quem diz: 1991. "Não existe melhor prova desse conceito fantástico de E enquanto isso, aqui no Brasil ... um governo mundial judaico do que essa família, os RoLogo depois, a jornalista foi discretamente a- thschilds, estabelecidos em cinco países de regimes fastada... diferentes, poderosos em cada um, em estreitíssimas relações de negócios com pelo menos três desses goNOTAS E REFERÊNCIAS Todas as citações deste artigo, quer no texto principal, quer em vernos, e sem que guerras e conflitos entre essas nanotas de rodapé, podem ser conferidas em livros e matérias atuais ções jamais tenham, nem ao menos por algum momene da época, ou diretamente pela Internet através de ferramentas de to, abalado aquela firme solidariedade entre banqueibusca como o Google e outros. ros." 1 Pai de Mayer Amschel [Bauer] Rothschild, autor da afirmação que abre o texto acima. 2 Pela primeira vez em sua história, a empresa Lehman Brothers viu-se enredada em problemas especulativos e pediu concordata no início de setembro/2008 para evitar a falência. E o que dizer então da prepotência e desfaçatez do banqueiro David Rockfeller? "O mundo já está suficientemente preparado para se submeter a um governo mundial. A soberania suprana3 A respeito, veja a história do conflito de Waterloo no Google, utili- cional de uma elite de intelectuais e de banqueiros munzando as palavras chave "Waterloo" + "Nathan Rothschild". É im- diais, seguramente é preferível à autodeterminação naportante realizar a pesquisa com as aspas e o sinal de mais para cional." atingir o resultado esperado. 4 Veja no Google, sempre entre aspas para "focar" a pesquisa. Nehemias Gueiros Jr Advogado www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

Comments

no comments yet