Jornal Conecta Baixada - 2ª Edição

 

Embed or link this publication

Description

Informativo quinzenal da Baixada Fluminense

Popular Pages


p. 1

99-575-4545 www.conectabaixada.com.br 2015 MESQUITA 15 a 30 de Novembro ANO I - N° 2 Distribuição gratuita A INFORMAÇÃO VAI ATÉ VOCÊ MESQUITA: UM PM PARA QUASE 2 MIL MORADORES Enquanto no Leblon o policiamento é reforçado e há um PM para cada 305 moradores, em Mesquita, na Baixada Fluminense, o batalhão responsável pelo patrulhamento em três municípios - Mesquita, Nilópolis e Nova Iguaçu -, onde vivem 1.139,221 pessoas, conta com apenas 600 policiais. O que dá uma média de um PM para cada grupo de 1.900 moradores. O resultado dessa equação desigual fica evidente nos recentes episódios de violência que levaram medo aos habitantes da região, nos últimos 30 dias, com arrastões, tiroteios e ônibus queimado. Páginas 6 e 7 NO LEBLON 800 PMs cuidam da segurança de 244,3 mil moradores de cinco bairros - Leblon, Ipanema, Lagoa, Jardim Botânico e Gávea. Arte: Renato Ferreira/Conecta Baixada PREFEITURA GASTOU CERCA DE R$1 MILHÃO EM ALUGUEL DE BRINQUEDOS Página 3 Lélio Neto/Conecta baixada Ao lado do Hospital da Mãe, uma montanha de lixo coloca em risco a saúde de pacientes e moradores MONTE DE LIXO AMEAÇA A SAÚDE MÃES E BEBÊS EM MESQUITA CONECTA HERÓI DA RESISTÊNCIA LIGA LEITOR À INTERNET NA PRAÇA Página 9 Página 10 EM MESQUITA Página 4 CHUVA DE GOLS EM FAMÍLIA Página 12 600 Esse é o número de PMs lotados no batalhão de Mesquita, responsável pelo patrulhamento de 1.139,221 moradores de três municípios

[close]

p. 2

Política 2 MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR JORGE MIRANDA Empresário Mesquitense jorge.miranda@conectabaixada.com.br Presidente do Conselho ricardo.lucena@conectabaixada.com.br N PARA UMA GESTÃO HONESTA E COMPETENTE DA PREVIDÊNCIA Ora, quase todo administrador público deve ao seu fundo previdenciário por diversos motivos relacionados à má gestão. Se isso ocorrer, deve-se fazer “um acerto de contas”, que sem dúvida nenhuma o executivo ficará ainda com uma pendência ao fundo e acertando seu pagamenvidenciário com participação de representantes de todos os segmentos envolvidos para compor o sistema previdenciário, como representantes técnicos do planejamento, secretaria de fazenda, controle interno, procuradoria e, fundamentalmente, representantes dos servidores municipais ativos e inativos, obrigatoriamente. Assim, todos poderão participar das grandes tomadas de decisão muito mais amplas e eficazes, inibindo aquele pequeno grupo que pode comprometer o patrimônio do fundo municipal do servidor. Por enquanto, o sistema previdenciário ainda não exige nenhuma qualificação/certificação mínima ao presidente do fundo municipal. O sistema previdenciário brasileiro sinaliza criar exigências para ocupar o cargo, pois hoje qualquer pessoa pode responder pelo patrimônio do servidor público, que é o instituto de previdência muncipal. Na próxima edição, trataremos de alguns números disponíveis no sistema previdenciário do seu município. a edição anterior abordamos algumas variáveis e regras gerais que os institutos de previdência dos municípios têm como características na sua administração. Apontamos o panorama atual do regime previdenciário na legislação e a importância do equilíbrio financeiro e atuarial municipal. Falamos da forma que ele aparece se não for bem gerido e suas consequências e impactos na gestão pública, diante da má administração, além da importância do cumprimento das metas. Mostramos a possibilidade que a legislação oferece para uma gestão honesta e competente, como a criação de novas moedas previdenciárias (BDI - Bens Direitos e Ativos - Artigo 249) e investimentos economicamente direcionados e comprometidos com a realidade local. Outra forma que vem acontecendo em algumas prefeituras é o saque no instituto de previdênca com destino no caixa do executivo, algumas como pretexto de ter feito repasses a mais ao fundo municipal. “ Hoje, qualquer pessoa pode responder pelo patrimônio do servidor público to da melhor forma com suas variáveis, conforme estabelecido em lei municipal. Devemos ficar atentos aos elementos essenciais para uma boa gestão local, como estabelecer um bom comitê de investimentos conforme impõe a lei, lei de transparência que vale para todo setor público e ainda mais para a presidência do fundo, e com regras adicionais às regras gerais. É importante que se tenha um Conselho Pre- ”

[close]

p. 3

MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 3 Política Lélio Neto/Conecta Baixada NÃO É BRINQUEDO NÃO, PREFEITO Gelsinho Guerreiro libera pagamento de R$ 246.798,72 para empresa de aluguel de brinquedos com sede em imóvel que está fechado e com placa de locação S e não tivesse sido divulgado em ato oficial soaria à brincadeira de criança. No último dia 6, o prefeito Rogelson Fontoura Sanches, o Gelsinho Guerreiro, publicou no Diário Oficial do município o repasse de R$ 246,8 mil a uma empresa de venda e aluguel de brinquedos. A quantia paga à RML 1175 Comércio de Brinquedos Eletrônicos representa apenas 25% do valor total do contrato, que chega a quase R$ 1 milhão. Dinheiro usado na locação de tobogãs, piscinas de bolas e pula pulas. O ato assinado pelo prefeito é na verdade um termo aditivo, que concede um acréscimo de 25% ao valor original do contrato firmado com a RML Brinquedos Eletrônicos. O percentual dado por Gelsinho Guerreiro equivale ao teto máximo estabelecido pela Lei 8.666/93, que determina normas gerais sobre licitações e contratos administrativos. Em meio à crise financeira, que há pouco mais de um mês levou a Light a cortar o Reprodução Ato publicado no Diário Oficial de Mesquita faz ressalva de que valor havia sido omitido na publicação anterior pula pulas, cada uma no valor de R$ 200, Caso o brinquedo escolhido fosse o tobogã inflável em forma de castelo seria possível espalhar 1.818 deles pela cidade, cada uma no valor médio de R$ 500. Conforme O Conecta Baixada apurou junto a três empresas especializadas nesse tipo de locação, no Rio e na Baixada Fluminense. Procurada pela reportagem para dar sua versão sobre o dinheiro gasto com o aluguel de brinquedos, a assessoria de imprensa da prefeitura de Mesquita não retornou as ligações e tampouco respondeu ao e-mail com as perguntas sobre o contrato com a RML. Conecta Baixada fornecimento de energia elétrica à prefeitura, surpreende, além do valor, o fato de a empresa não funcionar no endereço citado no cadastro da prefeitura. O imóvel onde deveria funcionar a sede da RML 1175, na Avenida Carlos Marques Rollo, em Nova Iguaçu, esta fechado. Fixado à porta de ferro há uma placa anunciando a locação do espaço. O Conecta Baixada tentou entrar em contato com representantes da firma, que também não foram localizados por telefone. A quantia gasta pelo prefeito com brinquedos seria suficiente para alugar cinco mil piscinas de bolas ou No endereço onde deveria funcionar a RML, portas fechadas e placa de locação

[close]

p. 4

GERAL COMUNIDADE CONECTADA 4 MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR CONECTA BAIXADA LANÇA PROJETO DE ACESSO GRÁTIS À INTERNET Davi Boechat/Conecta Baixada CADASTRAMENTO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Agência Brasil Portadores de deficiência poderão se inscrever pela internet O gerente de Tecnologia da Informação do Conecta Baixada explica o funcionamento do projeto ao estudante Olivier O livier Freire, de 16 anos, já faz planos para o futuro. Estudante do Ensino Médio, ele agora poderá acessar a internet de graça em qualquer ponto de seu bairro. O Conecta Baixada acaba de instalar o primeiro ponto de acesso gratuito à Web, na Praça João Luiz Nascimento, mais conhecida como ‘Praça da Telemar’, no Centro. Na primeira se- mana de funcionamento foram beneficiados mais de mil usuários. De acordo com o gerente de Tecnologia da Informação do Conecta, Ronald Henrique, “trazer internet gratuita e de qualidade para Mesquita foi um desafio”. “Costumo vir aqui toda sexta-feira e as vezes, estou sem dinheiro para colocar créditos no celular. Com o Wi-fi grátis do Conecta Bai- xada vai dar para ficar conectado mesmo sem dinheiro”, comemorou o adolescente. O projeto será expandido para mais dois pontos até o fim desse ano. “Ainda nesse mês o sinal do Conecta será levado para a Praça Elizabeth Paixão. Já temos outros locais para receber o projeto, mas ainda estamos realizando estudos de viabilidade técnica”, finalizou Henrique. Moradores de Mesquita portadores de alguma deficiência física estão sendo convocados a se cadastrar no projeto Mapa da Pessoa com Deficiência, idealizado pela ONG Rio Solidário. A ação tem como objetivo identificar e localizar as pessoas com deficiência em todo o estado e, a partir daí, definir em quais segmentos implementar ou melhorar as políticas públicas voltadas para esse grupo, que soma 24,4% em território fluminense. O cadastro pode ser feito na secretaria muni- cipal de Defesa das Pessoas com Deficiência e dos Idosos (SEMDPDI), na Rua Artur de Oliveira Vecchi, 120, Centro, ou no site do Rio Solidário (www.riosolidario.org). São solicitadas informações sobre idade, renda, escolaridade e profissão, para traçar o perfil e necessidades dessas pessoas. Assim, governos, empresas e instituições poderão investir em parcerias para capacitação de mão de obra, oferta de cursos, geração de emprego e oportunidades. Mais informações: 2696-2676. AUDIÊNCIA PÚBLICA DISCUTE ATUAÇÃO DA CEDAE NA BAIXADA O presidente da Comissão Especial de Transparência da Alerj, deputado estadual Rogério Lisboa (PR), convocou audiência pública para discutir o plano de investimentos da Cedae para a Baixada Fluminense. Marcada para acontecer na primeira semana de dezembro, a reunião contará com a participação do presidente da concessionária, Jorge Ferreira Briard, que apresentará os projetos para a região, que há décadas sofre com o desabastecimento, apesar de ser cortada pelo Rio Guandú, principal manancial de abastecimento do estado. “A água é uma prioridade da Baixada. Não é possível uma região tão populosa ser tão mal atendida. A Cedae não pode visar só o lucro, há uma questão social também”, afirmou o deputado Rogério Lisboa. Divulgação Alerj EXPEDIENTE: Presidente: Ricardo Lucena Consultor Editorial: Sérgio Ramalho Coordenador Editorial: Marco Antonio Canosa Projeto Gráfico : Daniel Souza e Renato Ferreira Diagramação: Renato Ferreira Tecnologia: Ronald Henrique Tiragem: 20 mil exemplares Distribuição Gratuita Edição Quinzenal Impressão: Infoglobo O Jornal Conecta Baixada não se responsabiliza pelas opiniões emitidas por colunistas e colaboradores. Redação: Rua Dr. Mário Guimarães . Nº 428, SL. 308 . Centro, CEP: 26255-230, Nova Iguaçu, RJ. Tel: (21) 3765-3423 Comercial: (21) 3765 3423 WhatsApp: 995-75-4545 Email: contato@conectabaixada.com.br

[close]

p. 5

MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 5 GERAL CONEXÃO GERAL Davi de Castro davi@conectabaixada.com.br U NELSON BORNIER PARA SENADOR DA BAIXADA IÔIÔ CULTURAL Em Mesquita, a administração do prefeito Gelsinho Guerreiro não sabe o que fazer com a Cultura. A pasta começou como Secretaria, passou a Núcleo, virou Secretaria novamente e agora é simples apêndice da Secretaria de Educação. m projeto que se desenha nos bastidores de um grupo politico, que comanda um bloco de partidos do Rio e Baixada, pretende eleger o primeiro senador da região baixadense. Na chapa, prevista para 2018, o senador Romário (PSB) seria o candidato a governador. E o escolhido para disputar uma vaga no senado seria Nelson Bornier (PMDB), prefeito de Nova Iguaçu. No pacote de negociações, o ex-jogador apoiaria também o deputado federal Leonardo Picciani (PMDB) para prefeito do Rio. ELES DE NOVO O prefeito Alexandre Cardoso (PSD), de Duque de Caxias, anda comendo o pão que ele mesmo amassou. Os ex-prefeitos Washington Reis (federal - PMDB) e José Zito (estadual-PP) estão mordendo o tornozelo dele para retornarem ao cargo. AC apoiou Lindbergh Farias (PT) e votou Pezão (PMDB). LUISINHO PREFEITO CONSELHO TUTELAR Pelo suposto acordo, Bornier teria como vice, o médico Luiz Antônio, seu secretário de saúde. Após dois anos, Luisinho asumiria o governo e ele estaria livre para gastar sola de sapato com Romário. Bornier não nega nem confirma. E Luisinho vai para a secretaria de saúde do estado. Mais votada na eleição para o Conselho Tutelar de Cabuçu (Nova Iguaçu), a advogada Fátima Cristina, deficiente visual, assume a presidência em janeiro. Há 14 anos ela trabalha como professora de braile para crianças e adolescentes com mesma deficiência. CONGRESSO DO PCdoB Os vereadores Henrique Neves e Luis Henrique Barbosa, o Luisinho, foram criticados no Congresso Municipal do PCdoB em Nova Iguaçu (31/10). Motivo: eleitos, se afastaram das atividades do partido e não se manifestam contra atos do prefeito. OS SEM ESTUDO Professor Mauro Osório, da pasta de economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), andou tagarelando que existem 39 mil jovens em Nova Iguaçu, de 15 a 29 anos, sem trabalhar e sem estudar. Nada bem uma cidade tão rica (per capta acima de R$ 591,00). PM TATUADO, PODE OU NÃO PODE? Depois que um PM foi desclassificado em um concurso público em São Paulo, por ser tatuado, o tema voltou ao debate no Supremo Tribunal Federal (STF). Se não vale para o PM, também não valerá para ninguém, já que as leis constitucionais do Brasil são feitas para todos. Pode ou não pode? E se for em partes íntimas? No caso do PM, o ministro Luiz Fux é quem vain decidir.

[close]

p. 6

Segurança Pública 6 MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 7 Segurança Pública Divulgação Renato Ferreira/Conecta Baixada Para mesquitense ver: de cada turma de PMs formada, poucos vêm para a Baixada. Comandante do 20º BPM, Roberto Christiano Dantas, confirma efetivo deficitário “Nosso efetivo é proporcionalmente deficiente. Mas se ele for bem treinado, orientado, motivado e respeitado, vai haver multiplicação deles nas ruas. Uma tropa, ainda que pequena, se bem assistida rende muito mais que um efetivo grande e desestimulado. No primeiro semestre, cada um de nossos policiais recebeu uma bonificação de R$ 5.500 mil. O que representa uma média de um PM para cada 469 brasileiros. A desigualdade do efetivo do batalhão de Mesquita também fica evidente quando comparamos os dados gerais da PM no estado. O efetivo estadual da corporação é, proporcionalmente, o quinto maior no ranking nacional. “Se você dividir o número total de PMs do estado pelo número e habitantes vai dar reais por diminuir os índices de letalidade violenta, roubo de rua e de veículos. Nossa meta é que consigamos melhorar ainda mais os números, diminuindo em 120% a meta da Secretaria de Estado de Segurança Pública. Com isso, conquistaremos um prêmio de R$ 13.500.” Tenente Coronel Roberto Christiano Dantas, comandante do 20º Batalhão uma média de um policial para cada grupo de 345 pessoas. Contudo, não é assim que funciona na prática. Batalhões de regiões turísticas, geralmente na Zona Sul, contam com mais policiais do que as unidades localizadas na periferia, onde esta concentrada a maior parte da população. É o caso da Baixada Fluminense”, analisa Vinícius Domingues Cavalcante, especialista em Segurança Pública. POUCOS COM TANTO, MUITOS COM TÃO POUCO Enquanto o batalhão de Mesquita tem um PM para 1,9 mil moradores, no Leblon há um policial para cada 305 pessoas Davi Boechat davi.boechat@conectabaixada.com.br ulas interrompidas por estampidos de tiros, alunos e professores assustados. Assassinatos, ônibus queimado, arrastões na estação de trem de Edson Passos e até nos arredores do 20º BPM. Em menos de um mês, moradores A de Mesquita e das vizinhas Nova Iguaçu e Nilópolis vivenciaram uma rotina de insegurança que evidencia um problema crônico da região: a carência de policiais no único batalhão de PM responsável pelo patrulhamento nas três cidades. Para garantir a segurança de 1.139,221 habitantes, a unidade conta com pouco mais de 600 PMs. Uma média de um policial para cada grupo de 1,9 mil moradores. Para se ter uma ideia da desigualdade, o 23º BPM, responsável pelo policiamento nos bairros do Leblon, Ipanema, Gávea, Lagoa, São Conrado e Jardim Botânico, onde vivem 244,3 mil pessoas, conta com um efetivo de quase 800 policiais. Média de um PM para cada grupo de 305 habitantes. Disparidade que pode explicar a crescente sensação de insegurança nas três cidades da Baixada Fluminense. Para Jayme Soares, vice-presidente do Conselho de Segurança de Nova Iguaçu, a carência de policiais no batalhão da região foi potencializada diante da migração de criminosos de áreas patrulhadas por Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) para favelas na Baixada: “A região já sofre com a criminalidade há muito tempo. Com as UPPs a situação ficou ainda pior. Além de fazer com que os criminosos que atuavam em favelas do Rio migrassem para a Baixada Fluminense, também deixou o efetivo dos batalhões da região ainda mais defasado. Os novos policiais são sempre remanejados para lá e nós seguimos esquecidos”, lamenta Soares. Episódios recentes de violência confirmam a análise feita por Jayme Soares. Na última terça-feira, por exemplo, um ônibus foi queimado nos arredores da comunidade do Sebinho, em Mesquita, onde integrantes de duas facções criminosas disputam território. Os conflitos entre essas quadrilhas também já deixou alunos sem aula. Como aconteceu no Colégio Estadual Pierre Plancher, onde 1.400 estudantes tiveram que voltar para casa mais cedo, no último dia 5, diante a ameaças de uma guerra entre os bandos. Enquanto os bombeiros ainda apagavam as chamas no coletivo, a pouco mais de 500 metros do local, na Via Light, passageiros de outro coletivo também sofriam com a ação de criminosos. Em setembro passado, foram registrados na região 57 roubos a coletivos, crescimento de 42,5% na comparação com o “ Batalhões na Zona Sul, contam com mais policiais do que as unidades localizadas na periferia ” “ A região já sofre com a criminalidade há muito tempo. Com as UPPs a situação ficou ainda pior ” mesmo período de 2014, quando foram contabilizados 40 roubos. Nem mesmo a rua do batalhão de Mesquita ficou livre da ação dos bandidos. No início da manhã de sábado (7), um grupo atacou motoristas que passavam pelo local. O arrastão, segundo moradores, foi rápido: durou cerca de 10 minutos. Armados, sete criminosos levaram terror aos moradores da rua Tenente Aldir Soares Adriano, a cerca de 50 metros do BPM. Amedrontados, eles não fizeram registros nas delegacias da região. A disparidade numérica também é grande quando comparada à média nacional. Segundo o Ministério da Justiça, a soma dos PMs que atuam nos 26 estados e no Distrito Federal chega a 413,9

[close]

p. 7

EMPREENDEDORISMO VIDA DE UM EMPREENDEDOR Jorge Eduardo jorge.eduardo@conectabaixada.com.br 8 MICROEMPREENDEDOR MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR TRABALHAR EM CASA PODE SER UM BOM NEGÓCIO CRIATIVIDADE PARA AUMENTAR VENDAS NO NATAL Nesse período conturbado da economia as empresas têm que se virar para conseguir fechar as contas e ainda ter lucro. Acompanhando esse cenário atípico do Brasil como ficará o Natal para o mercado? Segundo fontes como Fecomércio dois índices mostram, que esse ano, o Papai Noel não estará tão gordinho. Nas contratações de temporários para os eventos de fim de ano, as empresas recuaram em 13% quando comparado ao ano de 2014. A expectativa de faturamento também não agrada. Segundo os empresários em 2015 o faturamento será 15% inferior ao do ano passado. Todos esses fatores só reiteram que o empresário para ter sucesso nesse fim de ano ele terá que ser bem criativo para atrair o consumidor. Então vamos às dicas. Agregar valor: empresário, pense em agregar valor ao seu produto através de promoções, sorteios, brindes e parcerias. Seu consumidor só comprará de você esse ano se ele entender que comprando em sua empresa ele terá benefícios além do seu produto e do seu bom atendimento. Vejo diversas empresas oferecendo sorteio de produtos, pague menos e leve mais, brindes que vão ajudar na experiência do consumidor quando comprar o seu produto. Por favor, não cometa o erro de vender tinta para pintura da casa e dar como brinde um chaveiro da sua empresa. Isso não! Os brindes devem ser produtos adicionais que vão aumentar a satisfação do consumidor na hora do uso. Continuando o exemplo das tintas, você pode oferecer pinceis, ou brochas e outros produtos relacionados. A parceria também pode ser importante nesse momento. A loja de tintas pode oferecer para o cliente o desconto em pintores prestadores de serviço que são parceiros de sua empresa. Lembre-se de atestar a qualidade dos parceiros. Em época de crise você deve ser criativo e usar da colaboração com outras empresas para conseguir superar esse momento. Gostou? Então nos mande suas perguntas, pois vamos sortear uma consultoria via web para ajudar sua empresa a atingir sucesso nesse natal! D ados do Sebrae mostram trabalhar em casa é cada vez mais uma opção de empreender para milhões de brasileiros. Dos 3,5 milhões de microempreendedores individuais (MEI), 48,6% trabalham na própria residência. Ainda segundo a instituição, 77% dos profissionais de artesanato também utilizam o lar como espaço criativo. Formalização A formalização pode ser feita por meio do registro como Microempreendedor Individual, no Portal do Empreendedor. A regularização traz mais segurança ao dono do pequeno negócio e amplia mercado por conta da possibilidade Reprodução/Sebrae O Sebrae disponibiliza informações os mcroempreendedores individuais de se emitir nota fiscal. Quem pretende montar um negócio nessa circunstância também deve se informar na prefeitura do município sobre normais locais para licenciamento e funcionamento das atividades. Uma dica importante é separar o ambiente de negócio do familiar. Se puder, instale uma en- trada própria para receber os clientes e os fornecedores, em um cômodo independente e bem organizado, com móveis, computador e material de escritório. Isso dá aspecto mais profissional à empresa e evita constrangimentos como um visitante se deparar com a família almoçando ou alguém deitado no sofá. WhatsApp 99-575-4545

[close]

p. 8

MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 9 PERFIL TRADIÇÃO NA PRAÇA UM “LAMBE-LAMBE” DIGITAL Marcelle Bappersi marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br M uitas árvores da Praça Secretária Elizabeth Paixão foram trocadas por palmeiras, mas a cabine, tripé e a máquina fotográfica continuam lá, firmes e fortes. É assim que o mais antigo fotógrafo “lambe-lambe” da cidade, Manoel Antônio, de 68 anos, toca o negócio e mantém viva a tradição. Com seu estúdio montado ao ar livre, embaixo de uma amendoeira, no centro da praça, Manoel acrescentou à tradição um quê de modernidade: as fotos são feitas com uma câmera de última geração e impressas ali mesmo, em uma impressora digital; “lambe-lambe” ficou no passado. Manoel se apaixonou por fotografia por causa do irmão, que já trabalhava como “lambe-lambe” na Zona Sul do Rio, na década de 1970. Ele ainda revelou que foi seu irmão que o ensinou a manusear os cinco tipos de produtos químicos para o processo de revelação, que durava de 10 a 15 minutos. “Amo o que faço e não trocaria por nada. Por isso que estou no mesmo lugar há mais de 35 anos”, contou. O tempo trouxe mudanças na profissão e as velhas máquinas “Lambe-lambe” foram desaparecendo das praças. Mas a paixão pela atividade levou Manoel e acompanhar as mudanças tecnológicas. Com a impressora digital ele melhorou a qualidade das imagens e agilizou o processo, que hoje, não precisa de mais nada além de sentar e esperar. Antes, as fotos eram reveladas em 30 minutos, e agora são entregues aos clientes na hora. “Estou trabalhando com ela há quatro anos. E não quero mais nada. Só sento e observo”, comenta. Mas ele afirma que as vantagens saem caras. Ele conta que seu custo é muito maior agora do que quando ele atuava como “lambe-lambe”. “A imagem dela é maravilhosa, mas em compensação, gasto mais por conta do papel para impressão, tinta e manutenção”, explicou. Para Mônica Rosa, de 37 anos, Manoel é referência na região. Segundo ela, o fotógrafo foi a primeira opção quando resolveu acompanhar o filho para tirar fotos para emprego. “Moro aqui há 30 anos e sempre o vi trabalhando aqui na praça. Se falar do `lambe-lambe´ da praça todos vão saber quem é”, disse. Reprodução da internet Lélio Neto/Conecta Baixada Há mais de 35 anos atuando na praça Elizabeth Paixão, fotógrafo de rua investe em tecnologia para ser manter na ativa IMPORTÂNCIA HISTÓRICA Segundo o Wikipedia, o fotógrafo Lambe-lambe é um fotógrafo ambulante que exerce a sua atividade nos espaços públicos como jardins, praças, feiras. Presentes a partir do século XIX nos espaços públicos, os lambe-lambes tiveram papel importante na popularização da fotografia. As circunstâncias exigiam tempo mínimo de lavagem e mínima quantidade de água. Portanto, para garantir a qualidade do trabalho, eles tocavam a língua nas fotos durante a lavagem para avaliar a qualidade da fixação e da própria lavagem. O que importava para o lambe-lambe era a luz intensa, já que ele não trabalhava com chuva. Sua presença na Praça era referência do sol, índice que garantia a alegria de todos os frequentadores da Praça durante o dia. “Para ser um bom Reprodução da internet Quando lambe-lambe estava na praça era sinal de tempo bom Exemplares da velha máquina usada pelos lambe-lambes no Brasil retratista era preciso ficar de olho nas nuvens”, dizia-se nos anos 20, 30 e 40, considerado o período de ouro da atividade profissional do fotógrafo lambe-lambe. A partir dos anos 50, o fotógrafo lambe-lambe passou a produzir somente retratos para documentos, tipo 3X4 cm, a fim de atender a demanda da nova clientela, que necessitava de fotos para documen tos. Em 2005 os fotógrafos “lambe-lambe” foram declarados Patrimônio Cultural da cidade do Rio de janeiro.

[close]

p. 9

SAÚDE 10 MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR Lélio Neto/Conecta Baixada Marcelle Bappersi marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br D SAÚDE SOB O LIXO des aegypti. Segundo o infectologista da Universidade de São Paulo (USP), Roberto Socaccio, o lixo atrai animais transmissores de doenças infecciosas, além de aumentar a incidência de doenças. Ele ainda afirma que a situação é um perigo para a saúde de pacientes, que já estão com baixa imunidade. “Os riscos são grandes para todos que entram em contato, direto e indiretamente, com este lixo. Além disso, a população que mora no local é a mais prejudicada por causa da decomposição do lixo, que atrai os mais diversos tipos de animais”, explicou o infectologista. De acordo com a assessoria de Imprensa da Secretaria Estadual de Saúde (SES), o depósito de lixo se formou próximo à entrada da maternidade há meses e, apesar de várias solicitações à prefeitura de Mesquita para que recolhesse o lixo, não houve resposta. Ainda segundo a SES, questões relacionadas ao hospital são de responsabilidade do Estado, já a coletas lixo é dever dos órgãos municipais. Há 15 dias a equipe do Conecta Baixada esteve no local e presenciou a ação de uma retroescavadeira removendo o lixo para liberar o tráfego na Avenida Dr. Carvalho Guimarães, em rente ao Hospital da Mãe, inaugurado em 2012. O operador do equipamento, porém, não quis dizer quem havia encomendado o serviço. Procurada insistentemente durante dois dias pela reportagem do Conecta Baixada, a prefeitura de Mesquita ignorou as solicitações de informações sobre a coleta de lixo na região. Segundo moradores, sem coleta regular eles são obrigados jogar o lixo no local, aumentando dia a dia a montanha de sujeira. a Janela do Hospital Estadual da Mãe de Mesquita é possível ver uma enorme montanha formada por móveis velhos, sacolas plásticas e lixo de toda a espécie. Para as pacientes da maternidade, um risco iminente de contrair doenças devido à vulnerabilidade. Para os moradores da local, exposição total à leptospirose e tifo, transmitidas por ratos, febre tifóide, por moscas, e dengue, por ae-

[close]

p. 10

MESQUITA, 15 a 30 de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 11 RELIGIÃO E FÉ/CULTURA PROFESSOR CLÁUDIO DUARTE EVANGELHO@CONECTABAIXADA.COM.BR “ GRAÇA NÃO É BARATA: O PREÇO FOI A CRUZ os valores seculares, nos tornamos inimigos de Deus. A cada vez que deixamos de chamar pecado de pecado, seguimos o que a mídia e as ciências tentam nos impor, nós, os filhos e eleitos de Deus, refrigeramos o inferno, aceitamos o inaceitável e tornamos barata e vã a Graça da qual usufruímos pelo sacrifício feito por nós por Jesus na cruz. Amados e irmãos, que não nos iludamos: andar com Deus e viver Sua Palavra, frequentemente vai nos conduzir a escolher sobre a quem servimos, a quem queremos agradar, e quem é o senhor de nossas vontades,pois será sempre impossível agradar a sistemas de vida diametralmente opostos e irreconciliáveis. Faça sempre sua escolha por Jesus e seu Reino eterno, e fixe seus olhos naquele que morreu para que cada um de nós alcance nele a vida eterna. A minha busca, a sua busca, a nossa busca, precisa ser diariamente pela santidade, pela negação aos valores terrenos, e uma afirmação permanente de aceitação e submissão à vontade do Pai, que em sua essência é Santo: “Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade”Tessalonicenses 4:7. A Graça não é barata, nem foi barata: o preço foi pago na Cruz! Adúlteros: vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus”_ Tiago 4:4 O texto bíblico, clara e insofismavelmente, estabelece que o Reino de Deus, com seus ensinos e prática, está em rota de colisão com o sistema de valores e comportamentos aceito e adotado por este mundo. O texto esclarece ainda, que ao desobedecermos as diretrizes e ordens de Deus, e flertamos com MÚSICA Mande para nossa coluna a programação, eventos e qualquer informação sobre sua igreja e ministério. Divulgamos gratuitamente ! O endereço do nosso e-mail é claudio.duarte@ conectabaixada.com.br e nosso whatsapp é 997465252. Estou esperando por você ! E eu quero ver você participar da nossa promoção, respondendo a seguinte pergunta: Qual o nome do apóstolo que escreveu o livro do Apocalipse ? Mande a resposta para nosso endereço de e-mail: promocao@conectabaixada.com.br, e participe do sorteio de SEIS bíblias . Mande agora sua resposta ! D ROCK NAS CALÇADAS DE N.IGUAÇU iferente da extinta banda gaúcha Engenheiros do Hawaii, a banda iguaçuana Fatta a Mano se importa, e muito, com todos os acordes e versos das canções. E tem explicação: o público que curte o rock oitentista (dos anos 1980) é exigente e nostálgico. E foi assim, pelo ouvido, que Nuno arcanjo, de 30 anos, Sandro Porto, de 42, Sidney Hunt, 33, e Davi Nunes, 29, conquistaram os fãs. Eles escolheram o calçadão em Nova Iguaçu, montaram seus equipamentos e tocaram o forte repertório composto por Legião Urbana, Capital Inicial, Biquíni Cavadão, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho, entre outros nomes. “Nós tocamos cover com um toque nosso. Não mudamos nada, só deixamos o som um pouquinho mais pesado. E todos adoram”, disse Davi, o guitarrista. Para divulgar a autoLélio Neto/Conecta Baixada O grupo se apresenta de graça nas calçadas de Nova Iguaçu ral “Eu sei”, lançada em junho, o grupo trabalhou duro e chegou a reunir cerca de mil pessoas na rua Doutor Luiz Guimarães. E eles prometem que, na segunda quinzena de dezembro, vão lançar “A falta que você me faz”, o novo single da banda. “Esse é o nosso presente de Natal para o público”, comentou Sidney, produtor musical e baixista da Fatto a Mano. A cada show, pelo menos cinco composições autorais se juntam ao repertório composto de covers de outros artistas. As composições do conjunto têm influências do rock nacional dos anos 1980 e 1990, mas os arranjos são a pegada mais forte com a pitada rock´n roll de Creed e Nickelback. “Toco o que gosto de escutar. Nossas músicas não são para segregar, pois vejo que todos os tipos de públicos interagem bem com a gente”, contou o vocalista. Contatos: 969408621 (Nuno Arcanjo).

[close]

p. 11

ESPORTES ARTILHARIA EM FAMÍLIA 12 MESQUITA, 15 a 30 de de novembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR OS IRMÃOS GOLEADORES DE NOVA IGUAÇU s equipes sub17 e sub-15 do Nova Iguaçu, destaques no Campeonato Carioca do ano passado e na taça Rio deste ano têm em uma só família seus grandes trunfos: os artilheiros de ambas as equipes são irmãos. Na equipe Sub-15, Samuel Silva, que também atua na Seleção Brasileira, é o grande destaque, com 25 gols, e é irmão de Nael Silva, também artilheiro, só que da equipe sub-17 no Estadual. O mais velho está no primeiro ano da categoria e fez em 2015 outros 24 gols pela equipe B. Ou seja, a dupla tem incríveis 59 gols no ano. A equipe sub-15 terminou a Taça Rio entre os quatro primeiros, estando na quarta colocação geral, à frente do Botafogo. Já o sub-17 terminou a primeira fase da Taça Rio na liderança, com 11 vitórias em 13 partidas. “Queremos colocar nossos nomes na história do Nova Iguaçu. Foi Deus quem colocou o Nova Iguaçu nas nossas vidas. Eu e meu irmão tivemos uma trajetória no futebol bem parecida, pensamos em parar de jogar, em desistir, mas o Nova Iguaçu nos deu essa chance. Agora vamos buscar esse título”, afirmou Samuel Silva, que disputará o Sul-Americano pela Seleção Brasileira. Com apenas um ano e três meses de diferença na idade, os irmãos passaram pelo futsal em Duque de Caxias e pelo Fluminense – o mais ve- A Bernardo Gleizer/Ascom NIFC O ex-goleiro Salmista de Jesus rodeado pelos filhos artilheiros Nael (E) e Samuel: “eles puxaram a minha inteligência para jogar” lho fez apenas alguns testes. Quem chegou primeiro ao Nova Iguaçu foi o mais velho, Nael, que depois trouxe o irmão. Pai era goleiro O mais curioso de tudo é que o pai dessa dupla nunca foi de fazer muitos gols. Pelo contrário, seu forte era evitá-los. Salmista de Jesus, motorista, era goleiro nos campeonatos de várzea que disputava em Belford Roxo, com o União do Jardim, e tinha como ponto forte defender pênaltis. Ele não sabe de onde veio o dom da dupla de fazer gols, mas faz uma brincadeira. “Eles puxaram a minha inteligência para jogar, principalmente o mais novo, a visão de jogo. Eu também me aventurava na meia (risos) e tinha essa característica”, contou. O professor Jordan e seus alunos campeões Lélio Neto/Conecta Baixada GAROTADA DO PROJETO ALVO DA LUTA BRILHA EM COMPETIÇÕES Quatro adolescentes do Projeto Social Alvo da Luta ganharam títulos no Campeonato Carioca de Jiu-Jitsu e no Campeonato do Curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), da Polícia Militar. Thaires Moura, de 16 anos, que disputou na categoria leve, e Danilo Dante, de 11 anos, e Alex Fragoso, de 13, das categorias Pluma e Galo, respectivamente, foram ouro. Já Lucas Lima, de 14, anos, ficou em terceiro lugar no Pesado. “Os meninos se destacam nos treinos, com inteligência e capacidade de aprimorar durante as aulas”, disse o professor e coordenador do Projeto Alvo da Luta, Jordan de Almeida, de 31. Vagas abertas Para participar do Projeto Esportivo Social Alvo da Luta, a criança precisa ter a partir de 4 anos, estar matriculada em escola da rede pública ou privada. As aulas acontecem às 2ª, 4ª e 6ª, de 18h30 às 21h50, na Rua Mercúrio 85, Centro, Mesquita.

[close]

Comments

no comments yet