Jornal São José Operário - Novembro 2015

 

Embed or link this publication

Description

Jornal São José Operário - Novembro 2015

Popular Pages


p. 1

ANO XII - EDIÇÃO Nº 148 - 10.000 EXEMPLARES - DISTRIBUIÇÃO GRATUITA - NOVEMBRO S ão J osé Operário CAPÃO REDONDO - DIOCESE DE CAMPO LIMPO Jornal PARÓQUIA SANTUÁRIO SÃO JOSÉ OPERÁRIO - 2015

[close]

p. 2

Página-2 Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário O Dia de Finados é o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas que já faleceram. É o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca. É celebrar essa vida eterna que não vai terminar nunca. Pois, a vida cristã é viver em comunhão íntima com Deus, agora e para sempre. Desde o século 1º, os cristãos rezam pelos falecidos; costumavam visitar os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio. No século 4º, já encontramos a Memória dos Mortos na celebração da missa. Desde o século 5º, a Igreja dedica um dia por ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém se lembrava.Desde o século XI, os Papas Silvestre II (1009), João XVIII (1009) e Leão IX (1015) obrigam a comunidade a dedicar um dia por ano aos mortos. Desde o século XIII, esse dia anual por todos os mortos é comemorado no dia 2 de novembro, porque no dia 1º de novembro é a festa de “ToDiretor Geral: História do Dia de Finados EDITORIAL A IGREJA NA SOCIEDADE tãos não detêm o monopólio desse processo. São abertos para ouvir e discernir as propostas de todos, acolhendo as que estão na direção de uma autêntica humanização. São conscientes também de que têm uma contribuição específica a dar na construção do mundo novo a partir de sua fé em Jesus Cristo. Se não a derem, ninguém poderá dá-la. E se omitindo eles serão o fermento do reino guardado no armário. Novembro - 2015 dos os Santos”. O Dia de Todos os Santos celebra todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados. O Dia de Todos os Mortos celebra todos os que morreram e não são lembrados na oração. Tanto uma data quanto a outra nos levam a pensar e mudar nossas maneiras de agir, pois nestes dias o bom mesmo é fazer uma reflexão para que possamos melhorar nossa vida em sociedade e em respeito aos bens imateriais. Ter uma religião é um bem necessário, mas os que não são seguidores ou frequentadores de templos religiosos podem sim, rezar e orar para o bem de si próprio e para toda a humanidade. Levando em conta o Dia de Finados, estes não devem ser lembrados somente na data dedicada aos mesmos, pois as boas e más lembranças nos ajudam a sermos cidadãos melhores para a comunidade onde habitamos, consequentemente, possibilita um entendimento e sintonia com aqueles de fora que nos visitam.(Fonte Jornal o Tempo) N a sua oração sacerdotal, Jesus pede ao Pai que os seus discípulos estejam no mundo sem serem do mundo. “Estar no mundo”, pois é na sociedade, onde os seres humanos vivem e se relacionam, que os cristãos devem viver sua vocação e exercer sua missão. Estão destinados a ser “sal da terra” e “luz do mundo”. “Não ser do mundo” enquanto poder organizado sobre a injustiça e a opressão que prejudica e destrói a vida. EXPEDIENTE Monsenhor João Batista Diretor de atendimento aos Benfeitores: Jurandi Nunes Jornalista Responsável: Mário de Freitas - MTB 36.907 Publicação mensal da Paróquia: Santuário São José Operário Rua Alfredo Ometecídio, 32 Cep.: 05866-120 - Capão Redondo- SP Revisões e Correções Pe. Carlos Lozada Edson Felipe Magda dos Santos Silva José Andrade Alves www.santuariosaojoseoperario.org.br santuario@santuariosaojoseoperario.org.br O teor das matérias é de responsabilidade de seus autores. Todas as pessoas são voluntárias Tel. 5873-2009 / 5873-4279 Diagramação Retidão, identidade, diálogo e cooperação são atitudes necessárias para a construção da nova sociedade. Sem retidão e identidade não há verdadeiro diálogo. Repito e reforço que num verdadeiro diálogo não deve haver redução de um ao outro. É necessário preservar sempre a autoridade. Assim, o cristão não poderá renunciar à sua fé para aderir a uma ideologia. Procedendo desta forma estaria sendo o sal que perdeu a sua força e não Os cristãos não estão so- serve mais para nada sezinhos na construção da não para ser lançado fora sociedade justa, fraterna e ser pisado pelos homens. e solidária. Há outros pro- Numa conversa em grupo tagonistas que também sobre o pluralismo da soagem para construí-la. A ciedade atual, ouvi de um “Gaudium et Spes” (Alegria sacerdote e psicólogo, esta e Esperança), que é um afirmação: “numa sociedos documentos emana- dade plural, só quem tem dos do Concílio Ecumênico identidade sobrevive”. E Vaticano II, afirma que “pela eu estou convicto de que felicidade à consciência, os ele tem razão. É importancristãos se unem aos ou- te incentivar a participação tros homens na busca da dos fieis na busca de soluverdade e na solução jus- ção para os problemas da ta de inúmeros problemas sociedade em vista de uma morais que se apresen- salutar convivência humatam, tanto na vida indivi- na. Para isso, os fiéis predual quanto social (nº16)”. cisam conhecer a identidade da própria fé e as suas Numa sociedade pluralista, consequências práticas, o como a de hoje, são muitas que exige formação inicial as mãos chamadas a apli- e permanente e inclui o escar-se na construção da ci- tudo da Doutrina Social da vilização do amor, espelho Igreja. Não se pode aceitar mais próximo do projeto o desejo de alguns de calar do reino de Deus. Os cris- a manifestação da Igreja e www.santuariosaojoseoperario.org.br de seus membros a pretexto de que o Estado é laico. É por ser laico que o Estado não pode impor uma visão unilateral e tem o dever de garantir a liberdade de expressão de todos, tanto os civis como os religiosos. Caso contrário, estaria fazendo diferença entre os seus membros e classificando parte deles como cidadãos de segunda categoria. O espírito que norteia a decisão de traduzir a fé em atitudes concretas de serviço é a consciência de que o Reino é vida e vida plenamente realizada para todos. O que move os cristão autênticos à ação é o profundo amor à humanidade segundo o modo com que Jesus Cristo a ama. Oxalá os assuntos relacionados com as preocupações de todos e, especialmente, do mais pobres estejam sempre nas pauta de nossos encontros e celebrações, pois “as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e de todos os que sofrem, são tambem as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angustias dos discípulos de Cristo” (Gaudium et Spes nº1) Dom Luiz Antônio Guedes Bispo Diocesano de Campo Limpo EXTRAÍDO DA REVISTA VIDA E MISSÃO N º 185

[close]

p. 3

Novembro - 2015 Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Página-3 CONSAGRAR O DÍZIMO É UMA QUESTÃO DE FÉ você continua na escravidão. O caminhar no corredor da Igreja significa a travessia do deserto. O não entrar na procissão dos dizimistas, significa permanecer no deserto sem água, sem comida... A CONSAGRAÇÃO DO DÍZIMO no ALTAR significa que você alcançou A TERRA PROMETIDA. o não CONSAGRAR O DÍZIMO NO ALTAR, significa que a pessoa não contribui com o PROJETO DE DEUS. Você que ainda não é dizimista, COMECE HOJE, SEJA UM CRISTÃO COMPROMETIDO COM A SUA IGREJA. Uma pessoa torna-se dizimista somente quando decide sair da escravidão do comodismo, do egoísmo e da mesquinharia. PARABENS! VOCÊ QUE JÁ ALCANÇOU ESTA GRAÇA. A prática do dizimista fiel demonstra um ato sublime de partilha de alguém que tomou uma bela decisão que é a de ser cristão não só de nome, mas também de coração. Faça esta experiência. Quem se torna Cristão de verdade é um seríssimo candidato à ganhar a Salvação de Deus. Esta que é o grau de riqueza mais pleno que todas as pessoas sábias buscam constantemente. EU ACREDITO QUE VOCÊ SERÁ SALVO. GLÓRIA A DEUS!!! A única lei que motiva a pessoa a consagrar o DÍZIMO é a LEI DO AMOR A DEUS E A IGREJA. Uma vez CATÓLICO DE VERDADE, grava no coração os mandamentos do Senhor e vive os pilares de nossa doutrina que são PALAVRA, LITURGIA como uma garrafa vazia com o “rótulo” de um bom vinho, mas por dentro não tem nada. Esta não possui o conteúdo, por isso não é fiel. Pois a patente espiritual adquirida nos Sacramentos e na vida cristã, faz com que a pessoa tenha ATOS NOBRES DE FIDELIDADE. CONSAGRAR O DÍZIMO NA IGREJA É UM DELES. Quando o fiel grava a Lei de Deus em sua vida, ele fica marcado com o selo da Salvação. Então, ele perfeição da fé que são a espontaneidade, a generosidade e a alegria de viver a doutrina de Cristo e da sua Igreja. Por isto dar o dízimo é um reconhecimento de que o fiel junto com os demais irmãos ajuda a cuidar da casa do Pai. Então Deus vai olhar para este filho ou filha como olhou para Abel, Abel agradou a DEUS. Os filhos que não agradam a Deus têm o destino amaldiçoado que teve Caim. Por outro lado os que agradam a Deus constituiem em seu coração, em sua vida uma verdadeira PROVA DE AMOR, GRATIDÃO, RENÚNCIA E GENEROSIDADE e com isso, A PAZ TÃO DESEJADA. Este vive em paz neste mundo para depois receber o cêntuplo, a SALVAÇÃO, porque entendeu e praticou o projeto de Deus. SEJA FIEL NO DÍZIMO!!! PEGUE UM ENVELOPE E INSCREVA MAIS UM DIZIMISTA PARA A IGREJA Monsenhor João Batista Pároco e Reitor do Santuário São José Operário ue bom que você possa dizer de coração: “DOU O DÍZIMO PORQUE AMO A DEUS E A IGREJA”. A Igreja vive da providência divina. Esta providência somente acontece quando vem do coração de cada paroquiano que de fato ama a Deus e a sua Igreja. A decisão de CONSAGRAR O DÍZIMO é uma atitude de libertação. Lembra-nos a marcha do povo que saiu da escravidão do Egito. Nas missas de quinta-feira, antes do 2º domingo, no sábado e domingo, quando você dizimista entra na procissão para consagrar o SEU DÍZIMO, significa que você saiu do comodismo, saiu da escravidão do egoísmo e do fechamento do coração. Não praticar este gesto, significa que Q E CARIDADE. Quando uma pessoa disser, eu sou católica, mas não segue sua doutrina como orientação é mentirosa; esta tem somente o “rótulo” de católica, é pode dizer com clareza: eu sou CATÓLICO, GRAÇAS A DEUS, eu sou cristão porque fui marcado com o selo de Cristo. Neste profundo e admirável gesto do ser cristão, estabelece a busca da www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 4

Página-4 leva, como um Pai, pela mão, no final da nossa vida. Precisamente naquele Céu onde estão nossos antepassados. Um dos anciãos faz uma pergunta: quem são esses vestidos de branco, esses justos, esses santos, que estão no céu? São aqueles que vêm de uma grande tribulação e lavaram suas vestes, tornando-as cândidas no sangue do Cordeiro. Somente entraram no céu, graças ao sangue do Cordeiro, graças ao sangue de Cristo. É o sangue de Cristo que nos justificou, que abriu as portas do Céu, e se hoje recordamos esses nossos irmãos que nos precederam na vida, que estão no Céu, é porque eles foram lavados pelo sangue de Cristo. Essa é nossa esperança. A esperança do sangue de Cristo. Essa esperança não dá desilusão. Esperamos na vida, como o Senhor. Ele não cria nenhuma desilusão, não nos dá desilusão, jamais. João dizia aos seus apóstolos e seus discípulos: veja que grande amor Ele deu, o Pai, para sermos chamados filhos de Deus (cf. 1 Jo 3, 1-3). Por isso, o mundo não nos conhece, somos filhos de Deus, mas o que seremos ainda não nos foi revelado, é muito mais. Quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque o veremos como Ele é. Ver Deus, A ESPERANÇA QUE NÃO CRIA DESILUSÃO andando, indo, segurando a ser semelhante a Deus, essa é a nossa esperança. E hoje, no dia de todos os santos, antes do dia dos mortos, é necessário pensar um pouco na esperança. Essa esperança que nos acompanha na vida. Os primeiros cristãos falam da esperança e a pintavam como uma âncora, como se a vida fosse a âncora naquela margem, onde todos nós, Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Novembro - 2015 Missa celebrada pelo Papa Francisco no Cemitério Verano de Roma N este momento, antes do pôr do sol, neste Cemitério, nos reunimos e pensamos no nosso futuro, pensamos em todos aqueles que já partiram, todos aqueles que nos precederam na vida e estão com o Senhor. É tão bonita esta visão do céu que nós ouvimos na primeira leitura (cf. Ap 7,2-4.9-14).  Senhor Deus a beleza, a bondade, a verdade, a ternura, o amor total, aquilo que nos espera e aqueles que nos precederam, que morreram no Senhor e estão lá. Proclamam que foram santos, não pelas suas obras, fizeram obras boas, mas foram salvos pelos Senhor, a salvação pertence ao nosso Deus, é Ele que nos salva, é Ele que nos corda. É uma belíssima imagem, essa esperança. O coração ancorado lá, onde estão os nossos antepassados, os santos, onde se encontra Jesus, onde está Deus. Esta é a esperança, que não cria desilusão. Hoje e amanhã são dias de esperança. A esperança é como o fermento que faz ampliar a alma, também existem momentos difíceis na vida, mas com a esperança a alma vai, avante. Olha, o aquilo que te espera! Hoje é um dia de esperança, os nossos irmãos e irmãs estão na presença de Deus, também nós, estaremos ali por graça do Senhor, se nós caminharmos na estrada de Jesus. E conclui o apóstolo: cada um que tem essa esperança n’Ele purifica a si mesmo. Também a esperança nos purifica, nos faz ir mais depressa. Nesse pré pôr do sol, cada um de nós pode pensar no pôr do sol de cada um, no meu, no seu, no nosso. Todos nós teremos esse pôr do sol, mas eu olho para ele com esperança? Olho com aquela alegria de ser recebido pelo Senhor? Esse é o olhar cristão, isso nos dá paz. Hoje é dia de alegria, mas de uma alegria serena, tranquila, alegria da paz. Vamos pensar no pôr do sol de tantos irmãos que nos precederam, o nosso pôr do sol que virá, vamos pensar no nosso coração, e vamos nos perguntar: onde está ancorado o meu coração? Se ele não está ancorado bem, vamos ancorá-lo lá, lá em cima, sabendo que a esperança não nos dá desilusão, porque o Senhor Jesus jamais irá nos desiludir. Papa Francisco Boletim da Santa Sé TEL: 5874-0927 / 5871-6457 Av. Comendador Sant’ anna, 294 (sobreloja) www.santuariosaojoseoperario.org.br FLUÊNCIA EM 2 ANOS

[close]

p. 5

Novembro - 2015 M eus queridos amigos do Santuário. Estamos no mês dedicado aos fiéis defuntos. Se falará de morte, de flores, cemitérios, lágrimas, desespero, e do final de cada um... A morte não é o final de tudo. A morte é o começo de uma nova vida. De uma Por mais que interroguevida sem retorno. De uma mos, por mais que convida eterna. sultamos os horóscopos, Meus amigos, quando vo- algum tarô, um pai de cês tiverem um tempinho santo, cartomantes, etc... livre, eu os aconselho que será difícil, para não dizer leiam o Profeta Ezequiel impossível, saber quando vai acontecer a nossa des(Ez 7, 1-14). pedida final nesta terra... É uma leitura que vale a Só Deus saberá! pena ler e meditá-la. Neste texto, o profeta anuncia Por mais que pergunteque o fim de Israel está mos, não encontraremos próximo; que não tem es- uma resposta. A não ser capatória. Para nós tam- que uma doença gravísbém haverá final. Um final sima tenha sido diagnosticada e os médicos nos que não sabemos quan- do ocorrerá. Pode ser amanhã... Ninguém sabe quando será. No entanto, algumas pessoas preferem não acreditar que um dia tudo acabará... Que para todos haverá um fim de glória ou um final de condenação. Este temor, não justificado, pode estar relacionado à falta de fé ou à vontade não querer saber nada sobre este misterioso assunto. Mas, por mais que se acredite em outras maneiras de o mundo continuar, de algo ninguém pode escapar jamais: DA MORTE! O nosso fim nesta terra já está previsto. Quando será? Eis aí a questão... PODE SER HOJE... PODE SER AMANHÃ... O FIM VEM... indiquem uma data aproximada; ainda assim nunca saberemos o dia certo; a hora exata, etc... O próprio Jesus falou: “estais preparados porque no dia menos pensado vem o Filho de Deus a pedir conpassagem. Vamos supor que soubéssemos que iríamos morrer amanhã! O que faríamos no dia de hoje? Será que haveria tempo para gostar dos nossos inimigos? Insistiríamos em não perdoar as Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Página-5 Amigos todos, podemos estar convencidos de uma coisa: para quem não teve um relacionamento com Deus, a morte é o fim das chances de arrependimento e de ter uma vida com Jesus, desfrutando uma alegria eterna; é o fim da luz e da esperança. Como quer que seja o fim de tudo, a morte é o encontro com Deus, quando ele vai julgar cada um pelo que fez em vida e separar os que creram em Cristo e foram fiéis a Ele para o céu e as pessoas que preferiram viver sem Deus para o castigo eterno (Mt 24, 31-46) tas das vossas almas” (Mt 24, 36-44 / Mc 13, 32-37 / Lc 17, 20-37). Queridos amigos que me estais lendo, estamos neste mundo de passo, de Meus queridos do Santuário, por favor, vivam hoje buscando agradar a Deus com suas vidas, como se fossem morrer amanhã. Façam o bem a todos. Sejam pessoas de vida de oração e de participação aos sacramentos da Penitência e da Eucaristia. Tudo isto lhes ajudará a fazer escolhas corretas e mágoas do passado? Será a não ter medo do fim de que teríamos tempo para suas vidas quando chegar avisar o sacerdote? Pe- o momento da partida. dir socorro? Pedir perdão dos nossos pecados? Afi- Não se esqueça nunca: nal, a morte é o fim ou é somente Jesus é o CAMIo início? Queridos amigos NHO, a VERDADE e a VIDA paroquianos, a Bíblia dei- (Jo 14,6). xa bem claro que a morte Meus amigos, de uma física não é o fim - mas a coisa todos temos certemorte espiritual é! za: que Jesus Ressuscitou Refrigeração Bom Clima Assistência Técnica Especializada Freezer, Geladeiras e Máquinas de Lavar gloriosamente para nunca mais morrer (Mt 28, 1-07) Câmaras e Balcões Frigoríficos, Tel. 5873-3032 / 9308-1486 - Sr. Augusto R. Marco Basaiti, nº 8 - Capão Redondo Pe. Nilson da Silva Vigário Paroquial www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 6

Página-6 Celebrando a festa da Mãe Aparecida Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Novembro - 2015 www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 7

Novembro - 2015 Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Página-7 www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 8

Página-8 PROGRAMAÇÃO DA PARÓQUIA SANTUÁRIO SÃO JOSÉ OPERÁRIO Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Novembro - 2015 www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 9

Novembro - 2015 Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário está em perigo, aí está a urgên- atento a cada pessoa, de contrastar a cultura do desperdício cia da ecologia humana. e do descarte para promover Cultura do descarte: Um se- uma cultura da solidariedade e gundo tema importante e que do encontro”. uma das marcas do pontificado Um novo modo de viver: de Francisco: o termo “cultura “Queria pedir, por favor, a do descarte”. Contra esta, o quantos ocupam cargos de Papa pede que sejam destacaresponsabilidade no âmbito dos o valor intrínseco e dignieconômico, político ou social, dade de todos os seres vivos. a todos os homens e mulheres Ao recordar o pensamento do de boa vontade: sejamos “guarPapa Bento XVI que diz que, diões” da criação, do desígnio com frequência, somos guiados de Deus inscrito na natureza, pela soberba da dominação, da guardiões do outro, do ambienposse, da manipulação e da exte; não deixemos que sinais de ploração, ainda em 2013 Frandestruição e de morte acompacisco alertou para “os homens e nhem o caminho deste nosso mulheres que são sacrificados mundo!”. Um último, porém não aos ídolos do lucro e do consumenos importante aspecto a mo: esta é a “cultura do descarser considerado durante a leitute”. Na Exortação Apostólica ra da nova Encíclica, é a tradiEvangelii Gauldium, o Papa ção da igreja à luz da Palavra retomou este pensamento: do Criador e das suas criaturas. “Neste sistema que tende a fa“Pequenos mas fortes no amor gocitar tudo para aumentar os de Deus, como São Francisco benefícios, qualquer realidade de Assis, todos os cristãos são que seja frágil, como o meio chamados a tomar conta da fraambiente, fica indefesa perangilidade dos povos do mundo te os interesses do mercado no qual vivemos”. divinizado, transformados em regra absoluta”. (EG 56) Respeitar a criação hoje: Assim, “à primeira criação Soluções: cultura do encondevemos responder com a tro: No primeiro ano do pontifiresponsabilidade que o Senhor cado, Francisco convidou todos nos dá: A terra é nossa, ocupaios homens e mulheres de boa vos dela; deixai que cresça!. vontade a refletir sobre o proPor conseguinte “também blema da perda e do desperdínós temos a responsabilidade cio de alimento para identificar de fazer crescer a terra, de soluções que, enfrentando a fazer crescer a criação, de a problemática seriamente, pospreservar e fazer crescer sam ser veículos de solidariesegundo, as suas leis: nós dade e partilha com os mais somos senhores da criação, necessitados. Neste contexto, não donos”. E não devemos uma outra expressão-chave do “apoderar-nos da criação, magistério de Francisco passa mas fazer com que ela possa a ser sublinhada: a cultura do ir em frente, fiéis às suas encontro. Na metade de 2013, leis. o Papa fez um pedido: “Gostaria que todos nós nos comprometêssemos em respeitar Pe. Carlos Lozada e cuidar da criação, de estar Vigário Paroquial CHAVES DE LEITURAS PARA LAUDATO SI Página-9 PARTILHA: Desde o início do seu pontificado o Papa Francisco tem, com frequência, falado sobre o meio ambiente e sobre a responsabilidade do homem diante da criação. As mensagens vieram em homilias, encontros com jornalistas e em diversos documentos nos quais o Pontífice exprimiu o seu ponto de vista sobre estes temas. À luz da publicação da próxima Encíclica, rever os conceitos do Papa pode facilitar a leitura do novo documento. Nas considerações prévias de Francisco sobre o tema da criação, identificam-se alguns dos argumentos principais do Pontífice. Não há nenhuma referência do Papa às teorias científicas que descrevem as mudanças climáticas, todavia o Papa faz um convite à discussão e ao debate destas hipóteses. Ecologia humana: O primeiro aspecto diz respeito ao impacto sobre os seres humanos e sobre o ambiente do progresso econômico, das novas tecnologias e do sistema financeiro. Em 2013, o Papa falou pela primeira vez de uma nova concepção de ecologia humana. “Os Papas falaram de ecologia humana unicamente ligada à ecologia ambiental... A pessoa humana está em perigo: isto é certo, a pessoa humana hoje www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 10

Página-10 Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Novembro - 2015 Participe das Missas SEGUNDA-FEIRA 12H e 19H TERÇA-FEIRA 7H30 e 12H QUARTA-FEIRA 7H30, 12H e 19H QUINTA-FEIRA 7H30, 12H e 20H SEXTA-FEIRA 7H30, 12H e 19H SÁBADO 7H30, 12H e 19H DOMINGO 6H30 - 8H - 10H 12H - 15H - 18H30 Todas 2ª Terças às 16H CAPELA S. PEDRO - 8H30 CAPELA S. VICENTE - 10H MISSA DE CONSAGRAÇÃO DO DÍZIMO Dia 05/11 (Quinta-feira) às 20h Dia 07/11 (Sábado) às 19h Dia 08/11 (Domingo) às 6h30, 8h, 10h, 12h, 15h e 18h30 Na Capela São Pedro - Dia 08/11 (Domingo) às 8h30 Na Capela São Vicente - Dia 08/11 (Domingo) às 10h No Santuário São José Operário www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 11

Novembro - 2015 ADALGIZA SILVA Os mais sinceros votos de Paz aos Dizimistas do mês de Novembro/ 2015 DIRCE M. VIEIRA FROTA JOSÉ FRANCISCO DE MATOS FILHO JOSÉ FUGIMOTO JOSÉ IVANILDO BRANDÃO JOSÉ LUIZ FILHO JOSÉ RAIMUNDO DOS SANTOS FILHO JOSÉ TELVÂNIO DA SILVA JOSEANE DE ALMEIDA BRITO JOSEFA A. SILVA LIMA JOSEFA CAVALCANTE DA SILVA JOSEFA DE OLIVEIRA SILVA JOSEFA RAMOS DA COSTA SOUSA JOSIANE VENTURA ALVES DA CRUZ JUDSON JORGE DE ALMEIDA JUNIOR JULIO CÉSAR DE OLIVEIRA BENJAMIM JUSCILENE SANTOS DE BRITO LARISSA DE MORAES SUZART LEANDRO TADEU ALVES LENAURA LUCIA HENRIQUE LENICE SOARES DIAS LEONARDO CELESTINO LEONEZA PEREIRA DOS SANTOS LILIAN KATIA DE OLIVEIRA CARVALHO LINDALVA ALAIDE DE JESUS LUANA ALVES SANTIAGO LUANA DA SILVA REIS LUCAS DIAS CORDEIRO LUCIANA G. CARVALHO LUCIANO CORREIA NEVES LUCIENE CORREIA NEVES LUCIENI AGUIAR SILVA LUIS JOSÉ DOS SANTOS LUIS ROSA NETO LUZIA MOREIRA DE CARVALHO Mª LUCIA, ALEXANDRE E Mª VITÓRIA MANOEL DE SOUZA ALMEIDA MANOEL TENORIO DA SILVA MARCIA HELENA DOS SANTOS MARCIA LUIZA CANDIDO MARCIO ANTONIO DOS ANJOS MARCO ANTONIO SOTERO MARIA ALICE DA CUNHA MARIA ALINE MENDES SOARES MARIA ALVES PEREIRA DE SOUZA MARIA APARECIDA A. DE JESUS MARIA AUXILIADORA GOMES RIBEIRO MARIA DA GLÓRIA COSTA DE JESUS MARIA DALVA HERCULANO MARIA DAS DORES LIMA TABOSA MARIA DAS GRAÇAS ARAUJO MARIA DAS GRAÇAS DA CONCEIÇÃO MARIA DAS G. MANDU NASCIMENTO MARIA DAS GRAÇAS O. CARDOSO MARIA DAS GRAÇAS S. DE MELO MARIA DAS GRAÇAS SILVA SÁ MARIA DE FÁTIMA LEITE MARIA DE FÁTIMA PEREIRA MARIA DE FÁTIMA SANTOS LUCENA MARIA DE JESUS BOTELHO RAMOS MARIA DE LOURDES DA SILVA III MARIA DE LOURDES DE SOUZA MARIA DE LOURDES S. CERQUEIRA MARIA DE LOURDES SOUZA E SILVA MARIA DE LOURDES S. S. FERREIRA MARIA DE PAULA S. MENDES MARIA DE SOUZA SANTANA MARIA DINIZ LOOK MARIA DIVA C. S. ALMEIDA MARIA DO CARMO SANTANA MARIA DO PILAR FERREIRA MARIA GENI CAMPOS RIBEIRO MARIA INES SOARES FERREIRA MARIA ISABEL DA ROCHA KOTO MARIA IVÂNIA LOURENÇO GOMES MARIA IZABEL G. MARTINS MARIA JACIRA SANTOS NADÚ MARIA JOSÉ ALMEIDA MARIA JOSÉ CALDEIRA PINHEIRO MARIA JOSÉ CURSATI MARIA JOSÉ DE BARROS MARIA JOSE DE SOUZA MARIA JOSELE ALMEIDA SILVA MARIA LUCIA ARAUJO DO CARMO MARIA LUCIA P. SIQUEIRA CÂNDIDO MARIA LUIZA SOARES DE SÁ MARIA LUZETE DANTAS ALVES MARIA MARLUCIA S. SILVA MARIA NILZA D. DOS SANTOS MARIA PEREIRA RAMOS MARIA QUITÉRIA PEREIRA MARIA RITA DE ALMEIDA MARIA RODRIGUES ROSA MARIA ROSA DE ALMEIDA GUAZZI MARILDA M. G. DOS SANTOS MARILENE ALBUQUERQUE SILVA MARILEUDA BORGES MARINA FERREIRA DE ANDRADE MARINA SILVINO LUIZ MARIO RODRIGUES ROSA MARISA CLAUDIA DE ARAUJO MARISA RAMOS DOS SANTOS MARLENE FREITAS SILVA MARLENE INACIO DE S. CASARINO MARLENE LIMA DE ARAUJO MARLENE LOPES FARIA MORGADO MARLENE PEREIRA LEMES MARLI DIOGO DE MELO SILVA MARLLON AUGUSTO MATEUS DE FREITAS RUFINO MAURO DANTAS PEREIRA MAURO LUZ DE MOURA MAYARA MAGNA SILVA NAELIA APARECIDA RAMOS JARDIM NEUZA ARCANJO DA SILVA NILDA VIEIRA DOS SANTOS ODILA GARCIA DIRCE MACHADO DE SOUZA DOMINGOS E. DA SILVA EDER JERONIMO P. FRANCO EDILEUZA DE PAULA EDINALVA OLIVEIRA SANTANA EFIGÊNIA MARIA GOMES EFIGENIO TEODORO DA SILVA ELAINE DE FÁTIMA S. FRANCISCO ELIANA DE LOURDES PEIXOTO ELISANGELA AMARAL DOS SANTOS ELISÂNGELA HELEODORA DA SILVA ELIVAM JOSÉ DA SILVA ELIZABETE DE ARAÚJO SANTOS ELIZABETH ALVES DA CRUZ ELTON OLIVEIRA DOS SANTOS ELZA MARIA DE ARAUJO EUNICE ELZA DE DEUS EUNICE MARIA XAVIER EVANDRO DE SOUZA FABIANO XAVIER GONÇALVES FELIPE APARECIDO M. DA SILVA FERNANDA GOMES FERNANDA GOMES DA SILVA FLÁVIO COSTA ZEFERINO FRANCISCO ADERLOR UCHÔA FRANCISCO DAS CHAGAS RODRIGUES FRANCISCO DE SOUZA CAVALCANTE GABRIEL HENRIQUE M. GONÇALVES GABRIELA BRANDÃO DA SILVA GALDINO ALVES DOS SANTOS GENEROSA MARIA DE JESUS GENI MARIA DO CARMO GENIFA BANDEIRA DE ALMEIDA GILMAR SOUZA FERREIRA GILNECE MOREIRA DOS SANTOS HELENA D. DE CALDAS HELIA DAS DORES NETO REIS IORLANDO SIQUEIRA DOS SANTOS IRANILDA MARINHO IRLAN BARBOSA MOREIRA ISABEL NOGUERIA SANTOS IVERALDO DOS SANTOS IVONE SOARES DE SOUZA IZABEL DE SOUZA DEUS IZABELLA CAMILA L. DA SILVA JAINARA CANTANHEDE DE MORAIS JESUS RODRIGUES DA SILVA JOANA DARC DA SILVA ALVES JOÃO VALERIO DE OLIVEIRA JOCEANE R. SANTOS JOSE ANDRE DE SOUZA JOSÉ ANSELMO DE SOUZA JOSÉ CARLOS DA SILVA JOSÉ CAZUZA LEITE JOSÉ CUSTÓDIO DO NASCIMENTO JOSÉ DE FREITAS SILVA OLENCA CECILIA SOARES OLIVIA BEZERRA DA SILVA PAMELA NATALIA B. LIMA Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Página-11 ADELINA MOREIRA LEMOS ADERLANGE M. DOS SANTOS OLIVEIRA ADILMA SENA MACHADO AFONSO CELSO SANTOS AILTON RODRIGUES LARANJEIRA ALAILTON GOMES PEREIRA ALBERTINA DOS ANJOS COSTA ALTAMIRA FERREIRA DE LIMA ALZENORA ANGELIM DE SOUZA ANA AZEVEDO MOTA ANA CLAUDIA DINIZ DA SILVA ANA LUCIA DA SILVA ANA MARIA DA SILVA ANA SOARES DE SOUZA ANDERSON REIS COSTA ANDRE DE OLIVEIRA CALDAS ANDRÉ FERNANDES GOMES ANDREIA MARIA DA SILVA ANDRESSA XAVIER DA SILVA ANELITA MARIA DOS SANTOS ANTONIA PALÁCIO DE MORAIS ANTONIO ADEMIR VELASCO ANTONIO FELIPE DA SILVA ANTONIO JOSÉ DOS SANTOS ANTONIO PEREIRA TRINDADE ANTONIO S. R. E EDEUZITA DA CRUZ APARECIDA HELENA DOS SANTOS ARISTIDES RODRIGUES DA SILVA AURILENE CELESTE DE LIRA ARRUDA BENEDITA RITA DIAS CAIO DE LIMA COSTA CARLINDA VASCONCELOS DA SILVA CARLITO MARQUES DOS ANJOS CARMEM JULIA DA C. AQUINO CAROLINA FERNANDES FERREIRA CECILIA GOMES RIBEIRO CELINA DOS SANTOS CELINA RODRIGUES SANTANA CESARINA MARIA PROCÓPIO CHARLES LIMA DE OLIVEIRA CICERA SEVERINA DANJÓ CICERO CASSIANO LUIZ CINTIA ROCHA MESQUITA CASTRO CIRIACO FRANCISCO DE OLIVEIRA CLAUDINEIDE ANTUNES PALÁCIO CREILSON DA SILVA FREITAS DANIEL QUINTILIANO DE O. FILHO DARLENE PIRES DE PAIVA SOTI DELMIRO ANTÔNIO NERI DENILSON CELINO ROMERO DEOLINDA P. DE CARVALHO DILCILENE DE SOUSA ALMEIDA PAULO HENRIQUE DOS SANTOS PEDRO CARVALHO DOS SANTOS PEDRO LUCAS MORAIS QUITERIA FONSECA DE OLIVEIRA RAFAEL ALVES DIAS RAFAEL FERRAZ PEREIRA RAIMUNDO FERREIRA SANTOS RANIEL GOMES PORFIRIO DE DEUS REGILANE INES P. DANTAS REINALDO CHAVES GOMES REINALDO ELOI ACÁCIO REINALDO MENDES COSTA RITA REZENDE SANTOS ROBSON ALVES RIOS ROGERIO FRANCISCO DE SILVA ROSA PIVANTE MENDES ROSANGELA RODRIGUES MAIA ROSIDALVA JULIÃO ROZENITA JARDUS DOS SANTOS SALVADOR PEREIRA COSTA SEBASTIANA CARLOTA HELENA SEBASTIANA OLIVEIRA SOUSA SELMA A. P. DO NASCIMENTO SERGIO ANTONIO DE ARAUJO SERGIO FRANCISCO DE BARROS SEVERINO DINIZ DA SILVA SHEILA TEIXEIRA SILVA SIDNEY ARAUJO DOS SANTOS SILMARA DE OLIVEIRA CHAVES SILVANA CAPACCI SILVANA DE OLIVEIRA SILVA SILVANA MENDES SILVANO PAULO ROCHA SILVESTRE ROCHA DA SILVA SIMONE DE JESUS MARINHO SONIA M. CEU LICARIÃO CAVALCANTE SR. LEONOR DE ARAUJO ROCHA TADEU SEBASTIÃO DE LIMA THIAGO MELO CAVALIERI THIAGO REIS DE ALMEIDA SANTOS TIAGO CANDIDO TORRES TIAGO SOUTO SANTOS VALDELICE BARBOSA VALFREDO PORFIRIO DE DEUS VANESSA GOMES VANUZA DOS SANTOS GOMES VERA LUCIA DA CRUZ SANTOS VICENTE ANDRÉ DE CASTRO VILDA ALVES DA SILVA VINICIUS MOREIRA GAMA VITÓRIA MENDES DA SILVA WALLACE PEREIRA DA SILVA ZELINDA BORGES DE OLIVEIRA “Pagai integralmente os dízimos ao tesouro do templo, para que haja alimento em minha casa” (Malaquias 3, 10) www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 12

www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

Comments

no comments yet