Jornal Comunitário

 

Embed or link this publication

Description

O Samburá

Popular Pages


p. 1

O Samburá BARRA DE CARAVELAS, BAHIA - ANO VI - EDIÇÃO NÚMERO 66Tiragem 2.000 Exemplares jornalosambura@gmail.com MENSAL - Período de Setembro 2015 Estudantes barrenses do 3° ano do ensino médio desenvolvem projeto de beneficiamento da casca do camarão O projeto defendido pelos jovens tem como base o reaproveitamento dos resíduos de mariscos em especial a Casca do Camarão, que depois de beneficiada se transforma em farinha. Com essa ideia simples e altamente benéfica para o meio ambiente, eles venceram pela segunda vez a Feira Escolar. Página 08 Pescadores no período de defeso viram fiscais Página 07 Informe do Programa de Educação Ambiental no âmbito da Dragagem e da Resex Cassurubá. Página 04 Rapidinhas - Página 03 TVE exibe “Guardião de Abrolhos” sobre o Farol e a rotina da Marinha do Brasil Página 07 Poema de pescador Autor: Lierte Abreu Siquara . Página 10

[close]

p. 2

O Samburá “SEM MERENDA NÃO HÁ INDEPENDÊNCIA!” Foto: Rogerio Falcão O professor de teatro, Tairone Santos Porto, natural de Vitoria da Conquista – BA, morador a um ano em Caravelas, teve a coragem que muitos pais e professores não tiveram, quando reclamavam que seus filhos chegavam cedo em casa por falta de merenda escolar. Mas o professor não teve medo de expor sua indignação, tirando aplausos dos caravelenses, turistas e visitantes que assistiam o desfile cívico em Caravelas, ao verem num pedaço de papelão a escrita improvisada: “sem merenda não há Independência!” AMIGOS DO SAMBURÁ* Amarina Antunes Célia Siquara Cida Macário Corina Melgaço Ceça de Yayá Dadá Souza Emerson Barbosa Fábio Pinheiro Jose Esperidião Jorge Magalhães Jorge Oliveira Mª de Lourdes P. Inácio Marinalva Tavares Vanessa Santana *É Amigo do Samburá quem acredita na força da comunicação de base comunitária. Obrigado a todos por nos ajudar a produzir e divulgar esse importante veículo de comunicação da Comunidade de Barra de Caravelas. O Jornal Comunitário O Samburá surgiu entre um grupo de jovens da pequena comunidade de pescadores e pescadoras artesanais de Barra de Caravelas em 2009 e hoje tem distribuição gratuita mensal de 2.000 exemplares em toda região de Caravelas. ♦ Para saber mais visite o BLOG: http://jornalcomunitarioosambura.blogspot.com/ ou entre em contato: jornalosambura@gmail.com ♦ DIAGRAMAÇÃO: Robson Falcão ♦ REPORTAGEM: Adriene Coelho Edvaldo Souza e Robson Falcão ♦ IMAGENS: Robson Falcão, Girlândia Rodrigues, Resex♦ SUPERVISÃO: Antônio Emídio. ♦ Colaboradores nesta Edição: IBJ, Resex do Cassurubá, ICMBio, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Fibria Página 2 O Samburá

[close]

p. 3

O Samburá Projeto Na Rota da Música realiza oficina de Jovens músicos na comunidade da Barra de Caravelas Fotos: Vanessa Marley Centro de Visitantes do Parnam Abrolhos recebe estudantes da zona rural de Teixeira de Freitas Alunos da zona rural de Teixeira de Freitas atendidos pela ong PASPAS – Profissionais da Área de Saúde Promovendo Ações Sociais participaram de atividades de educação ambiental no Centro de Visitantes do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos no ultimo dia 21/09. A ong PASPAS existe desde 2001 e tem a finalidade de resgatar crianças, adolescentes e jovens que estão ociosos em casa ou nas ruas no horário oposto ao escolar oferecendo atividades educativas, culturais e profissionalizantes. Sete de setembro em Barra de Caravelas O Samburá Página 3

[close]

p. 4

O Samburá Informe do Programa de Educação Ambiental no âmbito da Dragagem e da Resex Cassurubá Monitoramento e Programas Ambientais relacionados à dragagem do acesso ao canal do Tomba - Caravelas/BA Os monitoramentos ambientais em andamento na região de Caravelas têm por objetivo propiciar o entendimento, o acompanhamento da evolução e a avaliação das condições ambientais do importante ecossistema da região. A realização de monitoramentos durante as obras de dragagem possibilita a verificação de possíveis impactos ao meio ambiente. Através destes, tem sido possível a manutenção de uma base de dados oceanográficos de longo prazo que tem permitido uma melhor compreensão da hidrodinâmica costeira e dos padrões de turbidez da região. As campanhas dos programas ambientais que monitoram as condições físico-químicas e biológicas, os perfis de praia, a hidrodinâmica e concentração de sedimentos em suspensão, a vitalidade dos corais, taxas de deposição nos recifes, banco camaroneiro, boto-cinza e área de descarte evidenciam que o impacto das atividades de dragagem no meio ambiente marinho da região tem sido pontual e reversível. No entanto, é notório o apelo da comunidade acerca de questões ambientais apontadas como causas do empreendimento, tornando necessária a reformulação e ampliação de alguns programas ambientais vigentes que serão executados a partir desta campanha de 2015/2016. Nas próximas edições vamos falar um pouco sobre cada um dos monitoramentos. Programa de Apoio à Atividade Pesqueira Após várias reuniões com as lideranças comunitárias das populações tradicionais e gestores da RESEX Cassurubá com a Fíbria Celulose foram estabelecidos os projetos do Programa de Apoio à Atividade Pesqueira, condicionante do licenciamento do empreendimento de dragagem de acesso ao Canal do Tomba (Licença de Operação n° 898/2009). A seguir citamos as propostas analisadas e aprovadas para entrar no orçamento do programa de compensação ambiental desta licença: Doação de 3.000 redes (0,35mm) EPI’s de mariscagem Sinalização do Canal do Largo e Barra Velha Centro Comunitário da Barra de Caravelas Centro Comunitário da Barra Velha Sede da AMTM Unidade de Refrigeração Coompescar Caminhonete 3x4 Coompescar Fábrica de Gelo Nova Viçosa Todos os itens dessa proposta significam grande ganho para a população, pois as ações foram construídas pelos extrativistas a partir de uma análise crítica sobre a própria realidade e sobre a compreensão dos impactos gerados pelo empreendimento da dragagem, gerando iniciativas que resultam no fortalecimento das comunidades. 12ª REUNIÃO DO CONSELHO DELIBERATIVO DA RESEX DE CASSURUBÁ A reunião foi realizada no dia 10 de Setembro de 2015, na comunidade do Caribê de Cima, localizado na zona ribeirinha de Caravelas. Houve a presença de comunitários e dos membros do Conselho. O Regimento Interno foi lido e aprovado com ressalvas; em seguida, através da atividade de pequenos grupos foi preenchida a matriz que define as prioridades para o Plano de Ação 2015/2016 do Conselho Deliberativo da Resex. Antes de encerrar a reunião foram aprovados dois Projetos que serão trabalhados nas comunidades da Resex : CONSELHEIROS DO FUTURO (Sobre crianças, comunidades e Meio Ambiente na Resex Cassurubá) e o Projeto CASSURUÇÁ (Um empreendimento solidário de comercialização do caranguejo-uçá na Resex Cassurubá). Página 4 O Samburá

[close]

p. 5



[close]

p. 6



[close]

p. 7

O Samburá TVE exibe a série “Guardião de Abrolhos” sobre o Farol e a rotina da Marinha do Brasil No dia 17 de setembro, a TVE Bahia exibiu o segundo episódio da Série Abrolhos. Idealizada e produzida pela emissora a série de documentários desvenda o arquipélago localizado a 70 quilômetros de Caravelas, convida o telespectador para conhecer as belezas naturais da região. Com linda fotografia e trilha sonora cuidadosamente escolhida, em total de 26 minutos o capítulo “O Guardião de Abrolhos” destaca a ilha de Santa Bárbara, a única da região habitada e a única que não faz parte do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos e que está sob jurisdição da Marinha. Por ordem do imperador Dom Pedro II, em 1861 foi instalado no local um farol, onde a Marinha do Brasil mantém uma guarnição. No episódio será mostrado o dia-a-dia dos militares que fazem um trabalho contínuo para que o farol, o verdadeiro guardião de Abrolhos, não pare de funcionar e esteja sempre protegido. FONTE: Texto de Ronildo Brito para TeixeiraNews. Pescadores no período de defeso viram fiscais Resex Cassurubá decidiu inovar nas atividades de proteção durante este período de defeso de camarão, que vai do dia 15 de setembro ao dia 31 de outubro. A inovação atende a uma das proposições feitas pelos conselheiros no Plano de Ação do Conselho Deliberativo da Resex. Os próprios pescadores foram convidados a apoiar a unidade nas atividades de monitoramento e conscientização ambiental. Tal medida se faz necessária, pois todos os anos alguns pescadores insistem em descumprir o período proibitivo, desta forma prejudicando a si mesmos e aos companheiros de pesca que respeitam a época de reprodução do camarão. Agora, a vida dos transgressores não ficou nada fácil, já que os próprios pescadores, notórios conhecedores do seu território de pesca, realizam duas rondas diárias, com duração de cinco horas cada uma delas, em horários variados e propícios a pesca. Os resultados aparece- Dinho, Antônio, Marcelo, Pinguelo, Roberto Carlos, Ernandes, Régis, Luizinho (No alto da esq/dir); ram imediatamente, já que no primeiro dia alguns barcos foram encontrados em vias de iniciar o arrasto de camarão, mas foram advertidos pelos companheiros quanto ao período proibitivo, desde então a notícia se espalhou por toda a cidade de Caravelas e nenhum outro barco foi encontrado praticando o arrasto na região do principal berçário do crustáceo. O pescador Roberto Carlos, um dos membros da equipe de conscientização ambiental, relata com boa dose de entusiasmo: “estava conversando no porto de Caravelas e vieram me perguntar sobre esse negócio dos pescadores estarem ajudando a cuidar do defeso, e eu disse que era isso mes- mo, que ninguém melhor que nós mesmos pra cuidar do que é nosso!”. Os pescadores, além de perceberem o resultado na melhora da proteção, estão se sentindo valorizados e responsáveis pela preservação do seu próprio território. Por: Marcelo Lopes/ Resex Foto: Resex O Samburá Página 7

[close]

p. 8

O Samburá Estudantes barrenses do 3° ano do ensino médio desenvolvem projeto de beneficiamento da casca do camarão alunos Erycles Oliveira Santos, Clemilson luz Cruz e Xerxes Lírio Franco, do 3° ano do ensino médio, foram vencedores da etapa da Feira de Ciência, realizada no colégio Estadual Polivalente de Caravelas. O projeto defendido pelos jovens tem como base o reaproveitamento dos resíduos de mariscos em especial a Casca do Camarão. Que depois de beneficiada se transforma em farinha. Com essa ideia simples e altamente benéfica para o meio ambiente, eles venceram pela segunda vez a feira escolar. No ano passado, quando estavam cursando o 2º ano do Ensino Médio eles contaram com participação do colega de sala Eddie da Silva Silva, sempre totalizando o número de três estudantes. E com esse novo resultado eles já foram selecionados mais uma vez para participarem da feira Nacional que acontece sempre no mês de Novembro em Salvado-BA. A nossa reportagem conversou com os jovens alunos que nos falaram um pouco do projeto. Samburá: Como é pra vocês desenvolver esse projeto, que parece simples, mas que tem dado um resultado tão importante? Para mim é um grande prazer participar desse projeto, porque nós visamos contribuir com nossa sociedade a partir de iniciativas simples, mas que traga oportunidades de melhorias. Disse Erycles Santos. Samburá: O que é, e, como funciona esse projeto? Nosso projeto é algo bem simples, sendo necessária somente a utilização da casca do camarão, que são jogadas em qualquer lugar, na temporada da pesca. E com isso nós visamos diminuir a quantidade de lixo nas ruas de nosso Povoado. Falou Erycles Santos. “O próximo passo agora é Por: Edvaldo Souza Os Samburá: como surgiu a ideia desse projeto? A ideia do projeto veio através da professora Aniela, que foi nossa orientadora no Colégio Polivalente de Caravelas, ela nos ajudou e sugeriu que fizéssemos uma pesquisa em nossa comunidade, na Barra de Caravelas, e a principal pergunta foi: Quais os maiores problemas que temos na área pesqueira e marítima em nossa cidade? Então elas disseram que era o lixo produzido pelas cascas do camarão que são jogadas na praia. Daí surgiu à ideia de procurarmos uma forma do beneficiamento desse dejeto. Falou Xerxes Franco Segundo os estudantes esse é um projeto conhecido por algumas pessoas, e o que eles desejam agora é fazer com que outras camadas da sociedade saibam que tudo do camarão tem proveito e que ainda pode trazer algum lucro para eles. expandi-lo. Queremos apresentar as marisqueiras e pescadores, ou seja, aos profissionais que já trabalham com esse tipo de esse produto, porque com isso, além de estarmos contribuindo com a melhoria do nosso ambiente podemos através dessa iniciativa criar uma nova fonte de renda.. Inclusive como nós falamos, começamos a levar nosso projeto para a comunidade, apresentamos a farinha para algumas pessoas, não como se faz, nós levamos o produto, algumas pessoas já conheciam, tipo: Vilma tritura a farinha, já usava em alguns pratos. Tem seu Tico, como ele já fez, ele tem até comprador certo, nós fomos atrás da farinha dele, pra comparar com a nossa. Parcerias: nós temos algumas parcerias eles estão nos ajudando a tentar vender o produto. Como falei, pode ser uma nova fonte de renda pra sociedade.” Disse Erycles Santos. Página 8 O Samburá

[close]

p. 9



[close]

p. 10

Poema de pescador Não sou um escritor mas me sinto um amador! Olhe por favor não deixe passar despercebido só por ser um pescador. Leia e divida a magia da leitura com o pescador. Viajo no mar, também gosto de viajar neste mundo. O teu mundo sem fronteira. Num instante de sinceridade, existem vidas eternas. Lierte Abreu Siquara Foto: WEB Anuncie Anuncie Aqui! Aqui!

[close]

Comments

no comments yet