Trombeta n08 2011

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

informativo da associaÇÃo sancaetanense emÍlia alfredo manganotti ­ aseam ­ ano 3 nº 8 abril/2011 população não quer parque de concreto quer continuar com suas árvores a população de são caetano tem demonstrado que não vai mais aceitar qualquer tipo de decisão da prefeitura sem uma ampla discussão um exemplo foi a mobilização iniciada em 2009 contra a derrubada das árvores do canteiro central da avenida tijucussu no bairro olímpico a aseam conseguiu liminar para impedir que a prefeitura fizesse na via o chamado parque linear como o que já existe na avenida kennedy para tanto as árvores seriam derrubadas não fosse a atuação da associação juntamente com os moradores Árvores da tijucussu sÃo preservadas cidade é considerada a mais poluída pág 02 confira o que a aseam já fez pelo meio ambiente pág 02 prefeitura insiste nas obras e muda trânsito para rua que não tem estrutura para o tráfego pág 03 decisão é confirmada prefeitura não pode tocar nas árvores pág 04

[close]

p. 2

veja o trabalho da aseam na defesa do meio ambiente o x da questÃo a onu recomenda 12 metros quadrados por habitante de área verde a aseam desde há muito tempo faz requerimentos para saber o grau de arborização da cidade mas não tem respostas imagina-se que não haja nem 2 de áreas verdes na cidade o jornal folha de são paulo já abordava o problema em 2008 quando fez matéria afirmando que são caetano do sul tem o ar mais poluído do estado a cidade sofre com excesso de ozônio monóxido de carbono e dióxido de nitrogênio é a única zona de são paulo em que a concentração deste último poluente é classificada como saturada além disso a poeira fina causa problemas principalmente em idosos o presidente da sbc sociedade brasileira de cardiologia antonio carlos chagas disse à folha que a poeira fina no ar é responsável por diversas doenças ligadas ao coração e isso atinge principalmente as pessoas da terceira idade e boa parte da população de são caetano é idosa dados do ibge do ano de 2000 mostram que 16 da população da cidade é composta por idosos esse número é quase o dobro da média brasileira o dobro também da média da região do abc pode-se facilmente comprovar a poluição ao verificarmos a avenida goiás por volta das 5 horas da manhã quando o movimento de caminhões de ônibus fretados e urbanos é intenso esses veículos deixam uma enorme quantidade de gases poluentes como o dióxido de carbono na nossa atmosfera os moradores já estão se conscientizando da importância de manter as áreas verdes no lugar de se abrir grandes avenidas um exemplo disso aconteceu no ano passado quando um grupo de moradores se postou diante de tratores e operários para impedir que as árvores da avenida tijucussu fossem derrubadas a aseam entrou em mais essa luta e promoveu ação no judiciário conquistando liminar e sentença para que nenhuma árvore daquela avenida ou da praça osvaldo martins salgado seja derrubada nós da aseam nos orgulhamos dos moradores da região da kennedy e da tijucussu que com coragem se expressaram para defender seus direitos e a cidadania eder xavier presidente da aseam ver-nos-emos sempre em vitórias associaÇÃo sancaetanense emÍlia alfredo manganotti ­ aseam quando se trata de meio ambiente a aseam já realizou uma série de ações tanto na defesa das áreas verdes quanto na fiscalização de empreendimentos que causam impacto na vida das pessoas veja a seguir algumas das mais importantes ações propostas pela entidade nesta área a aseam contestou em 2007 as obras da praça di thiene e conseguiu na justiça um acordo para a compensação ambiental diante das árvores que foram retiradas também evitou a derrubada total de árvores na escola municipal infantil fernando pessoa salvando oito delas a aseam demonstrou perante o judiciário que o mega empreendimento espaço cerâmica não tinha apresentado quando de seu registro fundada em 16 de setembro de 2004 aseam rua amazonas 363 conj 43 centro são caetano do sul são paulo 09520-070 cnpj 07.786.915/0001-13 e-mail faleconosco@aseam.org.br jornalista responsável alessandra tapi mtb 36.550 · tiragem 5 mil exemplares acesse o site e obtenha diariamente novas informaÇÕes distribuiÇÃo gratuita www.aseam.org.br na prefeitura os devidos estudos de impacto ambiental a entidade apresentou dois laudos que comprovam que as obras de alteamento do terreno vão influenciar no agravamento das enchentes a aseam propôs ação civil pública e conquistou através da justiça que seja construído dentro do empreendimento um piscinão com três mil e trezentos metros cúbicos para reservar as águas de enchentes isso vai preservar os moradores dos bairros vila são josé e jardim são caetano ainda por conta desta ação durante o debate jurídico por conta dos estudos de impacto ambiental e de vizinhança as obras ficaram paralizadas de novembro de 2009 a fevereiro de 2010 essas foram vitórias da aseam 2

[close]

p. 3

agora os vizinhos da rua benito campoi é que sofrem com o desvio do trânsito parece que os moradores do entorno da avenida tijucussu no bairro olímpico estão pagando seus pecados não bastassem as dificuldades que passaram no último ano com a ameaça da derrubada de árvores do canteiro central da via para dar lugar a um parque de concreto agora as intervenções na praça osvaldo martins salgado também conhecida como praça dos imigrantes fizeram o trânsito ser desviado para a pequena rua benito campoi em poucos dias os problemas surgiram casas estão apresentando rachaduras por causa do tráfego intenso inclusive de veículos pesados a prefeitura deveria saber mais do que qualquer um que a via não comporta o trânsito que antes passava pelo corredor kennedy/tijucussu há poucos dias um acidente grave aconteceu um veículo acabou batendo em uma curva e atingiu carros de moradores da rua que estavam estacionados junto à calçada o acidente aconteceu durante a noite e moradores postaram no site de vídeos na internet a imagem de uma câmera de segurança que flagrou o acidente veja o vídeo no link http www.youtube com/watch?v=ucaokqgrquc os moradores inconformados constituíram advogado e foram à justiça contra a prefeitura no último dia 16 de fevereiro a juíza valéria pinheiro da 4ª vara cível de são caetano determinou que a prefeitura de são caetano apresentasse os estudos de impacto de meio ambiente e de impacto de vizinhança para justificar a mudança no viário daquela região há 53 anos no local e um dos primeiros moradores do bairro genezio lino da cruz de 77 anos disse que antes da obra na praça a rua era tranqüila e alerta para um problema estrutural da rua benito campoi e das casas antes aqui era um terreno charco tinha um rio que passava por aqui tanto que se cavar meio metro já aparece água então a rua não vai suportar por muito tempo o trânsito intenso e movimento de caminhões e ônibus isso já pode ser visto nas casas várias já apresentam problemas a minha tem rachaduras na parte da frente e no quarto ainda não vejo um risco grave mas já me causou grande prejuízo comenta o septuagenário que vive no imóvel com a esposa cruz aponta ainda a dificuldade de se tirar o carro da garagem ele diz que como o movimento é intenso os moradores não conseguem fazer a manobra da faixa da esquerda virando para a direita e acessarem as garagens desrespeito aos moradores gera transtorno para regiÃo as vezes o prefeito me irrita temos que levantar às cinco horas da manhã quando o trânsito é menor para tirar o carro e deixar na rua até a hora de sair todo dia é a mesma coisa reclama a prefeitura tem que dar publicidade aos seus atos fazer audiências e apresentar os estudos aos moradores nós da aseam desconhecemos a existência deste procedimento que é exigido por lei disse o diretor da aseam daniel pastorin a aseam não é contra o projeto do parque linear trata-se apenas de uma questão ambiental que tem que ser respeitada pondera o diretor jornais de destaque mostram os males da poluiÇÃo da cidade 3

[close]

p. 4

populaÇÃo se uniu contra ameaÇa ao meio ambiente sem consultar ninguém o prefeito de são caetano decidiu que ia ampliar o parque linear da avenida kennedy entrando pela avenida tijucussu e praça osvaldo martins salgado não fez audiência pública nos termos em que se exige a lei para saber o que a população pensava a respeito em uma reunião com a comunidade do bairro olímpico ele anunciou o parque linear e a maioria da população que há muitos anos convive com um pouco de natureza próxima de casa se viu acuada já que o tal parque teria que ser feito no canteiro central onde estão as árvores a aseam questionou o projeto e entrou com ação civil pública em sua defesa o prefeito criticou a aseam dando a entender que a entidade o persegue mesma técnica usada em outras ações contra a associação e seus membros vejam o que sustentou a advogada da prefeitura o prefeito alegou estar em seus futuros projetos o de realizar na tijucussu um parque linear faz parte da sua pretensão até o término do mandato não há por hora qualquer projeto para ser colocado em prática a aseam em sua sanha de criticar o prefeito resolveu representar até contra sonhos sustentou a prefeitura sonhos uma prefeitura não trabalha com sonhos e sim com projetos e procedimentos para que o dinheiro do cidadão seja bem aplicado apesar de justificar que o parque não passava de um sonho a prefeitura contratou uma empresa para realizar o projeto ao custo de r 70 mil em novembro de 2009 o juiz dagoberto jerônimo do nascimento e o promotor de justiça do meio ambiente julio abud mantiveram o efeito da liminar pedida pela aseam mas desdobramentos aconteceram em julho do ano passado a prefeitura levou máquinas para o local eles tentaram fazer intervenções na praça osvaldo martins salgado moradores se organizaram e fizeram um protesto a aseam foi avisada e ao constatar o problema a diretoria da entidade recorreu à justiça que concedeu imediatamente a extensão da liminar que já protegia o canteiro central para praça as máquinas e os operários tiveram que ir embora confirmado Árvores da tijucussu e praÇa vÃo ficar em janeiro deste ano veio a sentença o juiz dagoberto jeronimo do nascimento determinou que nenhuma espécie arbórea pode ser suprimida do canteiro da avenida tijucussu ou da praça osvaldo martins salgado se a prefeitura o fizer terá que pagar uma multa de r 50 mil por dia para cada árvore derrubada a prefeitura também teve que arcar com as custas processuais o ministério público também já havia se pronunciado sobre o assunto sendo favorável à liminar concedida inicialmente a batalha iniciada em 2009 agora teve seu desfecho com mais uma vitória da população amparada pela aseam agora para não deixar de cumprir a sua palavra o prefeito alterou o projeto inicial e vai fazer na tijucussu a continuação do parque linear da avenida kennedy mas sem derrubar as árvores será um tipo de ciclofaixa com dias e horários determinados para funcionar embora não haja nenhuma indicação disso a prefeitura alegou recentemente em matéria publicada no diário do grande abc que a vegetação terá até um aumento de 35 na região ninguém sabe ainda onde essa vegetação está ou estará a questão principal é que agora há uma sentença que determinou que na tijucussu e na praça não se pode mais tirar as árvores destacou o diretor da aseam daniel pastorin que acompanha o caso de perto desde o início segundo pastorin sem a ação civil pública promovida pela aseam as árvores dos dois locais já não existiriam mais a avenida ficaria igual a avenida kennedy que é chamada pela prefeitura de parque linear mas que na verdade é um calçadão de concreto cercado de asfalto a prefeitura pode mexer desde que respeite a decisão judicial e não retire nenhuma árvore destaca entre nesta luta pela transparÊncia acesse o site e confira inúmeras outras ações praticadas pela aseam www.aseam.org.br 4

[close]

Comments

no comments yet