48

 

Embed or link this publication

Description

48

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3



[close]

p. 4

Editorial Diretoria Presidente: Domingos Martins Vice-presidente: Claudio de Oliveira Secretário: Olavio Lepper Tesoureiro: João Roberto Welter Suplentes: Luiz Adalberto Stabile Benicio, Ciliomar Tortola, Vallter Pitol e Roberto Kaefer Conselheiros fiscais Efetivos: Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro, Dilvo Grolli e Edno Guimarães Suplentes: Rogerio Wagner Martini Gonçalves, Celio Batista Martins Filho e Marcos Aparecido Batista Delegados representantes efetivos: Domingos Martins e Luiz Adalberto Stabile Benicio Suplentes: Ciliomar Tortola e Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro Fundamento O rigor sanitário da indústria avícola brasileira é o seu pilar de sustentação. Enquanto outros grandes produtores mundiais enfrentam problemas com surtos de gripe aviária e demais enfermidades, o Brasil continua a oferecer um produto feito sob altíssimos padrões de qualidade sanitária. E mais do que isso. Continua olhando à frente para modernizar seus procedimentos, gerando inovações e segurança reforçada para nossa indústria. Prova disso é que, conforme você acompanha na página 20 desta edição da Avicultura do Paraná, neste momento em que aves migram do Norte ao Sul, passando pelo Brasil em direção à Patagônia, entidades brasileiras estão atentas e unidas, trabalhando fortemente na prevenção da introdução do vírus no país. Com isso, a carne de frango produzida pelo Brasil, que já é exportada para mais de 155 países, permanece como um produto de alta qualidade para os nossos parceiros internacionais. Como, por exemplo, para a China, que embora tenha enfrentado turbulências recentemente em seu mercado de ações, deverá continuar sendo um importantíssimo comprador da indústria avícola brasileira. Assunto que você confere com mais detalhes em nossa matéria de capa desta edição, a partir da página 24. É por isso que gosto sempre de ressaltar: produzimos a melhor carne de frango do mundo. Uma boa leitura e um abraço. Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná Av. Cândido de Abreu, 140 - Salas 303/304 Curitiba/PR - CEP: 80.530-901 Tel.: 41 3224-8737 | sindiavipar.com.br sindiavipar@sindiavipar.com.br Fale conosco Se você tem alguma sugestão, crítica, dúvida ou deseja anunciar na revista Avicultura do Paraná, escreva para nós: revista@sindiavipar.com.br. Ed. nº 48 - Set/Out 2015 Domingos Martins Presidente do Sindiavipar Expediente Produção: Centro de Comunicação centrodecomunicacao.com.br selo SFC Jornalista responsável: Guilherme Vieira (MTB-PR: 1794) Colaboração: Allan Oliveira, Bruna Robassa, As matérias desta publicação podem ser reproduzidas, desde que citadas as fontes. Isadora Nicastro, Isabelle Kolb e Mônica Seolim Design e diagramação: Cleber Brito Comunicação e Marketing: Mônica Fukuoka Impressão: Maxi Gráfica Camila Castro, Gabriela Titon, Foto: Sindiavipar

[close]

p. 5

14 Entrevista MÁRIO LANZNASTER Com a chegada da Aurora Alimentos, o Paraná fortalece ainda mais sua posição de destaque na produção avícola. O presidente da cooperativa, Mário Lanznaster, concedeu uma entrevista à revista Avicultura do Paraná para falar sobre as perspectivas de investimento no estado. Seções Agenda..................................................06 Observatório........................................06 Sindiavipar..........................................08 Na mídia................................................10 Radar.................................................12 Fiep......................................................13 18 Logística Entrevista............................14 MAIS EMBALO? Lançado recentemente pelo Governo Federal, a segunda etapa do Programa de Investimento em Logística (PIL) prevê recursos na ordem de R$ 198,4 milhões, mas analistas apontam dificuldades para que os projetos saiam efetivamente do papel. Eventos.................................................16 Logística..............................18 24 Capa OPORTUNIDADES E DESAFIOS Gigante asiático oferece possibilidades de expansão para o comércio com o Brasil, mas também desafios aos parceiros interessados, que precisam ter cautela a partir do atual momento econômico. Sanidade...............................................20 Capa.....................................24 Artigo técnico.....................................30 Bem-estar..........................................34 Mercado...............................................36 Associados............................................38 Anuncie na revista Avicultura do Paraná Mônica Fukuoka Gerente de Comunicação e Marketing: marketing@sindiavipar.com.br (41) 3224-8737 Serviços............................................40 Mito ou verdade..................................42 Energia..................................................44 Rastreabilidade...................................46 Notas e registros..................................48 Estatísticas...........................................50 Sugestões de pauta e releases revista@sindiavipar.com.br

[close]

p. 6

Agenda Eurotier 2015 Data: 11 a 14 de novembro de 2015 Local: Hannover - Alemanha Realização: AHK - Deustsch - Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha Informações: (49 69) 2478 - 8265 Site: eurotier.de BNDES apoia cooperativa paranaense O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 59 milhões à Coopavel Cooperativa Agroindustrial para investimentos na produção de suínos e aves no Oeste do Paraná. I Congresso de Zootecnia de Precisão Data: 19 e 20 de novembro de 2015 Local: CentroSul - Florianópolis (SC) Realização: Instituto Oswaldo Gessulli E-mail: congressozootecnia@iog.org.br Informações: (11) 2118-3133 Site: zootecniaprecisao.com.br Os recursos BNDES são provenientes do Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária (Prodecoop) e representam 84,8% do total a ser investido no projeto, que contempla a implantação de uma unidade produtora de leitões (UPL) em Cascavel e na expansão dos matrizeiros de aves em Santa Tereza do Oeste e Lindoeste. Com prazo de conclusão previsto para junho de 2017, a Coopavel prevê a criação de 300 postos de trabalho durante a execução do projeto. Após a conclusão, deverão ser gerados 115 empregos, expandindo o quadro de funcionários da cooperativa para 5.012. Show Rural Coopavel 2016 Data: 1 a 5 de fevereiro de 2016 Local: BR 277 KM 577 – Cascavel (PR) Realização: Coopavel Informações: (45) 3225-6885 Site: showrural.com.br Brasil responde por 40% das exportações avícolas Há dez anos o Brasil trabalha para manter a posição de líder no ranking mundial de exportação de carne de frango. A qualidade, sanidade e preço contribuíram para o aperfeiçoamento do setor que hoje leva o produto para mais de 155 países. Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Brasil responde por aproximadamente 40% da carne exportada no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o mercado mundial de frango segue competitivo e os Estados Unidos ocupa o segundo lugar no ranking de exportação do produto com 28%, em terceiro a União Europeia 9% e em quarto a Tailândia e China com 4% das vendas. 6 | sindiavipar.com.br Anutec Brazil 2016 Data: 2 a 4 de agosto de 2016 Local: Curitiba (PR) Realização: Koelnmesse Informações: (41) 3068-0102 Site: anutecbrazil.com.br Quer divulgar seu evento aqui? Entre em contato conosco pelo e-mail revista@sindiavipar.com.br ou ligue (41) 3224-8737.

[close]

p. 7

Observatório Evento debate peso crescente da economia agroindustrial Com o tema “Sociedade Urbana, Economia Rural”, o 3° Fórum de Agricultura da América do Sul (Agricultural Outlook Forum 2015) será realizado em Curitiba, nos dias 12 e 13 de novembro, no Museu Oscar Niemeyer. A mudança do perfil populacional mundial, que desde 2008 tem mais moradores nas cidades do que em áreas rurais, e seus impactos para o desenvolvimento econômico dos países, será o fio condutor dos debates. De acordo com dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o movimento global de urbanização deverá crescer até 2030, quando 60% dos consumidores estarão vivendo nas cidades. Nesse contexto, o Outlook Fórum 2015 trará 16 temas, divididos entre painéis simultâneos e grandes conferências, para abordar os desafios de um cenário urbano que depende cada vez mais da economia rural. Mais informações, acesse: agrooutlook.com. Alltech investe em universidades brasileiras Por meio de investimentos trimestrais nos próximos cinco anos, a Alltech do Brasil vai disponibilizar um total superior a U$ 1,2 milhão, cerca de R$ 4 milhões, em pesquisas para inovação na área de nutrição animal. A parceria foi firmada em um primeiro momento com duas instituições que contarão com o aporte financeiro para aplicar no desenvolvimento das pesquisas propostas por cada uma, bem como na infraestrutura necessária para viabilizar os estudos. São elas a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Polo Regional Alta Mogiana. Cada contrato assinado pela Aliança Universitária da Alltech receberá o investimento durante o período de cinco anos, além de investimentos que a própria Alltech fará. Com a coordenação da professora adjunta do departamento de Zootecnia, Melissa Hannas, a UFV aplicará os recursos para determinar as exigências nutricionais de microminerais de fontes orgânicas e inorgânicas para aves e suínos. sindiavipar.com.br | 7

[close]

p. 8

Associe-se! Porque juntos somos mais fortes! Sindiavipar parabeniza presidente reeleito da Fiep O Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar) parabeniza o presidente reeleito, Edson Campagnolo, para a direção da Federação das Indústrias do Estado do Paraná. Campagnolo acredita que o consenso em torno da chapa é reflexo do trabalho realizado nos últimos quatro anos, somado à necessidade de união de todo o setor produtivo para superar a crise atravessada pelo país atualmente. “O fato de este grupo estar sendo reconduzido à direção da Fiep mostra que a avaliação do trabalho é altamente positiva”, disse. “E, mais do que nunca, os empresários industriais devem estar unidos em uma grande frente para que sejam adotadas medidas que criem um ambiente favorável ao empreendedorismo no Paraná e no Brasil, o que justifica o nome de nossa chapa, Fiep Unida e + Forte”, completou. Mais informações: sindiavipar.com.br | (41) 3224-8737 8 | sindiavipar.com.br

[close]

p. 9

Trabalhos para a Logística Reversa O mês de setembro foi dedicado para o projeto de Logística Reversa, no qual o Sindiavipar vem atuando fortemente para que todas as associadas estejam com suas obrigações perante a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema) em dia. Com o comitê criado e as tarefas em andamento, o grupo está em fase de coleta de dados dos abatedouros para que sejam encaminhados às empresas de consultoria para implantação do projeto no estado. Foram apresentadas duas opções de projeto, uma do Sindibebidas, que já possui o plano em andamento com os seus associados no estado. Após isso, o comitê de Logística Reversa do Sindiavipar e Sindicarne se reuniu para conhecer a proposta de Gestão Integral de Resíduos Sólidos que o Sesi e o Senai apresentaram com o objetivo de fornecer assessoria técnica para Elaboração do Plano de Logística Reversa, considerando os critérios do Edital de Chamamento no 01/2012. O comitê de Logística Reversa aguarda uma reunião prevista para o mês de outubro para definição de quais serão os próximos passos. Jantar do Galo vem aí O Sindiavipar e o Grupo GTFoods irão comemorar as conquistas da avicultura paranaense com uma grande festa: o Jantar do Galo 2015. O evento ocorre no dia 20 de novembro, a partir das 19 horas, em Maringá (PR). Para o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins, o bom fechamento de 2015 representa a consolidação de um trabalho de longo prazo da cadeia com investimentos em tecnologia, bem-estar animal e sanidade. “Os números recentes de nossa indústria, que bate recordes continuamente, confirmam o trabalho ímpar realizada pela avicultura do Paraná. E precisam ser celebrados”, afirma. A solenidade irá contar com a presença de industriais, produtores, autoridades e jornalistas. sindiavipar.com.br | 9

[close]

p. 10

Sindiavipar na mídia Ação forte A partir desta edição da Avicultura do Paraná, a seção ‘Sindiavipar na mídia’ trará os principais resultados em mídia espontânea conseguidos pelo sindicato em sua missão de conquistar mais representatividade para a avicultura paranaense. A mídia espontânea é caracterizada quando o espaço dado à instituição no veículo de comunicação é incluído no âmbito editorial sem quaisquer custos. Isto é: quando a avicultura do Paraná se torna notícia. Para efeitos de mensuração desses resultados, utilizam-se as tabelas comerciais dos veículos para que haja um paralelo numérico do quanto seria necessário investir caso o mesmo espaço de mídia tivesse que ser comprado. No caso do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), entre julho e agosto deste ano, houve um retorno de mídia espontânea superior a R$ 3 milhões de reais, entre assuntos que variaram desde as reivindicações por soluções para o alto custo da energia elétrica até a comemoração do Dia do Avicultor. Confira ao lado mais detalhes: Sindiavipar contribuíu para soluções em âmbito nacional Julho: Em julho, o Sindiavipar foi uma das fontes mais procuradas para o debate de duas pautas: o de crescimento da avicultura, que segue na contramão da crise, e a penalização que a atividade sofre com os reajustes tarifários, sobre os quais o sindicato se posicionou na imprensa veementemente contra. Para além dos números, o resultado também é prático: a Seab-PR e a Copel recentemente anunciaram que estão desenvol- Retorno de mídia - Julho Tipo Jornal Online Revista Rádio TV TOTAL Quantidade 15 167 2 1 3 188 Valor (R$) 324.871,00 594.730,00 78.652,00 1.200,00 1.202.192,64 2.201.645,64 Jornal Online Revista Rádio TV 10 | sindiavipar.com.br

[close]

p. 11

Sindiavipar na mídia vendo planos para atenuar os impactos do custo da energia elétrica para a avicultura paranaense. (Leia mais na página 44). Foram mais de 200 notícias veiculadas entre os principais veículos de comunicação do Brasil, entre eles o Valor Econômico, a Gazeta do Povo e o programa Globo Rural. Agosto: No mês de agosto, o Sindiavipar foi convocado pelo canal Terra Viva, do grupo Bandeirantes, para uma entrevista sobre o Dia do Avicultor, comemorado em 28 de agosto. A conversa destacou os principais benefícios que o sistema de integração permite aos avicultores parceiros, ressaltando a distribuição de renda proporcionada pela avicultura entre todos os seus elos de cadeia produtiva. Não é à toa que, entre as cidades mais bem colocadas do Paraná no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Organi- zação nas Nações Unidas (ONU), a avicultura figura com grandes planteis na maioria delas. Neste mês, foram mais de 100 notícias veiculadas entre veículos com grande força regional, como a Folha de Londrina e Diário dos Campos, e outros de âmbito nacional, como o já citado Terra Viva. Além disso, a Confederação Nacional de Agricultura (CNA) utilizou os dados do Sindiavipar como forma de reforçar o bom momento do agronegócio brasileiro, mesmo em meio ao cenário adversativo da economia nacional. Retorno de mídia - Agosto Tipo Jornal Online Revista Rádio TV TOTAL Quantidade 15 96 1 1 2 115 Valor (R$) 181.833,00 296.170,00 3.240,00 885,50 625.739,20 1.107.867,70 Jornal Online Revista Rádio TV sindiavipar.com.br | 11

[close]

p. 12

Radar As exportações avançaram muito. Isso porque investimos em tecnologia e enfrentamos as dificuldades que antes não enfrentávamos. Tecnologia e gestão têm sustentado o agro. Mas falta estrutura e uma estratégia consistente que permitam atender a demanda mundial Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura durante o governo Lula Estamos ganhando a confiança de outros países, inclusive depois da decisão chinesa de abrir o mercado à nossa carne Kátia Abreu, ministra da Agricultura, sobre o impacto das relações Brasil-China para o comércio exterior brasileiro Não há mais áreas para crescer no estado. A expansão é pontual, em áreas de pastagem ou sobre cultivos com menor abrangência Edmar Gervásio, técnico da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab-PR), sobre o aumento de 2% na área para o cultivo de soja para a safra 2015/16 Estamos em uma fase em que temos que exportar. O que eu quero é menos peso e mais dólar Francisco Turra, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em referência à necessidade do Brasil de agregar valor aos seus produtos 12 | sindiavipar.com.br

[close]

p. 13

Fiep Mais competitividade Programas garantem maior seguridade às empresas com a diminuição de riscos Desde 1994, o Sesi Paraná oferta serviços e produtos na área de segurança e saúde no trabalho, em especial o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO). Somente este ano, 5.254 empresas contaram com a consultoria do Sesi para implantação dos programas. Esse número representa 229.780 trabalhadores impactados com ações de saúde e segurança. “O PPRA e o PCMSO são documentos dinâmicos e poderosas ferramentas de gestão da área de segurança e saúde no trabalho, por isso, devem estar em constante avaliação”, diz Dalton Toffoli, engenheiro de segurança do trabalho do Sesi Paraná. A sede do Sindiavipar, por exemplo, é um dos locais em que os programas estão sendo implantados. O PPRA é elaborado por engenheiro de segurança do trabalho ou técnico de segurança do trabalho e está voltado para controlar as ocorrências de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais. Já o PCMSO é elaborado por médico do trabalho e deve ser planejado e implantado com base nos riscos à saúde dos trabalhadores, especialmente nas avaliações previstas nas normas regulamentadoras. O Programa visa realizar uma minuciosa e individual avaliação médica ocupacional dos trabalhadores, diretamente relacionada às suas condições de trabalho. Objetiva prevenir, rastrear e fazer o diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho, evitando gastos excessivos para a empresa com ações judiciais, multas do MTE dentre outras. A experiência do Sesi na implantação dos programas mostra que o retorno para as empresas vem na forma de: prevenção e redução dos acidentes e doenças; proteção a integridade física e mental dos trabalhadores; educação para a adoção de sindiavipar.com.br | práticas preventivas; diminuição do absenteísmo; melhoria continua dos ambientes de trabalho; atendimento aos requisitos da legislação; eliminação dos danos patrimoniais; redução do prêmio das seguradoras; entre outros. “Os programas são adaptáveis para cada segmento industrial já que as empresas são diferentes e, consequentemente, o conteúdo dos programas devem ser diferentes”, acrescenta o Engenheiro de Segurança do Sesi. Atualmente, 9 empresas associadas ao Sindiavipar estão implantando os programas PPRA e o PCMSO com consultoria do Sesi. Quem quiser conhecer um pouco mais sobre os programas, pode entrar em contato com as mais de 40 unidades Sesi espalhadas por todo o Paraná. 13

[close]

p. 14

Entrevista No centro da produção Desde abril deste ano, a Cooperativa Central Aurora de Alimentos, de Chapecó (SC), administra a unidade industrial de aves da Cocari Cooperativa Agropecuária e Industrial, de Mandaguari, por meio de um acordo de intercooperação. A empresa paranaense se tornou a 13ª cooperativa filiada do conglomerado catarinense e tem a missão de impulsionar o crescimento da companhia no setor aví- Aurora aproveita oportunidades, chega ao Paraná, e planeja crescimento no segmento avícola cola. Nesta entrevista à revista Avicultura do Paraná, Mário Lanznaster, presidente da Aurora, conta um pouco mais sobre a entrada no principal estado produtor e exportador avícola do Brasil e quais os planos da cooperativa. Para ele, a carne de frango ainda tem bastante potencial para se expandir nos próximos anos, uma vez que a demanda pelas exportações tem crescido em virtude do aumento mundial do consumo da proteína animal. É por isso que, embora tenha chegado ao apenas a recentemente Paraná, Aurora já conta com projetos para duplicar a atual que unidade, chegaria a produzir 360 mil aves/dia, figurando entre as maiores do estado. Avicultura do Para ná: Qual a importância para a com-

[close]

p. 15

Entrevista panhia em ter operações no estado do Paraná? Mário Lanznaster: A empresa está em expansão, principalmente no setor de aves, por isso acreditamos que a oportunidade foi boa. O estado do Paraná tem uma extensão territorial enorme, com uma boa produção de milho e soja e ótimo clima. A entrada no estado abre portas para expansão e investimento futuros na região. A entrada no estado abre portas para expansão e investimentos futuros na região mundo em breve, quais são as estratégias para esse produto? O frango ainda tem limite para você trabalhar com crescimento por muitos anos. Isso porque o mundo inteiro, seja China, Índia, Paquistão, todos têm necessidade dessa proteína. Além os próximos anos? E especialmente no Paraná? Este ano, a Aurora investiu bastante. Compramos uma unidade industrial de suínos da antiga Chapecó, incorporamos a unidade industrial de aves da Cocari e ainda investimos fortemente em indústria de presuntaria em Mato Grosso do Sul, o que envolveu meio bilhão. No momento, nosso planejamento é preservar e cuidar do que já temos para que caso surja uma oportunidade, possamos aproveitar. da população desses países apresentar cada vez mais poder aquisitivo. A conversão alimentar de frango é de 1.7 por 1, não tem rejeição por religião nenhuma, por país nenhum. Por isso a Aurora está com foco especial nesse segmento. A estratégia é ofertar essa carne no mercado, que está consumindo e está precisando. O Brasil já é o maior fornecedor mundial e é necessário estar inserido nesse processo também. Com a administração da unidade industrial de aves Cocari, em Mandaguari, o abate de frangos da empresa deve aumentar em quanto para os próximos anos? E o que isso vai representar no faturamento da Aurora? Hoje ele está em 130 mil aves/dia. A indústria tem capacidade para 170/180 mil aves/ dia. Estamos crescendo no campo para ver se entre fevereiro e março de 2016 já estaremos utilizando a capacidade máxima. O que vai representar um aumento de 6% no faturamento da Aurora. Futuramente pretende-se duplicar a unidade. Já existe projeto para isso, terreno e condições ou então expandir para outra região do Paraná. Quanto aos produtos, há interesse em aumentar a linha oferecida? Em relação ao número de itens ofertados, não. O mix que oferecemos já é o suficiente para atender a demanda do mercado nacional e internacional também. Como o senhor analisa o modelo cooperativista? É viável para que continue se expandindo no Brasil? O modelo é o mesmo no mundo todo. O que realmente interessa são as pessoas que estão conduzindo esse modelo, se elas entendem o que estão fazendo, e praticam isso de forma profissional, respeitando o que é dos outros. Isso faz com que o cooperativismo cresça. Ética, transparência absoluta, competência e agilidade são características imprescindíveis. Quais os investimentos previstos na empresa para Especificamente em relação à carne de frango, que deve se tornar a proteína animal mais consumida do sindiavipar.com.br | 15

[close]

Comments

no comments yet