Chicos edição 30 - Abril 2011

 

Embed or link this publication

Description

e-zine literária de Cataguases - Minas Gerais

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

chicos n 30 abril 2011 e-zine de literatura e idéias de cataguases ­ mg capa dedim de prosa terminou a páscoa o mundo retoma suas rotinas a África continua às voltas com seus ditadores e seus colonizadores apresentamos aos nossos leitores dois poetas amigos nossos o catarinense pedro du bois e o paulista rubens de gabriel franco sobre desenho de altamir soares shirassu jr antônio editores emerson teixeira cardoso josé antonio pereira perin o poeta lá de itaobim continua lamentando a queda da casa lá na rua alferes vanderlei pequeno e zeca junqueira depois de um longo silêncio reaparecem por aqui ronaldo werneck anda rodando o país às voltas com o colaboradores desta edição antônio perin leonardo campos pedro du bois ronaldo cagiano ronaldo werneck rubens shirassu jr vanderlei pequeno zeca junqueira lançamento do ótimo há controvérsias ii seu último livro de crônicas rodolfo alonso é um poeta argentino profundamente ligado à poesia brasileira trazemos alguns poemas dele vertidos ao português por ronaldo cagiano como gostamos muito da poesia galega publicamos um poema de federico garcia lorca em galego onde ele homenageia rosália castro uma grande poeta galega fale conosco em chicos.cataletras@hotmail.com visite-nos em nesta edição trazemos uma novidade queremos na medida do possível trazer uma conversa com um dos nossos escritores o primeiro para nossa honra e alegria é o fernando cesário além de ser um velho e leal amigo desde os bancos de colégio é um grande romancista http chicoscataletras.blogspot.com 1

[close]

p. 3

sumário fernando cesÁrio um papo com fernando cesário vanderlei pequeno a fuga josÉ antonio pereira a descoberta emerson teixeira o professor ronaldo werneck preto nu branco rubens shirassu jr vigília zeca junqueira o chute pedro du bois repetir antÔnio perin a casa morta i i ernst jandl biblioteca leonardo campos o algodão garcia lorca canzón de cuna pra rosália castro morta rodolfo alonso alguma poesia 03 11 13 16 20 21 22 23 24 25 26 27 28 2

[close]

p. 4

fernando cesário um papo com fernando cesário fernando cesário apesar de ter nascido no rio de janeiro é um escritor cataguasense toda a sua infância e adolescência viveu-as na cidade saindo desta para cursar medicina em volta redonda outra cidade curiosamente também operária trocou a convivência com os tecelões daqui pela dos metalúrgicos de lá formado retornou a cataguases onde dedica-se a medicina e a literatura fernando cesário é entre os atuais um dos melhores romancistas mineiros costuma nos dizer que é um escritor diletante mas sua produção nos demonstra uma regular e continua carreira sempre crescendo em qualidade entre suas obras já publicadas destacamos o ótimo algozes do sono lançado em 2000 e o premiado alma de violino vencedor do prêmio lima barreto em 2004 o texto de fernando cesário não é para leituras apressadas autor extremamente cuidadoso e meticuloso no trato com as palavras nos mergulha em dramas psicológicos as vezes complexos de seus personagens dentro de uma narrativa rica em significações com fernando cesário fizemos nossa primeira entrevista nestes tempos ditos modernos não nos sobra muito tempo por isto ela foi feita por email desta forma inauguramos aqui na e-zine a e-entrevista 3

[close]

p. 5

um papo com fernando cesário emerson teixeira quando você escreve já tem um roteiro um plano ou só vai definir mesmo o que será esse livro depois de alguns escritas criação fernando cesário sempre tenho em mente todo o núcleo da história é claro sei de antemão os passos que serão percorridos pelos personagens reflito muito sobre a trama antes de iniciar a escrita penso que com todos deva acontecer o mesmo onde costumo encontrar mais dilemas é se vou usar a primeira ou a terceira pessoa sim porque a primeira pessoa permite um mergulho maior no interior do personagem que é o que mais me agrada enquanto que a terceira lança uma visão mais ampla devido à onisciência tudo isso é para mim matéria de longas reflexões costumo também fazer anotações que depois serão aproveitadas ou lançadas fora considero-me um diletante ou seja escrevo por prazer admiro muito os que são capazes de produzir um texto passos algumas páginas já como é o seu processo de literário sob encomenda sob um tema contratado vamos dizer assim quanto a mim digo que não agradaria que me pedissem para escrever sob algo que não me sinta motivado josé antonio cataguases literária passando tem uma tradição de ascânio lopes e rosário pelos poetas lina tamêga fusco a ronaldo werneck e luis ruffato peixoto e chico cabral temos uma gama de escritores incríveis o que você pensa desta literatura fernando cesário É estranho que uma cidade tão pequena e tão distante dos grandes centros culturais possa ter um passado literário tão rico chega a beirar o inexplicável porém estou convencido de que o que se passa aqui é que os diversos ciclos se sucederam não espontaneamente mas surgiram dentro de um ambiente propício a minha geração conheceu e ouviu falar muito da de joaquim branco márcia carrano que foi inclusive minha professora 4

[close]

p. 6

um papo com fernando cesário ronaldo werneck carlos sérgio aquilo que está povoando minha mente escrever para mim é partir para a melhor das aventuras a melhor das excursões da mente esta frase explicaria tudo mas quero aproveitar a pergunta para confessar minha paixão pelo som das palavras pelo idioma português essa sonoridade faz com que eu preste muita atenção em letras de músicas em versos de poetas que me trazem encanto penso que é mais ou bittencourt e outros o que acaba creio eu despertando o interesse para a literatura imagino que as coisas devam se dar mais ou menos dessa maneira É como uma corrida de revezamento conceito que foi criado ao que sei pelo ruffato emerson teixeira ou muito me engano ou você é mesmo muito metódico tudo minuciosamente pensado ou planejado na produção de seu livro É claro que não estou me referindo da concepção de um trabalho que geralmente vem de uma ideia bastante abstrata mas a partir dessa abstração você traça aí um roteiro faz um planejamento com uma certa disciplina ou não fernando cesário disciplina não tenho muito eu medito longamente sobre o que pretendo fazer caminho bastante com meus personagens converso com eles até que o momento em que sinta um impulso de transpor para o papel menos como um artista plástico ao se deparar com certa cor ou um fotógrafo com determinada luz etc e os sonhos fellini dizia que tudo que filmou era colhido de seus sonhos eu aproveito também bastante dessas imagens que me vêm gratuitamente ao espírito josé antonio o poeta palestino mourid barghouti disse eu gosto do poema quando está se formando em minhas mãos uma imagem após a outra uma letra após a outra logo depois o medo chega e a certeza foge termina para mim aquele momento abençoado que se chama de o momento em que o criador admira a criatura como você transita pela poesia já tentou cometer algum verso 5

[close]

p. 7

um papo com fernando cesário fernando cesário não não jamais me aventurei nessa seara admiro muito os poetas sou grande leitor de poesias mas não tenho o poder de concisão necessário para me fazer poeta aliás leio mais poesia que prosa acho até que este pensamento do mourid barghouti pode perfeitamente ser aplicado a qualquer gênero literário a qualquer processo criativo enfim na prosa as imagens também saltam pela nossa mente trazendo-nos excitação embriaguez contudo passado algum tempo o momento abençoado como que se desfaz e o que resta é uma certa dose de insatisfação algo que me sussurra você poderia ter feito muito melhor estar melhor na verdade considero-me mais um reescritor que um escritor essa a razão de guardar intervalos de anos entre um livro e outro claro intimamente quando concluo a primeira versão sinto-me tomado por intensíssima excitação como mencionei antes É um sentimento ímpar que acredito só seja vivenciado pelos que trabalham com arte porém passado esse estado de espírito é hora de começar a reescrever e reler e reescrever mesmo que durante essas etapas de releitura também não deixe de experimentar momentos de exaltação aliás arte para mim é o ofício de provocar encantos emerson teixeira emerson teixeira o cinema e a música e até as artes como é a sensação de saber que terminou um romance aquele momento em que se põem a última palavra a ultima vírgula o ponto final fernando cesário pois é o problema é que me fica sempre a sensação de que escapou muita coisa de que o livro poderia fernando cesário a música e o cinema muito as artes plásticas um pouco menos das letras das músicas sempre pesco uma ou outra expressão uma ou outra imagem o mesmo acontece com o cinema sou um plásticas de que forma elas intervêm no seu trabalho como romancista 6

[close]

p. 8

um papo com fernando cesário colecionador de vocábulos se é que se pode dizer assim não se trata de rebuscamento de dar estilo demasiadamente ornado nada disso porém é quase impossível não se atentar buarque com de os versos de chico ela dialoga com a tua literatura como isto ocorre fernando cesário já questão respondi mas parcialmente para essa a milton nascimento aproveitar gonzaguinha e tantos mais o cinema também me socorre por vezes por exemplo para onde certa foram feita precisava os a descrever os subterrâneos das prisões recolhidos durante prisioneiros políticos oportunidade gostaria de citar outros exemplos existe um filme belíssimo de carlos saura chamado tango no qual há uma cena que retrata os porões da ditadura argentina e os sofrimentos que padeceram as pessoas nada pode ser mais perfeito para nos transportar àqueles ambientes que o realizado por saura em 2001 uma odisseia no espaço numa sequência a nave percorre o espaço sideral onde imagens ditadura militar ora quantos filmes já retrataram ambientes semelhantes e que nos podem servir de inspiração josé antonio aprofundando a pergunta do coloridas multivariadas crescem na tela tentei descrevê-las certa feita para traduzir uma alucinação visual de um personagem mas para fugir um pouco dessa pergunta vou reproduzir frase de thomas mann que dizia que é bom que o mundo só conheça as belas obras sem conhecer suas origens e condições de formação pois o conhecimento das fontes que serviram de inspiração ao artista muitas vezes o desconcertaria desalentaria e assim anularia os efeitos do que é excelente não estou com isso querendo dizer que o que produzo sejam emerson costumamos dizer em nossas conversas de botecos que durante a ditadura militar cinema era nosso cordão umbilical com o mundo dieter buchhart curador de uma recente exposição de munch em paris disse que a linguagem cinematográfica irrigou a pintura do autor de o grito sabemos o quanto você gosta de cinema o que foi e o que é a sétima arte para você se 7

[close]

p. 9

um papo com fernando cesário belas obras mas o trecho de thomas mann como que me dá certa indulgência wolff e graciliano ramos além é claro de machado de assis emerson teixeira emerson teixeira depois de mim eu não sei foi o que disse james por qual joyce uma seria o quando repórter maior perguntado americana dizem que a atividade literária requer sociabilidade artística quer dizer um escritor precisa freqüentar os outros saber o que pensam os seus pares a respeito de seu trabalho um opinando sobre a obra do outro o feedback como é a sua correspondência com os outros autores fernando cesário não concordo muito que a sociabilidade seja fernando cesário se tivesse de responder à sua pergunta atendo-me somente à sua frase final responderia que para o meu gosto o melhor romance seria em busca do tempo perdido claro que joyce foi à exaustão mostrando a todos que vieram depois que se pode ousar até o infinito joyce do ponto de vista formal atingiu o intransponível mas ­ novamente para o meu gosto que sei nada significa ­ os autores que mais me sensibilizam são virgínia condição necessária para a atividade literária confesso que não dou muita importância a ela ou melhor dizendo não dou importância alguma para mim o processo criativo é personalíssimo individual e solitário o que quero dizer é que enquanto escrevo nunca passa pela minha cabeça um hipotético leitor não procuro facilitar a compreensão não me interrogo se aquilo será alcançado ou não por outra pessoa isso não faz parte de minhas preocupações confesso se eu por exemplo tivesse a certeza absoluta de que jamais seria lido não deixaria de escrever por essa razão estou sendo romancista vivo não por acaso o romancista que divide com proust o título de maior autor do século xx em sua opinião qual é o melhor romance dos últimos cem anos ulisses ou em busca do tempo perdido 8

[close]

p. 10

um papo com fernando cesário sincero e espero não parecer retina sem o compromisso obrigatório de retratar algo da realidade não me considero um grande fabulador como o ruffato por exemplo sou como disse antes um indivíduo que se encanta com a sonoridade das palavras e com elas vou tratando de desenhar as aflições do ser humano suas inquietações de espírito o tanto que disso alcanço é questão de talento ou ausência de mesmo quando se trata de crônica por exemplo gênero que diga-se de passagem agrada-me bastante e que pode ser visto como destinado ao grande público acho que o trabalho com a linguagem é essencial emerson teixeira depois livro como de o muitas colocou leituras durrell uma em pessoa pode fartar-se até de um bom correspondência à miller algozes do sono para mim outros se você tem presunçoso tenho pavor da falsidade e não me comovo muito como se poderia esperar diante de possíveis avaliações positivas e que sejam sinceras sou tímido o bastante para fugir de aplausos emerson teixeira dentro de um romance cabe tudo isto o que é importante e o que é menos importante no final da empreitada o autor depois de cortar tudo o que lhe parece dispensável manda para a prensa o que é essencial depois de passar o aparador de grama escrever bem é um vício dizia henry miller que gostaria de às vezes escrever pior tudo em benefício da linguagem que no caso do romance é o essencial você já pensou em escrever pior no bom sentido para não parecer artificial fernando cesário nunca meu caro o único sonho é escrever o melhor possível aliás tornam cada vez melhor como o seu preferência por algum livro ou pensa sempre em escrever um ainda melhor fernando cesário responder essa questão me coloca novamente em risco de parecer presunçoso porém não pretendo fugir escrever para mim é um processo que se parece com o ato de pintar um quadro abstrato no qual o artista vai distribuindo os tons que lhe saltarem à 9

[close]

p. 11

um papo com fernando cesário da questão para o meu gosto pessoal ­ gostaria de frisar essa parte ­ acho que do primeiro algozes do sono ao terceiro olhos vesgos de maquiavel passando por alma de violino houve um salto de qualidade digo isso com muita sinceridade tanto do ponto de vista da narrativa no que se em si como a um também refere transportados pelas ruas do catumbi lapa catete gamboa morro do livramento fale-nos de machado de assis e de olhos vesgos de maquiavel seu romance que já está na gráfica fernando cesário em olhos vesgos o protagonista é um personagem machadiano e estabelece uma espécie de diálogo com dom casmurro ele próprio tem a sua capitu foi um livro que me deu muito gosto de escrever e talvez por isso mesmo seja o que mais me agrada na verdade machado de assis bem como um autor americano chamado ford madox ford são ao lado de graciliano ramos e virgínia wolff meus autores prediletos na poesia ­ não me foi perguntado isso porém gostaria de aprimoramento com a linguagem e até mesmo com a forma já o romance em que estou trabalhando atualmente e que se chamará cidade de vésperas é uma espécie de retorno à temática de algozes do sono só recentemente bem recentemente me dei conta de que do terceiro para o quarto livro salto de eros para tânatos ou seja do amor para a morte josé antonio fico tentando eu adivinhar teria se que por comportamento adiantar ­ o número um para mim é sem dúvida mário quintana e na crônica rubem braga exemplo machado de assis se sentasse aqui no meu lugar É exercício de imaginação nada mais para mim enxergá-lo não representa dificuldade maior aliás acho que para ninguém como é sabido todos os afortunados que já debruçamos sobre suas páginas acabamos nos vendo mesmo 10

[close]

p. 12

vanderlei pequeno diálogo com o infortúnio no setor de atendimento de um banco o visor de chamada estampa o número 532 alertada de que era a sua vez uma mulher negra franzina de mais ou menos 55 anos dirige-se à cadeira posta frente à mesa do funcionário acompanhada de sua filha bancário ­ bom dia o que é que a senhora manda mulher ­ enquanto mexia na bolsa ah meu filho eu estou aqui trazendo uns documentos preciso achar um dinheiro que o meu irmão sabe ele era ele vivia aqui nesse calçadão aí catando papel morreu morreu não mataram ele bancário ­ sinto muito a senhora acha que ele tinha uma poupança aqui no banco tem aí algum documento pessoal dele identidade cpf atestado de óbito onde está o atestado de óbito certifico que na data de 6 de janeiro de 1995 no livro c-35 às fls 109 sob o nº 22715 foi feito o registro de óbito de ignorado bancário ­ meu deus mas aqui não fala o nome dele a senhora não tem nenhum outro documento mais aí pra gente procurar mulher ­ tem isso aqui que eu peguei lá na igrejinha dos torreões com o padre certidÃo de batismo compareceram nesta capela de santa terezinha no dia 1º de abril de 1956 da graça de nosso senhor jesus cristo dona maria justina do nascimento e em branco para celebrar o batismo de uma criança de nome joão vicente bancário ­ aqui oh olha o nome dele joão vicente deixa eu procurar na base de dados da receita federal mulher ­ o nome dele não era joão vicente era joão emiliano bancário ­ nada existem muitos joão vicente aqui mas nenhum com essa data de nascimento primeiro de abril de cinqüenta e seis como é que a senhora acha que era o nome dele mesmo mulher ­ joão emiliano pereira ele nunca foi joão vicente bancário mas aqui no batistério está escrito joão vicente mulher ­ isso deve ter sido invenção do padre lá quando a criança chegava ainda sem nome de cartório ele mesmo dava o nome eu nunca tratei ele por joão vicente também não ando com a memória muito boa fui pro rio de janeiro e vivo lá com a minha pensãozinha meu marido morreu ele trabalhava na prefeitura na limpeza apareceu um verme nele ninguém descobriu o que era morreu fiquei sozinha com essa menina aí não dá pra ficar vindo todo dia aqui em juiz de fora o dinheiro é curto bancário ­ consulta joão emiliano pereira data de nascimento primeiro de abril de 1956 nada olha não achei nada a senhora não tem um outro documento em que conste o cpf dele pelo menos mulher ­ ih meu irmão morreu num canto desse aí tinha uma casa mas preferia morar na rua a mulher dele está lá até hoje arranjou outro homem e botou pra dentro ela nunca se importou com a morte dele falecido a 03 de janeiro de 1995 às ignorada horas próximo ao clube tabajaras n/cidade de sexo masculino natural 11

[close]

p. 13

vanderlei pequeno de ignorado e então domiciliado e residente à rua ignorada de idade ignorada filho de ignorado e de ignorada bancário ­ então a senhora está procurando a conta de um irmão assassinado mulher ­ É matado ele vivia catando papel e me escrevia uns bilhetes olha esse aqui entrega um papel grená de embrulhar panela encardido contendo uns rabiscos bancário ­ anh por aqui não está dando pra entender nada um momento deixa eu procurar de novo no cadastro do banco mulher ­ silêncio bancário ­ me desculpe mas como é o nome da senhora mesmo mulher ­ benvinda bancário ­ dona benvinda não encontrei nada mesmo o que acontece é que ele morreu há dez anos e mulher ­ morreu matado bancário eu não tenho como ajudar a senhora foi declarante josé m coimbra e o óbito foi atestado pelo dr dagoberto anacleto de souza crm tendo sido a causa da morte extensas perfurações miocárdio agressão com arma branca homicídio mulher ­ é moço têm muita gente covarde nesse no mundo bancário ­ silêncio constrangimento mulher ­ agora é eu ela oh aponta novamente pra filha ninguém mais morreu mãe pai eu nem cheguei a conhecer marido irmão matado é a vida meu filho bancário ­ infelizmente esse mundo é assim a senhora sofreu muito né mas tem a filha ainda uma boa companheira quanto ao joão mulher emiliano bancário ­ isso joão emiliano sem o cpf não há como encontrar nada aqui mulher ­ tem problema não o joão era só um catador de lixo que vivia na rua juntando os papéis morreu matado a gente não sabe nem onde foi enterrado o corpo nem a ossaria a gente achou o sepultamento foi feito no cemitério desta cidade observações ignora-se os demais dados do falecido bancário ­ É é uma história muito triste mulher ­ levantando-se vamo embora brigado o referido é verdade e dou fé juiz de fora 13 de agosto de 1997 maria oficial substituta cartório videla 2ª via certidão r 5,00 busca r 2,00 total ­r 7,00 25º ofÍcio de notas ­ notÁrio mozart amadeus silva sucursal tijuca rua santo antônio 52 ­ tijuca-rj ­ tel 222222 autenticaÇÃo certifico e dou fé que a presente cópia é a reprodução fiel do original que me foi apresentado cód 00f93454333cc01gabriel serventia 2,93 20 p.judiciário 0,58 total 3,51 vanderlei pequeno cataguases mg ­ escritor autor de entre outros do livro de crônicas a ilha do horizonte 12

[close]

p. 14

josé antonio pereira a descoberta envelope na mão e celular no ouvido carolina que é destra atrapalha-se com o envelope e a bolsa tentando escorregar do ombro esquerdo mesmo assim equilibra-se e desce as escadas do hospital prédio mal conservado e muito grande para a pequena cidade ela é das raríssimas que ali vão sem ser usuária do sus para junto ao meio fio a espera de um táxi sente-se ótima nos seus quarentas e nove anos poucos mas da bem vividos que muitas já não vezes tinha enfatizava isto tentando convencer-se jovialidade casara-se pela primeira vez aos dezoito anos aos vinte e oito anos divorciara pela segunda vez de lá para cá desenvolvera um intricado de relações convicta mesmo era em se repetir não existe o homem ideal há apenas o homem apropriado uns para cada coisa outros para cada momento estabelecera para si própria uma nova lógica a da nova mulher já que livre emancipada senhora de si ela já o era há muito tempo a fronteira de mulher moderna trabalhando sem ela fora mas mas lá no dependente sem opinião dogmas rompera casamento feliz com sua opção tinha um parceiro para cada circunstância ali parada ria de cota um de seus parceiros mais antigos homossexual que conhecera ainda no primeiro casamento pensa em voz alta ele me diverte por demais como não se interessar por suas estórias das modernosas casadas ou solteiras que frequentavam seu salão para ela ele era multiuso opinava sobre roupas perfumes cabelos e maquiagens fornecia preciosas informações sobre boa parte dos homens da cidade colhidas no salão de seguríssimas fontes que eram suas namoradas noivas esposas e amantes isto permitia a carolina ajustar o foco e buscar aproximações que lhe interessassem como também repelir as desinteressantes com o cota só se desentendera uma vez mas isto foi há muito tempo tudo por conta de um rapagão australiano intercambista do rotary que passara alguns meses na cidade ela inicialmente interessada em desenferrujar o inglês de tanto o amigo suspirar e elogiar o desempenho do garoto ela resolveu compartilhá-lo cota ficou louco da vida ao ser passado para trás rapidamente a crise foi superada pela partida do menino canguru submissa dona da última palavra mas 13

[close]

p. 15

josé antonio pereira surge o táxi ela embarca olha para o envelope pensa em abri-lo pelo espelho interno do carro percebe o motorista focado no envelope nem um olhar para ela isto a desagrada ela adora aqueles olhares famintos dos homens É assim de que abrem as possibilidades subjugá-los aplicações todas aquelas coisas maçantes ligadas às finanças o único prazer que sentia com dinheiro era gastálo impunemente o bancário era perfeito liberava tudo via telefone muito antes dos bancos expulsarem os clientes de suas agências até hoje os continua talões de trazendo pessoalmente imediatamente guarda o envelope na bolsa examina o taxista detidamente a conformação do crânio os cabelos fixase na nuca de um arredondamento aduncado nuca interessante pensa olha as mãos firmes ao volante seus pensamentos vagueiam por cenas de intensas paixões no interior destes veículos em inúmeros filmes que já assistira tentava encontrar outra função que poderia ter um motorista de táxi para na porta de um antigo sobrado da rua que liga as duas praças centrais depois de uma reforma ele fora dividido em quatro apartamentos ela morava em um deles antes de saltar aceita prontamente o cartão do motorista nunca se sabe qual a outra utilidade que ele poderá ter decide não entrar atravessa a rua caminha até a esquina entra num barzinho lembra-se que do ali existe bancário para um chopinho básico ao primeiro gole precisa consultá-lo o gerente de um banco era seu consultor informal para seguros cheques numa viagem que ele fez a angra dos reis convidou-a a acompanhálo prontamente ela aceitou descobriu um ótimo parceiro para breves viagens para aquelas paradisíacas ilhas ele conhecia tudo detalhes sobre pratos dos restaurantes ótimos hotéis fascinantes passeios e o melhor bancava tudo ela suspeitava que todo aquele dinheiro fosse de alguma conta fantasma dizem que certos bancos são enormes pomares de laranjas a felicidade maior é que na volta tudo caía na rotina não se falava sobre nada até a próxima aventura na boca brotava um maldoso sorriso de mulher fatal retorna ao ambiente do bar ao perceber refletindo no copo um rosto diferente a volúpia de tigresa assanha-se apronta-se para a caça mas se contém assume a postura de serpente atenta e calma a espera do bote certeiro olha para o homem a ser mais um objeto dá de cara com um olhar firme ela sente o perigo eis uma ave de rapina se for tigresa o falcão escapa se for serpente poderosas 14

[close]

Comments

no comments yet