Jornal Setembro 2015

 

Embed or link this publication

Description

Jornal Setembro 2015

Popular Pages


p. 1

Informativo Oficial do Sindicato dos Policiais Civis - Ano XXI - Setembro de 2.015 - nº 225 Foto: Sinpol SINPOL REÚNE-SE COM ALEXANDRE DE MORAES JORNAL DIG RIBEIRÃO TEM PRODUTIVIDADE E QUALIDADE Secretário da Segurança Pública recebeu diretores do Sinpol e vários sindicalistas, além do presidente da Feipol/SE. Durante o encontro, Alexandre de Moraes foi questionado e firmou suas posições e convicções a respeito das reivindicações. As negociações continuam. Saiba mais na página 05. DO COMPLETA Em setembro de 1995, circulava o primeiro número do Jornal do Sinpol. Era o início de uma história de credibilidade, retratando um dos mais atuantes sindicatos de policiais civis do Estado e até mesmo do País. Leia na página 13. SINPOL 20 ANOS E MAIS: Sequência de casos esclarecidos mostra que a tradição de excelentes trabalhos da especializada, uma história construída há décadas, vem sendo mantida pela equipe, considerada por diretores do Sinpol, muito abaixo do necessário para o volume de serviço. Confira na página 07.  Policiais civis de Viradouro esclarecem assalto a casa lotérica;  Em Radar e Parabólica, o que foi notícia nas unidades da Polícia Civil da região;  Policiais civis realizam Operação Covil de Lobos em quatro cidades e prendem 10;  Conheça o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Odontologia Legal do IML;  Vereadores de Ribeirão Preto homenageiam policiais civis;  Jurídico conquista novas vitórias e recebe elogio de associado. DELEGACIA DO IDOSO DESMONTA FRAUDE QUE LESOU MILHARES DE APOSENTADOS Associação prometia aumento nos benefícios pagos aos aposentados, além de indenização de R$ 50 mil e cobrava cerca de R$ 1 mil para agilizar processo. Delegacia do Idoso, comandada pelo dr. Luiz Geraldo Dias, descobriu esquema e indiciou responsáveis. Investigação deve chegar a 90 volumes com média de 250 páginas. Veja na página 09. Setembro/2015 Impresso Especial 9912250402 - DR/SPI Sinpol CORREIOS SINPOL - Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto Rua Goiás, 1.697 - Campos Elíseos - Ribeirão Preto - SP CEP: 14085-460 - Fone: (16) 3612-9008 Fone Jornal: (16) 3610-2886 - jornaldosinpol@uol.com.br

[close]

p. 2

EQUIPE RECONHECIMENTO Comitiva da Bayer esteve na sede da unidade policial para parabenizar policiais civis que participaram da Operação Lavoura Limpa sobre os métodos de investigação e inteligência policial utilizados durante os sete meses de diligências e desarticulação da organização criminosa da modalidade criminosa lucrativa que se tornou a falsificação de defensivos agrícolas. A Operação Lavoura Limpa teve início em junho de 2014, encerrada operacionalmente no dia 05 de dezembro de 2014. Através de interceptações telefônicas com autorização judicial, monitoramento e campanas, uso de drones, uso de filmagem com fibra ótima, filmagens noturnas e inteligência policial, foi possível prender envolvidos nos estados de São Paulo e Minas Gerais, em diversas cidades. Em comunicado à imprensa, dr. Leopoldo admitiu que, além da relevância do serviço prestado à sociedade brasileira, a ação enalteceu positivamente a imagem da Polícia Civil, pois seus resultados repercutiram em rede nacional e internacional, através de reportagens jornalísticas em canais abertos e fechados. Foram cumpridos 26 mandados de prisão, além de outros três em flagrante, todos por posse irregular de arma de fogo. A equipe do 3º DP de Franca apreendeu cinco armas de fogo, 61 veículos utilizados direta ou indiretamente pela quadrilha. Foram fechados seis laboratórios nas cidades de Cristais Paulista e Franca, com a apreensão de todo o maquinário e produtos encontrados. Os policiais civis também fecharam dois laboratórios gráficos, responsáveis por imprimir as etiquetas das embalagens falsificadas. Além de diversos elogios advindos de toda a região e do Estado, A Câmara Municipal de Franca aprovou, no dia 09 de fevereiro de 2015 a Moção de Aplausos nº 07/2015 a todos os integrantes da unidade. Ao todo, 10 policiais civis participaram das investigações DO 3º DP DE FRANCA É ELOGIADA POR ALEMÃES e prisões: o delegado Leopoldo Gomes Novais; o escrivão chefe Joel Rigoni Costa; o investigador chefe Ademar Ribeiro Tavares dos Santos; o escrivão Gabriel Eurípedes Bolonha Botelho; os investigadores Diego Lopes Del Rio; Kauzio João de Andrade Silva; Renne Antônio Monteiro; a agente de telecomunicações Amanda Rios Pereira; o agente policial Otaviano dos Santos Boemia e o carcereiro Reildo Ademir da Silva. O policial civil encara o combate ao crime como um dever de ofício, independente da circunstância em que isso ocorra. Desta forma, esperar reconhecimento não faz parte do diaa-dia daqueles que trabalham na instituição, por mais repercussão que possa ter determinado caso. Quando isso ocorre, principalmente da forma como ocorreu com os policiais civis do 3º DP (Distrito Policial) de Franca, nunca é demais mostrar o empenho, dedicação e competência dos policiais civis que integram a Instituição como um todo. No dia 04 de agosto, a equipe do 3º DP francano, que é comandada pelo dr. Leopoldo Gomes Novais, recebeu a visita de uma comitiva da empresa Bayer, sediada na Alemanha. Os executivos foram até a unidade policial e também compareceram à sede do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) núcleo de Franca, ligado ao Ministério Público. A visita ocorreu como forma de reconhecimento dos alemães pelos resultados obtidos na “Operação Lavoura Limpa”, que desarticulou a maior organização criminosa que atuava no País especializada na falsificação de defensivos agrícolas. Além de executivos da Bayer, também visitaram os policiais civis o presidente do Sindiveg (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal). O grupo ouviu detalhadas explicações dos policiais civis Foto: Divulgação 3º DP de Franca Parte da equipe do 3º DP de Franca, que atuou na Operação Lavoura Limpa 02 Setembro/2015

[close]

p. 3

ODONTOLOGIA LEGAL A odontologia sempre foi a área que mais interesse despertou na mineira de Montalvânia, Josabeth Mendonça Pereira. E foi a carreira que ela decidiu seguir na faculdade. Formada cirurgiã dentista em 1978 em Uberaba, ela começou a exercer a profissão até conhecer uma área em que percebeu poder conciliar o trabalho com a odontologia: a perícia legal. Incentivada pelo saudoso marido policial civil e por diversos amigos Policiais Civis, a dra. Josabeth decidiu prestar concurso e tentar uma área bem diferente daquela que todos os profissionais de Odontologia imaginam seguir. Ingressou em 1993 na Polícia Civil, portanto, há exatos 22 anos. E desde seu ingresso, em São Paulo, passou a atuar na Polícia Científica, que anos mais tarde passou a integrar a SPTC (Superintendência da Polícia Técnica Científica). Em 2001 veio para Ribeirão Preto, onde criou o NOL (Núcleo de Odontologia Legal), que integra o IML (Instituto Médico Legal), onde atua até hoje. O NOL é um dos únicos departamentos especializados em odontologia legal da SPTC em todo o Estado. E acabou por tornar-se um centro de excelência, dada a relevância e à qualidade do trabalho prestado. A dra. Josabeth coordena um órgão que atende 19 cidades da região: Altinópolis, Batatais, Brodowski, Cajuru, Cássia dos Coqueiros, Cravinhos, Dumont, Guatapará, Jardinópolis, Luiz Antonio, Pontal, Santa Cruz da Esperança, Santa Rosa de Viterbo, Santo Antonio da Alegria, São Simão, Sertãozinho, Serrana e Ribeirão Preto. Segundo a especialista em perícia odontológica, o ideal para a região seria ter pelo menos dois profissionais desta área, pois tratase de um trabalho fundamental. “Hoje 70% dos casos atendidos são em pessoas vivas e outros 30% em cadáveres. As pessoas passam por exames de corpo de delito específico. Se não houvesse um profissional da área de odontologia, teriam laudo considerando lesão A “MENINA leve na grande maioria. Mas a lesão odontológica dificilmente é leve. É gravíssima na maioria das vezes. Se não existisse Odonto Legista, as vítimas sairiam prejudicadas”, avalia dra. Josabeth. Ela destaca também a importância do trabalho na identificação de cadáveres. “Fazemos o exame de reconhecimento em mortos através de comparativo feito com a documentação da vítima. Atualmente quase 100% das pessoas possuem documentos que facilitam o reconhecimento pela arcada dentária. Atualmente, 90% dos cadáveres em adiantado estado de decomposição e esqueleto humano são reconhecidos através de exame de arcada dentária, que é legalmente aceito pela Justiça”, acrescenta. O trabalho de odontolegista a levou, inclusive, a trabalhar na identificação de corpos de um acidente aéreo com várias vítimas fatais. Somente um dos corpos, naquela ocasião, não foi identificado pela arcada dentária. Evolução Quando ingressou na SPTC, a informática praticamente dava seus primeiros passos no setor. Com o passar dos anos, evoluiu e tornouse uma importante aliada dos profissionais da área. Isso faz com que o Odonto Legista esteja sempre buscando se aprimorar profissionalmente. dra. Josabeth tem participado constantemente de cursos e seminários ligados ao assunto. Em 2014, fez um curso pela Interpol a respeito de vítimas de desastres em massa. Há pouco tempo teve contato com uma tecnologia desenvolvida por um colega em São Paulo, onde a visualização do crânio é identificada através de imagens em 3D. “Temos que correr muito e aprender novas formas de trabalho, porque as mudanças são muito rápidas. Mas é sempre bom lembrar: um exame nunca substitui o outro, vem sempre somar e facilitar”, destaca. A Perita elogia a atuação do Sinpol em favor da categoria. “A diretoria está de parabéns pelo DOS OLHOS” DA trabalho que está fazendo. Bate muito na tecla da falta de funcionários. É uma defasagem absurda e o Sinpol tem brigado muito por isso”, destaca. Também agradece o incentivo dado pelo diretor do IML de Ribeirão Preto, dr. Jair Naves dos Reis. Quando questionada sobre a eficácia e a inevitável comparação aos já populares exames de DNA, ela é contundente. “O reconhecimento pelo exame da arcada dentária é muito mais rápido que o exame de DNA”. Ela já atuou em centenas de casos, esclarecendo não só crimes de lesão corporal, como também identificando muitos corpos, alguns dos quais, em adiantado estado de decomposição. Um destes corpos identificado foi um vereador da região, encontrado bastante desfigurado em um canavial. Também atuou no reconhecimento das duas vítimas carbonizadas JUSTIÇA de um acidente de helicóptero em Bonfim Paulista. Recentemente o caso de um eletricista, houve muita repercussão onde foi desenvolvido um trabalho que através da arcada dentária conseguiu a identificação com sucesso. Dra. Josabeth tem diversos trabalhos publicados. Num deles, ela publicou a respeito de Pesquisas Sobre Violência e Odontologia Legal: Revisão da Produção Científica no Brasil, na Revista Odonto Ciência. Também tem publicações de destaque na Revista Stoma e Revista da APCD, entre outras. Fez diversas apresentações em eventos e teve muitos artigos e entrevistas publicados em jornais e revista de grande circulação. Sobre a Odontologia Legal nos dias atuais, a Policial é direta: “A Odontologia Legal é a ‘menina dos olhos’ da Justiça”, concluiu a dra. Josabeth. Dra. Josabeth criou, em 2001, o Núcleo de Odontologia Legal, órgão que funciona junto ao IML e atende 19 cidades da região Setembro/2015 03

[close]

p. 4

EDITORIAL No início do mês de agosto, finalmente tivemos a oportunidade de nos sentar à mesa com o secretário da Segurança Pública, dr. Alexandre de Moraes, para uma conversa franca. Há meses vínhamos tentando o encontro e chegamos a desconfiar que teríamos que partir para ações mais efetivas - o que não está descartado, uma vez que o secretário somente nos atendeu, mas nada de concreto ficou decidido. Nossa satisfação se dá na postura do secretário. Em momento algum ele fugiu de suas convicções e defendeu com veemência o que pensa, mesmo que isso possa ter contrariado a categoria em algumas situações. Mas pudemos ver que suas preocupações vão ao encontro do que pensamos para a melhoria das relações e condições de trabalho dos policiais civis e para o benefício da própria Polícia Civil. Apesar de que em agosto a mal ajambrada Reengenharia voltou a colocar suas garras de fora. É o caso do que ocorreu, por exemplo, na cidade de Porto Ferreira, onde o 1º Distrito Policial juntou-se à Delegacia do Município num único prédio. Essa Reengenharia, diga-se de passagem, é a atitude mais mesquinha para tentar mascarar o sério problema de recursos humanos enfrentado na história da Polícia Civil. A situação calamitante ESTAMOS ACOMPANHANDO ele não descartou uma possibilidade de reajuste salarial. O secretário Alexandre Moraes disse, textualmente, que não acredita num reajuste de 15%, como está sendo solicitado pelos policiais civis. E acrescentou que acredita que, se houver reajuste, não deve ultrapassar os dois dígitos. Se não excluiu haver reajuste, ainda há uma esperança, principalmente porque ele garantiu que, em havendo aumento salarial, somente os trabalhadores da Educação e Segurança deverão ser contemplados. Depois dessa reunião produtiva, confesso que saímos um tanto quando esperançosos. Não tanto pelo aumento, que caso venha, deverá ser um valor abaixo da inflação, que já ronda os 10%. Mas todo valor é bem vindo. Nossa animação, no entanto, é porque ele demonstrou que, no que depender dele, poderemos ter alguns itens resolvidos com maior rapidez. Claro que ele vive no meio político e devemos desconfiar. Por essa razão, vamos acompanhar tudo o que foi dito e cobrar soluções. Nosso trabalho é ininterrupto. E conta, acima de tudo, com a participação de você, policial civil sindicalizado, seja a ativa ou inativo. Participe do dia-a-dia do Sinpol. EUMAURI LÚCIO DA MATA Presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto) EXPEDIENTE O Jornal do Sinpol é uma publicação oficial, de circulação mensal, do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto. Rua Goiás, 1697 - Campos Elíseos CEP: 14085-460 - Ribeirão Preto - SP e-mail: sinpolrp@sinpolrp.com.br Diretoria: Presidente: Eumauri Lúcio da Mata Vice-Presidência: Célio Antonio Santiago, Darci Gonzales, João Gonçalo Palaretti, Dorlei Morales, Luís Henrique Maringolli de Lima e José Gonçalves Neto; Suplentes: Adilson Massei, Sérgio Ribeiro dos Santos, Luiz Henrique Batista, Carlos Henrique Carneiro Scarparo, Targino Donizete Osório, Adhemar Pereira da Costa e Cláudio Expedito Martins; Secretários: Fátima Aparecida Silva e Doracy Alves da Silva; Suplentes: José Álvaro Ament Júnior e Luís Henrique Zanoello. Diretores Financeiros: Júlio Cesar Machado e Carlos Henrique Pischiotini; Suplentes: José Angelo Marques e Josiane Kátia P. do Nascimento. Patrimônio: Arnaldo Vaz Ferreira; Suplente: Olavo Elias dos Santos. Conselho Fiscal: Prisclia Yoshi S. Hashimoto, Clévis Samuel Lors de Faria e Diva Rodrigues dos Santos; Suplentes: Robert Schmengler Guilhaume, Marisa Lelis Takata e Jefferson Pessoti; Delegados Sindicais: Antonio Carlos Schivo e Josiane K. P. de Souza; Suplentes: Décio Kury Marques e Hélio Augusto da Silva. O JORNAL DO SINPOL É UMA PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DO LABORATÓRIO DE NOTÍCIAS R. Paschoal Bardaro, 633-A - Jd. Irajá Ribeirão Preto - SP Fone/fax: (16) 3610-2886 DIRETOR DE JORNALISMO: Adalberto Luque - MTb 19.218 EDITOR CHEFE: Júlio Castro O Jornal do Sinpol não se responsabiliza por especificações ou informações que não estejam previstas no contrato de publicidade AS COBRANÇAS SERÃO FEITAS EXCLUSIVAMENTE POR: Martha J. Araújo Luque Tadeu José Prates DEPARTAMENTO COMERCIAL: CONTATOS EXCLUSIVOS DEVIDAMENTE AUTORIZADOS: Fernando Mendonça Antonio Pereira Alvin Aparecido Donizete Tremura Marco Aurélio Scridelli Marcos Antonio Fernandes Israel Leal de Souza EDITORAÇÃO ELETRÔNICA: Laboratório de Notícias Fone: (16) 3610-2886 e-mail: jornaldosinpol@uol.com.br Os artigos assinados não refletem, necessariamente, o conceito do jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores. só não é ainda pior porque os policiais civis que seguem na ativa são verdadeiros heróis. Abnegados, vocacionados, dispostos a dar o seu melhor pela Instituição. Juntam nada com coisa nenhuma num mesmo prédio para dar a impressão de que não falta policial civil. Falsa impressão. Isso nem a população engole, mesmo não entendendo muito bem da estrutura da Polícia Civil. O que o cidadão sabe é o que ele vê: policial civil desmotivado, sobrecarregado, com eficiência no esclarecimento dos casos reduzida por motivos óbvios: não tem recursos humanos. Mas o secretário mostrou-se sensível a essa situação, inclusive revelando que já enviou ofícios à Delegacia Geral e à Academia, pedindo celeridade. Também se mostrou favorável a importantes questões, como a efetiva implantação do DEJEC, as diárias de alimentação, a efetiva valorização das carreiras de nível universitário em longo prazo- e porque não também para as médias -, a permanência na classe quando da aposentadoria mesmo sem ter transcorrido os cinco anos e a justiça em relação ao pagamento do bônus de produtividade. Nossa discordância se deu em relação à cassação de aposentadoria. Porém, nossa esperança se renovou quando Novos Associados Associaram-se ao Sinpol em agosto os seguintes policiais civis: - Paulo Roberto Vieira Coan, escrivão em Ribeirão Preto; - Hebert Ignácio Carboni, agente em Franca; - Wilson Aparecido Leonelo, carcereiro em Itápolis; - Sílvia Maria Ferreira Novato, fotógrafa em Franca; - Luís Antonio Lopes da Silva, investigador em Araraquara; - Alfredo Gimenes da Ascenção, investigador em Bebedouro; - Ana Cristina Gomes de Faria, escrivã em Bebedouro. A diretoria do Sinpol dá boas vindas aos novos associados e está à disposição de todos os policiais civis que quiserem integrar o quadro associativo do sindicato. Notas Plano de Saúde 1 Atenção associados. Verifiquem a data de validade no cartão magnético do convênio São Francisco, especialmente dos dependentes que cursam faculdade. Para que não ocorra carência, a declaração escolar deverá ser enviada, impreterivelmente, 20 dias antes da data limite de validade. Na dúvida, confira o verso da carteira do plano de saúde, onde consta a data do término da validade. Não deixe para a última hora. Maiores informações na Central de Atendimento Sinpol, telefones (16) 3625-3890 / 3612-9008 / 3979-2627. Atenção policial civil A diretoria do Sinpol alerta a todos os policiais civis associados que, se receberem intimação para comparecer à Corregedoria ou a qualquer outro órgão, para depoimento, busquem antes orientação no Departamento Jurídico do sindicato. É direito constitucional que em todo e qualquer depoimento, o depoente esteja assistido por um advogado. Plano de Saúde 2 Devido a reclamações recebidas junto à Secretaria do Sinpol, a diretoria do Sindicato pede aos associados usuários do Plano de Saúde que confiram suas cobranças de coparticipação em consultas e exames relativos ao uso do convênio médico. Qualquer dúvida, entrar em contato com a Central de Atendimento do Sinpol, pelos telefones (16) 3612-9008 / 3625-3890. Ação Judicial O departamento jurídico do Sinpol já entrou com Ação Civil Pública contra a Instrução Conjunta UCRH/SPPREV nº 3, de 04/11/2014, publicado no DOE de 05/11/ 2014, que estabeleceu normas e diretrizes que muito prejudicam as aposentadorias dos policiais civis, por entender que não há amparo legal. O departamento entende que a referida instrução conjunta não está apenas instruindo os setores de pessoal de como se deve ser pautada a questão da aposentadoria, mas sim funcionando como legislação complementar, ao se basear em pareceres meramente consultivos da Procuradoria Geral do Estado e torná-los procedimento e normas a serem seguidas, dando status de Lei. A diretoria solicita aos associados que acompanhem a evolução deste tema pelo site do Sinpol. IAMSPE O Sinpol informa que o advogado Antonio Roberto Sandoval Filho, de São Paulo, não está mais ingressando com a ação do IAMSPE (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual). Cantina para o Associado A Cantina da Chácara do Sinpol, sob o comando de Paulo e Cristina, tem agradado bastante aos associados. Além de porções, aos sábados e domingos estão sendo servidos pratos feitos. A cerveja, o suco e o refrigerante estão sempre na temperatura ideal e constantemente há muitas novidades para os associados. Maiores informações e reservas nos telefones (16) 99398-6912, com Paulo ou (016) 99398-8820 com Cristina. Falecimentos A diretoria do Sinpol comunica, com pesar, os seguintes falecimentos: + Antonio Thiago Filipini, carcereiro em Casa Branca, o corrido em 01 de agosto; + Regina Lúcia Roma, esposa do investigador aposentado de Ribeirão Preto, Antonio Hernandes Lopes, ocorrido no dia 30 de agosto. O Sinpol manifesta seus sentimentos aos familiares. Aposentados Associados do Sinpol que ingressaram no quadro de aposentados em agosto: - José Carlos Rosa, investigador de 2ª Classe; - Luiz Carlos Fazzio, investigador de Classe Especial; - Sílvia Helena Polaqui, investigadora de Classe Especial; - Verônica Regina dos Santos, escrivã de Classe Especial; - Orlando de Paula Souza, investigador de 2ª Classe. A diretoria do Sinpol felicita os policiais civis por suas brilhantes carreiras, desejando-lhes poderem usufruir seus merecidos descansos com muita saúde e alegria. Convênio Indicativo Academia Via Form: Aeróbica, Fisioterapia, Musculação, Nutricionista, Pilates, tudo com 30% de desconto para associados do Sinpol. Fica perto da Delegacia Seccional e do Deinter-3. Rua Américo Brasiliense, 1377, Ribeirão Preto Telefones: (16) 3329-7720 / 3514-3990. 04 Setembro/2015

[close]

p. 5

SINDICALISMO Presidente e diretores do sindicato estiveram ao lado de demais sindicalistas e da Feipol/SE durante encontro com Alexandre de Moraes O secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, reuniu-se com diversos sindicalistas e com a Feipol/SE (Federação Interestadual dos Trabalhadores Policiais Civis da Região Sudeste) na sede da SSP (Secretaria da Segurança Pública), na Capital. O encontro ocorreu no dia 11 de agosto e vinha sendo solicitado há tempos pelos policiais civis. Entre as entidades participantes esteve o Sinpol, representado pelo presidente do sindicato, Eumauri Lúcio da Mata; pelo vice-presidente Célio Antonio Santiago e pela diretora-secretária Fátima da Silva. Para o presidente do Sinpol, o encontro chegou a surpreendêlo pelo posicionamento do secretário. “Estávamos tentando essa reunião há alguns meses, por conta de não termos respostas efetivas da pauta de reivindicações que está nas mãos do secretário desde o início de sua atuação frente à pasta da Segurança. Ao nos receber, ele foi firme em suas posições e convicções e isso nos dá esperança de que nossos questionamentos tenham efetivamente uma resposta à altura do que esperamos”, ponderou Eumauri. Durante a reunião, oito temas específicos foram tratados: - DEJEC (Diária Especial sobre Jornada Extraordinária do policial Civil): o secretário disse ser favorável à implantação e que já fez encaminhamento à Secretaria do Planejamento, com planilha de custos para análise e implantação. - Diárias de Alimentação: Moraes concorda com a implantação nos moldes do que é pago à Polícia Militar, mas entende que é necessário um projeto de Lei para alterar a legislação. Na Polícia Civil, as diárias são vinculadas à UBV (Unidade Básica de Valor), enquanto na PM o valor é pago pela UFESP. Também é necessário disciplinar diárias para policiais que não trabalham mais de oito horas diárias. Os sindicatos decidiram cobrar mais rapidez no projeto por parte do DGP (Delegado Geral de Polícia). - Nível Universitário: a valorização deverá ser feita em longo prazo, segundo o secretário, que entende ser necessário debater o assunto, tratando não apenas como requisito de ingresso na carreira, mas como de efetivo exercício. - Cassação de aposentadoria: para Moraes, é legal reintegrar aposentados e depois demiti-los, caso a falta administrativa tenha sido cometida quando o policial civil estava na ativa. O assunto surgiu tendo como exemplo a PM, que caça apenas o título e não os vencimentos. O Sinpol, inclusive, já obteve ganho de causa em ações que preservam os vencimentos e discorda da posição do secretário. - Permanência na classe: no entendimento da SSP, não há necessidade de permanência na classe em cinco anos para não perdê-la na aposentadoria. Foi dito ainda, durante o encontro, que a curtíssimo prazo isso será resolvido, evitando-se muitos desconfortos aos policiais que não querem perder sua promoção quando se aposentarem. - Concursos: o tema mereceu atenção especial. O secretário disse estar decepcionado com a administração da Polícia Civil, pois há demora inexplicável para cumprir trâmites legais e iniciar cursos de formação e nomeação. Moraes disse ter enviado ofício à Academia solicitando urgente nomeação de 788 escrivães de Polícia ainda em agosto e convocando 1.300 investigadores para fazerem Academia. A prioridade é nomear concursados remanescentes e, enquanto não nomear todos os aprovados, não seria aberto outro concurso. O prazo é fevereiro de 2016. Com a demora, os concursos perdem a validade e novo processo seletivo é demorado. O Sinpol concorda com o secretário e, durante o encontro, ressaltou a gritante falta de policiais civis nas delegacias. Foi definido que a DGP, os Deinters e as Seccionais serão cobrados por maior celeridade. - Bônus: Moraes disse que estão sendo feitas reuniões com a Ong (Organização Não Governamental) que integra o sistema de pagamento, para que sejam estabelecidos novos redutores dos índices de criminalidade, inclusão da produtividade às diligências que não resultam em prisão de flagrante. Além disso, os bônus devem ser estendidos a todos os policiais civis, inclusive aqueles que não colaboraram diretamente na ação. O objetivo é incluir um número maior de policiais civis no bônus. O Sinpol cobrou a inclusão dos carcereiros e demais participantes, situação que não vem sendo cumprida atualmente. - Reposição salarial: o secretário informou que o assunto vem sendo analisado e não descartou a possibilidade, porém garantiu que não será um índice com dois dígitos e só deve ser aplicado para a Segurança e Educação. Eumauri gostou do que ouviu. “Ele disse: ‘os 15% vocês podem tirar o cavalinho da chuva. Não sei se o aumento chega a dois dígitos. E será somente para Educação e Segurança’. Eu estava achando que ele sairia pela tangente, citando o Decreto do governador que proíbe reajuste salarial. Mas não falou. Já é uma esperança, um alento para nós, policiais civis. Estaremos acompanhando tudo de perto e cobrando o Secretário, o Delegado Geral, o Deinter, os Seccionais, enfim, a quem quer que seja de direito”, finalizou Eumauri. Foto: Sinpol SINPOL REÚNE-SE COM SSP A partir da esquerda: Jarim, da IPA; Kiko, presidente da Feipol/SE; o secretário Moraes e o Célio, vice-presidente do Sinpol, durante encontro na sede da SSP Setembro/2015 05

[close]

p. 6

R ADAR Furtos esclarecidos Policiais civis do 5º DP (Distrito Policial) de Franca conseguiram esclarecer três furtos praticados em três bairros próximos num único dia. Segundo o investigador do 5ª DP de Franca, o responsável pelos furtos foi um catador de latinhas que percorre as ruas do bairro. O homem, de 34 anos, conhecido como “Buiú”, tem incomodado os moradores com seu hábito de invadir residências a qualquer hora do dia ou da noite para furtar objetos que, na maioria das vezes, vão parar nas mãos de traficantes. Com uma extensa ficha comercial, o catador de latinhas tem dado trabalho aos policiais civis daquela região desde sua adolescência. Segundo Calil, ele passou quase a metade de sua vida atrás das grades. Depois de 13 anos encarcerado, ele voltou a agir no dia 01 de agosto. Foi acusado de ter arrombado residências no Jardim Vera Cruz, Vila Santa Terezinha e Jardim Portinari, todos bairros pertencentes à área de atuação do 5º DP. “Geralmente ele furta objetos como botijões de gás ou televisores. De cada 100 objetos furtados por ele e outros usuários, a polícia recupera 40, geralmente porque eles não fornecem nomes dos receptadores com medo de morrer”, informou Calil. O titular do 5º DP, dr. Hélder Rodrigues, autuou “Buiú” por furto e pretendia pedir sua prisão temporária. Barretos Policiais civis de Barretos, região do Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), com sede em Ribeirão Preto e que atende 93 cidades na região, prenderam no dia 21 de agosto, segundo dia da Festa do Peão de Barretos, uma mulher que vinha furtando telefones celulares e dinheiro. Ela estava agindo dentro do recindo onde se realiza a festa. Os policiais civis observavam a movimentação dos visitantes e participantes da edição 2015 da Festa do Peão quando perceberam a atitude suspeita da mulher. Após monitoramento, conseguiram efetuar a prisão em flagrante, no momento em que ela estava praticando um novo furto. Após a qualificação da indiciada, os policiais civis tomaram conhecimento de que ela já estava sendo procurada pela Justiça em razão de mandado de prisão preventiva expedido em São Paulo. A Festa do Peão de Barretos atrai anualmente centenas de milhares de visitantes e, nessas ocasiões, é bastante comum criminosos agirem e praticarem furFoto: Arquivo tos no meio da multidão que visita o Parque do Peão diariamente, durante os 11 dias de duração do evento. Araraquara Um casal foi preso por tráfico de drogas no dia 05 de agosto, por policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Araraquara. O homem de 32 anos e a mulher de 21 anos foFranca, Reginaldo Calil ram presos em fla- Delegacia Sccional de Ribeirão Preto: equipe do setor de Precatórias efetuou prisão durante diligência para entrega de intimação O chefe dos investigadores do 5º DP de grante quando preparavam a droga para comercialização, no Jardim Europa, em Araraquara. No local, os policiais civis encontraram grande quantidade de maconha, além de R$ 300 em dinheiro, uma balança de precisão, embalagem do entorpecente e um facão. Na chegada dos policiais civis, o rapaz tentou fugir, mas acabou detido pelos agentes da DIG. Após pesquisas, os policiais civis constataram que o detido tem antecedentes pelo mesmo crume e já cumpriu três anos de prisão por tráfico de drogas. Ele foi encaminhado para a cadeia de São Carlos e a mulher seguiu para a cadeia feminina de Santa Ernestina. Por ser o tráfico crime inafiançável, os dois seguem presos à disposição da Justiça. Ibaté Policiais civis de Ibaté prenderam, no dia 26 de agosto, um acusado de ter praticado pelo menos três assaltos na cidade. Após a prisão em flagrante de um homem de 19 anos, no começo do mês, os policiais civis, através de investigações, conseguiram identificar outros dois acusados de participar dos assaltos. O dr. Wilton Gonçalves Garcia Filho, delegado da cidade, representou pela prisão preventiva dos suspeitos junto ao Judiciário. Os mandados foram deferidos e os policiais civis conseguiram prender B.W.R. de 20 anos no dia 24 e F.H.C.S. de 28 anos no dia 26. Os policiais civis seguem investigando outros roubos para esclarecer se o trio teve ou não participação nas ações. Precatórias Os policiais civis do Setor de Cartas Precatórias da Delegacia Seccional de Ribeirão Preto, que há cerca de três meses impediram um assalto em andamento na Vila Abranches, zona leste da cidade, receberam elogio formal da vítima, que teve suas joias recuperadas. Em nova ação, a equipe de cartas precatórias foi solicitada para entregar uma intimação por falta de pagamento de pensão alimentícia. Ao realizar as pesquisas costumeiras, os policiais civis constataram que existia um mandado de prisão expedido contra o homem que seria intimado. Como os policiais civis encontraram-no no local, acabaram efetuando sua prisão. 06 Setembro/2015

[close]

p. 7

P RODUTIVIDADE O vice-presidente do Sinpol, Célio Antonio Santiago, lembrou em entrevista publicada na última edição do Jornal do Sinpol que, no final dos anos 1970, a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto - então SIG (Setor de Investigações Gerais) - tinha 39 investigadores. A população de Ribeirão Preto era menos da metade que a atual. Hoje em dia, a DIG conta com apenas 19 investigadores. Se contados todos os funcionários, entre delegados, investigadores, escrivães, carcereiros e agente policial, chega-se a 30 policiais civis, portanto, também abaixo dos 39 investigadores disponíveis nos tempos de abundância de recursos humanos. Mas mesmo com o número reduzido, a equipe da especializada de Ribeirão Preto tem se destacado pela qualidade do trabalho desenvolvido e pela alta produtividade obtida pela equipe. Os crimes que seguem para a DIG são, em sua grande maioria, de autoria desconhecida. Geralmente a equipe começa uma investigação do zero, colhendo dados, investigando, realizando campanas, colhendo depoimentos, buscando provas e informações, até chegar à conclusão. Sob a chefia do dr. Ricardo Turra, a DIG tem mantido a tradição de se destacar no combate à criminalidade. E os resultados já são nítidos, a ponto de seu delegado titular ser um dos homenageados pela Câmara Municipal de Ribeirão Preto (leia matéria nesta edição). Muitas vezes a especializada já tem suspeito do caso, mas para indiciar é preciso provas que, geralmente, são difíceis de se conseguir. Como não pode haver inconsistência, a equipe se desdobra. Por esta razão, há crimes que pareciam esquecidos e que, de uma hora para outra surgem com indiciados. Foi o que ocorreu, por exemplo, no dia 10 de agosto. Os policiais civis da especializada esclareceram dois casos de homicídio. Num deles, um pai de santo foi assassinado em janeiro de 2011 por não conseguir livrar um acusado de tráfico de drogas da cadeia. Outro caso ocorreu em dezembro de2012, quando um andarilho foi encontrado morto próximo ao Jardim Itaú, zona oeste da cidade. Os dois casos foram solucionados e os autores tiveram suas prisões decretadas. Variedade Não são apenas homicídios os casos esclarecidos pela DIG. Há uma grande variedade de crimes que não ficam impunes. Foi o caso do autor de um assalto a uma joalheria em Divinolândia. O autor foi identificado através de imagens e preso pela equipe da DIG Ribeirão, no dia 11 de agosto. A equipe comandada pelo dr. Eduardo e composta por Ipólito, Everton e Carlos, conseguiu identificar o autor do assalto. “No dia 14 de agosto, nós aqui da DIG, em conjunto com policiais civis de São Sebastião do Paraíso, em Minas Gerais, detivemos duas pessoas suspeitas de tentativa de roubo a banco mediante explosão de caixa eletrônico em Itaú de Minas. Como não deu certo o roubo, esses dois indivíduos tentaram roubar o veículo do prefeito de São Sebastião do Paraíso no momento em que ele chegava na prefeitura. Acabaram não conseguindo levar o carro e dispararam na direção do prefeito, que acabou sendo atingido por um estilhaço. Com trabalho de investigação, levantamos endereços e acabamos prendendo duas pessoas, que foram reconhecidas de forma categórica pelo prefeito”, explicou o dr. Turra. O curioso, neste caso, foi que a equipe, ao chegar aos suspeitos, encontrou também na residência de um deles diversos aparelhos celulares que estavam prontos para serem levados para penitenciárias e CDPs (Centros de Detenção Provisória). Os CENTRO DE EXCELÊNCIA celulares estavam acondicionados em preservativos e seriam transportados nas regiões anal ou vaginal de criminosos que fariam as visitas nos centros de reclusão. “O setor de furto de veículos e furto em veículos também tem se destacado, identificando as quadrilhas, não só aquele que furta, mas o que esquenta os documentos, o que falsifica os dados de identificação, o receptador. Conseguindo identificar essas quadrilhas, a consequência é a redução dos índices criminais. Estamos colhendo esse fruto. Hoje todos os índices criminais de furtos de veículos ou ligados a veículos, de uma forma geral, estão feliz- mente reduzindo. Temos procurado manter uma produção, em termos de flagrantes que vem dando bons resultados. Já estou aqui há um certo tempo e posso dizer que temos, talvez, uma das maiores produções de prisões em flagrante e de Inquéritos Policiais instaurados e indiciamentos. É uma produção muito boa. Isso para não dizer uma das maiores dos últimos tempos, o que reflete nos índices criminais que estão caindo em todas as modalidades criminosas”, comemora o dr. Turra, que faz questão de destacar o empenho e qualidade de cada um dos integrantes de sua equipe, de todas as carreiras. Parte da equipe da DIG, coordenada pelo dr. Turra (ao centro, de gravata): produtividade e eficiência Setembro/2015 07

[close]

p. 8

HOMENAGEM Em sessão solene, diploma comemorativo e de honra ao mérito foi entregue aos que se destacaram por sua atuação na área de segurança Pública Por iniciativa do vereador Maurício Gasparini, a Câmara Municipal de Ribeirão Preto realizou, no dia 18 de agosto de 2015, uma solenidade com o objetivo de homenagear autoridades que se destacaram por sua atuação na área de segurança pública. O vereador criou o projeto em 14 de agosto de 2014, instituindo o diploma comemorativo e de honra ao mérito, outorgado aos membros da Polícia Civil, Federal, Forças Armadas, Guarda Civil Municipal, integrantes da Defensoria Pública, magistrados, membros dos Conseg’s (conselhos Comunitários de Segurança) ou qualquer pessoa que se destaque por suas ações em prol da segurança pública. Na solenidade realizada no dia 18 de agosto, entre os homenageados havia diversos policiais civis. Receberam a comenda o dr. Ricardo Turra, da DIG (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes); o carcereiro da DIG, Mateus da Silva Gumiero; o dr. Diógenes Santiago Netto, do 1º DP (Distrito Policial) e a dra. Luciana Camargo Renesto Ruivo, da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). Todos tiveram seus currículos lidos durante a sessão e receberam os agradecimentos pelo trabalho que contribuiu para a redução dos índices de criminalidade em Ribeirão Preto. O dr. Turra recebeu a homenagem através do vereador Bertinho Scandiuzzi. O vereador Coraucci Netto não pode comparecer e foi representado pelo vereador e delegado Samuel Zanferdini, que entregou em seu lugar a homenagem a Mateus. Dr. Zanferdini também homenageou a dra. Luciana. Já o dr. Diógenes foi homenageado pelo vereador Ricardo Silva. Policiais militares e outras autoridades também foram homenageados. No total, foram entregues 13 diplomas de reconhecimento. CÂMARA DE RIBEIRÃO HOMENAGEIA POLICIAIS Acima, à esquerda: Dr. Ricardo Turra recebe diploma das mãos do vereador Bertinho Scandiuzzi; acima à direita: o carcereiro Mateus da Silva Gumiero recebe diploma das mãos do delegado e vereador dr. Samuel Zanferdini; abaixo à esquerda: dr. Zanferdini entrega diploma para a dra. Luciana Camargo Renesto Ruivo; abaixo à direita, dr. Diógenes Santiago Netto recebe diploma das mãos do vereador Ricardo Silva 08 Setembro/2015

[close]

p. 9

A ÇÃO Contando com apenas seis policiais civis, DPI tem intensificado ação no combate a casas de repouso precárias e a golpistas que lesam aposentados O ano de 2015 tem sido intenso para os policiais civis que atuam na DPI (Delegacia de Proteção ao Idoso) de Ribeirão Preto. Sob o comando do dr. Luiz Geraldo Dias, delegado titular da unidade - que também é responsável pela proteção aos animais -, os policiais civis que lá atuam têm se destacado pelo grande volume de trabalho e pela forma consistente como têm atuado. A delegacia é composta, além do dr. Luiz Geraldo, pelos investigadores Maria Conceição Aparecido Tasca, Cacildo Gonçalves e Eduardo Pires, a escrivã Ione Hernandez e a estagiária de direito Adauana Silva. Atuando há poucos meses em nova sede, a equipe tem se desdobrado na defesa dos idosos e dos animais. Em 2015 os policiais civis já fecharam algumas casas de repouso para idosos, que vinham atuando de forma precária, cobrando para cuidar dos idosos, mas não dando condições mínimas de dignidade a seus internos. Em um dos casos, uma idosa morreu pouco tempo depois de ser internada após ser resgatada de uma dessas casas. Desde o final de julho, a equipe vem se desdobrando para concluir um inquérito ocasionado após o dr. Luiz Geraldo constatar um golpe praticado contra aposentados, que prometia uma revisão em suas aposentadorias e pode ter lesado mais de 10 mil pessoas. “Esta é uma das maiores investigações de organizações criminosas já feitas pela Polícia Civil do Estado de São Paulo”, adianta o delegado. Até o final de agosto, a equipe já havia anexado ao inquérito policial mais de 80 volumes, com 250 páginas cada um deles e o total deve ultrapassar 90 volumes. Segundo dr. Luiz Geraldo, os aposentados pagavam cerca de R$ 1 mil para que os supostos advogados ajuizassem ação de revisão de aposentadoria. Eles enviavam correspondência dizendo que o aposentado teria direito à revisão de sua aposentadoria, o que poderia dobrar o valor mensalmente recebido, além de gerar uma indenização em torno de R$ 4.900. Para ter direito ao benefício, o aposentado deveria se associar à ASSAP (Associação Brasileira de Apoio aos Aposentados, Pensionistas e Servidores Públicos Federais). O reajuste em torno de 28,4% seria concedido nas aposentadorias obtidas entre 1988 e 2003. Além de se associar, o aposentado teria que pagar R$ 1.096 como taxa para ajuizar as ações. “Recebemos, inicialmente, denúncias telefônicas e após isso, fomos verificar pessoalmente. Instauramos inquérito e solicitamos mandado de busca, que nos foi concedido. Fizemos a diligência e apreendemos muitos documentos, computadores e indícios que comprovam o golpe. A associação já contava com filiais em São Carlos, São Paulo (matriz), São Bernardo do Campo e estava planejando abrir escritórios em Varginha, Barretos e Franca”, revelou o delegado. Durante as investigações, os policiais civis já confirmaram o golpe aplicado em mais de cinco mil aposentados e o número continua crescendo. Por conta do volume de informações que vem sendo levantado pelos policiais civis da DPI de Ribeirão Preto, o caso segue agora em segredo de justiça. Na primeira etapa do inquérito, quatro pessoas foram indiciadas, das quais, duas são consideradas foragidas. Essas quatro pessoas integram diretamente a ASSAP, mas o delegado e sua equipe também estão averiguando a participação de advogados no esquema. Centenas de aposentados estão sendo ouvidos através de cartas precatórias e todos estão comprovando o esquema fraudulento. “Ao receber a correspondência, o aposentado ligava para o número indicado e era atendido por um ‘consultor previdenciário’, que seguia um roteiro, dizendo que eles teriam direito à revisão do benefício e fazendo o ajuizamento pela ASSAP seria mais vantajoso. Acreditamos que o golpe, somente na região, tenha rendido mais de R$ 10 milhões aos acusados”, acrescentou o dr. Luiz Geraldo. Ele garante que as ações não eram ajuizadas. Os policiais civis alertam aos aposentados que caíram no golpe, para que compareçam à sede da DPI, na Avenida Costábile Romano, 3.230, no bairro Ribeirânia, em Ribeirão Preto, para preencher um termo de declarações e ajudar a Polícia Civil a computar o real número de vítimas. Maiores informações pelo telefone (16) 3610-6067 ou através do e-mail ddi.ribpreto@policiacivil.sp.gov.br. PEQUENA NA ESTRUTURA, GIGANTE NO RESULTADO Equipe da DPI, a partir da esquerda: Eduardo, Cacildo, Adauana, Ione, Maria Conceição e dr. Luiz Geraldo Setembro/2015 09

[close]

p. 10

VIRADOURO Policiais civis de Viradouro conseguiram esclarecer um assalto praticado contra a Lotérica Viradouro, ocorrido no dia 06 de abril naquela cidade. Na ocasião, um assaltante de 21 anos morreu baleado e outros dois homens fugiram com o apoio de um terceiro que estava no carro, após assaltarem o estabelecimento comercial. Uma mulher teria participado como olheira da ação. Na ocasião, o delegado Seccional de Bebedouro, dr. José Eduardo Vasconcelos, informou à imprensa que o roubo aconteceu por volta das 16h30, quando três homens entraram encapuzados e armados na agência lotérica e anunciaram o assalto. Eles teriam exigido que os dois cofres do estabelecimento fossem abertos. Durante a ação, os criminosos também levaram dinheiro dos clientes. Os três homens entraram na agência, enquanto um quarto elemento ficou do lado de fora da lotérica, atuando como uma espécie de olheiro dos assaltantes e o quinto ficou com um veículo que havia sido furtado em Bebedouro dias antes pronto para a fuga. Depois de roubarem cerca de R$ 9 mil da lotérica, os três homens também passaram a ameaçar os clientes que estavam no local e roubaram outros R$ 1 mil das pessoas que estavam na fila. Depois de apanhar o dinheiro, o grupo saiu da agência no momento em que chegava uma viatura da Polícia Militar ao local. Um dos assaltantes, D.J.D., de 21 anos, teria feito menção de atirar e POLICIAIS acabou atingido pelo disparo feito por um policial de Detenção Provisória) de Pontal, onde permane- Com informações da Assessoria de Comunicação militar. Ele morreu no local. Os outros integrantes cerão à disposição da Justiça. Social da Delegacia Seccional de Bebedouro da quadrilha conseguiram fugir. Os policiais civis de Viradouro, coordenados pelo dr. João Vitor Silvério, deram início imediato às investigações. O primeiro passo foi identificar o suspeito morto em confronto com os PMs. Durante as investigações, a equipe da Polícia Civil conseguiu identificar o pedreiro S.A.S.C., de 25 anos e os mecânicos D.S.B. de 18 e V.A.S.M. de 21, como sendo os três homens que participaram do assalto, de forma efetiva. Já B.L.F. de 18 anos teria atuado apenas como olheira. Após identificar os suspeitos, o delegado solicitou a expedição de mandado de prisão e de busca e apreensão contra os homens envolvidos no assalto à casa lotérica. Assim que a Justiça expediu os mandados, a equipe de Viradouro planejou uma operação que contou com o apoio tático do GOE (Grupo de Operações Especiais) da Delegacia Seccional de Bebedouro e, no dia 04 de agosto, conseguiu inicialmente prender dois suspeitos. O terceiro foi localizado e preso pouco depois pelos policiais civis de Viradouro quando tentava embarcar no terminal rodoviário da cidade de Bebedouro, com destino a São José do Rio Preto. Foto: Assessoria de Comunicação Social da Delegacia Seccional de Bebedouro Os três homens detidos foram encaminhados à Cadeia Pública da cidade de Bebedouro e, posteriEquipe da Delegacia de Polícia de Viradouro esclareceu ormente, foram transferidos para o CDP (Centro assalto à casa lotérica no centro da cidade CIVIS ESCLARECEM ASSALTO A LOTÉRICA 10 Setembro/2015

[close]

p. 11

NOVA SEDE Os operários que atuam na obra da construção da futura sede social do Sinpol já iniciaram o trabalho de acabamento da obra. Em vários pontos do local os revestimentos já estão sendo aplicados e deixam o local com ares da grandeza que terá assim que for inaugurado. O palco é um dos pontos que já recebeu o revestimento. Material de extrema qualidade, tudo devidamente projetado para valorizar o patrimônio dos sindicalizados do Sinpol. O local vai contar com um grande e estruturado salão de festas, tornando-se uma opção a mais para o policial civil que pretenda organizar seus eventos com qualidade e economia. Além disso, terá salas para abrigar todos os departamentos, além de um auditório para eventos e cursos de aprimoramento profissional que poderão ser realizados nas dependências do Sinpol. O imóvel, segundo o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, vai beneficiar não somente a categoria como também os moradores ACABAMENTO daquela região e a sociedade ribeirão-pretana em geral. Atualmente está sendo aplicado gesso no acabamento e forro. A próxima fase será o assentamento do piso. O prédio está sendo edificado na Avenida Francisco Massaro Farinha, esquina com a rua Pedro Pegoraro, que é uma travessa da Av. Leão XIII, na Ribeirânia, atrás do Campus da Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto) e terá área total construída de 1.600 m², está sendo erguido em um terreno com área total de 2.247,95 m². O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, convida todos os associados que tenham interesse em visitar as obras e conhecer como será a nova sede social do sindicato. Os custos da obra também estão à disposição de todos os interessados, com total transparência. Uma comissão de associados foi formada para acompanhar passo a passo o que é investido no local. As obras foram iniciadas no dia 06 de março de 2012. Acompanhe nas fotos o atual estágio da obra. Setembro/2015 11

[close]

p. 12

ANIVERSARIANTES A vida é um milhão de novos começos movidos pelo desafio sempre novo de viver e fazer todo sonho brilhar. Feliz Aniversário aos nascidos em outubro! 1 Sebastião Signei de Moraes Ana Maria Correa dos Santos Luiz Antonio Rozelli Fernando José Sartore Newton Tolentino de Sousa 2 Luiz Roberto Stringhetta Edson de Toledo Balsabino Roseli Souza Bastos José Magalini Filho João Henrique Santello José Francisco Inácio 3 Paulo Sérgio de Souza Simões Valter Almagro Paulo Roberto Castanheiro da Silva Cristiano Barbosa Miguelassi José Eduardo Vasconcelos Luiz Fernando Miskulin Ferracin Aldrovando Brandão de Souza 4 Idaberto das Neves Fernando Cezar Gurtler Izeppi Francisco Carlos Mango Marcos Vinícius Remiro Fernando Antonio Correa Marques de Souza Lenita Ramos Fabrício de Ávila 5 Paulo de Castro Cervantes Sumie Kanemaru Palombo Udelson Canova Simionato Maurício Rossi Lazaroti 6 Sônio de Assis Borges Cristina Moroti Félix José Roberto de Moraes Sandra Piraí de Oliveira Dal Farra Rogério José Mello Tiago Risoleo José Roberto Mendonça Márcia Helena Silva de Amaral Gandini 7 José Roberto Pereira Edmilce Kátia Ferreira Cátia Marina Ferreira Carlos Henrique Ferreira da Silva Waldir Gonzaga 8 Deodalto Alves de Melo Edimar Alberto Félix José Geraldo Triques Argeu Alamino Sérgio Ferreira do Carmo José Donizeti de Lima Sílvia Elisa Ruivo Valério 9 Mendonça José Carlos Rosa Benedito Antônio Noronha Júnior Mário Marques de Oliveira Neto José Roberto de Azevedo 10 20 Luiz Henrique Batista Luís Rafael Paloni José Carlos de Farias Luís Carlos Ribeiro 11 Ari Aparecido Gomes Marcos Felipe Fantini Pedro Lessi 12 21 Élvio Gomes Ismael Dias Pereira Antonio Carvalho Neto Saulo Azael David Roseli Aparecida Ananias Moreira 23 Santos Geraldo Donizete Teodorio Inaiê Brasil de Camargo Lujan Edson Tadeu Rodrigues de Souza 13 24 José Rubens Vieira Heber Lunardelo de Souza Carlos Alberto Campi Paulo Tosta Cláudio Expedito Martins Marcelo Ignácio de Souza Marco Antonio da Silva João Roberto Saloio Mário Celso Rugiero 25 14 Antonio Bruno da Silva Athail Martins da Costa Vieira Mariza Noronha Magdalena Leonice Rodrigues dos Reis 26 Pereira Miguel Issa Farah 15 Hernani Pardini Neto Marister Teresa Miziara Nogueira Teresinha Pereira Lage Pimenta Rubens Antonio da Silva Filho 27 Antonio Paulo Bacan Gilmar Padilha Rogério Ferreira de Morais Célio Rodrigues Reche Oswaldo Daguano Izilda Cleuza Mansin Josabeth Mendonça Pereira Tânia Ratsuko Nakao 16 Marcos Antonio Ortêncio Cláudio Lotufo Gerson Greany Antonio José Carlos Santini Eduardo Henrique Palmeira José Guilherme de Oliveira Rosas Campos Maria Cristina de Moura Coribelli Carlos Alberto Domingues José Manoel de Oliveira 28 Carlos Alberto C. Pereira Doracy Alves da Silva José Cassiano da Fonseca 29 Rinaldo André da Silva Benedito Gabriel Fernandes Hélio Rodrigo de Almeida Costa Pereira Wilson dos Santos Pio Andrea Palmeira Beordo 17 Orlando da Silva João Baptistussi Neto Rogério Romani Anderson Fonseca da Costa Erivaldo Kleber Giora Manoel Sanches Filho 18 30 Antonio Pereira Alvim Aristides Fernandes Ronaldo Narciso do Val Wanderson Clayton de A. José Jorge de Souza Perseguin Karina dos Santos Moraes de Jesus de Souza Reis Júnior Oliveira Daniella Ribeiro de Andrade Maurício César Montechi Rosas Vitor José Padulli Márcio Volpe Marangoni 19 31 Adailton José Pereira da Silva Amarildo Luís Rocha Marco Aurélio Machado Donizeti Batista de Oliveira Ruy Leme Eumauri Lúcio da Mata MEMÓRIA UNIÃO Seja no trabalho ou nos momentos de lazer, a união sempre existiu entre diversas equipes na Polícia Civil. A foto acima é um exemplo disso. Na década de 1980, os policiais civis que atuavam em diversas equipes, decidiram eternizar o momento, em encontro realizado na então Delegacia Regional de Polícia Civil de Ribeirão Preto. Em pé, a partir da esquerda: Marcelo Moura de Sá, Luiz Antonio Machado, um policial não identificado (foram consultadas diversas pessoas que não sabiam de quem se tratava, se algum leitor souber, por favor, nos informem), Luiz Medeiros (o popular Peru), Ronaldo Moura, Homero Tritoli e Cláudio Sales. Agachados: Sebastião Signei de Moraes, Wilson Lauro Leite de Mello, dr. Targino Donizeti Osório e Bruno da Silva. O Sinpol lembra aos aniversariantes que é preciso fazer o recadastramento anual junto ao Banco do Brasil, em qualquer agência ou naquela onde receber seus vencimentos ou, em caso de portabilidade, no banco em que o beneficiário optou. Quem não se recadastrar corre o risco de ter os vencimentos suspensos. O Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto está mantendo um acervo de imagens relacionadas à Polícia Civil. Para tanto, a Diretoria está incentivando a participação de associados que tenham em seus arquivos fotografias que possam ilustrar diferentes aspectos da história da Instituição. “Temos certeza que muitos colegas guardam várias fotos com lembranças de reuniões, eventos e de situações cotidianas dentro da Instituição, com um valor inestimável pelas lembranças que representam”, ressalta o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata. Os interessados em colaborar com esse resgate da memória da Polícia Civil da região podem entrar em contato com a Secretaria do Sinpol, através dos telefones (16) 36129008, 3625-3890 e 3979-2627, ou do e-mail sinpolrp@sinpolrp.com.br. “As fotografias serão digitalizadas e prontamente devolvidas aos seus proprietários”, garante Eumauri. O material reunido pelo Sinpol será publicado no Jornal do Sinpol e no site da entidade (www.sinpolrp.com.br). DO FUNDO DO BAÚ 12 Setembro/2015

[close]

p. 13

ESPECIAL Sempre acompanhando de perto a transformação na Polícia Civil e o crescimento e fortalecimento de um dos mais atuantes sindicatos da Instituição Nos primeiros dias de setembro de 1995 circulava, pela primeira vez de maneira efetiva, o Jornal do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis). Sua edição número 01 teve fechamento gráfico em agosto, mas circulou em setembro daquele ano e surgiu da necessidade de levar ainda mais informações do trabalho realizado pelo sindicato a seus sindicalizados. O primeiro número, de fato, surgiu um ano antes, em setembro de 1994. Mas foi uma edição isolada, feita numa única oportunidade, para relatar o que havia ocorrido desde a famosa história dos “51 punidos por Fleury”. Em 1993, quando o então governador Luiz Antonio Fleury Filho esteve na região para inaugurar um trecho da duplicação da Rodovia Cândido Portinari, em Jardinópolis, além de políticos e autoridades, compareceram à solenidade diversos policiais civis, que estavam reivindicando reajuste salarial para o governador, que se negava a negociar com a categoria. Em dado momento, durante discurso de Fleury, 51 policiais civis deram as costas ao governador iniciaram uma sonora vaia. O caso teve imensa repercussão e, de imediato, 51 policiais civis foram punidos, mandados para os mais distantes rincões do Estado. Então vice-presidente do Sinpol e investigador da ativa, Eumauri Lúcio da Mata foi mandado a centenas de quilômetros de sua esposa, também policial civil presente ao ato, que por sinal também foi transferida para muito longe de seus filhos, ainda crianças e adolescentes. O Jornal, em sua edição de 1994, veio para mostrar somente a primeira grande vitória do Sinpol. Em 1995, a partir de um acordo entre o Sinpol e o Laboratório de Notícias, que dura até os dias atuais, surgiu o primeiro númecara do Sinpol, onde promoveu diversos eventos e, rotineiramente, onde recebe seus associados para momentos de lazer e descontração. E está em fase de conclusão de um belíssimo prédio, sua nova sede social, que vem sendo construída no bairro Ribeirânia e deve ser entregue no próximo ano, com total infraestrutura para atender ao associado. Pelas páginas do Jornal do Sinpol já passaram diversos jornalistas: o já falecido e saudoso Alexandre Roma foi o primeiro, ao lado do diretor do Jornal do Sinpol, Adalberto Luque, a executar o projeto, sempre ao lado do fotógrafo e hoje editor Júlio Castro. Depois vieram nomes como Milton Cosmo, o cartunista Pelicano, Israel Leal de Souza, Carlos Masson entre tantos outros. No departamento comercial, grandes profissionais se destacaram. Dentre os quais, Fernando Mendonça, Garcia da Costa, Antonio Pereira Alvin e Donizete Tremura. Muitos deixaram saudades, como Braz Pereira, Sebastião Almeida Sales, José Carlos Fernandes, entre outros. E foi graças a essa união de forças que o Jornal do Sinpol se firmou. Acompanhou a solidificação do nome Sinpol e também, paralelamente, escreveu sua própria história, tornando-se um importante veículo de comunicação. Encerramos um ciclo e iniciamos outro. Nosso obrigado a todos, sobretudo aos leitores, que ratificam nosso trabalho nos dando credibilidade e a nossos anunciantes, que acreditam na força da categoria e em nosso projeto. Como costumamos citar, o Jornal do Sinpol é o mais lido e aguardado entre os policiais civis. Rumo aos 50 anos, se Deus permitir. JORNAL DO SINPOL COMPLETA 20 ANOS ro do Jornal do Sinpol. Desde então, ele circulou ininterruptamente durante todo esse tempo, até os dias atuais. Sempre foi impresso em papel sulfite mas, no princípio, era todo em preto e branco, utilizando apenas uma cor adicional na capa e última página, o vermelho. Com o passar dos anos, passou a ganhar cor em cada vez mais páginas, até chegar ao formato atual. Evolução Neste período de 20 anos, a Polícia Civil e o Sinpol passaram por enormes transformações. Foram-se os tempos em que faltavam combustível, viaturas e até material de escritório para que os policiais civis desempenhassem suas funções. Vieram os novos tempos, com a informatização e tecnologias disponíveis. Contudo, o efeti- vo encolheu e hoje não há quem trabalhe sem sobrecarga. No início, a região administrativa da Polícia Civil contava com a Delegacia Regional, formada por Seccionais. Próximo à virada do século XX, a estrutura mudou e surgiram os Deinter (Departamento de Polícia Judiciária do Interior). Na região, atuam dois Deinters: o 3, com sede em Ribeirão Preto e que atende 93 cidades e o 9, com sede em Piracicaba, que responde por cidades próximas, como Pirassununga, Leme, Araras, Mococa, entre outras. O Sinpol também evoluiu. Quando o jornal circulou pela primeira vez, em 1995, a sede própria no bairro dos Campos Elíseos, em Ribeirão Preto, havia acabado de ser comprada. De lá para cá, o sindicato construiu um belíssimo clube de campo, a Chá- Setembro/2015 13

[close]

p. 14

OPERAÇÃO COVIL Policiais civis de diversas cidades deflagraram a Operação Covil de Lobo na região de Ribeirão Preto, no dia 14 de agosto e acabaram prendendo 10 pessoas e cumprindo 11 mandados de busca e apreensão. A operação foi minuciosamente planejada para combater uma quadrilha especializada em roubo de máquinas e defensivos agrícolas e em fraudes contra companhias seguradoras. A ação foi realizada ao mesmo tempo nas cidades de Casa Branca, Pirassununga, Santa Rita do Passa Quatro e Ribeirão Preto. Em nota, a assessoria de comunicação da Secretaria da Segurança Pública informou que a Operação Covil de Lobo contou com o apoio de policiais das cidades de Santa Rita do Passa Quatro e de unidades especializadas de São Carlos, Porto Ferreira, Descalvado e Ribeirão Preto. Todos os suspeitos detidos, que já tinham passagens anteriores pela Polícia pela prática de outros crimes, vão responder por roubo, furto, organização criminosa, formação de quadrilha, receptação e fraude de seguros, com penas que variam entre dois e 10 anos de reclusão para cada envolvido. Segundo informações da SSP, 40 policiais civis se reuniram durante a madrugada do dia 14 de agosto na Delegacia Seccional de Polícia Civil de São Carlos. De lá, seguiram para Porto Ferreira, onde foi realizada a operação, criada para desarticular a quadrilha que roubou diversas propriedades rurais. De acordo com o delegado de Porto Ferreira, dr. Miguel Carlos Capobianco, que participou da ação, o número de crimes na zona rural aumentou significativamente. Ele informou à imprensa que foram cerca de 40 registros de furtos ou roubos de máquinas agrícolas desde o ano de 2012. Muitos dos REGIÃO Ação foi realizada, simultaneamente, nas cidades de Casa Branca, Pirassununga, Santa Rita do Passa Quatro e Ribeirão Preto equipamentos roubados foram levados para outros estados e até para países da América do Sul, levantando a suspeita de que a quadrilha tinha ramificações até no exterior. De Porto Ferreira, os policiais civis se dividiram. Parte deles seguiu para Santa Rita do Passa Quatro, onde morava a maioria dos envolvidos. Lá os policiais civis prenderam seis acusados. Na cidade de Porto Ferreira, os policiais civis prenderam um homem que já tinha passagens anteriores. Em sua residência eles encontraram uma pistola e um rastreador de caminhão, que foram apreendidos. Em Casa Branca os policiais civis cumpriram dois mandados e prenderam duas pessoas. Em Ribeirão Preto, a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) também participou da Operação e prendeu, no bairro City Ribeirão, um empresário de 55 anos, que já tinha passagens anteriores. No local, os policiais civis encontraram quatro armas e defensivos agrícolas que, possivelmente, teriam sido roubados ou furtados de propriedades rurais. Segundo o delegado Alexandre Daur, em entrevista à imprensa, a operação teria sido organizada por policiais civis de Santa Rita do Passa Quatro, que vinha investigando uma quadrilha suspeita de receptação de agrotóxicos e que agia em toda a região. “Ele [o suspeito detido] alega que comprou [os defensivos] de um desconhecido para revender e, quanto às armas, disse que é para defesa pessoal”, informou o dr. Daur. Os policiais civis de Santa Rita do Passa Quatro, que participaram das investigações, acreditam que as máquinas eram transportadas para estados como Mato Grosso e Minas Gerais e outras seguiam para a Bolívia. Além dos dez suspeitos detidos, os policiais civis também apreenderam dois veículos importados, diversas armas, munições, celulares e defensivos agrícolas. Todos os detidos, durante a operação, foram transferidos para a cidade de São DE LOBO RESULTA EM 10 PRISÕES Carlos e seguiram para a Cadeia Pública local, ficando à disposição da Justiça. As investigações prosseguem para tentar descobrir as ramificações da quadrilha e para tentar recuperar máquinas e implementos agrícolas roubados. Policiais civis de diversas cidades participaram da operação Covil de Lobo, que resultou na prisão de dez suspeitos 14 Setembro/2015

[close]

p. 15

JURÍDICO O mês de agosto teve novos destaques nos casos promovidos pelo departamento jurídico do Sinpol. Como de costume, vitórias foram contabilizadas. Duas delas foram relativas a mandados de segurança envolvendo aposentadorias. Em outras duas, houve a absolvição de dois policiais civis, um em Processo Administrativo Disciplinar e outro em Sindicância Administrativa Disciplinar. Um único associado foi favorecido em dois casos distintos. De acordo com o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, o departamento Jurídico tem realizado um trabalho exemplar, fazendo valer os direitos dos policiais civis filiados ao Sinpol, tanto na questão das aposentadorias, quanto nos processos administrativos. “Os resultados comprovam que estamos no caminho certo. Na maioria das vezes o policial civil acaba tendo problemas de sindicâncias ou processos administrativos disciplinares sem razão de ser. E se não fosse a atuação de nosso departamento jurídico, esses associados estariam fadados a uma injustiça sem precedentes, uma mancha em suas carreiras por algo que não cometeram. Já na questão das aposentadorias, vale lembrar que o Sinpol vai brigar, como tem brigado, com todas as suas forças para garantir o direito à paridade e integralidade, seja para os policiais civis que estão em vias de se aposentar, como também para aqueles que se aposentaram pela Lei 1062/2008 - inclusive os policiais que se aposentaram enquadrados pela Resolução Conjunta 03/2014 -, para que recuperem o direito perdido no momento em que se foram obrigados a abrir mão da aposentadoria especial por conta de uma Lei inconstitucional”, re- força Eumauri. Os advogados Ricardo Ibelli e Viviane C. Ibelli Pinheiro lembram que em relação às aposentadorias, outras vitórias virão. “Buscamos garantir o Mandado de Segurança para que os associados do Sinpol tenham direito à paridade e integralidade, conforme o que diz a aposentadoria especial. Já conseguimos favorecer um grande número de associados e outras vitórias ainda serão relatadas pelo Jornal do Sinpol”, destacam os advogados que integram o departamento jurídico. Vitórias Entre os casos de aposentadoria, uma ação ordinária garantiu ao investigador de Polícia aposentado da cidade de Barretos, Jorge Silva, o direito à reversão da aposentadoria da LCE (Lei Complementar Estadual) 1062/2008 para a LCF (Lei Complementar Federal) 51/85 - posteriormente emendada pela LCF 144/2014. A vitória ocorreu em primeira instância. Um único associado foi favorecido com duas vitórias durante o mês de agosto. O investigador de Pontal Adolfo César Belório estava respondendo uma Sindicância Administrativa Disciplinar na Corregedoria e foi absolvido, tendo sido determinada a extinção do caso. Ele também conseguiu mandado de segurança garantindo sua aposentadoria com direito à paridade e integralidade. O jurídico do Sinpol perdeu em primeira instância, recorreu e obteve a vitória e o acórdão, com direito à paridade e integralidade. Outro beneficiado pela ação dinâmica do jurídico foi o investigador de Igarapava, Antonio Carlos Sampaio. Ele respondia um processo administrati- MAIS QUATRO VITÓRIAS vo disciplinar e foi absolvido. Bastante feliz com o resultado do trabalho do jurídico, ele encaminhou um agradecimento especial ao dr. Ibelli. Leia a íntegra a seguir. Ao departamento jurídico “O subscritor foi beneficiado pela brilhante atuação do advogado dr. Ricardo Ibelli, o qual, o defendeu com muito empenho e profissionalismo, chegando a demonstrar claramente que estava indignado com a covardia a que foi submetido seu cliente. Com efeito, o subscritor respondeu a processo criminal e administrativo devido a uma acusação leviana de pessoa igualmente leviana e isso se arrastou por aproximadamente dois anos, causando profundo desgosto e desgaste emocional, além da perda de tempo e gastos processuais por um fato que não deu causa. Necessário frisar que o subscritor foi absolvido na esfera criminal por inexistência do fato, haja vista o MM Juiz ter percebido que uma das testemunhas arroladas pela acusação cometeu crime de falso testemunho, bem como a “vítima”, pessoa leviana conforme já mencionado praticou, em tese, crime de denunciação caluniosa. Todavia, o processo só culminou em absolvição graças ao empenho do nobre causídico, profissional exemplar, correto, justo e atencioso, o qual saiu da audiência com cópia da sentença para, o mais rápido possível, juntá-la no processo administrativo e assim demonstrar, também nessa esfera, a inocência do acusado. Mais detalhes dos processos com o próprio dr. Ricardo. Enfim, desde já não só autorizo como faço questão que o fato seja publicado no Jornal do Sinpol, para que outros policiais civis saibam que não estão sozinhos em suas lutas cotidianas, nesse difícil mister que é o trabalho policial, onde não raro sofremos de inúmeras dificuldades, sejam de ordem profissional, sejam de ordem institucional. Sem mais para o momento, obrigado pela oportunidade de manifestar meu profundo agradecimento ao caríssimo advogado dr. Ricardo Ibelli, brilhante jurista que percebeu a covardia e injustiça a que fui submetido. Antonio Carlos Sampaio, investigador”. Eumauri e Ricardo Ibelli aguardam novas conquistas para os policiais civis Setembro/2015 15

[close]

Comments

no comments yet