Show da Fé Setembro 2015

 

Embed or link this publication

Description

Show da Fé Setembro 2015

Popular Pages


p. 1

Jornal Show da Fé Quem crê espera a direção divina PÁGINA 22 ANO 2 - Nº 20 - SETEMBRO DE 2015 SHOWda FÉ O JORNAL DAAC PALAVRA DE DEUS MARCOS MARCOS AC MARCOS AC Palavras de fé do Missionário PÁGINA 24 A bênção é para todos Charlise Bender, Andrea Bianca e Roseane Leandro são a prova de que, pela fé, tudo é possível. Elas alcançaram a cura para enfermidades com as quais conviveram por muitos anos, e, aos olhos naturais, já não havia mais esperança para elas. “Deus cura a pessoa porque ela crê, e não de acordo com o nível de sofrimento dela”, afirma o Missionário R. R. Soares. Páginas B1, B3 e B7 MARCOS COUTO Vítima de uma doença rara, Charlise não conseguia movimentar o pescoço desde os 12 anos. Além disso, sentia dores insuportáveis na coluna, o que lhe causava uma série de limitações. Depois de levar uma bofetada ainda na infância, dada pela madrasta, Andrea sofreu por 30 anos de problemas de audição. Desde então, passou a ouvir de maneira abafada. SHUTTERSTOCK Após o nascimento, o filho de Roseane, Evaldo, foi diagnosticado com uma doença que atinge os rins e o fígado. Ele não andava nem se desenvolvia. Hoje, é uma criança saudável. MARCELO NEJM TV: instrumento de bênção ou perdição? Várias pesquisas mostram o fascínio que a televisão exerce sobre as pessoas; outras, no entanto, revelam a influência negativa de algumas programações, que, a cada dia, enaltecem fatores, como violência, infidelidade e divórcio, em detrimento de valores morais positivos. Estudiosos alertam: a decisão a respeito do que entrará em sua casa está em suas mãos e pode fazer diferença na vida de toda a sua família. Páginas 20 e 21 Vitória após 25 anos de sofrimento Uma nova vida sem a bengala Página B8 Parto nas mãos de Deus Com pré-eclampsia, Sandra Aparecida ouviu, momentos antes do parto, que eram poucas as chances de ela e o bebê sobreviverem. Unida pela fé, a família entrou em oração, e os próprios especialistas reconheceram o poder do Senhor no sucesso da cirurgia. Página 2 Página B5 Não tema, não trema e não se aterrorize diante do inimigo (Deuteronômio 20.3).

[close]

p. 2

2 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 Expediente Jornal Show da Fé Editorial Palavras de fé do Missionário PÁGINA 24 Quem crê espera a direção divina PÁGINA 22 ANO 2 - Nº 20 - SETEMBRO DE 2015 SHOWda FÉ O JORNAL DAAC PALAVRA DE DEUS MARCOS MARCOS AC MARCOS AC A bênção é para todos Charlise Bender, Andrea Bianca e Roseane Leandro são a prova de que, pela fé, tudo é possível. Elas alcançaram a cura para enfermidades com as quais conviveram por muitos anos, e, aos olhos naturais, já não havia mais esperança para elas. “Deus cura a pessoa porque ela crê, e não de acordo com o nível de sofrimento dela”, afirma o Missionário R. R. Soares. Páginas B1, B3 e B7 MARCOS COUTO Seus males já saíram! Missionário R. R. Soares Esta é a melhor notícia que você pode ouvir: Jesus de Nazaré continua operando maravilhas em nossos dias. Aprenda uma coisa: é seu direito livrar-se de qualquer sofrimento, pois o Filho de Deus já sofreu as suas doen ças e as coisas que o oprimiam. Ao crer nisso, o poder do Senhor se faz presente em seu viver. Com isso, você verá que os seus males já saíram. Portanto, não perca esse momento em que Deus o fez entender isso e venha estar conosco. Nós faremos a oração da fé por você. Então, o poder do Altíssimo agirá em sua vida e na de seus familiares. Não há por que viver em pânico ou sob qualquer opressão. Sua libertação é certa! Venha ser abençoado. Vítima de uma doença rara, Charlise Depois de levar uma bofetada ainda na não conseguia movimentar o pescoço infância, dada pela madrasta, Andrea desde os 12 anos. Além disso, sentia do- sofreu por 30 anos de problemas de aures insuportáveis na coluna, o que lhe dição. Desde então, passou a ouvir de causava uma série de limitações. maneira abafada. SHUTTERSTOCK Após o nascimento, o filho de Roseane, Evaldo, foi diagnosticado com uma doença que atinge os rins e o fígado. Ele não andava nem se desenvolvia. Hoje, é uma criança saudável. MARCELO NEJM TV: instrumento de bênção ou perdição? Várias pesquisas mostram o fascínio que a televisão exerce sobre as pessoas; outras, no entanto, revelam a influência negativa de algumas programações, que, a cada dia, enaltecem fatores, como violência, infidelidade e divórcio, em detrimento de valores morais positivos. Estudiosos alertam: a decisão a respeito do que entrará em sua casa está em suas mãos e pode fazer diferença na vida de toda a sua família. Páginas 20 e 21 Vitória após 25 anos de sofrimento Uma nova vida sem a bengala Página B8 Parto nas mãos de Deus Com pré-eclampsia, Sandra Aparecida ouviu, momentos antes do parto, que eram poucas as chances de ela e o bebê sobreviverem. Unida pela fé, a família entrou em oração, e os próprios especialistas reconheceram o poder do Senhor no sucesso da cirurgia. Página 2 Página B5 Não tema, não trema e não se aterrorize diante do inimigo (Deuteronômio 20.3). DIRETOR EXECUTIVO R. R. Soares CONSELHEIRO EDITORIAL Eber Cocareli EDITORA Elaine Monteiro R EPÓRTERES Amanda Pieranti Claudia Santos Mônica Ferreira R EPÓRTERES COLABORADORES Isabel Querino e Marcos Couto FOTOGRAFIA Marcos AC Luiz Fernando Marcelo Nejm R EVISÃO Célia Cândido (Direção), Joseane Cabral (Supervisão), Magdalena Soares (Prova), Jorge Guimarães e Marcella Peçanha (Originais) DIREÇÃO DE ARTE Kleber Ribeiro DIAGRAMAÇÃO E A RTE-FINAL Bruno Moraes, Leandro Alves, Rodrigo Magno e Tatyanne Rangel SITE www.ongrace.com/ jornalshowdafe E-MAIL jornalshowdafe@ongrace.com R EDAÇÃO Estrada dos Bandeirantes, 1.000 - Taquara - Rio de Janeiro RJ CEP 22.710-113 Telefone: (0xx21) 3077-5168 É expressamente proibida a reprodução total ou parcial de matérias, entrevistas, artigos, fotos e ilustrações sem prévia autorização dos titulares dos direitos autorais. O Jornal Show da Fé é uma publicação da Graça Artes Gráficas e Editora LTDA. LEMBRAR-ME-EI, POIS, DAS OBRAS DO SENHOR; CERTAMENTE QUE ME LEMBRAREI DAS TUAS MARAVILHAS DA ANTIGUIDADE (Salmo 77.11). Parto estava ameaçado MARCELO NEJM Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com o dia em que se internou para ter o primeiro filho, Sandra Aparecida Bernardes não teve uma boa notícia. “Eu não tinha sintomas, mas minha pressão estava bastante alta (280/190 mmHg). A médica mandou ir preparando o velório, porque eu já estava em pré-eclampsia; nem eu nem meu filho sobreviveríamos”. Confiante na Palavra de Deus, Sandra, que congrega na Igreja Internacional da Graça de Deus, não se abalou. “Minha irmã ligou N A médica mandou ir preparando o velório para nossos familiares, e todos oraram por mim. Nós, que somos de Jesus, temos a certeza de que tudo dará certo. Teria meu filho, e sairíamos vivos do hospital”. A cirurgia foi um sucesso. “Eu e o bebê fomos monitorados por, aproximadamente, quatro dias, pois temiam ainda alguma complicação. A médica, depois de me dar alta, creditou a Deus o êxito de minha situação. Tudo isso para a glória do Pai”. Entenda a doença: A pré-eclampsia ocorre quando uma mulher grávida tem pressão arterial elevada (acima de 140/90 mmHg), a qualquer momento, após a 20ª semana de gravidez. Porém, a pressão se restabelece até 12 semanas após o parto. A pré-eclampsia favorece a eclampsia, um tipo de convulsão que acontece na gestação e pode ser fatal para a mãe e o bebê.

[close]

p. 3

SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 3 Milagres pela TV O Show da Fé, programa de TV que alcança diariamente milhões de brasileiros, está levando os sofredores a receberem as mais fantásticas bênçãos em suas casas. Vício, depressão e melancolia No total, foram dez anos no vício em bebida. Lúcia Maria da Rocha relembra com tristeza a época em que era alcoólatra. “Eu contava os dias para chegar a sexta-feira, quando podia sair com minhas amigas para a farra e ficar bebendo até o dia raiar. Em pouco tempo, passei a fazer isso até durante a semana. A dependência do álcool foi tomando conta de mim. Bêbada, nem sabia o que fazia. A prostituição e as noitadas eram as minhas companhias. Era horrível, porque eu bebia até cair no chão”. No dia seguinte, a depressão e a melancolia tomavam conta de Lúcia, cujos problemas estavam só começando. Após ficar desempregada, ela se viu sem dinheiro para alimentar o vício. “Foi nesse momento que me afastei dos companheiros de bebida e decidi largar o álcool”. Porém, outros problemas espirituais passaram a rodear a vida dela. “Fique envolvida, durante muitos anos, com o espiritismo. Eu estava destruída e angustiada; já tinha perdido quatro irmãos assassinados. Além disso, era atormentada pelos espíritos malignos. Tentava ir à igreja evangélica, mas ficava um período e, depois, parava. Eu queria mudar, no entanto não sabia como. Fui parar até no manicômio”. Certa ocasião, Lúcia assistiu ao Missionário R. R. MARCELO NEJM Soares pela TV, e decidiu ir à sede da Igreja Internacional da Graça de Deus. “Passei a buscar minha libertação às sextas-feiras, mas não foi fácil. Levou tempo para que eu ficasse completamente liberta. Hoje, tenho alegria, paz e estou livre de todo o mal. Encontrei em Jesus um verdadeiro amigo”. MARCELO NEJM Filha é liberta das garras do diabo Da infância à adolescência, a filha de Zélia Maria Tavares viveu atormentada por espíritos malignos, a ponto de ver vultos constantemente. “Ela via também uma mulher sempre sorrindo para ela, tinha pesadelos e uma sensação de que era perseguida, além de dores de cabeça. Minha filha ficou perturbada e já estava com pensamentos de suicídio”. Quando Zélia passou a assistir aos cultos de R. R. Soares pela televisão, a situação começou a ser transformada. Ela anotou o endereço da Igreja Internacional da Graça de Deus, e, lá, decidiu aceitar Jesus, acreditando que só Ele poderia resolver o drama da família. “Eu buscava por minha filha nas reuniões e sentia as mudanças. Percebia que ela estava mais calma. Um dia, ela disse que ia comigo à Igreja, onde se rendeu a Jesus e foi liberta. Hoje, as perturbações fazem parte do passado”. Mão perfeita Um nódulo em uma das mãos que não podia ser retirado devido ao risco de perda dos movimentos locais. Esse foi o diagnóstico que Maria da Guia Augusta recebeu aos 18 anos. No entanto, ao assistir a uma reunião com o Missionário pela televisão, Maria teve a oportunidade de pôr a fé em ação, e orou para que o mal saísse. “Senti que o nódulo foi ficando meio mole, até que a minha mão ficou completamente inchada. Porém, continuei perseverando e ungindo o local com o óleo. Assim, minha mão ficou perfeita. Agradeço a Deus por esse canal de bênçãos pelo qual alcancei a vitória”, diz Maria, membro da Igreja Internacional da Graça de Deus.

[close]

p. 4

4 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 Planejava matar a família Servindo aos espíritos desde os 17 anos, Margot da Silva Pereira abandonou a prática logo após ficar grávida, aos 27. No entanto, ela relata que pagou caro às entidades por ter desistido da opção religiosa: o seu casamento chegou ao fim. Sempre caseira, Margot passou a beber e a viver nas farras. Ela chegou ao fundo do poço no momento em que seu filho adolescente se entregou às drogas. Perturbada pelo inimigo, não conseguia dormir e chegou a planejar a morte da família. Porém, mesmo sem conhecer o poder do Altíssimo, Margot clamou por misericórdia, e Ele a ouviu. Por meio do programa Show da Fé , sentiu-se encorajada a procurar Jesus, e a vida dela foi transformada. Servindo aos espíritos por dez anos, Margot abandona a casa de feitiços quando descobre que está grávida. Sem conhecer Jesus Cristo, começa a ser atacada pelo inimigo: o casamento dela acaba. Margot e o marido vivem como desconhecidos na mesma casa. Ela passa a se embriagar e a frequentar as farras. Margot chega ao fundo do poço quando vê seu filho de 13 anos se envolver com drogas. Com a mente perturbada pelo maligno, ela já não consegue mais dormir... Então, ouve o diabo mandando-a enforcar o filho enquanto ele dorme, mas o adolescente acorda na hora. Depois, Margot recebe a ordem para acabar com a vida de toda a sua família. Atordoada, sai para comprar veneno. Porém, ouve a voz de Deus e, arrependida, desiste de seu plano. Ao chegar à sua casa, pede perdão ao Senhor, chora muito e sente como se um peso saísse de suas costas. Ao ligar a televisão, assiste ao programa do Missionário R. R. Soares, e o pregador transmite uma palavra direcionada a quem quer matar a família e se suicidar. Margot procura uma Igreja da Graça. Lá, aceita Jesus, fica livre das bebidas, alcança a libertação do filho e tem o casamento restituído. PROTAGONISTA: PARTICIPAÇÕES: ASSISTENTE: ROTEIRO E PRODUÇÃO: FOTOS: ARTE: EDITORA: Hoje, ela serve a Deus na Igreja da Graça.

[close]

p. 5

MILAGRES COM A MINHA VOZ CLAMEI AO SENHOR; ELE OUVIU-ME DESDE O SEU SANTO MONTE (Salmo 3.4). Editorial SHOWda FÉ SETEMBRO DE 2015 B1 O impossível acontece Devido à síndrome de Klippel-Feil, Charlise não conseguia virar o pescoço desde os 12 anos. A coluna doía muito, e Charlise ouviu de 30 médicos que precisava car sentada 24 horas por dia para não sentir dor. No entanto, ao usar a fé, a situação foi revertida. mimar a caçula após a amamentação. “Minha menina sempre foi muito dengosa e queria ficar mais tempo no colo, mas eu não aguentava. A dor que eu sentia era como se alguém estivesse cravando uma faca no meio das minhas costas. Além disso, se eu me forçasse a fazer alguma atividade, a cabeça também doía”. Esse problema, que Charlise pensava ser normal, começou aos 12 anos. “Na época, um médico disse que eu tinha uma perna maior do que a outra, e teria de me submeter a sessões de fisioterapia; porém, devido à minha condição financeira, não fiz o tratamento e continuei com as costas doendo”. Ela só descobriu que sofria de uma doença rara após se acidentar em uma aula na academia. “Virei o pescoço, e ele travou. Fiquei uma semana assim. Ao fazer um exame, descobri que minhas vértebras eram coladas e que eu tinha a síndrome de Klippel-Feil, popularmente conhecida como síndrome do pescoço curto”. MARCOSAC Missionário R. R. Soares O sofrimento é coisa do passado! ocê é a única mãe que não faz as coisas para agradar ao filho”. A queixa do primogênito partia o coração de Charlise Bender Meireles, que se negava a andar a cavalo com ele, não por maldade, mas, sim, porque a coluna dela doía intensamente. Ela também se entristecia por não poder “V A sua libertação se dará em um abrir e fechar de olhos, quando você aprender que, na morte de Jesus no Calvário, Ele levou os seus males. Hoje é um dia especial, pois Deus está preparado para livrá-lo de todas as tentações que lhe sobrevêm. Com um pouco de entendimento, você verá que o padecer que o escraviza cairá por terra. Participe de nossas reuniões de fé e certifique-se de que o sofrimento é coisa do passado. Veja, nesta edição, as pessoas que testemunham do que lhes aconteceu e venha receber a graça divina. Os dias de milagres não passaram. Jesus Cristo continua operando na vida daqueles que creem. Você também será abençoado e liberto. A entrada e todos os nossos serviços são gratuitos. A doença inclui uma série de anormalidades de desenvolvimento, cuja principal característica é a fusão de vértebras cervicais altas, causando pouca mobilidade do pescoço. A enfermidade também pode deixar a pessoa completamente torta. “Fiquei em uma sala com 30 médicos, que ficavam analisando meu exame e olhando para mim. Aquilo me assustou”. Após a avaliação, os profissionais informaram que ela teria de tomar vários medicamentos e ficar 24 horas sentada, sem se movimentar, para não sentir dor. “Porém, isso era impossível, afinal, tenho uma família para cuidar”. Com o tempo, a última vértebra deslocou-se para o lado, piorando o quadro. “Os remédios só me davam alívio por alguns instantes, e eu chorava de dor”. As limitações enfrentadas por Charlise só aumentavam. “Se eu permanecesse muito tempo em pé, ficava ton- “Eu chorava de dor” ta. Não podia limpar a casa nem pegar meus filhos no colo”. Não suportando mais tal situação, ela clamou a Deus, acreditou que Jesus verdadeiramente levou sobre Si as nossas enfermidades (Isaías 53.4) e tomou posse da cura no culto do Missionário R. R. Soares. “Retornei para casa com minha bênção. Na primeira oração, senti meu pescoço alongar e virei. Olhei para o lado e comecei a chorar. Não estava acreditando que podia virar o pescoço pela primeira vez desde os 12 anos”, conta ela, que, para olhar para o lado, tinha de virar o tórax. “As pessoas pensavam que eu vivia com torcicolo”. Com o milagre, a vida de Charlise é outra. “A dor nas costas sumiu completamente. Fico muito tempo em pé e pego meus filhos no colo. Faço tudo que não podia. Hoje, tenho uma vida normal”.

[close]

p. 6

B2 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 MARCOSAC Menção do Nome de Jesus faz enfermidades desaparecerem monica.jornalshowdafe@gmail.com Mônica Ferreira “M uitos têm confiado no próprio dinheiro e em homens. Porém, importante mesmo é mencionar o Nome do Senhor Jesus. Nós não temos de falar uma palavra aqui e outra lá para ver se vai funcionar. Caso lhe sobrevenha alguma enfermidade, concentre-se e a repreenda. Se vier uma tentação, faça o mesmo. Diante de qualquer obra maligna, por mais assustadora que seja, mencione o Nome de Jesus e creia, pois o milagre acontecerá”. Após essa mensagem do Missionário R. R. Soares, em um dos cultos realizados no Brasil, muitas pessoas usaram esse ensinamento e foram curadas, principalmente de problemas nas pernas. “Passava as noites chorando de dor” Teresinha Maria Silva dos Santos é uma das abençoadas pelo Mestre. Somente quem já teve problema nos joelhos consegue entender o que ela passou durante dez anos, vivendo entre sua casa e o hospital. “Não aguentava mais. Quando meus joelhos travavam, era aquela correria para o pronto-socorro. Já fiquei internada por dois meses. Meus joelhos inchavam, e eu não podia andar direito, trabalhar nem usar salto alto”. Os médicos queriam operar Teresinha, mas ela resistia, MARCOSAC temendo os riscos. “Eles me diziam que, se não fizesse a cirurgia, talvez não pudesse mais andar”. A enfermidade mexeu com sua autoestima, pois ela perdeu o ânimo para sair de casa. “Passava as noites chorando de dor. Colocava almofadas entre os joelhos para aliviar os sintomas, mas de nada adiantava. Como eu moro no segundo andar, precisava subir e descer escada. Tinha de fazer isso devagarzinho e com o apoio de alguém. Não podia sequer me abaixar”. No entanto, ao determinar sua cura em Nome de Jesus, a situação mudou. “Eu confiei que sairia da reunião do Missionário com a minha saúde completamente restaurada, e Deus ouviu a minha voz”, afirma ela, que está caminhando sem limitações e usando seus sapatos de salto alto. “Sinto-me mais bonita. Tudo o que não podia fazer por causa das complicações no meu joelho, agora, faço sem dificuldade, inclusive subir escada”. “A dor me fez largar a profissão que exercia havia 50 anos” José Antônio Nogueira sofreu de artrose no joelho durante cinco anos. Devido a isso, abandonou seu emprego de cabeleireiro e barbeiro. “A dor me fez largar a profissão que exercia havia 50 anos e, para tentar diminuir aquele sofrimento, perdi 21 quilos. Tudo em vão”. Como a dieta não deu resultado, os médicos disseram que ele precisava ser operado. “Porém, não foi necessário, pois alcancei a cura no culto do Missionário”. Foi a primeira vez que José Antônio participou de uma reunião com o líder da Igreja da Graça, mas sua determinação e confiança no Nome de Jesus fizeram com que ele vencesse a enfermidade. “Livre da artrose, em breve, poderei cortar o cabelo e fazer a barba dos meus clientes”. MARCOSAC “Recebi de Deus uma vida nova” Fazia dez anos que Márcia Cristina Brito Nogueira era acometida por artrite, reumatismo e bursite. No entanto, essas doenças se agravaram há cerca de dois meses. “Eram dores que atacavam minhas pernas e meu braço direito. Para me locomover dentro de minha residência, apoiava-me em uma cadeira. Só conseguia sair de casa de carro. Não lavava nem estendia mais roupa, tampouco conseguia pentear o cabelo. Minha neta era quem me ajudava a tomar banho”. Márcia relata, ainda, que ficava deitada o dia todo e tomava vários remédios. “Havia um mês que não ia à rua sozinha. O médico disse que eu tinha de ser internada para tomar medicação diretamente na veia. Porém, eu não aceitava mais viver daquele jeito, com as pernas inchadas”. Revoltada com a situação em que se encontrava, ela procurou ajuda em Jesus, pois descobriu que Ele era o Único que poderia socorrê-la. Ao participar do encontro de fé com R. R. Soares, aquele mal foi embora. “ As dores desapareceram, e posso dizer que recebi de Deus uma vida nova”.

[close]

p. 7

SHOWda FÉ MARCOS COUTO ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 B3 Não conseguia andar nem dormir Gonçala Bezerra Gomes sofreu, por bastante tempo, de uma dor insuportável que ia do quadril até o joelho esquerdo. Porém, desde junho, o quadro piorou, e ela já não conseguia dormir direito nem andar. Devido ao problema, ela parou, inclusive, de ir à Igreja, e só frequentava os cultos caso alguém a levasse. “Cheguei a tomar remédios na veia para ter um pouco de alívio, mas sem êxito. Fiz ultrassom, raios X, exames de sangue e urina e até tomografia, porém não encontraram nada errado”. Em julho, finalmente, Gonçala conseguiu ir à Igreja da Graça para assistir a um culto de R. R. Soares, e foi surpreendida pelo poder de Deus. “A dor desapareceu. Recuperei os movimentos, e até o joelho, que estava travado, voltou ao normal. Estou curada!”, declara, aos prantos. Entretanto, desta vez, o choro não foi motivado pela dor, mas pela alegria. MARCOS COUTO “Ele começou a crescer e passou a andar” Marcos Couto parentemente, a gravidez da empresária Roseane Leandro Correia foi normal. Todos os exames feitos durante o pré-natal de seu filho, Evaldo Leandro da Silva Junior, hoje com nove anos, foram satisfatórios. No entanto, no parto, a criança aspirou mecônio e contraiu pneumonia. “Foi um tempo difícil. Meu bebê ficou vários dias internado. Tinha alta, mas não melhorava. Estava sempre amarelado. Mesmo com um tratamento longo, tivemos de retirar um de seus rins, que estava uma bola de sangue”, relata a mãe. Sem dores e dificuldades para andar A dor e a dificuldade para andar eram a realidade de Neuza Marin. Havia anos que um nódulo na perna esquerda a acompanhava. Embora isso nunca a tivesse atrapalhado, há cerca de dois meses, Neuza começou a sentir a perna doer, o que a impedia de fazer os movimentos normalmente. Na reunião com R. R. Soares, ela orou com fé e sentiu o nódulo diminuir. “Recuperei os movimentos da perna, e já ando e posso pisar corretamente, sem sentir dor alguma”. MARCOS COUTO A marcosstefano@gmail.com Ao realizar exames mais apurados, foi descoberto que a criança sofria de síndrome de Fanconi, doença rara que atinge os rins e o fígado. “Ele não andava nem se desenvolvia. Os médicos davam poucas esperanças, mesmo com o tratamento”. Embora os prognósticos não trouxessem esperança, a família não perdeu a fé e buscou o Senhor, principalmente nas reuniões do Missionário, no intuito de receber o milagre. “A partir do momento em que clamamos, o impossível aconteceu. Ele começou a crescer e passou a andar. Hoje, meu filho é bastante ativo e sente prazer em buscar a Deus”, completa a mãe, feliz. “Minha perna latejava e fisgava” Durante um reparo que fez em sua casa, há quatro anos, Zilene de Jesus caiu da escada e machucou os braços. Depois do acidente, ela também não conseguiu mais dobrar o joelho. Além disso, toda vez que fazia um esforço, a dor se estendia até a coluna. “Sentia o joelho se deslocar e dar uns estalos. Os exames não acusaram fratura, mas os nervos estavam retorcidos, o que me trazia desconforto”. O sofrimento de Zilene aumentou após um segundo acidente que atingiu a mesma região. “A minha perna latejava e fisgava, por isso eu andava lentamente”. A cura só foi possível no culto do Missionário. “Jesus me livrou daquele mal. Depois do milagre, voltei a arrumar minha casa e usar os meus sapatos de salto alto”. MARCOSAC

[close]

p. 8

B4 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 MARCOSAC Voltou a se levantar da cama e a sair sozinho s obras do Altíssimo sempre são grandes, porque Ele também é grande”, declara o Missionário R. R. Soares. Edgar Cardoso dos Santos não tem dúvida do poder de Deus, que lhe restaurou a saúde, tampouco de que essa afirmação é verdadeira. Ele chegou à Igreja mancando e com as pernas doendo muito. “Porém, tinha a certeza de que aquele seria o último dia do meu sofrimento”. “A Convivendo com as dores por, aproximadamente, nove anos, Edgar dependia da esposa, Maria de Fátima. “Ela me dava banho e me levantava da cama. Eu andava arrastando o pé. Era uma luta viver assim”, revela ele, que também estava impossibilitado de sair por causa da enfermidade. “Não aguentava mais ficar preso dentro de casa”. O sonho de cura e independência tornou-se realidade. “O milagre aconteceu porque meu marido acreditou de todo o coração no Altíssimo”, confirma, com grande alegria, Maria de Fátima. Casada há 40 anos com Edgar, ela garante que o esposo está completamente curado e que voltou a ter uma vida normal. “Ele se levanta, toma banho, anda sem mancar e sai sozinho. Até pega ônibus sem a minha ajuda, algo impossível no passado. Estou maravilhada com o milagre que Jesus fez na vida dele”. MARCOSAC “Mal podia me sentar, levantar e andar” No início do ano, Normandina Ferreira Gadelha começou a sentir dores incessantes nas pernas. “Ficava bem cansada enquanto andava. Precisava parar a todo instante para, então, dar mais alguns passos. Quando subia e descia escadas, doía ainda mais. Além disso, tinha muitas câimbras. Mal podia me sentar, levantar e andar”. O problema de saúde também a impedia de cuidar da casa. “Precisava da ajuda de minha neta nos afazeres domésticos”. Normandina diz que fez vários tratamentos, mas de nada adiantaram. Até que, ao participar de um encontro de fé com o Missio- MARCOSAC “Meu joelho e tornozelo não doem mais” Vilma dos Santos ficou triste após sofrer um acidente de trabalho e receber a notícia de que teria de ficar afastada de sua função por um bom tempo. “Quebrei o pé esquerdo, e passei a tomar remédios e depender de parentes para tudo dentro da minha casa. Foi muito ruim”. Após dois anos cuidando da saúde, ela voltou ao trabalho, mas não estava 100%. Ainda sentia dores no joelho e tornozelo. “No entanto, não podia continuar parada; precisava retornar ao serviço”. A cura completa aconteceu quando Vilma tomou posse da bênção em um culto de R. R. Soares. “Fui acreditando que seria abençoada por Jesus e saí da Igreja com a minha vitória. Meu joelho e tornozelo não doem mais”. nário, a cura que tanto buscava aconteceu. “Eu não paro de agradecer a Deus por esse milagre. Agora, cuido do meu lar, ando, me levanto e sento sem problema algum”. Com a saúde restituída, Normandina vai retomar uma atividade de que gosta bastante. “Quero voltar a fazer minhas caminhadas. Estou feliz da vida. Não existe mais nenhum empecilho para mim”. MARCOSAC “Estou quase um atleta” A dor não escolhe dia nem hora para atacar. Há algum tempo, ela atacou a perna direita e os braços de Raimundo Isidro Alves e não o deixou mais. “Ficar em pé era um sufoco, assim como me virar na cama. Minha esposa me ajudava a mudar de posição”. Raimundo acredita que o problema era consequência das muitas horas em que ficava pescando. Portanto, para se livrar definitivamente daquela angústia, ele clamou a Jesus no culto do Missionário. Entretanto, na data do evento, a perna e os braços de Raimundo estavam doendo demais e quase o impediram de sair de casa. “Usei a minha fé e fui buscar a minha bênção. Voltei para casa curado. A dor desapareceu. Agora, ando, corro e pulo sem qualquer dificuldade. Estou quase um atleta. Já posso até subir escada”. MARCOSAC “Era uma dor insuportável que não passava” Um tombo, há quase três meses, fez com que Maria Mendes da Silva ficasse à base de medicamentos. “Era uma dor insuportável que não passava. Atingia meus quadris e percorria minhas pernas”. Devido à enfermidade, Maria não pôde sair de casa por, aproximadamente, um mês. “Também não conseguia fazer nada na minha casa”. Como nenhum tratamento alcançou o efeito esperado, Maria orou por socorro e foi atendida. “Estou completamente curada. A dor sumiu, e posso fazer faxina, limpar meus azu- lejos e sair. Enfim, voltei à minha rotina. Deus foi muito bom comigo”.

[close]

p. 9

SHOWda FÉ “Aposentei a bengala. Agora é vida nova” Diagnosticada com artrite e artrose, Perpétua dependia da bengala para andar, caso contrário precisava se escorar nas paredes. Certa de que seria curada, ela foi ao encontro de fé mancando e deixou o apoio em casa. Na Igreja, alcançou o milagre e saiu andando normalmente. Mônica Ferreira monica.jornalshowdafe@gmail.com ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 B5 MARCOSAC om base em Isaías, capítulo 65, versículo 24 – E será que, antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei –, o Missionário R. R. Soares ensinou os participantes do culto a tomarem posse da bênção desejada. “Quando você ora: ‘Senhor, hoje, diante de Ti, decido que essa bênção é minha’, ouve a Palavra de Deus e seu coração se alegra, então o Altíssimo já lhe respondeu. Antes que clame, Ele já preparou e entregou a sua vitória. A partir desse momento, você não precisa mais clamar; basta agradecer”. C Render graças a Deus pela dádiva recebida é o que Perpétua do Carmo Pantoja da Rocha tem feito nos últimos dias. Há dez anos, ela fraturou o fêmur. Devido a isso, foi submetida a uma cirurgia; porém, nos últimos Mesmo dolorida e mancando, fui sozinha meses, voltou a sentir dores nos quadris. “O médico disse que eu sofria de artrite e artrose. Passei a usar bengala até dentro de casa. Dependia desse auxílio, ou então tinha de me escorar nas paredes”. Não aceitando viver daquele jeito, ela foi ao encontro de fé certa de que seria curada. “Mesmo dolorida e mancando, fui sozinha. Tinha tanta fé que alcançaria a vitória, que deixei a bengala em casa”. Com muita dificuldade, Perpétua pegou dois ônibus para chegar ao local e, quando entrou na Igreja, determinou que sairia de lá com a saúde restaurada. E assim aconteceu. Ela tomou posse da vitória que foi buscar. “Aquele mal sumiu, e estou andando perfeitamente”. Após o milagre, ela subiu uma escadaria um pouco íngreme sem qualquer apoio. “Aposentei a bengala. Agora é vida nova”. MARCOSAC MARCOSAC “Não conseguia esticar a perna nem me abaixar” Uma dor repentina na perna, que surgiu há cerca de um ano, tirou o sossego de Marilza da Conceição Lopes de Noronha. “Embora fizesse fisioterapia, não via melhora. Não conseguia esticar a perna nem me abaixar, muito menos subir no ônibus”. Sair de casa era outra complicação para Marilza, que precisava enfrentar várias escadas. “Tinha de me segurar no que pudesse e com bastante dificuldade”. A doença também a fez parar de trabalhar. “Sou faxineira e fiquei impossibilitada de passar pano no chão e limpar a casa direito, principalmente a geladeira”. Foi então que ela resolveu participar da reunião com o Missionário e alcançou a vitória. “Estou curada!”. O inchaço nas pernas foi embora A dor e o inchaço nas pernas, devido às varizes, tiravam o sossego de Maria Magali Silva havia mais de um ano. Mesmo com 82 anos, ela sempre foi ativa; porém, nos últimos tempos, tinha dificuldade até para cuidar da própria residência. “Pior mesmo era me abaixar e pegar peso. Se fizesse qualquer movimento com as pernas, ficava cansada, por isso eu andava devagarzinho”. Além dessas limitações, Maria Magali não conseguia ficar sentada por muito tempo. “Eu me levantava e sentava toda hora por causa das dores, tentando encontrar alívio de alguma forma”. Foi assim que ela chegou à Igreja. “Usei a minha fé, e Jesus me sarou. Já faço tudo o que não podia, inclusive andar rápido. Estou muito feliz”.

[close]

p. 10

B6 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 MARCOSAC “Vivo um milagre” Claudia Santos claudia.jornalshowdafe@gmail.com ão sou milagreiro nem milagroso; apenas prego a Palavra e anuncio que Jesus opera maravilhas onde estiverem dois ou três reunidos em Seu Nome. Ele mesmo declarou isso (Mateus 18.20)”. Waldir do Nascimento Dias estava no culto em que o Missionário R. R. Soares fez essa declaração e percebeu estar no lugar certo para ser curado. “Sou professor, trabalho em dois colégios e tenho de subir muitas escaMARCOSAC “N das. Porém, há seis meses, minha perna direita passou a doer muito, o que prejudicava o meu trabalho”. De acordo com Waldir, a dificuldade surgiu depois que ele caiu da bicicleta e se chocou com uma motocicleta. “Senti muita dor no corpo no momento do acidente. Felizmente, nos exames, não foram constatadas lesões ou fraturas. Porém, a dor na perna era cortante, e os remédios não faziam efeito”. Quando aceitou o convite da filha para participar da reunião, Waldir foi determinado a alcançar a vi- tória. “Minha esposa estava comigo e pediu que eu fosse à frente do altar na hora da oração da cura. Fui com fé”. O Missionário começou a clamar, e a multidão concordava com cada palavra de ordem para o mal ir embora. Quando o pregador ordenou que todas as sequelas de acidentes saíssem em Nome de Jesus, o professor começou a pisar com firmeza. “Não tive dúvida de que estava curado. A dor sumiu”. Andando normalmente e podendo trabalhar, ele também voltou a pedalar a sua bicicleta como antes. “Vivo um milagre”. MARCOSAC “Posso cuidar dos meus netos e brincar com eles” Por cinco anos, Valdiza Isabel Monteiro Ferreira padeceu de dor que começava na coluna e ia até os quadris. Isso a impedia de tomar conta dos seus três netos. “A minha netinha de oito meses, às vezes, queria ficar no meu colo, mas eu estava impossibilitada de segurá-la. Também não conseguia brincar com os outros netos”. Ela mal podia cuidar da casa. “Quando fazia algum serviço, doía bastante, então, precisava me deitar ou sentar. Tinha a sensação de que meus ossos se chocavam. Isso me deixava aflita”. Entretanto, no culto de R. R. Soares, Valdiza aprendeu a usar a fé para vencer o mal e foi abençoada. “A dor sumiu completamente. Posso cuidar dos meus netos e brincar com eles. Estou extremamente feliz com esse milagre”. Por dois meses, Antônia Conceição de Souza sentiu uma intensa dor que passava pela coluna, descia para as pernas e parava nos braços. No entanto, ela não sabia a causa desse sintoma nem procurava um especialista para investigar o caso. Antônia, que é evangélica há 30 anos, acompanha os programas do Missio- Dor no corpo a deixava desesperada nário desde 1979 e, quando soube que ele realizaria um culto em sua cidade, não pensou duas vezes: decidiu participar e clamar por sua cura. A situação estava tão complicada, que Antônia tinha dificuldade para cuidar da casa, cozinhar e fazer outras tarefas cotidianas. Porém, durante o evento de fé, aquele mal sumiu. “Eu estava desesperada porque simplesmente não tenho resistência à dor. Não sabia mais o que fazer. Agora, tudo voltou ao normal”. Apesar do sofrimento, Antônia optou por confiar unicamente na fé, em vez de se automedicar. Ela também é patrocinadora e estava certa de que, em Deus, alcançaria seu milagre. Venha receber a sua bênção IIGD POMPANO BEACH - 1261 East Sample Road Pompano Beach, FL 33064 - Igreja: (954) 785-3699 Pr. Willian Sodré - pompano@iigdusa.com ENTRADA GRÁTIS Missionário R. R. Soares Reuniões: segundas, quartas e sextas-feiras - 7:30pm Domingos - 10am e 7pm

[close]

p. 11

SHOWda FÉ SETEMBRO DE 2015 B7 CAMPANHAS DE FÉ MULHER, ESTÁS LIVRE DA TUA ENFERMIDADE (Lucas 13.12b). Editorial Fim do problema de audição que durou 30 anos Amanda Pieranti MARCOS AC amanda.jornalshowdafe@gmail.com Missionário R. R. Soares Deus opera as mesmas maravilhas hoje Depois que Jesus ressuscitou dentre os mortos e voltou para os Céus, os Seus discípulos passaram a anunciar que Ele estava fazendo, por intermédio deles, as mesmas maravilhas que operara pessoalmente aqui na Terra. Pedro reunia multidões em Jerusalém e, como eram tantos milhares, ele passava orando. E a pessoa sobre quem caía a sua sombra era curada. Sem dúvida, era o próprio Deus que, de um modo especial, curava aquelas vidas. Agora, eu lhe pergunto: aquilo só valeu para os dias dos apóstolos? É claro que não! Vale também para os dias atuais, pois, sendo o Senhor Deus o nosso Pai, Ele não pode nos discriminar. É por isso que convido todos a receber o seu milagre das mãos de Deus. eus cura a pessoa porque ela crê, e não de acordo com o nível de sofrimento dela”. Essa afirmação feita pelo Missionário R. R. Soares reavivou a fé de muitas pessoas que precisavam de um milagre, como, por exemplo, Andrea Bianca da Silva Pereira. Andrea passou 30 anos com problemas no ouvido direito, em virtude de um tapa que levou da madrasta na infância. Após o ocorrido, passou a ouvir de maneira abafada. ‘Ela estava agredindo minha irmã e, ao tentar acabar com aquela violência, fui atin- “D gida. Desde então, não escutava direito”. Sem condições financeiras para fazer os exames solicitados pelo médico, Andrea se acostumou a viver dessa forma. “Como o outro ouvido estava perfeito, deixei o problema de lado”. Até que o convite de um colega de trabalho para participar do culto mudou a vida dela. “Quando o Missionário chamou para o clamor, fui à frente e segurei minha bênção. Estou sarada!”. Feliz com o milagre, atualmente ela só tem de dosar o volume de sua voz: “Tinha o hábito de falar alto porque não escutava direito. Agora, vi que viver bem é escutar melhor”. Curados e felizes MARCOS AC MARCOS AC MARCOS AC “O zumbido me perturbava” Raimundo Nonato Silva Pereira ficou livre de um zumbido no ouvido direito que prejudicava sua audição havia 30 anos. “O médico disse que a causa era a labirintite, e não tinha cura. O zumbido me perturbava, pois não ouvia direito. Era horrível”. De tempos em tempos, a situação piorava. “Acreditei na cura, e Jesus restituiu a minha saúde. A vida melhorou bastante”. “Eu ouvia pouquíssimo” Durante um ano, Luiz Ferreira da Silva escutou um barulho muito forte no ouvido direito. “Parecia motosserra. Eu ouvia pouquíssimo. Para assistir a algo na tevê, tinha de ficar bem perto dela ou aumentar o volume”. Luiz estava disposto, inclusive, a comprar um aparelho de surdez, mas não foi preciso. “Fui buscar minha cura e voltei para casa com ela. Estou me sentindo ótimo”. “Estou ouvindo 100%” Há cerca de seis meses, um chiado nos ouvidos fez João Cândido da Silva ter dificuldades para ouvir. Embora tenha feito limpeza e obtido uma melhora, os ruídos voltaram. Recusando aquele mal, João procurou ajuda em Deus e teve o problema resolvido. “Estou ouvindo 100%”. Segundo ele, o convívio em família também melhorou. “As pessoas falavam, e eu não ouvia nada. Agora, escuto tudo”.

[close]

p. 12

B8 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 Vitória após 25 anos C de sofrimento MARCOS AC ura, libertação e transformação de vida. É isso que acontece nas reuniões do Missionário R. R. Soares. A bênção recebida por Maria Ieda Mendes de Oliveira é um exemplo dos milagres que têm mudado a história de muitas pessoas que depositam a fé em Jesus. Há mais de 25 anos, ela retirou um abscesso da axila direita e teve uma grave infecção. Sanada, restaram-lhe as complicações: o braço vivia dolorido, o ombro, inchado, e a mão queimava constantemente. Além Pentear o cabelo e tomar banho também era penoso disso, Maria tinha tendinite. “Precisava colocar a mão na parede, que é mais geladinha, para aliviar a dor”. Enfermeira, Maria teve de parar de trabalhar. “Fazia minhas atividades com as mãos cheias de atadura para pressionar a veia e ver se, assim, sentia um alívio, mas continuava doendo”. Em casa, ela precisava se superar sempre. “Não podia fazer força. Pegar uma panela de ferro já era muito para mim. Pentear o cabelo e tomar banho também era penoso, pois não conseguia levantar o braço”. Quando o Missionário convidou os enfermos para a oração da cura, Maria não hesitou. “Falei: ‘Essa bênção é minha’. Saí da Igreja curada. Naquele dia, tive a minha primeira noite de sono tranquila. Estou extremamente contente com Jesus”. Após o milagre, ela afirma que vive feliz. “Levanto o braço para trocar de roupa, limpo os vidros da casa e, ao tomar banho, dou glória a Deus, porque, antes, tinha dificuldade para realizar tudo”. Veja, a seguir, outras vitórias alcançadas por quem participa dos encontros de fé com R. R. Soares e acredita no poder de Deus. MARCOS AC MARCOS AC Não tinha firmeza na mão Há dois anos, Eva Monte Maior Alves quebrou a mão esquerda, mas não pôde se submeter à cirurgia. “Tinha colocado marca-passo, e o médico não quis operar, pois ficou com medo de que eu morresse. Então, fiquei com a mão, que doía bastante e não fechava totalmente, quebrada. Vivia à base de remédio”. Com as limitações, Eva não conseguia, por exemplo, lavar roupa. “Também faltava firmeza para pegar uma panela. Não podia executar quase nenhum movimento com a mão”. No entanto, ao determinar o fim da enfermidade, Eva foi abençoada. “O Senhor me curou. Não tomo mais medicamentos e já posso até costurar. Não tenho como agradecer a Jesus. Nunca me senti tão feliz como agora”. Era difícil abrir e fechar janelas e portas Abrir e fechar janelas e portas, um hábito comum, tornou-se algo árduo para Nadia Teresinha dos Santos. Há cerca de três meses, ela caiu e machucou a mão, sendo difícil movimentá-la devido à dor. “Era bem complicado fazer minhas atividades. Tinha sempre de massagear a mão para sentir um pouco de alívio”. Em dias mais frios, piorava. “Cheguei ao culto com dores, mas cria que seria curada, e fui. Se não tivermos fé, nada acontece. Hoje, abro e fecho portas e janelas sem problemas”.

[close]

p. 13

SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 MARCOS AC B9 Artrite reumatoide a impedia de movimentara mão Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com om artrite reumatoide na mão esquerda por, pelo menos, 15 anos, Enedina Coelho Ribeiro executava suas tarefas “male, male”, como ela mesma classificou. “Utilizava apenas MARCOS AC C uma das mãos. Para piorar, levei um tombo e quebrei o pulso”. Nenhum tratamento surtiu efeito. “Só fiquei curada depois da oração da fé. Naquele dia, estava com dor, tristeza e angústia. Porém, no momento em que comecei a clamar, todo incômodo pas- sou. Retornei para minha casa ótima e estou assim até agora”. Curada, Enedina passou a ter uma rotina normal. “Não podia botar roupa no varal. Colocava duas peças e tinha de baixar os braços por causa das dores. Agora, estendo minhas roupas facilmente”. Elas também tomaram posse da bênção MARCOS AC Tendinite que durou dez anos foi vencida O ato corriqueiro de fechar as mãos era quase impossível para Deli Andrades Martins, que sofria de tendinite. “Mal segurava os objetos com a mão esquerda. Era um transtorno no dia a dia, pois, como moro sozinha, tinha de fazer tudo. Não podia abrir uma garrafa, pegar um prato cheio ou lavar a louça. A enfermidade persistia havia dez anos. “O médico disse que era incurável”. Porém, Deli clamou a Deus, e o quadro foi revertido. “A dor desapareceu”, relata ela, que assiste ao programa do Missionário e, pela primeira vez, participou de uma reunião ministrada pelo líder da Igreja da Graça. “Fui com fé, orei e saí de lá vitoriosa. Agora, estou com a mão firme. Pego as coisas tranquilamente e não as deixo mais cair”. “Fiquei um ano sem poder exercer a minha atividade profissional direito e cuidar da minha casa por conta de uma bursite. A enfermidade surgiu depois de um acidente de carro, e limitava os movimentos dos meus braços. Não podia mais escovar o cabelo das clientes que frequentavam o meu salão de beleza, e isso sobrecarregava a minha cunhada, que é minha sócia. Perdi boa parte da clientela. Para me ajudar, meu filho lavava e estendia as roupas e varria a casa. Hoje, a situação é outra, pois Cristo me curou. Trabalho normalmente e cuido do meu lar. Estou muito alegre com isso”. Luiza Maria das Chagas MARCOS AC Voltou a fazer compras MARCOS AC Quando chegou à Igreja da Graça para um encontro de fé com R. R. Soares, Marli Duarte sentia muita dormência nas mãos, problema que surgiu no ano passado. “Perdi a firmeza no local, tanto que fui tomar água, e o copo caiu da minha mão. A obreira até ficou me olhando, mas falei com ela que seria curada por Jesus naquele culto”. Ao usar a fé, Marli moveu a mão de Deus em seu favor. “Após sentir um calor esquentando as minhas mãos, fui curada. Já faço de tudo. Inclusive, havia deixado de ir ao mercado, pois não conseguia segurar as sacolas direito. Agora não; faço compras normalmente”. “Sou cozinheira e tive de abandonar o trabalho por causa das dores nas mãos, consequência de uma artrose. Na minha casa, também era difícil cuidar dos serviços mais simples. Ficava entristecida com tudo isso. Sempre fui ativa, mas, nos últimos três meses, a minha rotina era ficar sentada ou deitada. Só encontrei a solução ao orar com fé ao Altíssimo. Minhas mãos pararam de doer, e voltei a cozinhar. Limpo frango e peixe e faço feijoada para meus familiares sem nenhuma limitação. Além disso, já posso arrumar minha casa”. Conceição Maria da Silva Carneiro MARCOS AC As dores que sentia nos pulsos também sumiram. “Fui determinada a ser abençoada e, naquele dia, retornei para casa radiante e livre de todo o mal”. “As minhas mãos amanheciam dormentes, mas pioraram depois que eu passei a sofrer de depressão. Fiquei assim por oito meses, e os médicos não tinham um diagnóstico certo. Quando eu perguntava sobre a minha cura, eles só respondiam que, com o tempo, melhoraria. Porém, só piorava. Perdi a sensibilidade e firmeza nas mãos, por isso não conseguia cuidar dos serviços de casa nem carregar peso. Como os remédios não faziam efeito, decidi participar do culto dos 40 Anos de Unção e fui curada. Faço tudo o que não podia”. Rosa Iracema Conceição

[close]

p. 14

B10 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 20 - USA - Setembro de 2015 MARCOS AC Dor na mão e hérnia no punho desapareceram uando eu mandar o mal embora de sua vida durante a oração, agarre-se ao Senhor, tome posse da cura e faça o que você não podia”, ensinou R. R. Soares na reunião de que Fátima Raposo dos Santos participou. E foi exatamente isso que ela fez para alcançar a restauração de sua saúde. Desde os 14 anos, a mão direita de Fátima doía. “O problema começou há, pelo menos, 40 anos, depois de um acidente em que caí em “Q cima de minha mão. Fui convivendo e tendo de me adaptar a isso”, relata ela, que trabalha como secretária. “Digitar textos era algo doloroso”. Fátima também estava com uma hérnia no punho direito. “O meu médico disse que eu precisava operar, pois, somente assim, meu sofrimento terminaria. Porém, como eu não quis passar por uma cirurgia, tive de me habituar também com aquele nódulo no punho”. MARCOS AC Quando a noite chegava, o mal-estar era mais intenso. “Latejava bastante. No entanto, ao usar minha fé, conforme ensinou o Missionário, fui curada. Não tomo mais remédio. Estou extremamente feliz com o milagre que recebi de Jesus”. Não conseguia nem segurar o edredom para se cobrir Uma dor que ia dos ombros até as mãos tirou o sossego de Francisca de Araújo Melo por, aproximadamente, cinco meses. “Doía bastante e não parava com nenhum medicamento. Era como se eu tivesse um peso nos ombros”. Lavar louça era uma tarefa árdua para Francisca. “Também não conseguia esfregar roupa, arrumar o armário nem segurar o edredom para me cobrir, pois sentia uma moleza, e tinha de parar. Meu marido e meu filho me ajudavam”. Crises nunca mais Diante dessa situação, Francisca, que sempre acompanhou o programa do Missionário R. R. Soares, decidiu ir, pela primeira vez, a um culto dele clamar por libertação. Ela foi com a ajuda de uma amiga, acreditando de todo o coração que sairia da Igreja sarada. “Meus ombros e minhas mãos já não doem mais. Glorifico a Deus por essa bênção”. Alguns movimentos eram quase impossíveis para Maria de Fátima, que estava com a enfermidade havia mais de três anos. “Não tinha posição para dormir. No frio, a dor só aumentava”. No entanto, ao tomar posse da bênção, sua vida mudou. “Aquele mal sumiu completamente, para a honra e glória do Senhor. Tudo voltou ao normal, e me alegro com o que Deus realizou na minha vida”. Com artrite no punho havia sete anos, Ana Cláudia Matias tomava remédios para tentar amenizar os sintomas. Trabalhar, então, era um sacrifício. “Ficava o dia inteiro em uma cozinha. Cortar legumes e levantar as panelas cheias era o momento mais difícil para mim. Doía demais, por isso precisava do apoio de minha ajudante. Quando tinha crises, era péssimo; nenhum remédio melhorava o meu estado”, diz Ana. MARCOS AC As fortes dores nos braços sumiram Após sofrer um acidente, Maria de Fátima Braga da Silva fraturou a clavícula. Mesmo fazendo tratamentos, a dor não cessava. Por conta disso, ela ficava com dormência nos braços e nas mãos. “Comecei a fazer alongamento e hidroginástica para tentar amenizar esses sintomas, pois não conseguia nem varrer a casa. Sempre que precisava usar os braços, doía terrivelmente”. “No inverno, era pior. Antes de ser cozinheira, fui secretária, e digitar textos era algo penoso, mas precisava trabalhar. Além da artrite, tinha também tendinite. Minhas mãos ficavam inchadas. Não conseguia nem torcer um pano, porque perdia as forças”. Porém, agora, tudo mudou. “A dor sumiu por completo. Trabalho em paz e com mais agilidade. Também não tomo mais medicação. É um milagre”. MARCOS AC Dedos desentortaram e pararam de doer Por nove meses, dois dedos da mão direita de Marlene D’Ávilla permaneceram tortos devido à artrite. “Doía e, esteticamente, era feio. Fiz fisioterapia com bolinha, mas não adiantou”. Porém, ao participar da reunião com R. R. Soares, ela pediu a Deus uma solução e foi atendida. “O Senhor fez os meus dedos desentortarem e pararem de doer”. Maravilhada com o resultado de sua fé, Marlene diz estar muito feliz e agradecida por aquilo que o Pai celestial fez em sua vida. “Ele é tudo de bom. Às vezes, eu queria torcer um pano ou limpar a casa e tinha dificuldade. Agora, não”. Venha receber a sua bênção IIGD BOSTON – 85 Washington Street Somerville, MA 02143 Igreja: (617) 996 9194 Pr. Glauber Morare – somerville@iigdusa.com Segundas, quartas, quintas e sextas-feiras – 8pm Domingos – 10am e 7pm MISSIONÁRIO R. R. SOARES ENTRADA GRÁTIS

[close]

p. 15

LIBERTAÇÃO E OS ESPÍRITOS IMUNDOS, VENDO-O, PROSTRAVAM-SE DIANTE DELE E CLAMAVAM, DIZENDO: TU ÉS O FILHO DE DEUS (Marcos 3.11). SHOWda FÉ SETEMBRO DE 2015 B11 Editorial “Era capacho do diabo” Amanda Pieranti MARCOS AC amanda.jornalshowdafe@gmail.com R Missionário R. R. Soares O evangelho é o poder de Deus para a cura Se você crer na Verdade e ela não o libertar, o Senhor terá de explicar a Sua Palavra, pois garantiu que assim aconteceria. É exatamente isso que tem ocorrido com milhares de pessoas que têm acreditado nas promessas do Mestre e vindo até nós. Em pouco tempo, elas começam a contar as maravilhas que lhes aconteceram. Por isso, o Evangelho tem sido procurado por milhões de seres humanos, pois ele não consiste de regras religiosas, mas é o poder de Deus para a cura, libertação e salvação de tantos quantos acreditam nas promessas do Pai. Portanto, decida que a sua vida vai mudar e venha unir a sua fé com a nossa. Assim, em pouco tempo, você descobrirá que Deus o abençoou e lhe deu um novo viver. Então, todos os sofrimentos acabaram. Há um milagre à sua espera! ebelde e perturbado. Assim Emanuel Cruz dos Santos define como foi na adolescência, época em que vivia em meio às más companhias. Aos 17 anos, ele se envolveu com cocaína, maconha, crack e bebidas alcoólicas. “Furtava objetos em casa para comprar drogas”. Perto dos 18, passou a andar armado e, depois, a traficar. “Porém, isso não era suficiente. Comecei a fazer assaltos em geral, inclusive roubava carros e lojas”. Aos 19, foi condenado por roubar um veículo. Antes de ser detido, Emanuel já ouvia a Palavra por intermédio de sua mãe. “Minha família era cristã. Minha mãe, percebendo o meu comportamento, colocava a mão na minha cabeça e orava por mim. Além disso, dizia para eu ler a Bíblia, buscar a Deus, fazer minha oração, porque não queria me ver mais daquele jeito, pois acabaria preso ou morto”. Na prisão, não foi diferente. “Fui tão rebelde que tudo o que minha mãe falava entrava por um ouvido e saía pelo outro; não queria saber. Porém, algo dentro de mim começou a falar comigo. Eu me perguntava: ‘O que está acontecendo?’. Achei que estava ficando louco”. Após a resistência inicial, Emanuel passou a as- sistir aos cultos no presídio. “Minha mãe sempre falou que é a Palavra que liberta. Ganhei uma Bíblia de uma pastora e, conforme eu lia a Escritura, sen- tia mais vontade de abandonar aquele estilo de vida. Comecei a entender que dei muita abertura para o mal e que era capacho do diabo”. Optou pela vida Com o entendimento das Escrituras, ele teve forças para buscar sua libertação. “Lembrava-me das palavras da minha mãe: ‘Ore, meu filho, e Deus irá abençoá-lo’. Já estava cansado daquela vida. Fui reconhecendo que o Senhor sempre foi comigo. Ele me livrou da morte nas madrugadas, quando ia comprar drogas. Então, passei a orar pedindo ao Altíssimo que, se Ele existisse, transformasse minha vida”. Deus foi lapidando o novo homem. “Enquanto estava preso, entreguei Ele me livrou da morte nas madrugadas minha vida ao Todo-Poderoso. Depois de uma semana, percebi que ti- nha parado de me drogar. Com as minhas próprias forças, não consegui, mas, quando aceitei Jesus e pedi que Ele me libertasse, não senti mais vontade de usar drogas. Hoje, graças a Deus, estou liberto. Eu era sujo, vivia abatido e me sentia velho, arrasado. Também percebia a presença do mal e enxergava a morte no meio de tudo aquilo”. Emanuel teve sua fé honrada por Deus. “Saí da prisão em uma terça-feira e, na quarta, estava no Culto da Família. No último domingo do mês, quando fui batizado, enterrei a velha criatura. Grandes bênçãos começaram a surgir; inclusive, minha maneira de falar mudou, pois gostava muito de gírias e palavrões. E, mesmo sendo um ex-presidiário, consegui emprego”. Hoje, Emanuel é obreiro na Igreja Internacional da Graça de Deus.

[close]

Comments

no comments yet