Revista da Lua 4

 

Embed or link this publication

Description

Revista da Lua 4

Popular Pages


p. 1

Revista da Lua de Algodão Ano 2 - Edição 4 Abril de 2013 Lua de Algodão Núcleo de Educação Infantil Distribuição gratuita NESTA EDIÇÃO: LITERATURA INFANTIL E MAIS! • Lidando com birras • Aprendendo Inglês • Dicas de passeio

[close]

p. 2

EXPEDIENTE Direção geral: Maria Aparecida dos S. Pereira e Maria José V. de Freitas Redação: Beatriz Alves e Cida Pereira Arte: Cristina Sano Revista da Lua de Algodão Ano 2 - Edição 4 Abril de 2013 Lua de Algodão Núcleo de Educação Infantil Distribuição gratuita 00 Revista da Lua de Algodão - edição 4

[close]

p. 3

APRESENTAÇÃO D urante os seus 22 anos de atuação, a Lua de Algodão vem se preocupando manter o bom relacionamento entre família em escola como a chave de seu sucesso na educação de seus alunos. A escola busca que este trabalho em equipe consiga resultados mais efetivos e integrados e que os pais possam participar de forma ativa da vida escolar de seus filhos. Para isso, são realizados eventos para a família, como dia das Mães e dos Pais, Feira cultural, Festa de Encerramento e nossa agitada Festa Junina, além dos encontros Primeiros Passos na Lua que auxiliam os pais que tem dúvidas, trazem novidades e propiciam um momento de conversa entre pais. Esta revista vem com o mesmo objetivo: informar os pais e a comunidade do Butantã sobre as atividades e novidades da Lua de Algodão, divulgar matérias referentes a crianças de 0 a 6 anos, e, principalmente, estabelecer mais um canal de comunicação com a escola. Sejam bem vindos ao mundo da Lua e divirtam-se! 00 Revista da Lua de Algodão - edição 4 03

[close]

p. 4

NOVOS PROJETOS O que seria do universo infantil sem as histórias? Todas as fantasias e mágicas, as morais e aprendizados, os personagens marcantes e os engraçados. Para a criança, as histórias sempre representam algo mais e os Projetos de Livros Paradidáticos semestrais da Lua aproveitam cada detalhe para que as crianças se aprofundem mais em um livro escolhido especialmente para a faixa etária deles. Veja os projetos deste semestre: Berçário II e Mini Maternal Professoras: Andreia e Selma Livro: “Esconde-esconde na escola” (Editora Cia das Letrinhas) O projeto vai introduzir as crianças dessa faixa etária nos primeiros contatos com o mundo da leitura, tendo a história vivenciada através de atividades no dia a dia das crian- ças dentro do espaço escolar. Abordaremos isto através de dois aspectos: o ambiente escolar, com a brincadeira esconde esconde, e os animais domésticos. 00 04 Revista da Lua de Algodão - edição 4

[close]

p. 5

Maternal Professora: Solange Livro: “Amora” (Editora Positivo) O projeto deste livro visa despertar a curiosidade sobre o comportamento da Amora, uma cachorrinha inquieta que busca sempre novas emoções, relacionando com as crianças do maternal que estão na fase das descobertas e por isso exploram todo o espaço, experimentam coisas novas e querendo sentir novas sensações. Grupo 3 Professoras: Célia e Danielle Livro: “Meus Porquinhos” (Editora Ática) As crianças do Grupo 3 tem como uma de suas características a curiosidade. A escolha deste livro deveu-se por ele ser deliciosamente divertido e abordar a exploração e manipulação de diferentes materiais através das sensações, o que permite às crianças que ampliem sua capacidade de expressão e consequentemente seu conhecimento de mundo. 10 05 Revista da Lua de Algodão - edição 4 00

[close]

p. 6

NOVOS PROJETOS Grupo 4 Professora: Gislaine Livro: “O mais legal do Folclore” (Editora Caramelo) Entre vários temas relacionados ao folclore, os mitos exercem uma fascinação maior por suas características sobrenaturais, misteriosas, surpreendentes e divertidas. O livro proporciona aos alunos trabalhar sobre hipóteses, já que na história a touca do Saci é pega por um dos personagens. Assim, as crianças serão estimuladas a tirar suas próprias con- clusões e tentar descobrir o culpado do sumiço, conhecendo outros personagens e histórias como o Lobisomem, Mula sem Cabeça, Bruxa, Curupira, Caipora, Boitatá, Anhangá, Alamoa, Minhocão, Mãe do Ouro, Negro D’água, Iara e Negrinho do Pastoreiro. Grupo 5 Professora: Inês Livro: “Bichodário” (Editora Larousse) As crianças do grupo 5 demonstram grande interesse pelo mundo animal, assim como já demonstram curiosidade pela escrita, reconhecendo letras e construindo hipóteses sobre como se escrevem as palavras. Aproveitando o momento de questionamentos e descobertas, o Bicho- dário foi escolhido com o propósito de usar os nomes dos animais como ponto de partida para a construção da escrita. Pretende-se assim mediar grandes produções, compartilhar nossas experiências e obter resultados de aprendizagens significativas. 06 00 Revista da Lua de Algodão - edição 4

[close]

p. 7

OUTROS IDIOMAS Aprender outro idioma tem se tornado mais importante a cada dia que se passa. Ter esse conhecimento é um diferencial que pode ampliar muitas oportunidades de trabalho. Entretanto, na Educação Infantil, este aprendizado deve ser passado de maneira lúdica, através de muitas brincadeiras, musicas e vivências. Não há mágica para falar. As pessoas aprendem a ler, a escrever, a tocar um instrumento. Mas a falar ninguém aprende. A fala é adquirida a cada palavra nova, cada fonema, o contato frequente com uma língua e o entendimento de que através de alguns sons ou formulação de palavras e frases pode fazer-se entendido pelos outros. Assim, o que incentiva esse início de fala é conversar com a criança, ampliando o vocabulário e aumentando o contato da criança com essa linguagem. Além das aulas de inglês na escola, o convívio com esse idioma também dentro de casa auxilia a criança estimulando seu aprendizado através do envolvimento dos pais. Colocar musicas infantis e desenhos em inglês é uma alternativa para os pais que não saibam falar inglês. Experimente substituir o repertório infantil por coisas ligadas ao inglês desde o início, pois assim, mesmo que a criança não cresça falando fluentemente, já estará com os ouvidos acostumados a essa língua para um dia aprender mais facilmente. O mais importante é passar tudo sem ser uma obrigação. Afinal, despertar o gosto pelo inglês será o método mais duradouro dos pequenos aprenderem. 07 Revista da Lua de Algodão - edição 4 00

[close]

p. 8

ACONTECEU NA LUA Encontro Primeiros Passos na Lua com a Drª. Clarissa Carvalho A escola convidou a psicóloga Clarissa para conversar com os pais sobre birras, broncas e como dizer não. Foram discutidas dúvidas dos participantes, mas lembramos aqui que não há uma maneira correta para educar uma criança. Nem sempre a teoria e os livros vão funcionar perfeitamente e o bom senso ajuda muito a tomar decisões. O que vale é tentar transmitir aquilo que os pais receberam de bom quando crianças e verificar suas próprias experiências para repassar para o filho. A começar pela birra, ela não é nada mais que o imediato. Os pequenos usam um pouco de agressividade pois ainda não conseguem colocar em palavras seus sentimentos. Morder, bater, chorar e fazer escândalos são os recursos que uma criança que ainda não sabe falar tem para mostrar que está chateado, bravo, ou que não gostou de algo. Para isso é necessário aproveitar 00 08 Revista da Lua de Algodão - edição 4

[close]

p. 9

do uso da palavra para acalmar o corpo. Por mais que a criança ainda não consiga responder, conversar com elas auxilia no processo de compreensão das crianças em relação às situações. Dependendo da criança, mesmo que ela não consiga falar ela consegue se comunicar e é isso que pode ser estimulado. Quando a birra acontece o que pode ser feito é tirar a criança da cena, principalmente se houver público. No momento também não adianta muito se exaltar e discutir. Puxe de canto e seja claro, firme e calmo tentando explicar a situação. Lembre-se que se o escândalo está acontecendo é porque a criança também está angustiada e precisa se acalmar. O que vale é usar a conversa antes ou depois do momento para diminuir estas situações. Em relação a birras dentro de casa, segundo a psicóloga, ao oferecer um objeto de necessidade às crianças, como comer, as pessoas tendem a oferecer um objeto de dom, que é a maneira como aquela ordem é passada, o “aviãozinho”, o carinho, a atenção, as músicas e brincadeiras e qualquer outra atitude persuasi- va. Às vezes a criança fica testando o objeto de dom, ou recusa o objeto da necessidade para receber ainda mais o de dom, apenas para manter aquela atenção por mais tempo, ou ver até onde vai. O mesmo vale para dormir e se higienizar. Tente interpretar essa resistência e identificar o que a criança está realmente querendo. Sair de cena e passar a tarefa para outra pessoa pode acabar com esse jogo de teste ou manha em alguns dos casos. Outra questão é a resistência para dormir. Assim como para os adultos, para as crianças pequenas adormecer não é tão simples. Precisam se desligar de fora, dos pais, das sensações, das expectativas para os dias seguintes. Muitos pais usam a chupeta, o paninho, um brinquedo para acalmá-los para dormir, pois esses objetos representam esse conforto e é normal a criança se apegar a eles até uns 2 anos e meio, desde que a família ache que não esteja atrapalhando o desenvolvimento da fala da criança, a interação social, ou esteja causando outros problemas. Com os mais velhos, conversar e 09 Revista da Lua de Algodão - edição 4 00

[close]

p. 10

ACONTECEU NA LUA explicar a criança que aquilo não é necessário, tranquilizá-la auxilia na separação deste sentimento com os objetos. Além disso, os objetos exercem para os pequenos a função de segurança em meio a mudanças. Quando eles entram na escola, viajam ou visitam a casa de parentes, o ambiente é outro de sua rotina, possibilitando que eles se apeguem mais aos objetos que passam a representar a mãe, o conforto de casa, o cheiro que estão tão acostumados. Uma forma de interpretar seu filho é observando suas brincadeiras. A brincadeira para uma criança é uma coisa muito séria. É através dela que vai tratar de suas angustias, externalizar seus problemas, seus questionamentos. E criança é assim. Eles querem atenção e carinho, querem provar que tem opinião e vontades, sentem ciúmes e saudades, as vezes testam os limites, passam por fases, ficam manhosos quando estão doentes. Para cada situação haverá algo a se fazer, mas não há um segredo. E ai entra um dos desafios mais gostosos lançado para todos os pais: Conheçam os seus filhos! E saibam interpretá-los mediando entre o bom senso para poder educá-los da melhor forma. 10 Revista da Lua de Algodão - edição 4 00

[close]

p. 11

EDUCAÇÃO FÍSICA Quando se trata da formação de um ser humano, a educação envolve muitas esferas. Deve-se preocupar com ensinar a andar, ler e escrever e viver em sociedade, passar ideias de respeito, ética, cultura, religião, incentivar o gosto pela leitura, artes, músicas e até mesmo pelas atividades físicas. Durante a educação infantil o desenvolvimento motor é essencial para a conquista de autonomia e a criação de hábitos para uma vida saudável que possibilitarão ao decorrer de seu crescimento evitar a obesidade e o sedentarismo, além de prevenir várias outras doenças. As aulas de Educação Física são diferentes das brincadeiras em outras ocasiões. O educador físico ensina como as crianças podem se movimentar, estimular suas capacidades, auxiliar na compreensão de movimentos e forças e na aquisição de equilíbrio. E mais do que apenas o sistema motor, as atividades físicas nesta idade se relacionam com o desenvolvimento cognitivo e afetivo, transmitindo valores, influenciando comportamentos e desenvolvendo outras habilidades. Desta forma, o aluno passa a conhecer seu corpo e as possibilidades de movimento, para então saber como e quando usar. Também auxilia na concentração, a lidar com as perdas, esperar a vez dos próximos, trabalhar em equipe e se relacionar. 11 Revista da Lua de Algodão - edição 4 00

[close]

p. 12

FICA A DICA São Paulo oferece uma grande diversidade de atividades de lazer para as crianças e algumas delas podem ser divertidas para os pais também Disco Baby Esta é uma festa para pais, familiares e crianças de 0 a 10 anos que gostem de chacoalhar o esqueleto. Acontece uma vez por mês, em um sábado, no Espaço Offset em Pinheiros, e além de contar com piscina de bolinhas, pista de dança e acesso à área arborizada da Chácara ao lado, oferece apresentações incríveis do circo, como palhaços, malabaristas e mágicos. Confira os preços, atrações e datas no site: www.festadiscobaby.com.br Teatro AVOAR Em uma metrópole qualquer e em meio à confusão do dia a dia, como em um passe de mágica, os personagens dessa peça transformam esta realidade melancólica em diversão e alegria, através de brincadeiras e cantigas. O espetáculo passeia por cantigas de roda, parlendas e brincadeiras de rua, como Senhora Dona Sancha, Mãe da Mula, João Bobo, Balança Caixão, entre outras. Aos Sábados, às 16 horas, no Teatro Paiol Cultural Fone: (11) 3337-4517 www.ciapicnic.com 00 12 Revista da Lua de Algodão - edição 4

[close]

p. 13

VAMOS COLORIR Ajude o floquinho a colorir o amigo índio 13 Revista da Lua de Algodão - edição 4 00

[close]

p. 14

Luciane Bolos & Cupcakes • Bolos para todas as ocasiões. • Para aquele grande evento ou aquela gostosa reunião em casa com os amigos. • Bolos de frutas frescas ou secas, bolos mousse, bolos com papel arroz, bolos caseiros para acompanhar o café, cupcakes. Tel: (11) 3637-2003 Cel: (11) 98200-0971 PSICÓLOGA CLÍNICA FABIANA PIRES (CRP: 6/104835) • Avaliação psicológica • Ludoterapia (acompanhamento psicológico infantil) • Psicoterapia (acompanhamento psicológico para adolescentes e adultos) • Orientação vocacional e profissional • Atendimento Home Care Rua Dep. Emílio Carlos, 1320 - cj 10 Vila Yara - Osasco/SP Próx. ao Shop. Continental Tel: (11) 98519-9031 E-mail: fabipires1@hotmail.com Atendimento só com hora marcada. Aulas de Violão para crianças Turmas de até 3 crianças De sete a dez anos Teoria e prática/musicalização Prof. Francine Lobo Prof. Musicalização da Lua de Algodão Fone: (11) 3721-4196 Cel: (11) 98097-1859 14 Revista da Lua de Algodão - edição 4 00

[close]

p. 15

Revista da Lua de Algodão - edição 4 00

[close]

Comments

no comments yet