Manifesto - CDHMP Foz do Iguaçu - Edição 01

 

Embed or link this publication

Description

Jornal do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu (PR). Fevereiro de 2011.

Popular Pages


p. 1

manifesto mais uma vez as empresas concessionárias do transporte coletivo unem-se para implantar mecanismos visando ao aumento de seus lucros à custa dos usuários e dos trabalhadores do setor não satisfeitos em continuar explorando um sistema de transporte coletivo precário com ônibus sem ar-condicionado e sem equipamentos de apoio aos portadores de necessidades especiais os empresários do transporte coletivo em conluio com a prefeitura estão impondo outros golpes contra os usuários e trabalhadores do setor implantaram um cartão único para obrigar os usuários a comprarem as passagens antecipadamente e assim capitalizarem as empresas ainda em sua sanha por maiores lucros os donos das empresas de transporte coletivo desenvolveram um sistema de funcionamento que se revelou caótico desde o início principalmente porque houve uma redução dos ônibus em circulação em relação à implantação da catraca eletrônica não há dúvida de a mesma irá reduzir as vagas de trabalho dos cobradores de ônibus os resultados das medidas antipovo implantadas pelos empresários do transporte coletivo têm ocasionado um verdadeiro caos provocando apreensão e prejuízos diversos para a classe trabalhadora essas novas regras impostas ao povo são inaceitáveis pois elas trazem prejuízos insuportáveis para os trabalhadores e estudantes usuários do transporte coletivo É preciso respeitar os interesses de milhares de pessoas desta cidade por isso temos o dever de chamar a responsabilidade do poder público para que atenda às reivindicações da população usuária de um serviço essencial como é o caso do transporte coletivo além dos aspectos menciona Órgão oficial do centro de direitos humanos e memória popular de foz do iguaçu ­ ano 1 ­ nº 1 ­ fevereiro de 2011 mudanças no transporte coletivo trazem prejuízos à população linhas confusas e ônibus lotados é a realidade de foz do iguaçu dos acima as recentes mudan íram a quantidade de ônibus em transbordo a cobrança de preços diferenças no sistema de transporte co circulação os estudantes só gozam do ciados de passagem para quem letivo trouxeram diversos transtornos para a população e para os direito de pagar meia passagem paga em dinheiro e para quem tem no horário escolar como se dei o cartão Único é ilegal pois fere trabalhadores do setor a saber diminuiu o tempo de descan xassem de ser estudantes fora do princípios que regulamentam a so dos motoristas nos terminais horário das aulas com essa me vida em sociedade a implantação do novo mopondo em risco a saúde dos tra dida o estudante está sendo prebalhadores do transporte coletivo judicado no que se refere a ir atrás delo foi efetuada sem a necessáo tempo para cumprir os iti de assuntos de interesse de seu ria participação popular causannerários diminuiu o que causa aprendizado depois do horário das do transtornos entre os usuários estresse para os motoristas que aulas ir à biblioteca por exem e trabalhadores do setor a defesa do transporte coleprecisam aumentar a velocidade plo a propagada integração por tivo de qualidade é importante para cumprir o itinerário a tempo em virtude das alterações das li meio do cartão único tem se re pois diminui 0 uso dos automóvelado uma fraude pois as pes veis reduzindo assim a emissão nhas houve a infeliz mistura da im soas muitas vezes tem de pagar de gases poluentes ao meio amplantação do cartão com a altera duas passagens para chegar aos biente ção das linhas ao que tudo indi seus destinos tal integração defoz do iguaçu 3 de fevereiro ca mais uma vez as linhas e re veria ser feita em terminais de de 2011 giões foram divididas entre as centro de direitos humanos e memória popular de foz do iguaçu empresas concessionárias que associação dos usuários do transporte coletivo de foz do iguaçu assumiram a responsabilidade de app sindicato dos trabalhadores em educação pública do paraná oferecer transporte coletivo para núcleo regional de foz do iguaçu a população sindicato dos empregados em est e serv saúde de foz e região preocupadas somente com a sinecofi sindicato dos empregados no comércio de foz do iguaçu arrecadação e não com a segusindijor foz e região subseção do sindicato dos jornalistas rança e a qualidade do transporte sindicato dos trabalhadores em hotéis oferecido aos usuários os empremovimento fronteira zero sários implantaram o cartão Únimovimento hip hop cartel do rap co reduziram as linhas e diminu manifestação por melhorias no transporte coletivo dia 3 às 8hs no ttu caminhada em direção a câmara municipal foto silvio vera

[close]

p. 2

por um transporte coleti n os últimos dias a cidade de foz do iguaçu tem vivido um verdadeiro caos na área do transporte coletivo de pois de terem ocorrido mudanças na composição das empresas permissionárias sem que a população tenha sido informada os usuários desse serviço foram surpreendidos com uma mudança radical do sistema anterior com prejuízos graves para suas vidas principalmente em relação ao trabalho diante de tal estado de coisas o centro de direitos humanos e memória popular de foz do iguaçu torna público esse manifesto com o intuito de conscientizar e mobilizar a sociedade para que a mesma exija uma mudança radical na maneira como são tratadas as questões relativas ao bem público transporte coletivo urbano na cidade buscando cumprir os objetivos acima entendemos que é importante recuperar a memória do que aconteceu nesse setor nas duas últimas décadas iniciamos com a manobra perpetrada há cerca de 15 anos quando quatro grupos econômicos com a anuência do então prefeito dobrandino gustavo da silva dividiram a cidade em quatro partes e acertaram a região em que cada um deles por meio de suas empresas iria atuar explorando o transporte coletivo sem que tivesse sido realizado processo licitatório para tal desde então a cidade vinha sendo explorada por quatro empresas sendo que houve atrasos dos ônibus causam insatisfação entre os usuários do transporte coletivo uma ocasião em que uma delas simplesmente repassou o direito para uma quinta sem ao menos dar satisfação para a sociedade esta quinta transportes salto do pirapora tsp posteriormente repassou de novo a permissão para uma sexta que nem era regulamentada juridicamente viação cidade de foz tal situação perdurou durante os governos harry daijó e celso sâmis da silva sendo que na primeira gestão do atual prefeito paulo mac donald ghisi iniciouse um movimento para que fosse realizado processo licitatório no sentido de legalizar e reordenar as permissões de exploração do transporte coletivo na cidade tal movimento teve como motivação a iniciativa do ministério público local o qual por meio da atuação do promotor andré gustavo de castro ribeiro conseguiu abrir ação civil pública contra o foztrans e as empresas de ônibus elas porque não cumpriam o dever de oferecer transporte coletivo digno para a população e a autarquia municipal porque não as fiscalizava apesar de toda a exigência para que houvesse o processo licitatório o atual prefeito no último ano de seu primeiro mandato resolveu prorrogar as permissões ignorando inclusive parecer contrário da procuradoria-geral do município que o alertou da ilegalidade de tal procedimento mesmo porque duas das empresas que exploravam o transporte coletivo estavam irregulares a viação cidade de foz simplesmente não tinha existência jurídica e a viação itaipu estava inadimplente junto ao inss por não recolher as contribuições previdenciárias de seus funcionários durante a última campanha eleitoral para prefeito a cidade ficou estupefata ao assistir pela televisão e em pleno horário eleitoral gratuito a uma gravação na qual o então diretor-superintendente do foztrans yoshimitsu oda aparecia solicitando dinheiro em nome do prefeito para o proprietário da empresa transbalan no escritório da mesma tal vídeo foi gravado pelo próprio achacado que o entregou a um vereador da ci deu no clickfoz 31/01/2011 14h03 atualizado segunda 31/01/2011 população reclama das mudanças no no último sábado pela manhã a redação do clickfoz foi até o terminal de transporte urbano ttu ouvir a opinião das pessoas sobre a recente mudança realizada no sistema de transporte nenhuma pessoa disse ter se sentido beneficiada pelos serviços após a adaptação a maior parte das reclamações está relacionada à mudança das rotas a impressão que se tem é de que a população ainda está perdida ficamos aproximadamente duas horas dentro do ttu acompanhando o fluxo de pessoas que chegava e saía neste curto período tornou-se comum ver o transeunte descer do ônibus e perguntar para o cobrador o próximo ônibus que deveria embarcar para seguir o itinerário nossa sujeira está todo mundo perdido não sabe o ônibus que deve pegar declarou elza moradora de foz do iguaçu há 12 anos segundo ela esta é a pior situação que o transporte coletivo de foz já esteve elza sugere que os itinerários voltem ao modelo antigo pois agora o tempo de espera no ponto de ônibus é maior tem que melhorar né porque como estava nos primeiros dias era horrível eu vim do morumbi e tive que esperar quase uma hora e meia ainda não consegui pegar o ônibus que passava na av mario filho o ponto tinha sido mudado de lugar eu tive que caminhar para outro ponto denunciou anita moradora de foz do iguaçu há mais de 30 anos a redação do clickfoz esteve no ttu para saber quais dificuldades as pessoas tem encontra manifestação por melhorias no transporte coletivo dia 3 foto silvio vera

[close]

p. 3

ivo digno e de qualidade dade tendo o mesmo sido apresentado em plena sessão daquela casa de leis no entanto o prefeito teve a cara de pau de dizer que aquele vídeo era uma montagem depois de reeleito o atual prefeito foi intimado a fazer por ordem judicial uma nova licitação para o transporte coletivo após protelações e mais protelações foi anunciado que tal processo estava em curso sem que houvesse transparência em relação às regras que o regiriam sem a homologação do resultado de tal processo pelo diretor do foztrans sendo que o penúltimo deles pediu demissão do cargo por não concordar com o que estava acontecendo de repente a cidade começou a ver os ônibus circulando com uma pintura padrão alguns deles com a marca da transbalan outros com a marca de um tal de consórcio sorriso que até hoje pouca gente conhece os que sabem quem faz parte do tal consórcio sorriso que mais parece uma tentativa de rir às custas do povo têm conhecimento que ele é composto por empresas que vieram de fora e têm a tradição de explorar o transporte coletivo em outras cidades entre eles está o grupo constantino os donos da gol transportes aéreos uma empresa de curitiba ligada ao grupo gulin que explora o transporte na capital do estado e uma empresa de são paulo de propriedade da família gatti ou seja de ermínio gatti que é o dono da viação itaipu tal empresa não pode participar do processo licitatório por continuar inadimplente devendo para o inss as contribuições previdenciárias recolhidas de seus funcionários em mais uma manobra o grupo gatti simplesmente trocou a viação itaipu por outra que atua em são paulo só que a mesma está utilizando a garagem e a estrutura da viação itaipu em uma trama ardilosa imoral e desrespeitosa não satisfeitos em continuar explorando um sistema de transporte coletivo precário com ônibus sem ar-condicionado e sem mecanismos de apoio aos portadores de necessidades especiais os empresários do transporte coletivo em conluio com a prefeitura estão aprontando outros golpes contra os usuários e trabalhadores do setor inventaram um cartão único para obrigar que os usuários o comprem antecipadamente e assim capitalizem as empresas e desenvolveram um sistema de funcionamento que se revelou caótico desde o início mesmo porque houve uma redução dos ônibus em circulação em relação à implantação da catraca eletrônica não há dúvida de que irá reduzir as vagas de trabalho dos cobradores de ônibus locais diante de tal realidade o centro de direitos humanos e memória popular de foz do iguaçu conclama a população a lutar para que haja uma revisão de todo o sistema de exploração do transporte coletivo local com transparência e com a participação dos usuários e trabalhadores e a reformulação do conselho municipal de transporte coletivo para que o mesmo seja amplamente representativo e participativo conclamamos também que o ministério público participe do processo de revisão acima e cobramos da câmara municipal de vereadores uma posição firme para proteger os interesses do povo que espera de seus representantes a defesa de seus direitos foz do iguaçu 01 de fevereiro de 2011 transporte coletivo de foz do iguaçu além de acompanhar o ritmo no ttu embarcamos em um ônibus para a vila portes e seguimos conversando com as pessoas abordo está difícil porque demora muito pra vir o ônibus quando vem está muito cheio no bairro que eu moro demora mais de uma hora pro ônibus passar eu moro no morumbi iii reclamou dani maria cruz de volta ao ttu conversamos com tatiana que disse estar completamente perdida mesmo depois de 15 dias da mudança nas rotas ela ainda não sabe qual ônibus pegar para voltar pra casa eu não gostei nada desta mudança eu trabalho duas vezes por semana na vila a e fiquei um monte lá esperando eu moro no jd patriarca e até agora eu não sei qual ônibus eu tenho que pegar pra voltar pra casa o jd das flores passa reto de onde eu moro antes era este que eu pegava agora estão dizendo que é o jd cataratas mas eu esperei esperei e não vi ele passar agora eu vou esperar de novo pra ver qual vai ser eu queria que voltasse tudo como era antes afirma dentro do ônibus encontramos um rapaz com deficiência visual segundo ele a mudança o prejudicou porque além de não conseguir ler com facilidade os horários mudaram e aparentemente a frota de carros foi reduzida mudou bastante agora parece que diminui os ônibus pra mim piorou muito ainda mais que eu tenho deficiência visual antes pra mim era mais fácil agora eu estou perdido por mariana serafini ado para se locomover com o transporte público às 8hs no ttu caminhada em direção a câmara municipal foto carol miskalo foto silvio vera

[close]

p. 4

fala pro usuário esperar sentado publicado no blog do fronteira zero a s novas mudanças realizadas pela prefeitura de foz do iguaçu no itinerário dos ônibus de transporte coletivo não agradou a maioria de seus usuários conforme vem destacando a imprensa local nos últimos dias grande parte das reclamações está pautada nas mudanças das linhas e sua falta de informação sem mencionar o longo tempo de espera pelos coletivos vendo as reportagens e lendo os comentários da enquete realizada pelo jornal paraná tv da rpc tv nota-se que ao invés das mudanças realizadas os usuários gostariam apenas que houvesse mais ônibus nas linhas antigas chamando a atenção o fato de que quase não se ouve comentar sobre o atual valor das passagens mudanças realizadas e desgostosos à parte acreditamos que o real problema do transporte público iguaçuense não é apenas o que está sendo noticiado há muito tempo nas mãos da iniciativa privada o transporte perdeu o seu caráter pÚblico isto porque é natural toda empresa realizar relações de custo e benefício além do constante cuidado em enxugar gastos e multiplicar os lucros estudos são realizados para saber qual é o número de passageiros de cada linha e os horários onde mais se necessita de ônibus verificados a quantidade de passageiros e os horários mais neexpediente manifesto é uma publicação de responsabilidade do centro de direitos humanos e memória popular de foz do iguaçu fundado em 20 de maio de 1990 av brasil 531 galeria center abas 3º piso sala 54 cnpj 73.729.949/0001-09 telefone 45 9905 -9249 jornalista responsável aluízio ferreira palmar mat 2512 mtbpr o centro de direitos humanos e memória popular de foz do iguaçu tem como princípio a construção de uma sociedade justa democrática e igualitária para tanto visa ao desenvolvimento de programas de promoção e defesa dos direitos humanos econômicos previdenciárias e culturais a diretoria é do cdhmp é formada por aluízio palmar presidente danilo georges vice-presidente tathiana guimarães secretária-geral osmar gebing tesoureiro e alexandre palmar diretor de comunicação conselho fiscal josé elias aiex e olírio rives dos santos cessitados calcula-se quantos gitaram a possibilidade da criação ônibus e com que frequência eles de uma empresa pública de transpassarão cálculo este realizado portes onde deve prevalecer o por baixo no liame da tolerância direito da população e não do cae do aperto do passageiro em pital em virtude da autoconscioutras palavras quanto mais sar ência de que não são capazes de dinhas eu colocar numa lata só menos lata eu gasto não é assim continuam faltando ônibus nos horários de pico e mais ainda nos horários intermediários não há lucro quando não há passageiros suficientes para cobrir os gastos por que será que esperamos mais de uma hora pra pegar ônibus nos finais de semanas o foztrans pensou vamos deixar o usuário esperar senta usuário do transporte esperando o ônibus do e o usuário sentado em uma pedra pensou quem nos dera esperar criar e gerir um empreendimento sentados como este isto porque os interesses polío transporte além de ser ruim ticos prevalecem sobre os inte e démodé pois foz do iguaçu vai resses coletivos o repasse para à contramão do discurso ecolóo setor privado nada mais é do gico não compensa pegar ônique um atestado de incompetên bus pra quem tem carro gastacia de todas as administrações se menos tempo e dinheiro fapúblicas que tivemos até então çamos uma conta simples ratificado pela atual administrao percurso do boicy até a vila ção quando da realização da últi a possui mais ou menos 7 km ma licitação vencida por um con uma pessoa gasta menos de um sórcio de empresas sequer co litro de combustível r 2,60 se gasolina e r 1,70 se álcool e 15 a 20 minutos para fazer o referido percurso se for de ônibus gastase r 2,40 ou r 2,20 e no mínimo o dobro de tempo isso desconsiderando o tempo gasto na espera do ônibus e o trecho que anda a pé até o ponto e seu destino assim é evidente a vantagem de ir de carro do que ir de ônibus pois a pessoa desembolsa a mesma quantia e gasta o dobro do precarização dos pontos de ônibus tempo agora imagine que sejam duas pessoas o preço da passagem para elas duplica-se enquanto que o gasto com o carro continua o mesmo além do aperto do trabalhador e da falta de consciência ecológica há o estudante que também está sendo lesado com direito a pagar meia entrada em quase todos os lugares que cobram entrada no transporte público municipal ele tem seu direito relativizado ele só paga meia quando estiver no seu horário de aula e no ônibus que faz o trajeto casaescola ora alguém aí deixa de ser estudando fora do colégio um exemplo que demonstra muito bem essa contradição ocorre quando o aluno que quer ir ao cinema que é cultura e faz parte da formação acadêmica para ver a telona ele paga meia mas pra chegar até lá ele paga passagem inteira pois não está no horário de aula isso também ocorre quando ele precisa fazer um trabalho ou estudar na biblioteca municipal no contraturno escolar e ainda tem gente que acha que a aquele discurso que diz que quem está no poder não quer que o povo pense não passa de falácia veja o exemplo e pense nas dificuldades criadas ainda sobre o preço das passagens nossa opinião é a de que a estipulação de valores diferenciados pelo mesmo produto ou serviço para quem tem o cartão Único esta eivada de ilegalidade em virtude desta prática ter cunho abusivo e violar os direitos básicos das relações de consumo proibidos pela interpretação do código de defesa do consumidor portanto os problemas do transporte público iguaçuense não se resumem a falta de ônibus e a longa espera todo o sistema desde suas primeiras idéias é defeituoso e influenciado por interesses individuais para resolver isso precisamos discutir e manifestar nossas opiniões gostaríamos muito que você leitor divulgasse este texto e deixasse sua opinião aí nos comentários o movimento fronteira zero desde já agradece manifestação por melhorias no transporte coletivo dia 3 às 8hs no ttu caminhada em direção a câmara municipal foto carol miskalo

[close]

Comments

no comments yet