Perfil4

 

Embed or link this publication

Description

Edu

Popular Pages


p. 1

EDUCAÇÃO A escola prepara a criança para o desfralde com atividades concretas que demonstram quanto tempo falta para usar a calcinha ou a cueca UBIRANI LUCENA Psicóloga, Educadora e Assistente de direção no Instituto Bisinotto www.bisinotto.com.br E se a criança já estiver na escola, surge outra pergunta: “Como a escola pode ajudar?” A escola é a maior parceira da família no processo de desfralde, pois ajuda no processo de perceber os primeiros sinais de maturidade física e emocional para o início do processo. Alia-se à família preparando os pais através de reuniões que explicam o passo-a-passo do desfralde e como intervir diante dos percalços e avanços da criança. Acompanha a criança na implementação do processo, momento em que o lúdico ajuda no entendimento sobre o que é esperado dela antes, durante e depois do desfralde. Após iniciado o processo, a comunicação entre família e escola precisa ser pontual e transparente, todos os procedimentos adotados em casa e na escola devem ser uniformes. Os pais devem ler as anotações dos educadores na agenda diariamente e relatar como está o processo em casa. É importante relatar sobre incidentes/ dificuldades e progressos que acontecem e sobre a sua reação e a da criança. A escola deve responder às anotações dos pais e mostrar como a criança se comporta na escola, principalmente na hora de usar o sanitário. Família e escola precisam ter paciência para enfrentar esse processo que envolve, sim, algumas escapulidas dos xixis e dos cocôs. Aliás, é extremamente comum que muitas destas escapadas ocorram em um único dia. Principalmente nos primeiros dias em que a criança está sem a tão prática fralda descartável. Vale lembrar que não existe uma duração de tempo pré-determinada para que o processo de retirada de fraldas se complete. Cada criança tem seu próprio ritmo de desenvolvimento, que deve ser totalmente respeitado. Outra coisa importante é que, em geral, a criança costuma começar a controlar primeiramente o momento da micção para só depois controlar o momento da evacuação. Aliás, é muito comum para algumas crianças ainda requisitarem aos pais que coloquem nela a fralda na hora de evacuar, os pais não devem ceder a esse pedido. É normal que as crianças resistam em usar o vaso para 49 | REVISTA PERFIL A HORA DO DESFRALDE O desfralde depois do andar e falar é considerada uma das fases mais importantes para o desenvolvimento infantil. Porém, costuma trazer ansiedade para os pais que querem ver logo os seus filhos livres das fraldas e com controle total dos esfíncteres, mas, ao mesmo tempo, relutam em ver o bebê sair de cena e dar lugar a uma criança independente e autônoma, capaz de fazer por si mesma. Criado esse impasse emocional, é preciso resolvê-lo entendendo que a retirada de fraldas é uma fase normal e deve ser respeitada como todas as outras. Compreender que para a criança é difícil entender o porquê de uma hora para outra não usar mais fraldas e sim o sanitário. E mais que isso, para a criança conseguir controlar o xixi e o cocô ela precisa estar madura e entender algumas funções físicas de seu corpo para depois poder controlá-las. Diante da iminência do desfralde, um dos questionamentos dos pais é: “Quando começar a retirar a fralda?”. Quando as crianças apresentam os primeiros sinais de maturidade, por volta dos dois anos. Junto com a constatação da maturidade para a retirada, é importante que este momento não coincida com situações de rotina irregular (como viagens), doença (da criança ou na família), nascimento de irmão, morte de ente querido, ausência temporária da mãe/pai ou alguém muito próximo à criança, mudanças (babá, empregada, casa, escola, educador, cidade, país; retirada de mamadeira, chupeta, paninho) ou qualquer outro episódio de ruptura. 48 | REVISTA PERFIL EDIÇÃO Nº 36 É imprescindível perceber os primeiros sinais de maturidade para a retirada de fraldas, eles são a chave para o sucesso ou o fracasso do processo. São eles: esfíncteres (músculos responsáveis pela expulsão das fezes e urina). Nesta idade a criança, em geral, evacua apenas durante o dia (algumas crianças têm, inclusive, regularidade de horário), o que facilita a aprendizagem. Permanece com a fralda seca por longos períodos ao longo do dia, inclusive após a soneca diurna. Maturidade motora: a criança fica de cócoras, cruza as pernas, sobe e desce de obstáculos, tira a própria roupa (desde que de fácil manuseio, como as que têm elástico na cintura, sem zíper ou botões), tem equilíbrio. 1. Maturidade fisiológica: a criança passa a controlar os 2. 3. Maturidade cognitiva: consegue expressar o que acontece ou quer, informando que fez ou quer fazer xixi e/ou cocô (mesmo que haja confusão entre o anunciado e o feito) e entende ordens simples como: “Vamos ao banheiro”.

[close]

p. 2

EDUCAÇÃO O desfralde marca a primeira vez em que a vontade dos adultos não consegue sobrepor-se à vontade da criança; é a primeira vez em que a criança está no controle daquilo que muitas vezes não se controla. Por esta razão, a retirada de fraldas só tem chances de sucesso quando há sintonia entre a criança e todos aqueles que a ajudam neste complexo processo de aprendizagem. O mais importante em toda esta fase é acreditar no potencial da criança, ter paciência e compreensão, pois afinal, todos nós – pais e educadores também já fomos crianças e provavelmente demos um certo trabalho para nossos pais, não é? A regra de ouro é não se esquecer de que as crianças estão passando por um período de grande desafio. Se encararmos como um processo natural, o controle dos esfíncteres se transforma em uma grande conquista. O aumento no tempo de concentração em diferentes atividades é um indício de maturidade para a retirada de fraldas fazer cocô, pois é uma situação muito nova para elas. Às vezes, a criança resiste pelo simples fato de não apreciar o contato com o papel higiênico, que pode ser substituído pelo lenço umedecido no início do processo de retirada de fraldas. A última etapa a ser cumprida é a retirada da fralda noturna. A fralda noturna só deve ser retirada depois que a criança tenha pleno controle de esfíncteres durante o sono. O indício é: acordar com a fralda seca várias vezes (durante um mês no mínimo). Por isso é muito importante que a criança acorde e vá direto ao banheiro, momento em que a família vai poder constatar a fralda seca. 50 | REVISTA PERFIL Entender que existem procedimentos para usar o sanitário e garantir a higiene após o seu uso também fazem parte do processo de desfralde EDIÇÃO Nº 36

[close]

Comments

no comments yet