Balanço Socioambiental 2014 CRCES

 

Embed or link this publication

Description

Balanço Socioambiental 2014 CRCES

Popular Pages


p. 1

O C N A BAL L A T N E I B M A O SOCI 4 1 20 A M O C R VENCE ADE D I L I B A T CON

[close]

p. 2



[close]

p. 3

O C N A L BA L A T N E I B M A O I SOC 4 1 20 A VENCER COMA CONT BILIDADE

[close]

p. 4

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação – CIP C755b Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo. Balanço Socioambiental 2014 : vencer com a contabilidade / Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo. Vitória: CRCES, 2015. 70 p. il 1. Balanço Socioambiental. 2. Responsabilidade Social. 3. Responsabilidade Ambiental.I. Titulo CDU 657 Ficha Catalográfica elaborada pela Assistente Administrativo do CRCES e Bacharela em Biblioteconomia, Amanda Dessaune Ruas.

[close]

p. 5

Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove. E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”. Cora Coralina Relatório Socioambiental 2014 CRCES Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo

[close]

p. 6

Há duas formas para viver a sua vida: Uma é acreditar que não existe milagre. A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre”. Fernando Pessoa 6

[close]

p. 7

Sumário Apresentação 9 Introdução 11 Gestão Institucional 13 Gestão de Pessoas 23 Gestão de Registro, Fiscalização e Educação Continuada 31 Gestão Socioambiental 45 Balanço Socioambiental em Dados 53 CRCES em 2014 69 Relatório Socioambiental 2014 CRCES Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo 7

[close]

p. 8

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, Mas não esqueço de que minha vida É a maior empresa do mundo… E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e Se tornar um autor da própria história… É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar Um oásis no recôndito da sua alma… É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “Não”!!! É ter segurança para receber uma crítica, Mesmo que injusta… Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…” Fernando Pessoa 8

[close]

p. 9

Apresentação O Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo (CRCES) tem a honra de apresentar o Balanço Socioambiental 2014, com o tema “Vencer com a Contabilidade”. Estamos na 6ª edição do Balanço e, a cada ano, destacamos os projetos e as conquistas deste Regional. Em 2013 o CRCES trabalhou intensamente na divulgação de ações para a promoção da campanha nacional de valorização profissional “2013: Ano da Contabilidade no Brasil”, lançada pelo Conselho Federal de Contabilidade, em parceria com empresas e entidades contábeis. O objetivo da campanha era provocar um verdadeiro “choque de mídia”, através dos mais diversos meios e formas de divulgação, sobre a importância do Profissional da Contabilidade no Brasil e, com isso, fazer com que Contadores e Técnicos em Contabilidade alcançassem o reconhecimento e a valorização merecida diante da sociedade. Na verdade, essa valorização é almejada há bastante tempo pela classe, no entanto, com as mudanças constantes na legislação contábil, a transição do Modelo Contábil Brasileiro (BR GAAP) para o Modelo Contábil das Normas Internacionais da Contabilidade (IFRS) e a implantação do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), modificações importantes no cenário contábil, esse profissional torna-se cada vez mais indispensável para as empresas. Diante desse cenário a atual gestão resolveu homenagear os Profissionais da Contabilidade pela importância que têm para a economia do país, pois é certo dizer que, de uns tempos para cá, passaram a ocupar posições de destaque e de gestão dentro das corporações. Suas análises contábeis passaram a definir as estratégias para o crescimento das empresas. Mas, como o caminho para a valorização e para o sucesso é longo e diferente para cada indivíduo, resolvemos deixar que esses profissionais contassem suas trajetórias. Assim, decidimos, diferente dos anos anteriores em que a temática do Balanço Socioambiental remetia à cultura e às belezas do Espírito Santo, destacar como tema deste ano histórias de profissionais, que apesar de problemas e entraves conseguiram alcançar o sucesso pessoal e profissional trilhando os caminhos da Contabilidade. Por meio do concurso cultural lançado pelo CRCES, em 2014, recebemos algumas histó- Carlos Barcellos Damasceno, presidente do CRCES rias de profissionais que se sentiram inspirados a escrever suas trajetórias de vida, a fim de compartilharem e motivarem outros profissionais que escolheram seguir o mesmo caminho. Não é exagero dizer que o CRCES esteve presente em diversas histórias de sucesso ao longo dos anos, já que tem trabalhado intensamente na promoção da Educação Continuada oportunizando cursos, palestras e eventos para os profissionais do Espírito Santo. Dessa forma, fazemos o convite para que conheça casos de profissionais do estado, que, com muita determinação, garra e amor pela Contabilidade, foram protagonistas de suas próprias histórias e venceram em suas vidas. Além disso, você vai conhecer as ações que nortearam as conquistas do CRCES em 2014. Acompanhe outras histórias de profissionais em www.crc-es.org.br. Vencer com a Contabilidade só depende de você! Aproveite a leitura e envolva-se com as histórias! Contador Carlos Barcellos Damasceno Presidente do CRCES Relatório Socioambiental 2014 CRCES Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo 9

[close]

p. 10

“Assim eu vejo a vida A vida tem duas faces: Positiva e negativa O passado foi duro mas deixou o seu legado Saber viver é a grande sabedoria Que eu possa dignificar Minha condição de mulher, Aceitar suas limitações E me fazer pedra de segurança dos valores que vão desmoronando. Nasci em tempos rudes Aceitei contradições lutas e pedras como lições de vida e delas me sirvo Aprendi a viver.” Cora Coralina 10

[close]

p. 11

Introdução O Balanço Socioambiental tem como principal objetivo prestar contas à sociedade, de forma clara e objetiva, sobre as atividades desempenhadas pelo CRCES no ano de referência. Para isso, utiliza-se de informações qualitativas e quantitativas cedidas pelos setores do Conselho. O conteúdo dessa peça é baseado no relatório de prestação de contas do CRCES, aprovado pelos conselheiros em plenária e, anualmente, apresentado ao Conselho Federal de Contabilidade. Dessa forma, é um meio de comunicação transparente e afinado com o que foi realizado pelo Regional em 2014. Essa publicação pode ser entendida como uma importante ferramenta de gestão, já que apresenta, em linhas gerais, o desempenho do CRC a cada ano. Observar a variação das informações dispostas nos Balanços possibilita planejamentos acertados para os próximos anos. Para facilitar a leitura e o entendimento, o Balanço Socioambiental está divido em seis capítulos chaves: 1- Gestão Institucional Apresenta os dados gerais do Conselho: Estrutura Física e Organizacional, Finalidade, Perfil, Entidades de Relacionamento e Informações Econômico-Financeiras. 4- Gestão Socioambiental Apresenta os principais projetos e ações de caráter socioambiental em prol da sociedade. 5- Balanço Socioambiental em Dados Apresenta as pesquisas de satisfação e insatisfação dos funcionários e dos Profissionais da Contabilidade, além da Demonstração do Valor Adicionado (DVA) e dos demais demonstrativos do resultado social. 2- Gestão de Pessoas Apresenta o perfil do corpo funcional e as ações desenvolvidas pelo Conselho Regional de Contabilidade em benefício dos seus colaboradores. 3- Gestão de Registro, Fiscalização e Educação Continuada Apresenta os principais projetos e ações do Registro, da Fiscalização e de Educação Continuada, de caráter operacional e social. 6- CRCES em 2014 Apresenta o quadro institucional do Conselho em 2014, com todos os conselheiros, delegados, membros de comissões e câmaras. Relatório Socioambiental 2014 CRCES Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo 11

[close]

p. 12

João Valdir Stelzer: de office boy a empresário contábil O contador conta com orgulho sua trajetória ...com a mesma alegria e disposição que adentrei no escritório de contabilidade aos 14 anos, faço todos os dias até hoje, aos 64 anos de idade.” 12

[close]

p. 13

“Tudo começou em 1964, quando meu irmão mais velho conseguiu para mim um trabalho de office boy. Estava orgulhoso em trabalhar no melhor escritório de Colatina, e sendo meu primeiro emprego fiquei encantado com aquele ambiente, então desconhecido. Minha primeira tarefa foi copiar faturas em uma prensa no livro copiador de faturas, fato de que me orgulho até hoje e conto para meus colegas de trabalho. De office boy passei a fazer a parte fiscal em uma panificadora, para onde fui transferido. Em seguida, graças ao meu sistema de apuração de custos, fui convidado para trabalhar como auxiliar de contabilidade no centro de Vitória. Formei-me Técnico em Contabilidade em 1969 e, em dezembro do mesmo ano, a convite, mudei-me para Vitória, para trabalhar em uma fábrica de esquadrias. A fábrica iniciou bem suas atividades, mas no ano seguinte entrou em crise financeira. Em novembro de 1971 já estava fazendo cursinho para prestar vestibular para ciências contábeis, mas em uma noite chuvosa, enquanto voltava para casa, sofri um grave acidente de carro, o que me rendeu cinco meses de hospital, onde fiquei com metade do corpo engessado. Tive que ser transferido para o Rio de janeiro e lá fiquei por três meses me recuperando. Por incrível que pareça, esse acidente mudou minha vida para melhor. No dia 10 de março de 1972 voltei para Vitória totalmente recuperado e agradecido a Deus por ter me dado mais uma chance na vida e muita vontade de trabalhar. Comprei o escritório do meu antigo chefe e a partir daí problema para mim era solução, traba- lhava dia e noite, não tinha sábado, nem domingo e nem feriado, tudo para mim era satisfação, porque o maior problema eu já havia vencido e tinha a vida plena para realizar meus sonhos. No início meu escritório tinha apenas cinco firmas e dois funcionários, depois fiquei com apenas três clientes, sendo que um deles está comigo até hoje. Mas, com muito trabalho, honestidade e ética profissional o escritório começou a crescer. Procurando sempre aprender mais, estudando muito, participando de todas as convenções, congressos, palestras e seminários oferecidos pelo CFC, CRCES e Associações do estado tenho levado adiante com muita dedicação e humildade essa difícil, mas prazerosa profissão. Posso dizer, com certeza, que tudo que consegui realizar em minha vida, tanto pessoal, familiar e financeiramente devo à profissão de contador. Com muita honra atuei como Conselheiro do CRCES por duas gestões, como conselheiro suplente do CFC por uma gestão, recebi o Titulo de Contabilista Emérito ELMO LOPES DA CUNHA e a Comenda ITAMAR SILVA. Para concluir, afirmo que, com a mesma alegria e disposição que adentrei no escritório de contabilidade aos 14 anos, faço todos os dias até hoje, aos 64 anos de idade. E deixo um recado para que os jovens aproveitem a oportunidade que a contabilidade oferece atualmente, pois os recursos à disposição da classe contábil são bem maiores do que em 1964, quando iniciei essa gloriosa profissão.” Gestão Institucional Apresenta os dados gerais do Conselho: Estrutura Física e Organizacional, Finalidade, Perfil, Entidades de Relacionamento e Informações EconômicoFinanceiras. Relatório Socioambiental 2014 CRCES Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo 13

[close]

p. 14

O CRCES e os Sindicatos Enquanto os sindicatos têm como foco defender os interesses dos Contadores e Técnicos, os CRCs visam proteger, primeiramente, os interesses da sociedade, através do registro e da fiscalização dos profissionais. Assim, é importante destacar que não é atribuição do CRCES, por exemplo, atuar para a elevação do piso salarial das categorias de profissionais da classe contábil, ação praticada pelos sindicatos. O que não significa que o Conselho seja a favor de baixos salários. O CRCES A história do Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Espírito Santo (CRCES) começou com a assinatura do Decreto-Lei n.º 9.295, de 27 de maio de 1946, que autorizou a criação do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), órgão máximo da profissão no país, e dos Conselhos Regionais (CRCs). Na qualidade de órgão fiscalizador, incumbe ao CFC, por intermédio dos CRCs, instalados nos diversos Estados da Federação, registrar o profissional e fiscalizar o exercício da profissão contábil. Além disso, compete ao CFC regular acerca dos Princípios Contábeis, do Exame de Suficiência, do cadastro de Qualificação Técnica e dos Programas de Educação Continuada; e editar Normas Brasileiras de Contabilidade de natureza técnica e profissional. (Lei nº 12.249/10 e Resolução CFC nº 1.370 de dezembro de 2011). Assim, o CRCES é uma Autarquia Federal dotada de personalidade jurídica de direito público, que existe para: Conselheiros gestão 2014/2015 O sistema CFC/CRCs luta pela valorização profissional cada vez que consegue alteração em leis que impactam diretamente no trabalho da classe, cada vez que tem voz em conselhos fiscais e cada vez que promove capacitação e atualização aos profissionais. • Registrar os profissionais • Normatizar e Fiscalizar o exercício da profissão contábil • Promover a Educação Continuada Conselheiros e Delegados do CRCES O Plenário da entidade é composto por 15 conselheiros efetivos, e igual número de suplentes, que são eleitos para mandatos de quatro anos, com renovação a cada biênio, alternadamente, por 1/3 e 2/3 dos representantes. Os conselheiros que representaram o CRCES durante todo ano de 2014 voltaram suas ações e decisões para a proteção da sociedade e a valorização dos Profissionais da Contabilidade. Por meio de um trabalho voluntário, os conselheiros doam parte de seu tempo em benefício de toda a classe contábil. O CRCES também conta com 12 delegados, que representam o Conselho em seus Escritórios Regionais, localizados em cidades do Interior do Espírito Santo. Com esses representantes é possível estabelecer uma relação mais próxima com os Profissionais da Contabilidade de cada região do estado. Dessa forma, o CRCES desempenha uma atividade diferente das praticadas pelas entidades sindicais que representam a classe contábil, já que o Regional atua como fator de proteção do bom profissional e da sociedade em geral. Isso quer dizer que, à medida que o CRCES trabalha registrando, fiscalizando e oportunizando educação continuada, tanto o mercado de trabalho quanto a sociedade ficam mais protegidos, pois o Conselho prima pela ética e qualidade na prestação dos serviços contábeis. No entanto, o CRCES acredita que trabalhar através de parcerias é a melhor forma de conquistar a valorização da classe, assim possui uma relação estreita com sindicatos e associações de contabilidade do Espírito Santo. 14

[close]

p. 15

Presidência e Conselho Diretor Nova diretoria CRCES 2014/2015 – Da esq. p/ dir.: Vice-presidente de Administração e Finanças, Antônio Carlos Rocha; Vice-presidente de Fiscalização, Roberto Schulze; Presidente do CRCES, Carlos Barcellos Damasceno; Vice-presidente de Controle Interno, Carlos Darlan Patil; Vice-presidente de Desenvolvimento Profissional, Cristina Amélia Fontes Langoni e Vice-presidente de Registro, Haroldo Santos Filho. Em novembro de 2013 o Sistema CFC/CRCs se mobilizou novamente com eleições para a renovação de 2/3 do Plenário e de mandato complementar de 1/3. No Espírito Santo, os Profissionais da Contabilidade elegeram a Chapa intitulada “Reconhecimento pelo trabalho, por um profissional cidadão”, para gerir o CRCES no biênio 2014/2015. Os conselheiros eleitos em 2013 tomaram posse durante reunião Plenária Extraordinária, realizada em janeiro de 2014. Na ocasião, a nova diretoria do Conselho foi escolhida por unanimidade pelos presentes. Entre as metas da atual gestão estão ações para aumentar a integração entre os profissionais e o Conselho Regional de Con- tabilidade do Espírito Santo, bem como investimentos em Educação Continuada e comunicação. Dessa forma, a nova gestão apoia-se nos seguintes pilares: (i) Intensificação da educação continuada; (ii) valorização da profissão contábil; e (iii) ampliação da representatividade e imagem do CRCES. A nova gestão foi responsável pelo julgamento de mais de 2.467 processos, sendo 17 julgados pela Câmara de Fiscalização, 351 pela Câmara de Ética e Disciplina, 81 pelo Tribunal Regional de Ética e Disciplina (TRED), quatro processos da Fiscalização julgados em Plenária e 2.014 processos de Registro homologados, além de outros processos julgados pelas demais câmaras do CRCES. Representação do CRCES em Comissões e Conselhos de Órgãos Públicos O CRCES conta com representantes em comissões e conselhos consultivos, fiscais e de finanças de Instituições e Órgãos Públicos. Desde 2013 o Regional é representado por profissionais indicados pela presidência para atuar em assuntos de interesse da classe contábil e da sociedade e essa ação continuou por todo ano de 2014. Através dessas representações o Conselho mostra a importância do Profissional da Contabilidade dentro das organizações para a prestação de contas, fechamento de balancetes e no planejamento estratégico, além de outras tantas atividades. Saiba mais sobre essa ação em www.crc-es.org.br. Relatório Socioambiental 2014 CRCES Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo 15

[close]

Comments

no comments yet