Jornal do Mês de Julho

 

Embed or link this publication

Description

Leia a Edição do Mês de Julho

Popular Pages


p. 1

ANO XI - EDIÇÃO Nº 144- 10.000 EXEMPLARES - DISTRIBUIÇÃO GRATUITA - JULHO S ão J osé Operário CAPÃO REDONDO - DIOCESE DE CAMPO LIMPO Jornal PARÓQUIA SANTUÁRIO SÃO JOSÉ OPERÁRIO - 2015

[close]

p. 2

Página-2 O sangue preciosíssimo de Jesus Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário EDITORIAL O  mês  de  julho  a  Igreja  dedica  ao  preciosíssimo  Sangue  de  Cristo, derramado  pelo  perdão  dos  nossos  pecados.  E  o  dia  2  de  julho  é  o  dia  do Sangue de Cristo. O Sangue de Cristo representa a Sua Vida humana e divina, de  valor  infinito,  oferecida  à  Justiça  divina  para  o  perdão  dos  pecados  de todos  os  homens  de  todos  os  tempos  e  lugares.  Quem  for  batizado  e  crer, como disse Jesus, será salvo (Mc 16,16) pelo Sangue de Cristo. Em  cada  Santa  Missa  a  Igreja  renova,  presentifica,  atualiza  e  eterniza este  Sacrifício  de  Cristo  pela  Redenção  da  humanidade.  Em  média,  a  cada quatro segundos essa oferta divina sobe ao Céu em todo o mundo. O Catecismo da Igreja ensina que mesmo que o mais santo dos homens tivesse  morrido  na  cruz,  seria  o  seu  sacrifício  insuficiente  para  resgatar  a humani- dade  das  garras  do  demônio;  era  preciso  um  sacrifício  humano,  mas de  valor  infinito.  Só  Deus  poderia  oferecer  este  sacrifício;  então,  o  Verbo divino dignou-se assumir a nossa natureza humana, para oferecer a Deus um sacrifício de valor infinito. A majestade de Deus é infinita; e foi ofendida pelos pecados  dos  homens.  Logo,  só  um  sacrifício  de  valor  infinito  poderia restabelecer a paz entre a humanidade e Deus. O sangue do cordeiro simbolizava e prefigurava o Sangue de Cristo, da Nova e Eterna Aliança que um dia seria celebrada no Calvário. É por isso que São  João  Batista,  o  Precursor  de  Jesus,  ao  anunciá-lo  aos  judeus  vai  dizer: “ Este é  o  Cordeiro  de  Deus  que  tira  os  pecados  do  mundo”  (Jo  1,  19).   É  a missão de Cristo ser o Cordeiro de Deus, imolado por amor dos homens. Boa leitura D estaco três focos que merecem a nossa atenção de cristãos de famílias cristãs, chamadas a serem famílias samaritanas: a pessoa humana, a comunidade, incluindo a família, e a construção da sociedade justa, fraterna e solidária, concretização da civilização do amor. 1) A defesa e promoção da pessoa incluem a proteção da vida humana desde a concepção. É necessário ter presente que a pessoa humana existe antes de todas as instituições e organizações. É anterior a qualquer associação, ao Estado e à Igreja. A pessoa humana tem uma dignidade inalienável, dada por Deus, inserida já em sua natureza, à qual não pode renunciar e da qual não pode ser despojada por ninguém. Jesus disse que a pessoa não foi feita para o sábado, mas o sábado para a pessoa. Assim, podemos afirmar que todas as instituições, inclusive o Estado e a Igreja, existem para a pessoa humana, para promover a sua dignidade e assegurar a sua plena realização. Temos que exorcizar para longe de nós todo tipo de preconceito, todo tipo de marginalização. Nenhuma pessoa pode ser desrespeitada, pois qualquer que seja a sua condição, é imagem e semelhança de Deus; é amada por Ele desde o primeiro instante de sua existência, www.santuariosaojoseoperario.org.br EXPEDIENTE Monsenhor João Batista Diretor de atendimento aos Benfeitores: Jurandi Nunes Jornalista Responsável: Mário de Freitas - MTB 36.907 Revisões e Correções Pe. Carlos Lozada Edson Felipe Diagramação José Andrade Alves Diretor Geral: Publicação mensal da Paróquia: Santuário São José Operário Rua Alfredo Ometecídio, 32 Cep.: 05866-120 - Capão Redondo- SP www.santuariosaojoseoperario.org.br santuario@santuariosaojoseoperario.org.br O teor das matérias é de responsabilidade de seus autores. Todas as pessoas são voluntárias Tel. 5873-2009 / 5873-4279 devendo, em consequência, ser amada e defendida por nós, também. O mesmo vale para a defesa da vida em todas as suas etapas até o seu fim natural. Rejeitamos a eutanásia porque a pessoa não vale pelo que tem ou pela capacidade de produzir, mas pelo que ela é. Assim deve ser acompanhada e amparada até o fim natural de sua existência. “Não ao aborto”. “Não à eutanásia”. “Sim à vida”. 2) A comunidade é outro foco que merece nossa atenção. A família é a primeira comunidade. A Igreja a reconhece como igreja doméstica onde o pai e a mãe são os sacerdotes que geram a vida, criam e educam a prole. Pais e mães têm a vocação de serem os primeiros evangelizadores e os primeiros catequistas nos seus lares. A família é muito discriminada e sofre muitas pressões nos tempos atuais. É necessário e urgente valorizá-la e oferecer-lhe toda colaboração para o seu fortalecimento e harmonia. Junto com a família, célula-primeira da Igreja e sociedade, nós queremos ressaltar a importância de todas as formas de vivência comunitária: os grupos de rua, as pequenas comunidades, as associações... Superar o isolamento e o individualismo e buscar a união. Nossas comunidades reúnem casais, famílias, anciões, adultos, jovens, adolescentes e crianças. A união faz a força. Uma varinha sozinha será facilmente quebrada, mas um feixe dificilmente será. 3) O terceiro foco para o qual chamo a atenção é a construção da Civilização do Amor, traduzida numa sociedade justa, fraterna e solidária. A Gaudium et Spes ( = Alegria e Esperança), um dos documentos do Concílio Ecumênico Vaticano II, nos ensina que os cristãos, em razão de sua fé, se unem a todos FAMÍLIAS E COMUNIDADES SAMARITANAS Julho - 2015 os homens de boa vontade para juntos buscarem soluções para os problemas sociais e morais que afetam a vida da humanidade em nosso tempo. Defendemos a vida desde o seu início até o seu final. Devemos ampará-la, igualmente, durante todo o caminho que deve percorrer. Isto requer uma atenção especial para com aqueles que não têm o necessário para uma vida humana justa e digna. Nossas paróquias, comunidades, pastorais e demais segmentos eclesiais, devem ter olhos atentos para ver quem está passando necessidade pertinho de nós. Urge o fortalecimento de uma rede de solidariedade. Atualizar o testemunho das primeiras comunidades cristãs. O livro dos Atos dos Apóstolos registra que entre os primeiros cristãos não havia necessitados porque entre eles primava a solidariedade. É preciso trabalhar para que tambem entre nós não haja necessitados. É integrante da vivência cristã o empenho para o acesso de todos ao trabalho, o ingresso e permanência das crianças, adolescentes e jovens nas escolas, a inclusão de todos no sistema de saúde, a possibilidade do lazer e da aposentadoria digna. Enfim, repito, despender todas as forças para construir a civilização do amor proclamada pelo Papa Paulo VI. Dom Luiz Antônio Guedes Bispo Diocesano de Campo Limpo EXTRAIDO DA REVISTA VIDA E MISSÃO ED. 210

[close]

p. 3

Julho - 2015 invocou o nome de Deus como Pai, Ele nos abriu as portas para os sete pedidos: os três primeiros, são pedidos e ao mesmo tempo reconhecimento de Seu imenso poder de santidade; Deus é Santo. Jesus rezou que é a vontade de Deus que prevalece e não a nossa. Esta primeira parte nos faz mergulhar na glória de Deus nas e os quatro seguintes nos mostra o caminho para buscar e alcançar a glória do Senhor: SEJA FEITA A VOSSA VONTADE. Neste mês de julho vamos refletir sobre os três pedidos que o Senhor nos ensinou na primeira parte da oração do Pai Nosso. SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME - Pelas três primeiras petições somos confirmados na fé. São elas que formam o primeiro conjunto de pedidos: santificado seja O VOSSO NOME, venha a nós O VOSSO REINO, seja feita A VOSSA VONTADE. São propostas de Jesus que leva-nos até o Pai como Ele foi levado. Estas três súplicas já foram atendidas no sacrifício de Cristo salvador, na cruz. “Em suas mãos entrego o meu Espírito”. Para que esta proposta se concretize em nós, depende de cada pessoa aceitar e tomar posse delas. Jesus ensinou a seus discípulos que o Pai é sempre motivo de louvor e ação de OS SETE PEDIDOS DE JESUS NA ORAÇÃO DO PAI NOSSO graças, pois Ele é o único Deus e Senhor, Ele é poderoso, Ele é justo e eterno. Ele é o motivo único de nossa existência. Por isso reconhecer o nome d’Ele como santificado é confirmar a gratidão a Ele por toda obra realizada desde as origens do mundo e da humanidade. Para Deus o homem e a mulher são os pontos mais altos e o centro de toda criação. Deus confiou tanto no homem e na mulher que depois que terminou a criação Ele quis entregar o mundo, casa da humanidade, para ele administrar e cuidar bem d’ele. Por isso: SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME. Venha a nós o vosso Reino - “E O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS” (Jo 1,14). Foi assim que Deus iniciou a implantação do seu Reino no mundo. Esta Obra tornou-se mais visível quando Jesus instituiu a Eucaristia, o Serviço e o Sacerdócio na celebração da ceia Eucarística na Quinta feira Santa. Por meio da Eucaristia e pela nossa fé, o Reino tornou-se visível quando Jesus partiu o pão; no Pão Ele tornou-se de fato o nosso alimento; Ele vive e está em nós e no meio de nós. Fazer este pedido a Deus é um grito espontâneo e desejoso de abraçar o principal objeto de nossa esperança a salvação. Rezamos de verdade quan- Esta é a vontade do nosso do oramos com a própria Pai (1 Tm 2, 3-4). O Pai usa palavra do Pai. Para que de sua paciência, miseriisso possa ocorrer é pre- córdia e compaixão, porciso ouvir a Palavra e não que não quer que ninguém simplesmente escutar por se perca, mas que todos escutar. Ouvir significa cheguem a se converter entregar-se na Palavra; é (2 Pe 3, 9). O seu mandadeixar o Reino ser intro- mento é o mandamento duzido na vida e a vida do amor. AMAI-VOS UNS tornar-se plena de Deus. AOS OUTROS COMO EU Uma pessoa toma pos- VOS AMEI, este é uma sínse do Reino quando abre tese que resume todos os outros mandamentos. Nele bem os ouvidos e o coraestá inserida a vontade do ção e abraça por amor a Filho e a vontade do Pai. Na conversão Só um cora- oração da sua agonia, Ele ção puro pode dizer com conforma-Se totalmente confiança: “Venha a nós com esta vontade: «Não se o vosso Reino”. É preciso faça a minha vontade, mas ter passado pela escola de a Tua» (Lc 22, 42). Em nosPaulo para dizer: “Que o sas orações podemos pedir pecado deixe de reinar no ao nosso Pai para unir a vosso corpo mortal” (Rm nossa vontade à vontade 6, 12). Quem se conserva de seu Filho, para que em puro nos seus pensamen- nós cumpra-se a vontade tos atos e palavras pode do Senhor. Deixar realizardizer a Deus: “Venha a -se a vontade de Deus em nós o vosso Reino!” Seja nós é nos tornarmos como feita a vossa Vontade as- irmãos na Trindade Sansim na terra como no céu ta. É conhecer e cumprir - Fazer a vontade de Deus o mandamento do Senhor é um compromisso muito para ganhar a vida eterna: bonito e correto. A pes- “ amar o Senhor Deus, de soa tem que ter coragem todo o coração, de toda tua de renunciar à sua von- alma, com toda a tua força tade e á vontade de mui- e de todo o teu entendimenta gente. Muitos, mesmo to; e a teu próximo como a sabendo que o correto é ti mesmo” (Lc 10, 27). Cumservir e obedecer a Deus; prir este mandamento é não o fazem por medo ou permitir, e não resistir, que por conveniência e renun- Deus faça plenamente a cia a Deus para seguir sua vontade em nós. Deste modo honramos, tememos as coisas oferecidas pelo a Deus e em recompensa mundo. A vontade do Pai ganhamos a vida eterna. é que todos os seu filhos cheguem ao conhecimen- Monsenhor João Batista to da verdade e se salvem. Pároco e Reitor do Santuário São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Página-3 N este mês, vou apresentar uma reflexão sobre os três pedidos contidos na primeira parte da Oração Universal dos cristãos. O Pai Nosso é conhecido oficialmente como oração dominical. Nesta oração, primeiramente invocamos: PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU. Quando Jesus rezou esta parte, Ele não disse: Pai meu e sim Pai Nosso, porque quis fazer um reconhecimento oficial que Ele é o nosso irmão e que somos filhos do mesmo Pai. Esta confirmação ficou mais evidente quando, na cruz, ele derramou o seu sangue para remissão de nossos pecados. Seu sangue foi derramado por todos e não para alguns. Podemos dizer que a partir deste grande acontecimento, o sangue de Jesus passou a correr nas veias dos redimidos. Pela nossa fé, depois que Jesus www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 4

Página-4 A mados irmãos e irmãs, Saúdo todos os peregrinos presentes no Santuário do Divino Amor e quantos lhes estão unidos dos Santuários em conexão no mundo. Nesta noite, sinto-me unido com todos vós na oração do Santo Rosário e da Adoração Eucarística sob o olhar da Virgem Maria. O olhar! Como é importante! Quantas coisas se podem dizer com um olhar! Estima, encorajamento, compaixão, amor, mas também censura, inveja, soberba, até mesmo ódio. Muitas vezes o olhar diz mais que as palavras, ou diz aquilo que as palavras não conseguem ou não ousam dizer. Para quem olha a Virgem Maria? Olha para todos nós, cada um de nós. E como é que nos olha? Olha-nos como Mãe, com ternura, com misericórdia, com amor. Assim olhou para o filho Jesus, em todos os momentos da sua vida, gozosos, luminosos, dolorosos, gloriosos, como contemplamos nos Mistérios do Santo Rosário, simplesmente com amor. Quando estamos cansados, desanimados, oprimidos pelos problemas, olhemos para Maria, sintamos o seu olhar que diz ao nosso coração: «Coragem, filho, estou aqui Eu que te sustento!» Nossa Senhora conhece-nos bem, é mãe, sabe bem quais são as nossas alegrias e as nossas dificuldades, as nossas esperanças e as nossas desilusões. Quando sentimos o peso das nossas fraquezas, dos nossos pecados, olhemos para Maria, que diz ao nosso coração: «Levanta-te, vaite com meu Filho Jesus, n’Ele encontrarás bom O OLHAR DE MARIA DIZ MAIS QUE AS PALAVRAS acolhimento, misericórdia e nova força para continuares o caminho». O olhar de Maria não se volta só para nós. Aos pés da cruz, quando Jesus lhe confia o apóstolo João e, com ele, todos nós, dizendo: «Senhora, eis o teu filho» (Jo 19, 26), o olhar de Maria está fixo em Jesus. E Maria diz-nos, como nas bodas de Caná: «Fazei tudo o que Ele vos disser» (Jo 2, 5). Maria aponta para Jesus, convida-nos a dar testemunho de Jesus, guia-nos sempre para o seu Filho Jesus, porque só Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Julho - 2015 n’Ele há salvação, só Ele pode transformar a água da solidão, da dificuldade, do pecado, no vinho do encontro, da alegria, do perdão. Só Ele. «Bemaventurada és Tu, porque acreditaste». Maria é bem-aventurada pela sua fé em Deus, pela sua fé, porque o olhar do seu coração sempre esteve fixo em Deus, no Filho de Deus que trouxe no seu ventre e contemplou na Cruz. Na Adoração do Santíssimo Sacramento, Maria diz-nos: «Olha para o meu Filho Jesus, mantém o olhar fixo n’Ele, escuta-O, fala com Ele. Ele te olha com amor. Não tenhas medo! Ele ensinarte-á a segui-Lo para dares testemunho d’Ele nas grandes e pequenas ações da tua vida, nas relações familiares, no teu trabalho, nos momentos de festa; ensinar-te-á a saíres de ti mesmo, de ti mesma, para olhares para os outros com amor, como Aquele que te amou e te ama, não com palavras, mas com obras». Ó Maria, fazei-nos sentir o teu olhar Mãe, guiai-nos para o teu Filho, fazei que não sejamos cristãos «de vitrine», mas saibamos «meter mãos à obra» para construir com o teu Filho Jesus, o seu Reino de amor, de alegria e de paz. Papa Francisco TEL: 5874-0927 / 5871-6457 Av. Comendador Sant’ anna, 294 (sobreloja) www.santuariosaojoseoperario.org.br FLUÊNCIA EM 2 ANOS

[close]

p. 5

Julho - 2015 SÃO FRANCISCO DE ASSIS E O PAPA FRANCISCO DOIS MENSAGEIROS DO MUNDO ATUAL recida daquela  maravilhosa oração que rezou São Francisco de Assis e que rezam muitas  pessoas e inclusive o nosso Papa Francisco.  Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Página-5 ORAÇÃO   DOS DOIS HUMILDES FRANCISCOS: Sou e somos insueridos paro- trumentos de Deus... quianos e amigos do Santuá- Senhor, que eu não rio São José Operário, tenha nenhum homem quem de nós não co- como inimigo, e que eu nhece a vida de São seja amigo do que é Francisco de Assis   e eterno. a figura fantástica do Que ame, procure e Papa Francisco? Eu consiga somente o que acredito que todos ou é bom. quase todos... Que eu deseje a feliciOs dois foram e são dade de todos os hotestemunhas da pre- mens e não inveje a sença de Cristo no ninguém. nosso mundo atual e também testemunhas Que não me alegre na nossa Paróquia- com a desgraça de -Santuário São José quem me fez mal. Operário. Que até onde minhas Aqui, eu quero apre- forças puderem, eu sentar uma oração preste a ajuda necessimilar ou quase pa- sária a todos os neces- Q sitados. gam a mim, mas que São José Operário. eu mesmo me censure Que eu possa, com pa- até corrigir-me disso. Que eu seja instrulavras amáveis e conmento nas tuas mãos, soladoras, aliviar os Que me acostume a na minha casa, no meu sofrimentos dos que mostrar-me amável e trabalho, no boteco, na padecem. nunca irritado com os escola, na rua e em tooutros, qualquer que das as partes. Que, quando eu tiver seja a circunstância dito ou feito algo de em que me encontre. Que eu seja este “oumal, eu não espere tro Cristo” que passa que os outros  o di- Senhor, que eu seja por este mundo fazenum instrumento da tua do sempre o bem. paz, da tua união, da tua bondade, aqui na SENHOR, FAZEI-ME Paróquia-Santuário UM INSTRUMENTO DA TUA PAZ!  AMÉM ! Refrigeração Bom Clima ALELUIA ! Assistência Técnica Especializada Câmaras e Balcões Frigoríficos, Freezer, Geladeiras e Máquinas de Lavar Tel. 5873-3032 / 9308-1486 - Sr. Augusto R. Marco Basaiti, nº 8 - Capão Redondo Pe. Nilson da Silva Vigário Paroquial www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 6

Página-6 Festa de Corpus Christi Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Julho - 2015 Graças e louvores se deêm a todo momento, a Jesus SSmo. Sacramento Procissão Adoração à Jesus sacramentado www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 7

Julho - 2015 O povo de Deus no deserto andava, mas Deus à sua frente caminhava Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Página-7 Glória a Jesus na Hóstia Santa, que se consagra sobre o altar Olha como o povo ama a Eucaristia www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 8

Página-8 PROGRAMAÇÃO DA PARÓQUIA SANTUÁRIO SÃO JOSÉ OPERÁRIO Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Julho - 2015 www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 9

Julho - 2015 Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário isericórdia, a primeira encíclica do Papa Francisco: A primeira grande encíclica de Francisco é uma pregação dominical que durou alguns minutos. O novo papa a proferiu de improviso, do ambão da pequena igreja paroquial de Santa Ana, dentro dos muros vaticanos: “A mensagem de Jesus é a misericórdia”. Para mim, digo-o humildemente, é a mensagem mais forte do Senhor”. Pronto para acolher, em vez de condenar. Capaz de julgar, de se inclinar sobre as misérias da humanidade. O Papa Francisco comentou o trecho evangélico da adúltera, a mulher que os escribas e os fariseus gostariam de apedrejar como prescrito pela lei mosaica. Jesus salva a sua vida, pedindo que quem estivesse sem pecado atirasse a primeira pedra: todos foram embora. “Nem eu te condeno; vai, e de agora em diante não peques mais”. O primeiro e único passo pedido para experimentar a misericórdia, explicou Francisco, é reconhecer-se necessitado de misericórdia. “Jesus veio por nós, quando reconhecemos que somos pecadores”, disse. Basta não imitar aquele fariseu que, estando diante do altar, agradecia a Deus por não ser “como todos os outros homens”. Se somos como esse fariseu, se nos acreditamos justos, “não conhecemos o coração do Senhor, e nunca teremos a alegria de sentir www.santuariosaojoseoperario.org.br M essa misericórdia!”. O Senhor nunca se cansa de perdoar: nunca! Somos nós que nos cansamos de lhe pedir perdão. E peçamos a graça de nunca nos cansarmos de pedir perdão, porque Ele nunca se cansa de perdoar”. Assim o Papa Francisco apresenta o rosto de uma Igreja que não acusa as pessoas das suas fragilidades e das suas feridas, mas as cura com o Remédio da Misericórdia. O surpreendente anúncio do Papa Francisco sobre a realização de um Ano Santo da Misericórdia levou os católicos a se aprofundarem no significado do acontecimento que para alguns pode resumir-se em que o Santo Padre quer que todos saibam quanto Deus nos ama. Em 13 de março 2015, o Papa Francisco anunciou na Basílica de São Pedro a celebração de um Jubileu Extraordinário da Misericórdia, que começará a finais deste ano na solenidade da Imaculada Conceição, 8 de dezembro, e terminará na solenidade de Cristo Rei, em 20 de novembro de 2016. “A misericórdia é quem Deus é. É o segundo nome do amor”. “Deus está mais interessado em nosso futuro que em nosso passado” já que Ele leva a sério o pecado passado, mas nunca “como a última palavra” porque “quer que cada um de nós se converta na ‘melhor versão’ de nós mesmos, a qual Ele espera para cada um de nós, de maneira pessoal, em sua eterna e divina mente, e isto requer conversão”. Isto é exatamente o que o Papa Francisco tem em mente ao anunciar o Ano da Misericórdia, “Em nossas ocupadas, frenéticas e algumas vezes bifurcadas vidas, muitas vezes não encontramos o tempo para o silêncio de um exame de consciência. Em lugar de propor algo radicalmente ANO SANTO DA MISERICÓRDIA. O QUE ISSO QUER DIZER? Página-9 novo, o Papa Francisco continua a devoção à misericórdia de seus predecessores São João Paulo II e o Papa Emérito Bento XVI. “O Papa João Paulo II amava a Divina Misericórdia, o Papa Bento, eu o chamaria o apóstolo da Divina Misericórdia. Bento XVI também diria que a Divina Misericórdia é o nome de Deus mesmo”, disse. “Os católicos fazem o trabalho de educar, atender o moribundo, cuidar do doente, alimentar o faminto, visitar os presos, acompanhar os que estão sozinhos. Este é o encontro do qual fala o Papa Francisco”, ao recordar logo as obras de misericórdia corporais. “Uma mensagem de misericórdia leva as pessoas para a porta a fim de encontrarem livremente o coração de Cristo na vida sacramental da Igreja”. O ano jubilar tem suas raízes na lei monástica quando cada quinquênio se fazia sagrado para o povo judeu. As dívidas eram perdoadas, os escravos libertados e as terras voltavam para seus “donos originais”. Os jubileus ordinários ocorrem a cada 25 ou 50 anos enquanto que os jubileus extraordinários se convocam por alguma ocasião transcendental. O ano jubilar é um “ano santo” marcado por atos de fé, caridade e “comunhão fraterna”. “Estou convencido de que toda a Igreja poderá encontrar neste Jubileu a alegria de redescobrir e fazer fecunda a misericórdia de Deus, com a qual todos somos chamados a dar consolo a cada homem e cada mulher de nosso tempo”, disse o Papa Francisco depois de anunciar o ano jubilar. “A partir deste momento, encomendamos este Ano Santo à Mãe da Misericórdia para que dirija a nós seu olhar e vele em nosso caminho”, concluiu o Papa. Pe. Carlos Lozada Vigário Paroquial

[close]

p. 10

Página-10 Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Julho - 2015 Participe das Missas SEGUNDA-FEIRA 12H e 19H TERÇA-FEIRA 7H30 e 12H QUARTA-FEIRA 7H30, 12H e 19H QUINTA-FEIRA 7H30, 12H e 20H SEXTA-FEIRA 7H30, 12H e 19H SÁBADO 7H30, 12H e 19H DOMINGO 6H30 - 8H - 10H 12H - 15H - 18H30 Todas 2ª Terças às 16H CAPELA S. PEDRO - 8H30 CAPELA S. VICENTE - 10H MISSA DE CONSAGRAÇÃO DO DÍZIMO Dia 09/07 (Quinta-feira) às 20h Dia 11/07 (Sábado) às 19h Dia 12/07 (Domingo) às 6h30, 8h, 10h, 12h, 15h e 18h30 Na Capela São Pedro - Dia 12/07 (Domingo) às 8h30 Na Capela São Vicente - Dia 12/07 (Domingo) às 10h No Santuário São José Operário www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 11

Julho - 2015 ALDEMIR DA SILVA LIMA Os mais sinceros votos de Paz aos Dizimistas do mês de Julho/ 2015 DANIEL BARBOSA DO NASCIMENTO DANIELA ALVES MARTINS DANILO NASCIMENTO SANTOS DAYANE N. FUGIMOTO DIANA DE ANDRADE ALVES DIONISIO DONIZETE LOPES EDILENE DE JESUS DE SOUZA EDILSON EDNA SANTANA COSTA DA SILVA EDVAN AMORIM EFIGENIO CANDIDO ELEUSINA CARVALHO DA S. LIMA ELISANGELA FERREIRA DA CUNHA ELISIA BATISTA DA SILVA ELISNETE GOMES LARANJEIRA ELIZABETH DE OLIVEIRA SANTOS EMÍLIA AZEVEDO CORNÉLIO ENEAS DE SOUZA ERMIZA APARECIDA A. SANTOS EUDES ROSILDA S. ROCHA EUGENIO BARBOSA DE OLIVEIRA EUNICE DOS SANTOS VIEIRA FABIO DOS SANTOS LARANJO FABIO LUIZ DA S. BERNADINO FABIOLA APARECIDA GREGÓRIO FILOMENA CONCEIÇÃO SANTANA FLORIPES DIAS CERQUEIRA FRANCISCA PONTES DA SILVA FRANCISCO DE ASSIS DOMINGOS FRANCISCO DE ASSIS TABOSA FRANCISCO DE SOUZA SANTANA FRANCISCO VALDERI SILVA FREDERICO JOSÉ DA SILVA GABRIEL R. GONÇALVES SILVA GABRIELA ALVES NASCIMENTO GEOVANA ROCHA DE SOUSA GETULIO JACINTO DE MATOS GISLANE DE PAULA GUARACINEIA ANGELA GUILHERME BARRETO DE SOUZA GUSTAVO LOPES SOUZA HELENA DE P. PIRES FELIPELI HILDA MARIA DE JESUS INES BEHN IRENE ROSA COELHO DE LIMA IRENE SANTOS BANDEIRA IRENE XAVIER DIAS CARLOS ISABELLA C. N. DA SILVA ISAIAS CORREIA DA SILVA JACINTO MARIANO JAIME LUCAS DA CRUZ JAIR RIBEIRO RODRIGUES JANETE ELIAS DOS SANTOS JEFFERSON BARBOSA E SANDRA LIMA JOÃO MARCELO/LUCIMARA/PEDRO JOÃO PACHECO MUNIZ JOAQUIM VITAL DO CARMO JOSÉ ABELARDO MARIA CRISTINA MELO JOSÉ ARRUDA DA SILVA FILHO JOSÉ CORREIA SOBRINHO JOSÉ DA SILVA JOSÉ DOMINGOS DE ARAUJO JOSE EDVANIO FRESENA DA SILVA JOSÉ ELENILTON F. DA SILVA JOSÉ FERNANDES SILVA JOSÉ FERNANDES VIANA JOSÉ MARQUES DA COSTA JOSÉ PEDRO BATISTA JOSEFA ALVES DA SILVA JOSELMA MARIA SILVA SALES JOSILENE SOUZA BASTOS COSTA JULIANA B. OLIVEIRA CORREA JULIO BENTO DE MORAES JULIO JESUS DOS SANTOS JUSTINA BARBOSA DA SILVA KAROLINE VEIGA DE OLIVEIRA KARINA CRISTINA TEIXEIRA KASSIA GOUVEIA DOS SANTOS KAUAN PABLO DOS SANTOS KELLY REGINA SOARES CHAVES LAUDELINA FERREIRA MONTEIRO LAURITA RAMOS LEANDRO SILVA DIAS LEILA BARBOSA ALVES MARTINS LEILA LUCIA NUNES CORDEIRO LENICE SÃO LEÃO O. DOS SANTOS LINDOMAR MOREIRA SILVA LOURDES SANTANA FERREIRA LUCIA MARIA FERREIRA DA ROCHA LUCIANO DA SILVA LUCIANO XAVIER GONÇALVES LUCIMARA L. BATISTA DE MATOS LUIS CARLOS DE MORAES LUIS CARLOS DE SOUZA PINHEIRO LUIZ NETO DA SILVA LUIZA VICENCIA DE A, SILVA Mª DE FATIMA F. S. SILVA Mª EDILEUZA B. DE SOUTO Mª JOSÉ DA SILVA MADALENA LOURENÇO AUGUSTO MADALENA VIEIRA MAGALI SOARES PINTOR MAILZA SOUZA DOS SANTOS MANOEL RIBEIRO MARCIA PEREIRA VIANA DOS SANTOS MARIA ELIZABETH VENANCIO MARIA AP. DOS SANTOS MARIA APARECIDA DOS SANTOS MARIA APARECIDA LOPES MARIA ARLETE J. SILVA MARIA AUXILIADORA DA SILVA MARIA CAETANO RODRIGUES MARIA CELINA DE ABREU MARIA CIRLENE LIMA DOS SANTOS MARIA DAS DORES DE MIRANDA MARIA DAS GRAÇAS MARTINS MARIA DAVINIA DE SOUSA MARIA DE FATIMA NASCIMENTO MARIA DE LOURDES DA S. SOARES MARIA DE LOURDES DA SILVA II MARIA DE LOURDES M. MIRANDA MARIA DE LOURDES SOARES DE SOUZA MARIA DE LOURDES VIEIRA RAMOS MARIA DO CARMO E. DA SILVA MARIA DO CARMO M. DOS SANTOS MARIA DO CARMO F. DE LEMOS SILVEIRA MARIA DO PERPÉTUO S. DA S. SOUZA MARIA DO ROSÁRIO FERREIRA MARIA DO SOCORRO O. SANTOS MARIA DOS SANTOS TIMÓTEO MARIA EDILEUZA B. DE SOUTO MARIA GENILDE DA SILVA MARIA GERLANDIA FREITAS MARIA GONZAGA DOS SANTOS MOTA MARIA GORETE S. X. GONÇALVES MARIA IVONE FERREIRA MARIA IZABEL VEIGA MARIA JOSÉ BARBOSA DA SILVA MARIA JOSÉ HENRIQUE RAMOS MARIA JOSÉ L. SANTANA MARIA JOSÉ PAIVA SANTANA MARIA LOURDES S. DE SOUZA MARIA LUCIA DA SILVA REIS MARIA LUCIA DE JESUS MARIA LUCIENE NUNES C. SOUSA MARIA LUZINETE GOMES DE ARAUJO MARIA MADALENA DE OLIVEIRA MARIA NEIDE DIAS FERNANDES MARIA PEREIRA PARDINHO MARIA RITA DA SILVA LIMA MARIA ROZA CARVALHO MARIA SABINA DA SILVA LITURGO MARIA VERONICA OLIVEIRA MARIA VENINA ALVES MARIANNA CELESTINO MARICI ROSA MOLK MARIELENA ROCHA DE LIMA MARILDO DO DIVINO GOMES MARINES PORTO LIMA MARINETE ISABEL DA CONCEIÇÃO MARINLVA BARBOSA DA SILVA MARIZETE M. SILVA DO NASCIMENTO MARLENE ALVES MARTINS MARLENE DOS SANTOS NEUZA CARVALHO DA SILVA NEUZA FELIX DA SILVA NILCE OLIVEIRA PEREIRA NORMA NOVAES AMORIM ODILON RODRIGUES DA CUNHA ORDI ALVES DE ARAUJO Com Jesus somos mais que vencedores Jornal São José Operário Página-11 OSMARINA PEREIRA MARQUES OSVALDO GUAROLIANO S. PATRICIA APARECIDA OLIVEIRA PAULO CESAR DE O. PEREIRA PEDRO ALVES DA SILVA RAFAEL FELIX SARDINHA RAFAELA COSTA SANTOS RAFAELA DOS SANTOS FRANÇA RAFAELA RIBEIRO DE OLIVEIRA RAIMUNDA BARRETO COSTA RICARDO ALEXANDRE DOS SANTOS RITA MOREIRA DA SILVA ROSA SILVA LIMA ROSANA SOUZA BRAGA ROSELI APARECIDA DOS S. BARBOZA ROSELI ELAINE DE SOUZA ROSEMARI DOS SANTOS RUBENS MOREIRA DIAS SANDRA C. COSTA SANTOS SEBASTIÃO ERNESTO RIBEIRO SIDNEY LEANDRO DOS REIS SILVANA CARLA SARAIVA PAIXÃO SILVANA JESUS DA SILVA SILVANA MACHADO BRUM SILVANA OLIVEIRA GONÇALVES SOLANGE P. MABEIRA LEAL SONIA ELIAS SAMPAIO SONIA SIMÕES VITOR SONIA TEIXEIRA DE SOUZA TATIANE MARIA DA SILVA TEREZA CRISTINA PINTO TEREZA SILVA DE LIMA TEREZINHA PEREIRA DE JESUS TEREZINHA VIEIRA DE SOUZA THAINA CARDOSO AGUIAR THAMIRES ALVES DE SOUZA VALDECINA SANTANA VALDETE RIBEIRO DA SILVA VALTER LOPES FERREIRA VERA LUCIA DO ESPIRITO SANTO VERANICE PEREIRA GOMES VERONICA XAVIER ALVES VICENTE PEREIRA DO AMARAL VIRGILIO CASTELLO OLIVEIRA VIRGILIO MANOEL DA SILVA VITOR PAULO GUEDES PEDROSA VIVIANE DE SÁ VIVIANE OLIVEIRA DOS SANTOS WAGNER AP. DA COSTA WAGNER BARRA WALTER TEODORO DE OLIVEIRA WELLINGTON P. DOS SANTOS ZELIA DE FATIMA BEZERRA ZELITA DIAS JARDIM MAGALHÃES ZILDA MARIA C. PASTOR ADRIANA DE CASSIA P. SANTOS ADRIANA FERREIRA DA SILVA AGREPINO APOLINÁRIO DOS SANTOS AGUIMAR DE ASSIS SANTANA AILTON PINHEIRO CARVALHO ALAÍDE DA SILVA SANTOS ALESSANDRA DOS SANTOS SILVA ALESSANDRA P. LIMA ALESSANDRO DO NASCIMENTO ALEXANDRE DA SILVA ALINE CARVALHO DA SILVA ALLAN DUTRA DE SOUZA ALVINO DE OLIVEIRA LIMA AMANDA PRISCILA OLIVEIRA GONÇALVES AMARA ANTONIA DA SILVA AMARO CAETANO SILVA ANA CAROLINE DA SILVA ROQUE ANA LUCIA P. CRUZ ANA MARIA SOARES DA S. LOPES ANA MARTINS ANA ROSA RAMOS DE OLIVEIRA ANA SANTANA SANTOS ANA SENA DE ABREU ANATALIA DOS SANTOS ANDERSON CRUZ DE SOUZA ANDRESSA SILVA PEQUENO ANGELINA CARDOSO DOS SANTO ANTONIA SENA DE ABREU ANTONIO CARLOS DE ALMEIDA ANTONIO DA SILVA DINIZ ANTONIO DOS SANTOS LIMA ANTONIO ERISVAN ARAUJO ANTONIO FERREIRA DA SILVA ANTONIO MIRANDA DA GAMA APARECIDA GOMES TASSO ARCENIA DE OLIVEIRA SALES ARIANE BARROS DA SILVA ARNALDO RIBEIRO DE OLIVEIRA ARNOLDO JOSÉ SEILER BELEIDE APARECIDA DE MELO CARLOS SILVA DOS SANTOS CASSIA C. ROSA CATARINA APARECIDA DE ANDRADE CECILIA APARECIDA SILVA LOPES CECILIA RODRIGUES TAVARES CELIA V. DO SACRAMENTO CICERO ANTONIO DE SANTANA CILENE APARECIDA DOS SANTOS CLAUDIO CONCEIÇÃO DA SILVA CLELIA MARIA AMBRÓSIO CLEA FELICIANA DE JESUS CLORIS ALBA DE CARVALHO CONCEIÇÃO MARTINS DE JESUS CORACI MARCIANO DA CRUZ CRISLANE R. BARBOSA CARVALHO DAIANA ARCANJO GOMES “Pagai integralmente os dízimos ao tesouro do templo, para que haja alimento em minha casa” (Malaquias 3, 10) www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 12

www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

Comments

no comments yet