Revista Tai Chi Brasil - Edição Nº 6

 

Embed or link this publication

Description

Revista Tai Chi Brasil - Edição Nº 6

Popular Pages


p. 1

Edição nº 6 - Julho/Agosto 2010 - Distribuição gratuita e dirigida www.RevistaTaiChiBrasil.com.br Tai Chi Brasil Revista Mestre de Tai Chi Chuan vem ao Brasil A habilidade de desenrolar a seda Chan Si Jin Seminário de Tai Chi Chuan Chen Yingjun Estilo Chen Tai Chi Estilo Dong Por que fazer um? As palavras de um mestre

[close]

p. 2

Pratique Tai Chi Chuan! Foto: Acervo/SBTCC Praticante: Vania Batista dos Santos Recupera-se de cirurgia de hernia de disco através da prática do Tai Chi Chuan da Família Yang Postura: Lou Si Ao Bu Defender o Joelho Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan São Paulo - SP

[close]

p. 3

revistataichibrasil.com.br Caixa Postal 2233 Curitiba - PR - 80011-970 - Brasil Edição nº 6 | julho/agosto | 2010 ® Todos os direitos reservados 4° ofício de registro de documentos Revista Tai Chi Brasil Sumário 6 O conhecimento e a experiência Mestre Chen Yingjun Registro nº 401.197 editor: levis litz mestre chen yingjun 10 Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan A trajetória na capa 16 Galeria de fotos Crianças e o Tai Chi adriano joaquim d´avila, alex silva costa, anderson rosa, arthur dalmaso, dorival da silva, eduardo molon, hildo honório do couto, joão pedro sol sandi, josé roberto batalha, levis litz, ligia neves, maria angela soci, mateus e luciana, octávio augusto contatore, sergio villasboas e valesca giordano litz. alex dong, amandinha, beatriz, begoña javares, camilinha, chen yingjun, josé de paulo lara, marcio luis zaqueu, vania batista dos santos e wang hai jun. colaboraram nesta edição 18 Tai Chi Chuan - Família Yang Forma longa tradicional estilo Yang (Parte VI) 21 Tai Chi Pai Lin O Tai Chi e a longevidade e a longevidade do Tai Chi 22 Chan Si Jin A habilidade de desenrolar a seda agradecimentos 23 Relatos . Tai Chi Chuan Estilo Yang Tradicional . Tai Chi Chuan para uma vida longa e saudável . Tai Chi Chuan e dependência química Forma do pequeno círculo (Parte Final) viviane giordano revisão 25 Tai Chi - Estilo Lam Kam 26 Por que assistir a um seminário? A opinião de quem entende contato | publicidade revistataichibrasil@hotmail.com levislitz@gmail.com jornalista responsável diplomado levis litz - mtb 3865/15/52v pr Distribuição gratuita e dirigida. Todos os textos e fotos aqui publicadas são colaborações voluntárias gratuitas. Não são de responsabilidade desta revista os artigos de opinião e também as opiniões emitidas em entrevistas e depoimentos, por não representarem, necessariamente, o pensamento do editor. Por questões de espaço, objetividade e clareza, a equipe editorial reserva-se o direito de resumir os textos recebidos. Foto com pouca definição é de responsabilidade do autor. Os exemplares impressos em papel desta publicação serão doados para bibliotecas públicas. 28 Tai Chi Chuan - Estilo Dong Uma entrevista com o mestre Alex Dong O significado do campo de cinábrio SEÇÕES 4 CARTAS 5 EDITORIAL 13 RÁDIO CORREDOR 20 LIVROS 32 Tan Tien

[close]

p. 4

Cartas e Fotos de Leitores Revista Tai Chi Brasil. Caixa Postal 2233, Curitiba - Paraná - Brasil. CEP: 80011-970. revistataichibrasil@hotmail.com | editor: levislitz@gmail.com Foto: Niall O´Floinn Por questões de espaço, a equipe editorial reserva-se o direito de editar mensagens, depoimentos, fotos e textos recebidos. “Parabéns pelo trabalho. Encaminho o link do Jornal de nossa academia: “Folha Peng Lai” que está disponível para download no link: www.penglai.com.br/folha. Estamos com o nosso site novo no ar e também farei a divulgação da Revista Tai Chi. Também dedicamos um artigo sobre Tai Chi Chuan. Queremos junto a vocês que a arte cresça ainda mais no Brasil.” Shifu Élen Natis São Paulo, SP “Escrevo para dizer que recebi a Revista Tai Chi Brasil. Muito obrigada! Dei uma olhada rápida pela manhã, mas já li todo o artigo do Anderson. Ficou muito bom! Ele escreve muito bem. As edições ficaram lindas! Estou pensando em fazer uma cópia simples em casa, para manusear diariamente, e outra bem bacana para guardar e mostrar aos amigos (e, talvez, futuros praticantes).” Maria Celeste Curitiba, PR Foto: LL Mestre Wang Hai Jun --------------------------------------------------------- “Quero agradecer sensibilizada por estar recebendo a revista Tai Chi Brasil; sempre senti a necessidade de mais embasamento teórico sobre as diferentes práticas; sou da linha do Taichi Pai Lin e comecei há mais de 20 anos ainda na Igreja Chinesa na Santa Justina, com o salão repleto de mestres e aprendizes; continuei sempre seguindo os passos dos professores e do nosso mestre Pai Lin, na Pe. Machado, onde passei por tratamentos a base de chás e da massagem Tuiná, que tão bem me fizeram; o Taichi sempre caminhou paralelo à minha vida, dando suporte e aumentando minhas reservas de energia; tive excelentes professores e cada um me tocou de uma forma; Marta, Tarcisio, Ernesto, Jerusha, Lúcio e as palavras sábias de Pai Lin, traduzidas por sua neta ou Jerusha, ainda guardo como uma relíquia; hoje já sou instrutora e espero estar a altura destes mestres tão queridos; é muito bom poder agradecer através desta revista maravilhosa e imprescindível.” Luciana Alba Florianópolis, SC “Sou praticante de Tai Chi Chuan e leitor da sua revista. Achei uma excelente iniciativa para unir os praticantes brasileiros em torno de um ideal.” Rossano Santo André, SP Niall O`Floinn 4 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 5

Editorial Fique informado, aproveite o melhor Os praticantes de Tai Chi Chuan, em sua grande maioria, têm um discernimento de que a aprendizagem dessa arte nunca vai se expirar; é inesgotável. São experiências individuais aglutinadas, detalhes a serem incorporados que corroboram esse sentimento. Que bom que é assim! Imaginemos como seria enfadonho, após um ou dois anos de prática de Tai Chi, percebermos que não haveria mais nada a aprender? Entretanto há um pensamento não raro de que, quando se fez um curso, workshop ou seminário, com o certificado em mãos, já se sabe aquilo e ponto final. Por vezes, confunde-se frequência com a assimilação empírica do conhecimento – a vivência. Quando se fala em aprender o Tai Chi, muitos nem pensam nas implicações de uma forma ampla – que envolvem esforços de um grupo ou de uma escola para trazer um mestre ou alguém altamente qualificado – e nem no entendimento restrito – que envolve o indivíduo em seu aproveitamento máximo da presença de um mestre. Assim, faz-se vir à tona alguns questionamentos: por que ir a um seminário, se já se sabe o encadeamento? Ou devo ainda treinar por algum tempo somente com o meu professor? Para nos ajudar a compreender um pouco esses “dilemas”, esta edição conta com um texto que expõe alguns motivos da importância de se participar de um seminário. Na onda desses seminários de Tai Chi que, afortunadamente, afloram em todo o Brasil, apresentamos também nesta edição um pouco das trajetórias e peculiaridades de mestres de Tai Chi, por isso, deleite-se, leia as páginas seguintes, há muitas dicas, e, na medida do possível, coloque-as em prática, pois há 3 segredos seculares que foram passados, de boca a ouvido, de mestres a sérios aprendizes, para melhorar e muito a nossa vivência no Tai Chi: 1º praticar, 2º praticar mais e 3º praticar mais ainda e praticar bem. Sete dias por semana, com certeza absoluta, não faria mal a ninguém. Uma ótima prática a todos! E um abraço de toda a Equipe! Levis Litz O editor Revista Tai Chi Brasil Bibliotecas & Acervos Campinas, São Paulo Equilibrius - Centro de Tai Chi Chuan, Acupuntura e Cultura Oriental Av. Oscar Pedroso Orta, 222. Barão Geraldo. ------------------------------------------Curitiba, Paraná Biblioteca Pública do Paraná Rua Cândido Lopes, 133. Centro. Academia Paramitta Av. Visc do Rio Branco, 84. Mercês. Colégio Estadual do Paraná Rua João Gualberto, 250. Alto da Glória. Colégio Medianeira Av. José Richa, nº 10546. Prado Velho. Nutribioforma R. Jaime Balão,1150. Casa 1. Hugo Lange. SESC Paraná – Unidade Água Verde Av. República Argentina, 944. Água Verde. ------------------------------------------Ribeirão Preto, São Paulo Equilibrius - Centro de Tai Chi Chuan, Acupuntura e Cultura Oriental Rua Cerqueira César, 1825. Jd. Sumaré. ------------------------------------------São Paulo, São Paulo Espaço Bem Estar (Yoga e Tai Chi Chuan) Av. Pe. Antonio José dos Santos, 1371. Brooklin Novo. Peng Lai Brasil - Artes Marciais Tradicionais Chinesas. Av. Deputado Emílio Carlos, 121. B. do Limão. Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan Rua José Maria Lisboa, 612, Sala 7. Contatos . website: www.RevistaTaiChiBrasil.com.br . e-mail e msn: revistataichibrasil@hotmail.com . orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=92660461 . e-mail: levislitz@gmail.com | . msn: levislitz@hotmail.com . twitter: http://twitter.com/LevisLitz . orkut: www.orkut.com/Profile.aspx?uid=11558296558846812654 . webpage: www.TaiChiCuritiba.com.br ------------------------------------------Uberlândia, Minas Gerais Academia Budô Kan Rua Benjamin Monteiro, nº 64. Centro. Revista Tai Chi Brasil - RTCB Editor ------------------------------------------Avise a gente ... ... se sua biblioteca tem um exemplar impresso da Revista Tai Chi Brasil. ---------------------------------------------------------------------------------- Caixa Postal 2233, Curitiba, PR, 80011-970. Brasil ------------------------------------------www.revistataichibrasil.com.br www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 5

[close]

p. 6

Mestre Chen Yingjun “Conheci Chen Yingjun em Maio de 2001, quando viajei pela primeira vez para Sydney para aprender com ele. Fiquei Yingjun Chen e ad id hospedado na casa de seu pai, o Grão-Mestre Chen Xiaowang, que, 34 anos de n ia X en W de al Natur muito gentilmente, pediu-lhe que me ensinasse. O pedido do GrãoCondado de Wen Mestre foi necessário porque Chen Yingjun cumpre diariamente Província de Henan uma rotina exaustiva de treinamento e abrir mão de seu tempo para China treinar alguém é, na verdade, um gesto de grande generosidade, se Vive em Sydney considerarmos que a sua meta é chegar a equiparar-se aos Austrália seus antepassados e, assim, continuar transmitindo a arte criada por Chen Wangting para as gerações futuras. Quando então comecei a aprender, pude perceber que Chen Yingjun era um professor muito mais talentoso do que eu poderia imaginar. Com isto não quero dizer que eu achei sua técnica muito aprimorada ou algo parecido: como poderia eu julgar a qualidade técnica de um herdeiro da 20ª Geração da Família Chen? Seu talento não reside apenas na técnica e na força, mas em como ele consegue transmitir com transparência e simplicidade o ensinamento, em quanto se dedica ao aluno durante a aula, em como se preocupa com o aprendizado deste a longo prazo e na sua paciência aparentemente infinita. O hexagrama 61 do I Ching chama-se Chung Fu e, na tradução de Wilhem, há uma passagem dele que diz, quando um sentimento é expresso com sinceridade e pureza, quando um ato é uma manifestação clara do que se sente e se pensa, exercem uma influência misteriosa que se propaga mesmo à distância. Esta é a imagem que tenho de Chen Yingjun, um mestre que ensina pelo exemplo da sua disciplina, humildade, generosidade e perseverança. Tendo tido a sorte de conviver durante bastante tempo com ele e com sua família, ouvi muitas instruções inesquecíveis sobre princípios e dedicação, mas uma das que creio que retrata mais fielmente o seu caráter é: Aqueles que aprenderam foram os que treinaram nos tempos bons e que continuaram treinando nos tempos difíceis”. Entrevista Revista Tai Chi Brasil - Mestre Yingjun, com que idade o senhor começou a praticar Taijiquan e como foi seu treinamento? Como pratica atualmente? Mestre Yingjun - Eu comecei a praticar quando era muito jovem, com uns 8 anos de idade. Eu praticava todos os dias depois da escola e nos feriados escolares. Atualmente eu pratico 6 horas por dias, todos os dias. Como a filosofia do Taijiquan influencia em sua vida? O Taijiquan é a minha vida, ou pode-se dizer que é o meu modo de vida. Taiji trata-se de equilíbrio, tanto mental quanto físico. Mentalmente o Taiji me confere uma Eduardo Molon maneira equilibrada de encarar a vida - por exemplo, não desejar coisas materiais em excesso, mas ter a disponibilidade mental de olhar mais profundamente para o meu Taiji e tentar melhorá-lo. Dessa forma a mente tem a oportunidade de ser feliz e aproveitar mais a vida, em vez de estar sempre perseguindo o desejo de um carro melhor ou um relógio mais caro. Fisicamente o Taiji faz meu corpo ser mais forte e dá-me confiança para encarar o mundo. Já praticou outra arte marcial, além de Taijiquan? Não, nunca. 6 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 7

Houve alguma ocasião em que o senhor tenha precisado usar o Taijiquan para defesa pessoal? Sim, eu precisei usar algumas vezes. Uma delas foi uma luta com um homem chinês, que simplesmente queria testar se eu era bom ou não. Ele veio ao local onde eu estava ensinando e perguntou se nós poderíamos lutar. Eu disse que sim, então evitei alguns ataques dele, socos e chutes. Então eu ataquei, dei três socos e o terceiro eu parei logo antes do nariz dele. Desferi então alguns chutes e o último eu parei logo antes do peito dele. Ele ficou convencido de que o Taijiquan é bom, e então quis aprender comigo. Por que alguém deveria escolher praticar Taijiquan em especial? As pessoas devem escolher o Taijiquan porque é uma arte marcial baseada na saúde. Basicamente, o Taijiquan tenta cuidar primeiro do seu corpo e fazer com que ele fique forte, e então você poderia lutar com este corpo mais forte. O corpo pode ficar muito forte, www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 7

[close]

p. 8

mas não agressivo em excesso porque o Taiji também dá ao praticante uma visão equilibrada da vida. Como o senhor equilibra sua prática com sua vida familiar? O Taijiquan não interfere com a minha vida familiar, eu faço minha prática e então fico com a minha família. O senhor já viu alguma situação curiosa ou engraçada envolvendo o Taijiquan? Sim, quando eu vejo 9 pessoas tentando empurrar meu pai e elas não conseguem, eu acho bem engraçado. Qual é a principal qualidade que um praticante de Taijiquan deve desenvolver? Qualquer um que pratique um bom Taijiquan terá um corpo forte, boa saúde e equilíbrio mental. Quais são os mestres que o senhor mais admira? Meu bisavô Chen Fake, meu avô Chen Zhaoxu e meu pai Chen Xiaowang. Algumas pessoas presumem que o Taijiquan é uma atividade apenas para idosos. É correto isso? As pessoas formam suas opiniões com base no que elas veem e poucas pessoas viram o Taijiquan real até hoje. Todos os membros da minha família começaram a treinar muito novos, por exemplo, eu iniciei com 2 anos e comecei a treinar rotineiramente com 8 anos. Na sua opinião, qual o real objetivo de praticar a arte do Taijiquan atualmente? Eu acho que atualmente muitas pessoas desejam coisas materiais em excesso e aparência. Elas deveriam olhar para o seu interior para terem uma vida equilibrada, então a felicidade verdadeira é uma consequência natural. Eu realmente acredito que nós deveríamos usar menos coisas materiais, produzir menos poluição e estar mais em equilíbrio com a natureza. Eu acho que nós estamos destruindo a Terra porque nossas vidas não estão em equilíbrio com a natureza. O Taijiquan é busca e a percepção do equílibrio? Eu já falei bastante sobre equilíbrio, para mim existe uma medida que é o suficiente. Eu poderei sustentar minha família, então eu tentarei melhorar meu próprio Taiji, 8 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 9

porque segundo a nossa teoria o Taijiquan é infinito, não tem fim, é um caminho de melhora perpétua. Ou, se eu ganhar muito dinheiro, poderei usar o dinheiro para ajudar os menos afortunados. Qual é a importância de aprender Taijiquan, presencialmente, com um bom professor? É muito importante ter um bom professor no início, para que ele mostre o caminho correto, até que o aluno saiba algumas coisas básicas e então possa praticar por conta própria. Se alguém for pelo caminho errado, nunca chegará ao seu destino. Que método de ensino o senhor usa nas suas aulas regulares? Nós fazemos um pouco de alongamento, uns 10 minutos, e zhanzhuang em pé por 20 minutos. Então praticamos chansigong, formas e fazemos as correções. O senhor pratica ou ensina o Taijiquan como uma arte marcial? Sim, como o Taijiquan foi criado como uma arte marcial há aproximadamente 400 anos pelos meus ancestrais, eu gostaria de seguir a tradição e ensinar as pessoas a se defenderem. Depois de quanto tempo de prática é possível observar algum desenvolvimento nos alunos? Não é há quanto tempo você faz que importa, mas sim o quanto você praticou e se você seguiu as instruções. Pode ser alguns meses, ou um par de anos. É necessário que o professor monitore constantemente o desenvolvimento dos seus alunos? Um aluno não precisa de um professor junto dele o tempo todo, o caminho correto é que deve ser apontado. Nós temos muitos professores locais para cuidar dos alunos e nós viajamos para ensinar as habilidades mais profundas. Que conselho o senhor daria àqueles que estão começando a praticar? Taijiquan é a melhor coisa para o seu corpo do ponto de vista da saúde e vale cada minuto do seu tempo, porque o retorno é tão abundante: boa saúde, um corpo forte, mente equilibrada. O que mais se pode desejar na vida? O senhor gostaria de enviar uma mensagem aos leitores da Revista Tai Chi Brasil? Eu tenho praticado Taijiquan por toda minha vida, por cerca de 26 anos, e eu mal posso acreditar como é bom. Eu recebi muitas coisas boas do Taijiquan: corpo forte, saúde boa, capacidade de defender-me e à minha família, tenho uma vida equilibrada e feliz. Eu gostaria de dizer: se você deseja tudo isto, junte-se ao caminho do Taijiquan da Família Chen! Créditos . As fotografias desta matéria foram cedidas gentilmente pelo Mestre Chen Yingjun . A Introdução foi um depoimento de Eduardo Molon . Elaboração das perguntas em inglês: Levis Litz. Editor da RTCB . Tradução das respostas para o idioma português brasileiro: Eduardo Molon Eduardo Molon é Secretário-Geral da World Chen Xiaowang Taijiquan Association Brasil - Seção Bahia - http://taijiquan.pro.br www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 9

[close]

p. 10

Trajetória Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan Por Maria Ângela Soci Representante da Família Yang para o Brasil e América Latina Diretora da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan http://www.sbtcc.org.br - Fotos: Acervo/SBTCC A Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan quando tive a oportunidade de ir à China no mesmo e Cultura Oriental estabelecida com este nome foi ano por duas vezes e lá fazer um treinamento particular fundada em 1987, mas, antes disso, nós tínhamos o com ele, recebendo as instruções e as correções da Centro de Estudos do Movimento. Este local, que forma de acordo com as técnicas exigidas pela Família ficou conhecido como a academia da Rua Augusta, foi Yang. Naquele momento nós estabelecemos um vínculo fundada em 1980 pelo Prof. Roque e eu. Desde o início de discipulado, no sentido de que minha missão aqui nós trabalhávamos para a difusão do Estilo Yang de Tai no Brasil seria difundir o estilo de acordo com os Chi Chuan. O Prof. Roque havia aprendido uma forma ensinamentos que eu recebi diretamente do Mestre antiga do estilo com seu Mestre na Argentina, Ma Tsun Yang Zhenduo na China e o compromisso de ampliar o Kuen, discípulo de Yang Chengfu. Quando veio da trabalho no Brasil e na América latina. Em 1999 houve Argentina ele trouxe para São Paulo este conhecimento a primeira visita do Mestre Yang Zhenduo ao nosso e começou a difundir e ensinar a arte do Tai Chi Chuan país, justamente para firmar este vínculo e para que ele Yang. Em 1978 ele deu início aos cursos de formação conhecesse o nosso trabalho que havia começado em para instrutores, eu fiz parte da primeira turma naquele 1978, observar o que estávamos fazendo e, ao mesmo tempo, motivar os nossos alunos ano. O estabelecimento deste curso para que junto conosco aderissem de formação acabou exigindo “queríamos era ter ao estilo da Família Yang. Este a necessidade de formalizar a a orientação de um mestre encontro foi muito importante e o instituição relacionada à difusão da arte e decidimos assim modificar vivo de uma linhagem, Mestre ficou encantado e feliz ao perceber o trabalho que estávamos o nome da escola para Sociedade para termos verdadeiras desenvolvendo aqui já há tanto Brasileira de Tai Chi Chuan. Isto tempo em nome da Família Yang. ocorreu em 1987. condições de manter Em 1990 iniciou-se o A partir daí, anualmente, nós o conhecimento original nosso contato com a Família desenvolvemos seminários. O Yang, quando nós recebemos um Mestre Yang Zhenduo veio duas e compartilhá-lo com comunicado que o Mestre Yang vezes ao Brasil, 1999 e 2001, os brasileiros” Zhenduo, o 4º detentor do estilo e, desde 2002, todos os anos o da Família, estaria nos EUA próprio Mestre Yang Jun, a 5ª oferecendo um seminário. O Prof. Roque foi até lá Geração, vem dar estes seminários com o objetivo de e participou deste seminário trazendo para o Brasil observar nosso trabalho, fiscalizar a qualidade técnica as modificações necessárias a serem feitas dentro da das instruções que oferecemos, avalizar nossos estrutura da forma que estava sendo ensinada aqui. Desde instrutores, incrementar com novos ensinamentos no aí passaram-se oito anos do nosso desenvolvimento e aspecto teórico e no aspecto técnico, para que o estilo durante este tempo fizemos algumas tentativas de trazer com todas estas características não seja perdido em o Mestre Yang Zhenduo para o Brasil. As dificuldades hipótese alguma. econômicas do nosso país naquela época não permitiram O estabelecimento do vínculo com o Mestre Yang este intento. Finalmente, em 1998, pudemos retomar Zhenduo e a Família Yang foi um movimento radical da nosso relacionamento com o Mestre Yang Zhenduo, nossa parte porque nós já praticávamos aquela forma 10 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 11

anterior há muitos anos. De qualquer maneira, para nós foi uma escolha consciente porque o que queríamos era ter a orientação de um mestre vivo de uma linhagem, para termos verdadeiras condições de manter o conhecimento original e compartilhálo com os brasileiros, sob a orientação de nosso mestre. A maioria dos nossos alunos e instrutores permaneceram conosco aderindo às transformações que foram propostas, reconhecendo a importância de termos um mestre vivo de uma linhagem verdadeira acompanhando o nosso desenvolvimento dentro da arte, isto é extremamente importante que aconteça para qualquer praticante de Tai Chi. Também em 1999, o Mestre Yang Jun mudou-se da China para os EUA e lá desenvolveu a Associação Internacional do Estilo Yang. Eu fiz parte deste primeiro encontro em Seattle, fundando junto com outros diretores esta Associação. Neste momento a SBTCC incorpora ao seu estatuto o Centro Yang Chengfu de difusão do Tai Chi da Família Yang, e assim nós nos tornamos formalmente representantes da Família no Brasil e América Latina. Dentro da nossa escola incluímos outros cursos relacionados com o I Ching, palestras, conferências, cursos de Chi Kung, e isto faz com que a SBTCC tenha uma amplitude cultural, e o Centro Yang Chengfu é aquilo que nos conecta diretamente à Família Yang. Formalmente a SBTCC existe desde 1987, mas nós poderíamos nos remeter a 1978 ou 1980, quando estabelecemos um espaço para a prática do Tai Chi Chuan da Família Yang. Nestes 30 anos muita coisa mudou e esta foi uma mudança muito bonita, porque fomos passando por um processo de desenvolvimento. Inclusive uma grande evolução na própria sociedade mundial, quando a China se abre para o mundo a partir dos anos noventa e começa a haver uma curiosidade maior sobre a Cultura Chinesa com o implemento da acupuntura na medicina, o entendimento das energias, uma abertura no vocabulário científico, uma compreensão da necessidade de ampliar o conhecimento e abrir os olhos para o que o oriente estava oferecendo. Esta mudança foi gradativa e fez com que pessoas que já tinham uma procura diferenciada começassem a estudar uma arte chinesa deliberadamente como um processo de desenvolvimento completo. Hoje, além dos alunos que procuram a prática do Tai Chi Chuan para melhorar a sua saúde, temos uma razoável quantidade de pessoas que vêm prontos para serem formados como instrutores porque não tem apenas uma pequena base técnica, mas procuram a arte sabendo dos seus benefícios à saúde física, emocional e compreendendo isto como um caminho, uma abertura de trabalho e até como um campo para o desenvolvimento profissional. Muitas pessoas vêm a nossa escola para receber a instrução específica, com a aspiração e o desejo de serem representantes do estilo da Família Yang em sua cidade ou mesmo aqui em são Paulo, e isto reafirma nossa escola como referência para a formação de novos profissionais no mercado. Nossa atuação como entidade formadora de instrutores fez com que a própria Associação Internacional abrisse os olhos para o trabalho que estamos desenvolvendo aqui no Brasil. No ano de 2008, em sua visita anual ao Brasil, o Mestre Yang Jun tomou contato com nossos instrutores formados e em formação. Hoje nosso www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 11

[close]

p. 12

quadro abrange aproximadamente 150 pessoas de São Paulo, interior e outros estados. Naquela ocasião, muito surpreso com a quantidade de interessados em divulgar o Tai Chi Chuan da Família Yang que o Brasil possui, Mestre Yang Jun nos confessou que estamos realizando um sonho antigo que ele tem: fundar uma espécie de Faculdade sem paredes, dando ao curso de formação de Tai Chi característica de graduação superior. Naquele momento ele me convidou a partilhar em nossa reunião de diretores bienal, que acontece em Seattle, a metodologia que desenvolvemos aqui no Brasil para formação de nossos instrutores. Com base nisso e a colaboração de nossos colegas dos centros da Itália e do Canadá, formamos uma comissão para estabelecer o curso oficial de formação de instrutores da Família Yang, que vai funcionar num modelo internacional. Ou seja, o praticante de Tai Chi que tenha interesse em se profissionalizar nas técnicas pode estudar em algum centro e também pode viajar a outros locais e receber instruções de professores estrangeiros, cumprir créditos universitários e ter uma graduação universitária no Tai Chi Chuan. Desta forma, considero que o trabalho da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan está atingindo o seu propósito maior na difusão do Tai Chi Chuan da Família Yang, que se sustenta na manutenção da alta qualidade dos ensinamentos transmitidos por nossos mestres. Ao longo de todos estes anos posso afirmar que mais de mil pessoas passaram por nossas salas de aula e de alguma forma beberam de um conhecimento fundamentado nas tradições superiores da cultura chinesa. Quero deixar aqui nosso convite pessoal para que todos os praticantes interessados e simpatizantes venham conhecer o Tai Chi Chuan da Família Yang. 12 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 13

Rádio Corredor I Tai Chi nos Parques e Praças Curitiba, PR Mestre Yang Jun no Brasil São Paulo, SP A Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e o Yang Chengfu Tai Chi Chuan Center São Paulo irão realizar o 11° Seminário Internacional de Tai Chi Chuan com o Mestre Yang Jun, descendente direto do criador do Estilo da Família Yang, Mestre Yang Lu Chan. Data: de 28 de Outubro a 03 de Novembro de 2010. Local: SESC Pompeia. São Paulo, SP. Haverá também uma programação gratuita que acontecerá paralela ao Seminário. Maiores informações em www.sbtcc.org.br. --------------------- Aconteceu no dia 5 de junho deste ano a aula inaugural do projeto “Curitiba: Tai Chi nos Parques e Praças”. Estiveram presentes professores e praticantes de Tai Chi, em destaque o professor de Tai Chi Chuan, Alex Santos da cidade de Santos, SP. O objetivo do projeto é levar para a comunidade a prática gratuita aos finais de semana. Essa iniciativa é da Associação Internacional de Praticantes de Tai Chi Chuan (AIPT) e conta com a participação de muitos professores de Tai Chi Chuan de Curitiba e o apoio da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba. A coordenação deste projeto é composta pelos professores de Tai Chi Chuan Bruno Davanzo, Péricles Z. Abrahão e Levis Litz. Para obter detalhes sobre o projeto basta visitar a página da AIPT na internet - www.aipt.org.br tiveram a oportunidade de fazer as formas antigas tradicionais do Tai Chi Chuan Estilo Chen: Lao Jia Yi Lu e Lao Jia Er Lu (Pao Chui) com o Grão-Mestre Chen Xiaowang. Este ano, o evento se realizará entre 13 e 17 de outubro em Bariloche, Argentina, com práticas das formas: Xin Jia e Tai Chi com Sabre do Estilo Chen. Maiores informações: www.chenxiaowangbrasil.com.br. --------------------- Torneio e Confraternização Curitiba, PR Em setembro, dia 26, domingo, próximo ao ínício da primavera, acontecerá o 2º Torneio de Confraternização de Tai Chi Chuan. Realização: AIPT e SESC Paraná - Unidade Água Verde. Informações: aipt.brasil@gmail. Serão sorteados entre os presentes: . 10 exemplares da obra “O Pequeno Livro do Tao”, de Jerusha Chang, cortesia da OP Livros (http:// oplivros.com.br), de São Paulo, SP; . um exemplar do livro “Tai Chi Chuan - Saúde e Equilíbrio”; Grão-Mestre Chen Xiaowang na Argentina Rio de Janeiro, RJ No ano passado praticantes de vários países, inclusive do Brasil, www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 13

[close]

p. 14

Rádio Corredor II . um exemplar do livro “Pa Tuan Chin”, estes dois são cortesias do autor Fernando De Lazzari, da Equilibrius (www.taichichuan.com. br), de Ribeirão Preto, SP; . um voucher-rafting para uma pessoa com acompanhante fazer um rafting no Rio Ribeira em Cerro Azul, Paraná, cortesia da Praia Secreta Expedições (www. praiasecreta.com.br); . exemplares em papel da Revista Tai Chi Brasil; . camisetas da Associação Internacional de Praticantes de Tai Chi Chuan (AIPT); . camisetas da Academia Paramitta; . e muitos outros brindes. Contato: aipt.brasil@gmail.com --------------------Chi, Arthur Dalmaso, é começar a economizar um pouquinho de reais desde agora para a viagem, pois as compras na China são tentadoras. Fique por dentro acompanhando o Boletim Informativo Espaço BemEstar: www.taichichuanyang.org. --------------------comprometidos de alguma forma, o equilíbrio não existe, bronquite, asma, artrite, artrose, osteoporose, diabetes, hipertensão, hipotensão, cardíacos, que são as patologias crônicas. Num grupo misto, a meu ver, o mais importante são os benefícios à saúde dos praticantes do que a prática impecável e muitas vezes esteticamente agradável aos olhos. O esforço aplicado por um idoso é muito maior do que o de um jovem, pois é muito mais pesado, desgastante e cansativo. Muitas vezes vemos o idoso esforçandose ao máximo, pois ele sabe que daquilo depende sua saúde e a aquisição dos benefícios. Procuro sempre corrigir, mas levando em consideração os limites de cada um, pois o simples fato de um idoso estar se movimentando, saindo de casa de manhã para se dedicar a um esporte já é um lucro enorme para a saúde do mesmo. O desafio maior ainda é marcar um evento e conseguir levar apenas 20% dos participantes. Desinteresse? Não! Final de semana, sábado, domingo é o dia da família, os filhos, noras, genros e netos vão todos para as casas dos pais e avós na visita semanal. Vários comentários do tipo: ”Eu adoraria, mas meus filhos virão no sábado/domingo.” Então para mim o desafio, além de ensinar, é conseguir com que esse percentual de 20% seja tão importante quanto os 100%, pois sei que todos gostariam de estar participando, mas a obrigação, a devoção, a dedicação aos dependentes é muito mais forte, principalmente para um público 99% feminino. Este, para mim, é o verdadeiro desafio e ouvir depoimentos do tipo: “Eu estava deprimida antes de fazer Dia do Desafio e de 3º Ano do Grupo de Práticas Corporais da M.T.C. São Paulo, SP O grande desafio no ensino de Tai Chi Chuan, Liang Gong, Tai Ji Qi Gong, Dao Yin Bao Jian Gong e muitos outros exercícios da M.T.C. para um grupo misto onde se deve ter preocupação especial com os participantes da melhor idade que já possuem alguma patologia instalada em seu corpo. Ensino hoje para um grupo misto entre 14 e 88 anos. A dedicação maior, por incrível que pareça, é das pessoas mais idosas que sentem logo no início os benefícios dessas artes. São os depoimentos que, geralmente feitos de forma espontânea, me fazem refletir que é impossível aplicar todos os fundamentos, todas as bases e filosofia das artes marciais. São pessoas que nem sempre tiveram acesso à cultura e/ou educação e têm uma dificuldade na compreensão de palavras ou teorias, o que faz com que eu desenvolva uma linguagem simples na tentativa de me fazer entender. As aberturas, os alongamentos, a respiração, todos, ou quase todos os sentidos, já estão 4º. Campeonato Internacional de Tai Chi do Estilo Tradicional Yang na China em 2012 São Paulo, SP Um grupo de praticantes de Tai Chi Chuan do Estilo Tradicional Yang, em 2007, participou do Campeonato Internacional de Tai Chi do Estilo Tradicional Yang. Aquela foi uma ótima oportunidade para os brasileiros também conhecerem Pequim e outros pontos interessantes da China. O próximo evento, o 4º. Campeonato Internacional de Tai Chi do Estilo Tradicional Yang, deve acontecer em 2012. A dica do professor de Tai 14 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 15

Rádio Corredor III as aulas, agora nem remédio tomo mais.” “Não sinto mais dores nas costas, joelhos, braços” etc. [Por José Roberto Batalha - jrbatalha@ hotmail.com] --------------------monitores auxiliares seus dirigem as atividades voluntariamente e por se sentirem bem. Temos frequentadores desde crianças até pessoas de mais de 90 anos. Desde pessoas humildes, como balconistas e cabeleireiros, até diplomatas, políticos, empresários e ministros de tribunais de justiça. Temos também pessoas de diversas nacionalidades. Há frequentadores com mal de Parkinson e de Alzheimer. Para maiores informações, pode-se consultar o site: www.phu.org.br --------------------a cada aluno que cativou a todos. Fomos surpreendidos pela sua forma de ensinar, que conseguiu tornar proveitoso cada momento dos seminários. Assim, teremos um fim de semana dedicado aos exercícios do Desenrolar o Fio de Seda, que nos ajuda a desbloquear nossas articulações e o fluir do chi através do corpo, servindo como uma base para o aprendizado do Tai Chi. Tai Chi na Praça da Harmonia Universal Brasília, DF Por Hildo Honório do Couto -------------------------------- Desde 1974 o Dr. Moo Shong Woo vem praticando e ensinando tai chi chuan na EQN 104/105, em Brasília. Esse local passou a ser conhecido como Praça da Harmonia Universal (PHU). Em 16 de janeiro de 2007, a PHU foi declarada patrimônio cultural imaterial de Brasília, pela Lei Distrital número 3.951. Atualmente, existem três horários de prática diária: das 6h às 7h, das 07h30min às 8h30min (exceto domingos) e das 19h às 20h, às segundas, quartas e sextas. Além disso, temos tai chi infantil aos sábados, 9h. Há também práticas com espada, bastão, leque, pa kua (bagua) e outras. Tanto o mestre quanto os cerca de 30 Seminário Internacional com Niall O`Floinn Curitiba, PR Em março deste ano esteve em Curitiba o professor irlandês Niall O’Floinn. O organizador Bruno Davanzo disse que o evento foi um sucesso tão expressivo que o professor O`Floinn irá novamente a Curitiba para ministrar mais quatro seminários em agosto. “Quando professor Niall esteve aqui em março, fomos agraciados com conhecimento técnico de alto nível, uma didática aprimorada e um cuidado e atenção Além disso, teremos um seminário para iniciantes nos 18 movimentos do estilo Chen e 2 seminários para aqueles que querem se aperfeiçoar na prática.”, diz Davanzo, que concede descontos para inscrições antecipadas. Informações: contato@ academiaparamitta.com.br SESC Água Verde Curitiba - Paraná 3 TURMAS Às 2ªs, 4ªs e 6ªs: das 08h às 09h Às 3ªs e 5ªs: das 18h20 às 19h20 Foto: LL Às 5ªs: das 16h30 às 18h www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 15

[close]

Comments

no comments yet