Revista Tai Chi Brasil - Edição Nº 10

 

Embed or link this publication

Description

Revista Tai Chi Brasil - Edição Nº 10

Popular Pages


p. 1

Edição nº 10 - Março/Abril 2011 - Distribuição gratuita e dirigida www.RevistaTaiChiBrasil.com.br Tai Chi Brasil Revista

[close]

p. 2

Tai Chi Chuan - Pratique! Regina Azevedo - São Paulo, SP . Jornalista, escritora, professora, radialista e praticante de Tai Chi Pai Lin. . Doutoranda em Psicologia Social pelo Instituto de Psicologia / USP. . Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP com o tema “Programação Neurolinguística (PNL) e Linguagem de Persuasão”. . Jornalista especializada em temas ligados a comportamento e ao desenvolvimento da mente humana, tais como: Psicologia Junguiana, Programação Neurolinguística (PNL), Terapia da Linha do Tempo (TLT) e Inteligência Emocional. . Autora de várias obras. Blog: http://reginaazevedojornalista.blogspot.com Foto: Mauro Rubens - Divulgação / Acervo Regina Azevedo Locais de prática de Tai Chi Chuan no Brasil e no mundo: www.aipt.org.br

[close]

p. 3

Tai Chi Brasil RevistaTaiChiBrasil.com.br Revista Sumário 6 9 12 16 20 22 24 26 Compreendendo a vacuidade Grão-mestre Chiu Ping Lok e a sua trajetória Tai Chi Chuan - Princípio Os 10 princípios de Yang Cheng Fu - Parte VIII O desenvolvimento do Jin e a prática do bastão Tai Chi Chuan estilo Wu Um olhar psicológico sobre o combate no taijiquan Tai Chi Chuan - Tratado O 5º Tratado de Cheng Man Chin: “Nadando na terra” Praticar Tai Chi pela Razão que cada um deve encontrar em si mesmo SEÇÕES 4 CARTAS 5 EDITORIAL 14 RÁDIO CORREDOR Curitiba - Paraná - Brasil Edição nº 10 | mar/abr | 2011 ® Todos os direitos reservados 4° ofício de registro de documentos Registro nº 401.197 editor: levis litz colaboraram nesta edição aparecido de lira, bruno davanzo, eliane cardoso, liana netto, marcus maia, regina azevedo, roque severino e valesca giordano litz. agradecimentos angela soci, antônio prates, arthur dalmaso, bradeos graphon, eliabe serafim ferreira, geraldo cerqueira, iván e nisla mejía, mauro rubens sifu gabriel, sociedade brasileira de tai chi chuan, tai chi curitiba e wu yan hsia. revisão viviane giordano contato | publicidade revistataichibrasil@hotmail.com levislitz@gmail.com jornalista responsável diplomado levis litz - mtb 3865/15/52v pr Distribuição gratuita e dirigida. Todos os textos e fotos aqui publicadas são colaborações voluntárias gratuitas. Não são de responsabilidade desta revista os artigos de opinião e também as opiniões emitidas em entrevistas e depoimentos, por não representarem, necessariamente, o pensamento do editor. Por questões de espaço, objetividade e clareza, a equipe editorial reserva-se o direito de resumir os textos recebidos. Foto com pouca definição é de responsabilidade do autor. Os exemplares impressos em papel desta publicação serão doados para bibliotecas públicas.

[close]

p. 4

Mensagens & Cartas Revista Tai Chi Brasil. Curitiba - Paraná - Brasil. revistataichibrasil@hotmail.com | editor: levislitz@gmail.com Por questões de espaço, a equipe editorial reserva-se o direito de editar mensagens, depoimentos, fotos e textos recebidos. “Ao editor Levis Litz, agradecemos a participação da Revista Tai Chi Brasil na nossa homenagem ao Mestre Liu Pai Lin por ocasião da data de seu aniversário, com a publicação no nº 9 desta Revista do cartaz de nossa autoria. Aproveitamos para parabenizar editor e equipe pela existência, persistência e qualidade da Revista Tai Chi Brasil.” Lais Wollner, Alexandre Wollner, Gui von Schmidt, colaboradores: Edith Derdyk, Tarcisio Tatit Sapienza São Paulo, SP “Parabéns pela revista! Muito bom poder viajar pelo mundo do tai chi e sempre aprender com tantas experiências bonitas!” Lilia São Paulo, SP recibiendo orientación del Centro. Residimos en Centro América. Saludos.” Iván y Nisla Mejía Panamá “Estamos muito agradecidos pelo envio da Revista Tai Chi Brasil nº 9 e das outras que já recebemos anteriormente! Aproveitamos para desejar-lhe e aos seus um 2011 de muita paz, alegrias e saúde!” Ana Maria Couto Associação Brasileira de Psicologia Transpessoal Belo Horizonte, MG “Mais uma vez agradeço por todas as informações contidas na Revista Tai Chi Brasil, aproveito para informar que a partir de agora sou Instrutor de Tai Chi Chuan estilo Yang. Aproveito para mandar uma foto do mestre apresentando com a espada.” “Gostei da forma como publicaram a imagem “Sonho da Borboleta”. [Edição nº 8] Tarcisio Tatit Sapienza São Paulo, SP Niall O`Floinn da Irlanda Leitor assíduo da Revista Tai Chi Brasil. ------------------------------------------------- “A edição 09 ficou como sempre excelente.” Arthur Dalmaso Espaço Bem Estar www.taichichuanyang.org São Paulo, SP “Apreciados amigos, muchas gracias por la revista, la hemos conocido ahora que estuvimos en el Yang ChengFu Tai Chi Chuan Center de São Paulo, y la estamos viendo por internet, ya bajamos un par de números, pues las instrucciones están muy claras en la página de internet. Practicamos la Forma Larga de la Family Yang desde hace 6 años y ahora estamos “Quero parabenizá-lo pelo projeto da Revista. Esta tem sido uma fonte de informação e de intercâmbio importante entre as escolas de Taiji.” Flávio Prado São Paulo, SP “Gostaria de agradecer muito o seu comentário na Revista Tai Chi Chuan deste mês, sobre o 3º Encontro de Taichichueiros no Espaço Bem-Estar. O Arthur e eu ficamos emocionados. Obrigada.” Célia Dalmaso Espaço Bem Estar (Yoga e Tai Chi Chuan) www.taichichuanyang.org São Paulo, SP Geraldo Cerqueira “Parabéns pelo seu trabalho (ótimo) na revista! Pratico Tai Chi na Academia Wong, estilo Wu.” Jael http://taichiwong.com.br São Paulo, SP 4 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 5

Editorial A Revista Tai Chi Brasil Revista Tai Chi Brasil Bibliotecas & Acervos Campinas, SP Equilibrius - Centro de Tai Chi Chuan, Acupuntura e Cultura Oriental Av. Oscar Pedroso Orta, 222. Barão Geraldo. Em época de viagens, carnaval, feriados, cursos e seminários, nossa revista dedica esta edição a vários temas interessantes, entre eles, o entendimento da vacuidade, o olhar psicológico sobre o combate no Tai Chi Chuan, a continuidade dos tratados e princípios do Tai Chi, o desenvolvimento do Jin e a prática do bastão, a trajetória de um grão-mestre e assim por diante. Com estes e muitos outros assuntos, a sua leitura e entretenimento estão garantidos até a próxima publicação. Para tornar a leitura mais agradável, agora a Revista Tai Chi Brasil está disponível em outra página na internet. A nossa equipe, desde setembro de 2009, leva aos leitores de todo o Brasil sua edição da revista em versão eletrônica. A partir desta edição temos a felicidade de compartilhá-la também num site onde o leitor poderá ver todas as edições sem a necessidade de baixar. Colocá-la ali ajuda a promover o Tai Chi melhor, divulgar ideias relevantes, fomentar debates interessantes e preservar a memória da revista e das pessoas e praticantes de Tai Chi que ao longo do tempo vem contribuindo para sua existência. Basta apenas entrar no site www.RevistaTaiChiBrasil e clicar nas edições da revista para que ela se abra para você. Experimente essa ideia, acomode-se na cadeira e entre nesse fascinante mundo do Tai Chi! Boa leitura! ------------------------------------------Caxias do Sul, RS Centro de Estudos da Medicina Chinesa Av. Júlio de Castilhos, 1501. Sala 32. Centro ------------------------------------------Curitiba, PR Biblioteca Pública do Paraná Rua Cândido Lopes, 133. Centro. Biblioteca Hideo Handa Praça do Japão. Água Verde. Academia Paramitta Av. Visc do Rio Branco, 84. Mercês. Colégio Estadual do Paraná Rua João Gualberto, 250. Alto da Glória. Colégio Medianeira Av. José Richa, nº 10546. Prado Velho. Instituto Fu Hok | BackStage R. Guido Straube,52-B. Vila Izabel. Nutribioforma R. Jaime Balão,1150. Casa 1. Hugo Lange. SESC Paraná – Unidade Água Verde Av. República Argentina, 944. Água Verde. ------------------------------------------Ribeirão Preto, SP Levis Litz jornalista diplomado Equilibrius - Centro de Tai Chi Chuan, Acupuntura e Cultura Oriental Rua Cerqueira César, 1825. Jd. Sumaré. ------------------------------------------São Paulo, SP Contato Revista Tai Chi Brasil - RTCB . website: www.RevistaTaiChiBrasil.com.br . e-mail: revistataichibrasil@hotmail.com Editor - Levis Litz . e-mail: levislitz@gmail.com | . msn: levislitz@hotmail.com . webpage: www.TaiChiCuritiba.com.br ---------------------------------------------------------------------------------- Espaço Bem Estar (Yoga e Tai Chi Chuan) Av. Pe. Antonio José dos Santos, 1371. Brooklin Novo. Peng Lai Brasil - Artes Marciais Tradicionais Chinesas. Av. Deputado Emílio Carlos, 121. B. do Limão. Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan Rua José Maria Lisboa, 612, Sala 7. ------------------------------------------Uberlândia, MG Academia Budô Kan Rua Benjamin Monteiro, nº 64. Centro. Curitiba - Paraná - Brasil www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 5

[close]

p. 6

Compreendendo a Vacuidade Por Roque Severino Diretor da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e Cultura Oriental http://www.sbtcc.org.br Antigamente as pessoas costumavam dizer: “Se você é capaz de atrair a vacuidade, será capaz de usar quatro onças para desviar cem quilos. Se você não puder atrair a vacuidade, não poderá usar quatro onças para desviar cem quilos. As palavras são simples, mas o significado é completo. Principiantes não podem compreender isto.” LI I-Yu Queridos amigos, Em nossos muitos contatos com o Mestre Yang Jun, ele insistiu que nós enviássemos artigos para a Revista Tai Chi. Eu quero agradecer à Associação por esta oportunidade e espero que outros possam também contribuir para o desenvolvimento intelectual e espiritual dos praticantes da família Yang. Uma vez perguntamos ao Mestre Yang Jun sobre o mais alto objetivo da prática do Tai Chi Chuan. Ele nos deu a seguinte resposta: “Você deve atingir e compreender a ‘vacuidade’ e ajudar a todos os seres humanos, especialmente os fracos e oprimidos”. Por muitos anos eu tenho encontrado Mestres de Tai Chi Chuan e de Budismo Tibetano no Brasil e na Índia. Minha experiência ensinando, entretanto, me fez compreender que, mesmo com traduções em Português, a transmissão do significado filosófico de suas palavras não é uma tarefa fácil, desde que a maneira do Ocidental pensar não pode facilmente compreender os conceitos abstratos e simbolismo. Isto faz com que alunos e praticantes tenham grandes dificuldades para mudar suas formas de ver as coisas ou até de se comportarem. Só para ilustrar, quando falamos sobre o Dharma Budista, por exemplo, seja em Chinês, Sânscrito ou Tibetano, cada palavra tem três significados: o comum, ou popular, o erudito ou sofisticado e o religioso ou Significado do Dharma. Em outras palavras, quando um estudioso fala, um homem comum não pode compreendê-lo e quando um padre fala, nem o estudioso nem o homem comum podem compreendê-lo. Além do mais, existem 10 maneiras de se compreender um ensinamento de acordo ao contexto em que ele é dado. Você pode ver então como pode ser árduo compreender os ensinamentos do Tai Chi Chuan, preservados em tal linguagem elevada como o Chinês Clássico, por exemplo. Nós ocidentais seríamos muito orgulhosos se disséssemos que nosso linguajar simples nos permite compreender todo o significado de um mestre realizado tal como o Grande Mestre Yang Zhenduo. Tome como exemplo o Inglês utilizado por Shakespeare, ou o Português usado por Camões em “os Lusíadas”, ou ainda o Espanhol usado em “Don Quixote de la Mancha”. A linguagem utilizada nestes textos clássicos não tem nada a ver com o Inglês, o Português ou o Espanhol que é falado hoje no cotidiano. Quem de nós ousaria traduzir o Tao Te King? Nós sabemos que entender um idioma não é suficiente em si mesmo. Quem pode dizer que compreende facilmente as palavras de Confúcio? Um dos conceitos mais frequentemente utilizados no Tai Chi Chuan é a ‘vacuidade’ e ele foi tirado das escolas Taoístas e Budistas de pensamento. O estudo deste termo começou aproximadamente no ano 653 d.C. vindo do Ceilão, com Bodhidharma, o 28o. Patriarca Budista conhecido na China como Damo. Seus ensinamentos influenciaram profundamente a filosofia Taoísta daquele tempo e a escola ‘Chan’ “Um dos conceitos mais frequentemente utilizados no Tai Chi Chuan é a ‘vacuidade’ e ele foi tirado das escolas Taoístas e Budistas de pensamento.” 6 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 7

Chinesa, também conhecida como ‘Zen’ no Japão, surgiu da união destes dois grandes sistemas de pensamento – Taoísmo e Budismo. O termo ‘vacuidade’ criou tantos problemas e mal entendidos no Ocidente que as quarto maiores escolas do Budismo Tibetano decidiram criar comitês de tradutores Ocidentais que tivessem por sua parte conhecimento e experiência do Dharma, com a idéia de explicar a terminologia Budista ao público em geral, mas particularmente aos estudantes sinceros e seguidores do Budismo. ‘Vacuidade’ significa simplesmente ‘nada’ para nós. Nós poderíamos dizer que num contexto comum ela poderia ser aplicada a objetos e situações rotineiras tais como uma xícara vazia ou um quarto vazio. Na filosofia do Tai Chi Chuan, entretanto, o conceito de ‘vacuidade’ adquire uma dimensão profunda e elevada que faz os alunos questionarem suas próprias vidas. E assim é como os grandes mestres Taoístas e Budistas chegaram a este conceito. No Budismo ‘vacuidade’ foi mais concisamente explicado durante o Segundo ciclo de ensinamentos dado pelo mestre Sidarta Gautama, o Buda, durante o qual ele explicou o prajna paramita sutra, isto é, ‘o perfeito conhecimento que está além da excelência’. Neste contexto é dito: “Avalokiteshvara, o bodhisattva da verdadeira liberdade, compreende através da prática da grande sabedoria que os cinco Skandas ou componentes psicológicos do ego centrado dos seres (forma, sensação, percepção, conceito e consciência) não são mais que vacuidade, e graças a esta compreensão ele ajuda a todos os que sofrem. Oh Sariputra, os fenômenos não são diferentes da vacuidade e a vacuidade não é diferente dos fenômenos.” “O Livro Tibetanos dos Mortos” explica que o primeiro componente é a forma (rupa), o começo da individualidade e da experiência separada, e a divisão da experiência em sujeito e objeto. Agora há um ‘eu’ primitivo consciente de um mundo externo. Na medida em que isto acontece, o ‘eu’ reage ao seu ambiente: é o segundo estágio, sensação (vedana). Não é a emoção completamente desenvolvida – apenas um instintivo gosto, desgosto ou indiferença, mas ele fica imediatamente mais complicado na medida em que a entidade centralizada começa a reagir não apenas passiva, mas também ativamente. Este é o terceiro estágio, percepção (samjña), em seu sentido completo, quando o ‘eu’ é consciente do estímulo e automaticamente responde a ele. O quarto componente é o conceito (samskara), cobrindo a atividade intelectual e emocional de interpretação, que segue a percepção. Ele é o que coloca as coisas juntas e constrói os padrões da personalidade e do karma. Finalmente há a consciência (vjnãna) que combina todos os sentidos, percepções e a mente. O ‘eu’ tornou-se agora um universo completo em si mesmo; ao invés de perceber diretamente o mundo como é em sua realidade, ele projeta suas próprias imagens ao redor dele. O ensinamento fundamental do livro é o reconhecimento de nossas próprias projeções e a dissolução do sentido do ‘eu’ à luz da realidade. Na medida em que isto é feito, os cinco componentes psicológicos do estado mental confuso e obscurecido tornam-se fatores de iluminação. “Quando praticamos o Tai Chi Chuan ou qualquer atividade da vida diária, elas permeiam e manipulam nossas percepções subjetivas do ambiente.” Somando-se ao conceito de ‘vacuidade’, agora temos mais um conceito para estudar no Tai Chi Chuan; o ‘fenômeno’. Nós deveríamos começar do segundo para melhor compreender o primeiro. A palavra ‘fenômeno’ pode ser aplicada a objetos externos, estados mentais e emoções conflituosas. É simples compreender o seu significado com relação a objetos externos desde que tanto a física clássica como a física quântica em muitas ocasiões nos oferece evidências significativas, reduzindo os estados da matéria a tamanhos tais como ‘Nano’, que nossa inteligência ordinária não pode compreender. Quando chegamos aos estados mentais, a palavra é aplicada ao nosso pensamento. Quando nós pensamos, somos tomados por dois estados básicos – medo e esperança. Medo se relaciona com nossa memória de acontecimentos passados desagradáveis que não queremos experimentar novamente, ou de www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 7

[close]

p. 8

momentos agradáveis que tememos não experimentar de novo. Este medo nutre a esperança que nos faz construir imaginariamente ou de forma idealística uma vida melhor para nós, nossos parentes ou nossas nações. Estes dois estados mentais nos fazem sentir as seis emoções conflituosas que são: orgulho, ou arrogância, inveja ou ciúmes, desejo, estupidez ou preguiça, cobiça e ódio. Estas emoções nos seguem todos os dias assim como sombras seguindo seu corpo. Quando praticamos o Tai Chi Chuan ou qualquer atividade da vida diária, elas permeiam e manipulam nossas percepções subjetivas do ambiente. Os grandes mestres de Tai Chi Chuan do passado compreendiam completamente este conhecimento e criaram, estruturaram e preservaram com enorme sacrifício pessoal a disciplina que nós praticamos e ensinamos hoje no Ocidente. Cada movimento do Tai Chi Chuan nos faz aplicar quatro princípios desta sabedoria conhecida como “As Quatro Grandes Atenções”. Completa atenção do corpo, completa atenção das sensações, completa atenção da mente e completa atenção do fenômeno. Através da prática destas quatro atenções supremas a mente se estabiliza e se transforma no que conhecemos como samatha em Sânscrito, shine em Tibetano, chan em Chinês e zen em Japonês. O Tai Chi Chuan é assim, um sistema completo de transformação ética, moral, psicológica e espiritual. Em outras palavras, ele contribui para o desenvolvimento das qualidades mais excelentes de seus praticantes. - Completa atenção ao corpo (conseguida pelos alongamentos das juntas, respiração profunda e manter as costas eretas) aumenta a vitalidade (chi) e o entusiasmo; elimina assim as causas da estupidez ou preguiça. - Completa atenção às sensações (que aparecem durante o treinamento das formas) elimina as causas da ansiedade que nutre o desejo e a sua não realização que conduz à frustração, falta de habilidade de compartilhar (avareza) e ódio em relação a si mesmo e aos outros. “O Tai Chi Chuan é assim, um sistema completo de transformação ética, moral, psicológica e espiritual. Em outras palavras, ele contribui para o desenvolvimento das qualidades mais excelentes de seus praticantes.” - Completa atenção à mente (e a seus estados tais como satisfação ou descontentamento, felicidade ou sofrimento) eliminando a arrogância que produz instabilidade mental. - Completa atenção ao fenômeno (que é o próprio ambiente incluindo os outros praticantes) elimina as comparações e julgamentos que causam a inveja e o ciúme. Se analisarmos estes conceitos cuidadosamente, podemos claramente compreender o significado de ‘vacuidade. - Apenas quando estivermos ‘vazios’ de orgulho e arrogância poderemos relaxar e aceitar as outras pessoas e compreender pontos de vista diferentes e comportamentos sem tentar impor nossos próprios. Assim experimentamos a equanimidade e a cortesia. - Apenas quando estivermos ‘vazios’ da estupidez ou preguiça poderemos ter a vontade genuína e encontrar tempo para praticar constantemente e parar de sermos preconceituosos, supersticiosos e com mente estreita. - Apenas quando estivermos ‘vazios’ do desejo e da raiva poderemos compartilhar nossa afeição e conhecimento sem termos medo de que as outras pessoas possam nos prejudicar ou manipular. Apenas então poderemos experimentar a ideia de uma Grande Família e estar juntos para compartilhar nossas aspirações, sonhos, tristezas e alegrias. - Apenas quando estivermos ‘vazios’ da inveja poderemos estar livres da competitividade neurótica por prêmios, posição e status que apenas criam mais distância e raiva entre aqueles que deveriam simplesmente cuidar-se e honrarse mutuamente de maneira fraterna. Obrigado e espero que minhas palavras possam encorajar a muitos praticantes de Tai Chi Chuan de nossa família a praticar incessantemente de forma a atingirem os mais elevados níveis desta arte maravilhosa. Roque Severino [Comente este texto em revistataichibrasil@hotmail.com] 8 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 9

Trajetória Grão-mestre Chiu Ping Lok Por Aparecido de Lira e Eliane Cardoso Diretores: Instituto Fu Hok de Cultura Marcial Chinesa http://www.institutofuhok.com.br Nascido na província de Cantão, ao sul da China, já a partir dos quatro anos de idade, Chiu Ping Lok iniciava-se na tradicional arte marcial chinesa, através dos ensinamentos do seu tio, Cham Mun. Na China, cada distrito dispõe de um instrutor de arte marcial, contratado pelo estado, com a finalidade de passar seus conhecimentos aos moradores. E foi assim que Chiu Ping Lok, apesar de pouquíssima idade, além de praticar Hung Tao Choi Mei Gar, ainda ajudava em sua divulgação. Para os chineses, a parte cultural, bem diversificada, é essencial à formação do indivíduo, tanto quanto é a aprendizagem de uma arte marcial. Então, aos oito anos de idade, Chiu Ping Lok recebia suas primeiras noções de pintura de Than Sai Sil, outro tio seu, e complementava seu desenvolvimento artístico através de novas formas de expressão, como teatro e música com vários instrumentos. Aos quinze anos de idade, Chiu Ping Lok e sua família tiveram que sair da china continental por questões políticas, passando a residir em Hong Kong (na época, protetorado britânico), onde tomaria novos rumos, enriquecendo-se ao contato com outras modalidades de expressão artística, lutas marciais e o Tai Chi Chuan, que dariam acentuado impulso em sua formação. As pessoas que influenciaram em seu desenvolvimento foram: mestre Man Sin, amigo de seu tio, era um instrutor cego que conseguiu transmitir-lhe uma sensibilidade quase extra-sensorial, aprimorando muito sua percepção; mestre Lam Fei Hung (Ti Tao Hung), praticante do estilo Hung Gar e que tinha a peculiaridade de fazer demonstrações, nas quais era capaz de entortar e depois endireitar novamente três barras de ferro, batendo-as contra a cabeça calva; o mestre Hui Sil Sin, do estilo Mo-Gar e o velho Si-Pak, já mais para o interior de Hong Kong, especialista em técnicas de bastão (Si Mei Kwan) e Pa Kua Kwan, além da técnica de Noi-Kun, chamado de “Kung-Fu Divino”, por enfatizar a energia interna, muito usada pelos antigos monges. O que também muito contribuiu para a riqueza e variedade de sua formação marcial foi a amizade com um colega de treinamento e estudos escolares, cujo pai trabalhava em uma indústria cinematográfica local – onde pode adquirir experiência em vários estilos e métodos de combate, treinando e atuando como figurante em vários filmes chineses. Aos vinte e quatro anos, Chiu Ping Lok chegava ao Brasil, com a finalidade de seguir depois para os Estados Unidos, onde pretendia fixar residência, junto a seus pais e o restante da família, que lá passaram a viver. Mas, o encanto da nova terra e a receptividade e calor humano do povo brasileiro o fez permanecer aqui. Contando apenas com o apoio de um tio, começou a ministrar aulas de arte marcial no Centro Social Fotos: Divulgação - Cedidas pelos autores www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 9

[close]

p. 10

Chinês de Santo André, para chineses radicados. O jovem chinês, aos poucos, conseguia superar o choque cultural inevitável entre os dois extremos do mundo e, com muita determinação e vontade de vencer, superou a barreira do idioma e a adaptação foi se dando naturalmente, enquanto transmitia grande parte de sua bagagem cultural aos praticantes brasileiros, com as devidas e necessárias adaptações, porém levando-os a conhecer os dialetos cantonês, taisan e mandarim, pelos termos técnicos da arte marcial que ensinava. Chiu Ping Lok participou de quatro programas de trinta minutos cada na TV Cultura, em 1974, abordando temas específicos chineses como “Kung-Fu”, “ a Dança de Leão”, o “Tai Chi” e “a importância da compreensão da vida.” Aparecido de Lira e Eliane Cardoso [Comente este texto em revistataichibrasil@hotmail.com] Grão-mestre Chiu Ping Lok 10 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 11

www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 11

[close]

p. 12

Tai Chi Chuan - Princípios Os 10 Princípios de Yang Cheng Fu (Parte VIII) Por Bruno Davanzo Professor de Tai Chi Chuan www.academiaparamitta.com.br Ponto 8 - Dentro e fora coordenados. Na prática do Tai Chi Chuan, o mais importante é o espírito. Assim dizem: “O espírito é o comandante e o corpo é o subordinado”. Se você pode elevar o espírito, então os movimentos serão naturalmente ágeis. As posturas não vão além do substancial e insubstancial, abrindo e fechando. Aquilo que é chamado abrir significa que não apenas as mãos e os pés estão abertos, mas a mente também está aberta. Aquilo que é chamado fechar significa que não apenas as mãos e os pés estão fechados, mas a mente também está fechada. Quando você puder fazer com que o de dentro e o de fora se tornem um, a coordenação é completa. “Dentro e fora coordenados” se refere aos aspectos internos da mente (espírito) comandando nossos movimentos corporais. Mestre Yang nos relembra a importância do Ponto 1, “Se você pode elevar o espírito, então os movimentos serão naturalmente ágeis” porque nosso estado de atenção e presença melhoram. Reforça também nossa compreensão do Ponto 4, “As posturas não vão além do substancial e insubstancial”. Podemos tornar o Tai Chi Chuan como uma meditação em movimento, mas isso depende da posição de nossa mente. Neste ponto isso fica evidente mais uma vez. No início o praticante pode ficar muito preocupado em “decorar o kati”. Sua mente tenta antecipar os movimentos, para não perder a sequência. Mas aí acontece que não se está presente de verdade. Ainda que consigamos manter a sequência, seria importante ficar realmente presente no movimento que você esta executando naquele exato momento. Confie, se abandone, quando você já praticou o kati muitas vezes a sequência de movimentos vem naturalmente, não se preocupe com ela. Você vai perceber que a maioria das vezes que “perde” a sequência é porque sua mente (espírito) se distraiu, se dispersou. Quando você está presente no movimento então você realmente está como criando um professor interno, que é capaz de ajudar a aprofundar sua experiência na prática do kati. Você começa a executar o kati como se cada vez fosse a primeira vez. É uma experiência maravilhosa SESC Água Verde Curitiba - Paraná 3 TURMAS Às 2ªs, 4ªs e 6ªs: das 08h às 09h Às 3ªs e 5ªs: das 18h20 às 19h20 Às 5ªs: das 16h30 às 18h 12 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 13

Bruno Davanzo apresentando o “Desenrolando o Fio de Seda”. de aprender com cada movimento, de realizar todos os aspectos dos pontos anteriores simultaneamente no mesmo movimento. Isso também depende da atitude da mente receptiva, como um principiante. Um mestre Zen dizia que a mente do principiante era cheia de possibilidades porque estava receptiva, enquanto que a mente do perito fica restrita ao que conhece, achando que já sabe tudo. Podemos falar no comando do espírito sobre o corpo, mas na verdade a comprensão é que eles surgem na mesma experiência, no mesmo instante, não há como separá-los, por isso Mestre Yang diz, ”Quando você puder fazer com que o de dentro e o de fora se tornem um, a coordenação é completa”. Quando você consegue fazer isso, além de toda a melhora nos aspectos de saúde física pelo fluir do “chi”, tem uma experiência de paz e serenidade na mente, porque você está focado no presente e o diálogo interno cessa. [Comente este texto em revistataichibrasil@hotmail.com] “Um mestre Zen dizia que a mente do principiante era cheia de possibilidades porque estava receptiva, enquanto que a mente do perito fica restrita ao que conhece, achando que já sabe tudo.”. www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 13

[close]

p. 14

Rádio Corredor I II Seminário de Taijiquan (Tai Chi Chuan) estilo Chen Campina Grande, PB Na Paraíba acontece o II Seminário de Taijiquan (Tai Chi Chuan) estilo Chen com o Mestre Jan Silberstorf com o apoio da WCTA-BR. World Chen Xiaowang Taijiquan Association – Brazil (CXWTABR). Associação Mundial Chen Xiaowang de Tai Chi Chuan – Brasil. O mestre Jan Silberstorf nasceu em Hamburgo e morou durante 5 anos com o grão-mestre Chen Xiaowang com a finalidade única de aprender o estilo Chen de taijiquan (Tai Chi Chuan) em profundidade, depois de 8 anos de treinamentos anteriores com vários professores na China. É discípulo direto do grão-mestre há mais de 10 anos e é reconhecido como o seu mais avançado aluno ocidental. Além disso, participou com o grãomestre da fundação da World Chen Xiaowang Taijiquan Association, é presidente da World Chen Taijiquan Association – Germany, a maior associação de Taijiquan (Tai Chi Chuan) do mundo em número de associados e diretor técnico da WCTA-BR (CXWTABR: World Chen Xiaowang Taijiquan Association – Brazil). Público alvo: leigos e praticantes iniciantes no Taijiquan (Tai Chi Chuan) ou no estilo Chen: a forma Lao Jia é a primeira forma tradicional do estilo Chen. É dividida em 4 partes das quais as duas primeiras serão aprendidas nesse seminário. Será fornecido certificado pela associação a todos os participantes do seminário. Data: 28 e 29 de maio de 2011. Local: Ginásio do Colégio Premen. Maiores informações: eliabetaichi@yahoo.com.br ---------------------chi, discípulos do mestre Woo. Jornalista responsável: Antônio Prates. Informações na internet: www.phu.org.br/publicacoes.asp ---------------------- 15 Anos da TSKF e 5 anos da Brazil International Kung Fu Championship São Paulo, SP Esse ano será celebrado quinze anos de TSKF (Academia de Kung Fu atualmente considerada a maior rede de academias de Kung Fu Estilo Louva-a-Deus da América Latina) e cinco anos de Brazil International Kung Fu Championship. A TSKF, que também oferece Tai Chi Chuan para seus praticantes, está divulgando que haverá uma incrível apresentação que mostrará em curto tempo de como foi o crescimento da TSKF nesses últimos quinze anos. Data: 12 de junho. Informações: tskf@ tskf.com.br – Tel: 11 5071-7484. Jornal Praça da Harmonia Universal Brasília, DF Já está em sua 3º edição o Jornal Praça da Harmonia Universal. Sua publicação é trimestral, idealizada pelos praticantes de Tai 14 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 15

Rádio Corredor II Revista Tai Chi Brasil em novo formato para leitura Curitiba, PR adicionar em seus favoritos para uma consulta futura. ---------------------Pai Lin. Programação geral: cursos regulares, vivências em fins de semana e práticas abertas. Tai-chi - princípio da natureza aplicado na movimentação circular da energia vital, promovendo equilíbrio, paz e saúde; Tui-na - massagem tradicional chinesa fundamentada na medicina taoísta de equilíbrio yin-yang; Tao-in - meditação taoísta de retorno ao centro de equilibrio e da circulação micro-macrocósmica. Exercícios de respiração profunda, flexibilização e revitalização da circulação de sangue e energia, treinamentos internos para serenidade, forma básica do tai-chi-chuan. Dez encontros para vivenciar o vazio e o silêncio, o centro e a paz interior, a religação-origem e a comunhão-semelhante. Treino livre e gratuito, aberto a todos que queiram praticar em grupo, segundo os ensinamentos do Mestre Liu Pai Lin, através de Jerusha Chang. Vivências Tai Chi Pai Lin em fins de semana. Associação Tai Chi Pai Lin - 20 anos. Espaço Luz. Rua Fradique Coutinho, 1434, Vila Madalena. São Paulo, SP. Tel. 11 3031-1324. info@taichipailin.com. br - www.taichipailin.com.br A Associação Tai Chi Pai Lin comemora 20 anos de vida São Paulo, SP São várias as atividades abertas para vivenciar as práticas essenciais para saúde e longevidade transmitidas pelo Mestre Liu Pai Lin no Brasil, através de Jerusha Chang e Lúcio Leal. Transmissão de coração dos segredos taoístas com a experiência pessoal de transformação de vida e espírito. Muitas rodas: tai-chi, ba-gua e cinco elementos. Passear muito, mas retornar ao ponto de origem, vislumbrar paisagens diversas, mas permanecer no centro. Cursos, do tai-chi para o tui-na, para o tao-in, circular no movimento-serenidade do modo de vida taoísta. Práticas fundamentadas no Tao Te Ching e I Ching, segundo a transmissão viva, direta e oral do Mestre Liu A Revista Tai Chi Brasil, através do seu site www. R e v i s t a Ta i C h i B r a s i l . c o m . b r, contém links para que o leitor interessado possa, além de baixar gratuitamente todas as publicações, ter disponível também todas as edições da revista para leitura num novo formato, sem a necessidade de copiar em seu computador. Vale a pena conferir, conhecer e www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 15

[close]

Comments

no comments yet