Revista Tai Chi Brasil - Edição Nº 12

 

Embed or link this publication

Description

Revista Tai Chi Brasil - Edição Nº 12

Popular Pages


p. 1

Revista Tai Chi Brasil www.RevistaTaiChiBrasil.com.br Edição nº 12 | Julho - Agosto - Setembro / 2011 | Distribuição gratuita e dirigida Compartilhando momentos Código de Ética e Moral do Tai Ji Quan Existência, movimento e poesia Homenagem ao Mestre Lee Wai Yin

[close]

p. 2

Tai Chi Chuan - Pratique! “Tenho uma turma bem animada de alunos aqui em Uberlândia, MG, em uma clínica terapêutica. Eles pediram para fazermos uma prática de chi kung no parque da cidade às 06:00. Então pudemos acompanhar o nascer do sol. Foi um momento muito agradável e de energia muito boa.” Sara Giffoni Instrutora de Tai Chi Chuan formada pela Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan - São Paulo - Yang Cheng Fu Center Estilo Yang de Tai Chi Chuan. www.taichiudi.blogspot.com Revista Tai Chi Brasil Também no FaceBook Participe! revistataichibrasil@hotmail.com levislitz@gmail.com Mande pra nós... . seu comentário . sua foto / tai chi . sua história tai chi . sua sugestão Escreva! www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 3

Revista Tai Chi Brasil Sumário 6 Código de Ética e Moral do Tai Ji Quan www.RevistaTaiChiBrasil.com.br Curitiba - Paraná - Brasil Edição nº 12 | 2011 ® Todos os direitos reservados 4° ofício de registro de documentos Registro nº 401.197 editor: levis litz 10 Existência, movimento e poesia 12 A importância da prática física anderson rosa, angela soci, emerli schlögl, estevam ribeiro, fernando de lazzari, geraldo cerqueira, jorge corral, marcello giffoni, márcio lacerda, maria cristina bó, nelson tarruze, niall o´floinn, paula faro, roque severino e sara giffoni. academia kunlun de santos, adilson frança, arthur dalmaso, carla rocha, eduardo almeida, eduardo molon, elli nowatzki, flávia cirne, flávio prado, hector vaghetti ivana barbosa, john vanko, living tao foundation switzerland, moisés caetano, núcleo shandong, regina azevedo, rodrigo apolloni, sociedade brasileira de tai chi chuan, tai chi curitiba, wagner canalonga, wagner lee e zheng nengliang. colaboraram nesta edição 17 Compartilhando momentos 19 Homenagem ao Mestre Lee Wai Yin 22 Tai Chi Yang Trânsito 25 Falando um pouco sobre o Mestre Adilson França agradecimentos 28 Sobre exercícios para a hipertensão 30 Tai Chi no Brasil - O leitor pergunta e a RTCB vai atrás da resposta revisão valesca giordano litz e viviane giordano contato revistataichibrasil@hotmail.com levislitz@gmail.com jornalista responsável diplomado levis litz - mtb 3865/15/52v pr Distribuição gratuita e dirigida. Todos os textos e fotos aqui publicadas são colaborações voluntárias gratuitas. Não são de responsabilidade desta revista os artigos de opinião e também as opiniões emitidas em entrevistas e depoimentos, por não representarem, necessariamente, o pensamento do editor. Por questões de espaço, objetividade e clareza, a equipe editorial reserva-se o direito de resumir os textos recebidos. Foto com pouca definição é de responsabilidade do autor. Os exemplares impressos em papel desta publicação serão doados para bibliotecas públicas. 32 Trajetória Mineira no Tai Chi Chuan PRATIQUE - FOTOS 2 18 24 35 TAI CHI CHUAN TAI CHI ESPADA TAI CHI BASTÃO PA TUAN CHIN SEÇÕES 4 5 14 34 CARTAS EDITORIAL WEB CORREDOR RECEBEMOS E AGRADECEMOS

[close]

p. 4

Mensagens & Cartas “Parabéns pelo seu trabalho a frente da revista Tai Chi Brasil. Adorei o site e as revistas são ótimas. Estou fazendo Tai Chi Chuan com o instrutor Paulo Rogério Andrade Gomes da Academia Brazil Hung Fut Kune Athletic Association aqui da cidade. Estamos no começo de um Projeto de Tai Chi Chuan na Praça e eu estou adorando. As revistas irão me ajudar muito, quem me indicou o site foi nosso instrutor. Fiz os downloads e pretendo passá-los para minhas amigas. Pretendo ir lendo aos poucos todas elas. Estou encantada com seu trabalho. Mais uma vez parabéns pelo seu excelente trabalho. Rosângela Manhumirim, MG “Sempre me emociono a cada exemplar que recebo, tenho uma enorme afinidade com esta arte que, acredito eu, ser de outras vidas, quando estou treinando com meu mestre e ele me passa uma nova sequência de movimentos eu sinto como se já tivesse feito isto antes, nunca tenho dificuldades para internalizá-los, sou muito grato a você Levis e toda a sua equipe pela dedicação e amor a esta arte tão sublime e por nos dar esta oportunidade de divulgar nossa arte através desta revista. Adorei a ideia de escrever sobre meu mestre, farei em breve.” Geraldo Cerqueira Salvador, BA “Gostaria de expressar meus sinceros agradecimentos à Revista Tai Chi Brasil e todos seus colaboradores pelo empenho e dedicação para divulgar o Tai Chi Chuan e valorizar os professores e praticantes dessa nobre arte. Quem dá aula sabe das Revista Tai Chi Brasil. Curitiba - Paraná - Brasil. revistataichibrasil@hotmail.com | editor: levislitz@gmail.com Por questões de espaço, a equipe editorial reserva-se o direito de editar mensagens, depoimentos, fotos e textos recebidos. dificuldades encontradas em transmitir uma prática essencialmente energética que não está na “moda” em meio a uma sociedade voltada para o culto do corpo e para benefícios meramente físicos. É nesse sentido que meios de comunicação sérios ajudam nós professores a enriquecer nossas aulas e esclarecer e motivar os alunos a buscar objetivos que vão além da aparência. Obrigado e abraço a todos.” Alexandre G. Ribeiro Curitiba, PR “Gostaria de aproveitar a ocasião para elogiar o trabalho da revista, é um material muito gostoso de ler e ocasionalmente trabalho com meus alunos como referência de estudo teórico sobre o Tai Chi Chuan. Desde já agradeço”. Sara Giffoni Uberlândia, MG “Muito boa a revista como sempre.” Nelson Tahuze Santos, SP “Ótima, Parabéns!” como sempre. “Parabéns! Matérias muito interessantes, gostei!” Marcia Marcovski Curitiba, PR “É sempre uma boa surpresa cada nova edição divulgada. Parabéns a todos que participam, direta ou indiretamente!” Daniel De Moraes Ferreira “Muito obrigado pela Revista. Como sempre, ficou excelente, com textos muito interessantes.” Fernando De Lazzari Ribeirão Preto, SP “Parabéns por mais esta bela edição da revista!” Wagner Canalonga São Paulo, SP “Parabéns pela revista, continua ótima e com artigos muito interessantes.” Thiago Costa Rio de Janeiro, RJ “Como sempre a revista está ótima. Parabéns e obrigado por tudo que tens feito pelo tai chi no Brasil.” Eduardo Almeida Porto Alegre, RS “Recebi o exemplar da revista e fiquei surpreendido com a qualidade do trabalho de vocês, parabéns!” Sérgio Caldeira Silva “Umas das maiores coisas que tem me enriquecido é ter em mãos essa revista. Meus coração fica feliz em saber que há abertura para arte do Tai Chi e está tão disponível e tem uma enorme aceitabilidade e entendimento. Simplesmente maravilhoso! Parabéns! Solange Medeiros Regina Azevedo São Paulo, SP “Mais uma vez obrigado pela revista. Está cada vez melhor, muito, muito boa, parabéns.” Cláudio Slaviero Curitiba, PR “Sempre de ótima qualidade, gostei muito do artigo sobre a respiração entre outros.” Cláudia Moisés Florianópolis, SC 4 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 5

Editorial É assim que iniciamos esta edição, com um belo e profundo artigo escrito pelo professor Roque Severino. Depois trazemos o texto sobre a trajetória do professor Marcello Giffoni, um artigo sobre a importância da prática física do Tai Chi Chuan para a Terceira Idade, seguidos de muitos outros assuntos para serem degustados pelo leitor da RTCB. Entre as novidades desta edição, além da periodicidade trimestral, a Revista Tai Chi Brasil apresenta... ... fotos convidando o leitor a conhecer e a praticar outras formas de “Tai Chi: Espada e Bastão”, como também a imagem do professor Fernando De Lazzari em uma postura de Pa Tuan Chin (Os oito exercícios chineses eficientes para melhorar a saúde física e mental), ... uma homenagem ao Mestre Lee Wai Yin, ... relatos de trajetórias de praticantes, ... projeto para harmonia no trânsito, ... considerações sobre exercícios para hipertensão, ... depoimento da vivência com o Mestre Adilson França, ... respostas às questões levantadas por nossos leitores, ... texto sobre a trajetória mineira no Tai Chi Chuan... Enfim, com mais páginas, a RTCB apresenta oficialmente seu apoio e parceria com uma série de atividades relacionadas com a prática do Tai Chi Chuan. Como sempre, de forma séria e responsável, procuramos, dentro de nossa limitada capacidade, levar, à você caro leitor, o que obtivemos de melhor para o momento. Boas práticas, bons treinos e boa leitura! Levis Litz jornalista diplomado Código de Moral e Ética no Tai Ji Quan (Tai Chi Chuan) Revista Tai Chi Brasil Bibliotecas & Acervos Campinas, SP Equilibrius - Centro de Tai Chi Chuan, Acupuntura e Cultura Oriental Av. Oscar Pedroso Orta, 222. Barão Geraldo. ------------------------------------------Caxias do Sul, RS Centro de Estudos da Medicina Chinesa Av. Júlio de Castilhos, 1501. Sala 32. Centro ------------------------------------------Curitiba, PR Biblioteca Pública do Paraná Rua Cândido Lopes, 133. Centro. Biblioteca Hideo Handa Praça do Japão. Água Verde. Academia Paramitta Av. Visc do Rio Branco, 84. Mercês. Colégio Estadual do Paraná Rua João Gualberto, 250. Alto da Glória. Colégio Medianeira Av. José Richa, nº 10546. Prado Velho. Instituto Fu Hok | BackStage R. Guido Straube,52-B. Vila Izabel. Nutribioforma R. Jaime Balão,1150. Casa 1. Hugo Lange. SESC Paraná – Unidade Água Verde Av. República Argentina, 944. Água Verde. ------------------------------------------Ribeirão Preto, SP Equilibrius - Centro de Tai Chi Chuan, Acupuntura e Cultura Oriental Rua Cerqueira César, 1825. Jd. Sumaré. ------------------------------------------São Paulo, SP Contato Revista Tai Chi Brasil - RTCB . website: www.RevistaTaiChiBrasil.com.br . e-mail: revistataichibrasil@hotmail.com Editor - Levis Litz . e-mail: levislitz@gmail.com | . msn: levislitz@hotmail.com . webpage: www.TaiChiCuritiba.com.br ---------------------------------------------------------------------------------- Espaço Bem Estar (Yoga e Tai Chi Chuan) Av. Pe. Antonio José dos Santos, 1371. Brooklin Novo. Peng Lai Brasil - Artes Marciais Tradicionais Chinesas. Av. Deputado Emílio Carlos, 121. B. do Limão. Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan Rua José Maria Lisboa, 612, Sala 7. ------------------------------------------Uberlândia, MG Academia Budô Kan Rua Benjamin Monteiro, nº 64. Centro. Curitiba - Paraná - Brasil www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 5

[close]

p. 6

Código de Ética e Moral do Tai Ji Quan Por Roque Severino, de São Paulo, SP “Meus pais me deram a vida, meu mestre me fez um homem” Bushido – Código de Honra do Samurai 1– Seja Obediente e Respeite seu Professor. O Mestre representa aquele que vai colaborar com este aluno no caminho místico de aprender a estar em paz consigo mesmo. Por este motivo o respeito devido a um Mestre é de crucial importância e pode ser evidenciado de modo bem simples. Para cumprimentá-lo de maneira tradicional, segundo os costumes chineses, se forem os Mestres da Família Yang: unem-se o punho direito e a mão esquerda aberta cobrindo o punho, e dirigindo-se a eles como Yang Lao Shi Hao (Mestre Yang Bom Dia!) ou Yang Lao Shi Zai Jian (Mestre Yang até logo). Outro item importantíssimo é que o aluno sempre necessita esperar em silêncio que o Mestre venha a oferecer seus ensinamentos. O Mestre representa a Tradição Iluminada que provém dos lugares sagrados do Oriente, então é fácil entender o respeito que o aluno deve para com seus instrutores e em especial com seus Mestres. O Bushido, Código de Honra do Samurai diz: “meus pais me deram a vida, meu Mestre me fez homem”. Quando nos dirigimos a um Mestre, chamamo-lo – no caso dos Mestres Yang: “Yang Lao Shi” Na tradição do Tai Chi Chuan é considerado Mestre quem ultrapassa os 30 anos de treino e ensino da arte. Ao mesmo tempo é reconhecido perante as cinco Famílias de Tai Chi Chuan através de uma cerimônia assim como o Quarto Patriarca Grão Mestre Yang Zhenduo o fez com o seu neto e discípulo Yang Jun, em cerimônia realizada em Nasvilhe, EUA em 2009. Quando na presença dos Mestres tem que se mostrar deferência a eles em todas as circunstâncias. Quando eles entram num recinto, nos lugares onde são realizadas as práticas deve ser oferecida uma cadeira. Caso haja uma única cadeira no recinto, esta deve ser reservada ao Mestre, os demais permanecendo de pé ou sentados no chão. Se eles necessitarem de assistência para se levantarem ou saírem, esta deve ser O Mestre imediatamente oferecida. Em geral, os Mestres são muito humildes e não expressam todas as suas necessidades. A humildade e o desapego que demonstram, no entanto, não significa que não tenham necessidades. Por isso, suas necessidades devem ser cuidadosamente atendidas, o que às vezes exige muito planejamento e observação. Por exemplo, o Mestre pode ter alguma necessidade relacionada a sua alimentação e pode não mencioná-la para não incomodar aqueles que o estão hospedando. Se não se pergunta nada a ele a respeito, aceitará a comida que lhe será oferecida, embora isso até possa ser prejudicial para a saúde. Como o Mestre é um precioso detentor dos ensinamentos, agindo de maneira não egoísta, às vezes às custas de sua própria saúde, cabe àqueles que o recebe zelar para que suas necessidades sejam atendidas, protegendo-o do que lhe pode ser nocivo. Isso vai desde pequenas coisas como lhe garantir suficiente quantidade de chá ou água quando está ensinando, comida adequada, até mesmo verificar se sua agenda não está sobrecarregada. A este respeito, como qualquer outra pessoa, o Mestre necessita de tempo para repouso e meditação. Também, não é apropriado perguntar-lhe questões sobre os ensinamentos durante refeições, período de repouso etc., ou em locais não apropriados como num carro, num restaurante etc. Tudo o que se deseja do Mestre deve ser precedido de sua permissão, marcando-se local (que pode ser a própria casa de quem solicita) e horário para o atendimento do que foi solicitado. Enquanto o Mestre está oferecendo seus ensinamentos, é considerado como uma grave falta de conduta: chegar atrasado, (neste caso há que ficar esperando fora do recinto do treino até que os Mestres o autorizem a entrar), sair do recinto sem pedir permissão, deitar dirigindo as pernas abertas para o Mestre, dormir enquanto está se oferecendo 6 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 7

ensinamentos, é considerada uma atitude de grande desrespeito, interromper o Mestre com perguntas antes dele não abrir para as questões. Fu, e o que qualifica alguém para ser conhecido como um Shi Fu. Não devemos escolher o Mestre somente porque alguém tem personalidade ou carisma, ou por causa da sua reputação ou fama. Tais critérios são meramente emocionais. São critérios muito fracos para O Mestre e a linhagem ser a base para uma relação que deve existir por muito Nada há no universo, seja objetivo ou subjetivo, tempo. Mas para estabelecer as qualidades essenciais que careça de formas. Pensemos que as ideias são tais de um mestre, temos que confiar nas escrituras. porque estão diferenciadas, ou seja, porque tem forma. Uma pessoa que ensinou a você durante numerosos Nenhum ensinamento vindo do Oriente ou seminários e sessões de meditação não é um Shi Fu. da Ásia fala que um ser que tenha atingido o estado Ele é um professor, talvez também um amigo espiritual. de Buddha, ou a mestria em alguma arte, o tenha Etimologicamente falando, por exemplo, a palavra Guru conseguido sem passar pela orientação de um Mestre utilizada nos meios espiritualistas, deriva diretamente espiritual. Pode-se constatar igualmente, por si próprio, da palavra do sânscrito Guhyarucita. “Guhya” quer que ninguém jamais fez nascer em si as qualidades dizer segredo, “rucita” significa o proprietário. Se a adequadas aos níveis e as vias corretas, à sua maneira e palavra inteira pudesse ser traduzida seria algo como esforços próprios. “proprietário de conhecimento No que se refere a secreto”. Então, uma pessoa “Não devemos escolher o Mestre se engajar no caminho da não pode ser nosso Guru até que somente porque alguém tem libertação e da onisciência, todo ele nos passe o conhecimento personalidade ou carisma, ou por o ser, inclusive nós mesmos, secreto de uma maneira mostra um talento particular em causa da sua reputação ou fama. Tais prescrita. Quando entramos na descobrir falsos caminhos, como critérios são meramente emocionais. procura da Iluminação, estamos cegos perdidos sem amigos no São critérios muito fracos para ser buscando conhecimento secreto meio de uma estepe deserta. a base para uma relação que deve não apenas para nosso próprio Ninguém jamais trouxe existir por muito tempo. Mas para benefício, mas para os outros joias de uma ilha de tesouro sem também. Segue que temos estabelecer as qualidades essenciais ter recorrido a um navegador. que achar uma pessoa com as Na verdade é necessário de um mestre, temos que confiar nas credenciais mais altas para nos recorrer a um amigo espiritual, escrituras. Uma pessoa que ensinou ensinar. Até mesmo em assuntos o verdadeiro guia que conduz ao a você durante numerosos seminários mundanos como conserto dos despertar e à onisciência. e sessões de meditação não é um Shi canos da cozinha, quereremos Este guia espiritual é Fu. Ele é um professor, talvez também assegurar-nos que a pessoa que denominado comumente pela faz o reparo é um encanador um amigo espiritual.” palavra ‘Guru’. A palavra deriva qualificado. Mas muitas pessoas do termo de sânscrito antigo não parecem se preocupar Kalyanamitra. Kalyana quer dizer virtuoso. Mitra quer com credenciais quando escolherem um Mestre. Elas dizer o amigo. Juntos, o termo denota uma pessoa que é frequentemente decidem simplesmente na base da um ‘amigo virtuoso’. No Japão chama-se de Sensei e, na reputação de uma pessoa, ou na habilidade para atrair China, Shi Fu. Ainda que as palavras sejam diferentes o multidões. Isto não quer dizer que não se deve assistir conteúdo é o mesmo, já que nos primórdios foi a Índia a ensinamentos de Mestres populares. Mas aqui nós quem influenciou a China, e a China depois o Japão, estamos nos referindo especificamente ao papel do Coréia e o sudeste Asiático. Guru ou Shi Fu. Então, em se associando com o Shi Fu, a pessoa Baseado no Guru está a orientação com desenvolveria qualidades espirituais positivas que não que a pessoa vai guiar a sua prática espiritual, seu poderiam ser adquiridas por qualquer outro meio. Este conhecimento espiritual e suas realizações espirituais. termo não se aplica a qualquer amizade formada ao Quando tentarmos adquirir conhecimento ou práticas longo do caminho espiritual. Deveríamos nos preocupar com os livros, não estamos preparados para qualquer em não abusar da palavra Shi Fu. Temos que entender, resultado ou experiências que podem surgir. Muitos de fato, em que fase um Mestre se torna nosso Shi estudantes ficam confusos porque têm um Shi Fu do www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 7

[close]

p. 8

outro lado do mundo que eles raramente podem ver. ponto aqui é que se deve apreciar o ouro junto com o Eles não podem desenvolver uma relação próxima. Têm adubo, não só o ouro. Os que só tratam do ouro não uma ligação meramente emocional, ou uma espécie de desenvolverão uma relação profunda. Nem duradoura. pacto. Eles não têm a proximidade do conhecimento Tenderão a permanecer no nível de um Mestre exterior, detalhado sobre as práticas e experiências internas do quando o que realmente necessitamos é desenvolver Tai Chi Chuan. Se você tem certas experiências e não o Guru interno. Isto é o que acontece quando nós pode falar com um professor que você considera como crescermos. Mas não podemos fazer isto sem a ajuda seu Mestre, as circunstâncias não estão colocadas num de uma pessoa especial que age como um modelo e relacionamento de Mestre-discípulo. guia. Um grande perigo na procura de um Shi Precisamos desta especial ajuda para desenvolver Fu é a tentação de focar em alguém que é elevado e nosso ser espiritual interno que, percebemos, está famoso. Seguidores de tal Mestre podem sentir como muito mais além do eu usual. Quando desenvolvemos se eles fossem parte de algo importante, mas não uma real relação de Mestre-discípulo, ele nos inspirará, vão conseguir muito disto porque ele [o Mestre] não desenvolvendo nosso Mestre interno. Acharemos então é muito acessível. A pessoa não que a voz deste Shi Fu interno que “Não criticar e respeitar adquire proximidade bastante para não é diferente da voz do Shi Fu o mestre: criticar ou não aprender os fundamentos. exterior. Frequentemente em algum É dito que aquele Mestre respeitar o mestre e não ter em nível sabemos o que devemos fazer, deve ser alguém que é acessível, conta a hierarquia natural da mas não escutamos o que aquela junto de quem a pessoa pode fazer linhagem, se o Mestre principal voz interna suave está nos dizendo. tudo, não apenas coisas espirituais. Isto significa que a influência do Deve haver muitos anos de amizade não esta no lugar o professor nosso Mestre exterior não está bem construída. Estamos falando mais antigo é o que o substitui, completamente estabelecida. e temos que olhá-lo como o sobre um Mestre que nos ajudará, encorajará e nos guiará, não o próprio mestre, se ele não Um Olhar mais oposto. O que não ajuda o estudante estiver o professor o segue e se não é Shi Fu. O que não continua profundo não há nenhum professor no inspirando não é Shi Fu. O que não lugar, é o próprio altar onde se Não criticar e respeitar o está disponível não é Shi Fu. Ele não deve ser um objeto, colocam as fotos dos Mestres da mestre: criticar ou não respeitar nossa linhagem.” um mero ídolo. Ele deve ser um o mestre e não ter em conta a Mestre qualificado. Ele deve hierarquia natural da linhagem, se dedicar-se profundamente ao discípulo a qualquer o Mestre principal não está no lugar, o professor mais momento. Tem que ter [ou ter tido] um registro de antigo é o que o substitui, e temos que olhá-lo como o provado discipulado com um Mestre vivo. Tem que próprio mestre, se ele não estiver o professor o segue e se continuar vendo este Mestre [se estiver vivo] como nós não há nenhum professor no lugar, é o próprio altar onde vemos nosso Shi Fu, e tem que continuar emulando o se colocam as fotos dos Mestres da nossa linhagem. seu exemplo. Por isso respeitar o nosso Mestre quando ele Há um perigo quando as pessoas confiam não está presente é ter em conta o lugar do treino somente na orientação de não-humanos. Algumas onde estamos, temos que deixá-lo limpo, não deixar pessoas podem falar diretamente sobre transmissões apodrecer as coisas sobre o altar. Se o mestre está presente, é nós convivemos receptoras de algum ser místico. Mas se sua relação permanecer puramente neste plano místico e nunca com ele na mesma área, seja uma fazenda ou uma no nível humano, ela não desenvolverá o respeito e comunidade Tai Chi, é importante quando acordamos e nos levantamos pensar nele e ir até onde ele está para lhe obediência que um discípulo precisa mostrar. Tais pessoas não têm nenhuma experiência de apresentar respeito. Antigamente se fazia 3 prostrações discipulado com um professor humano. A pessoa tem e lhe oferecíamos a nossa cabeça para que nos abençoe que experimentar os pontos fracos do Shi Fu da mesma e depois sair. Agora, se nós estamos responsáveis pela vida maneira que as suas qualidades espirituais. Devemos poder achar o anel de ouro entre a pilha de adubo. O de nosso Mestre, temos de entender que também 8 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 9

somos responsáveis pela vida e conforto de todo o que seja necessário para toda a família do mestre. Não podemos tratar muito bem Ele, porém depreciar seu cônjuge, filhos e demais parentes. Ao ingressarmos na sua Família, a mesma passa a ser a nossa Família, então é claro que não podemos ser desrespeitosos para qualquer membro da mesma. O nosso Mestre observa constantemente os discípulos, não para criticá-los, para lhes fazer dano, ou mostrar os erros, e sim para poder lhes ensinar o necessário segundo a emoção perturbadora ou o obstáculo que este discípulo tenha, os ensinamentos podem ser formais ou informais, com o trabalho, com o olhar, com um sorriso, um toque, um golpe, uma comida, enfim, qualquer tipo de ação durante a vida. O principal é que o Mestre e o discípulo aceitem esta relação, se o discípulo não aceita esta relação com o seu Mestre, é importante que se o diga e que lhe pergunte sempre o que não compreende ou o que o choca e porque não lhe considera seu Mestre, então é melhor falar. Quando o aluno não encontra no Mestre que está lhe ensinando a confiança necessária para realizar sua entrega e assim receber os ensinamentos preciosos, ainda assim ele o pode enxergar como um mestre de filosofia ou como um mestre de disciplina, porém devemos sempre reafirmar que é o discípulo que tem que deixar claro o tipo de relacionamento que quer manter com o Mestre. É sempre o discípulo que deve ir ao mestre e lhe comunicar qual é a sua verdadeira intenção, se ele não vai ao mestre, o mestre somente lhe ensinará a técnica básica do Tai Chi Chuan. Prof. Roque Severino Diretor Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan SBTCC www.sbtcc.org.br [Comente este texto:revistataichibrasil@hotmail.com] www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 9

[close]

p. 10

Existência, movimento e poesia Por Marcello Giffoni, de Belo Horizonte, MG Marcello Giffoni - Praticante desde 1995 encontrou no Tai Chi Chuan uma prática de cura que eliminou as crises de rinite alérgica sem tomar qualquer medicação e lhe proporcionou equilíbrio, ritmo e o universo da filosofia chinesa. Educador e pesquisador em História (Mestrado/UFF e Doutorado/UFMG), fez a opção pela formação de instrutor e professor de Tai Chi Chuan por sentir esta arte marcial como uma prática corporal transformadora que indica o caminho do autoconhecimento e uma visão de ser-estar no mundo menos individualista, proporcionando a possibilidade de enxergar o outro com valores poéticos, solidários, tolerantes, respeitosos... de geração de afetos e celebração da vida. Valores universais que ultrapassam fronteiras virtuais e reais que contribuem para o ensaio de uma outra humanidade que não sabemos ainda muito bem para onde está caminhando. Possui formação de professor de Tai Chi Chuan estilo Yang da Escola Wu Chao Hsiang pela Associação de Filosofia e Cultura Oriental do Rio de Janeiro (AFICORJ). Foi iniciado pela professora Elizabeth Saldanha e é discípulo direto do Mestre Venceslau Cardozo de Oliveira (Lau), com vivências pontuais com os mestres Wu Jyh Cherng (Chi Kung) e Marcos Vinicios de Almeida Gomes - com o qual obteve aprendizado de Tui-ná. Também vivenciou aprendizado por um ano de Pa Kua Zhang com Mestre Guo Feng Li (RJ). Ensina os conhecimentos transmitidos pelo Dr. Wu Chao Hsiang como a forma tradicional de mãos (108 movimentos), facão, espada, bastão combinado e 8 Tui Shou. Além disto, ensina Wu Chin Hsi (Jogo dos Cinco Animais), o Leque de 30 posturas do Mestre Lau/AFICORJ e no Tai Chi Chuan Moderno leciona Espada 32, Formas de 8, 16 e 24 posturas. Na década de 90 atuou como instrutor no projeto Tai Chi Chuan na Praça da Prefeitura do Rio de Janeiro e da Universidade Aberta da Terceira Idade de Niterói (Universidade Federal Fluminense-UFF). Chegou a Belo Horizonte em 2002 para formar família e desde 2003 oferece voluntariamente aulas gratuitas no Parque Municipal Américo R. Giannetti, no centro da capital mineira. Experiência de produção de um espaço de promoção da saúde que, a partir do Tai Chi Chuan, proporciona encontros, trocas de afetos e saberes entre diferentes pessoas. Desde 2005 é contratado pela Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) como professor de Tai Chi Chuan, massoterapeuta e coordenador/pesquisador do Programa de Qualidade de Vida dos trabalhado- 10 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 11

res daquela instituição (ESP-Integral). Neste período engajou-se no debate e promoção das Práticas Integrativas e Complementares no SUS, fazendo parte do grupo que escreveu o texto base da Política Estadual de Práticas Integrativas e Complementares para Minas Gerais (PEPIC-MG). Nesta oportunidade contribuiu na elaboração do texto específico para a inserção dos profissionais de práticas corporais chinesas no SUS – construído coletivamente com a colaboração de diferentes professores de várias partes do Brasil (Curitiba, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, São Paulo, Uberlândia, Itajubá, São Sebastião do Paraíso e Montes Claros) em grupo do Yahoo. No campo da pesquisa acompanhou (2006-2007) o comportamento da pressão arterial de alunos de Tai Chi Chuan durante oito meses que apresentou um indício de que o Tai Chi Chuan, como exercício de baixo impacto, regula a pressão arterial (trabalho apresentado no Congresso Internacional de Epidemiologia de 2008 – Porto Alegre). Coordenou e desenvolveu projeto de pesquisa-ação (2008-2010), com apoio da Superintendência de Pesquisa da ESP-MG e aprovação do Comitê de Ética da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Belo Horizonte, sobre a influência de intervenções de Tui-ná e Chi Kung numa Unidade Básica de Saúde de BH/MG para um público de trabalhadores da saúde e usuários do SUS que apresentou dados qualiquantitativos significativos que indicam uma atuação destas práticas na melhoria do ambiente de trabalho e na relação entre usuários e trabalhadores da saúde. Além disto, elaborou projeto para a ESP-MG baseado nas diretrizes da Política Nacional de Humanização (PNH) que inclui as práticas corporais chinesas como ferramenta importante na produção de um espaço humanizado na saúde pública. Hoje, para além das aulas de Tai Chi Chuan, desenvolve reflexões no campo da corporeidade e da teoria da complexidade acerca da articulação de políticas públicas em saúde nas quais as práticas corporais chinesas tenham participação/contribuição. Professor Marcello Giffoni José Marcello Salles Giffoni / Estilo Yang/Escola do Dr. Wu Chao Hsiang marcellgiffa@ig.com.br - (31) 9945-3938 [Comente este texto: revistataichibrasil@hotmail.com] www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 11

[close]

p. 12

A Importância da prática física Por Anderson Rosa, de Curitiba, PR Muito se fala da importância da prática do Tai Chi Chuan na terceira idade. Mas a atividade física é fundamental também na primeira infância, que é a fase em que o cérebro está em fase de desenvolvimento e organização, que se estenderá por toda a vida adulta. Por isso resolvi trabalhar este texto, como um incentivo à prática do Tai Chi Chuan desde tenra idade. Espero que ele sirva aos professores como forma de auxiliar na divulgação da prática e também dos pais, para demonstrar a importância deste desenvolvimento. Cada dia mais presente na vida humana, a tecnologia vem nos auxiliando em tarefas diárias, diminuindo esforços desnecessários e ampliando nossa percepção do mundo. No entanto, embora muitas páginas possam ser preenchidas com os benefícios da tecnologia, quantidade igual ou maior poderia ser escrita sobre seus malefícios. À medida em que nosso ritmo de vida aumenta, diminui progressivamente nossa qualidade de vida e a de nossos filhos. Trânsito agitado, pressão no trabalho, salários apertados, falta de tempo. Tudo isso contribui para criarmos um quadro caótico em nossas vidas e nas vidas daqueles que dependem de nós. Aos poucos, vamos terceirizando a educação de nossos filhos: primeiro para a escola, depois para as atividades extra-classe. E quando não temos mais nada agendado para os filhos, nós pedimos um auxílio para a chupeta eletrônica: a televisão (hoje em dia também temos novos modelos de chupeta: computador e video-game). E daí continuamos nossos afazeres domésticos ou profissionais (para os pais que levam serviço pra casa, ou trabalham em casa), esperando que a chupeta eletrônica mantenha nossos filhos distraídos tempo o suficiente para chegar a hora do banho e de dormir. Poderia ser Prática com o prof. Anderson Rosa. Foto: Hector Vaghetti. até simples e sugestivo dizer que estamos educando nossos filhos com jogos e programas educativos, mas na verdade, o estímulo dado pela TV e pelo videogame não substituem, ou melhor, não são capazes de estimular o córtex pré-frontal, que nos auxilia a planejar ações, controlar impulsos e resistir a frustrações. Experiências demonstram que depois de certo tempo, a criança para de receber estímulos para interagir, ou ainda perde o interesse pela interação, uma vez que a TV é um instrumento de comunicação passivo de via única. A partir de então, senta-se apática e passivamente, apenas recebendo aqueles estímulos enviados pelo aparelho. Transformam o questionamento em resignação. O que antes as levava a conversar com o personagem do desenho animado, agora simplesmente as faz aceitar o destino do mesmo, já que sua interação não interfere no desfecho da questão. Durante nossa formação como indivíduos é fundamental a resolução de desafios, pois eles auxiliam no desenvolvimentos de nossas capacidades cognitivas, no aumento do número de sinapses, no desenvolvimento do raciocínio lógico, e com isso nos tornamos adultos bem formados e capazes de gerenciar a vida que se apresenta diante de nós. Recentemente, na Revista Geo houve uma entrevista com o neurobiólogo Gerald Hüther, em pesquisa sobre o consumo constante de mídias 12 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 13

Prof. Anderson Rosa e alunos no Colégio Estadual do Paraná, Curitiba Foto: Acervo Anderson Rosa eletrônicas. Quando perguntado sobre a importância tensões acumuladas. Na escola, favorece a memória, das experiências físicas, respondeu: “Somente quem o raciocínio lógico, o equilíbrio corporal, a superar as desenvolve um bom controle do corpo é também dificuldades e a lidar melhor com as frustrações. capaz de expandir seus potenciais cognitivos. Exames Em Curitiba, temos levado a prática do Tai Chi científicos provam que alunos da escola elementar no Colégio Estadual do Paraná como voluntariado, particularmente dotados em numa tentativa de divulgar o Tai Chi “Esperamos ver em breve Matemática têm um bom equilíbrio. como prática saudável tanto para O ser humano adquire as bases para o muitos jovens e crianças jovens como para adultos, e criando pensamento tridimensional e abstrato, um espaço que tanto alunos como para a Matemática, ao aprender a envolvidos com a prática familiares e a comunidade possam do Tai Chi Chuan em estar juntos, fazendo uma prática manter seu corpo em equilíbrio, mas assim que a criança se senta diante nossas cidades, seja nas corporal. Além deste projeto, destacada TV, ela já não sente seu corpo. se o desenvolvido pela Associação escolas, nos parques, Ela não engatinhará, não ficará Internacional de Praticantes de Tai Chi praças ou em qualquer Chuan (AIPT), “Tai Chi nos Parques pulando por aí, nem se equilibrando corretamente - muito menos subindo e Praças”, que reúne professores de espaço onde pessoas em árvores. O tempo diante da TV é tai chi e a comunidade semanalmente, tempo roubado do aprendizado sobre possam estar ao ar livre todos os finais de semana, nos parques praticando e absorvendo e praças da cidade. o próprio corpo.”. - Gerald Hüther, Revista Geo, Esperamos ver em breve muitos o Qi da vida.” n°25, pp-72-74, 2011, entrevistado jovens e crianças envolvidos com a por Rainer Harf e Jörn auf dem Kampe. prática do Tai Chi Chuan em nossas cidades, seja nas Por isso, acreditamos que o estímulo para a escolas, nos parques, praças ou em qualquer espaço prática do Tai Chi Chuan em tenra idade possa oferecer onde pessoas possam estar ao ar livre praticando e um reforço para o desenvolvimento infantil e na absorvendo o Qi da vida. formação da personalidade. Oferecendo um desafio Prof. Anderson Rosa positivo, que leva a criança a tentar superar os próprios http://www.cih.org.br limites. Além disso, estimula a convivência em grupo, a solidariedade, a amizade e também diminui [Comente este texto: revistataichibrasil@hotmail.com] www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 13

[close]

p. 14

Web Corredor I Tai Chi Pai Lin pelo Brasil São Lourenço, MG No blog “Aprender Tai Chi”, do Tarcísio Tatit Sapienza, tem uma página com os principais, senão todos, lugares e professores que ensinam Tai Chi Pai Lin no Brasil, além, é claro, de muitas outras informações interessantes sobre tai chi chuan: http://aprendertaichi. blogspot.com ---------------------- Filme com Jet Li está sendo produzido sobre a vida do Mestre Yang Luchan Ribeirão Preto, SP Olha só que legal, o famoso ator Jet Li está participando de um novo filme sobre a vida do Mestre Yang Luchan, criador do Estilo Yang de Tai Chi Chuan. Além desta grande produção cinematográfica o Governo Chinês está construindo um Parque e Memorial em homenagem ao Grande Mestre Yang Luchan e ao Tai Chi Chuan da Família Yang. É só esperar para conferir. ---------------------- Viagem de praticantes de Tai Chi Chuan a China em 2012 São Paulo, SP Para entrar em contato com os Mestres, praticantes de tai chi chuan podem participar de uma interessante e proveitosa viagem ao país de origem do Tai Chi Chuan. Serão dois tipos de viagem, uma mais longa que incluirá passeios turísticos além do Torneio Internacional de Tai Chi Chuan da Família Yang e Confraternização com praticantes do mundo todo. Outra mais curta que se limitará a cerimônia de abertura com a presença de todos os mestres e participação no Torneio. Datas: Viagem longa de: 29 de Julho a 8 de Agosto. Viagem curta: 3 a 8 de Agosto. Programação e detalhes serão divulgados em breve em www.sbtcc.org.br para marcar uma mudança de atitude dos legisladores em favor da saúde. Infelizmente, o secretário da saúde não foi, desmarcou em cima da hora. Entretanto, haverá uma segunda audiência. A boa notícia é que o movimento dos profissionais está forte, e contam com o apoio dos conselhos da psicologia, fisioterapia, homeopatia, nutrição, enfermagem e sindicatos. No dia foi falado bastante sobre a importância da profissionalização de cada área, da importância da mobilização dos sindicatos e associações. É uma questão de tempo, têm sindicatos pressionando para que seja aprovado, tanto no Estado como em Brasília. Representando o Tai Chi Chuan, assinou presença a Diretora-Presidente da Associação Internacional de Praticantes de Tai Chi Chuan (AIPT), Elli Nowatzki. ---------------------- Audiência pública sobre as Práticas Integrativas e Complementares (PIC) Curitiba, PR Profissionais de terapias e artes corporais chinesas foram convidados a participar da Audiência pública sobre as “Práticas Integrativas e Complementares” (PIC) na Assembleia Legislativa do estado do Paraná, no dia 10 de Junho de 2011, com início as 9:00 horas. O evento era para ser um dia de luta para uma política de saúde pública voltada às Práticas Integrativas e Complementares Seminário no Brasil com o Mestre Yang Jun e sua esposa Mestra Fang Hong São Paulo, SP Mais mestres de Tai Chi Chuan no Brasil, que notícia boa! São seminários com o Mestre Yang Jun e sua esposa Mestra Fang Hong em São Paulo, SP, no Sesc Pinheiros. De 11 a 16 de Novembro 2011 - Imperdível! Informações: www.sbtcc.org.br 14 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 15

Web Corredor II Tai Chi Chuan e crianças de Curitiba Movimentos de Saúde para a Paz Curitiba, PR Está em fase de planejamento, contatos e em breve será colocado em execução, o mais recente projeto de Levis Litz: “Tai Chi Chuan e Crianças de Curitiba Movimentos de Saúde para a Paz”. Oportunamente será amplamente divulgado e compartilhado, é só ficar de olho! ---------------------Nuevo Mexicali, Mexico. Naquele espaço, houve uma cerimônia de abertura com “A Dança do Leão” que simboliza boa sorte e prosperidade para dar energia e sorte. Boa sorte aos nossos amigos mexicanos! ---------------------- Desafio de 100 dias consecutivos de prática de Tai Chi São Paulo, SP A praticande de Tai Chi Pai Lin, Regina Azevedo, propôs um desafio interessante. Praticar Tai Chi Chuan por 100 dias consecutivos. Esta ideia surgiu com base no DESAFIO 100 DIAS TAI CHI PAI LIN do Mestre Liu Pai Lin, que segundo Regina “afirmava que um praticante tornava-se discípulo verdadeiro após praticar o Tai Chi por 100 dias consecutivos.” Nesta nova versão, para Regina, vale qualquer modalidade, forma, estilo ou até mesmo o Abraço da Árvore, “desde que por um tempo significativo” diz. “Se falhar um dia, é preciso recomeçar a contagem”, complementa. Essa iniciativa está no Grupo “Tai Chi Curitiba” no FaceBook, onde centenas de pessoas de várias regiões do Brasil participam. Quem quiser participar basta entrar no FaceBook, buscar “Group Tai Chi Curitiba” e pedir para entrar. O grupo é aberto a todos. Tai Chi Pai Lin Com Jerusha Chang Salvador, Bahia A psicóloga, psicoterapeuta e instrutora de Tai Chi, Flávia Cirne, está organizando um curso com a Jerusha em seu espaço. Flávia teve formação inicialmente com Wu Jyh Cherng no Rio de Janeiro e depois com o Mestre Liu. Esse evento terá uma palestra de abertura gratuita ao público no dia 22 de julho, sextafeira, das 19h30 às 21 horas. Depois haverá um seminário nos dias 23 e 24 de julho. Local: Espaço T´AI. Av. Tancredo Neves, 620. Sala 1309. Mundo Plaza Empresarial, Salvador, Bahia. Informações e inscrições: faviamcirne@hotmail. com - Tel (71) 3358-6597. Novo espaço para Tai Chi e Kung Fu Nuevo Mexicali, México Foi inaugurado no dia 22 de junho um espaço de “Kung Fu Wushu”. Casa Hogar “Una Rosa en Belen”. Av. Juan Ugarte # 3598, Fracc. Huertas de la Progreso. www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 15

[close]

Comments

no comments yet