Revista Tai Chi Brasil - Edição Nº 17

 

Embed or link this publication

Description

Revista Tai Chi Brasil - Edição Nº 17

Popular Pages


p. 1

REVISTA desde 2009 Tai Chi Brasil Edição nº 17 - Distribuição gratuita e dirigida - www.RevistaTaiChiBrasil.com.br Foto: Acervo/Equilibrius. Taiyuan, China - Demonstração da Forma 49 movimentos do Tai Chi Chuan da Família Yang. Destaque na foto: professor Fernando De Lazzari de Ribeirão Preto, SP.

[close]

p. 2

Tai Chi Chuan no Rio de Janeiro - Pratique!

[close]

p. 3

Revista Tai Chi Brasil Wudang - China. Foto: Levis Litz www.RevistaTaiChiBrasil.com.br Curitiba - Paraná - Brasil Edição nº 17 | 2012 ® Todos os direitos reservados Registro nº 401.197 4° ofício de registro de documentos Editor: Levis Litz CAPA Foto: Acervo/Equiilibrius Destaque Prof. Fernando De Lazzari Conteúdo 5 China Na cidade de Taiyuan Levis Litz 7 Discipulado na Família Yang Sonielson de Souza 10 4º. Torneio Internacional de Tai Chi Chuan da Família Yang SBTCC Colaboraram nesta edição Angela Soci, Elieté Ramos, Estevam Ribeiro, Fernando De Lazzari, Janaína Lima, Levis Litz, Paula Faro, Roque Severino e Sonielson de Souza. Agradecimentos Castro Junior, CXWTABR, Equilibrius - Centro de Tai Chi Chuan, Acupuntura e Cultura Oriental, Escola de Tai Chi Paramitta, Fotos e Rumos, Grupo Tai Chi Curitiba, Mateus Prates, Núcleo Shandong - Escola das Artes Marciais, Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan - SBTCC e Tai Chi Chuan BH MG. Revisão Valesca Giordano Litz | Viviane Giordano Contato revistataichibrasil@hotmail.com Jornalista responsável levis litz - mtb 3865/15/52v pr Distribuição gratuita e dirigida. Todos os textos e fotos aqui publicadas são colaborações voluntárias gratuitas. Foto com pouca definição é de responsabilidade do autor. Não são de responsabilidade desta revista os artigos de opinião e também as opiniões emitidas em entrevistas e depoimentos, por não representarem, necessariamente, o pensamento do editor. Por questões de espaço, objetividade e clareza, a equipe editorial reserva-se o direito de resumir os textos recebidos. 12 Encontro de Tai Chi no Rio de Janeiro - Fotos Janaína Lima 14 Tai Chi Chuan em Belo Horizonte Seminário Internacional Estilo Dong Mestre Alex Dong 15 Tai Chi Chuan em Guaratinguetá Seminário Internacional Estilo Chen Mestre Chen Zhong Hua 16 Tai Chi Chuan A trajetória de uma professora Elieté Ramos 20 RTCB Notas 24 Wude - Código de Ética e Moral Roque Severino

[close]

p. 4

Editorial A Revista Tai Chi Brasil não tem poupado esforços no sentido de publicar e deixar registrado para a posteridade os assuntos pertinentes ao tai chi no Brasil. Pesquisas, entrevistas, buscas – a exemplo da arqueologia, têm sido realizadas por nossos colaboradores para que a origem do tai chi no país seja descoberta e apresentada ao público. Ainda que a História do tai chi chuan no Brasil não tenha sido documentada desde seu início e são muito poucos os dados e informações as quais se tem registro, não há dúvidas de que alguns nomes marcaram profundamente a trajetória dessa arte no país no passado. Irrefutavelmente, o mestre Liu Pai Lin pertenceu ao seleto grupo de expoentes personalidades nesse sentido. Seu legado, entre outros importantes temas, deixou para o nosso país muitos discípulos que propagam, com afinco, seriedade e amor o seu estilo de fazer tai chi. Por outro lado, podemos seguramente afirmar que, na História recente, mestres, professores, discípulos, praticantes, grupos, escolas e associações de tai chi vem se consolidando como importantes pilares para perpetuar sua filosofia. Nesta edição é apresentado um importante artigo para demonstrar ao leitor brasileiro como praticantes de tai chi chuan estão cada vez mais engajados em seu compromisso com a filosofia e a origem de sua linhagem. Assim ocorreu no evento de discipulado em agosto na cidade de Taiyuan, China, com os professores Angela Soci e Roque Severino. A longa, quase inalcançável, distância que outrora havia entre o país que deu origem ao tai chi chuan e o Brasil hoje não é mais realidade. A propósito, há chineses que estão se surpreendendo pela qualidade, seriedade e dedicação com que o tai chi chuan está sendo carinhosamente tratado por aqui. Agora resta apenas propagar: tai chi chuan – pratique! Espero que apreciem esta edição. Boa leitura! Levis Litz o editor RTCB - Também no FaceBook Revista Tai Chi Brasil . website: www.RevistaTaiChiBrasil.com.br . e-mail: revistataichibrasil@hotmail.com Editor - Levis Litz . e-mail: levislitz@gmail.com . na internet: www.TaiChiCuritiba.com.br | www.FotoseRumos.com --------------------------------------------------------------------------------------------- Curitiba - Paraná - Brasil 4 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 5

China - Cidade de Taiyuan Na trilha do tai chi Encontros em Taiyuan Prof. Fernando De Lazzari, Ribeirão Preto Prof. Castro Junior, Campinas Chegada na estação de trem de Taiyuan. Foto: Levis Litz Por Levis Litz Imagine a cena, você está em Pequim, levantas às cinco da manhã, caminha aproximadamente 3 quilômetros do seu hotel até o Parque Tiantan Gongyuan e visita o belíssimo Templo do Céu. Nas cercanias você tira muitas fotos, observa centenas de praticantes de diversos grupos, pratica com alguns deles, entrevista outros e interage com todos. Depois você retorna ao hotel, arruma as malas, toma café da manhã e resolve ir caminhando até a estação de trem; cerca de dois quilômetros de distância. Na grande estação, repleta de gente, descobre que foi informado errado, que a estação era outra e você sai correndo, nem sabendo direito para onde, pois percebe que agora o seu tempo corre contra o relógio. Ao chegar na estação certa, você resolve pegar o trem bala - o vapt - vupt das linhas férreas chinesas. É tempo ganho. Até que no fim da tarde, algumas horas distantes de Pequim, você desembarca em Taiyuan, Província de Shanxi. Continue com o pensamento de que lá do outro lado do mundo já são 11 horas à frente do Brasil. Você está viajando sozinho, com a mochila nas costas - 17 kg, e com uma enorme expectativa no coração. Ao chegar na cidade de Taiyuan, você encontra velhos e faz novos bons amigos. Eles são de São Paulo, Campinas, Brasília, Ribeirão Preto, Joinville, entre outros rincões, todos praticantes de tai chi chuan. É muito bom ter momentos assim - acolhedores, Tobias Velho, Brasília Claudio Montenegro, Joinville Elieté Ramos, São Paulo www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 5

[close]

p. 6

principalmente em terras estrangeiras. Assim foi meu trajeto para Taiyuan, um ponto inicial de uma mistura de emoções, da realização da minha primeira missão, do meu primeiro objetivo, quase que de uma peregrinação que abrange o tai chi na China. E bem como disse o professor e amigo Castro Júnior, que vive a quase dois anos na China: “Levis, essa será a viagem da sua vida!” E realmente foi! Em Taiyuan tive a grata oportunidade de presenciar uma inesquecível cerimônia de discípulado da Famíia Yang, a comemoração dos 87 anos do Grão Mestre Yang Zhenduo e estar presente no 4º. Torneio Internacional de Tai Chi Chuan da Família Yang. O Brasil fez bonito na China e os brasileiros, com certeza, deixaram a sua marca - muito positiva por sinal. Foi um momento de orgulho para a comunidade brasileira do tai chi, em especial aos praticantes do estilo tradicional da Família Yang. Pessoalmente, estar lá foi muito gratificante e emocionante, afinal fui praticante do estilo Yang por muitos anos e guardo muito respeito e carinho por ele. Após aqueles intensos dias vividos no norte da China, já com essa primeira missão cumprida de vivência, a necessidade de continuar na trilha por aquele grande país do oriente se fez presente. No que concerne ao meu roteiro vinculado ao tai chi - de Taiyuan, fui para a cidade de Zhengzhou - para encontrar o Grão-Mestre Chen Zheng Lei, depois fui a Vila Chen - o berço histórico onde nasceu o tai chi - ali uma surpresa me esperava presenciar uma outra cerimônia de discípulado, desta vez, da Família Chen. De lá parti em direção a montanha sagrada taoísta Wudang, local de um tipo diferente de kung-fu (interior) e também reverenciado como o berço lendário do tai chi. Dessas andanças escreverei meu testemunho mais à frente, em futuras edições da Revista Tai Chi Brasil. Outros relatos sobre minhas aventuras na China, Camboja, Tailândia e Vietnã, além do tema tai chi, poderão ser vistas oportunamente pelo portal Fotos e Rumos - www.fotoserumos. com Basta ficar, digamos assim, “conectado”. Até a próxima! Grupo de brasileiros praticantes de Tai Chi Chuan. Taiyuan, China. Foto: Levis Litz 6 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 7

Discipulado da Família Yang Por Sonielson de Souza Neste ano, durante a já tradicional Aventura na China, promovida pela Associação Internacional de Tai Chi Chuan da Família Yang, foi realizada a Cerimônia de Discípulos do Mestre Yang Jun, atual detentor da Linhagem. Dentre os nove discípulos aceitos pelo Mestre estão os Professores Roque Severino e Ângela Soci, diretores fundadores da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e representantes da Família Yang para o Brasil e para América Latina. A Cerimônia foi realizada na cidade de Tayuan, província de Shanxi, no dia 5 de Agosto de 2012. Seguindo o protocolo tradicional que rege este tipo de Cerimônia, mais de 200 espectadores, entre ocidentais e chineses, puderam presenciar este evento. Há décadas que o casal de professores Roque Severino e Ângela Soci se dedica com esmero ao Tai Chi Chuan, arte marcial chinesa que virou “febre” no Ocidente pelo seu comprovado valor terapêutico. Agora, depois de muitos anos como fiéis representantes da Família Yang (uma das mais tradicionais em Tai Chi Chuan dentro e fora da China) no Brasil e em toda a América do Sul, eles foram aceitos como discípulos do Mestre Yang Jun. Além dos professores Roque e Ângela, que representam o continente sul-americano, outros sete discípulos receberam a honraria, incluindo os dois filhos do Mestre Yang Jun. Para o professor Roque Severino, que juntamente com a professora Ângela esteve recentemente em novo encontro com o mestre Yang Jun, em Seattle – EUA, a formalização do discipulado era algo que eles sempre aspiravam, uma oportunidade para receber os ensinamentos preciosos sobre o discipulado do Tai Chi Chuan. Foram nove discípulos aceitos que receberam de acordo com o sistema mais tradicional, o nome da família, seguido do título da geração a que pertencem e seu nome pessoal que ressalta uma qualidade particular de cada um dos discípulos a ser desenvolvida e expressa ao longo de suas vidas. Seguindo por ordem de idade como foram apresentados perante os Mestres: . Yang Yazhi (Roque Severino, São Paulo, Brasil), . Yang Yazhong (Sergio Arione, Montreal, Canadá), . Yang Yajing (Angela Soci, São Paulo, Brasil), . Yang Yaren (Claudio Mingarini, Roma, Itália), . Yang Yayi (Giuseppe Turturo, Milão, Itália), . Yang Yade (Edward Moore, Seattle, WA USA), . Yang Yali (Eric Madsen, Seattle, WA USA), . Yang Yaning (Seattle, WA USA), . Yang Yajie (Jason Yajie Yang, Seattle, WA USA). Missão O professor Roque, como é carinhosamente chamado por seus alunos e discípulos, disse que na realidade não vê o ensino do Tai Chi Chuan como uma carreira, e sim como uma missão ou um apostolado. “O Tai Chi Chuan não é uma profissão e sim um sistema integral de saúde mental, emocional e física, além de ser um caminho profundamente espiritual de autoconhecimento”, diz o professor, para emendar: “Então sermos escolhidos como discípulos é, tanto para a professora Ângela como para a minha pessoa, uma forma de confirmação de que sempre estivemos no caminho certo, já que todas as nossas ideias e todo o nosso trabalho durante todas estas décadas, veio ao encontro da aspiração da Família Yang”. Professor Roque faz questão de lembrar uma frase do mestre chinês Confúcio, que fala que “quando duas pessoas estão ligadas por um vínculo espiritual muito forte, nem o tempo, nem a distância, nem correntes de bronze conseguem separá-las”. Compromisso Sobre o grande compromisso que os professores já têm com o Tai Chi e com a família Yang, e o que isso irá mudar a partir desta cerimônia, Roque Severino fala que agora haverá ainda mais trabalho, mais dedicação e mais compromisso ético e moral com a Família. “Também haverá mais conhecimento e ao mesmo tempo mais dedicação aos nossos alunos. Ou seja, eles [alunos] também participam de todo este movimento, já que eles podem estar certos de que não estão na frente de professores que lhe estão ensinando algo aprendido de vídeos, ou algo originado de uma interpretação própria”, explica o professor, para alertar que este é o maior problema atual do ensino da arte. “Muitos professores ou instrutores nunca tiveram acesso a nenhuma fonte, porém eles já se auto-intitulam ‘mestres, ou www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 7

[close]

p. 8

Ângela Soci e Roque Severino. Taiyuan, China. Foto: Acervo SBTCC 8 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 9

grão mestres’, outros tiram fotos ao lado de mestres chineses e se dizem ‘discípulos’ sem saber que o discípulo recebe uma certificação por escrito onde toda a comunidade chinesa reconhece a sua autenticidade”, alerta Roque Severino, ao dizer que quem pode outorgar um título de discipulado é um mestre autêntico que representa uma linhagem autêntica. Linhagem Sobre a importância de os ensinamentos de uma arte milenar como o Tai Chi Chuan permanecer sendo repassados de mestre para discípulo, o professor Roque diz que a linhagem representa a transmissão pura que tem como origem o seu criador. “Temos que entender que a China sofreu inúmeras mudanças profundas, e o ensino do Tai Chi Chuan foi levado às praças públicas com o intuito de beneficiar o povo chinês como um todo. Paralelamente a isso os mestres mantiveram o ensino ‘a portas fechadas’ ou ‘dentro de casa’ para aqueles que realmente queriam se aprofundar nos mistérios e nos significados mais profundos da arte”, ensina Roque, explicado que é nesses casos em que entra o discipulado, ou seja, aquele que recebe “dentro de casa” os ensinamentos esotéricos da arte. Em relação aos ensinamentos que são passados no Brasil, tanto pelo professor Roque quanto pela professora Ângela, permanecerá com grande rigor de aprofundamento, e a técnica será cada vez mais exigente para com os aprendizes de instrutores. “Já em relação aos princípios espirituais, estou trabalhando num novo manual onde apresento a estreita relação do Tai Chi Chuan com os ensinamentos psicológicos de Buda”, fala Roque Severino, ao adiantar que o mestre Tibetano de Dharma, Kyabje Tenga Rimpoche – a quem o professor Roque/Lama Zopa Norbu mantém estreita relação - sempre treinou Tai Chi Chuan. “Em 2013 virá nos visitar um mestre Budista para que realizemos um retiro em conjunto de Dharma e Tai Chi”, revelou Roque. Segurança Com os professores Roque Severino e Ângela Soci, fica a certeza de que, no Brasil, há uma fonte de ensino extremamente confiável. Eles são verdadeiros guardiões e difusores deste grande tesouro da Humanidade que é o Tai Chi Chuan. www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 9

[close]

p. 10

4º. Torneio Internacional de Tai Chi Chuan da Família Yang Além da cerimônia de discípulos, comemoração dos 87 anos do Grão Mestre Yang Zhenduo e inúmeros eventos que fizeram parte desta viagem, foi realizado também em Tayuan o 4º. Torneio Internacional de Tai Chi Chuan da Família Yang. Dentro do Torneio, a participação do grupo de Brasileiros se destacou não só pelo número de participantes, mas também pelo desempenho da equipe de alunos da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan. Além destes, também estavam presentes participantes da escola Equilibrius de Ribeirtão Preto, participantes do Rio de Janeiro e também de Porto Alegre. Dentre os participantes se destacaram: . Grupo: Ana Célia Rodrigues, Heleno Almeida Jr., Paulo Warschauer, Edgar Karasawa, Vania Santos, Cláudio Montenegro, Mateus Carvalho, Paula Faro Forma 49: Nota 9.30 Forma Sabre: Nota 9.11 Forma Espada: Nota 9.10 Segundo Colocado na Categoria GRUPOS - Medalha de Prata . Professora Angela Soci Forma 49: Nota 9.50 Medalha de Ouro Forma Espada: Nota 9.23 Medalha de Ouro Cláudio Montenegro Forma 49: Nota 9.06 Medalha de Ouro Forma Sabre: Nota 9.10 Medalha de Ouro Forma Espada: Nota 8.78 Medalha de Bronze Ana Célia Rodrigues Forma 49: Nota 8.76 Medalha de Bronze Forma Sabre: Nota 8.87 Medalha de Bronze Forma Espada: Nota 8.86 Medalha de Bronze Edgar Karasawa Forma 49: Nota 9.15 Medalha de Prata Forma Sabre: Nota 8.93 Medalha de Bronze Forma Espada: Nota 9.21 Medalha de Ouro Francisco Neto Forma 49: Nota 9.11 Medalha de Bronze Djanira Ribeiro Forma 49: Nota 9.05 Medalha de Prata Heleno Almeida Junior Forma 49: Nota 9.20 Medalha de Prata 10 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 11

Forma Espada: Nota 8.95 Medalha de Prata Igor Gleb Forma 49: Nota 8.80 Medalha de Bronze Anderson Taira Forma 49: Nota 9.06 Medalha de Bronze Neide Hiromi Toyota Forma 49: Nota 8.90 Medalha de Bronze Mateus Carvalho Forma 49: Nota 9.10 Medalha de Bronze Paula Faro Forma 49: Nota 9.10 Medalha de Prata Forma Sabre: Nota 8.73 Medalha de Bronze Forma Espada: Nota 8.98 Medalha de Bronze Luciana Bertola Forma 49: Nota 9.05 - Medalha de Prata Tobias de Oliveira Velho Forma 49: Nota 9.16 Medalha de Prata Forma Sabre: Nota 9.04 Medalha de Prata Forma Espada: Nota 8.90 Medalha de Bronze Paulo Warschauer Forma 49: Nota 8.78 Medalha de Bronze Forma Sabre: Nota 8.93 Medalha de Bronze Forma Espada: Nota 8.81 Medalha de Bronze Simone Galhego Forma 49: Nota 8.78 Medalha de Bronze Vania Santos Forma 49: Nota 8.95 Medalha de Prata Forma Sabre: Nota 8.70 Medalha de Bronze Forma Espada: Nota 8.98 Medalha de Bronze. www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 11

[close]

p. 12

Encontro de Tai Chi no Rio de Janeiro Responsável pelo evento: Mestre Wenceslau AFICORJ Associação de Filosofia e Cultura Oriental do Rio de Janeiro, RJ Fotos: Janaína Lima 12 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 13

Parque dos Patins Lagoa Rodrigo de Freitas Rio de Janeiro 15 de julho www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 13

[close]

p. 14

Tai Chi Chuan em Belo Horizonte - Pratique! 14 www.RevistaTaiChiBrasil.com.br

[close]

p. 15

Tai Chi Chuan em Guaratinguetá - Pratique! www.RevistaTaiChiBrasil.com.br 15

[close]

Comments

no comments yet