Tipologia de Agricultores Familiares

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

tipologia de agricultores familiares construção de uma escala para os estágios de modernização da agricultura1 margarida maria hoeppner zaroni2 maristela simões do carmo3 resumo o objetivo geral deste estudo foi construir uma escala de medidas para estimar os estágios de modernização da agricultura tendo como metodologia a teoria da resposta ao item t ri para as ciências sociais na agricultura a t ri pode ser vista como uma nova metodologia estatística de tipologias de agricultores os dados provieram de amostras aleatórias de estabelecimentos familiares dos municípios de leme e itapeva oriundas de uma pesquisa temática sobre a modernização da agricultura paulista os resultados obtidos diferenciaram os estabelecimentos sob modelos de exploração agrícola em uma escala de modernização estimada além disso foi elaborado um instrumento para a avaliação do estágio de modernização de um estabelecimento concluiu-se pela adaptabilidade da t ri às tipologias de agricultores essenciais para subsidiar a elaboração de políticas de planejamento e desenvolvimento rural sugere-se também que estudos similares sejam realizados para estender a comparabilidade de estabelecimentos entre diferentes municípios ou regiões sob a mesma escala de modernização palavras-chave tipologia de agricultores agricultura familiar teoria da resposta ao item indicadores de modernização da agricultura análise de correspondências múltiplas family farmer typology developing a scoring scale for ranking agriculture modernization abstract the main purpose of this study is the development of a scoring scale to estimate a farm s modernization status the methodology applied was the item response theory i rt which in agricultural social sciences can be seen as a new statistical methodology for the typology of small farmers data came from random samples from family farmers from the cities of leme and itapeva sp in the state of são paulo and are part of a larger research study on agricultural modernization in sp the results distinguished farm households into farm exploitation models and estimated the modernization scale the study concludes that the i tr is adaptable to studies on farmer typologies essential elements to support agricultural planning and development policies it also recommends its dissemination through similar studies in other locations of the same region or in other regions of the country so that farm holdings of those future samples can be comparable among themselves or better differentiable using the same scale of modernization herein estimated key-words farmer typology item response theory agriculture modernization indicators family farmer correspondence analysis jel classification q1 o2 r2 c0 trabalho originado de tese de doutoramento sob o mesmo título defendida em 13/02/2004 na feagri /unicamp registrado no cctc asp-11/2004 1 2estatística doutora pesquisadora do lanagro-sp/cgla/sda/mapa e-mail:margarida.zaroni@terra.com.br margaridazaroni agricultura.gov.br 3engenheira agrônoma doutora prof adjunta da fca/unesp botucatu e prof colaboradora do programa de pós-graduação da feagri/unicamp e-mail stella@fca.unesp.br stella@agr.unicamp.br agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

p. 2

34 zaroni carmo 1 introduÇÃo o presente estudo visa apresentar pioneiramente às ciências sociais da agricultura a teoria da resposta ao item tri como uma nova técnica de estabelecimento de tipologias de agricultores associada à conceituação contemporânea dos modelos de exploração agrícola familiares lamarche coord 1993 1998 wanderley 1989 1998 buscando contribuir na elaboração de políticas de planejamento e desenvolvimento rural sustentável a utilização da análise estatística multivariada como a análise fatorial4 clássica e a de correspondência múltipla5 seguida de um método de classificação hierárquica ascendente everitt 1981 sobre os fatores principais resultantes leva à conceituação teórica de tipos de agricultores e tem desdobramentos metodológicos consagrados pode parecer redundante oferecer mais um método de análise para o tema dentre os vários existentes e já utilizados considerando-se que esses conceitos são um tanto quanto conhecidos principalmente para os especialistas da área mas ao se considerar as diversas abordagens teóricas6 históricas e contemporâneas da tipologia de agricultores inferiu-se que independente dos construtos e das metodologias empregados os tipos entre patronais e familiares inegavelmente se diferenciam sobre um gradiente de modernização acrescente-se que em termos analíticos as variáveis que graduam a modernização no estabelecimento rural não são de efeitos casuais esses efeitos sob os elementos históricos específicos dos agricultores resultam dos diferenciais provocados 4da escola americana desenvolvida por hottelling 1936a 1936b podendo ser encontrada em johnson e wichern 1988 é aplicada a conjuntos de variáveis quantitativas ou em análise de conjuntos de variáveis mistas com as devidas adaptações 5da escola francesa desenvolvida por benzecri 1973 podendo ser encontrada em escofier e pagès 1988 é aplicada a conjuntos de variáveis qualitativas ou em análise de conjuntos de variáveis mistas com as devidas adaptações 6abordagens discutidas por vários autores entre eles jerzy tepicht alexander chayanov henri mendras eric r wolf hugues lamarche maria nazaré baudel wanderley sônia maria pessoa pereira bergamasco marcel mazoyer e laurence roudart pela segunda revolução agrícola dos tempos modernos mazoyer e roudart 1997 apud veiga 1998 p.8 o que fortalece a idéia de que para uma avaliação quantitativa da diferenciação da modernização dos estabelecimentos rurais em termos gerais independentemente do modo de construção das variáveis de análise destacam-se o acesso à terra a infra-estrutura as relações sociais de apoio à produção a disponibilidade de capital a renda a capacidade de inovação tecnológica a integração com o mercado a caracterização da força de trabalho entre outros e assim pode-se admitir que está implícito ao processo de modernização que o melhor ou pior desempenho econômico do estabelecimento está associado à presença dos atributos que lhe confere o rótulo de mais moderno ou de menos moderno considere-se que um item é um atributo que explica a modernização onde a sua presença no estabelecimento está associada à maior intensidade de modernização variável não observada diretamente e a ausência do item à menor intensidade de modernização a tri possibilita estimar a relação entre esse desempenho e o gradiente de modernização que é referendado por uma escala estimada do grau de modernidade do estabelecimento rural onde a probabilidade estimada do estabelecimento ter a presença do atributo sobre essa escala expressa esse desempenho além disso permite comparar os estabelecimentos rurais entre mais ou menos modernos sobre essa mesma escala de modernização estimada e diferenciar os estabelecimentos em classes distintas de modernização sobre essa mesma escala permite também conhecer o grau de modernidade de um estabelecimento em um teste de modernização in loco sobre um conjunto de itens que circunstanciam a modernização estimados pela tri em um teste a tri considera o item como elemento central e não o teste como um todo e permite por exemplo a comparação entre populações distintas submetidas a testes diferentes mas com alguns itens comuns ou ainda a comparação entre estabelecimentos da mesma população que tenham sido submetidos a diferentes testes com ou sem itens comuns sobre uma mesma escala agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

p. 3

tipologia de agricultores familiares 35 2 material os dados utilizados são oriundos da pesquisa coordenada por bergamasco coord 1994 sobre a modernização da agricultura paulista em comunidades rurais de microbacias cujos resultados fundamentaram empiricamente as hipóteses deste estudo entre os objetivos desta pesquisa estava a tipologia de agricultores no estudo comparativo dos diferentes estágios de modernização agrícola em microbacias de regiões tecnologicamente representativas com características técnicas de produção da agricultura de moderna e diversificada à tradicional essa seleção limitou-se às regiões dos municípios de leme e itapeva estado de são paulo com comportamentos opostos sobre um gradiente de modernização o município de leme ocupa uma área de 396km2 e está situado na microrregião homogênea mrh 243 depressão periférica setentrional a área de estudo é composta por cinco microbacias hidrográficas ocupando 6.858,5ha cuja seleção considerou o uso de tecnologia moderna relevo tipos de solos e ocupação de mão-de-obra em 164 propriedades rurais o município de itapeva ocupa atualmente uma área de 1.889km2 e está situada na microrregião homogênea 260 campos de itapetininga caracterizada por uma agricultura menos desenvolvida e pouco diversificada configurando-se como monocultora em uma estrutura fundiária desconcentrada a área de estudo selecionada refere-se à microbacia do córrego são tomé localizada em sua zona rural a área da microbacia calculada a partir de digitalização de mapas pelo software autocad é de 1.774ha e é representativa de uma agricultura mais tradicional utilizando a tração animal associada ao baixo uso de outros insumos e produzindo gêneros de subsistência em função disso o planalto de guapiara constituiu-se como a zona mais adequada para a realização da pesquisa a seleção dessa microbacia dentro da região obedeceu também a critérios como tamanho médio ausência de área urbanizada pouco desenvolvida e pouco diversificada a unidade amostral para a aplicação do questionário da pesquisa7 de campo foi o agricultor representado pelo estabelecimento rural que diz respeito à área total com formação contínua ou descontínua ocupada por uma mesma unidade gestora8 dentro e/ou fora da propriedade com dimensões menores iguais ou maiores do que a área total própria do imóvel os sistemas de referência gerados para a determinação do tamanho e seleção da amostra de estabelecimentos rurais dos dois municípios originaram-se do conjunto de propriedades rurais contidas na área de estudo dos dois municípios por meio dos cadastros do instituto nacional de colonização e reforma agrária incra 1994a 1994b de leme e itapeva respectivamente considerando-se que a priori não se conhecia a variabilidade das variáveis a serem utilizadas no estudo fez-se um levantamento amostral piloto utilizou-se o tamanho da propriedade como uma variável de referência para leme agregou-se além disso a dimensão da natureza agro-ambiental por meio da upa9 assim o sistema de referência para a seleção da amostra de propriedades foi constituído por um mapa de sua localização sobre as upas para a determinação do tamanho e seleção da amostra incorporaram-se os estratos das propriedades em grupos com áreas in7no levantamento dos dados primários sobre a realidade dos agricultores foram formuladas 1.052 questões destas originaram-se as variáveis que foram construídas sob descritores agrários agrícolas sociais e econômicos do estabelecimento rural concentradas em um questionário de campo ­ subdividido em quatro grandes grupos de questões identificação do estabelecimento formação do estabelecimento limites dentro e fora da propriedade caracterização do estabelecimento e caracterização da produção agropecuária as variáveis são na sua maioria qualitativas as variáveis quantitativas foram as descritoras de produção áreas de cultivos número de tratores e microtratores e mão-de-obra 8unidade gestora é definida como locus de decisão econômica e produtiva formado por um ou mais produtores onde não haja possibilidades de diferenciar entre as parcelas envolvidas a produção e o uso de máquinas e equipamentos oliveira 2000 p.71 9a upa é uma área pré-delimitada denominada unidade de paisagem que reúne zonas semelhantes com cobertura vegetal e rede de drenagem no estudo foram consideradas variáveis tipo de solo e declividade agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

p. 4

36 zaroni carmo ternas de upas semelhantes e os estratos de áreas totais o tamanho da amostra foi de 69 propriedades rurais sendo que 61 estabelecimentos foram efetivamente utilizados no processo de análise estatística para itapeva a determinação do tamanho da amostra se deu sem a incorporação da abordagem de natureza agroambiental definida pelas upas o sistema de referência ficou composto por 64 propriedades rurais classificadas em estratos de área total o tamanho da amostra foi de 41 propriedades com 33 estabelecimentos efetivamente utilizados na análise estatística 3 metodologia 3.1 a teoria da resposta ao item em um teste educacional tradicional aplicado a um aluno sobre uma determinada habilidade em certa área do conhecimento pode-se aplicar um conjunto de n questões do tipo certo/errado onde o acerto na questão tem o valor 1 e o erro valor 0 a nota final desse aluno no teste tem o valor 0mn correspondente a m acertos o que significa que o aluno com a melhor nota tende a ser melhor classificado considerando-se a sua nota final no teste procedimentos como esse consistem de interpretações associadas ao escore total do teste e não a um item em particular weiss e yoes 1990 relatam que a tri emergiu nos últimos 40 anos como uma nova teoria para a avaliação educacional e psicológica com raízes em estudos de escalas psicológicas tendo sido referenciada várias vezes por teoria do traço latente teoria da curva característica do item e mais recentemente por teoria da resposta ao item de acordo com andrade e valle 1998 atualmente na área educacional vem crescendo o interesse pela aplicação da tri que propõe modelos de variáveis latentes para representar a relação entre a probabilidade de um aluno responder um item e seus traços latentes ou habilidades na área de conhecimento avaliada os quais não são observados diretamente tendo como elemento central o item e não a prova como um todo a tri permite por exemplo a comparação entre populações distintas submetidas a provas diferentes mas com alguns itens comuns ou ainda a comparação entre indivíduos da mesma população que tenham sido submetidos a diferentes provas com ou sem itens comuns uma das grandes vantagens da tri é a equalização das habilidades dos indivíduos pertencentes à mesma população que são submetidos a diferentes provas possibilitando assim a comparação de seus desempenhos andrade e valle 1998 citam os exemplos do sistema nacional de avaliação de ensino básico saeb-95 ministÉrio da educaÇÃo e do desporto 1995 e a avaliação da escola pública estadual do estado do rio grande do norte fundação carlos chagas em 1997 que utilizou alguns itens do saeb-95 para possibilitar a comparação do desempenho desses alunos em relação ao resto do país embora a tri ainda não seja muito utilizada encontram-se aplicações em pesquisa médica em marketing na Área psicossocial e gestão pela qualidade total alexandre et al 2002 e no setor de serviços costa 2001 a tri pelas suas origens é uma teoria que fornece recursos metodológicos para se estimar por exemplo o desempenho de um aluno em uma prova ou em cada questão dessa prova hambleton e swaminathan 1996 p 13 postulam que a esse desempenho pode ser previsto ou explicado por um conjunto de fatores chamado de traços ou traços latentes ou habilidades10 e b a relação entre o desempenho do aluno em um item específico uma determinada questão e a habilidade que se supõe influenciar esse desempenho pode ser descrito por uma função monotônica crescente chamada função ou curva característica11 do item cci figura 1 10o termo habilidade é designado ao traço ou característica que um teste mede resultante da rotulação dada a um fator dominante oriundo da aplicação da análise fatorial que representa a estrutura de correlação latente entre aspectos mensuráveis que influenciam um fenômeno em análise 11uma função característica é uma função geradora de momentos kendall stuart 1977 que determina a função distribuição de probabilidade de uma variável agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

p. 5

tipologia de agricultores familiares 37 essa função especifica que no caso da prova alunos com notas altas ou seja altos escores de habilidade têm probabilidades esperadas maiores para responder o item corretamente do que os alunos com baixos escores de habilidade por exemplo na figura 1 um aluno com habilidade =3 tem probabilidade aproximadamente 1,0 de responder corretamente o item em questão e o aluno com habilidade =0 tem a probabilidade 0,6 ou seja supõese que o aluno com maior habilidade tem maior probabilidade de acertar a resposta ao item do que aquele com menor habilidade probabilidade de resposta correta 1,0 0,8 0,6 0,4 0,2 0,0 -3 -2 -1 0 1 2 3 c b a habilidade figura 1 exemplo de curva característica do item cci fonte dados da pesquisa sume os valores 1 quando o indivíduo responde corretamente o item ou 0 quando o indivíduo não responde corretamente o item i representa a habilidade ou proficiência do indivíduo pxij =1 i é a probabilidade de um indivíduo com habilidade igual a i responder corretamente o item d é um fator de escala constante conhecido igual a 1,0 ou 1,7 quando se deseja que a função logística forneça resultados semelhantes ao da ogiva normal b j é o parâmetro de dificuldade ou de posição do item sobre a escala da habilidade a j é o parâmetro de discriminação ou de inclinação do item com valor proporcional à inclinação da curva característica do item cci no ponto bj ecio parâmetro de acerto ao acaso do item a probabilidade pxij =1 i pode ser vista também como a proporção de resposta correta ao item dentre todos os indivíduos da população com a habilidade i além disso o parâmetro bj é tal que pxij =1 i bj para bj=1 1+ci a figura 1 exemplifica a correspondência dos parâmetros a j bjeci e a cci no modelo de dois parâmetros temos ci=0 isto é não se supõe aleatoriedade na resposta ao item e no modelo de um parâmetro tem-se aj 1 e ci=0 isto é supõem-se a não aleatoriedade da resposta ao item e a que inclinação é constante mesma discriminação para todos os itens esses modelos de teste logístico e normal podem ser aplicados somente a testes com respostas dicotômicas os modelos matemáticos sobre a tri são aqueles que expressam a curva característica do item e dependem do tipo do item andrade e valle 1998 um dos modelos mais utilizados em avaliações educacionais é o logístico unidimensional de 3 parâmetros para itens de múltipla escolha dicotômicos ou dicotomizados certo/errado cuja formulação para um determinado item é dada por px ij 1 i ci 1 ci 1,2 i j 1,2 m 1 1 e da j i b j 3.2 a teoria da resposta ao item e a tipologia de agricultores o procedimento metodológico para se chegar à construção de uma escala para o grau de modernidade do estabelecimento foi constituído por quatro etapas associando-se às características específicas da tri que originariamente fornecem recursos para se estimar o desempenho de um aluno em provas e avaliações e à tipologia de agricultores sob os modelos de exploração agrícola conceituados teoricamente por lamarche e wanderley na primeira etapa selecionaram-se e definiram-se os m itens preliminares para a aplicação da agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006 ,i 1 onde i é o número de indivíduos m o número de itens preliminares xij é uma variável dicotômica que as-

[close]

p. 6

38 zaroni carmo tri que evidenciaram possíveis traços latentes fatores principais entre os estabelecimentos dentro da estrutura multidimensional da modernização da agricultura descrita por 44 variáveis originais abrangendo 114 modalidades indicadoras descritas no anexo 1 com a utilização da análise de correspondências múltiplas acm escofier e pagÉ 1988 através do pacote estatístico sas 1986 por meio do proc corresp considere-se o item como uma variável binária com opção de resposta 1 se há a presença do item e 0 se há a sua ausência a definição do item baseou-se no rearranjo das coordenadas das modalidades das variáveis originais utilizadas na acm que definiram os fatores principais relacionou-se à presença do item as coordenadas das modalidades indicadoras que tendiam à maior modernização do estabelecimento e à ausência do item as coordenadas que tendiam à menor modernização além disso selecionaram-se como itens as modalidades que descreveram os outros dois fatores principais f2 e f3 e que pertenciam aos quadrantes dos biplanos que as coordenadas das modalidades desses fatores formaram com o lado positivo do 1º fator f1x+f2 +f1x-f2 +f1x+f3 ou +f1 x ­f3 por exemplo o item t_eq foi definido em função da variável nível tecnológico em equipamentos motomecanizados para a produção agropecuária ntec_eq equação 5 da seção 4.4 que foi descrita por quatro modalidades indicadoras variável y42 anexo 1 sem equipamentos motomecanizados ntec_eq=0 mínimo 0

[close]

p. 7

tipologia de agricultores familiares 39 figura 2 item nível alto em tecnologia em equipamentos motomecanizados sobre o esboço do 1º fator principal gradiente de modernização presença e ausência do item associadas às coordenadas das modalidades da variável inicial fonte dados da pesquisa e está representada pela curva característica da figura 3 o estabelecimento que contrata mão-de-obra temporária tem a presença do item tende a ter probabilidade mais alta 0,50 de ter um alto grau de modernidade 0,01 que é o valor do parâmetro b complementando um estabelecimento que contrata esse tipo de mão-de-obra e não tem um alto grau de modernidade tem uma baixa probabilidade da presença desse item por exemplo a probabilidade de ter mão-de-obra temporária para um grau de modernidade menor do que b=0,01 é menor do que 0,50 o parâmetro a estimado tem valor 1,57 a=2,67/d=1,70 equação 3 mostrando que a relação tem alta discriminação nas proximidades do valor 0,01 sobre a escala estimada do grau de modernidade figura 3 probabilidade do estabelecimento com grau de modernidade 0,01 em contratar mão-de-obra temporária fonte dados da pesquisa a estimação dos parâmetros a e b é obtida pela aplicação do pacote estatístico bilog mislevy e bock 1997 o qual utiliza métodos de máxima verossimilhança na tri esse processo de estimação é chamado de calibração e o problema é tal que os parâmetros aebnão são conhecidos e devem ser estimados simultaneamente estimam-se para cada item os parâmetros a e b ou seja 2m parâmetros e os i valores de para os 94 estabelecimentos ou seja i+2m parâmetros esses parâmetros são estimados sobre a mesma escala do grau de modernidade sob o modelo normal padrão portanto 2 parâmetros são conhecidos a média 0 e o desvio padrão 1 o que resulta em i+2m-2 =176 parâmetros a serem estimados alguns pressupostos teóricos são necessários na aplicação dos modelos da tri na utilização de modelos unidimensionais deve-se verificar a unidimensionalidade dos itens existência de um fator dominante que circunstancia a modernização outra pressuposição é a independência local que é fundamental para o processo de estimação dos parâmetros do modelo para uma dada habilidade as respostas aos diferentes itens da prova são independentes por exemplo o aluno não aprende na prova isto é a resposta dada a uma questão não responde a outra questão na realidade como a unidimensionalidade implica em independência local tem-se uma e não duas hipóteses a serem verificadas quando a unidimensionalidade está assegurada esta implica em independência local e somente uma das suposições precisa ser verificada andrade e valle 1998 a tri tem como meta fornecer estatísticas do item e estimativas da habilidade invariantes o princípio da invariância baker 2002 hambleton e agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

p. 8

40 zaroni carmo swaminathan 1996 refere-se à invariância do grau de modernidade a estimativa da escala do grau de modernidade não depende da escolha dos itens do teste e à invariância dos parâmetros de um grupo de itens as estimativas dos parâmetros dos itens não dependem da amostra de estabelecimentos retirada da população a verificação do ajuste do modelo aos dados é realizada por meio da análise de resíduos testes estatísticos do bom ajustamento de qui-quadrado como os de wright e panchapakesan 1969 bock 1972 yen 1981 wright e mead 1977 apud soares e pereira 2001 e o do qui-quadrado do raio de verossimilhança g2 mislevy e bock 1997 a terceira etapa consistiu na interpretação dos parâmetros a b e da escala na área educacional o parâmetro a está associado à dificuldade que um indivíduo tem de responder corretamente à questão sua interpretação sócioeconômica sobre a escala do grau de modernidade está associada à posição da inclinação da curva de probabilidade do item sobre essa escala o parâmetro b é medido sobre a escala do grau de modernidade estimada o valor de a é proporcional à derivada da tangente da curva no ponto b ponto de inflexão de acordo com as estimativas do modelo os parâmetros a são rotulados por apresentarem discriminação moderada 0,38 a 0,78 alta 0,80 a 0,88 muito alta 1,00 e perfeita segundo baker 2002 a capacidade do item em diferenciar o estabelecimento sobre a escala estimada é influenciada pelas relações entre os parâmetros de discriminação a e posição b os n itens selecionados resultaram em n parâmetros a e n parâmetros b com médias ma e mb e desvios-padrão sa e sb respectivamente um par de parâmetros para cada item essas relações são as seguintes a quando b mb +sb a presença do item não é comum mais difícil ocorre em valores altos da escala do grau de modernidade e se a 0,80 são itens que em linhas gerais implicam alta diferenciação entre os estabelecimentos mais modernos ou se a 0,80 são itens com diferenciação moderada em estabelecimentos mais modernos b quando b mb -sb a presença do item é mais comum fácil ocorre em valores baixos da escala do grau de modernidade se a 0,80 são itens que implicam também em alta diferenciação entre os estabelecimentos em valores baixos da escala do grau de modernidade diferenciando estabelecimentos menos modernos ou se a 0,80 são itens com diferenciação moderada entre os estabelecimentos menos modernos o que significa dizer que o item pode ocorrer com a mesma probabilidade em toda a escala e c quando mb -sb b mb +sb o item tem presença média isto é os valores de b ocorrem sobre o intervalo de confiança de 68 de probabilidade do verdadeiro valor da média dos parâmetros b da escala se a 0,80 implicam em alta diferenciação entre os estabelecimentos em torno do valor da média dos parâmetros b sobre a escala do grau de modernidade isto é pode diferenciar os estabelecimentos entre os mais ou menos modernos sobre esse valor do grau de modernidade e se a 0,80 são itens com diferenciação moderada a presença do item pode ocorrer tanto em estabelecimentos mais modernos como em menos modernos finalizando a quarta etapa consistiu na construção da escala propriamente dita associando-se os resultados de três avaliações do grau de modernidade estimado sobre a escala para os estabelecimentos diferenciação dos estabelecimentos por intervalos de classe definição de itens e níveis âncora e tipologia dos estabelecimentos familiares essa escala de modernização e os n itens ajustados permitiram elaborar um instrumento de avaliação do estágio de modernização de um estabelecimento agrícola familiar e estimar o seu grau de modernidade a partir das respostas dadas a esses itens para exemplificar a utilização do instrumento um estabelecimento da amostra foi sorteado e o seu grau de modernidade foi estimado supondo que as respostas dadas estavam sendo avaliadas pela primeira vez foram efetuadas comparações entre as estimativas do grau de modernidade pelo instrumento e pelo processo de calibração agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

p. 9

tipologia de agricultores familiares 41 4 resultados e discussÃo os resultados apresentados nas seções seguintes referem-se às etapas do procedimento metodológico descritas na seção 3.2 para se chegar à construção da escala do grau de modernidade culminando na diferenciação dos estabelecimentos familiares por essa escala e tipologia propriamente ditas o fato comum entre estes três itens ou seja as proporções de presença observadas ocorreram entre 93 e 94 dos estabelecimentos da amostra certamente influenciou esses resultados embora tenham sido considerados na análise a sua ausência não modificaria as estimativas dos parâmetros pelo princípio da invariância da tri aumentando em 1 ponto no escore de modernização na maioria dos estabelecimentos da amostra sem alterar os resultados 4.1 seleção e definição dos itens preliminares os 43 itens preliminares estão descritos no quadro 1 esses itens são oriundos da aplicação da análise de correspondências múltiplas que evidenciou três traços latentes fatores principais entre os estabelecimentos e dentro da estrutura multidimensional das variáveis originais o primeiro fator foi dominante e expressou o gradiente da modernização da agricultura os outros dois fatores descreveram a intensificação da exploração da terra comercialização e capital em bens permanentes e a diferenciação entre fontes de renda e lógica produtiva complementando com alguma importância a diferenciação entre os estabelecimentos e confirmando os resultados dos estudos do projeto original bergamasco coord 1999 4.2.1 interpretação dos parâmetros e da escala estimados os 33 itens selecionados resultaram em 33 parâmetros a e 33 parâmetros b com médias ma=0,87 e mb=0,61 e desvios-padrão sa =0,45 e sb =1,46 respectivamente neste estudo os valores encontrados para a são todos positivos pois era esperado que à medida que houvesse elevação do grau de modernidade aumentasse a probabilidade do estabelecimento ter a presença do item a curva estimada figura 4a para o item cinv obteve estimativas para a=0,98 0,80 e b=1,72 mb +sb=1,72 apresentando alta diferenciação entre os estabelecimentos mais modernos pois o valor de a foi bem alto e o valor de b muito acima da média e é o único item com essa classificação o traço pontilhado sob as funções de resposta de cada item apresentadas na figura 4 representa a função de informação sobre o intervalo da escala do grau de modernidade no qual o item tem maior poder de discriminação em torno do parâmetro b que representa o grau de modernidade necessário para que a probabilidade da presença do item seja igual a 0,50 na figura 4b apresenta-se a curva estimada para o item ac como representante dos itens com diferenciação moderada entre os mais modernos a estimativa dos parâmetros foi tal que a=0,53 0,80 e b=2,14 mb+sb=1,72 analogamente os itens cujos parâmetros enquadraram-se dentro desses intervalos foram refl emb ru mpf ntpp irri br e apna tabela 1 mostrando que esses itens tambem agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006 4.2 seleção dos itens sob a tri na tabela 1 apresentam-se os itens selecionados as estimativas dos parâmetros a e b erros padrão ep qui-quadrado para o teste do bom ajusta2 mento nível mínimo de significância p 2 p c2 e os graus de liberdade do teste para cada item dos 43 itens preliminares 33 itens foram ajustados pela tri e desses 30 tiveram boa qualidade de ajuste entre as funções características estimadas e empíricas pelo critério da razão de verossimilhança g2 os itens rr apna e br não obtiveram graus de liberdade suficientes para a verificação do ajuste -

[close]

p. 10

42 zaroni carmo quadro 1 descrição dos itens preliminares para a aplicação da tri grupo de itens item comp aprp ipd rmof mot aps coop sdr cinv ccus ast eqpr variáveis1 y1_2,y1_3 y2_2 y24_0 y6_0 y16_1 y8_0 y10_1 y11_1 y12_1 y13_1 y14_1 y36_2 y36_3 descrição da presença do item associado ao fator gradiente de modernização estabelecimento composto estratégias de expansão área própria área total estratégias fundiárias não tem área inaproveitada não tem renda da família fora do estabelecimento relações sociais para procontrata mão-de-obra temporária dução não recebe aposentadoria/pensão associado à cooperativa associado a sindicato rural acesso a instrumentos de faz crédito de investimento apoio a produção faz crédito de custeio recebe assistência técnica 25 a 75 itens relativos a animais de trabalho máquinas e equipamentos são próprios eant y38_0 não tem equipamentos para animais de trabalho capitalização para o finantrat y39_1 y39_2 tem 2 ou mais tratores próprios ciamento da produção irrig y40_1 tem equipamentos para irrigação vu y41_1 tem veículo utilitário vai y49d_1 y49d_2 venda da produção agropecuária em algum nível para a agroinvenda a agroindústria dústria cn y30_1 faz curva de nível terraceamento ou cordão de retenção nas parcelas de cultivo temporário ou permanente tecnologia para a produemb y31_1 faz embaciamento nas estradas ção agropecuária em br y32_1 faz bacia de retenção nas estradas equipamentos motomecat_eq y42_3 nível alto em equipamentos motomecanizados para a produção nizados e em manejo de agropecuária solo ntpv y43_3 nível alto de tecnologia da produção vegetal ntpp y44_3 nível alto de tecnologia da produção pecuária intensificação da exploração apna y18_1 tem área explorada em parceria não autônoma aci y19_3 Área cultivada relativa à aproveitável acima de 85 refl y21_1 Área com reflorestamento pp y23_1 Área com pastagem plantada intensidade de exploração pn y22_1 Área com pastagem natural da terra mn y20_1 Área com mata natural sb y26_1 Área com sedes e benfeitorias ifpr y28_2 y28_3 3 ou mais itens de infra-estrutura da produção ifgr y29_2 29_3 2 ou mais itens de infra-estrutura geral capital em bem permanenres y27_2 2 ou mais residências tes animt y37_0 não tem animais de trabalho ac y49a_0 não faz autoconsumo da produção agropecuária vc y49b_1 y49b_2 vende a produção ao consumidor em algum nível comercialização vi y49c_1 y49c_2 vende a produção ao intermediário em algum nível arrend y3_0 não tem renda de terras dadas em arrendamento dentro ou fora da estratégia fundiária propriedade diferenciação do tipo de agricultor mpf y15_2 mão-de-obra familiar e permanente diferenciação na lógica rest y5_0 não reside no estabelecimento produtiva mftf y17_0 nenhum membro da família trabalha fora do estabelecimento diferenciação entre fontes ru y8_2 pelo menos uma fonte de renda urbana é secundária de renda rr y7_1 y7_2 pelo menos uma fonte de renda rural secundária ou principal 1modalidades indicadoras ver a definição no anexo 1 fonte dados da pesquisa agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

p. 11

tipologia de agricultores familiares 43 tabela 1 estimativas dos parâmetros dos itens erros padrão ep qui-quadrado para o teste do bom ajustamento 2 nível mínimo de significância p p 2 c2 b e graus de liberdade do teste para cada item item comp aprp rest rmof rr ru coop sdr cinv ccus ast mpf mot mftf apna aci refl ep 0,89 0,22 0,65 0,16 0,49 0,128 0,44 0,122 0,64 0,219 0,36 0,117 2,00 0,76 0,85 0,192 0,98 0,278 1,46 0,511 1,01 0,243 0,54 0,174 1,58 0,415 0,46 0,121 0,45 0,145 0,61 0,141 0,47 a 2 p 3,2 0,3563 4,2 0,3821 6,2 0,2847 6,1 0,1058 1,6 1,0000 0,7 0,4239 0,0 0,8847 1,2 0,8709 1,5 0,2187 0,5 0,7865 0,4 0,9343 1,3 0,5323 0,2 0,6677 8,6 0,1239 0,0 1,0000 4,3 0,3697 0,2 ep 0,11 0,17 0,66 0,24 0,61 0,279 -2,26 0,668 -2,93 0,837 3,37 0,182 0,18 0,113 0,66 0,187 1,72 0,336 0,85 0,854 0,58 0,165 2,19 0,629 0,01 0,124 -1,17 0,387 3,58 1,191 0,74 0,269 1,68 graus de liberdade 3 4 5 3 01 1 1 4 1 2 3 2 1 5 01 4 3 item ipd ifpr ifgr cn emb br eqpr eant trat irrig vu t_eq ntpv ntpp ac vai ep 0,48 0,124 0,64 0,149 0,50 0,121 0,82 0,217 0,67 0,211 0,77 0,288 1,72 0,632 0,59 0,139 1,56 0,451 0,71 0,264 1,27 0,292 1,22 0,43 1,13 0,279 0,52 0,146 0,53 0,158 1,66 0,422 a ep -1,65 0,477 0,21 0,214 -0,64 0,319 -0,89 0,213 1,97 0,515 2,54 0,732 -0,41 0,125 0,22 0,235 0,55 0,131 2,17 0,593 -0,07 0,147 1,03 0,161 0,63 0,155 1,56 0,429 2,14 0,609 0,18 0,124 b 2 p 3,5 0,3203 4,9 0,4319 7,9 0,0930 0,7 0,8728 0,5 0,7864 0,0 1,0000 0,3 0,5728 1,6 0,9020 0,2 0,6759 2,8 0,2432 3,4 0,1766 2,4 0,3079 0,6 0,8951 1,1 0,7781 1,0 0,8003 0,4 0,5222 graus de liberdade 3 5 4 3 2 01 1 5 1 2 2 2 3 3 3 1 0,126 0,479 0,9747 1estes itens não têm graus de liberdade suficientes para o teste do bom ajustamento e os resultados da aplicação do bilog mostram o valor p<1,0000 que foi proveniente do fonte dados da pesquisa 2 0,0 resultante da impossibilidade do cálculo da função empírica agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

p. 12

44 zaroni carmo a b mb +sb e a 0,80 1.0 prob presença do item 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 0.4 0.3 0.2 0.1 0 -3 -2 -1 0 grau de modernidade 1 2 3 b 0 1 2 3 prob presença do item 1.0 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 0.4 0.3 0.2 0.1 0 -3 b b mb +sb e a 0,80 3 2 1 b -2 -1 0 grau de modernidade 1 2 3 0 item cinv na figura a=0,98 b=1,72 itens ac na figura a=0,53;b=2,14 refl emb ru mpf ntpp irri br e apna c b mb -sb e a 0,80 1.0 prob presença do item 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 0.4 0.3 0.2 0.1 0 -3 -2 -1 0 grau de modernidade 1 2 3 b 0 1 2 3 prob presença do item 1.0 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 0.4 0.3 0.2 0.1 0 -3 -2 b d b mb -sb e a 0,80 3 2 1 -1 0 grau de modernidade 1 2 3 0 item cnna figura a=0,82;b 0,89 itens rrna figura a=0,64;b 2,93 ipd rmof ifgr rmof e mb -sb b mb +sb e a 0,80 prob presença do item 1.0 prob presença do item 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 0.4 0.3 0.2 0.1 0 -3 -2 -1 0 grau de modernidade 1 2 3 b 0 1 2 3 1.0 0.9 0.8 0.7 0.6 0.5 0.4 f mb -sb b mb +sb e a<0,80 3 2 1 0.3 0.2 0.1 0 -3 -2 -1 0 grau de modernidade 1 2 3 b 0 itens tratna figura a=1,56;b=0,55 eqpr coop mot vai vu comp ast ccus t_eq e sdr itens aprpna figura a=0,65;b=0,66 eant rest ifpr e aci função de resposta função de informação figura 4 curvas características dos itens ­ interpretação dos parâmetros fonte dados da pesquisa bém diferenciam moderadamente os estabelecimentos entre os mais modernos a curva estimada para o item cn figura 4c apresenta estimativas para a=0,82 0,80 e b 0,89 mb-sb -0,85 mostrando que tem alta diferenciação agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006 entre os estabelecimentos menos modernos pois o valor de a foi bem alto e o valor de b muito abaixo da média e é o único item com esta classificação para o item rr figura 4d obtiveram-se estimativas para a=0,64 0,80 e b 2,93 mb-sb -0,85,

[close]

p. 13

tipologia de agricultores familiares 45 mostrando que o item tem diferenciação moderada entre os estabelecimentos menos modernos os itens cujos parâmetros estimados enquadraram-se dentro desses intervalos foram ipd rmof ifgr e rmof tabela 1 mostrando que esses itens diferenciam moderadamente os estabelecimentos menos modernos para o item trat figura 4e as estimativas para a=1,56 0,80 e mb-sb 0,85

[close]

p. 14

46 zaroni carmo modernização muito abaixo da média 100 50 0 modernização abaixo da média modernização acima da média modernização muito acima da média 91 -0,80 93 44 0,00 grau de modernidade 1,00 leme itapeva média desvio padrão número de estabelecimentos -1,31 0,32 22 -0,41 0,20 25 0,54 0,16 30 1,34 0,13 17 figura 5 distribuição de freqüência dos estabelecimentos entre os municípios de leme 1994/95 e itapeva 1997/98 sobre a escala do grau de modernidade classificada em quatro classes distintas limites número de estabelecimentos média e desvio padrão do grau de modernidade por classe fonte dados da pesquisa sobre a escala do grau de modernidade estimado com seus limites média desvio padrão e número de estabelecimentos e o rótulo que descreve a sua posição relativa à média da escala modernização muito acima da média acima da média abaixo da média e muito abaixo da média ressalta-se nessa figura que a escala estimada possibilitou diferenciar os estabelecimentos de tal modo que na classe modernização muito abaixo da média 91 20 dos estabelecimentos são de itapeva 61 da amostra o que coincide com a própria natureza da escolha da área de estudo agricultura tradicional e os restantes 9 2 ou seja 3 da amostra de estabelecimentos seriam os menos modernos de leme na classe modernização abaixo da média 44 11 desses estabelecimentos são de itapeva 33 da amostra e 56 14 de leme 23 da amostra reúne os um pouco mais modernos do que os da classe anterior tanto no município de leme como no de itapeva na classe modernização acima da média 93 28 são de leme 46 da amostra e 7 2 são de itapeva 6 da amostra concordando com a natureza da escolha da área de estudo agricultura moderna os estabelecimentos são mais modernos que os da classe anterior e na classe modernização muito acima da média 100 17 dos estabelecimenagric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006 tos são de leme 28 da amostra que são muito mais modernos que os anteriores concordando mais uma vez com a escolha da área de estudo 4.2.4 diferenciação dos estabelecimentos por meio de itens e níveis âncoras a interpretação da escala é feita por meio de itens âncora selecionados sobre níveis âncora o item para ser âncora precisa ocorrer em uma grande proporção de estabelecimentos com este grau de modernidade e em uma pequena proporção de estabelecimentos com certo grau de modernidade imediatamente anterior beaton e allen 1992 sugerem que cada estudo deve definir a sua grande proporção andrade e valle 1998 citam um conceito pedagógico para selecionar itens âncoras utilizado neste estudo no qual os itens âncora são selecionados de acordo com a afirmação considere dois níveis âncora consecutivos y e z com y z diz-se que um determinado item é âncora para o nível z se e somente se px=1 z 0,65 e px=1 y 0,50 e px=1 zpx=1 y 0,30 utilizaram-se como referência aos níveis ân-

[close]

p. 15

tipologia de agricultores familiares 47 cora que são pontos sucessivos e arbitrários na escala para selecionar os itens âncoras por conveniência os pontos próximos às médias do grau de modernidade sobre as classes da escala procurou-se tomar como distância entre dois pontos sucessivos sobre a escala o valor 1,00 os níveis âncoras a que foram escolhidos corresponderam aos valores a 1,50 0,50 0,50 1,50 2,50 na tabela 2 são apresentados os itens âncoras sobre os níveis selecionados na escala tabela 2 relação de níveis e itens Âncora para interpretação da escala níveis âncora itens âncora cinv sdr ccus mot coop cn ast eqpr trat vu t_eq vai ntpv comp 0,00 em diante o estabelecimento sobre esse intervalo da escala tem maior probabilidade de contratar mão-de-obra temporária ser composto com terras da família ou de terceiros estar associado à cooperativa vender a produção à agroindústria ter equipamentos próprios e possuir veículo para transporte da produção analogamente o complementar ocorre para os estabelecimentos com a -0,50 a =2,50 a =1,50 a =0,50 a 0,50 fonte dados da pesquisa 4.3 tipologia dos estabelecimentos resume-se em forma figurada na figura 6 a diferenciação dos estabelecimentos sobre a escala do grau de modernidade estimada com relação aos itens combinando os itens âncora siglas em negrito para os níveis âncora sobre as classes da escala do grau de modernidade estimada acrescentam-se também os itens com curva de probabilidade com inclinação mais moderada siglas sem negrito sobre a escala o item da curva de nível cn foi selecionado como âncora em torno de a 0,50 e a probabilidade do estabelecimento fazer curva de nível é maior sobre as classes de modernização abaixo da média modernização acima da média e modernização muito acima da média em torno do valor -0,80 em diante do que para os valores menores do que -0,80 para o nível âncora a -1,50 os itens mot comp coop eqpr vu e vai foram selecionados como âncora em torno de a 0,50 e têm maior probabilidade de ocorrer sobre as classes de modernização acima da média e modernização muito acima da média sobre a escala em torno do ponto 1os itens âncora estão em negrito e os com discriminação moderada sem negrito figura 6 diferenciação entre os estabelecimentos sobre a escala estimada do grau de modernidade fonte dados da pesquisa os itens ntpv trat t_eq sdr ccus e ast foram selecionados como âncora em torno de a 1,50 e têm maior probabilidade de ocorrer sobre as classes de modernização muito acima da agric são paulo são paulo v.53 n 1 p 33-61 jan jun 2006

[close]

Comments

no comments yet