Revista Saúde em 1º Lugar - Junho 2014

 

Embed or link this publication

Description

Revista Cruz Azul Saúde

Popular Pages


p. 1

Saú Sa úde em Revista da Cruz Azul de São Paulo Ano I - N° 2 - Junho/2014 Distribuição gratuita lugar Maternidade Santa Maria 4 10 13 17 Parto por cesariana é “normal” demais no País Copa do Mundo e frio motivam campanhas de doação de sangue Nódulo pulmonar

[close]

p. 2

Sumário Expediente Revista Saúde em Primeiro Lugar É uma publicação trimestral da 4 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 19 20 Maternidade Santa Maria Curso para gestantes Binômio Mãe-Filho Correio Pneumático é sinônimo de segurança e agilidade Cruz Azul de São Paulo Corpo Diretivo Cel PM Julio Antonio de Freitas Gonçalves Superintendente Cel PM Renato Aldarvis Coordenador de Saúde Celular interfere em Dr. Antonio Lucas Neto Coordenador Clínico equipamentos hospitalares e pode alterar diagnóstico Cel PM Renato Perrenoud Coordenador de Educação Parto por cesariana é “normal” demais no País SUS: um sistema que gera elogios e críticas Cel PM Márcio Matheus Coordenador de Logística Cel PM Vicente Antonio Mariano Ferraz Coordenador de Finanças Novo vírus pode chegar durante a copa Cel PM Marcos Roberto Chaves da Silva Coordenador de Sustentabilidade USP cria aparelho que detecta dengue em 20 minutos Copa do Mundo e frio motivam Cinta para dar movimento Impressora 3D a serviço da medicina campanhas de doação de sangue Cel PM Silvio Roberto Montagner Chefe de Gabinete Publicação desenvolvida pela equipe da Gerência de Comunicação Corporativa Elisabeth Diniz, Rosana Rodrigues, Bianca Maciel, Marina Saraiva, Sabrina Tono, Victor Resende e Welton Lima. Jornalista Responsável: Walter Mazar - MTb.: 16.431/SP Fotos Banco de imagens da Cruz Azul e Shutterstock Tiragem 20.000 exemplares comunicacao@craz.com.br www.craz.com.br Junho/2014 Estudo de anatomia em 3D Nódulo pulmonar Tontura é sintoma de mais de 300 doenças Unidades de saúde Cruz Azul 2 Revista Saúde em Primeiro Lugar - N° 2 - Junho/2014

[close]

p. 3

Editorial A edição de junho de Saúde em primeiro lugar traz uma série de informações sobre o trabalho e posicionamento da Associação Cruz Azul de São Paulo no âmbito da Saúde e questões de grande interesse no Brasil e no mundo, além de avanços e novidades desenvolvidas para a área. Em “Maternidade Santa Maria”, integrante do Complexo Hospitalar Cruz Azul, a importância de se decidir por uma maternidade que inspire confiança e que seja referência em qualidade e eficiência. Na sequência, o “Curso para Gestantes” desenvolvido pela Instituição para que as futuras mães se preparem para um dos momentos mais significativos em suas vidas. Um dos pontos fortes do Programa de Humanização da Cruz Azul é relatado na matéria “Binômio Mãe-Filho”. O Alojamento Conjunto permite o mais precoce vínculo afetivo-familiar e uma série de benefícios aos pais e ao bebê. Na matéria “Correio pneumático é sinônimo de segurança e agilidade”, uma síntese sobre o funcionamento do equipamento da Cruz Azul, que representa significativa economia de tempo no transporte de materiais. Em seguida, o risco do eletromagnetismo produzido por celulares e outros aparelhos em equipamentos hospitalares. Em “Parto por cesariana é ‘normal’ demais no País”, a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e os novos Centros de Parto Natural previstos para a cidade de São Paulo. E na matéria “SUS: um sistema que gera elogios e críticas”, um retrato do serviço público e o conflito de opiniões. Quanto à Copa do Mundo, o alerta sobre a possível chegada do vírus Chikungunya ao País, por meio de turistas portadores da febre de mesmo nome e cujos sintomas são parecidos com os da dengue. Além disso, uma matéria especial sobre a importância da intensificação das campanhas de doação de sangue, especialmente durante os jogos e períodos de frio. Sobre avanços na medicina, três matérias interessantes: a cinta para mobilidade de crianças com paralisia cerebral, os fantásticos resultados obtidos com impressoras 3D e o estudo de anatomia em mesa de operações virtuais. E na editoria “É bom saber”, as principais causas da tontura, a terceira maior queixa dos brasileiros nos consultórios médicos. Uma excelente leitura e, em seguida, vire a revista para ver o que a Cruz Azul preparou para você em Educação em primeiro lugar. Cruz Azul de São Paulo 3

[close]

p. 4

Cruz Azul em detalhe Maternidade Santa Maria Pensamos no melhor para o momento mais importante da futura mãe O sucesso do planejamento e estratégias desenhados para a Maternidade Santa Maria, do Complexo Hospitalar Cruz Azul, também se reflete em prêmios e certificações de grande significado e importância na área de Saúde. Nos últimos cinco anos, a Maternidade conquistou o Selo Ouro do Prêmio SINASC – Sistema de Informação de Nascidos Vivos –, que visa incentivar a melhoria de qualidade da coleta, preenchimento e digitação das informações sobre Nascidos Vivos na Cidade de São Paulo. Além dessa premiação consecutiva, a Cruz Azul de São Paulo também conta com as certificações ONA – Organização Nacional de Acreditação, e ISO – International Organization for Standardization, que simbolizam o empenho da Instituição para o atingimento da excelência em todos os níveis de prestação de serviço e atendimento humanizado. Nossa maternidade é Ouro! Dar à luz é indescritível para a mulher, mesmo para aquelas que já passaram por esta maravilhosa experiência. Para que este momento mágico aconteça da melhor forma, é preciso se decidir por uma maternidade que inspire confiança e que seja reconhecida por sua eficiência e qualidade. A Maternidade Santa Maria, que compõe o Complexo Hospitalar Cruz Azul, é referência em qualidade e infraestrutura, conta com equipes multidisciplinares altamente qualificadas e seu atendimento humanizado é amplamente reconhecido pelo mercado e clientes, de acordo com os prêmios e certificações conquistados e os altos índices de pesquisas de satisfação. 4 Revista Saúde em Primeiro Lugar - N° 2 - Junho/2014

[close]

p. 5

Cruz Azul em Detalhe Agora, você irá conhecer alguns detalhes da nossa maternidade, com 79 anos de experiência e que se transformou em referência no País Cruz Azul de São Paulo 5

[close]

p. 6

Cruz Azul em detalhe Curso para Gestantes Tudo que o casal precisa saber antes e depois do nascimento Existem diversos sites com dicas e cursos online para gestantes, mas nada se compara às aulas e workshops presenciais sobre um tema tão importante para os casais, pois a chegada de um filho é um momento indescritível e, por isso, é preciso estar muito bem preparados para atuar com confiança e segurança em todas as situações. A Cruz Azul entende que o fortalecimento do vínculo familiar é fundamental e deve ser incentivado pelas ações desenvolvidas na Maternidade do Complexo Hospitalar. Faz parte deste cuidado o Curso para Gestantes, que tem como finalidade apoiar os casais de “primeira viagem” e, mesmo, aqueles que já têm alguma experiência, mas querem se atualizar e aprimorar o conhecimento. O curso fornece informações amplas sobre a evolução do bebê ao longo dos nove meses de gestação, dicas práticas de alimentação, exercícios físicos e preparação para o parto. Os casais também recebem orientações sobre cuidados para o recém-nascido, como banho, troca de fraldas, precauções com o coto umbilical (parte do cordão umbilical) e a importância da amamentação. Além disso, participam do Cegonha Tour, para conhecer as dependências da Maternidade. O Curso para Gestantes da Cruz Azul é realizado no auditório principal do Complexo Hospitalar duas vezes ao mês e é ministrado por equipe multidisciplinar formada por médicos, enfermeiras, psicólogas e nutricionistas. A inscrição é 1 kg de alimento não perecível. As doações são encaminhadas para instituições filantrópicas. Para informações sobre datas e horários, entre em contato: (11) 3348-4089 (11) 3348-4199 centrodeestudos@craz.com.br 6 Revista Saúde em Primeiro Lugar - N° 2 - Junho/2014

[close]

p. 7

Cruz Azul em Detalhe Binômio Mãe-Filho O Binômio Mãe-Filho, integrante do Programa de Humanização da Cruz Azul de São Paulo, promove o mais precoce vínculo afetivo-familiar ao facilitar o convívio no “Alojamento Conjunto”. O serviço pode ser solicitado sem qualquer ônus, desde que mãe e recém-nascido apresentem condições e recebam autorização da pediatria do Hospital. O recém-nascido permanece em observação no berçário durante 6 horas e, após solicitação e liberação médica, é encaminhado para o quarto da mãe. Durante todo o período de internação, mãe e filho são acompanhados por uma equipe multiprofissional. Benefícios do Alojamento Conjunto • Favorece o relacionamento e o fortalecimento do vínculo da mãe com seu bebê, proporcionando satisfação, tranquilidade e confiança a ambos, além de ajudar a mãe a exercer com mais segurança a sua função • Permite que os pais observem constantemente o seu bebê, o que contribui para que o conheçam melhor e possibilita informarem qualquer anormalidade à equipe médica • Oferece condições à equipe de enfermagem para melhor orientar os pais e realizar demonstrações práticas dos cuidados indispensáveis ao recém-nascido • Possibilita aos pais saírem da maternidade conhecendo as principais necessidades de seu bebê e sabendo realizar os cuidados básicos • Facilita o contato com o pediatra por ocasião das visitas médicas ao recém-nascido, para troca de informações e esclarecimento de dúvidas • Promove a participação do pai na interação e nos cuidados com o bebê, propiciando a união da família • Favorece a amamentação, pois o recém-nascido tem sua mãe a seu lado o tempo todo • Diminui o risco de infecção hospitalar, pois é a mãe que tem o contato mais íntimo com o seu bebê Cruz Azul de São Paulo 7

[close]

p. 8

Cruz Azul em detalhe “... segurança e agilidade na prestação de serviços para as equipes médicas e de enfermagem...“ Correio pneumático é sinônimo de segurança e agilidade O correio pneumático do Hospital Cruz Azul, também conhecido como “sistema de transporte pneumático” e “tubulações de Lamson”, é uma rede de tubos para o envio de recipientes (cápsulas) com medicamentos e materiais por meio de ar comprimido. A tecnologia apresenta diversas vantagens, como segurança e agilidade na prestação de serviços para as equipes médicas e de enfermagem, que se refletem na qualidade de atendimento aos pacientes. O correio pneumático da Cruz Azul funciona na área do Centro de Terapia Intensiva (CTI) Adulto. Diariamente, o equipamento transporta cerca de 3 mil itens e representa significativa economia de tempo em cada serviço realizado. Como funciona O médico ou a enfermagem insere a prescrição de medicamentos ou solicitação de materiais no sistema de dados do Hospital. Ao receber a informação, o serviço de farmácia confere o pedido e prepara a cápsula. A entrega no local onde se encontra o paciente é realizada em poucos segundos. 8 Revista Saúde em Primeiro Lugar - N° 2 - Junho/2014

[close]

p. 9

Saúde no Brasil Celular interfere em equipamentos hospitalares e pode alterar diagnóstico A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realizou estudo pioneiro que comprovou a interferência da radiação eletromagnética (REM) de celular em equipamentos hospitalares. A pesquisa não é nova. É de 2004, mas de grande valor na atualidade. Durante a análise, os medidores de pressão foram muito afetados pela radiação. Os aparelhos indicaram pressão baixa em pacientes com diagnóstico de pressão alta. Monitores cardíacos, respiradores de bomba de infusão (para administração de medicamento) e oxímetros (que fazem a leitura da saturação do oxigênio no sangue) também apresentaram alterações durante a pesquisa. Na indústria Por analogia, também devem ser considerados os smartphones, notebooks e tablets. No entanto, muitos dos novos aparelhos não apresentam risco, segundo especialistas, pois a indústria de tecnologia de comunicação tem se empenhado em projetos para minimizar as ondas eletromagnéticas. Como o assunto ainda é “nebuloso”, pois não temos certeza de quais aparelhos são perigosos ou não, o melhor é sempre mantê-los desligados em locais de risco. Nos hospitais Nem todos os hospitais estão atentos ao perigo do eletromagnetismo em seus ambientes. Outros estão, mas seus avisos (placas), muitas vezes, não são percebidos ou levados em consideração. Por isso, é preciso enfatizar que todos – profissionais de Saúde, funcionários, pacientes, acompanhantes e visitantes – devem manter seus aparelhos desligados nos locais em que estiverem presentes equipamentos hospitalares sensíveis ao eletromagnetismo. Cruz Azul de São Paulo 9

[close]

p. 10

Saúde no Brasil Parto por cesariana é “normal” demais no País O parto por cesariana é um procedimento cirúrgico tão comum no Brasil que nos surpreendemos ao ouvir que alguém teve um parto, realmente, normal. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as cesáreas não ultrapassem o teto anual de 15%, e desde que o parto normal represente risco para a mãe e/ou bebê. Ocorre que o procedimento cirúrgico não representa tanta segurança quanto muitos imaginam e, na prática, a realidade do País é muito diferente. Na rede privada, o parto cirúrgico atinge a marca de 82% e, na rede pública, 37%. A situação também é considerada preocupante para o Ministério da Saúde, que tem como meta a redução de 10% de cesáreas no País; muito aquém do indicado pela OMS e que enfrenta dois grandes obstáculos: o comodismo e questões de mercado, pois o procedimento cirúrgico é realizado em cerca de duas horas, enquanto que um parto normal pode levar mais de seis horas, e a remuneração dos planos de Saúde pouco difere um do outro. Governo anuncia 8 Centros de Parto Natural em SP São apenas 14 as casas de parto natural no País que atendem pelo SUS, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão, Bahia, Alagoas, Paraná, Ceará, Paraíba e Sergipe. A cidade de São Paulo, com apenas uma casa de parto da rede pública, em breve contará com oito Centros de Parto Natural (CPN): três na zona Leste, dois na zona Oeste, dois na zona Sul e um no Centro da capital. Anunciados em março, os Centros ainda não têm prazo para início das atividades. Segundo o Ministério da Saúde, seis CPNs serão administrados pela prefeitura de São Paulo e dois pelo governo estadual. Cada unidade contará com cinco quartos e terá capacidade de realizar 80 partos/mês. Parto por cesariana: Trata-se de um parto operatório: uso de anestesia e medicamentos indutores/aceleradores, corte abdominal e limpeza da cavidade uterina. Parto Normal: São realizados alguns procedimentos e utilizados anestesia e medicamentos. Parto Natural: Não são realizadas intervenções; o médico somente acompanha o parto. 10 Revista Saúde em Primeiro Lugar - N° 2 - Junho/2014

[close]

p. 11

Saúde no Brasil SUS: um sistema que gera elogios e críticas O Sistema Único de Saúde (SUS), criado em 1988, é considerado um dos maiores sistemas de atendimento médico público do mundo e seu objetivo é oferecer acesso gratuito à Saúde, um direito constitucional de todo cidadão. Antes do SUS, apenas 30 milhões de brasileiros tinham acesso ao serviço federal de Saúde Pública, que era de responsabilidade de vários ministérios e gestão exclusiva do Poder Executivo Federal. Com a unificação do sistema, o número passou, automaticamente, para 70 milhões e, com a descentralização, Estados e Municípios assumiram a sua administração. Hoje, teoricamente, pouco mais de 200 milhões de brasileiros têm direito ao SUS (mais de 75% da população depende, exclusivamente, do sistema), que dispõe de 6,5 mil hospitais credenciados, 45 mil unidades de atenção primária e 33 mil Equipes de Saúde da Família. O sistema realiza, anualmente, 2,8 bilhões de procedimentos ambulatoriais, 19 mil transplantes, 236 mil cirurgias cardíacas, 9,7 milhões procedimentos de quimioterapia e radioterapia e 11 milhões de internações. Elogios ao SUS As realizações mais reconhecidas do SUS são a criação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Políticas Nacionais de Atenção à Saúde da Mulher, de Humanização do SUS e de Saúde do Trabalhador, assim como a realização de transplantes pela rede pública e programas de vacinação em massa de crianças e idosos em todo o País. Internacionalmente, podemos dizer que o SUS está muito bem. O sistema de Saúde Pública do País é considerado referência pelo Banco Mundial e também é muito elogiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e Organização Mundial da Saúde (OMS). Críticas ao SUS O Conselho Federal de Medicina, há anos, é um severo crítico da forma como o SUS é conduzido. Para a entidade, o modelo assistencial universal sofre de um processo histórico de sucateamento, pelo baixo investimento e falta de uma administração com visão estrutural. Críticas e acusações generalizadas ao sistema, ou melhor, à gestão, são fartas nos setores oposicionistas e entre aqueles que se dizem, simplesmente, pró-SUS. Apesar de serem, veementemente, rebatidas pelo governo, certamente serão muito repetidas nos palanques das próximas eleições, nas mídias tradicionais e, claro, nas redes sociais. Recorde de ressarcimento Nos últimos três anos, o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) registraram recordes de ressarcimento dos operadores de planos de Saúde ao SUS. Entre 2011 e 2013, foram devolvidos R$ 322 milhões. Em 2013, R$ 167 milhões. Assim, o governo recuperou, nestes três anos, quase três vezes mais recursos do que foi arrecadado desde a criação da ANS. Segundo o governo, o crescimento da restituição é resultado do aperfeiçoamento de processos de gestão, contratação de servidores, expansão do Cartão SUS, a inscrição das operadoras em dívida ativa e cobrança de 483 mil internações desde 2011. Cruz Azul de São Paulo 11

[close]

p. 12

Saúde no Brasil Novo vírus pode chegar durante a copa Os mosquitos vetores da dengue, Aedes aegypti e Aedes albopictus, serão os transmissores do vírus Chikungunya – responsável pela febre chikungunya ou artrite epidêmica chikunguny – quando ele chegar, segundo previsões, durante a Copa do Mundo. A doença é muito presente na Ásia e Caribe. O alerta é de uma equipe de pesquisadores franceses e brasileiros (inclusive do Instituto Oswaldo Cruz) que, recentemente, publicou estudo sobre o tema no Journal of Virology, da Sociedade Americana de Microbiologia. Os especialistas afirmam ainda que é grande o risco da nova doença se transformar em uma séria epidemia nas Américas. O “gatilho”, ponderam, poderá ser a Copa no Mundo no País (12/6 a 13/7), com a chegada de estrangeiros infectados pelo Chikungunya, que na língua Maconde (África Oriental) significa “contorcer-se”. Sintomas O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos informa que a mortalidade da doença é de uma pessoa para cada mil. Os sintomas característicos, que podem ser confundidos com dengue, são: febre aguda (de dois a cinco dias), dor articular grave (risco de se tornar permanente), dores musculares, dor de cabeça, náuseas, mal-estar e manchas vermelhas pelo corpo. Como no caso da dengue, não existe medicação específica para o Chikungunya, apenas para o alívio do quadro clínico. Parte dos infectados desenvolvem a forma crônica, cujos sintomas duram de seis meses a um ano. USP cria aparelho que detecta dengue em 20 minutos Pesquisadores do Instituto de Física de São Carlos, da Universidade de São Paulo (USP), criaram aparelho portátil capaz de detectar o vírus da dengue em 20 minutos, a partir dos primeiros sintomas. Atualmente, o diagnóstico de dengue somente é possível após o sexto dia e, muitas vezes, os sintomas são confundidos com outras doenças. A demora na detecção também pode levar à reincidência e, inclusive, à morte. O novo aparelho da USP é capaz de identificar a concentração da proteína NS1, produzida pelo vírus, nos primeiros dias. O dispositivo é similar ao utilizado para a medição de glicemia. A descoberta será muito útil em todos os postos de Saúde do País, especialmente em localidades remotas, que precisam encaminhar o sangue dos pacientes para testes em grandes centros. A previsão é que o aparelho chegue ao mercado dentro de um ano e, segundo os pesquisadores, deverá custar entre R$ 100,00 e R$ 200,00. Valor extremamente irrisório quando comparado ao benefício. 12 Revista Saúde em Primeiro Lugar - N° 2 - Junho/2014

[close]

p. 13

Saúde no Brasil Copa do Mundo e frio motivam Muitos hemocentros e bancos de sangue redobraram seus esforços por doadores durante o 2º trimestre de 2014. Isto deve manter-se por mais algum tempo, pois é comum este tipo de iniciativa nos períodos de frio (outono e inverno) e, ainda mais, durante copas do mundo. Entre os motivos, o fato das doações diminuírem 30% nas baixas temperaturas e 40% durante os períodos de copa. Como a de 2014 acontece aqui, a queda de doações pode campanhas de doação de sangue se intensificar se não forem realizadas campanhas de conscientização. Atualmente, 1,9% da população brasileira doa sangue. Apesar de corresponder aos parâmetros da Organização Mundial da Saúde (OMS), a taxa não atende às necessidades do País. Ao ano, são coletados 3,6 milhões de bolsas de sangue. O ideal seria 5,7 milhões, pois a população brasileira cresceu e os transplantes também: 118% em 10 anos. Alguns hemocentros em São Paulo Hemocentro da Santa Casa de São Paulo R. Marquês de Itu, 579 | Vila Buarque Fundação Pró-Sangue Posto Clínicas Av. Enéas Carvalho Aguiar, 155 - 1º andar | Cerqueira César Banco de Sangue Paulista Unidade Central – Vila Nova Conceição R. Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 46 | Vila Nova Conceição Posto Dante Pazzanese Av. Dr. Dante Pazzanese, 500 | Ibirapuera Posto Mandaqui R. Voluntários da Pátria, 4.227 | Mandaqui Filial Santo Amaro R. Iguatinga, 382 | Santo Amaro Posto Pedreira R. João Francisco de Moura, 251 | Campo Grande Quem pode doar • Ter entre 18 e 65 anos • Pesar mais de 50 kg • Sentir-se bem, com boa saúde • Não estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação • Apresentar documento com foto, válido em todo o Território Nacional Quem não pode doar • Quem teve diagnóstico de hepatite após os 10 anos de idade • Mulheres grávidas ou que estão amamentando • Quem está exposto a doenças transmissíveis pelo sangue, como AIDS, hepatite, Doença de Chagas e sífilis • Quem é usuário de drogas • Pessoas que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativos Mais detalhes devem ser obtidos nos próprios hemocentros ou bancos de sangue Cruz Azul de São Paulo 13

[close]

p. 14

Avanços da saúde Cinta para dar movimento Mãe cria equipamento de mobilidade para filho com paralisia cerebral É fato que mães fazem tudo pelos filhos. Devido à necessidade, algumas vão muito além e põem a criatividade para funcionar. Um bom exemplo é Debby Elnatan, uma mãe israelense que surpreendeu até mesmo especialistas com a sua invenção, o Firefly Upsse, um equipamento de mobilidade criado para o seu filho, Rotem, com paralisia cerebral. O equipamento consiste em um colete que é colocado na criança e nas pernas do adulto. As sandálias da criança também são acopladas aos calçados do acompanhante. A criança fica na frente e acompanha o andar do adulto. O equipamento, que será lançado mundialmente por uma empresa da Irlanda do Norte, não permite completa autonomia à criança, mas faz com que tenha boas sensações e oportunidade de interação. Acreditase também que o Firefly Upsse será muito útil para o desenvolvimento dos portadores de paralisia cerebral a médio e longo prazos. 14 Revista Saúde em Primeiro Lugar - N° 2 - Junho/2014

[close]

p. 15

Avanços da saúde Impressora 3D a serviço da medicina Mulher recebe prótese de crânio feito em impressora 3D. Homem tem rosto reconstruído por impressora 3D. Impressora 3D poderá sintetizar órgãos. Estas são algumas das manchetes de jornais, revistas, portais e blogs de todo o mundo sobre a tecnologia que está revolucionando diversos campos do saber, como ciência, artes e tecnologia Torna-se muito difícil tentar descrever o que uma impressora 3D pode fazer, pois quanto mais pesquisamos, mais descobrimos novidades sobre esta tecnologia que permite inúmeras inovações, especialmente no campo da medicina. O equipamento ganha, cada vez mais, espaço na medicina. Diversos avanços são registrados todos os dias e algumas ideias, que seriam bizarras há poucos anos, já estão em estudo, como impressão de células-tronco embrionárias, vaso sanguíneo, tecido cardíaco, pele, osso e cartilagem, entre muitas outras especulações, pois tudo indica que, até agora, somente conseguimos avistar aponta do iceberg da impressora 3D. O que pesquisadores e especialistas estão fazendo com impressoras 3D Células-tronco Em 2013, no jornal Science, a Universidade de Edinburgh (Escócia) descreveu uma impressora de válvulas capaz de reproduzir células-tronco embrionárias humanas vivas. A esperança é que estas células possam ser usadas para criar tecidos para testes farmacêuticos e, até mesmo, desenvolver órgãos para transplante. Quem criou Tecido cardíaco e vasos sanguíneos A impressora 3D foi criada, em 1983, por Charles Hull, que entrará para o hall da fama de inventores dos EUA, de acordo com a 3D Systems, empresa criada por ele. Hull será homenageado pelo impacto global de sua invenção, que em um primeiro momento foi batizada de “Stereolithography”. O tempo entre a criação da impressora e sua usabilidade atual deve-se, essencialmente, ao barateamento da tecnologia. A impressão de alguns tipos de tecido já é uma realidade. Na Universidade de Missouri (EUA), pesquisadores imprimiram vasos sanguíneos e lâminas de tecidos que batem como um coração de verdade. E, na Alemanha, especialistas produziram vasos sanguíneos por meio da impressão de moléculas biológicas artificiais. Ossos Como funciona A prototipagem rápida ou impressora 3D, como é mais conhecida, realiza o que se convencionou chamar de “fabricação aditiva”. Um modelo tridimensional deve ser criado e seus dados devem ser inseridos no software do equipamento, para compilação e início da impressão da peça, em diversas camadas. A Washington State University (EUA) está produzindo ossos com impressora 3D que utiliza pó de cerâmica para criar estruturas sintéticas. Em seguida, elas recebem uma camada plástica e são revestidas com células ósseas humanas que se reproduzem em 24 horas. Cruz Azul de São Paulo 15

[close]

Comments

no comments yet