06/2015 - Informativo da CUT-VA sobre a greve dos servidores de Timóteo

 

Embed or link this publication

Description

06/2015 - Informativo da CUT-VA sobre a greve dos servidores de Timóteo

Popular Pages


p. 1

Informativo da Regional da CUT no Vale do Aço - Julho/2015 PREFEITURA DE TIMÓTEO DESRESPEITA SERVIDORES Além de não atender reivindicações da categoria, administração municipal fere liberdade e autonomia sindical Em greve há 12 dias, os servidores municipais de Timóteo ainda não tiveram suas reivindicações atendidas pela Prefeitura Municipal de Timóteo (PMT). A negociação iniciada em 23/04/15 contou com a flexibilidade da categoria que aceitou reduzir o índice de reajuste reivindicado de 16,62% para 8,34% e o vale alimentação de R$200 para R$150. Por outro lado, a administração municipal não se propôs a pagar esse índice de imediato. Os 8,34% de reajuste, que representariam a recomposição das perdas salarias de 1º/05/2014 a 30/04/2015, confor me a contraproposta da PMT seriam pagos em três parcelas, a partir de novembro de 2015. Ou seja, não consideraria os valores retroativos à data-base da categoria que é 1º de maio. Para completar sua atitude intransigente, a PMT impetrou, no dia 12/06/15, na 1ª Vara da Comarca de Timóteo uma ação preventiva contra o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINSEP), conhecida como “interdito proibitório”. A ação foi proposta sob alegação de que o SINSEP estaria impedindo os servidores de entrar no local de trabalho, dificultando o acesso do contribuinte aos setores da Prefeitura e perturbando a ordem pública com o carro de som e fogos de artifício. Fatos que não ocorreram. Caso o Sindicato descumpra o interdito proibitório poderá ser penalizado com multa diária no valor de R$30 mil. Essa medida ataca diretamente a liberdade e autonomia sindical já que impede a entidade sindical de exercer o seu papel de representar os interesses da categoria. Nem mesmo as empresas mais reacionárias têm usado desse instrumento jurídico para impedir a manifestação dos trabalhadores. indeterminado Em assembleia realizada no dia 02/06/2015, os servidores decidiram paralisar suas atividades a partir do dia 08/06/2015 por tempo indeterminado até que a PMT atendesse suas reivindicações. Aproximadamente 50% da categoria, composta por cerca de dois mil trabalhadores, aderiu ao movimento grevista, mesmo sob “ameaça” da administração de corte dos dias parados e de contratação ilegal. Conforme divulgado na imprensa regional, o SINSEP tem denunciado o procedimento irregular da PMT de colocar estagiários, acompanhantes de pessoas com deficiência e até alunos para substituir os grevistas. Com essa postura inflexível da administração municipal não são apenas os trabalhadores do serviço público que perdem. A população também fica prejudicada já que a desvalorização do servidor afeta consequentemente a prestação de serviços. Por esse motivo, uma das formas do contribuinte lutar por uma cidade melhor é também se solidarizando com os servidores. Durante esses dias de paralisação, o SINSEP tem promovido caminhadas, carreatas e panfletagens para deixar claro para os cidadãos que a negociação só não tem avançado por intransigência da PMT. Participe você também dessas atividades, para que a administração municipal reabra as discussões e demonstre mais respeito por aqueles que trabalham para servir à população. Greve por tempo

[close]

Comments

no comments yet