Boletim Municipal nº232

 

Embed or link this publication

Description

Atividade do Município de Aljustrel / Câmara Municipal de Aljustrel

Popular Pages


p. 1

ALJUSTREL BOLETIM MUNICIPAL JUNHO 2015 232 Município 03 Município 04 Desenvolvimento 06 Juventude 19 Município 22 Dia da Criança festejado no novo espaço de desporto e lazer de Aljustrel As comemorações, que tiveram lugar nos novos Parque Desportivo e Jardim Público, marcaram a abertura oficial à população destes dois espaços, cujas obras de reabilitação estão em fase de conclusão. Novos Planos de Pormenor para mais e melhores empresas Os espaços disponíveis para instalação de novas empresas, ou para expansão das existentes, foram estrategicamente escolhidos em todas as freguesias do concelho de acordo com as suas características. Jornadas do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação A inovação, a sustentabilidade, a atratividade, o empreendedorismo e o financiamento foram os temas de um ciclo de cinco iniciativas que reúnem entidades oficiais, especialistas e empreendedores. Alunos do concelho constituíram Assembleia Municipal Jovem A assembleia pretende ser um espaço onde os jovens do concelho possam apresentar e debater necessidades e aspirações da vida local e interiorizar os valores democráticos da participação política ativa. Programa Viva Aljustrel está de volta Este é um programa de verão que articula vários serviços municipais (Desporto, Biblioteca, Museu, Educação, entre outros), de modo a que as crianças e jovens do concelho possam ocupar os seus tempos livres nas férias.

[close]

p. 2

02 Aljustrel | Boletim Municipal | junho 2015 Aljustrel é um concelho amigo do investimento e das pessoas O desenvolvimento económico tem sido para o atual executivo da câmara municipal uma prioridade, porque o entendemos como um dos principais fatores promotores da criação de emprego e de distribuição de riqueza. Por isso, dinamizámos, nos últimos anos, uma relação muito próxima com as empresas e as associações empresariais já instaladas no nosso território e com os empreendedores que nos procuram com a intenção de investir na nossa terra. Nelson Brito Editorial Presidente da Câmara P rova que Aljustrel é um concelho amigo do investimento e das pessoas é a recente aprovação da nova versão do PDM, documento que prevê zonas de localização empresarial em todas as freguesias do concelho. São mais de 60 hectares de localizações qualificadas para receber empresas, para as quais o município já se encontra a elaborar, em conjunto com parceiros públicos e privados, os respetivos Plano de Pormenor, que facilitarão estas instalações. Todo este esforço tem como fim último responder ao grande desafio que se coloca ao nosso concelho e à região - estancar a sangria demográfica que nos afeta há décadas. Mas, tal só é possível de concretizar com a diversificação da base económica local. Aljustrel é, historicamente, dependente da sua principal atividade económica, a mina, que neste momento é o principal motor da economia do concelho, empregando muitas centenas de pessoas, produzindo e distribuindo riqueza. Mas a atividade extrativa, apesar da sua enorme importância, não pode ser, de forma alguma, o único pilar da economia local. Temos mais para dar e temos a obrigação de ex- plorar esse potencial. Destingimo-nos, desde logo, pela nossa centralidade, junto a um nó da A2, que liga Lisboa/Algarve. Este posicionamento geográfico estratégico deverá contribuir para potenciar o enorme investimento público instalado ao nível da agricultura, com a finalização do projeto de Alqueva no nosso concelho, que ficará concluído em breve. Disporemos de mais de 20 mil hectares de áreas agrícolas irrigáveis, quando, no início da década de 70, começámos com apenas 300 hectares. Trata-se de uma revolução neste sector que o município acompanha ativamente e que se pretende, no futuro, alie o elo da produção, aos elos da transformação e da distribuição. Queremos fixar no nosso território as mais-valias resultantes de toda a cadeia de valor do negócio associado aos produtos agrícolas – o chamado agronegócio. Este é o grande desafio que estamos a lançar na Feira do Campo Alentejano 2015 – criar mecanismos para fixar a agroindústria no nosso território. Começamos igualmente a ganhar expressão ao nível turístico, com a captação, nos últimos anos, de importantes investimentos no sector da hotelaria, que geraram sinergias importantes e que contribuíram para trazer mais visitantes e turistas às nossas terras. Neste domínio, estamos a construir com os nossos parceiros, incluindo a empresa Almina, a EDM – Empresa de Desenvolvimento Mineiro, o LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia, entre outros, o Parque Mineiro de Aljustrel. Projeto que, para além da obrigação que tem para com a comunidade de preservação do nosso património, reúne as condições para se tornar num atrativo lúdico/turístico virado para fora do nosso concelho, aliando igualmente os pilares do ambiente, da formação, da investigação e da ciência, num todo coerente que só uma terra com a tradição mineira de Aljustrel pode oferecer. E continuamos a trabalhar cada vez com mais afinco. Com início no passado dia 15 de maio e conclusão a 12 de junho, o Município de Aljustrel promoveu as Jornadas do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação. Esta iniciativa inovadora teve como principal objetivo parti- lhar experiências, apresentar casos de empreendedorismo e discutir os principais desafios que se colocam a quem pretende investir e desenvolver projetos inovadores no Concelho de Aljustrel. Estas jornadas foram o reflexo daquele que nós entendemos deve ser o caminho a percorrer pelo nosso concelho. A inovação, a sustentabilidade, a atratividade, o empreendedorismo e o financiamento foram os temas de um ciclo de cinco iniciativas que reuniram entidades oficiais, especialistas, empreendedores dos vários sectores de atividade e população em geral. Os resultados deste trabalho animam-nos e responsabilizam-nos. Estamos, pois, cada vez mais convictos das virtudes da nossa aposta no desenvolvimento económico, enquanto fator promotor da criação de emprego e distribuição de riqueza, da mesma forma que continuamos empenhados em valorizar a nossa cultura própria, integrando-a, simultaneamente, numa cultura humanista e universalista. Pretendemos igualmente prosseguir a aposta nos programas sociais de apoio aos mais frágeis e desprotegidos e, principal- mente, em tudo fazer pelo futuro das nossas crianças. São estes os desígnios que queremos vencer em Aljustrel. Temos consciência das dificuldades que o caminho nos reserva, num contexto em que, demasiadas vezes, sentimos que remamos contra a maré que nos chega de Lisboa. Como todos, temos dúvidas. Mas temos ainda mais certezas do potencial imenso que a nossa terra encerra, em particular no que toca à forte identidade que nos diferencia. Termos connosco um passado que nos fortifica. Somos o território mineiro mais antigo do mundo em atividade. Temos atrás de nós 5 mil anos de mineração e transportamos um legado de homens e mulheres de trabalho que nos honra, responsabiliza e que nos dá força para construir um futuro melhor para todos. É imbuídos deste espírito que damos as boas vindas a todos os que, de 12 a 14 de junho, visitem a Feira do Campo Alentejano. Aljustrel é uma terra viva! Bem hajam. FICHA TÉCNICA: Propriedade Câmara Municipal e Aljustrel Sede Avenida 1.º de Maio 7600-010 Aljustrel Telefone 284 600 070 Fax 284 602 055 e-mail geral@mun-aljustrel.pt Site www.mun-aljustrel.pt Diretor Nelson Brito (Presidente da Câmara) Coordenação Marcos Aguiar Redação Mercedes Guerreiro e Artur Martins Fotografia José Tomás Máximo e Mercedes Guerreiro, Projeto Gráfico e Paginação Adriana Vieira da Silva Impressão Gráfica Funchalense Periodicidade Trimestral Tiragem 5500 exemplares ISSN 0874-0275 Depósito Legal 120655

[close]

p. 3

junho 2015 | Boletim Municipal | Aljustrel 03 Jardim Público 25 de Abril Parque Desportivo e Jardim Público Crianças festejaram o seu dia no novo espaço de desporto e lazer de Aljustrel As comemorações do Dia Mundial da Criança, que tiveram lugar no novo Parque Desportivo e Jardim Público marcaram a abertura oficial à população destes dois espaços emblemáticos de desportos e lazer de Aljustrel, cujas obras de reabilitação estão em fase de conclusão. N o dia 1 de junho, a Câmara Municipal de Aljustrel, em colaboração com o Agrupamento de Escolas de Aljustrel (AEA), a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel (CPCJA) e a Sociedade Musical de Instrução e Recreio Aljustrelense (SMIRA), comemorou o Dia Mundial da Criança presenteando os mais jovens com diversas atividades lúdicas. As comemorações do Dia Mundial da Criança, que tiveram lugar no novo Parque Desportivo e Jardim Público marcaram a abertura oficial à população destes dois espaços emblemáticos de desportos e lazer de Aljustrel, cujas obras de reabilitação estão em fase de conclusão. Insufláveis, jogos desportivos, pinturas faciais, modelagem de balões com largada dos mesmos, música e muita animação foram os ingredientes desta festa organizada para as crianças. As atividades decorreram das 9h às 16h30, com interrupção à hora de almoço, e destinaram-se a todas as crianças do pré-escolar ao 4.º ano do ensino básico, bem como dos infantários “A Borboleta” (Aljustrel) e CAPI (Messejana). Pelas 18 horas, o público em geral pôde assistir à atuação das turmas infantis e orquestra juvenil da SMIRA. Também integrado nas comemorações do Dia Mundial da Criança, foi promovida no dia 2 de junho, às 21 horas, no auditório da Biblioteca Municipal, a atividade “Educar para a Felicidade”. Assembleia Municipal Resumo das Reuniões 25 de Abril de 2015 No dia 25 de abril de 2015, nas Oficinas de Formação e Animação Cultural, reuniu extraordinariamente a Assembleia Municipal de Aljustrel, tendo como ponto único da ordem de trabalhos a comemoração do quadragésimo primeiro aniversário do 25 de Abril de 1974. Na abertura da sessão, o presidente da Assembleia, Francisco Mestre, proferiu algumas considerações, seguido do membro, Pedro Formoso, em representação do grupo do Partido Socialista, e do membro, António José Godinho, representante do grupo da Coligação Democrática Unitária. O presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, Nelson Brito, discursou em seguida, cabendo o encerramento da sessão ao presidente da Assembleia. 30 de abril de 2015 A 30 de abril de 2015, na Sala de Sessões do Edifício dos Paços do Concelho, reuniu ordinariamente a Assembleia Municipal de Aljustrel. Não se tendo registado intervenções no período reservado ao público, passou-se à apreciação e votação dos documentos de prestação de contas do exercício do ano de 2014, tendo a Assembleia deliberado a sua aprovação, com 12 votos a favor da bancada do PS e 7 abstenções da bancada da CDU. Passou-se de seguida à apreciação e votação da 1ª Revisão às Grandes Opções do Plano e do Orçamento, que foram aprovadas por unanimidade, o mesmo acontecendo com o ponto seguinte referente à autorização para abertura de procedimentos concursais. O ponto seguinte da ordem de trabalhos, apreciação e votação do Acordo de Pagamento com as Águas Públicas do Alentejo (AGDA), foi aprovado por maioria, com a abstenção da bancada da CDU. Posto à votação o ponto seguinte, apreciação e votação das alterações ao Contrato Interadministrativo de delegação de competências celebrado com a União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos, a Assembleia Municipal deliberou por unanimidade aprovar a proposta. Não tendo havido inscrições no 2º período para intervenção do público, o presidente da Assembleia encerrou os trabalhos. Atuação da SMIRA Insufláveis Alegria das crianças Município

[close]

p. 4

04 Aljustrel | Boletim Municipal | junho 2015 Assinatura do acordo para o Plano de Pormenor da Mancoca Objetivo: Tem como objetivo promover a constituição de uma Rede Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação ajustada ao perfil produtivo regional e às dinâmicas económicas regionais, fomentadora da competitividade empresarial e respondendo aos desafios da modernização e qualificação da base económica regional. A sua proximidade com uma das empresas de maior envergadura do concelho (de exploração mineira) permitirá também o desenvolvimento das atividades estratégicas emergentes diversificando e qualificando a base económica e afirmando novos sectores de especialização regional. • Consolidação e conclusão das infraestruturas de apoio ao empreendedorismo – malha ferro Objetivo: A elaboração deste plano decorre da necessidade de aumentar a zona industrial de Aljustrel, uma vez que, atualmente, a zona existente, se encontra completamente preenchida. A expansão da zona industrial de Aljustrel permitirá consolidar e concluir as infraestruturas de apoio ao empreendedorismo. O desenvolvimento deste plano de pormenor pode contribuir para uma melhoria qualitativa da base económica local, através do incremento da inovação e do desenvolvimento tecnológico nas empresas, da valorização económica dos recursos e das produções regionais. • Infraestruturas de apoio de acolhimento para empresas, localizado no Espaço de Atividades Económicas de Ervidel Objetivo: A oportunidade de elaboração deste Plano decorre da necessidade de criar condições para possibilitar o Ordenamento do território Novos Planos de Pormenor, para mais e melhores empresas Os espaços disponíveis para instalação de novas empresas, ou para expansão das existentes, foram estrategicamente escolhidos de acordo com as suas características e as da sua envolvente. Município O Município de Aljustrel, concluído que está o processo de revisão do PDM - Plano Diretor Municipal, encontra-se, nesta fase, a elaborar vários PP - Plano de Pormenor que preconizem propostas de ocupação da área do território municipal, nomeadamente no que diz respeito à ampliação e edificação de áreas de localização empresarial previstas no PDM. O PDM é um instrumento de planeamento de ocupação, uso e transformação do terri- tório municipal, pelas diferentes componentes sectoriais das atividades nele desenvolvidas e contempla ainda toda a programação das realizações e investimentos municipais. Constitui uma síntese estratégica do desenvolvimento e ordenamento local, integrando as opções de âmbito nacional e regional. Por sua vez, um PP desenvolve e concretiza propostas de organização espacial para qualquer área específica do município, define com pormenor a forma de ocupação e serve de base aos projetos de execução das infraestruturas, da arquitetura dos edifícios, entre outros, tendo em conta as prioridades estabelecidas no PDM. Pode então dizer-se que o PDM é um instrumento de carácter geral de ordenamento do território do município, enquanto que os PP são instrumentos de execução que especificam, quando necessário, a forma como serão atingidos os objetivos definidos no PDM. Na sessão pública de Câmara do passado dia 29 de abril de 2015, foi deliberado dar início ao procedimento para concre- tização dos PP e aprovados os termos de referência de cada um dos planos supracitados. Neste sentido, os espaços disponíveis para colocação de novas empresas, ou para expansão das existentes, foram estrategicamente escolhidos de acordo com as suas características e as da sua envolvente. Assim, para cada um dos espaços indicados foram definidos os seus principais objetivos: • Parque de investigação, tecnologia e desenvolvimento de Aljustrel, localizado a Sul do +25 1.Parque de investigação, tecnologia e desenvolvimento de Aljustrel, localizado a Sul do +25 2.Consolidação e conclusão das infraestruturas de apoio ao empreendedorismo – malha ferro

[close]

p. 5

junho 2015 | Boletim Municipal | Aljustrel 05 3.Infraestruturas de apoio de acolhimento para empresas, localizado no Espaço de Atividades Económicas de Ervidel 6.Parque empresarial e logístico da Mancoca desenvolvimento de novas atividades económicas, potenciando a mais-valia que resulta da exploração agrícola existente nas suas imediações. Outro aspeto importante que ressalta é a sua proximidade com uma vasta zona de regadio com ligação à infraestrutura do Alqueva. • Infraestruturas de apoio de acolhimento para empresas, localizado no Espaço de Atividades Económicas em Rio de Moinhos Objetivo: A oportunidade de elaboração deste Plano decorre da necessidade de criar condições para possibilitar o desenvolvimento de novas atividades económicas, potenciando a mais-valia que resulta da exploração agrícola existente nas suas imediações. Outro aspeto importante que ressalta é a sua proximidade com uma vasta zona de regadio com ligação à infraestrutura do Alqueva. • Infraestruturas de apoio de acolhimento para empresas, localizado no Espaço de Atividades Económicas no Carregueiro Objetivo: Permitirá criar condições para possibilitar o desenvolvimento de atividades económicas, num dos eixos do triângulo Castro-Verde – Aljustrel - Beja. A mais-valia que resulta desta localização decorre da proximidade de uma linha de caminho-de-ferro, atualmente desativada, mas que no futuro poderá ser reaberta e o facto de se situar entre duas explorações mineiras de grande importância para a região. • Parque empresarial e logístico da Mancoca Objetivo: O Plano de Pormenor do Parque Empresarial e Logístico da Mancoca, dotado de uma localização privilegiada, junto ao acesso à A2, permitirá abrir a Região ao exterior através da constituição de um Sistema Regional de Logística Empresarial, que contribua para dotar a região de condições de elevada qualidade de atracão de empresas e de desenvolvimento empresarial, reforçando o potencial de desenvolvimento regional, ancorado na plataforma logístico-industrial de Sines e no aeroporto de Beja. Procurará igualmente concorrer para a sustentabilidade económica das produções agroflorestal e agroindustriais e diversificar e valorizar as produções regionais. • Centro Tecnológico e Agroalimentar do Roxo Objetivo: A elaboração deste plano tem como principal objetivo possibilitar o desenvolvimento de atividades económicas maioritariamente associadas às explorações agrícolas e ao regadio, potenciando a mais-valia que resulta desta simbiose. A proposta de Plano permitirá um tratamento mais detalhado ao nível da implantação de edifícios afetos ao desenvolvimento de atividades industriais, armazenagem e logística, ligadas preferencialmente ao aproveitamento de produtos agrícolas e florestais, e definirá complementaridades com os espaços agrícolas. Assinatura do acordo com a AB Roxo 5.Infraestruturas de apoio de acolhimento para empresas, localizado no Espaço de atividades económicas no Carregueiro Município

[close]

p. 6

06 Aljustrel | Boletim Municipal | junho 2015 Jornadas do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação Desenvolvimento Aljustrel, um concelho amigo do investimento e das pessoas A inovação, a sustentabilidade, a atratividade, o empreendedorismo e o financiamento foram os temas de um ciclo de cinco iniciativas que reuniram entidades oficiais, especialistas e empreendedores dos vários sectores de atividade. Município de Aljustrel, assente numa estratégia de construção de políticas públicas que tornem os territórios nas baixas densidades mais atrativos, desenvolveu, entre maio e junho do presente ano, um programa diversificado de iniciativas dedicadas ao empreendedorismo, à competitividade e à inovação. O Esta iniciativa teve como objetivo partilhar experiências, apresentar casos de empreendedorismo e discutir os principais desafios que se colocam a quem pretende investir e desenvolver projetos inovadores no Concelho de Aljustrel. A inovação, a sustentabilidade, a atratividade, o empreendedorismo e o financia- mento foram os temas de um ciclo de cinco iniciativas que reuniram entidades oficiais, especialistas e empreendedores dos vários sectores de atividade. As jornadas tiveram início no dia 15 de maio, com a 2.ª edição das Conferências de Aljustrel, a que se seguiu, no dia 21 de maio, uma iniciativa subordinada ao tema da promoção do concelho e fixação de investidores externos. Os dias 28 de maio e 4 de junho, respetivamente, foram dedicados a projetos locais e novos empreendedores e a projetos de desenvolvimento industrial, mineiro e turístico. As jornadas encerram, no dia 12 de junho, coincidindo com o início da 15ª Feira do Campo Alente- jano, com o 5º Encontro Regadio e Sustentabilidade. Face aos resultados positivos da iniciativa, o município já assumiu que a mesma passará a ter um carácter anual, pelo que a reedição das Jornadas do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, em 2016, está garantida. Cine Oriental Conferências de Aljustrel 2015 Novo êxito com pistas para o futuro S egundo as opiniões da generalidade de conferencistas, moderadoras, comentadores e participantes, as Conferências de Aljustrel – edição 2015 constituíram de novo um êxito, quer pela qualidade informativa, formativa e reflexiva, quer pelas energias positivas geradas e pistas de orientação para intervenções em prol de se construir Territórios Atrativos nas Baixas Densidades. De realçar a intervenção de abertura do presidente Nelson Brito da Câmara Municipal de Aljustrel, que bem definiu os desafios e expetativas desta edição. Quanto ao tema do 1º Painel: “Estratégias Atrativas, “Memórias” e Marketing Territorial”, moderado por Ana Paula Figueira, pretendeu-se destacar algumas pistas deixadas por Mário Vale, do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa, segundo o qual “tendo havido um excesso nas in-fraestruturas, hoje há que apostar nos investimentos imateriais, centrando-se na qualificação das instituições locais e regionais e nas pessoas, sabendo conciliar especializações inteligentes, com um largo menu de atividades”. A apresentação do projeto “Festival Bons Sons”, por Luís Ferreira, demonstrou como uma aldeia de mil habitantes se mobiliza e organiza comunitariamente à volta de um projeto autossustentado com um festival que, na edição de 2014, juntou quase 40 mil participantes. Foi “uma lufada de ar fresco e um tónico energético”. No que toca ao tema do 2º Painel : “Contributos da Diáspora – Migrantes Internacionais & Desenvolvimento Local”, moderado pela jornalista Paula Moura Pide investidores externos, contando com visitas às zonas de atividades económicas do Concelho de Aljustrel, ao perímetro de rega do Roxo e às novas áreas para agroindústria e turismo. Os trabalhos iniciaram-se com a apresentação do novo PDM de Aljustrel, mais concretamente das novas zonas empresariais previstas no documento, a cargo da empresa RR Planning, e assinatura dos acordos com vista à elaboração dos respetivos Planos de Pormenor. nheiro, a conferência de Rui Pena Pires, Coordenador do Observatório da Emigração, foi de grande riqueza, tendo desmistificado um conjunto de ideias feitas sobre imigrações em Portugal. Neste painel, as apresentações dos projetos da Associação dos Imigrantes nos Açores (AIPA), pelo cabo-verdiano Paulo Mendes, tornaram visível como o fomento de iniciativas de integração dos imigrantes é importante para as comunidades de destino, mas, também, para os locais. Sara Albino, cofundadora do Projeto Buinho, de Messejana (Aljustrel), cativou pela originalidade da iniciativa empresarial que aposta nas novas tecnologias e numa atração de jovens quadros muito qualificados, sendo que estamos perante um projeto da diáspora, pois Sara nasceu e viveu em Messejana, regressando agora às origens para implementar o projeto. Referir, ainda, o comentário do jornalista Jorge Wemans que fez questão de salientar “que só há territórios atrativos se os que lá vivem se sentem de bem com a sua comunidade” e, por outro lado, “que mais que campanhas de marketing, é fundamental ter-se sempre uma lógica de só criando se conseguem intervenções úteis e eficazes”. Seguiram-se as visitas às Zona de Atividades Económicas de Messejana e da Mancoca, junto ao nó da A2, encerrando a manhã com um almoço com empresários locais e agricultores na Centro Sociocultural de S. João de Negrilhos. A tarde principiou com apresentação do perímetro de rega do Roxo e novas áreas para agroindústria e turismo, numa visita conduzida pelo presidente da A.B. Roxo – António Parreira, concluindo-se os trabalhos na Barragem do Roxo. Da sessão de encerramento, é de destacar a conferência de Fátima Ferreiro (ISCTE) que destacou a relevância do agroflorestal nos TLB rurais, bem como as potencialidades do fator proximidade para projetar iniciativas e empreendimentos sustentáveis. Por outro lado, Miguel Torres (ACERT) encerrou as conferências, como se de uma sessão de abertura se tratasse, pois as Conferências de Aljustrel já se constituíram como uma referência e processo contínuo de congregação de investigadores e agentes/atores que se batem por colocar o “Território” na ordem do dia das agendas políticas e mediáticas. Por último, o presidente da CCDRA, António Dieb, centrou a sua intervenção na necessidade de todos serem rigorosos e corajosos em cumprir com as estratégias e indicadores que foram consensualizados no “Alentejo 2020”, para que as ambiciosas metas acordadas possam ser atingidas. De realçar as diversas e ricas intervenções do público presente, que contribuíram, sobremaneira, para enriquecer os momentos de debate e os resultados da edição 2015 das Conferências de Aljustrel, que regressarão em 2017, assumindo uma periodicidade bianual. Jornada 2- 21 de maio A Fixação de investidores externos no domínio da agricultura e turismo em destaque segunda iniciativa no âmbito das Jornadas do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação aconteceu no dia 21 de maio e foi dedicada à promoção do concelho e fixação Comitiva

[close]

p. 7

junho 2015 | Boletim Municipal | Aljustrel 07 Inauguração da Bicash Inauguração da Berrapack Jornada 3 - 28 de maio Projetos locais, novos empreendedores e projetos de economia social D a parte da manhã, as atividades centraram-se em projetos e iniciativas de cariz empresarial, com a receção às entidades convidadas no CMAME – Centro Municipal de Acolhimento a Micro Empresas. No local foram protocolados processos de fixação de várias empresas no Concelho de Aljustrel. Uma unidade de serralharia civil, com cerca de 50 trabalhadores, que se instalará no Polo Industrial de Aljustrel; uma empresa de abate automóvel, em fase de instalação na Zona de Atividades Económicas de Messejana; seguida de duas microempresas, que irão estabelecer-se no Centro Municipal de Acolhimento a Micro Empresas, uma com um projeto ligado à estética automóvel e outra a operar no ramo da manutenção industrial. Seguidamente foi desenvolvida uma sessão de apresentação das Perspetivas de Financiamento Desenvolvimento Local de Base Comunitária/ Portugal 2020 (Eixo 1), a cargo de Isabel Benedito, em representação da Esdime, e de Luís Castilho, secretário técnico do Alentejo 2020. A manhã encerrou com a inauguração de duas novas empresas localizadas no Pólo Industrial de Aljustrel - uma unidade de produção de embalagens em alumínio, Berrapack (12 postos de trabalho), e um Cash&Carry, BiCash (18 postos de trabalho), ambas pertencentes ao Grupo Biquímicos. As jornadas prosseguiram da parte da tarde com enfoque em projetos de empreendedorismo e inovação social em curso no Concelho de Aljustrel. Do programa constou uma visita à Santa Casa da Misericór- dia de Messejana, onde a comitiva visitou as atuais instalações da instituição, tomando contacto com o projeto de reabilitação e melhorias do lar da 3ª idade existente, bem como com um projeto de ATL em desenvolvimento. Ainda em Messejana, prosseguiu-se com a visita ao projeto do Centro de Apoio à Pequena Infância de Messejana, mais concretamente às obras em curso do novo infantário, da responsabilidade da associação Engenho&Arte, que prevê a instalação de 5 salas, que darão resposta a 65 crianças. A comitiva seguiu para Rio de Moinhos, onde visitou a Instituição de Solidariedade Social desta localidade, a Cocaria, assistindo à apresentação do projeto de Lar da 3ª Idade, que ampliará as valências desta instituição, com a instalação de 18 camas em regime de lar. As visitas foram acompanhadas pelo executivo camarário e técnicos municipais, responsáveis das diversas instituições e técnicos do Centro Distrital da Segurança Social. Jornada 4 – 4 de junho A Apresentação de projetos industriais, ambientais e científicos e descida a galeria mineira e, finalmente, da Reabilitação Ambiental das Zonas Mineiras e Galeria Mineira de Algares da responsabilidade da EDM - Empresa de Desenvolvimento Mineiro. Os trabalhos continuaram com as visitas guiadas às obras do CEGMA, junto ao Bairro Mineiro de Vale d´ Oca, e Visita à Galeria de Algares receção aos convidados e participantes aconteceu na Central de Compressores de Algares, onde foram realizadas as apresentações dos projetos de expansão da empresa Orica; CEGMA – Centro de Estudos Geológicos e Mineiros do Alentejo, a cargo do Laboratório Nacional de Energia e Geologia, à intervenção de Reabilitação Ambiental da Zona de Algares, fechando com “chave de ouro” com uma visita à Galeria Minei- ra de Algares, a cargo da EDM, intervenção em curso que visa a requalificação de uma galeria de mina com uma extensão de 450 metros, com início junto ao Bairro do Plano e final debaixo do Malacate Vipasca. Jornada 5 – 12 de junho O Desafios e Oportunidades do Aproveitamento Hidroagrícola do Roxo em análise Esta iniciativa, que se realiza no dia 12 de junho, integrada na Feira do Campo Alentejano, procura, igualmente, fomentar oportunidades de negócio, atraindo investidores interessados em contribuir com capital e tecnologia; mostrar e divulgar novos produtos; promover a troca de experiências entre profissionais; potenciar o crescimento de novas indústrias na região e incentivar o empreendedorismo associado a esta área económica. Na edição de 2015 é intenção da autarquia debater os “Desafios e Oportunidades do Aproveitamento Hidroagrícola do Roxo”, discutindo as oportunidades para a região nas áreas da agroindústrias e do turismo, tendo como oradores convidados João Cavaleiro Ferreira, da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo; António Parreira e Diogo Zibaia, da Associação de Beneficiários do Roxo; João Abreu, da Vila Galé; Joaquim Banza e João Banza, da Agro - Vale Longo, Lda e Isabel Martins, da Agelepe (Espanha). A moderação ficou a cargo de Isabel Martins, jornalista da revista Vida Rural Município de Aljustrel promove desde 2011 o Encontro Ibérico - Regadio e Sustentabilidade, que visa a promoção da agricultura, do regadio, através da diversificação de culturas, da transformação agroindustrial, do marketing internacional e da aposta em novos mercados. Desenvolvimento

[close]

p. 8

08 Aljustrel | Boletim Municipal | junho 2015 Rua José Saramago Município requalificou rua junto ao lar da 3º idade Futura Rua José Saramago Obras O Município de Aljustrel requalificou a rua do novo lar da 3ª idade da Santa Casa da Misericórdia de Aljustrel. Os trabalhos consistiram na requalificação total desta artéria, colocação de betuminoso, criação de estacionamento e passeios, nivelamento de caixas de esgotos, águas, eletricidade e telecomunicações. Esta rua, que ganhou maior importância com a edificação do lar da 3ª idade, será objeto da colocação de heráldica, passando a designar-se Rua José Saramago, em cerimónia integrada no programa da Feira do Campo Alentejano, agendada para sábado, 13 de junho, pelas 10 horas. Os trabalhos consistiram na requalificação total desta artéria, colocação de betuminoso, criação de estacionamento e passeios, nivelamento de caixas de esgotos, águas, eletricidade e telecomunicações. Administração direta A Uma Câmara com rostos Arranjo urbanístico na entrada de Aljustrel Rebaixamento de passeio no Polo Industrial Limpeza de terrenos no Bairro S. João Execução ramal no Bairro de Vale D’Oca s intervenções da Câmara Municipal no modelo de administração direta são da responsabilidade da divisão técnica do município. As obras são realizadas aplicando meios próprios, ou adquiridos para o efeito, e que se destinam ao seu imobilizado. São exemplos destes trabalhos as pequenas intervenções urbanísticas, os ramais de águas e esgotos, trabalhos de jardinagem, construção civil, entre outras, bem como algumas intervenções de maiores dimensões. Pintura no Museu Municipal Execução de estante em madeira Apoio logístico às comemorações do 25 Abril Apoio logístico à comemoração do 1º de Maio Reparação de bebedouro no Quintal Desportivo Montagem de projetores na locomotiva de Fetais Montagem de quadro elétrico na Praça da Resistência Construção de parque infantil Reconstrução de muro na Avenida 1º Maio Execução de corrimão na sede da SMIRA Delimitação de estacionamentos junto ao Parque de Feiras Manutenção de espaços verdes Rebaixamento de passeio na Rua 5 Outubro em Aljustrel Pavimentos betuminosos em Aljustrel Criação de sala na escola Arranjos exteriores no Parque de Exposições e Feiras Arranjos exteriores no Parque de Exposições e Feiras Construção de floreiras em madeira Reparação de calçada no Estádio Municipal

[close]

p. 9

junho 2015 | Boletim Municipal | Aljustrel 09 Jardim Público 25 de Abril Antigo Lar da 3.ª Idade Parque Desportivo foi também totalmente requalificado População de Aljustrel dispõe de um novo Jardim Público Neste momento, com a totalidade das obras exteriores praticamente concluídas, a Câmara Municipal de Aljustrel está a proceder à recuperação dos edifícios existentes no antigo Jardim 25 de Abril, nomeadamente do Posto de Turismo e do antigo Lar da 3.ª Idade Criança. Neste momento, com as obras exteriores praticamente concluídas, a Câmara Municipal de Aljustrel está a procecultura. Obras de decoração e de beneficiação do edifício, constituído por dois pisos, vão ser realizadas no sentido de aqui se levarem a cabo as atividades ligadas às artes visuais desenvolvidas por este núcleo. O rés-do-chão contará com três salas para os ateliers de artes plásticas, uma O novo Parque da Vila de Aljustrel abriu oficialmente ao público no dia 1 de junho, por ocasião das comemorações do Dia Mundial da der à recuperação dos edifícios existentes no antigo Jardim 25 de Abril, nomeadamente do Posto de Turismo e do antigo Lar da 3.ª Idade. Estas obras, grande sala de exposição permanente sobre os fundadores da República ligados a Aljustrel, nomeadamente Manuel de Brito Camacho, uma sala para exposições temporárias mais alternativas e abrangentes, que tanto poderão ser de artistas conceituados como de todas financiadas a 85 % pelo Feder, fazem parte integrante da candidatura do Parque da Vila de Aljustrel, aprovada no âmbito do INAlentejo. as pessoas que tenham vontade de exprimir a sua veia artística. Haverá igualmente um pequeno bar de apoio e sanitários. O primeiro andar, será transformado num “hostel” aproveitando-se os quartos e instalações sanitárias já existente. Esta residência destina-se a receber artis- Concluídas as intervenções previstas, o antigo Lar da 3.ª Idade irá albergar, entre outras valências, a “Casa das Artes”. CASA DAS ARTES O antigo edifício do Lar da 3.ª Idade vai muito brevemente acolher a “Casa das Artes” de Aljustrel. O Núcleo de Artes Visuais de Aljustrel foi a entidade convidada para dinamizar este espaço que será totalmente dedicado à tas ou visitantes convidados a dinamizar alguma atividade artística em Aljustrel. Este espaço poderá constituir-se como um prolongamento do alojamento das Oficinas. A “Casa das Artes” foi concebida para tentar cativar para as artes público de todas as faixas etárias. CAPI Messejana vai ter em breve novo Centro de Apoio à Pequena Infância para 65 crianças Concelho de Aljustrel vão poder ser recebidas num espaço muito agradável, totalmente renovado e mais adequado às suas atividades. O novo CAPI vai dispor de 5 salas para creche e pré-escolar, com capacidade para acolher 40 crianças em creche e 25 crianças em pré-escolar. Obras do CAPI A s obras de adaptação e ampliação do novo Centro de Apoio à Pequena Infância (CAPI) de Messejana estão na reta final. Dentro de pouco tempo, as crianças desta vila do Localizado na antiga escola primária de Messejana, o edifício foi cedido à Engenho &Arte pelo município de Aljustrel. Em agosto do ano passado, foi assinado o ato de consignação das obras, que representam um investimento de 392 mil euros, a que acresce o investimento em novo equipa- mento, totalizando um montante global de 427 mil euros. Este projeto é cofinanciado pelo INAlentejo em cerca de 330 mil euros, a que se junta um apoio financeiro de 45 mil euros dado pela Câmara Municipal de Aljustrel. Potencial turístico do concelho N Projeto do Parque de Campismo do Roxo vai ser apresentado no decorrer da Feira do Campo produto turístico com potencial para cativar dinâmicas próprias do turismo de natureza, náutico e de aventura, com três valências: apartamentos, parque de campismo e parque de caravanismo, beneficiando de atividades conexas de animação centradas na albufeira e no rico sistema ecológico que a rodeia. Junto ao espelho de água será criado um centro náutico, com restaurante panorâmico. A Barragem e Albufeira do Roxo localizam-se no Baixo Alentejo, na Bacia do Sado, numa posição de charneira entre Beja e Aljustrel, ocupando o plano de água uma área de 1.378 ha e armaze- o decorrer da Feira do Campo Alentejano 2015, a Associação de Beneficiários do Roxo apresenta o projeto de aproveitamento turístico da Barragem do Roxo. O projeto, que está a ser desenvolvido com o apoio da autarquia, centra-se na fruição do espelho de água, constitui-se como um Barragem do Roxo nando um volume total de água da ordem de 96,3 hm3. A localização central entre Aljustrel e Beja e a proximidade do Hotel Vila Galé podem reforçar o potencial desta oferta. Obras

[close]

p. 10

10 Aljustrel | Boletim Municipal | junho 2015 União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos Bailes da Pinha 2015 Corte Vicente Anes o m o manda a tradição, abril também é sinónimo de Bailes da Pinha na União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos. Os bailes aconteceram durante o fim de semana da Páscoa, no sábado, dia 4 de abril, nas localidades da Corte Vicente Anes e Rio de Moinhos. Na Corte Vicente Anes, o baile foi organizado pela Sociedade Recreativa Vicente Anes, e em Rio de Moinhos, a sexagésima nona edi- C ção do baile esteve a cargo da Sociedade e Operário Futebol Clube. Estas noites viram uma vez mais cumprir-se a tradição, numa festa com os participantes vestidos a rigor, muita animação, música, alegria e grandes momentos de salutar convívio e reencontro de familiares e amigos. Os Bailes da Pinha contaram com o apoio da União das Freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos, da Câmara Municipal de Aljustrel e com a colaboração da TLA-Rádio. AS ORIGENS DO BAILE DA PINHA Este baile, também conhecido por Baile da Pinhata, vem de épocas antigas e realizava-se num espírito cristão litúrgico do domingo “Laetare”, domingo em que sensivelmente ao meio da Quaresma a Igreja convidava os fiéis a porem de parte a penitência e celebrarem a alegria da antevisão da Ressurreição de Jesus na Páscoa que se aproximava. Enquadrava-se, portanto, no mesmo sentido em que se insere o “Demi-Carême” francês. O baile realiza-se normalmente na véspera da Páscoa, quadra em que as famílias que residem fora aqui se reencontram. Com a sala esplendorosamente decorada e repleta de gente, chega o momento solene da abertura do baile, com a chegada da corte real, Rei e Rainha do baile, acompanhados pelos respetivos vassalos e aias ou damas de honra. A fantasia e riqueza dos trajes dependem muito da imaginação, do brio e da bolsa dos pais dos eleitos do baile do ano anterior. Esta festa assemelha-se nalguns aspetos a um casamento. O fotógrafo contratado desloca-se às casas do rei e da rainha para fotografar estes com os seus pares de honra e familiares. O rei e a rainha depois de instalados no trono e de pousar para as objetivas, inauguram a pinhata, dançando só os dois, ao som de aplausos da multidão, a primeira peça do baile, enquanto que o séquito faz círculo à sua volta. A dança seguinte é executada pelas aias e pelos vassalos. Seguidamente dançam os vassalos com as respetivas aias e os reis. Só depois começa o baile para toda a gente. Dois grandes bolos oferecidos pelo par real são servidos com vinho do porto ou espumoso. Fazem-se leilões como em todos os bailes e dança-se alegremente até altas horas da noite. Por volta das 4 horas da manhã, é chegado o momento de maior expectativa, de grande emoção. Trata-se da “dança da pinha” ou “dança da fita”. Só os pares (solteiros) que compraram as fitas, que previamente foram numeradas por sorteio, é que podem dançar. (Noutros bailes as fitas são leiloadas). A enorme pi- nha de madeira encontra-se pendurada ao teto no meio da sala, envolvida por dezenas de fitas que pendem. A dança da pinha pode durar uma hora e tem por finalidade abrir a pinha. Os vassalos e aias também podem participar nesta dança, se para tal tiverem adquirido as respetivas fitas. Ao longo da dança, o animador do baile vai anunciando, por ordem, o número do par, a pinha é descida à altura de se puxar uma fita. A dança dura até que “ a fita premiada” aciona um mecanismo de abertura da pinha, e nessa altura as luzes da sala apagam-se e acendem-se as luzes multicoloridas que se encontram no interior da pinha. É o momento de maior emoção, em que há gritos de alegria e se aplaude o novo rei e nova rainha, que abriram a pinha. É o fim de um reinado e o começo de outro. Depois os novos eleitos dão início a outra série de danças. Estes escolherão novos vassalos e novas aias e recebem a coroa que lhes dá “poderes reais” para a “pinhata” do ano seguinte. In www.jf-aljustrel.pt Freguesias Freguesia de Ervidel Alvorada Futebol Clube organiza I Mega Maratona de Futebol de 7 A Freguesia de S. João de Negrilhos I Mega Maratona de Futebol de 7 vai realizar-se, no Estádio Municipal de Aljustrel, entre os dias 26 e 28 de junho. Este encontro desportivo, organizado pelo Alvorada Futebol Clube, espera receber até 12 equipas. As inscrições estão a decorrer até ao dia 19 de junho, na sede deste clube desportivo ou via internet em alvoradafc. blogspot.pt. O sorteio será efetuado no dia 20. O regulamento pode ser con- sultado em www.facebook.com/ alvorada.ervidel. Para mais informações, contactar a organização pelos telefones: 961 351 022/937 999 575 ou pelo email: alvoradaervidel@ gmail.com. Comunidade mais valorizada com a participação da população N os últimos dois anos têm sido várias as iniciativas promovidas pelo executivo da junta de freguesia inseridas no programa Freguesia + Ativa, que tem como objetivo desenvolver soluções inovadoras visando esti- mular a participação comunitária. Mondar, caiar, pintar, podar, plantar, ajardinar novos espaços, já fazem parte da rotina de mais de uma centena de voluntários que participam nestas ações. Este é um projeto que se têm revelado de enorme sucesso, não só pela participação que tem ge- rado junto da comunidade, mas também pela forma como a popu- lação passou a valorizar e cuidar dos espaços públicos. Freguesia de Messejana O Marchantes Marcha Baeta apresenta-se ao público deia dos Elvas, integrado na Festas de Santo António. Finalmente, no dia 28, em Messejana, todos os grupos de marchantes se reunirão para encerrar o programa das Marchas de 2015. A Marcha Baeta conta com os apoios da Junta de Freguesia de Messejana, Câmara Municipal de Aljustrel e comércio local. Este grupo de Messejana vai lançar, ainda este ano, um CD com 16 músicas de marchas que já dançaram, duas das quais com letra e música original. Grupo de Marchas Populares Marcha Baeta fez a sua apresentação, no dia 8, deste mês, no Ginásio, em Messejana. No dia 18 de junho, o grupo volta a desfilar com os outros grupos de marchas, em Aljustrel, e no próximo dia 26, marchará na Al-

[close]

p. 11

junho 2015 | Boletim Municipal | Aljustrel 11 Programa de modernização administrativa Pretende-se, com este investimento potenciar uma gestão do atendimento municipal que garanta aos munícipes um serviço eficiente e que melhor satisfaça as suas expectativas N o âmbito do seu programa de modernização administrativa, o Município de Aljustrel já abriu ao público o Balcão Único de Atendimento, que se encontra em funcionamento no 1º andar dos Paços do Concelho. O novo serviço dispõe de 1 posto de atendimento urbanístico, 1 posto de atendimento geral, 1 posto de atendimento ao empreendedorismo e 1 posto de tesouraria, sendo apoiado por uma sala de espera com lugares sentados, que proporciona aos cidadãos uma espera confortável. Pretende-se, com este investimento potenciar uma gestão do atendimento municipal que garanta aos munícipes um serviço eficiente e que melhor satisfaça as suas expectativas, num ambiente agradável e num espaço moderno, atrativo e apoiado pelas tecnologias da informação e comunicação, nomeadamente por um sistema de dispensa de senhas e ecrã informativo que permite gerir melhor os tempos de espera no atendimento. CANDIDATURA – SAMA III – IMPLEMENTAÇÃO DO BALCÃO ÚNICO DE ATENDIMENTO NO MUNICÍPIO DE ALJUSTREL O investimento aprovado foi de 207.937, 16€, ao qual corresponde a um incentivo FEDER de 176.746,59€ (85%). Degradação das vias rodoviárias em análise Municípios de Aljustrel e Castro Verde reuniram com a Estradas de Portugal O Estrada Nacional Nº 2 s presidentes dos municípios de Aljustrel e Castro Verde reuniram com representantes da EP – Estradas de Portugal, S.A., entidade com a responsabilidade de fazer a conservação e manutenção das vias que integram a Rede Rodoviária Nacional. Da reunião constou a análise do estado geral das vias rodoviárias nos dois concelhos, em particular o avançado estado de degradação da EN2, que liga Aljustrel a Castro Verde, bem como de algumas obras de arte desta estrada, como é o caso da ponte sobre a Ribeira do Roxo, situada entre Ervidel e Aljustrel. Em resultado desta reunião a EP assumiu a responsabilidade de iniciar prontamente obras de recuperação no troço da EN2 Ferreira do Alentejo Norte/ Castro Verde e de encerrar a adjudicação da empreitada da ponte sobre a Ribeira do Roxo até final de 2015, estando o começo das obras previsto para o início de 2016. Os dois autarcas aproveitaram a oportunidade para demonstrar a sua preocupação com a situação atual das obras nas estradas da região, nomeadamente com o recomeço das intervenções no IP2 e no IP8, vias estratégicas para o desenvolvimento da região, bem como com a reparação de várias estradas regionais, fundamentais num território que é muito vasto e que carece de vias que facilitem a mobilidade das populações. Para concluir, o autarca de Aljustrel convidou a EP a participar no grupo de trabalho que irá desenvolver o projeto da variante à vila de Aljustrel, iniciativa que o município levará a efeito muito em breve. Assembleia Municipal de Aljustrel Prestação de contas da Câmara aprovada sem votos contra A Assembleia Municipal de Aljustrel, reunida a 30 de abril de 2015, aprovou a Prestação de Contas da Câmara Municipal de Aljustrel relativa ao ano 2014, com os votos a favor dos eleitos do PS e a abstenção dos eleitos da CDU. O documento aprovado evidencia, pelo quinto ano consecutivo, um saldo positivo na Conta de Gerência do municí- pio, bem como uma redução do endividamento de 603 mil euros, relativamente a 2013, sendo que, no final de 2014, a dívida global do município se cifrou nos 8 milhões 911 mil euros. Recorde-se que, no final de 2009, a dívida do Município de Aljustrel ascendia a 10 milhões 861 mil euros, pelo que, até final de 2014, se verificou uma redução de 1 milhão 949 mil euros no endividamento. A prestação de contas da Câmara atesta igualmente uma redução do prazo medio de pagamento da autarquia, que a 31 de dezembro de 2014, de acordo com dados da Direção-Geral das Autarquias Locais – DGAL, se situou nos 90 dias. Nos últimos 5 anos, os cortes acumulados nas transferências do Orçamento do Estado para o Município de Aljustrel ascenderam a 3 milhões 433 mil euros, situação que, somada a outras condicionantes, tais como a Lei dos Compromissos, as limitações na contratação de trabalhadores, o Fundo de Apoio Municipal (FAM), entre outras, vem colocando grandes dificuldades ao funcionamento das autarquias. Município Balcão Único de atendimento já é uma realidade

[close]

p. 12

12 Aljustrel | Boletim Municipal | junho 2015 Continuidade da tradição garantida com a Feira do Campo Alentejano A história da Feira de Santo António em Aljustrel Desconhece-se quando foi instituída a Feira de Santo António em Aljustrel, nem o motivo por que foi esse santo escolhido como patrono, mas sabemos que ela já existia em 1747 porque vem referida no Dicionário Geográfico Feira de Santo António - 1982

[close]

p. 13

junho 2015 | Boletim Municipal | Aljustrel 13 Feira de Santo António - Início do século XX Feira de Santo António - 1993 A s Feiras sempre tiveram como objetivo mais importante promover a troca de produtos entre o camponês, que vive e produz na sua quinta e o urbano que vive na cidade e necessita de ter acesso a bens alimentares e outros produtos manufaturados, estabelecendo o contacto entre produtor e consumidor, mas também entre a costa e o interior e ainda entre um e outro lado da fronteira com Espanha, numa altura em que as comunicações eram difíceis, em que a insegurança que se vivia nos caminhos era imensa e pelo excesso de portagens existentes entre as diversas localidades. Devido a estes constrangimentos e a uma necessidade cada vez mais acentuada de comércio, impunha-se que esta atividade tivesse lugar num local seguro e em data periódica, por isso as feiras tinham regulamentos, regras, estatutos e normas jurídicas privilegiadas para o seu funcionamento, constantes numa carta de feira, semelhante a uma carta de foral, outorgada pelo rei ou por um senhor feudal. Nessas localidades existia então a “Paz da Feira” que proibia qualquer ato de hostilidade, disputa ou vingança, ações que eram severamente punidas, sendo essa proteção extensível ao trajeto de ida e volta dos almocreves, incluindo os estrangeiros. As inúmeras festas religiosas existentes (peregrinações, romarias, etc.) eram uma data conveniente uma vez que juntavam grandes quantidades de gente, vinda dos mais diversos lugares tendo a Igreja desempenhado um papel relevante no aparecimento dessas Feiras (“Quase todas as cartas de feira portuguesas marcam o prazo da feira em relação a uma festa da Igreja” in: Virginia Rau, Feiras Medievais Portuguesas). Desconhece-se quando foi instituída a Feira de Santo António em Aljustrel, nem o motivo por que foi esse santo escolhido como patrono, mas sabemos que ela já existia em 1747 porque vem referida no Dicionário Geográfico de 1747 e se atendermos à sua importância comercial (no que respeita ao gado, pelo menos), ela terá tido início antes desse século, embora não exista nenhuma referência a uma feira em Aljustrel até meados do século XV. Como podemos constatar, as feiras, tal como na Idade Média, continuavam a ser espaços importantes de negócio e conti- nuavam a movimentar gentes e comerciantes de locais longínquos (para a época, visto que as estradas eram escassas e sem manutenção e as deslocações eram feitas a pé ou de carroça). Salvaguardadas as devidas proporções, as feiras atuais não deixam de ser em tudo semelhantes, no essencial e até no espirito, às primitivas feiras medievais, um lugar para trocas comerciais de grande e pequena envergadura, para gerar negócios, mas também para divertimento e convívio. DESCRIÇÃO DA FEIRA DE SANTO ANTÓNIO - BRITO CAMACHO A melhor descrição que encontrámos desta feira no século XIX, é-nos dada por Brito Camacho, na sua obra Gente Rústica, onde refere, nomeadamente, que a feira de Aljustrel “era muito concorrida de gado vacum, muito mais que a de Beja, quase tanto como a de Évora, afamada pelas novilhadas que ali se apresentavam, mais para exposição que para venda.” (pág. 58). Brito Camacho menciona a existência na feira de dois tipos característicos de frequentadores, os ciganos e os aleijados, que seriam os grupos “marginais” e passiveis de causar perturbação. Mas, refere também, a existência de “barracas de comes e bebes, lojas de fazendas e ourivesarias, teatros em lona, e palhaços e acrobatas de ar livre” (pág 62). Contudo, a feira só estava completa quando “vinham chegando de toda a parte, os gados e os feirantes, e daí a pouco estava formado o arraial, estava formada a corredoira…ficando a um lado o gado vacum, o suíno e o ovelhum...” (pág. 63/64). “A loiça, por ser coisa frágil, loiça de barro, ficava longe da corredoira, longe do arraial, longe das tendas em que se beberricava e que eram outros tantos centros de desordem…Alguidares, panelas, quartas e potes, tigelas e pratos, de tudo isto havia fartura e quase tudo isto era fabricado em Beringel” (pág. 68/69). “Os algarvios ficavam lá mais para cima, perto do arraial, … com as suas gorpelhas e alcofas, cordas e sacas, os seus capachos redondos, as suas esteiras compridas…” “Mas ali perto ficavam as barracas do bacalhau frito… ali cantava-se e bebia-se, cantava-se mal e bebia-se bem.” (pág. 70). “Vinham mercantes de longe, ourives de Setúbal e Lisboa, paneiros de Évora e de Beja, sem contar, está bem de ver, com os lojistas do Concelho…Os tendeiros ficavam no mesmo arruamento, sem toldo e sem balcão, a maior parte expondo a sua mercadoria em cima de caixotes, em tábuas soltas, cobertas com um pano branco.” (pág. 72 e 75). Feira de Santo António - Início do século XX ATUALIDADE A Feira de Santo António, seguindo uma tendência global de modernização dos processos e espaços comerciais, foi perdendo a sua importância, acabando por não se realizar em 2007, e desaparecendo por completo em junho de 2008, sendo substituída pela Feira do Campo Alentejano, que antes dessa data decorria no mês de maio. No presente, a Feira do Campo Alentejano, que se realiza todos os anos no Parque de Exposições e Feiras, no 2.º fim-de-semana de Junho, veio dar continuidade à tradição centenária da realização em Aljustrel de uma Feira por ocasião das comemorações do Santo António. Feira do Campo Alentejano Património

[close]

p. 14

14 Aljustrel | Boletim Municipal | junho 2015 Resumo das Reuniões de Câmara Reunião de 4 de fevereiro de 2015 • A Câmara deliberou por u na n i m id ade emitir parecer favorável vinculativo à proposta de início de procedimento para realização de espetáculo musical com o Grupo D.A.M.A. para as comemorações do 25 de Abril. • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir um cartão social e a renovação de cinco a munícipes do concelho e respetivos agregados familiares. • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir um apoio no valor de 2.815,42 € para melhorias habitacionais. • A Câmara deliberou por unanimidade aceitar o pedido de suspensão do mandato por um período de seis meses do vereador Manuel Camacho e convocar o cidadão imediatamente a seguir na ordem da respetiva lista - Isabel Maria Martins Galope, para preencher a vaga. preitada de Regeneralção Urbana de Rio de Moinhos a título provisório, de acordo com o presente auto de vistoria. • A Câmara deliberou por unanimidade conceder um subsídio no valor de 100,00 € à Sociedade Recreativa de Rio de Moinhos para fazer face às despesas com a realização da 74.ª edição do Baile da Pinha. • A Câmara deliberou por unanimidade conceder um adiantamento por conta do subsídio anual no valor de 600,00 € ao NARM - Núcleo de Atletismo e Recreio de Messejana. • A Câmara deliberou por unanimidade antecipar o valor correspondente a um trimestre por conta do subsídio anual ao Grupo Desportivo Messejanense. • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir seis cartões sociais e a renovação de nove a munícipes do concelho e respetivos agregados familiares. • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir um apoio no valor de 595,12 € a título de apoio social para melhorias habitacionais. • A Câmara deliberou por unanimidade não ver inconveniente na utilização da rede viária municipal com a realização da III Maratona “Por Trilhos Mineiros de Aljustrel”. • A Câmara deliberou por maioria, com a abstenção dos vereadores Manuel Nobre e João Mestre, aprovar a minuta do Acordo de Pagamento entre o Município de Aljustrel e a AGDA – Águas Públicas do Alentejo S.A, e submete-la à Assembleia Municipal, para que esta a possa apreciar e votar. Reunião de 18 de março de 2015 • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar a alteração simplificada à licença de Loteamento Urbano sem obras de urbanização referente ao Loteamento das Traseiras da Rua de Aljustrel em Messejana. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar a proposta dos apoios financeiros para conceder no ano de 2015 ao movimento sssociativo. • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir um subsídio no valor de 100€ ao Grupo Etnográfico de Danças e Cantares “Planície Alentejana” de Montes Velhos para fazer face às despesas com a realização do Baile da Pinha. • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir um subsídio no valor de 100€ à Sociedade Recreativa Vicente Anes para fazer face às despesas com a realização do Baile da Pinha. • A Câmara deliberou por unanimidade não ver inconveniente na utilização da rede viária municipal a propósito da realização da 33.ª Volta ao Alentejo Liberty Seguros. • A Câmara deliberou por unanimidade não ver inconveniente na utilização da rede viária municipal a propósito da realização do 3.º Passeio BTT de Olhas. • A Câmara deliberou por unanimidade, aprovar a proposta de alteração das Normas Regulamentares das Classes Municipais de Natação e Hidroginástica. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar o Projeto de Regulamento Municipal do Serviço de Saneamento Águas Residuais Urbanas de Aljustrel e submeter o mesmo a apreciação pública e recolha de sugestões, por um período de 30 dias úteis. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar o Projeto de Regulamento Municipal de Abastecimento de Água do Município de Aljustrel e submeter o mesmo a apreciação pública e recolha de sugestões, por um período de 30 dias úteis. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar o Projeto de Regulamento Municipal de Gestão de Resíduos Urbanos de Aljustrel e submeter o mesmo a apreciação pública e recolha de sugestões, por um período de 30 dias úteis. • A Câmara tomou conhecimento do relatório anual de atividade da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Aljustrel do ano de 2014. Reunião de 1 de abril de 2015 • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir um subsídio no valor de 750€ à Secção de BTT/Cicloturismo do Centro Republicano de Instrução e Recreio Aljustrelense para o pagamento das refeições dos participantes na “III Maratona - Por Trilhos Mineiros”. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar a proposta e ratificar o Memorando de Entendimento entre o Município de Aljustrel e Almina - Minas do Alentejo, S.A referente ao projeto Centro de Estudos Geológicos e Mineiros do Alentejo, da responsabilidade do Laboratório Nacional de Energia e Geologia. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar o Programa de Concurso e respetivo Edital para atribuição de lugares de terrado para a Feira do Campo Alentejano 2015. • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir um cartão social e a renovação de doze a munícipes do concelho e respetivos agregados familiares. • A Câmara deliberou por unanimidade abrir inscrições para a venda de terrenos para construção dos seguintes loteamentos: Loteamento do Rossio da Feira – Aljustrel, Loteamento do Monte Branco em Montes Velhos, Loteamento na Rua Coronel Mourão em Ervidel, Loteamento nas Traseiras da Rua de General Humberto Delgado em Rio de Moinhos, Loteamento junto à Piscina Coberta em Aljustrel (Fase A) e Zona Industrial de Messejana. • O presidente fez a entrega do Relatório do GAMA - Gabinete de Apoio ao Movimento Associativo do Concelho de Aljustrel. Reunião de 22 de abril de 2015 • A Câmara deliberou aprovar por maioria, com a abstenção dos eleitos pela CDU, o Relatório e Contas de 2014. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar a 1ª Revisão ao Orçamento e Grandes Opções do Plano e submetê-la à Assembleia Municipal, para que esta o possa apreciar e votar. • A Câmara deliberou por unanimidade conceder a título gracioso a prorrogação do prazo por 60 dias à empreitada Parque da Vila de Aljustrel, com as condicionantes previstas no parecer da fiscalização, devendo os encargos serem suportados pelo empreiteiro, nomeadamente a prestação do serviço técnico de segurança e fiscalização. • A Câmara deliberou por unanimidade autorizar a liberação de 90% da caução prestada referente à empreitada Reparação da E.M. 530 – Rio de Moinhos/ Messejana. • A Câmara deliberou por unanimidade renovar cinco cartões sociais de munícipes do concelho e respetivos agregados familiares. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar as Normas Regulamentares de Participação no 26.º Cicloturista ao Concelho de Aljustrel. • A Câmara deliberou por unanimidade aceitar a denúncia da concessão referente às lojas 9, 14 e 15 do Mercado Municipal de Aljustrel. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar o Programa de Hasta Pública e respetivo Edital para a concessão das lojas livres no Mercado Municipal de Aljustrel. • A Câmara deliberou por unanimidade emitir parecer favorável à criação de cursos para o ano letivo 2015/2016 da Escola Profissional Bento de Jesus Caraça. • A Câmara deliberou por unanimidade emitir parecer favorável à criação de cursos para o ano letivo 2015/2016 da Escola Profissional Fialho de Almeida. • Câmara deliberou por unanimidade não ver inconveniente na utilização da rede viária municipal para a realização de um evento denominado “Atletismo em Messejana”. Reunião de 29 de abril de 2015 • A Câmara deliberou por unanimidade autorizar a cedência do direito de ocupação da loja n.º 1 e de 4 lugares no Mercado Municipal de Aljustrel. • A Câmara deliberou por unanimidade dar início ao procedimento para concretização dos seguintes planos de pormenor e aprovar os respetivos termos de referência: Parque de investigação, tecnológica e desenvolvimento de Aljustrel, localizado a Sul da zona do +25; Expansão da zona industrial de Aljustrel (consolidação e conclusão das infraestruturas de apoio ao empreendedorismo); Infraestruturas de apoio de acolhimento para empresas, localizado no Espaço de Atividades Económicas de Ervidel (UOPG 4); Infraestruturas de apoio de acolhimento para empresas, localizado no Espaço de Atividades Económicas em Rio de Moinhos; Infraestruturas de apoio de acolhimento para empresas, localizado no Espaço de Atividades Económicas no Carregueiro; Núcleo Patrimonial do Parque Mineiro de Aljustrel; Centro de Aljustrel; Nossa Senhora do Castelo; Centro Histórico de Aljustrel; Zona Histórica de Messejana; Espaço residencial em solo urbanizável no perímetro urbano de Aljustrel; Parque Empresarial e Logístico da Mancoca 10; Centro Tecnológico e Agroalimentar do Roxo.” Reunião de 13 de maio de 2015 • A Câmara deliberou por unanimidade ratificar o despacho do presidente para ajuste direto referente ao espetáculo musical para a Feira do Campo Alentejano 2015 – Badoxa. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar o Regulamento da XIV Exposição Agropecuária da Feira do Campo Alentejano 2015. • A Câmara tomou conhecimento da informação dos serviços comunicando a listagem de todos os contratos de prestação de serviços, os quais não ultrapassam o montante de 5.000€, celebrados no mês de abril do corrente ano, conforme o disposto no n.º 3 do art.º 4.º da Portaria n.º 16/2013, de 17 de janeiro. • A Câmara deliberou por unanimidade não ver inconveniente na utilização da rede viária municipal para a realização da procissão de velas, em Honra de Nossa Senhora de Fátima, no dia 13 de maio de 2015. Reunião de 23 de fevereiro de 2015 • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar o Programa de Alienação de Património Municipal e respetivo edital para venda do prédio urbano referente ao Bairro de Algares. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar a 4ª Revisão de Preços Definitiva no valor de 14.171,29 € + IVA referente à empreitada do Cine Oriental de Aljustrel. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar a 1ª Revisão de Preços Provisória no valor de 3.910,61 € + IVA referente à empreitada Parque da Vila de Aljustrel. • A Câmara deliberou por unanimidade conceder um adiantamento no valor de 2.000,00 € ao Negrilhos Futebol Clube por conta do subsídio anual. • A Câmara deliberou por unanimidade atribuir um cartão social e a renovação de dois a munícipes do concelho e respetivos agregados familiares. • A Câmara deliberou por unanimidade aprovar a moção entregue pelos vereadores da Oposição uma moção acerca do Decreto-Lei sobre a descentralização de competências aprovado no Conselho de Ministros. Reunião de 4 de março de 2015 • A Câmara deliberou por unanimidade receber a obra Em- Município

[close]

p. 15

junho 2015 | Boletim Municipal | Aljustrel 15 Apresentação do livro Manual Envelhecimento Ativo Concelho Solidário I Jornadas do Envelhecimento + Ativo de Aljustrel As Jornadas do Envelhecimento + Ativo de Aljustrel pretendem criar momentos de discussão e aprendizagem para as novas realidades exigidas a uma sociedade que está a envelhecer. A Câmara Municipal de Aljustrel está a promover de maio a outubro, as I Jornadas Envelhecimento + Ativo. A abertura oficial destas jornadas, que são apadrinhadas pelo psiquiatra e sexólogo, Francisco Allen Gomes, teve lugar, no dia 22 de maio, no Auditório da Biblioteca Municipal, e contou com a atuação do Coro da Universidade Sénior de Aljustrel, ao que se seguiram duas palestras, a primeira sobre Envelhecimento Ativo, por Manuel Teixeira Veríssimo, autor do livro “Fundamentação Geriátrica” e, a segunda, sobre “Cidadania e Envelhecimento” ministrada pela jurista Paula Guimarães. No dia 27, as jornadas prosseguiram no Cine Oriental com a apresentação do livro Manual do Envelhecimento Ativo, pelos professores catedráticos, Constança Paul e Osório Ribeiro. As Jornadas do Envelhecimento + Ativo de Aljustrel pretendem criar momentos de discussão e aprendizagem para as novas realidades exigidas a uma sociedade que está a envelhecer. Porque a promoção do envelhecimento ativo deve constituir nos dias de hoje uma estratégia prioritária, compete a todos procurar respostas sociais mais adaptadas, criteriosas e verdadeiras. Por isso, para além das atividades referidas, decorrerão du- rante os próximos meses e até ao dia 1 de outubro (Dia Internacional do Idoso), várias outras palestras e iniciativas, desde atuações do Coro da Universidade Sénior (USA), com participações no XII Encontro Nacional das Universidades da Terceira Idade e nas Marchas dos Santos Populares em Aljustrel, passeios a Lisboa, Queluz e à praia, caminhadas, atividades aquáticas e intergeracionais entre avós e netos e ainda um jantar de gala. Em resumo, um programa que se pretende vivo, dinâmico, inovador, multidisciplinar e interativo. Todos os profissionais da área, estudantes, seniores, familiares e pessoas interessadas num envelhecimento mais ativo podem participar nestas I Jornadas. Educar para a Felicidade Palestra ajuda pais a terem filhos mais felizes Gabinete de Apoio a Programas Incluídos na Comunidade Associação Pais-em-Rede implementa projeto pioneiro de inclusão social A Sessão decorreu no Auditório da Biblioteca Municipal A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel (CPCJA), na sua modalidade alargada e no âmbito do seu Plano de Ação para o ano de 2015, realizou no dia 2 de junho, às 21 horas, no auditório da Biblioteca Municipal, a atividade “Educar para a Felicidade”. Esta iniciativa, organizada em articulação com a Câmara Municipal e o Agrupamento de Escolas, esteve integrada nas comemorações do Dia Mundial da Criança. A atividade, dinamizada pela educadora parental e family coach, Cristina Nogueira da Fonseca, da Associação “Quero-te Muito”, esteve direcionada para pais, encarregados de educação, familiares e restante comunidade. Nesta palestra, Cristina Nogueira da Fonseca, também psicóloga especialista em dinâmicas e relações familiares e mentora do projeto “Famílias Felizes”, transmitiu alguns passos para ajudar os pais a ensinarem os seus filhos a serem mais felizes. Afinal, fazer dos filhos adultos felizes não é o sonho de todos os pais? Associação Pais-em-Rede através dos seus núcleos de Aljustrel, Aveiro e Braga implementou, durante o mês de maio, um novo projeto direcionado para as pessoas com deficiência e incapacidade destes concelhos. O Gabinete de Apoio a Programas Incluídos na Comunidade (GAPRIC) é um projeto pioneiro a nível nacional, que visa constituir uma estrutura flexível com vista a proporcionar o suporte necessário para que as pessoas possam dar expressão ao seu desejo de realização pessoal e à sua cidadania. De acordo com o perfil de cada indivíduo, foram construídos programas ancorados na comunidade que incluem as componentes social, profissional, de lazer e desporto. As atividades a realizar são negociadas em função dos interesses e aspirações individuais, conforme o “Planeamento Centrado na Pessoa”, construindo uma progressiva autodeterminação. Em paralelo, decorreu uma ação de capacitação parental denominada “Redes Familiares para a Empregabilidade”. Estes projetos, cofinanciados pelo Programa de Financiamento a Projetos pelo Instituto Nacional para a Reabilitação (INR), visam contribuir para a inclusão social das pessoas com deficiência/incapacidade e suas famílias. Social

[close]

Comments

no comments yet