Jornal Rural

 

Embed or link this publication

Description

Edição Abr/Mai/jun/

Popular Pages


p. 1

JORNAL DA RURAL ABRIL / MAIO / JUNHO 2015 Ministras Kátia Abreu e Izabella Teixeira e o deputado federal Sérgio Souza ExpoLondrina 2015, o trabalho conjunto venceu o cenário negativo A 55ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina superou expectativa comercial em vários setores, reuniu público maior que ano passado, atraiu ao Parque Ney Braga importantes lideranças políticas municipal, estadual e federal, lideranças de entidades do agronegócio e proporcionou um grande evento para o país. 1

[close]

p. 2

ÍNDICE Resultados da ExpoLondrina 2015 superam expectativas- Pág 4 Autoridades Federais, Estaduais e Municipais visitaram exposição - Pág 6 Pecuária de Corte está aquecida no Brasil - Pág 10 Agenda atende a todas as demandas - Pág 12 Peixe é nova fronteira agrícola - Pág 12 Agregar valor para exportar melhor - Pág 13 Ovinos com intensa programação- Pág 16 Raças exóticas na ExpoLondrina - Pág 17 Emerson de Brito vence a etapa do Rodeio PBR em Londrina - Pág 19 SRP inaugura monumentos - Pág 20 Veículos de Comunicação são grandes parceiros da Exposição- Pág 21 E mais parceiros- Pág 22 Público efetivo na Arena João Milanez todas as noites - Pág 23 O lixo que não é lixo - Pág 24 Aquário com peixes gigantes foi destaque no Parque - Pág 25 Visita à presidência - Pág 27 Agenda proporciona encontros sociais- Pág 28 Rainha e princesas tiveram agenda cheia - Pág 32 Cavalgada reuniu mais de dois mil participantes - Pág 33 Amizade entre Brasil e Japão será comemorada no Parque Ney Braga - Pág 34 EXPEDIENTE INFORMATIVO DA SOCIEDADE RURAL DO PARANÁ Av. Tiradentes, 6275 – CEP 86072-000 Parque de Exposições Governador Ney Braga Fone (43) 3378-2000/Fax (43) 3378-2030 Londrina-PR-Brasil www.srp.com.br e-mail: srp@srp.com.br DIRETORIA EXECUTIVA Moacir Norberto Sgarioni Diretor Presidente Octávio Cesário Pereira Neto Diretor Vice-Presidente Wanderley Batista da Silva Diretor Secretário Roberta Meneghel Vilela Diretora Administrativo e Financeiro Paulo Afonso Magalhães Nolasco Diretor Jurídico Nivaldo Benvenho Diretor Comercial Adauto Quintanilha Diretor de Manutenção e Obras Bernardo Garcia de Araújo Jorge Diretor de Pecuária de Leite José Henrique Cavicchioli Diretor de Equinocultura e Melhoramento Genético Luiz Fernando Coelho da Cunha Filho Diretor Ovinocultura, Caprinocultura e Melhoramento Genético Luly Barbero Turquino Diretora de Relação Internacional Luigi Carrer Filho Diretor de Atividade Agroindustrial Ricardo Neukirchner Diretor de Aquicultura e Melhoramento Genético Silvana Kantor Diretora de Relação Social Luiz Roberto Ferrari Diretor de Fomento Alcides Spoladore Filho Diretor de Avicultura e Melhoramento Genético José Luiz Vicente da Silva Diretor de Suinocultura Pedro Favoretto Filho Diretor de Atividade Agrícola Gilberto Martins Diretor de Horticultura Humberto de Almeida Barros Junior Diretor de Atividade Pecuária Osmar Ceolin Alves Diretor de Patrimônio CONSELHO SUPERIOR Afranio Eduardo Rossi Brandão Antonio de Oliveira Sampaio Eloy Spagnolo Junior Ilson Romanelli José Tavares de Paiva Junior Luiz Roberto Neme Oezir Marcello Kantor Oswaldo Pitol Paulo Bento Paulo Roberto de Oliveira Vilela Filho Pedro Garcia Pagan Ricardo Hoefel Rezende CONSELHO FISCAL Jadir Fernandes de Miranda Bruno Ribas Bonalumi João Massarutti Ademar Ajimura Alvino Aparecido Filho José Edson Baggio CONSELHO TÉCNICO Célio Arantes Heim Luis Guilherme Braga Gimenez Guilherme da Motta Torres Fernando Humberto Mesquita de A. Barros Flavio Antonio Baccarin Costa Gil Abelin Representante Ministério da Agricultura Dr. Juarez José de Santana Representante SEAB Antonio Carlos Barreto PRODUÇÃO Alea Comunicação Máxima Comunicação Jornalistas responsáveis: Andrea Monclar – MTb: 15-823/SP Benê Bianchi – MTb: 2621/PR Diagramação: Vitor Hugo Gouvea IMPRESSÃO Tiragem: 4 mil exemplares Midiograf Gráfica e Editora 2

[close]

p. 3

Editorial É muito gratificante escrever sobre a Sociedade Rural do Paraná e falar da EXPOLONDRINA 2015, especialmente quando o resultado é positivo, como foi o da última edição. O cenário estava e ainda continua desfavorável, temos problemas na economia nacional, desgaste de ordem política e moral, mas sempre procurei passar a todos os envolvidos na organização do evento que O TRABALHO SUPERA DIFICULDADES. Foi com este espírito que nos unimos aos expositores otimistas e tentamos convencer os indecisos. O mérito maior foi dos EXPOSITORES que acreditaram no evento e se fizeram presentes, motivados, determinados e organizados, montando lindos estandes e dando um show de profissionalismo no atendimento aos clientes e visitantes. A maioria cumpriu as metas de vendas e consolidou ainda mais as suas marcas junto aos mais de 550 mil visitantes da exposição. A Sociedade Rural do Paraná investiu ainda mais na organização da EXPO e no seu plano de mídia. Foram 50 veículos de comunicação contratados, muitos com estandes dentro da exposição e alguns de circulação nacional, atingindo mais de mil cidades e 50 milhões de pessoas. O resumo dos números conquistados está nesta edição do Jornal e, definitivamente, estamos convencidos que somos a maior exposição agropecuária do Brasil. Estendo o meu particular muito obrigado a todos que têm contribuído para construir uma Sociedade Rural do Paraná cada vez mais forte e em especial aos nossos sócios, expositores, autoridades, representantes políticos e colaboradores, que contribuíram para realização de mais uma EXPOLONDRINA, superando as expectativas. Moacir Sgarioni, presidente da SRP 3

[close]

p. 4

TRADIÇÃO Resultados da ExpoLondrina 2015 superam expectativas A expectativa de repetir o excelente resultado da ExpoLondrina de 2014, inicialmente preocupante pela diretoria da Sociedade Rural do Paraná, levando em conta o cenário político e da economia nacional, foi superada com muito trabalho e competência de todos os parceiros envolvidos na realização da exposição, que registrou crescimento em vários setores. O movimento global da 55ª Exposição Agropecuária e industrial de Londrina foi de R$ 437.389.500,00, crescimento médio de 3% em relação a 2014. “Crescemos também no total de público visitante, que chegou a 562.575 pessoas, número superior em 4,2% de 2014”, comenta o presidente da SRP, entidade realizadora do evento, Moacir Sgarioni. A ExpoLondrina recebeu este ano, no Parque de Exposições Ney Braga, nos dois turnos, 50 raças de animais entre bovinos, equinos, asininos, muares, suínos, ovinos e caprinos, que ficam expostos ao público e movimentam os leilões, as pistas de julgamentos e de esportes. Participaram do evento 11.217 produtores rurais e 2.817 expositores. Visitas gratuitas Visitaram o parque de exposições 17.231 estudantes de escolas municipais, estaduais e técnicas, totalizando 152 grupos, em visitas gratuitas. Os idosos que frequentaram o Parque Ney Braga gratuitamente, em 11 dias de eventos, totalizaram 16.475. A diversidade gastronômica da exposição é um atrativo e proprietários de restaurantes e barracas de alimentação se mostraram satisfeitos com os resultados. A ExpoLondrina 2015 gerou mais de 7 mil empregos diretos e indiretos. Financiamentos Linhas de financiamento variadas foram ofertadas pelas instituições presentes à ExpoLondrina. O Banco CrediAliança movimentou R$ 788 mil. A Caixa Econômica Federal, que participou pela segunda vez na ExpoLondrina, comemora os bons resultados, atingindo R$ 36 milhões. O gerente de plataforma empresarial da superintendência da Caixa, Luiz Gastão Pinto Junior, diz que a maior parte dos contratos é de custeio e financiamento de máquinas. O Banco do Brasil ofereceu linhas de financiamentos para maquinários e equipamentos, para aquisição de veículos de passeio e utilitários e movimentou R$ 66 milhões. “Prevíamos dificuldades em razão da elevação da taxa de juros, mas esteve dentro do esperado”, afirma o gerente da Agência Calçadão (responsável pela participação do banco na feira), Paulo Zago. O diretor de Negócios da Regional Norte da Sicredi União PR/ SP, Paulo Ozelame, diz que houve um aumento de cerca de 20% na quantidade de propostas. Se elas se concretizarem, representam R$ 20 milhões a mais que o volume registrado no ano passado. Ele lembra que os reflexos da feira se estendem por até 90 dias após o término. “Mais negócios serão acertados.” O gerente de Prospecção da Região Norte do BRDE, João Carlos Kuritza, disse que, em vista do momento econômico, o resultado é bom. “Devemos fechar em R$ 50 milhões em prospecção”, conta. “Tivemos muita procura e temos visitas agendadas por toda a região”, acrescenta. Concessionárias atingem metas O setor de veículos cresce a cada ano na exposição. Em 2015 praticamente todas as concessionárias de automóveis estiveram no Parque Ney Braga e os resultados agradaram. Negócios foram fechados, as perspectivas pós-feira foram boas e as marcas foram fortalecidas. Durante a exposição foram comercializados mais de 400 veículos. 4

[close]

p. 5

Máquinas e implementos agrícolas A ExpoLondrina mais uma vez foi excelente vitrine para a divulgação de máquinas e implementos, algumas de última geração. Além dos negócios realizados nos 11 dias do evento, os expositores investiram na divulgação dos produtos. “Os agricultores gostam e esperam a ExpoLondrina, onde veem novidades”, afirmou Sérgio Chapieski, gerente da Dimasa, revendedora Massey Ferguson. O aumento das taxas de juro provocou uma retração na compra de máquinas, além dos produtores já terem renovado a frota nos dois últimos anos. José Marcos Donha Júnior, gerente geral da DHL Valtra, afirmou que a ExpoLondrina foi importante para a divulgação dos produtos. “O evento é importante para o contato com os clientes, que podem comprar nos dias subsequentes da Exposição” , disse. No estande da revenda da New Holland, as ministras da Agricultura, Kátia Abreu, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, coincidentemente, durante um passeio pelo Parque Ney Braga, em visita à ExpoLondrina, pediram para parar e ver de perto uma das colheitadeiras. “E, junto com o deputado federal Sérgio Souza, ao subirem na máquina para uma foto, constatamos que já estava vendida para os irmãos Agacci, de Ibiporã” , relatou Moacir Sgarioni, presidente da Sociedade Rural do Paraná. Para a empresa Claas, a ExpoLondrina foi excelente e cumpriu com a finalidade de divulgar a Claas Jaguar 860, colhedora alemã de alta tecnologia, uma novidade do setor de máquinas agrícolas. Para eles, a ExpoLondrina foi um termômetro, que sinaliza a realização de negócios futuros. “É intenção continuar participando do evento. O mercado busca novas tecnologias” , afirmou Luis Bernardo Scheeren, vendedor da Claas. Parceria com o Hospital do Coração O Hospital do Coração foi um importante parceiro da ExpoLondrina 2015. A organização da exposição sempre se preocupou em montar e prestar excelentes serviços de apoio aos visitantes, mantendo um ambulatório, ambulância com UTI e atendimento médico dentro do Parque Ney Braga durante os 11 dias de evento. De acordo com dados do hospital, foram registrados cerca de 850 atendimentos. A maioria relacionada a crises hipertensas, hipoglicemias e pequenas ocorrências nas cozinhas das dezenas de restaurantes e barracas de alimentação. Fazendinha, uma atração para todas as idades Tradicional na Exposição a Via Rural Fazendinha da Emater traz sempre atrações que atendem as expectativas dos agricultores e enchem os olhos dos visitantes do Parque. Nos últimos 21 anos, o local abriga unidades demonstrativas de diversas culturas, tecnologias e produção da agricultura familiar. Segundo Sérgio Luiz Carneiro, coordenador da Fazendinha, a Emater sempre esteve presente nas Exposições da Sociedade Rural do Paraná. “Há cerca de 40 anos, quando a Emater iniciou atividades na região, ocupou algumas dependências do Parque Ney Braga” , informa. A participação foi se consolidando ao longo do tempo até se transformar na Fazendinha. Ao contrário do que possa sugerir, a Fazendinha é destinada a gente grande, embora desperte o interesse de crianças e pessoas do meio urbano. De acordo com Carneiro, ela foi idealizada para apresentar os resultados, avanços e tecnologias disponíveis ao produtor rural. “A Fazendinha é pé vermelho” , diz Carneiro ao descrever as 25 unidades demonstrativas da Via Rural. Ali são expostas, durante a ExpoLondrina, tecnologias de culturas e atividades da região Norte do Paraná, como cafeicultura, avicultura, fruticultura, olericultura, pecuária e outras. De acordo com o técnico, o pano de fundo da Fazendinha, este ano, foi à educação ambiental, com o tema “Alimento é saúde, água é vida” , destinado aos agricultores e ao público. Foi realizada demonstração da captação de água da chuva, como fazer a proteção de fontes de água, como tratar a água na propriedade, fazendo um clorador – equipamento que elimina patógenos, informações sobre saneamento e reciclagem de resíduos sólidos. Uma das atrações da Fazendinha deste ano foi o Cine Bem te vi, mantido pela fazenda Bimini, de Rolândia, que exibiu filmes e vídeos sobre educação ambiental. A Emater também promoveu 40 oficinas, além de quatro eventos técnicos: Seminário de Aquicultura Plante seu futuro, Encontro Estadual do Café e Encontro de Avicultores. Resultados gratificantes em 2015: 41 eventos técnicos com 2.435 participantes 104 excursões recebidas com 3004 participantes 220 mil visitantes na Fazendinha 5

[close]

p. 6

TRADIÇÃO Autoridades Federais, Estaduais e Municipais visitaram exposição Três ministros, governador, secretários de Estado, deputados federais e estaduais, vereadores e muitos outros importantes representantes de entidades de classe participaram da EXPOLONDRINA 2015, trazendo novas informações, ouvindo e debatendo as reivindicações do setor. Estiveram presentes o ministro da pesca, Hélder Barbalho; as ministras da Agricultura, Kátia Abreu, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; o governador do Paraná, Beto Richa; os prefeitos Alexandre Kireeff, de Londrina, e seu secretariado; João Pavinato, de Cambé; José Maria Ferreira, de Ibiporã; Gustavo Fruet, de Curitiba; Aleocídio Balzanelo, de Sertanópolis; entre outros prefeitos da região; o chefe da Casa Civil do Governo do Paraná, Eduardo Sciarra; a secretária do Trabalho e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Norberto Ortigara; o senador Álvaro Dias; os deputados estaduais Tercílio Turini, Tiago Amaral, Pedro Lupion, Luiz Cláudio Romanelli e Cobra Repórter; os deputados federais Luiz Carlos Hauly, Marcelo Belinati, Sérgio Souza, Alex Canziani, Valdir Colatto, Osmar Serraglio, Evandro Roman, Rubens Bueno e Leopoldo Meyer Filho. Também estiveram presentes o presidente do BRDE, Orlando Pessuti; o vice-governador do Rio Grande do Sul, José Paulo Dornelles Cairoli; o presidente da Embrapa, Pedro Lopes; o presidente do Iapar, Florindo Dalberto; o vice-presidente executivo do Banco Santander, Oscar Rodríguez Herrero, juntamente com Ibrahim Fayad, organizador da 1ª Show Rural Copavel; presidentes de Sociedades Rurais da região; representantes de entidades e instituições, como o presidente da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Valter Orsi, a reitora da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Berenice Jordão, diretores da Associação dos Agrônomos do Paraná, do CREA do Paraná e do CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária), do Corpo de Bombeiros de Londrina, da Polícia Militar do Paraná, da Polícia Federal e do Exército Brasileiro. A Sociedade Rural do Paraná agradece a presença de todos e a parceria que mantém com os órgãos de segurança, que orientam a entidade a manter a segurança de todos os visitantes durante este grande evento. Ministras mostram proximidade entre as pastas da Agricultura e do Meio Ambiente As ministras Kátia Abreu, da Agricultura e Izabella Teixeira do Meio Ambiente, surpreenderam a todos com bons discursos e excelente relacionamento demonstrado entre os dois Ministérios na reunião da Comissão da Agricultura, realizada no dia 17 de abril, dentro da programação da Expô 2015. “Elas nos permitiram, com suas falas e posturas, acreditar que as duas pastas, com diálogo, favorecerão o crescimento ainda maior da produção com sustentabilidade” , avaliou Moacir Sgarioni, presidente da Sociedade Rural do Paraná. “Percorrendo o Parque, surpreenderam mais uma vez, subindo em uma colheitadeira de expositor parceiro da Expô, junto com o deputado federal Sérgio Souza. E para nossa alegria descobrimos, em seguida, que a máquina já estava vendida, demonstrando a capacidade do produtor brasileiro continuar investindo mesmo num cenário não tão favorável de financiamento” , comentou Moacir Sgarioni, presidente da Sociedade Rural do Paraná. Elas se impressionaram com a diversidade e grandiosidade da exposição, com a excelente infraestrutura do parque Ney Braga e visitaram também a Feira de Sabores da Agroindústria Familiar, se encantando com a grande variedade de produtos. Nos pronunciamentos que fizeram, elas abordaram temas importantes como o Plano Safra e o Cadastro Ambiental Rural, respectivamente das Pastas da Agricultura e do Meio Ambiente. Evento sediou reunião da Comissão da Agricultura da Câmara Federal Por solicitação do deputado federal Sérgio Souza, a ExpoLondrina sediou a reunião da Comissão da Agricultura da Câmara Federal, que trouxe à cidade membros da bancada ruralista e que teve como tema de discussão o “Plano Safra, Seguro Rural e Problemas Fundiários que vêm afetando e incomodando proprietários rurais e o desenvolvimento agropecuário do país” . 6 6 Abelardo Lupion Afrânio Brandão, Ilson Romanelli, deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli e Antonio Sampaio

[close]

p. 7

Sgarioni e o senador Álvaro Dias As ministras da Agricultura e do Meio Ambiente Kátia Abreu e Izabella Teixeira Berenice Jordão (Reitora da UEL) e Moacir Sgarioni (Presidente SRP) Beto Richa, Octávio Cesário, Alexandre Kireeff, Sgarioni e Sciarra Cel. Ricardo Fiamocini e Nilson Antunes da Silva, delegado da PF Deputado Federal Alex Canziani, Jorge Hashimoto (Pres. Integrada) e Kátia Abreu Deputado estadual Cobra e Sgarioni Vereadoras, Elza Correia, Lenir de Assis e Sandra Graça com a ministra Katia Abreu 7 7

[close]

p. 8

TRADIÇÃO Octávio Cesário Pereira Neto, as ministras Kátia Abreu e Izabella Teixeira, Sgarioni Gil Bueno de Magalhães (Superintendente federal de agricultura do estado do PR) e Florindo Dalberto (Pres. do IAPAR) João Carvalho Pinto, Sgarioni, Wilson de Matos Silva Filho (Pres. da Soc. Rural de Maringá) e Juceval de Sá João Pavinato, prefeito de Cambé José Maria Ferreira, prefeito de Ibiporã Aleocídio Balzanelo (TIDE) Prefeito de Sertanopolis Diretores com o deputado federal Luiz Carlos Hauly e o conselheiro do TC, Durval Amaral e o senador Álvaro Dias Sgarioni, Ademar Ajimura, Kátia Abreu, Jorge Hashimoto e Sérgio Souza Christian Schneider, Jacques Paciullo, diretor comercial da TV Globo, e Sgarioni 8

[close]

p. 9

Octávio Cesário Pereira Neto, o prefeito de Curitiba Gustavo Fruet, Bernardo Araújo Jorge e Eduardo Araújo Jorge Oezir Kantor, Sgarioni, ministro da pesca Helder Barbalho e os diretores da SRP Ricardo Neukirchner e Silvana Kantor Orlando Pessuti e os deputados federais Evandro Roman e Osmar Serraglio Pedro Lopes, presidente da Embrapa Rafael Lamastra, Sgarioni e o deputado estadual Ratinho Jr. Sérgio Bahls, Paulo Bento, Sgarioni e Ney Caldas (Sanepar) Sgarioni e o deputado federal Marcelo Belinati Octávio Cesário Pereira Neto, José Paulo Dornelles Cairolli, vice-governador do Rio Grande do Sul e Humberto Barros Valdir Collato, dep. federal Deputado Federal, Rubens Bueno 9

[close]

p. 10

SETOR ANIMAL Pecuária de Corte está aquecida no Brasil Pecuária seletiva foi bem representada na Expô A pecuária seletiva, com animais de exposição, passa por uma reavaliação pelos selecionadores brasileiros. “Os altos custos para manter este projeto é o principal motivo, por isso tem diminuído no Brasil o número de criadores com este perfil de seleção”, avalia o presidente da SRP, Moacir Sgarioni. A pecuária de corte no Paraná e no Brasil está aquecida, o que gerou excelentes resultados de comercialização na exposição de Londrina em 2015, entretanto a pecuária de corte no Paraná sofre uma pressão pela exploração da agricultura. De acordo com Sgarioni, “temos bom clima e chuvas distribuídas o ano todo, solos férteis e de boa topografia, alta tecnologia, favorecendo a exploração da agricultura de grãos com duas safras anuais, plantio de cana, mandioca, laranja e reflorestamento. É uma realidade que está pressionando os pecuaristas a mudarem a atividade de exploração de suas propriedades, principalmente pelo fator rentabilidade.” Jatobá vence Trofeu Orestes Tibery Júnior A Jatobá Agricultura e Pecuária S/A foi a vencedora do Trofeu Transitório Orestes Prata Tibery Junior, que premia os melhores do ranking Nelore participantes da 55ª Exposição de Londrina. A premiação aconteceu no encerramento do julgamento, dia 11 de abril. Foi a terceira edição do prêmio, que ficará definitivamente com o expositor que vencer por três anos consecutivos ou cinco alternados. O troféu homenageia Orestes Tibery Jú10 nior, um dos maiores idealizadores e apaixonado pela raça Nelore no Brasil. Representante da Jatobá Agricultura e Pecuária, o veterinário Helio Boszczovski afirmou que foi uma honra receber uma premiação na ExpoLondrina, uma das mais importantes exposições do país. Segundo ele, não é fácil obter este reconhecimento entre grandes criadores e expositores, que são premiados em outras exposições. “Esta conquista é fruto de investimentos, equipe, trabalho e dedicação”, disse. A Jatobá obteve os títulos de melhor criador e melhor expositor. Seus animais foram o grande campeão macho Objuan FIV Do Mura e grande campeã fêmea – Obleia TE do Mura. Na Expô 2013 a vencedora foi a Rima Agropecuária e no ano passado, a vencedora do Troféu Orestes Prata Tibery Júnior foi a pecuarista Beatriz Garcia Cid e Filhos. Representantes da Fazenda Jatobá comemoram o resultado

[close]

p. 11

Crianças e público em geral se encantaram com a ordenha Pecuária leiteira - A pecuária leiteira foi representada na 55ª ExpoLondrina com 50 animais das raças Jersey, Girolanda e Holandesa, de expositores vinculados à Cooperativa Agroindustrial de Londrina (Cativa). Os animais estavam em franca produção, o que exigiu a realização de várias ordenhas ao dia, chamando a atenção dos visitantes da exposição, especialmente as crianças que puderam acompanhar de perto de onde sai o leite que chega a suas casas, na maioria das vezes, dentro de caixinha. Lideranças do setor também aproveitaram a ExpoLondrina para conhecer tecnologias e avanços da agropecuária e trocar impressões e opiniões sobre questões relativas à atividade. A Confepar, parceira da cooperativa, fez degustação de iogurtes num local próximo à Casa do Leite, espaço dos criadores no Parque Ney Braga. ABCZ apresentou programa Pró-Genética A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu apresentou na ExpoLondrina o Programa de Melhoria da Qualidade Genética do Rebanho Bovino Brasileiro – o Pró-Genética. A palestra foi ministrada pelo coordenador do programa, Lauro Fraga Almeida. O Pró-Genética é um programa que orienta o produtor sobre os caminhos para melhoria de seu rebanho. O objetivo é incentivá-lo a adquirir touros puros com índices positivos, com Registro Genealógico Definitivo (RGD), exame Andrológico Positivo e atestados sanitários, deixando de usar reprodutores sem origem conhecida (denominados “pé-duro”). Projeção realizada pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebu aponta que um bezerro, fruto de um bom touro zebuíno com vaca de boa genética, desmama com oito meses de idade e 200 quilos criados a campo e chega ao peso de abate com 480 quilos em 19 meses. Já o animal de boi e vaca sem origem vai desmamar com 150 quilos e levará 30 meses para chegar ao peso do abate. O programa conta com parcerias de Associações de Raças, Sindicatos, entidades do setor e instituições financeiras para facilitar o acesso do produtor a créditos. O uso de touros PO eleva a qualidade e uniformidade das crias nascidas tanto para corte quanto para leite. 11

[close]

p. 12

EVENTOS TÉCNICOS Agenda atende a todas as demandas Com uma agenda diversificada e atual, os eventos técnicos da ExpoLondrina 2015 atraíram milhares de produtores em busca de novas informações. E mais uma vez a Sociedade Rural do Paraná contou com importantes parcerias para organizar os cursos, palestras, simpósios e encontros, com o objetivo de disseminar conhecimentos importantes para o desenvolvimento do agronegócio. Seab/Emater; Universidade Estadual de Londrina, Universidade Norte do Paraná, Unifil estiveram juntas na realização de importantes eventos durante os 11 dias da ExpoLondrina. “Sem dúvida, trata-se de um momento importante para tornar as informações acessíveis a todos” , comentou o diretor de Atividade Agroindustrial da SRP, Luigi Carrer Filho, organizador dos eventos técnicos durante a Exposição. Em apenas quatro dos eventos, realizados pela Sociedade Rural do Paraná (Simpósio Bem Estar na Fazenda, Ciclo de Palestras em Ovinocultura Moderna, Simpósio Eficiência em Produção e Reprodução Animal e workshop em Andrologia Bovina e Tecnologia do Sêmen) foram cerca de 1.200 inscritos. Peixe é nova fronteira agrícola Celeridade na aprovação de licenciamentos ambientais, crédito, isenção tributária e outros incentivos, que fazem parte das demandas da aquicultura, que as consideram determinantes para a permanência na atividade e ampliação da produção nacional de pescado. Estes temas estiveram no foco das discussões do 14° Seminário Estadual de Aquicultura, realizado no dia 13 de abril, dentro da programação técnica da ExpoLondrina, e que reuniu mais de 300 produtores. O evento contou com a presença do ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Babalho, cuja participação sinalizou a resolução de um dos mais importantes entraves do setor: a falta de agilidade na concessão dos licenciamentos ambientais para a piscicultura de cultivo. Barbalho anunciou que o Ministério realiza uma força-tarefa em todos os Estados para, em conjunto com os governos estaduais, acelerar o processo de liberação. No mesmo dia do encontro em Londrina, o ministro tinha audiência com o governador Beto Richa para tratar do tema. “A pesca e aquicultura são a nova fronteira para a produção, geração de emprego e renda. A determinação do governo federal é que ações sejam incrementadas para o atendimento do setor” , disse na ocasião. Outra notícia que melhora os ânimos dos piscicultores foi o anúncio da assinatura da liberação de parques aquícolas no Estado. A criação de tilápia no Lago de Itaipu, uma antiga reivindicação do setor, será possível em 73 áreas, com produção estimada em 2,9 mil toneladas até 2018. Outros oito parques estão sendo liberados no Rio Paranapanema, com potencial de produção de 25 mil toneladas até 2020. A meta do governo é que o Brasil alcance em 2020 uma produção de 2 milhões de toneladas de pescado. O ministro também afirmou que o setor receberá como incentivo R$ 2 bilhões provenientes do Plano Safra. Destaque no agronegócio - Barbalho citou alguns argumentos para justificar a prioridade do Ministério em atender as demandas dos piscicultores. Ele afirmou que a aquicultura é um setor importante para o agronegócio em todo o mundo e o Brasil ainda não acompanha está tendência. “Segundo a FAO (órgão da ONU para agricultura e alimentação) no mundo são produzidas 160 milhões de toneladas de peixe por ano, o que gera negócios da ordem de US$ 600 bilhões, sendo US$ 136 milhões no setor de exportação” , disse. “O Brasil tem maior densidade de água doce, mas não tem produção proporcional” , comentou. Os anúncios feitos pelo ministro vêm ao encontro das principais reivindicações dos produtores. “Atualmente a aprovação dos projetos demora de três a quatro anos por causa da burocracia” , afirmou João Paulo Vasconcelos, presidente da Associação Norte Paranaense de Aquicultores (Anpac). Segundo ele, a morosidade do processo causa muitos prejuízos porque os produtores dependem dos projetos para a obtenção de crédito. Outra solicitação do setor é a desoneração da carga tributária. “Pedimos também que os cargos técnicos do Ministério e empresas estatais sejam ocupados por profissionais da área” , disse. Potencial de crescimento - Solucionadas essas questões, o mercado da piscicultura tem um potencial de crescimento. Basta avaliar os índices que apontam crescimento de 100% no consumo nos últimos 10 anos. “A população brasileira, que em 2005 consumia em média 6,7 quilos de peixe ao ano, agora come 14,5 quilos” , informou Ademir Calvo Fernandes Júnior, zootecnista da Presence Nutrição e Saúde Animal. Ele foi o responsável pela palestra“Cenário atual e tendências para o mercado da piscicultura” no Seminário realizado dia 13 de abril. Condições ideais de cultivo mais o aumento do consumo indicam crescimento também da produção. Fernandes afirma que a FAO estima que nos próximos 15 anos a produção brasileira, hoje em 475 mil toneladas, crescerá 10 vezes mais. O engenheiro de pesca, Luiz Eduardo Barreto, da Emater, afirmou que a região Norte do Paraná é importante no cenário da piscicultura. Na área da Anpac são produzidas 14 mil toneladas por ano. “Em Alvorada do Sul, responsável pela produção de 1200 toneladas, a atividade é o segundo Valor Bruto de Produção (VBP), perdendo apenas para a soja” , afirmou. 12

[close]

p. 13

Agregar valor para exportar melhor O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo (em 2014 foram 4,1 milhões de toneladas), mas a média de comercialização é de US$ 2,1 mil por tonelada. Já a Tailândia, responsável apenas por 0,5 milhões de tonelada de exportação no ano passado, obteve a média de US$ 5 mil dólares por tonelada. Para aumentar esse índice, o Brasil precisa aprender a agregar valor ao produto, segundo o presidente executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) Francisco Turra. Ele participou do Encontro de Avicultores, no dia 15 de abril, dentro da programação da ExpoLondrina, abordando o tema “Oportunidades para a avicultura brasileira”. A carne de frango brasileira é exportada para 157 países, principalmente para o Oriente Médio e Ásia. Entre os estados, o Paraná foi responsável, em 2014 por 32% do total de exportações do país, seguido de Santa Catarina 24,5% e Rio Grande do Sul com 18%. No ano passado, o Paraná foi responsável pelo abate de 1,54 bilhões de cabeças. O setor é responsável pela geração de 60 mil empregos diretos e 600 mil indiretos. O Brasil, apontado como o terceiro produtor mundial, com 12,3 milhões de toneladas, lidera as exportações mundiais desde 2004. Na opinião de Turra, o grande trunfo para o Brasil continuar nesta posição, além de oferecer qualidade, é a sanidade animal, já que manter-se livre de doenças é um problema enfrentado por outros países. Sobre o valor alcançado para exportação, Turra observa que o país precisa pensar em agregar valor. E cita como exemplo a Tailândia, que exporta muito processado. “É um trabalho de capacitação, de investimento em tecnologia que o avicultor precisa ter.” O encontro contou com a participação de aproximadamente 200 avicultores. Bem Estar na Fazenda A opção por algumas práticas na propriedade são determinantes para obter resultados seja na produtividade ou na manutenção das condições do solo e ambiente. Uma reflexão sobre o assunto foi a proposta do 1º Simpósio Bem Estar na Fazenda. Os temas economia, ambiente e ética na produção de alimentos, madeira e biomassa nortearam as cinco palestras. “O foco foi a sustentabilidade, com discussões sobre a condução e manejo racional da propriedade”, disse Pedro Francio Filho, agrônomo da Unisafe, empresa de consultoria organizadora do evento. Francio afirmou que o produtor tem à mão inúmeras tecnologias, que são decisivas para a atividade, o que nem sempre significa algo sofisticado. “A engenharia existe para usarmos a nosso favor. E temos que resgatar conceitos básicos que muitas vezes são deixados de lado”, frisou. “Tudo está na mãe natureza, na mãe terra. A busca do equilíbrio é fundamental”, complementou. Foram realizadas palestras sobre a “Importância dos solos: produção competitiva por meio da bioativação de solos e plantas. A ciência na prática”, “Meio ambiente: problema ou solução?”, “Diversificação rural: o componente florestal na produção agropecuária. Sistemas integrados silvipastoril, silviagrícola e agrossilvipastoril,” “Boas práticas de manejo e bem estar animal na produção de bovinos”, e “Gestão rural: economia, ambiente e ética em busca de resultados”. AVICULTURA 13

[close]

p. 14

Plante seu Futuro: campanha reduz uso de inseticidas Iniciada em meados de 2013, a campanha Plante Seu Futuro, que preconiza as boas práticas na produção agropecuária no Paraná, obteve a redução de 50% no uso de inseticidas nas áreas monitoradas – são 2,3 aplicações nessas áreas por ciclo, sendo que a média no Paraná é de cinco. Detalhes dos resultados da campanha no manejo integrado de pragas e doenças foram divulgados durante seminário realizado na ExpoLondrina. Realizada em parceria entre várias instituições, tendo na linha de frente Emater, Iapar e Embrapa, a campanha é aplicada em 160 propriedades de referência em todo o Estado e 45 na região norte. Todas têm cultivo de soja. “Na prática, é feito monitoramento de pragas e doenças no campo e com isso se toma a decisão da necessidade ou não de iniciar o controle químico”, explicou o coordenador estadual de grãos da Emater, o engenheiro agrônomo Nelson Harger. Além da redução no uso de inseticidas e fungicidas, outro resultado da campanha é dobrar o tempo de entrada da primeira pulverização. “O agricultor tem adiado em 30 dias a primeira aplicação e isso reflete em economia não só de insumos, mas de tempo e óleo diesel, entre outros itens”, disse. Outro ponto positivo são os benefícios para o meio ambiente. Encontro do Café reuniu cerca de 600 produtores O 23ª Encontro Estadual do Café reuniu cerca de 600 pessoas e discutiu a importância da mulher nas propriedades cafeeiras e a influência das mudanças climáticas na produção de café. Resultados do trabalho desenvolvido pelas mulheres do café da região de Santo Antônio da Platina foram divulgados durante o encontro pela equipe da Emater do município localizado no Norte Pioneiro. “As mulheres realizaram o trabalho de mensuração da 14 qualidade do café. Queremos mostrar que elas são as grandes parceiras do produtor”, afirma o coordenador do Projeto Café da Emater, o engenheiro agrônomo Cilésio Abel Demoner. Também foi lançado oficialmente, durante o evento, o 13º Concurso Café Qualidade Paraná, cujas inscrições poderão ser realizadas de maio até agosto, e é classificatório para a etapa nacional. Segundo Demoner, antigamente o café paranaense era considerado de péssima qualidade. “Quando começamos esse trabalho do concurso mudamos a visão nacional e até internacional. O Paraná é um estado com toda a potencialidade e que produz café de qualidade.” O mote do concurso é “Gestão faz a diferença na produtividade e qualidade” e são três as categorias: café natural, cereja descascado e microlote da pequena agricultura familiar. No Paraná são 55 mil hectares cultivados por cerca de dez mil cafeicultores, a grande maioria formada por pequenos produtores. A produtividade média no Estado é de 22 sacas por hectare. “A expectativa é aumentar a produtividade para até 40 sacas”, afirmou Demoner.

[close]

p. 15

Andrologia bovina O 4º Workshop em Andrologia Bovina e Tecnologia de Sêmen foi realizado numa parceria entre a Sociedade Rural do Paraná (SRP) e UNOPAR. Cem médicos veterinários e estudantes de Medicina Veterinária participaram do workshop, ministrado pelo professor Flávio Lopes, da UNOPAR, aliando teoria e prática. No exame andrológico há a coleta do sêmen de um touro para avaliar se é fértil, subfértil ou infértil. “Através da motilidade, vigor e concentração é possível avaliar se o touro está apto ou não para reprodução”, explicou o diretor de Ativida- de Agroindustrial da SRP, Luigi Carrer. Segundo ele, o exame é bastante utilizado pelos produtores, principalmente porque o uso da inseminação artificial é cada vez maior. Sardenberg e Samek dão seu recado O jornalista Carlos Alberto Sardenberg, âncora da CBN Nacional, levou centenas de pessoas ao recinto Milton Alcover para ouvirem sua palestra sobre “Crescimento é Produtividade, o exemplo do agronegócio”. Também foi muito prestigiada a palestra do presidente da Itaipu Binacional, Jorge Samek, sobre “Sustentabilidade”. 15

[close]

Comments

no comments yet