Show da Fé

 

Embed or link this publication

Description

Show da Fé

Popular Pages


p. 1

Jornal Show da Fé Só existe uma porta para a salvação PÁGINA 23 SHOWda FÉ O JORNAL DAAC PALAVRA DE DEUS MARCOS MARCOS AC Palavras de fé do Missionário PÁGINA 24 ANO 2 - Nº 17 - JUNHO DE 2015 Maravilhas extraordinárias MARCOS AC “Eu tinha uma legião de demônios” MARCELO NEJM Assim como Jesus atendeu ao pedido de socorro do cego de Jericó, que voltou a enxergar, Ele, ainda hoje, atende ao clamor dos que O buscam com fé Geralda de Souza Vieira Maria de Lourdes Cardoso MARCOS AC Desde a adolescência, Marilda Amaral começou a ver vultos, ouvir vozes e a ver demônios acendendo as luzes. Com o passar do tempo, o quadro piorou, a ponto de não conseguir mais dormir. No entanto, ao ouvir a Palavra e acreditar no poder de Deus, encontrou a paz. Página B12 Depressão, uma porta para o Nelson Wissmann se emociona ao constatar a cura suicídio cerebrais). Devido a labirintite, Nelson Wissmann tinha de se segurar nas portas e paredes para não cair. Maria de Lourdes Cardoso sofria de dormência no corpo, dor no joelho e visão turva. Todos eles foram curados nas reuniões realizadas pelo missionário R. R. Soares Páginas B1, B7 e B10 Considerada a mais grave consequência da depressão, o suicídio aumenta a cada dia em todo o mundo. Pelo menos uma pessoa tira a própria vida a cada 40 segundos. O copiloto que derrubou um avião na França, matando 150 pessoas, foi uma das vítimas da doença. Especialistas dão dicas de como identificar sinais que demonstrem tendência suicida em pessoas depressivas. Páginas 20, 21 e 22 G eralda de Souza Vieira, por exemplo, ficou refém da bengala após sofrer cinco AVC’s (acidentes vasculares Vós sereis meu amigos, se fizerdes o que eu vos mando (João 15.14).

[close]

p. 2

2 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 Expediente Jornal Show da Fé Editorial Palavras de fé do Missionário PÁGINA 24 Só existe uma porta para a salvação PÁGINA 23 SHOWda FÉ O JORNAL DAAC PALAVRA DE DEUS MARCOS MARCOS AC ANO 2 - Nº 17 - JUNHO DE 2015 Maravilhas extraordinárias MARCOS AC “Eu tinha uma legião de demônios” MARCELO NEJM Cheios da autoridade celestial Missionário R. R. Soares Quando Jesus ordenou que Seus discípulos fossem por todo o mundo e pregassem o Evangelho a toda criatura (Mc 16.15), não era para combater as religiões ou promover alguma. Eles deveriam levar às pessoas o entendimento do que Ele fez em favor delas. Deus não está interessado em grandes templos, em reuniões onde o homem é exaltado e as pessoas não são ensinadas sobre o que lhes pertence para viver livres dos ataques malignos, e sim na libertação do povo. Os enviados do Altíssimo devem estar cheios da autoridade celestial para socorrer os sofredores em suas tribulações. É isso que estamos fazendo, e milhares de pessoas têm sido curadas e libertas das suas aflições. Veja os testemunhos de muitas delas aqui, neste jornal, e venha também receber a sua bênção, pois um milagre está à sua espera! Assim como Jesus atendeu ao pedido de socorro do cego de Jericó, que voltou a enxergar, Ele, ainda hoje, atende ao clamor dos que O buscam com fé Geralda de Souza Vieira Maria de Lourdes Cardoso MARCOS AC Desde a adolescência, Marilda Amaral começou a ver vultos, ouvir vozes e a ver demônios acendendo as luzes. Com o passar do tempo, o quadro piorou, a ponto de não conseguir mais dormir. No entanto, ao ouvir a Palavra e acreditar no poder de Deus, encontrou a paz. Página B12 Depressão, uma porta para o Nelson Wissmann se emociona ao constatar a cura suicídio cerebrais). Devido a labirintite, Nelson Wissmann tinha de se segurar nas portas e paredes para não cair. Maria de Lourdes Cardoso sofria de dormência no corpo, dor no joelho e visão turva. Todos eles foram curados nas reuniões realizadas pelo missionário R. R. Soares Páginas B1, B7 e B10 Considerada a mais grave consequência da depressão, o suicídio aumenta a cada dia em todo o mundo. Pelo menos uma pessoa tira a própria vida a cada 40 segundos. O copiloto que derrubou um avião na França, matando 150 pessoas, foi uma das vítimas da doença. Especialistas dão dicas de como identificar sinais que demonstrem tendência suicida em pessoas depressivas. Páginas 20, 21 e 22 G eralda de Souza Vieira, por exemplo, ficou refém da bengala após sofrer cinco AVC’s (acidentes vasculares Vós sereis meu amigos, se fizerdes o que eu vos mando (João 15.14). DIRETOR EXECUTIVO R. R. Soares CONSELHEIRO EDITORIAL Eber Cocareli EDITORA Elaine Monteiro R EPÓRTERES Amanda Pieranti Claudia Santos Mônica Ferreira R EPÓRTERES COLABORADORES Isabel Querino e Marcos Couto FOTOGRAFIA Marcos AC Luiz Fernando Marcelo Nejm R EVISÃO Célia Cândido (Direção), Joseane Cabral (Supervisão), Magdalena Soares (Prova), Jorge Guimarães e Marcella Peçanha (Originais) DIREÇÃO DE ARTE Kleber Ribeiro DIAGRAMAÇÃO E A RTE-FINAL Bruno Moraes, Leandro Alves, Rodrigo Magno e Tatyanne Rangel SITE www.ongrace.com/ jornalshowdafe E-MAIL jornalshowdafe@ongrace.com R EDAÇÃO Estrada dos Bandeirantes, 1.000 - Taquara - Rio de Janeiro RJ CEP 22.710-113 Telefone: (0xx21) 3077-5168 É expressamente proibida a reprodução total ou parcial de matérias, entrevistas, artigos, fotos e ilustrações sem prévia autorização dos titulares dos direitos autorais. O Jornal Show da Fé é uma publicação da Graça Artes Gráficas e Editora LTDA. ELE FAZ COISAS TÃO GRANDIOSAS, QUE SE NÃO PODEM ESQUADRINHAR (JÓ 5.9a). ARQUIVO PESSOAL Com fé, mãe vence a batalha contra rara doença da filha Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com omo agir diante de uma rara doença de um filho? Essa é a pergunta que muitas mães se fazem no momento em que enfrentam esse tipo de adversidade. Yvoneth Gomes da Rocha Esteves não teve dúvidas de que era com fé, quando descobriu que a filha, Camila Esteves da Rocha, à época com 12 anos, sofria de doença de Castleman, uma ocorrência que, segundo a Medicina, é rara na infância/adolescência e causa tumores nos gânglios linfáticos. No caso de Camila, o tumor nasceu no pescoço. “Era necessário fazer esvaziamento cervical. Porém, o tumor estava grudado na artéria, e, caso ele fosse retirado, os movimentos de minha filha poderiam ficar comprometidos e ainda havia o risco de perda da visão, mas, se ela não operasse, a doença poderia se C espalhar. Então, chorando, eu disse: ‘Jesus, não aceito essa situação’. Durante o clamor, o Espírito Santo me orientou a esperar, pois, no momento certo, Deus agiria”. Nessa fé, as duas deixaram o local em que moravam rumo a uma grande capital para consultar outro especialista. “Disseram que, se minha filha tivesse se submetido ao esvaziamento cervical, ela não só ficaria com buracos no pescoço, como também deficiente. Então, optaram por fazer quimioterapia. Nesse momento, lembrei-me do programa em que o Missionário havia falado sobre a figueira amaldiçoada por Jesus. O pregador disse que nós também podemos secar o mal, chamando a doença pelo nome”. Em um ato de fé, Yvoneth colocou a mão no pescoço da menina e disse: “Doença de Castleman, saia do pescoço da Camila. Caroço, seque, em Nome de Jesus”. Camila, ao lado da mãe, em sua formatura Cura revelada em sonho A resposta ao clamor veio à noite. “Em sonho, Jesus me mostrou que eu estava com a minha filha sobre uma ponte apodrecida. No meio do percurso, olhava para frente e havia um trajeto muito grande a percorrer. Ouvi uma voz que dizia: ‘Não olhe para baixo’. Não vi Jesus, mas vi surgir do meu lado um caminho diferente. Meu esposo nos esperava ao final dele. Quando cheguei, afirmei: ‘Minha filha está curada’. Jesus tinha mudado o percurso, pois Ele não queria uma trajetória drástica para ela”. Assim que acordou, Yvoneth foi até a filha e constatou o sumiço do tumor. Mesmo assim, elas participaram da mesa redonda agendada com médicos para definir o futuro de Camila. “Um especialista a examinou e disse que eles nunca viram um caso desses, pois o nódulo havia sumido. No entanto, pediram que eu fizesse o acompanhamento dela por cinco anos, porque a doença poderia voltar. Então, respondi que não voltaria, pois Jesus havia curado minha filha, e o que Ele faz é perfeito”. Hoje, com 24 anos, a jovem, saudável, realizou o sonho de se formar em Medicina. “Senti vontade de ser médica quando convivi com a realidade de receber um diagnóstico difícil e ao ver crianças e adolescentes no hospital do câncer. Hoje, pretendo levar a esperança e o amor de Deus às pessoas”, conclui Camila, que se especializará em pediatria.

[close]

p. 3

SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 3 Milagres pela TV O Show da Fé, programa de TV que alcança diariamente milhões de brasileiros, está levando os sofredores a receberem as mais fantásticas bênçãos em suas casas. Sem dores e sem hemorragia U FOTOS: MARCELO NEJM ma vacina tomada quando ainda era bebê deixou algumas sequelas em Dariane Alves Monteiro. Desde a adolescência, muitas vezes, a moça andava com dificuldade por causa da dor. Segundo Dariane, os remédios não surtiam efeito. “Os médicos diziam que eu teria de conviver com os sintomas e suspeitavam de varizes secundárias, mas não davam um diagnóstico preciso. Gostava de ajudar minha mãe com os serviços de casa, mas, quando eu começava a fazê-los, não aguentava continuar e tinha de me sentar”. Além desse problema, Dariane também sofreu, por um ano, de hemorragia, que a fazia desmaiar. “Ficava pálida, anêmica e fraca. Era difícil ir à escola naquelas condições”. Porém, assistindo ao Missionário R. R. Soares pela televisão e ouvindo CDs de mensagens, a jovem alcançou a bênção. “Fui curada de todas as enfermidades. Primeiro, a dor na perna desapareceu, e, logo em seguida, o ciclo menstrual se normalizou”. Pedra nos rins? Que nada! Em 2010, após sentir muita dor, Maria José de Oliveira Lago resolveu investigar a causa daquele mal-estar. “Achava que era problema na coluna, mas, depois de alguns exames, descobri que tinha cálculo renal. Fiz o procedimento para a quebra das pedras, mas não melhorei”. Maria José, então, intercedeu ao Senhor pela cura. “Coloquei toda minha fé em Jesus. Orava com o Missionário pela televisão, ia à Igreja e fazia as campanhas, determinando a bênção”. No ano passado, ao refazer os exames, Maria José teve a prova da vitória. “Fiz uma tomografia, e a médica falou que eu não tinha cálculos. Comecei a glorificar a Deus, agradecendo, pois Ele me sarou”. Nódulo sumiu Há 15 anos, Isailda Santos Alonso bateu a cabeça em uma janela de ferro. Na área ferida, formou-se uma espécie de gânglio inflamado indolor. “O médico disse que eu deveria procurá-lo caso o nódulo começasse a doer ou crescer”. Passado um tempo, ela sofreu outro acidente. “Levei uma pancada, e o inchaço aumentou”. Devido a isso, fui encaminhada para cirurgia. Telespectadora do Show da Fé, Isailda sempre clamava com o Missionário R. R. Soares. “Eu orava e ungia o ferimento, falando que não tinha nascido com aquilo e que Jesus me curaria”. Um dia, o líder da Igreja da Graça pediu que todos colocassem a mão sobre a enfermidade. “Ele orou no programa, e eu, em casa, firmando com ele a minha fé. De madrugada, o nódulo começou a amolecer até sumir de vez”.

[close]

p. 4

4 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 Uma nova chance para si mesma Aos 12 anos, Eliane Ferreira Balca se afastou dos caminhos de Jesus, e tudo em sua vida começou a dar errado. A menina tornou-se agressiva e logo entrou em depressão, passando a ser dependente de remédios controlados. Perturbada e com o comportamento estranho, Eliane sentia prazer em passear em cemitérios, tentou o suicídio várias vezes e começou a ter diversas atitudes contrárias à Palavra de Deus. Um dia, porém, em desespero, a moça lembrou-se de que só o Senhor poderia mudar a história dela. Ainda criança, Eliane serve ao Senhor com seus pais. Na adolescência, afasta-se de Jesus, e a sua vida começa a retroceder. Eliane fica perturbada, rebelde e agressiva com a própria mãe. Dominada pelo ódio, quebra objetos dentro de casa. Entra em depressão e passa a tomar medicamentos controlados para se acalmar. Anda em companhia de pessoas erradas. Agora, a jovem frequenta cemitérios, como se isso fosse um lazer. Oprimida, tenta se matar várias vezes. Vivendo erradamente, flerta com a homossexualidade, pois não tem noção do que é certo ou errado. No fundo do poço, Eliane se lembra de Deus e reconhece que só Ele pode tirá-la daquela situação. Em pouco tempo, passa a assistir ao programa Show da Fé constantemente e aprende a determinar a própria libertação. Um dia, decide ir à reunião do Missionário após vários apelos da mãe dela. PROTAGONISTA: PARTICIPAÇÕES: ASSISTENTE: ROTEIRO E PRODUÇÃO: FOTOS: ARTE: EDITORA: Quando Eliane percebe, já está liberta de todos os males. Hoje, a obreira da casa de Deus testemunha uma nova vida.

[close]

p. 5

MILAGRES O SENHOR ME OUVE QUANDO EU CLAMO POR ELE (Salmo 4.3b – ARA). Editorial esus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim! , gritava o cego Bartimeu, que esmolava sentado à beira do caminho no qual Jesus passava, na cidade de Jericó, com Seus discípulos e uma grande multidão. Muitos o re- SHOWda FÉ JUNHO DE 2015 B1 O milagre de Bartimeu J preendiam para que ficasse calado, mas ele gritava ainda mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Com essa atitude corajosa, Bartimeu poderia ser castigado ou até morto pelos romanos, responsáveis por sua cegueira. Ele era filho de Timeu, um general que servia a Israel no destacamento de Betel, mas, com o domínio do Império Romano, teve seus bens confiscados. Revoltado, liderou vários motins para desestabilizar o governo de Roma, que acabou matando-o. Os romanos também mandaram arrancar os olhos de Bartimeu, a fim de evitar que se tornasse um revoltoso ainda mais perigoso do que o pai. Desde então, ele se tornou mendigo. Missionário R. R. Soares Ocupe-se em cumprir a vontade de Deus Deus não seria mau, se tivesse levantado pessoas para livrar os sofredores, curar os doentes e dar a bênção ao povo somente na geração que viveu nos dias de Jesus e dos apóstolos? Na verdade, o propósito do Senhor sempre foi curar, salvar e abençoar em qualquer época. No entanto, quando a igreja cristã cresceu e se fez grande em muitas nações, muitos de seus membros passaram a se ocupar com outras atividades que não lhes dessem o trabalho de se preparar em orações e jejuns, a fim de cumprir o propósito divino: libertar os cativos. Por isso, em todas as partes, encontramos oprimidos por vários males. Agora, desafiamos você a vir e aprender a fazer a oração da fé, a qual cura os doentes e tira os aflitos das mãos do diabo. Então, em pouco tempo, você será uma pessoa completamente abençoada. Participe de uma de nossas reuniões, pois um milagre o aguarda! Voltou a enxergar mesmo sem os globos oculares Bartimeu não queria continuar naquela situação. Por isso, ao saber que Jesus passava pelo local, gritou por ajuda com todas as suas forças, sem que ninguém conseguisse impedi-lo. Ele não teve medo dos romanos nem questionou se o seu caso era pior do que o dos outros cegos, já que não tinha os globos oculares. Sua fé o fez entender que nada é impossível para Deus. A atitude de Bartimeu foi recompensada, pois, ao ouvir seu pedido de socorro, Jesus mandou chamá-lo. Lançando sua capa para o lado, pôs-se em pé e dirigiu-se ao Senhor, que lhe perguntou: “O que você quer que eu faça?”. O cego respondeu: “Mestre, eu quero ver!”. “Vá”, disse Jesus, “a sua fé o salvou”. Imediatamente, a visão daquele homem foi restaurada (Marcos 10.46-52). Jesus, ao curar Bartimeu, desafiou o Império Romano, que causara aquele mal. “Ainda hoje, é isso que Cristo faz por todos nós: ‘compra nossa briga’ com o diabo, causador dos problemas em nossa vida. Jesus luta por nós quando clamamos a Ele e nos concede cura, libertação e vitória sobre qualquer adversidade, pois ainda opera poderosamente nos dias de hoje. Por isso, devemos orar sempre”, ensina o Missionário R. R. Soares. MARCOS AC Pernas doíam tanto que tremiam É agindo como Bartimeu, clamando ao Senhor com fé, que muitas pessoas têm alcançado milagres extraorríodo de quatro anos, ela precisou usar bengala para se locomover, pois suas pernas viviam inchadas e doloridas. “Doíam tanto, que bambeavam e tremiam”. Por conta do problema, Geralda não conseguia manter sua casa em ordem. “Quando teimava em fazer alguma coisa, a dor piorava, e eu tinha de me deitar”. Decidida a vencer aquele mal, ela enfrentou uma viagem de quase duas horas para chegar à reunião, da qual saiu vitoriosa. “Jesus restaurou minha saúde. Não sinto mais dor, larguei a bengala e posso cuidar da minha casa”. Jesus restaurou a minha saúde dinários nos cultos realizados pelo Missionário. Uma delas é Geralda de Souza Vieira. Após sofrer cinco AVCs (acidentes vasculares celebrais) em um pe-

[close]

p. 6

B2 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 Devemos orar até que Deus responda pregação do Missionário R. R. Soares na reunião que fez no feriado de primeiro de maio, teve por base o Salmo 7. Nesse texto, o rei Davi exalta a Deus e afirma que Ele é o seu Escudo e Salvador, o justo Juiz. “Trata-se de uma oração. Davi orou, e devemos imitar suas ações até que o Senhor responda”, disse o líder da IIGD. Tão importante quanto a oração em si é a crença, FOTOS: MARCOS AC A pois todo aquele que crê não perece. Além disso, R. R. elencou três atitudes de Deus com relação àqueles que O buscam: “Levanta-te, SENHOR , diz o texto, ou seja, Ele age em favor dos Seus. Exalta-te por causa do furor dos meus opressores, afirma a Palavra, dando a entender que Deus acompanha a vida dos Seus servos e os defende. Por fim, o versículo 7 traz a seguinte frase: Desperta por mim ”. O Missionário destacou que essas afirmações mostram a necessidade de o povo de Deus buscar o favor dEle, e não se resignar com a opressão, que, em nossos dias, pode ser compreendida como doença, miséria, desemprego, entre outras dificuldades. “É preciso largar as vãs filosofias acerca de Deus, pois, assim, o povo acaba colocando limites nEle. Como isso é possível? Ele é perfeito e pode todas as coisas”, complementou. Largou o emprego devido à dor nas costas O problema na coluna de Maria Cândida Gonsalves gerou grandes transtornos à sua vida. Ela não conseguia varrer a casa nem passar pano no chão. Além disso, teve de pedir demissão do emprego, pois a dificuldade que enfrentava estava acima de sua capacidade humana de superação. Foram 12 meses de consternação; porém, o que a Medicina não pôde fazer por ela foi suprido pela fé. Depois de assistir na TV à chamada para o culto de R. R. Soares, Maria colocou no coração a certeza de comparecer ao evento e receber a cura. E assim aconteceu. “As dores simplesmente sumiram. Foi algo inacreditável”, disse ao Jornal Show da Fé quatro dias depois de receber a cura. Maria lembrou que tomou vários remédios e fez tratamentos, mas foi o poder de Deus que solucionou o que a ciência humana não conseguiu. Mesmo aposentada, ela trabalhava como auxiliar de nutrição em um hospital. “Agora, curada, pretendo aproveitar um pouco mais meu tempo livre, porém não descarto voltar a trabalhar, afinal de contas meu corpo está restaurado”. Vassoura servia de bengala para sair da cama Alaide Augusta de Oliveira sentia uma dor tão excruciante, que a impedia, inclusive, de se levantar da cama. Além disso, precisava usar uma vassoura como apoio. “As dores nos joelhos e na coluna eram tão terríveis, que eu mal conseguia me movimentar direito”, diz. Mesmo enferma, ela não podia faltar ao trabalho. Auxiliar de serviços gerais, cumpria seu horário diariamente e sabia que, com fé em Deus, tudo seria possível, bastando aguardar o tempo dEle. E a hora de Jesus atuar na vida dela chegou. No feriado de primeiro de maio, Alaide se dirigiu à Igreja da Graça para uma reunião de fé e milagres. “As dores foram embora. Estou completamente bem”. Telespectadora assídua do programa Show da Fé , ela estava convicta de que seria liberta daquele sofrimento. “Foram 15 anos de muita dor”, disse, acrescentando que é patrocinadora da programação em função do filho: “Quero vê-lo aos pés de Jesus”. Voltou a andar normalmente Durante a oração da fé em Belo Horizonte, foram registrados diversos acontecimentos que marcaram a vida de muita gente. É o caso de Diva Luiza Ferreira, que recebeu a bênção naquela ocasião. “Tinha fortes dores na coluna e nas pernas. Não conseguia andar direito, mas isso mudou”. Depois de três anos de sofrimento, tomando medicamentos e fazendo fisioterapia, foi a fé em Jesus que a fez recuperar a saúde. Os milagres, antes descritos na Bíblia, agora fazem parte da vida dela, pois foi alcançada pela graça do Senhor. “As dores sumiram, e estou andando normalmente”.

[close]

p. 7

SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 B3 Abençoadas após atitude de fé claudia.jornalshowdafe@gmail.com Claudia Santos ma senhora livre do risco de ficar em uma cadeira de rodas pelo resto da vida. Outra com o movimento do lado esquerdo do corpo recuperado, o qual havia U ficado paralisado depois de um acidente vascular cerebral (AVC). E uma terceira curada de problema no osso do tornozelo, que não a deixava andar direito. Esses fatos mostram que Jesus continua operando milagres na vida daqueles que confiam nEle. Essas bênçãos FOTOS: MARCOS AC aconteceram nos cultos realizados pelo Missionário R. R. Soares no Brasil. “Busque o Senhor para que Ele mude sua vida”, ensinou o líder da Igreja Graça, em uma das reuniões, antes de fazer a oração da fé, na qual muitos foram libertos de vícios e opressões e curados de diversas enfermidades, até as consideradas sem solução pela Medicina. Na oportunidade, ele também explicou que, para alcançar a vitória desejada, é preciso ter uma atitude de fé. “Caso contrário, a oração não passa do teto da Igreja; não chega ao Senhor. De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus (Rm 10.17). Você tem de ser forte para tomar posse das suas bênçãos. Determine, creia e siga o que diz o Todo-Poderoso. Agindo assim, você vencerá”. Corpo paralisado por conta de AVC recupera movimentos Casada e mãe de um filho, Adriana Aparecida Resende Cardoso sofreu um AVC há um ano, ficando com o lado esquerdo do corpo paralisado. Ela utilizou a fé e também todos os recursos de que a Medicina dispunha a fim de reverter aquele quadro. Adriana mal conseguia andar, mas, decidida a recuperar a saúde, foi a um culto de R. R. Soares. Ela chegou à Igreja amparada pelo esposo e, no momento da oração, sentiu seu corpo dar sinais de melhora. “Consegui caminhar sem ajuda e fui até o altar”, contou, emocionada. Três dias depois, Adriana confirmou ao Jornal Show da Fé que o corpo estava voltando ao normal. “Faço alguns trabalhos domésticos que, antes, não conseguia. A minha família está feliz e surpresa com o acontecimento”. Não corre mais risco de usar cadeira de rodas Entre as pessoas que mudaram de vida ao seguirem a orientação de R. R. Soares, tomando uma atitude de fé, está Alzenir Soares da Silva. “Eu não tinha posição para dormir. Além disso, tinha dificuldade para me arrumar, tomar banho e cuidar da casa, por causa da forte dor que sentia devido a um problema na cervical”. Como sequela da enfermidade, as pernas de Alzenir ficavam dormentes. “Os médicos me avisaram que, se a situação se agravasse, eu poderia ter de usar cadeiras de rodas”. Durante os cinco anos em que sofreu da doença, Alzenir fazia corretamente os tratamentos, pois tinha medo de piorar. “Porém, nos últimos quatro meses, a dormência aumentou, sinal de que os medicamentos não estavam proporcionando o resultado esperado”. Assistindo ao programa Show da Fé , ela percebeu a chance de ficar livre daquele mal ao ver o anúncio do encontro de fé que o Missionário faria, no dia 7 de abril. Alzenir relata que saiu abençoada da reunião. “Hoje, não tenho problemas para realizar minha higiene pes soal nem para dormir ou cuidar da minha casa. Subo e desço escadas sem ajuda, o que era quase impossível antes. Também vou sozinha ao mercado fazer minhas compras, com direito a não sentir dores ou dormência ao trazer as sacolas”. Não sente mais dor Dificuldades para andar e oito dias sem sair da cama. Esse era o estado de saúde de Osmaria Mendes Barbosa. Por conta de uma queda da escada na própria casa, seu osso trincou, mas ela não fez o tratamento médico adequado. Por causa disso, seu pé inchou, e o tornozelo e a perna começaram a doer. No entanto, ao tomar uma atitude de fé diante de Deus, foi curada no ato. “O inchaço no tornozelo está passando, e já não sinto dor alguma”. No período em que esteve debilitada, Osmaria conseguiu uma bengala emprestada, com a qual se locomovia. Porém, não precisa mais dela. “Daqui para frente, é só vitória!”.

[close]

p. 8

B4 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 FOTOS: MARCOS AC Osteoporose não a faz mais sofrer Maria tomava 14 medicamentos por dia, mas a dor não cessava. Andava se escorando pelas paredes para não cair. Foram dez anos de sofrimento. Até que, cansada daquela situação, ela recorreu à fé e teve a vida transformada. claudia.jornalshowdafe@gmail.com Claudia Santos icar deitada de pernas para o alto por várias horas a fim de aliviar a dor. Essa era a rotina de Maria de Lurdes Farago de Melo, que sofria de osteoporose. “Tomava 14 medicamentos diariamente, mas isso só servia para amenizar um pouco os sintomas”. Ela padeceu dessa enfermidade por dez anos. “Porém, senti que, nos últimos meses, o problema piorou, porque a minha perna passou a doer muito”. Sem saber mais o que fazer para acabar com aquele sofrimento, Maria de Lurdes recorreu à fé em F Deus, buscando sua cura no culto realizado por R. R. Soares. “Jesus me abençoou, e aquele mal sumiu”. Ela diz qu e era muito difícil viver naque- Valeu a pena ir ao encontro de fé la situação, pois o esposo é paralítico, e não tinha ninguém para ajudá-la. “Além de cuidar dele, precisava realizar tudo dentro e fora de casa, como pagar contas e fazer compras. Ia praticamente me arrastando pela rua”. Maria de Lurdes relata que, às vezes, devido à dor, tinha de fazer o serviço de casa se escorando nas paredes ou nos móveis. “Porém, minha história foi transformada. Ao determinar a cura, Jesus me concedeu a vitória”. Alguns dias depois do milagre, Maria nem parece aquela pessoa com saúde frágil. “Agora, lavo roupa, vou ao supermercado, resolvo meus problemas na rua e tenho disposição para cuidar do meu esposo. Valeu a pena ir ao encontro de fé. Estou muito feliz. Meus familiares também estão surpresos e felizes com o que Deus fez por mim”. Tinha a sensação de que as costas queimavam Há quase 20 anos com a coluna doendo, Darci Severina Toqui não conseguia se abaixar nem limpar a casa. “Meu filho era quem lavava o banheiro e varria tudo no dia da folga dele. Se eu fizesse algum esforço, a coluna doía tanto que eu tinha de ir para o hospital. Certa vez, fiquei internada por uma semana”. Os tratamentos não davam resultado, e, mesmo sem fazer esforço, nos últimos dias, a situação de Darci se agravou. “Tinha a sensação de que minhas costas queimavam, tamanha a dor que sentia”. A notícia que os médicos lhe deram também não era boa. “Eles disseram que, para solucionar o problema, eu teria de operar. Porém, preferi confiar no poder de Deus, pois sabia que Ele me curaria”. Foi com essa confiança que Darci participou de uma reunião do Missionário Pode usar salto alto Com o calcanhar esquerdo dolorido havia cerca de um mês, Geralda Maria do Nascimento Maranhão andava mancando, o que a deixava muito angustiada. Vaidosa, teve de abandonar seus sapatos de salto alto para usar tênis e sapatilhas. “Foi triste ter de deixar o salto de lado, principalmente nos eventos festivos da família”. No entanto, a dor no calcanhar não atrapalhava apenas a elegância de Geralda, mas também seu dia a dia. “Era difícil cuidar da casa e levar a criança ao colégio”. Disposta a mudar esse quadro, ela foi à reunião de R. R. Soares, clamou com fé por sua cura e retornou para casa com a bênção. “O Senhor ouviu a minha oração, e já posso limpar minha casa e fazer todas as tarefas. Também consigo usar os meus sapatos de salto. Obrigada, Jesus”. Sofreu de esporão no pé durante dois anos R. R. Soares, após receber o convite de uma vizinha. “Cheguei ao evento doente, mas orei com fé e saí curada e vitoriosa. Hoje, lavo roupa, posso esticar os lençóis das camas e fazer faxina; enfim, colocar minha casa em ordem. Se me perguntarem onde está a dor que eu sentia, responderei que Jesus me curou”. Fátima Lopes da Silva sofreu, por dois anos, de esporão no pé e não conseguia andar direito, pois sentia muita dor. Alguns médicos recomendaram cirurgia. “Um especialista disse que se tratava de sobrepeso. Aceitei o diagnóstico por um tempo, até ver outra mulher que pesava três vezes mais do que eu andando normalmente na rua. Fui reclamar com Deus”, brincou. Como toda brincadeira tem um fundo de verdade, Fátima decidiu orar. “Disse ao Senhor que Ele não me fez daquele jeito e, por isso, não aceitava mais aquilo”. Dias depois, ao ver na TV a chamada para o culto do Missionário, ela não perdeu tempo e decidiu participar da reunião. E foi lá que ela sentiu que não havia mais a inflamação. “Desde aquele dia, deixei de sentir dor”.

[close]

p. 9

SHOWda FÉ Elas confiaram em Deus e foram curadas marcosstefano@gmail.com ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 B5 Marcos Couto uitos estão presos ao pecado, enfrentando uma crise financeira ou até pensando em tirar a vida. No entanto, quando a Palavra do Senhor os alcança, ela os levanta, liberta e faz na vida deles aqui- “M lo que prometera. Deus jamais fala de algo que não possa cumprir. Por isso, esteja disposto a resolver seu problema e mudar sua vida!”. Esse foi o convite do Missionário R. R. Soares em cada uma das reuniões que realizou em maio. Esse foi um dia para aprender a tomar posse da bênção, como disse FOTOS: MARCOS COUTO o Missionário. “Para isso, porém, é preciso atitude. Afinal, quem não dá ouvidos à Palavra pode até estar sempre na Igreja, mas é como se não permanecesse no Evangelho”. Ele afirmou ainda que não basta ser crente; é preciso crer nas declarações do Senhor, prestar atenção ao que elas dizem e se esforçar. “Em Isaías, capítulo 52, versículo 2, Deus dá quatro ordens a Seu povo: ‘Sacode o pó!’, ‘Levanta-te!’, ‘Assenta-te!’ e ‘Solta-te!’. Para sacudir o pó, é necessário deixar o pecado. Levantar é achegar-se a Deus. Parece estranho alguém ter de se levantar para se sentar depois, mas, nesse caso, tomar assento é assumir seu lugar diante de Cristo, como filho do Rei. Só assim haverá libertação e mudança; porém, como diz o profeta, muitos estão ocupados demais para isso. Preferem comprar campos, ou seja, dedicar-se a seus afazeres e negócios. Nada disso é errado, desde que não se deixe de fazer a vontade do Todo-Poderoso”, ensinou Soares. Não precisou se acostumar com a dor Valdelice dos Santos Almeida sempre se considerou uma pessoa abençoada. Afinal, já passou pela UTI, mas foi restaurada, e também conseguiu seu próprio apartamento. Porém, em 2009, após uma cirurgia na coluna, ela viveu um drama. “Precisava corrigir uma hérnia de disco. A operação deu certo, pois a dormência nas pernas teve fim. No entanto, passei a andar com dificuldades”, explica. Desde então, ela começou a caminhar pendendo para o lado direito e arrastando os pés. Constantemente, ela se pegava andando com sapatos furados. Além disso, as dores não a deixavam, e Valdelice não conseguia se abaixar. “Limpava e varria a casa, mas precisava me sentar logo”. No início, os médicos prometeram uma melhora progressiva. Como isso não aconteceu, recentemente, disseram a Valdelice que ela precisaria se acostumar com a dor. Entretanto, na oração de domingo, tudo isso terminou. Ela foi curada. “Está vendo isso? Era impossível para mim poucos minutos atrás”, diz ela, mostrando que, sem dor, anda perfeitamente, consegue se alongar e também pode se abaixar. Não anda mais mancando Uma das principais orações do dia foi em prol de pessoas que sofrem de problemas nas pernas. Gente com inchaços e dificuldades para andar e se abaixar. Essa era a condição de Angelina Maria de Azevedo Silva ao chegar à Igreja da Graça. Há cinco anos, ela levou um tombo e fraturou o tornozelo esquerdo. Para evitar a colocação de três pinos e os transtornos que viriam após esse procedimento, os médicos optaram por um tratamento mais conservador, e ela teve de ficar com gesso por quase um mês. “Fiquei inchada e com dores terríveis. Não conseguia andar”. Durante três meses, inclusive, Angelina ficou em uma cadeira de rodas, e até para tomar banho ela precisava de ajuda. Porém, ao frequentar a Igreja, esse quadro apresentou uma melhora: ela voltou a caminhar, ou pelo menos tentou. “Com o pé inchado, eu mancava demais. Quase não conseguia me locomover”. Na oração, Angelina sentiu o poder de Deus. O tornozelo desinchou, e ela pôde andar sem dificuldades. “Estou curada, para a glória do Senhor”. Chinelo não fica mais apertado O inchaço na perna direita começou em 2006, depois de Joana Rodrigues de Souza Guimarães ter sido submetida à uma cirurgia de varizes. “Acho que foi uma sequela da operação, mas, nos últimos tempos, o problema só piorou. A perna queimava, o chinelo ficava muito justo, e eu tinha falta de ar”. Durante a reunião com o Missionário, o edema começou a diminuir. No momento em que Joana se colocou de pé e orou com o líder da Igreja da Graça, as dores e a queimação sumiram, e ela voltou a andar normalmente. “Deus operou em minha vida”.

[close]

p. 10

B6 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 MARCOS AC H Não precisou de cirurgia para se livrar da dor no joelho o seu lugar para que eu me sentasse, e viemos conversando no trajeto. Quando desci, para minha surpresa, ela também desceu”, relata. Margareth, a jovem que cedeu seu assento, ao perceber que aquela senhora saltou no mesmo ponto que ela, perguntou-lhe se queria ajuda para atravessar a rua. “Ela se apoiou em meus braços para atravessarmos juntas. Nesse momento, descobri que íamos para o mesmo evento, o culto do Missionário. Vim andando lentamente para auxiliá-la”. Valeu a pena o sacrifício, pois, durante a reunião, Dirce tomou posse de seu milagre e ficou livre da dor no joelho, para sua alegria e de Margareth, agora sua mais nova amiga. “Ela não aguentava ficar em pé de tanta dor. Vêla curada me deixou muito feliz”, disse a jovem. “Deus a colocou no meu caminho para me ajudar a chegar até aqui e ser abençoada. No que depender de mim, ela será minha amiga para sempre”, declara Dirce. “Eu, que já fiquei durante dois meses sem pôr os pés no chão por causa desse joelho e fazia minhas tarefas domésticas com muita dor, fui curada por Jesus. Poder andar tão bem me deixa muito alegre”, completa, emocionada. MARCOS AC avia mais de dez anos que Dirce Costa Faustino estava com uma dor no joelho esquerdo, mas nenhum remédio aliviava seu sofrimento. “Para o médico, somente uma prótese resolveria o problema. Porém, eu não queria operar”. Dirce decidiu, então, buscar sua cura em Deus e foi a um culto do Missionário R. R. Soares. Para pegar o ônibus até o local do evento, ela andou devagarzinho até o ponto e com bastante dificuldade. Entretanto, Jesus começou a abençoá-la já no coletivo. “ Assim que subi no ônibus, uma jovem gentilmente cedeu MARCOS COUTO Coluna e joelhos estavam desgastados José Paulo da Silva sentia forte dor na coluna e nos joelhos. Ele foi diagnosticado com hérnia de disco e desgaste na cartilagem das rótulas. “Doía muito, e eu também não podia dobrar os joelhos”, destaca ele, que costuma acompanhar o programa Show da Fé diariamente. Antes da aposentadoria, ele trabalhava como vigia, mas as dores o atrapalhavam no desempenho da atividade. Esse quadro foi alterado quando José Paulo participou de um culto com R. R. Soares. “Estou curado! Já dobro os joelhos, corro, e as costas não doem mais”. Agora, “livre, leve e solto”, ele pretende aproveitar sua rotina com mais qualidade de vida. Não tem mais dificuldade para se locomover Valcy Bomfim já enfrentou uma série de problemas de saúde, mas recebeu a vitória divina em todos. “Tive cinco hérnias de disco, três bicos de papagaio, osteoporose, dor nas juntas e problema nos olhos. Além de glaucoma, tinha dificuldades para enxergar de perto e longe. Inclusive, usava óculos, mas Deus me libertou”. Recentemente, Valcy foi fazer um serviço de limpeza na casa da vizinha. Ao puxar um móvel pesado, sentiu uma dor terrível no quadril. “Sabia que havia me machucado, mas não tinha ideia da gravidade”. Na manhã seguinte, quando acordou, não conseguia se levantar: a perna esquerda estava adormecida e, aparentemente, um dos ossos estava fora do lugar. Mesmo assim, com fé, Valcy foi ao culto realizado pelo Missionário em sua cidade. Ela chegou com dificuldades para caminhar, mas viu-se livre de todo o mal. “Faço qualquer movimento sem esforço algum. Estou sarada”. Andava quase se arrastando Há cinco anos, o joelho direito de Adélia Américo de Lima começou a doer. Logo depois, o esquerdo também apresentou o mesmo problema, e ela passou a mancar. “Para andar, tinha de me arrastar praticamente”. Remédios e tratamentos de nada adiantaram, e a sentença dos médicos foi drástica: as articulações dos joelhos estavam gastas, por isso ela só voltaria a andar normalmente se operasse. Entretanto, Adélia preferiu confiar em Deus e recebeu a recompensa por sua fé no culto com R. R. Soares. Quem a viu andando antes e depois da oração não dizia que se tratava da mesma pessoa. “As dores sumiram, e voltei a caminhar sem problemas e sem precisar de cirurgia. MARCOS COUTO Venga a recibir su bendición IIGD POMPANO BEACH - 1261 East Sample Road Pompano Beach, FL 33064 - Iglesia: (954) 785-3699 Pr. Willian Sodré - pompano@iigdusa.com ENTRADA GRATIS Reuniones: Jueves, 7:30 pm Dr. Soares

[close]

p. 11

SHOWda FÉ JUNHO DE 2015 B7 CAMPANHAS DE FÉ TUDO O QUE LIGARES NA TERRA SERÁ LIGADO NOS CÉUS (Mateus 16.19). Editorial Um dia de milagres Em sua pregação, o Missionário ensinou que somente a fé pode libertar uma pessoa aflita, enferma ou aprisionada por qualquer outro problema Mônica Ferreira Claudia Santos monica.jornalshowdafe@gmail.com claudia.jornalshowdafe@gmail.com MARCOS AC Missionário R. R. Soares É fácil ser ajudado pelo Senhor “T Embora muitos digam que os dias de milagres já passaram, não creia nisso! A mentira é a arma dos espíritos malignos para destruir as pessoas, principalmente aquelas que creem em Deus. Seja você quem for, venha receber a sua bênção em nossas reuniões! Sem dúvida, alguma coisa boa lhe acontecerá. Este é o tempo de os sofredores chegarem até nós e receberem a solução para seus problemas. Nunca houve uma época tão abençoada como esta. Se você foi vítima de uma obra de bruxaria, não deixe de vir buscar a sua libertação. Se a situação está difícil para você, se sofre de constante dor de cabeça, vive endividado, está com o casamento praticamente destruído, ouve vozes ou vê vultos, nós iremos libertá-lo com uma simples oração. Venha! Um milagre espera por você! emos de entender a Palavra de Deus, pois só assim Ele fará acontecer o impossível na nossa vida. A pessoa que entrou aqui aflita, melancólica, arrasada, enferma ou em depressão, se tiver fé, sairá abençoada. O diabo amarrou você ou o aprisionou com algum problema? Se você crer, Jesus irá libertá-lo neste momento”. Esse ensinamento faz parte de uma das pregações do Missionário nos cultos que realizou no dia 7 de abril. Maria de Lourdes Cardoso dos Santos não esquecerá a mensagem ministrada, que a ajudou a fortalecer a fé e conquistar a cura desejada. Ela chegou ao culto com várias enfermidades. Uma delas era uma dormência no corpo, a qual já durava mais de cinco anos. “Também sofria de dor no joelho, cujos exames não mostravam a causa. Os tratamentos, por sua vez, não surtiam efeito. Era difícil andar, dormir e cuidar da minha casa”. A visão de Maria de Lourdes também estava prejudicada. “Enxergava tudo turvo, e, para piorar, nos últimos tempos, meu paladar ficou bastante afetado. Como não sentia o sabor da comida, deixava de fazer as refeições corretamente e acabei emagrecendo 17 quilos”. No entanto, após o dia 7, a vida dela mudou completamente. “Jesus me curou. Estou dormindo bem e me alimentando melhor. A dormência e a dor no joelho também sumiram, e minha visão foi restaurada. Aque- le foi um dia de milagres na minha vida”. REPRODUÇÃO RIT Não sente mais turbilhão de água no ouvido Após uma viagem de avião e vários aborrecimentos, Ieda de Araújo Feio sentiu um estalo no ouvido esquerdo. “Os exames comprovaram que era perda da audição. Fiz vários tratamentos, tomei remédios, mas nada trazia minha audição de volta”. A rotina dela foi alterada por causa da dificuldade de ouvir as pessoas. “Precisava me virar para escutá-las apenas com o ouvido direito. No esquerdo, ouvia um barulho que parecia um turbilhão de água”. Ieda sofreu desse problema por dois meses, e esse mal estava contribuindo para abalar seu sistema nervoso. Porém, tudo mudou quando ela participou do encontro com o Missionário. “A Igreja estava lotada, nem tinha lugar para eu me sentar. Mesmo assim, orei com fé e determinação. Então, senti mais um estalo e passei a escutar normalmente. Deus é maravilhoso!”.

[close]

p. 12

B8 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 MARCOS AC Quem não aceita o pecado se torna vencedor Amanda Pieranti Mônica Ferreira Claudia Santos amanda.jornalshowdafe@gmail.com monica.jornalshowdafe@gmail.com claudia.jornalshowdafe@gmail.com entados todos são, mas aqueles que temem o Senhor não aceitam o pecado”. A afirmação é do “T Missionário R. R. Soares em um dos cultos ministrados por ele pelo Brasil. Na ocasião, Soares falou sobre a importância da fidelidade ao Altíssimo, frisando que os que conhecem a Deus se esforçam para fugir do jugo do diabo. “Viver em pecado produz opressão. Porém, se guardarmos, no coração, a Lei do Senhor e nunca nos MARCOS AC afastarmos dela, conforme está escrito no Salmo 37, Viver em pecado produz opressão versículo 31, vamos permanecer firmes nEle”. O líder da Igreja da Graça disse ainda que existem três atitudes essenciais para quem quer se manter de pé e ser um vencedor. “Sede da Palavra, assiduidade na igreja e fidelidade são primordiais para resistir às investidas do inimigo. Essas ações precisam ser manifestadas com coração, alma e entendimento”. Segundo R. R. Soares, aqueles que não temem a Deus, além de errar, culpam-nO pela circunstância problemática em que se encontram. “O espírito do erro os leva a crer que o Senhor está retendo as próprias promessas na vida deles”. Ao término da mensagem, ele fez um apelo para que o povo se consertasse com o Altíssimo. Em seguida, orou por cura, libertação e prosperidade. “Todo mal foi arrancado da minha vida” Nilza Gonçalves Vasquez é uma das pessoas abençoadas durante as orações ministradas pelo Missionário. Havia duas semanas, ela estava com uma dor terrível, que começou no braço esquerdo e passou para o direito. “Doía até o osso do pulso. Trabalho como doméstica e não podia fazer limpeza direito. Pegar peso ou torcer o pano de chão era um sofrimento. Eu tinha de suportar aquilo, pois precisava trabalhar”. Cuidar da casa dela também era tarefa complicada devido ao pro- MARCOS AC Dores no pescoço e nas mãos sumiram Por mais de dez anos, Edna Olímpia de Brito sentiu dores no pescoço e nas mãos. “Quando olhava para os lados, tinha de virar o corpo todo. Ao me deitar, não podia me mexer, porque doía bastante. Abrir e fechar as mãos era um sofrimento”. No entanto, com a certeza de que somente Deus poderia efetuar a cura de que tanto necessitava, ela foi em busca de seu milagre e encontrou o que desejava. “Estou livre. Consigo me virar sem sentir aquela sensação dolorosa no pescoço e movimentar as mãos com facilidade”. MARCOS COUTO Venceu a dor com oração Maria Ribeiro chegou ao encontro de fé com o Missionário sentindo uma terrível dor de cabeça. “Pensei até em voltar para casa, porque o som dos louvores agravava a situação. Porém, percebi que era algo maligno, para que eu não fosse abençoada”. Então, Maria, que desejou tanto estar naquele lugar, pediu a Deus que agisse em sua vida: “O Senhor me ouviu. Minha cabeça parou de doer, e comecei a louvá-Lo e agradecer-Lhe pela bênção durante o culto. Cheguei bem ao meu lar e pude ler e ver televisão tranquilamente”. blema. Por isso, resolveu participar da reunião. “Desde aquele dia, todo o mal foi arrancado da minha vida. Meu braço e meu pulso pararam de doer. Agora, posso até me segurar no ferro do ônibus”. Saiba onde os cultos de fé com o Missionário serão realizados por meio do site www.ongrace.com ou d

[close]

p. 13

SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 MARCOS AC B9 Curada, ela mesma pode pintar a casa A Terra gira a mais de mil quilômetros por hora, mas não sentimos nenhum impacto, pois os movimentos são lentos. No entanto, para Apolonia Gutkoski Alves, de 73 anos, era como se ela percebesse essa alteração. Isso porque, quando tinha crise de labirintite, ela sentia tudo rodando. “Parecia que as coisas estavam flutuando. Queria me segurar e não conseguia. Achei que ia enlouquecer”. Foram três anos se apoiando nas paredes para não cair, até determinar sua cura. “Eu nunca aceitei essa enfermidade e sabia que Jesus podia me sarar”. E isso aconteceu durante a oração da fé. De volta ao equilíbrio, Apolonia está pintando a casa. “Estou reformando até o teto, olhando para cima sem problema. Com a labirintite, ia ser difícil, mas Jesus me curou”. MARCOS AC MARCOS AC Labirintite é coisa do passado A sensação de oscilação deixava Dalva dos Santos Duarte angustiada. O motivo: labirintite, descoberta há cerca de um ano. “Parava em pé e ficava sempre me balançando. Inclusive, tinha medo de subir em viaduto e olhar para baixo, porque achava que ia cair”. Se ela apertasse um pouco mais o passo, olhasse para cima ou para baixo ou de um lado para o outro, bambeava. “Perdia o equilíbrio. Depois, não sabia de que lado eu estava, pois perdia a direção. Vivia insegura. Na crise, parava o que estava fazendo até passar a tontura”. Após a cura, ela é outra pessoa. “Fiz a oração e comprovei o milagre, como Deus manda. Subi a escada para dar o testemunho e já desci curada. Agora, não tenho mais medo de nada; tenho segurança no meu Jesus”. Labirintite a deixava de cama por vários dias uem já brincou de girar o corpo e, depois, parou e tentou andar em linha reta sabe como é ficar tonto. Normalmente, basta esperar um pouco para essa sensação desaparecer. Porém, sentir tontura por causa da labirintite, conforme aconteceu com Tereza Ferreira ao longo de uma década, é bem mais sério. “Tomava todo tipo de remédio e estava ficando com tremor nas mãos devido à reação dos medicamentos. Não podia abaixar a cabeça para ler nem me virar quando estava deitada”. Em uma das crises, Tereza ficou nove dias deitada sem poder fazer nada. “Minha filha era quem me ajudava. Também já caí da cadeira do dentista. Fiquei muito tempo deitada e, quando fui me levantar, estava tonta”. Q Essa situação a deixava angustiada. Por isso, certa de que obteria a cura, ela enfrentou duas horas de viagem de ônibus para chegar à reunião especial. “Toda vez que o Missionário anunciava que viria à Igreja, eu dizia que queria ir, mas não conseguia. Nem acreditei quando o vi. Naquele dia, eu estava mal e fui orando no ônibus. Quando R. R. Soares clamou pelos que sofriam de labirintite, falei: Chegou a minha vez! Fui sentindo Deus agir na minha vida e fiquei livre”. Com a saúde em dia, a viagem de volta para casa foi diferente. “Cheguei à minha casa rindo e contando o milagre. Estou dormindo muito bem. Meu marido até diz que durmo demais. Hoje, vou a todos os lugares sozinha, pois não dependo mais de ninguém, só de Deus”. Ele já pode pegar o filho no colo Há dez anos, Cleiton Carvalho Passos, operador de estacionamento, sofreu um acidente e deslocou o ombro, sendo preciso passar por uma cirurgia. “Depois da operação, fiquei bem. Porém, nos últimos três anos, o ombro começou a doer. Muitas vezes, ao estender a mão para cumprimentar alguém, sentia como se o osso saísse do lugar, tendo de ir para o hospital gemendo de dor”. O problema não prejudicava Cleiton no trabalho, mas o impedia de brincar com o filho de apenas um ano e nove meses. “Não podia segurá-lo, pois meus movimentos eram limitados”. Como os tratamentos não SALVI CRUZ davam resultado, ele buscou na fé a sua cura e a alcançou na reunião de R. R. Soares. “Cheguei animado, louvei a Deus com os cantores e ouvi atentamente a Palavra. Quando o Missionário orou por quem estava doente, uni a mi- nha voz à de milhares de pessoas, pedindo ao Senhor pela minha causa, e saí do evento vitorioso”. Restaurado, Cleiton está feliz por fazer algo que desejava havia bastante tempo: “Já posso brincar com o meu filho e pegá-lo no colo”. m ou do programa Show da Fé, de segunda-feira à sábado, 9pm, na RIT TV – Canal 9815 DishNetwork.

[close]

p. 14

B10 SHOWda FÉ ANO 2 - Nº 17 - USA - Junho de 2015 FOTOS: MARCOS AC Tontura nunca mais Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com “Ó , Senhor Deus, Criador dos Céus, da Terra e desse imenso Universo! Venho a Ti pedir por todas as pessoas que sofrem de labirintite. Elas não podem fechar os olhos nem abaixar a cabeça, pois sentem tudo rodar. Muitas já caíram várias vezes. Portanto, demônios que produzem a labirintite, saiam dessa pessoa e não vol- tem mais, em Nome de Jesus”. Após essa oração, ministrada pelo Missionário R. R. Soares, a vida de Nelson Wissmann mudou. Ele não sabe dizer ao certo por quanto tempo sofreu desse mal, mas se lembra do mais importante: aquilo o importunava. “Não tenho certeza, mas acho que isso começou há três ou cinco anos, quando, de repente, fiquei completamente tonto. Como não melhorava, procurei um médico, que receitou remédios para eu tomar durante uma semana ou duas. Só que não fiquei bom. Quando me abaixava, era obrigado a me segurar na porta ou nas paredes, porque parecia que eu ia cair”. Quando R. R. Soares pediu que quem havia se libertado do mal se abaixasse, Nelson foi um dos primeiros a mostrar que estava curado. “Eu me curvei e não senti mais tontura. Saí da Igreja emocionado”, recorda-se ele. “ Antes, pensava em fazer uma coisa e desistia, porque sabia que ficaria tonto. Hoje, estou seguro e faço tudo sem medo”. Desequilíbrio era total Um dia de tonteira já é ruim. Imagine sentir isso por 15 anos. Maria de Lourdes Guidugli viveu esse drama e sabe perfeitamente o que é sofrer de labirintite. “Eram tonturas desagradáveis que desequilibravam meu corpo. Na minha idade, é uma coisa terrível”, diz ela, que tem 88 anos. Maria de Lourdes fez diversos tratamentos e não melhorava. “O mais complicado era arrumar a casa, porque precisava me virar e tinha de me abaixar e levantar. A tontura vinha, e eu ficava parada de olhos fechados. Quando passava, eu agia normalmente”. Sem encontrar terapia eficiente que a fizesse melhorar, buscou em Deus a cura, e a vida dela voltou ao normal: “Estou bem, tranquila. Lavo, passo, cozinho. Enfim, faço tudo”. “Olhava para cima, e tudo rodava” Tontura e sensação de queda a qualquer momento. Esses sintomas faziam parte do problema de saúde que Maria de Lourdes dos Santos enfrentava havia dois anos: labirintite. “Olhava para cima, e tudo rodava. Parei de tomar os remédios, pois não estavam fazendo mais efeito”. Um perigo para ela, que é cuidadora de idosos e precisa estar alerta 24 horas. “Tinha dias em que eu estava muito mal, cuidando do idoso e de mim. O pior era quando eu me deitava, pois sentia o teto rodar. Era horrível”. Decidida a livrar-se daquela enfermidade, ela participou do clamor da cura e alcançou o milagre. “Não fico mais tonta. Tenho mais segurança para me movimentar. Faço todo o meu serviço de casa e do trabalho tranquilamente. Não tenho mais medo de cair”. Corpo dela ficava descontrolado Ruth Nicolau da Silva Vasconcelos tomava três remédios para combater a labirintite há mais ou menos um ano. “Quando passava o efeito, o problema continuava. Fui a outro médico, fiz exames e novo tratamento, o que também não adiantou”. Os dias vividos por Ruth eram muito difíceis. “Era só me levantar e já ficava tonta. Passava o dia me sentindo mal. Eu batia nas paredes, pois meu corpo ficava descontrolado. A cabeça ficava ruim, e eu tinha de sentar”. Passar por isso é um incômodo para uma pessoa ativa como Ruth. “Não dava para varrer a casa nem andar ligeiro. Se tivesse de virar de um lado para o outro, por exemplo, sentia tudo rodar”. Com fé, ela enfrentou a enfermidade e venceu. “Eu estava doente, mas fui buscar minha cura e saí da Igreja bem, graças a Deus. Recuperei a segurança e estou fazendo tudo normalmente”. Zumbido no ouvido desapareceu Por pouco, Loreci Terezinha Bastos Santana não caiu várias vezes devido a crises de labirintite que a acompanharam durante sete meses. “Eu ficava zonza e, ao me abaixar e levantar, via um monte de estrelas brilhando. Parecia que eu ia cair”. O distúrbio também lhe causou zumbidos nos ouvidos. “Era horrível; tinha a impressão de que eu ia desmaiar. Não podia me abaixar para passar um pano no chão. Meu marido me ajudava, mas era complicado para ele”. Crendo no poder do Senhor, Loreci participou do encontro de fé com o Missionário. “Senti o poder de Deus. O zumbido saiu, e me arrepiei toda. Voltei para casa sem tonteira. Posso me abaixar, olhar debaixo da cama e fazer a limpeza perfeitamente”. Venha receber a sua bênção IIGD BOSTON – 85 Washington Street Somerville, MA 02143 Igreja: (617) 996 9194 Pr. Glauber Morare – somerville@iigdusa.com Segundas, quartas, quintas e sextas-feiras – 8pm Domingos – 10am e 7pm MISSIONÁRIO R. R. SOARES ENTRADA GRÁTIS

[close]

p. 15

SHOWda FÉ JUNHO DE 2015 B11 LIBERTAÇÃO E EXPULSAVAM MUITOS DEMÔNIOS, E UNGIAM MUITOS ENFERMOS COM ÓLEO, E OS CURAVAM (Marcos 6.13). Missionário R. R. Soares Editorial Era violenta e agressiva com a própria família amanda.jornalshowdafe@gmail.com Amanda Pieranti MARCOS AC Missionário R. R. Soares É questão de crer Quem criou o nosso corpo é a Pessoa mais indicada para curar nossas doenças e solucionar nossos problemas. Foi isso que Cristo fez enquanto esteve aqui no mundo. Hoje, não há por que as pessoas permanecerem no sofrimento, passando privações e enfrentando dificuldades que as desafiam em todos os sentidos. Antes de voltar aos Céus, Jesus disse que aquele que nEle cresse também faria as mesmas obras realizadas por Ele (Jo 14.12). Para essa palavra se concretizar, é uma questão de crer em Cristo. Se Ele falou que poderíamos sarar os enfermos, libertar os oprimidos por drogas, dívidas, problemas familiares etc., então, podemos! Por isso, convidamos todas as pessoas para receberem a oração da fé. Os nossos serviços são gratuitos, como Jesus mesmo ordenou. Venha até nós, pois queremos ajudá-lo! a adolescência, Tânia Maria Sostizzo desenvolveu uma irritabilidade que cresceu ao longo dos anos, repetindo, na verdade, o comportamento da própria mãe. Esse temperamento, mais tarde, prejudicou sua família. “Tudo me irritava. Era terrível porque as minhas atitudes causavam danos físicos ao meu marido e às minhas quatro filhas, pois eu os agredia e jogava coisas na direção deles”. Sem controle de si mesma, Tânia temia o pior. “Quando eu lavava louça, os primeiros utensílios que guardava eram as facas. Fazia isso para proteger minha família. Eu podia ter um surto e, se alguém me incomodasse, era capaz de atirá-las. Minhas atitudes eram o reflexo da criação que tive, pois minha mãe agia com muita violência com os filhos, a ponto de jogá-los na parede e atirar neles o que tinha em mãos”. O casamento conturbado era mais um agravante para a falta de domínio próprio. “Havia vícios, tanto do lado dele quanto do meu: bebida N alcoólica, cigarro e jogos. Então, havia sempre brigas, a ponto de pensarmos em separação. Cheguei a jogar a roupa dele na rua e expulsá-lo de casa”. A proximidade de Deus mudou tudo Entretanto, um dia, ao assistir ao Show da Fé, Tânia reconheceu a própria história nas palavras do Pr. Jayme de Amorim. “Foi por acaso que sintonizei o canal. Os louvores mexeram tanto comigo que passei a acompanhar o programa. A partir daquele momento, Deus começou a transformar meu interior: já não ficava tão irritada, larguei os vícios, e tudo foi se acalmando”. Diante dessas vitórias, Tânia pensava em visitar a Igreja da Graça, mas nunca entrava no templo. “Até que uma vizinha me convidou para ir ao culto e, desde então, nunca mais saí. Eu e minhas filhas nos convertemos a Cristo. Fui liberta da possessão demoníaca, e a paz entrou no meu lar. Deus restaurou meu casamento, libertou meu marido, e nunca mais houve contenda. Hoje, toda a minha casa serve ao Senhor, e sou pastora da Igreja da Graça”.

[close]

Comments

no comments yet