Bom Dia Catas Altas

 

Embed or link this publication

Description

Edição Especial Meio Ambiente - Junho de 2015 - Número 92 - Ano IX

Popular Pages


p. 1

Catas Altas Cidade Histórica e Ecológica - Junho de 2015 - Edição Especial Meio Ambiente - Ano IX - Nº 92 - Distribuição Gratuita Dirigida Dindão BOM DIA O maior patrimônio de Catas Altas é a sua natureza exuberante CONFIRA NAS PÁGINAS 2, 7 E 8 INFORMAÇÕES SOBRE A ATUAL SITUAÇÃO EM QUE SE ENCONTRA O NOSSO MEIO AMBIENTE E DICAS DE COMO PODEMOS CONTRIBUIR PARA O EQUILÍBRIO DO MESMO

[close]

p. 2

Catas Altas 5 DE JUNHO: DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE BOM DIA Junho 2015 - Página 2 O momento é de ação Hoje a cachoeira da Santa se encontra agonizando com pouca água e chega a secar em determinada época do ano. Nas fotos, comparamos duas épocas distintas O Planeta chega ao Dia Mundial do Meio Ambiente em momento crítico. É preciso agir e agir agora, para minimizar os impactos da sociedade de hoje sobre as futuras gerações. Num momento em que a Natureza se apresenta especialmente inquieta, com manifestações cauEXPEDIENTE sadas ou não pelo Homem – mas que cobram um preço alto em vidas –, tais como furacões furiosos, enchentes devastadoras, deslizamentos letais, invernos glaciais, secas prolongadas, crise hídrica, chegamos ao Dia Mundial do Meio Ambiente chamando não somente à reflexão, mas, principalmente, à ação de todos em defesa da vida. Todos temos como contribuir – direta ou indiretamente – para que as sociedades caminhem rumo à sustentabilidade e para que a harmonia entre o desenvolvimento socioeconômico e a conservação da natureza deixe de ser mera utopia. Atitudes individuais e coletivas, como o consumo consciente no dia a dia e a exigência, pela população, do cumprimento das leis por órgãos governamentais em todos os níveis são fundamentais. À iniciativa privada cabe não somente investir em conservação do meio ambiente, mas, princi- palmente, assumir uma postura de responsabilidade socioambiental, trabalhando de dentro para fora, com adequação de suas cadeias produtivas e meios de produção, distribuição etc. À sociedade civil organizada, em especial às ONGs sócio-ambientalistas como o próprio WWF- -Brasil, cabe conceber e aplicar soluções, realizar campanhas, mobilizar e facilitar o engajamento de indivíduos, governos e iniciativa privada num esforço conjunto para o bem comum das gerações de agora e do futuro. E tudo isto tem que ser feito agora. A Natureza já nos envia seus sinais de alerta. Catas Altas • Diretor Geral/Responsável: Geraldo Magela Gonçalves • Comercial: 3851-1515 • Diagramação: Sérgio Henrique Braga • Bom Dia online: www.bomdiaonline.com Circulação: Catas Altas e mala direta para todo Brasil Impressão: Gráfica Bom Dia CNPJ - 02.179.351/0001-37 Todos os Direitos Reservados bomdia@cidademais.com.br BOM DIA

[close]

p. 3

Catas Altas BOM DIA Junho 2015 - Página 3 Circuito do Ouro capacita gestores dos Meios de Hospedagem da região do Entre Serras A Associação do Circuito do Ouro - ACO realizou no dia 25 de maio, o primeiro módulo da Capacitação Gerencial voltada para os Meios de Hospedagem das cidades que compõem o Roteiro “Entre Serras: Da Piedade ao Caraça”. A capacitação foi realizada em parceria com os municípios do roteiro, e foi ministrada por Marco Túlio Quina, da Real Hotéis – Consultoria, Gestão e Projetos, contando também com o apoio da Pousada Santuário, em Caeté, onde foi realizado o primeiro módulo. Na ocasião, a Secretária de Turismo de Caeté e vice – presidente do Circuito do Ouro, Cássia Paes, manifestou sua satisfação em acolher os empresários da região em Caeté, para a realização de mais uma ação do Entre Serras. A Diretora Executiva da ACO, Isabella Ricci apresentou a equipe que vem trabalhando nas ações do Circuito, e destacou os esforços para a profissionalização do turismo na região, que segundo a executiva precisa passar a ser visto com mais seriedade e possibilitar o crescimento de carreiras na área. Segundo Sílvia Braga Técnica de Turismo do município que acompanha todas as Fotos: Divulgação para os profissionais de atendimento. Sobre o Roteiro O Roteiro Entre Serras: Da Piedade ao Caraça é o primeiro roteiro promovido pelo Circuito, atualmente a ACO possui um Centro de Serviços e Informações Turísticas em Catas Altas, que foi inaugurado no dia 15 de maio, contando com a presença dos prefeitos dos quatro municípios que compõem o roteiro, representantes do Santuário da Piedade e do Caraça, representantes da SETUR e do Senac, membros dos conselhos municipais de turismo, empresários, representantes do legislativo dos municípios envolvidos, sociedade civil organizada em geral, imprensa e turistas. O escritório regional atua na promoção dos quatro municípios: Caeté, Barão de Cocais, Santa Bárbara e Catas Altas. A capacitação foi realizada em parceria com os municípios do roteiro, e foi ministrada por Marco Túlio Quina ações do Roteiro “Entre Serras”, essas capacitações são grandes oportunidades de aprendizado para os Gestores uma vez que, o mercado muda o tempo todo, as necessidades destes clientes também. As informações ofertadas e as experiências trocadas são grandes exemplos para os participantes que compareceram ao evento. Cerca de dezenove participantes, entre gestores e donos de Hotéis e Pousadas do Entre Serras participaram do primeiro dia de treinamento, inclusive representantes das Pousadas situadas na Serra da Piedade e no Santuário do Caraça. Foi apresentado aos par- ticipantes de forma geral e bem dinâmica o que são serviços com qualidade na hotelaria, como eles são implantados e geridos e quais são os benefícios para empresas e clientes. Todos os participantes estiveram bem à vontade e colaboraram bastante com perguntas e exemplos, que foram aproveitados e que contribuíram com a proposta da capacitação. No dia 1º de junho os profissionais participaram do segundo e último módulo, realizado no Centro de Convenções do Santuário do Caraça. Nesse módulo os empresários obtiveram conhecimentos de formatação de tarifá- rio básico para hotéis e pousadas. Ações do Circuito do Ouro O treinamento é a segunda capacitação realizada pelo Circuito do Ouro este ano. A primeira foi no mês de março com os profissionais que trabalham na prestação de informação turística da região do Entre Serras. O evento foi realizado em Catas Altas, um dos municípios que compõe o roteiro. Para este ano estão previstas mais duas capacitações Informações: Rua São Miguel, 315 – Centro – Catas Altas/MG circuitodoouro.tur.br – infoentreserras@circuitodoouro.tur.br (31) 3860-2003 Sede Associação do Circuito do Ouro: Av. Brasil, 1.438 / Sala: 1001. Funcionários. BH/ MG Telefone: (31)3287-4242 – info@circuitodoouro.tur.br circuitodoouro.tur.br – infoentreserras@circuitodoouro.tur.br (31) 3860-2003 Sede Associação do Circuito do Ouro: Av. Brasil, 1.438 / Sala: 1001. Funcionários. BH/ MG Telefone: (31)3287-4242 – info@circuitodoouro.tur.br Informações fornecidas pelo Escritório Circuito Ouro - Roteiro Entre Serras: Da Piedade ao Caraça. As informações e experiências trocadas são grandes exemplos para os participantes

[close]

p. 4

Catas Altas BOM DIA Junho 2015 - Página 4 Projeto Serra do Caraça Polo Cervejeiro p Você já parou para analisar como um prato bem feito ou mal feito, uma bebida mal ou bem escolhida, pode fazer toda diferença? Agora, imagine se você pudesse chegar a um momento sublime, em que os sabores dos pratos harmonizassem na medida com a bebida escolhida. Mais que isso, ambos se encontrassem em uma receita. Essa foi a proposta da“2ª Oficina Gastronômica do Projeto Serra do Caraça Polo Cervejeiro”, ocorrida na terça e quarta-feira, 26 e 27 de maio, na charmosa Pousada Vivendas da Serra, em Catas Altas. As palestras foram ministradas pelo Chef de Cozinha do Projeto, o historiador, ambientalista, cozinheiro e consultor gastronômico: Luciano Estivalet. Este ano, o evento foi realizado na Pousada Vivendas da Serra, onde proprietários de restaurantes, bares e pousadas da cidade e região, assim como alguns amantes da boa gastronomia, tiveram a oportunidade de aprender sobre a versatilidade das cervejas artesanais e a combinar pratos com essa criação humana tão apreciada desde os primórdios. Cervejas para namorar No primeiro dia o tema abordado foi “Cervejas para namorar”. Estivalet ensinou que as cervejas artesanais, assim como o vinho, podem ser usadas na arte da sedução. Segundo ele, a cerveja é a bebida da alegria e a alegria é uma ótima forma de sedução. Durante a oficina ele mostrou quais os tipos de cervejas mais indicados para o momento a dois. Além disso foi demonstrado como escolher o prato para harmonizar com a bebida e com a ocasião romântica. Para a oficina foi criado um prato exclusivo pelo Chef: “Supreme de Tilápia ao Molho de Uva e Cerveja Bock(autoral)”. No final, foi oferecido uma degustação de cervejas especiais juntamente com o prato feito durante o curso. Da garrafa para a panela No dia 27, o tema foi “Cervejas para Temperar, da garrafa para a panela”. Nessa etapa foi destacado por Estivalet o imenso potencial que existe entre cerveja artesanal e gastronomia. Ele mostrou a versatilidade da cerveja artesanal e o tipo de cerveja que se usa em cada receita. Também falou sobre a valorização dos ingredientes brasileiros e da importância da cozinha regional, ressaltou que a criatividade é fundamental dentro de uma cozinha: “criatividade não significa inventar o que ninguém nunca fez, o mais difícil talvez seja fazer o que todo mundo faz de uma forma diferente, intrépida. A criação dentro da panela é ilimitada, a gastronomia possui possibilidades e combinações infinitas. Não existe ingrediente estranho, nós é que somos estranhos”, disse. Para Estivalet, culinária é vida, segundo ele a forma de cozinhar e alimentar sempre muda porque a vida é dinâmica. Para esta oficina também foi criado pelo chef um prato exclusivo também elaborado com cerveja. “Filé Penne Beer(autoral)” que foi degustado pelos participantes junto com duas cervejas artesanais de Catas Altas: “Horizontes” e “Lobo Guará”, produzidas pelo Mestre Cervejeiro Marcos Lamego. A Pousada Vivendas da Serra foi palco para a 2ª Oficina Gastronômica do Projeto Serra do Caraça Polo Cervejeiro CHEF LUCIANO ESTIVALET, RESPONSÁVEL PELO CURSO, APRESENTO O Chef Gourmet Luciano Estivalet mais uma vez foi o criador das receitas apresentadas durante o curso

[close]

p. 5

Catas Altas BOM DIA Junho 2015 - Página 5 promove segunda oficina de gastronomia Fotos: Dindão OU A HARMONIA ENTRE PRATOS, VIDA E BEBIDAS DURANTE OFICINA Saiba mais: Essa é a segunda oficina realizada pelo Projeto. No ano passado, durante a primeira, Luciano Estivalet, abordou temas como: Segurança Alimentar, a valorização do pequeno produtor rural, falou do potencial da cerveja como ingrediente culinário e também criou dois pratos exclusivos para o Projeto Serra do Caraça Polo Cervejeiro: O primeiro foi a “Cocota ao Molho de Rapadura”, que hoje se encontra no cardápio de um dos melhores restaurantes de Catas altas, o Histórias Taberna. Outro prato exclusivo do Chef, o “Mama-minha” também se encontra em cardápios de restaurantes da cidade sendo destaque no Cardápio da Pousada Vivendas da Serra. Empresários do ramo hoteleiro e de alimentos participaram das oficinas visando aprimoramento das artes culinárias Projeto O Projeto Polo Serra do Caraça tem o apoio do Instituto Cenibra, Samarco, Prefeitura de Catas Altas, Jornal Bom Dia e Transamérica. Momento de descontração, quando os participantes degustavam os pratos elaborados, harmonizando com cervejas artesanais Chef Gourmet Luciano Estivalet

[close]

p. 6

Catas Altas “A Prevenção é uma das maiores ferramentas para se evitar grandes tragédias. Uma comunidade conscientizada é capaz de cuidar da própria segurança”, fala Geraldo Magela, Dinho, secretário de agricultura e meio ambiente. Pensando nisso a Prefeitura de Catas Altas, em parceria com a Área de Proteção Ambiental (APA) Sul fizeram uma blitz educativa sobre a prevenção de incêndios florestais, na tarde desta quinta-feira, 21. A intervenção aconteceu entrada da cidade de Catas Altas, das 13h30 às 15h30h e teve a participação dos servidores das secretarias de Agricultura e Meio Ambiente, de Saúde e de Cultura e Turismo da Prefeitura de Catas Altas, além da Polícia Militar Rodoviária, da Polícia Militar de Meio Ambiente e do Corpo de Bombeiros. Durante a Blitz, além de receberem orientações sobre como evitar os incêndios florestais, os motoristas receberam também mudas de árvores nativas da região, que foram fornecidas pela Prefeitura de Barão de Cocais, e folders ilustrativos contendo informações sobre a preservação do meio ambiente e sobre a APA Sul. Uma equipe foi montada para coordenar a iniciativa e contou com a participaFotos: Divulgação BOM DIA Junho 2015 - Página 6 Catas Altas se previne contra incêndios contribuem e muito para a prevenção de incêndio. “ A dedicação do BEMA à prevenção é constante e os resultados tem sido positivos, por isso sempre participamos e incentivamos ações como estas”, explica. Segundo Luiz Roberto Bendia, a blitz tem o papel de educar as pessoas sobre a importância de evitar os incêndios florestais. “A prevenção e a conscientização são as maneiras mais eficazes que temos para evitar incêndios. Principalmente agora, com esse momento de grave escassez hídrica por qual estamos passando, isso se torna fundamental, já que com a falta de água enfrentamos dois problemas: a dificuldade para se conseguir água para debelar o fogo e o fato de que a vegetação é protetora dos mananciais”, afirma. Blitz educativa foi realizada pela Prefeitura de Catas Altas em parceria com a Área de Proteção Ambiental (APA) Sul ção do gestor da APA Sul RMBH, Luiz Roberto Bendia, e do secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Geraldo Magela, Os alunos do 1º ano da Escola Estadual Alzira Ayres Pereira participaram da blitz, aprenderam sobre a importância da prevenção de incêndio e aprovaram a iniciativa. “ Após a intervenção vamos dividir nosso conhecimento com os colegas”, contam. A Secretaria de Saúde de Catas Altas aproveitou a oportunidade e distribuiu informativos sobre a dengue. “ Não podemos descuidar, a dengue merece a nos- sa atenção”, alertam as as funcionárias, Camila e Helenice. Alexandre e Orione receberam os materiais informativos da Previncêndio e da Dengue, ganharam mudas e parabenizaram os organizadores pela blitz. “ Confesso que não saberia quem procurar no caso de um incêndio, obrigado pela informação”, conta. O cabo Vinicius, da Polícia Militar Ambiental orientou, “os incêndios acontecem geralmente na beirada da rodovia, são de fácil visualização, se a comunicação é imediata o combate é mais fácil, mas saber como prevenir é fundamental”. O cabo Diogo, do BEMA de Belo Horizonte (Batalhão de Bombeiros especializado em desastres e emergências ambientais), assegura que campanhas educativas Intervenção teve participação dos servidores de várias secretarias da Prefeitura de Catas Altas

[close]

p. 7

Catas Altas BOM DIA Junho 2015 - Página 7 Fatos que você precisa saber sobre a crise hídrica no Brasil Há algum tempo quase não se falava em crise hídrica e hoje não passa um dia sem que o assunto seja pauta em pelo menos um veículo da mídia brasileira. Conheça fatores que influenciam a questão da crise da água no Brasil. De rios voadores à água virtual! 1. A crise da água não é apenas em São Paulo A escassez de recursos hídricos não é um problema exclusivo da maior cidade brasileira. Tanto que, enquanto só se falava em São Paulo, os níveis dos reservatórios do Rio de Janeiro estavam ainda piores. Agora, Belo Horizonte também já sinalizou que, se a seca continuar, precisará racionar água. E na sua cidade, que tal verificar como a situação está? 2. Sem floresta não vai ter água, mas o poder público talvez pense que sim A proteção das florestas nativas nas regiões de mananciais, nas margens dos rios e reservatórios é essencial para a produção de água. Sem cobertura florestal, a água não consegue penetrar corretamente nos lençóis freáticos, causando diminuição na quantidade de água. Portanto, plante árvores. 3. Falta de estrutura e investimento Às vezes, costumamos deixar algumas atitudes para a última hora, quando está ‘com a corda no pescoço’. Nesse caso, não é diferente. Além de preservar seu município deve fazer obras visando reduzir o impacto da falta de chuvas. Fotos ilustrativas 4. Um mar de desperdício Presente na cadeia produtiva de qualquer insumo, o desperdício é dura realidade também na distribuição e no consumo de água. Estima-se hoje que em torno de um quarto da água tratada é perdida no trajeto entre as represas e as torneiras. A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que 110 litros por dia é suficiente para atender às necessidades de uma pessoa. Parece bastante, mas não é tanto assim. A cada dois minutos no banho, consumimos em média 12 litros de água. Se você é daquelas pessoas que gosta de refletir sobre os problemas do mundo num longo banho, saiba que se demorar 16 minutos terá consumido em torno de 96 litros. Isso sem contar o que usamos para escovar os dentes, dar descarga, lavarmos as mãos, cozinhar, lavar a roupa, além de matar a sede. Quando colocamos na ponta do lápis, percebemos a importância de cada um economizar ao máximo na sua rotina diária. 5. Racionar por quê? Mesmo sem muita cobertura da mídia em anos anteriores, em 2014 muito já se falava em falta de água e em uma possível crise hídrica bastante grave. Apesar disso, o racionamento oficial pelos órgãos competentes não aconteceu, por quê? Será que interesses políticos influenciaram as tomadas de decisão relacionadas à crise hídrica? Mais uma dúvida sem resposta exata para os tantos questionamentos que envolvem a situação. Independente das razões, o fato é que essa atitude piorou ainda mais um cenário já bastante complicado. 6. Com a palavra, São Pedro: falta chuva, sim, mas não é de hoje Claramente a falta de chuva é um fator importante na equação da crise. Mas ela não veio tão de repente assim. Desde 2012, e principalmente no ano seguinte, a quantidade de chuvas foi caindo vertiginosamente. E muitas pessoas sabiam disso. Diversas instituições ambientalistas tam- bém alertavam sobre a falta das chuvas, fruto de mudanças climáticas e desmatamentos que prejudicam o ciclo da água. 7. O clima muda sem pedir permissão A poluição e os Gases do Efeito Estufa (GEEs) que jogamos na atmosfera diariamente, têm alterado o clima e, consequentemente, as chuvas. As mudanças climáticas, que comprovadamente foram aceleradas pela ação do homem, tornam o clima irregular. 8. A água virtual que vai embora do país Na produção de uma xícara de café são utilizados cerca de 140 litros de água. Para a produção de um quilo de carne de gado, esse número chega a 15 mil litros de água. Essa quantidade astronômica de água, na maioria das vezes, nem fica para o consumo do brasileiro, pois o país é o maior exportador de carne bovina do mundo. De acordo com dados da Unesco, se somarmos todas as commodities que o Brasil exporta, enviamos ao exterior aproximadamente 112 trilhões de litros de água doce por ano, o equivalente a 45 milhões de piscinas olímpicas. 9. Rios Voadores regulam chuva em todo o país Na natureza, tudo está interligado buscando um equilíbrio. Apesar de não parecer, mas um ecossistema que está a cerca de três mil quilômetros de distância pode ser fundamental para garantir a produção de água em outro. No caso do Brasil, existe o fenômeno chamado ‘rios voadores’: grandes massas de vapor de água se formam no Oceano Atlântico – na altura do litoral nordestino - e ao chegarem na região amazônica aumentam de volume ao incorporar a umidade evaporada pela floresta. Levados pelas correntes de ar em direção ao Sul do país, elas são importantes para a formação de chuvas em diversas regiões, como a Sudeste. Portanto, o aumento no desmatamento da Amazônia, que após quatro anos em queda voltou a subir em 2013, pode reduzir os índices pluviométricos em outras regiões. 10. O Brasil tem uma imensa caixa d’água Da mesma forma que temos a caixa d’água em nossas casas para garantir que ela não falte, o Brasil também possui uma região que é essencial para que o recurso continue sendo produzido. É o Cerrado, que ocupa 22% do território nacional e concentra oito das 12 bacias hidrográficas do país (67%), além de possuir alta concentração de nascentes de rios que abastecem outras regiões brasileiras. Apesar da sua importância, ele é o segundo bioma mais ameaçado do país e sofre com as pressões da agricultura e principalmente da pecuária e das queimadas não naturais.

[close]

p. 8

Catas Altas O surgimento de iniciativas que buscam cuidar da natureza é uma resposta a uma série de problemas existentes no mundo: desmatamen to de florestas e matas atlânticas, poluição das cidades, do ar e de recursos hídricos como rios, lagos, lagoas e oceanos, além de atividades como a caça e a pesca predatória. Para reduzir os danos causados pelos crimes ao meio ambiente, algumas atitudes simples para que cada um possa fazer a sua parte é adquirir hábitos sustentáveis simples e eficientes. Separação do lixo A primeira dica é realizar a separação correta do lixo orgânico, latas de alumínio, papéis e metais para tornar possível o processo de reciDivulgação BOM DIA Junho 2015 - Página 8 Formas simples de preservar o Meio Ambiente regar as plantas. Economia de energia Em casa ou no trabalho, procure trocar as lâmpadas comuns pelas fluorescentes, que duram 10 vezes mais gastam dois terços menos de energia. Ainda, as lâmpadas fluorescentes podem ser recicladas após o uso. Além de ser uma ação sustentável, também contribui para reduzir a conta de energia no fim do mês. Procure realizar caronas solidárias ou invista em meios de transportes menos poluentes Menos poluição Procure realizar caronas solidárias ou invista em meios de transportes menos poluentes. Andar de bicicleta ou a pé diminui o nível de emissão de gases nocivos à atmosfera e são ótimos exercícios físicos. clagem. É possível fazer em casa a transformação do papel usado em reciclado, ou mesmo utilizar materiais orgânicos, como restos de alimentos e bagaços, como adubo em jardins e hortas caseiras. Dessa forma, você economiza com fertilizantes e ainda diminui a quantidade de lixo a ser descartado. Não Despedisse Água Outra dica de como preservar o meio ambiente é evitar o desperdício de água, desligando a torneira em atividades diárias como escovar os dentes, lavar pratos ou se barbear, bem como fechar a válvula do chuveiro enquanto se ensaboa. Ao limpar o carro ou a calçada em frente a sua casa, evite o uso da mangueira e procure utilizar um balde com água, esponja e sabão. Por fim, procure reaproveitar a água que sobra da lavagem de roupas para

[close]

Comments

no comments yet