Cartilha RAC

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

manual para atendimento aos rac s requisitos de atividades crÍticas prÁticas de seguranÇa para trabalho na obra aliança:

[close]

p. 2

objetivo esta cartilha tem por objetivo informar procedimentos para a execução das atividades críticas com o propósito de preservar a vida das pessoas assegurando sua integridade física e protegendo sua saúde seguranÇa do trabalho segurança do trabalho são todas as medidas e formas de proceder que visem a eliminação dos riscos de acidentes para ser eficaz a segurança deve atuar sobre homens máquinas e instalações levando em conta todos os detalhes relativos às atividades humanas o acidente é por definição um evento negativo e indesejado do qual resulta uma lesão pessoal ou dano material essa lesão pode ser imediata lesão traumática ou mediata doença profissional assim caracteriza-se a lesão quando a integridade física ou a saúde são atingidas o acidente entretanto caracteriza-se pela existência do risco sob todos os aspectos em que possam ser analisados os acidentes e doenças decorrentes do trabalho apresentam 1

[close]

p. 3

fatores extremamente negativos para o trabalhador acidentado para a empresa e para a sociedade anualmente as altas taxas de acidentes e doenças registradas pelas estatísticas oficiais expõem os elevados custos e prejuízos humanos sociais e econômicos que custam muito para o país considerando apenas os dados do trabalho formal o que É rac rac requisitos para atividades críticas são exigências impostas pela vale para a realização das atividades críticas visando a segurança dos funcionários os requisitos para atividades críticas estão agrupados em pessoas saúde para assegurar que as pessoas estejam liberadas para a execução das atividades críticas é necessário realizar exames médicos relacionados aos riscos das atividades para definir a capacidade laboral de cada pessoa envolvida na realização das atividades críticas capacitação aprovação nos treinamentos específicos que tratam de atividades críticas desenvolvidos em parceria com o núcleo de recursos humanos 2

[close]

p. 4

instalações e equipamentos equipamentos de proteção individual e coletiva os equipamentos de proteção individual e coletiva devem ser adquiridos de fabricantes em acordo com padrões e normas de projetos aceitos aprovados pela vale e aprovados certificados pelos órgãos competentes bem como mantidos e utilizados dentro de padrões preestabelecidos pelos fabricantes procedimentos priorizar o total atendimento à legislação local de saúde e segurança deve ser sempre atendido o requisito mais restritivo entre as legislações local estadual ou federal e o requisito estabelecido nesta instrução elaborar procedimentos específicos para execução das atividades críticas que estabeleçam medidas de saúde e segurança para controle dos riscos 3

[close]

p. 5

a elaboração destes procedimentos deve ser baseada na análise de riscos da atividade crítica validada pela área de saúde e segurança implementar planos de atendimento a emergências que contemplem recursos materiais e profissionais internos e externos capacitados para prestar atendimento no caso de ocorrência de acidentes relacionados com a respectiva atividade crítica implementar planos de inspeção e manutenção de acordo com especificações do fabricante ou da área de manutenção da vale para assegurar a integridade dos equipamentos e acessórios bem como os aspectos de saúde e segurança e manter os respectivos registro 4

[close]

p. 6

rac rac 1 ­ trabalho em altura rac 2 ­ veículos automotores rac 3 ­ equipamentos móveis rac 4 ­ bloqueio e sinalização rac 5 ­ movimentação de carga rac 6 ­ espaço confinado rac 7 ­ proteção de máquinas rac 8 ­ estabilização de taludes rac 9 ­ explosivos e detonação rac 10 ­ produtos químicos rac 11 ­ trabalho com eletricidade 5

[close]

p. 7

rac 1 ­ trabalho em altura aplica-se às tarefas de acesso e execução de atividades que geram possibilidade de queda por diferença de nível igual ou superior a 1,8 m antes da execução a avaliação pré-tarefa deve ser parte da permissão de trabalho e ser realizada pelo responsável pela liberação todos os equipamentos e sistemas de proteção devem ser inspecionados antes do início das atividades e substituídos em caso de detecção de anormalidades como deformação trinca oxidação acentuada rachaduras cortes enfraquecimento das molas e costuras rompidas deve ser respeitada a capacidade de carga garantida pelo fabricante para os equipamentos de proteção individual utilizados em trabalhos em altura.deve ser analisada a possibilidade de utilização de plataforma elevatória emsubstituição a andaimes balancins passarelas de telhado ou outros equipamentos afins os andaimes devem possuir sinalização indicando sua 6

[close]

p. 8

condição liberado ou não liberado com indicação dos responsáveis pela montagem e liberação os andaimes devem possuir indicação da carga máxima de trabalho a ancoragem da linha de vida deve ser feita em ponto externo da estrutura de trabalho salvo em situações especiais tecnicamente comprovadas por profissional habilitado os cabos de aço das plataformas suspensas e balancins precisam ser protegidos contra quinas vivas ou outras superfícies que provoquem atrito durante a execução É proibido usar qualquer tipo de equipamento de guindar como suporte/apoio de elevação de pessoas para atividades de trabalho em altura É proibido usar qualquer tipo de cinto de segurança como base/apoio de sustentação para realização de trabalhos em altura a ancoragem do talabarte duplo será feita em ponto externo à estrutura de trabalho salvo em situações especiais tecnicamente comprovadas por profissional habilitado nestas situações 7

[close]

p. 9

especiais deve ser elaborado por profissional habilitado projeto que comprove a estabilidade e resistência do conjunto quando for usado trava-quedas retrátil em ponto fixo o deslocamento horizontal do trabalhador em relação ao centro do aparelho não deve ser superior a 1/3 da distância entre o ponto de ligação do cinto de segurança e o solo caso necessário utiliza-se obrigatoriamente a linha de vida horizontal para assegurar esta distância máxima a chave de partida de plataformas elevatórias deve ficar sob responsabilidade do operador na mudança de turno/equipe de trabalho deve-se dar baixa nas permissões de trabalho pt relativas às atividades de todas as equipes envolvidas que estão encerrando sua 8

[close]

p. 10

participação e emitir novas pt para a continuidade dos serviços ou então revalidar as pt iniciais uso de equipamento individual cinto de segurança tipo pára-quedista o cinto de segurança tipo pára-quedista deve atender aos seguintes requisitos confeccionado e costurado em material sintético e cores contrastantes ao material básico para facilitar a inspeção em caso de atividades envolvendo altas temperaturas e soldagens o cinto deve ser confeccionado em fibra paraaramida sendo neste caso facultativa a confecção com costuras em cores contrastantes possuir argolas no dorso para trabalhos em geral ponto para uso em linha de vida em escada marinheiro argolas laterais com proteção lombar para trabalhos de posição eletricista ponto de ancoragem no ombro para trabalhos de espaço confinado e resgate carga estática mínima de ruptura do cinto de segurança ou travessão de 2.268 kg 9

[close]

p. 11

rac 2 ­ veÍculos automotores aplica-se a todos os veículos com capacidade de até 5 passageiros antes da execução o motorista deve preencher uma lista de verificação das condições de segurança do veículo antes de iniciar sua jornada de trabalho todos os ocupantes do veículo devem permanecer sentados e fazer uso do cinto de segurança individualmente em casos de deslocamentos fora de centros urbanos utilizando táxi de cooperativa que não possuam air-bag duplo todos os passageiros devem se sentar nos bancos traseiros em casos de deslocamentos com bagagens as mesmas devem ser devidamente acondicionadas ou afixadas de modo a garantir a segurança dos ocupantes em caso de acidentes não devem ser permitidas alterações ou modificações que descaracterizem as 10

[close]

p. 12

condições originais dos veículos automotores exceto mediante laudo técnico do fabricante ou de profissional habilitado devem ser disponibilizados no mínimo dois coletes refletivos em cada veículo uso o em situações emergenciais nas quais o condutor permaneça fora do mesmo durante a execução manter faróis acesos durante a movimentação do veículo respeitar as velocidades de segurança para as vias considerando horário e condições climáticas respeitar a capacidade de carga e número de passageiros não conduzir o veículo fumando falando ao celular utilizando aparelhos de imagem dvd e tv e som com fones de ouvido bem como com a carteira de habilitação ou treinamentos vencidos 11

[close]

p. 13

rac 3 ­ equipamentos mÓveis aplica-se a todos os equipamentos móveis tais como escavadeiras pás-carregadeiras tratores de esteira/pneus motoniveladoras motoescreiper retroescavadeiras caminhões fora de estrada e outros caminhões antes da execução o operador do equipamento móvel deve preencher uma lista de verificação das condições de segurança do equipamento móvel antes de iniciar sua jornada de trabalho emitir sinal sonoro de advertência sempre que for iniciada a operação incluindo troca de turno pós abastecimento ou manutenção e para para avisos de presença em situações de risco utilizar o equipamento somente em atividades para as quais o mesmo foi projetado se o condutor se ausentar de sua área rotineira de trabalho por um período superior a 15 dias independente do motivo deve ser orientado sobre as condições de tráfego antes de 12

[close]

p. 14

retornar à sua rotina de trabalho todos os equipamentos móveis devem ser testados antes de retornarem ao uso os testes incluem a verificação da atuação dos dispositivos de segurança com os respectivos registros durante a execução É proibida a operação de equipamentos móveis nos l o ca isonde ex i sta a permanência de quaisquer pessoas o estacionamento de equipamentos móveis somente deve ser realizado em locais permitidos devidamente sinalizados com cones/pontaletes são proibidas patinagem dos pneus arrancadas bruscas e freadas violentas e trânsito por facões lâminas de terras deixadas por motoniveladoras manter os faróis acesos durante a movimentação de equipamentos móveis para os casos em que seja indispensável a presença de pessoas nas imediações das áreas de operação de equipamentos móveis deve-se realizar análise de risco de 13

[close]

p. 15

tarefa e emitir permissão de trabalho após consulta a procedimento local que estabeleça requisitos operacionais tais como distância mínima de segurança comunicação com o operador e/ou condutor condições especiais para operações noturnas iluminação e identificação visível a distância da presença de pessoas regras de sinalização e movimentação nas áreas de manutenção de equipamentos móveis devemse estabelecer vias de circulação de equipamentos e de pessoas quando o equipamento móvel não estiver em uso e descarregado as partes móveis do mesmo lâminas conchas lanças devem ser posicionadas no solo É proibido parar ou estacionar sob redes elétricas perto de bordas de taludes e crista de bancos na área delimitada para manobra de carga e descarga nas vias de acesso dos equipamentos móveis sob transportadores de correia em áreas de risco de inundação e deslizamento 14

[close]

Comments

no comments yet