Revista-Comercio-Industria-Junho-2015

 

Embed or link this publication

Description

Revista-Comercio-Industria-Maio-2015

Popular Pages


p. 1

1

[close]

p. 2

2

[close]

p. 3

3

[close]

p. 4

ÍNDICE CAPA Venturo Análises Ambientais EMPREENDER Mundo da Beleza ECONOMIA Lojistas inseguros ALIMENTAÇÃO Que venha o Burguer King 8 Orgulho para a nossa cidade, a Venturo hoje está presente em todo país com suas análises ambientais. Ela é constituída por mestres e doutores sempre focados nas questões do meio ambiente. 10 Grupo de mulheres em Araraquara se junta em torno de um propósito e decide investir em conhecimentos para montar seu próprio negócio. O objetivo é a beleza. 14 Fechamento de lojas motivado pelos últimos resultados da economia brasileira e redução no poder de compras, deixa o lojista pessimista com as vendas de inverno. 16 Avenida 36 passa a ser o corredor mais disputado para montagem de lanchonetes, bares e restaurantes. Depois do Azumy chega o famoso Burger King. Eleição 13 | José Carlos Cardozo foi eleito novo presidente do Conselho de Turismo em Araraquara Fim da Estrada 18 | SAT entra em atividade em julho para aprimorar emissão do cupom fiscal História 20 | Flávio Carvalho Costa lança livro que mostra em fotos e textos, a história da nossa terra Premiação 30 | ACIA entregou em maio aos consumidores 4 TVs, 4 Notebooks e 4 Tablets (Promoção Dia das Mães) E se alguém achar que não será o Boi... O PMDB terá candidatura própria em 2016, segundo seu diretório. Há também a possibilidade de se juntar ao PSDB nas eleições municipais do ano que vem. A postura contraria o que acontece no âmbito nacional onde o PMDB é companheiro do PT e quem sabe, o maior responsável pela delicada situação econômica do país. Se for o Aloísio Bráz, o Boi, certamente baterá de frente com Edna Martins, do PV, que já aparece favorita nas consultas populares. Mulher de Negócios: inscrições abertas Foi lançado em maio o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios inspirando mais mulheres a serem donas do seu próprio negócio. Nestes 11 anos de premiação, Rosa Maria da Cunha Alves, presidente da Associação de Artistas e Artesãos Arte da Terra de Araraquara, foi a única premiada da cidade por sua rica história de trabalho. Boi de olho na disputa Teresa Smirne e Patricia Peceguini Viana acompanharam dona Rosa em 2008, na homenagem em São Paulo 4

[close]

p. 5

DA REDAÇÃO Sônia Maria Marques AGRONEGÓCIO Mulher Coragem VARIEDADES Loga e santa felicidade Arena cai no esquecimento e volta o velho Estádio da Fonte Luminosa Um detalhe nos chamou a atenção por ocasião da transmissão via-rádio do jogo Corinthians e Chapecoense em maio: a crônica esportiva optou em chamar o estádio mantido hoje pela Prefeitura Municipal através da Morada do Sol S/A, de “Estádio Adhemar de Barros” ou Estádio da “Fonte Luminosa”, menos Arena da Fonte como foi batizado tempos atrás. Na verdade, a esta altura, dar-lhe a denominação de “arena” seria muita pretensão por se tratar de uma peça obsoleta diante do quadro mostrado por outras praças esportivas construídas durante a Copa do Mundo ou depois, como foi o caso do Allianz Parque em São Paulo. É bom lembrar que a exArena da Fonte apresenta infantilmente, falhas arquitetônicas imperdoáveis, como por exemplo, o sol do fim de tarde batendo no rosto de quem está numa área vip e que paga muito mais caro por um ingresso para assistir um jogo de futebol ou qualquer outro evento no período vespertino; manter longe da mesma área vip um restaurante que por incrível que pareça, nunca foi utilizado. Problemas de escoamento de água por ocasião das chuvas nem se fala. São situações que poderiam ser evitadas se o estudo arquitetônico fosse mais aprimorado. É um belo estádio? Lógico que sim, porém ficou nos padrões da cidade e capaz de abrigar bons espetáculos. Em cima disso, belo estádio, é que talvez tenha levado a imprensa a não rotulá-lo de arena, devolvendo-lhe a denominação de Fonte Luminosa, cuja história é rica em detalhes. 46 Lucy Costa tem em suas mãos um verdadeiro paraíso e demonstra toda sua paixão pelos cavalos transformando uma área em haras. Trabalho fantástico. 60 O repórter Rafael Zocco em matéria especial para a RCI, apresenta depoimentos sobre a Ioga - arte ou ciência - que se propaga cada vez mais em nossa cidade. Aniversário 32 | SINCOMERCIO: quatro palestras de peso foram realizadas para comemorar seus 50 anos de fundação Festiara 34 | Valquírio Cabral foi escolhido como Embaixador do Primeiro Festiara em agosto R E V I S TA Minha querida Vila Dignidade prestada pelo poder público”. Os idosos terão na vila, cursos, oficinas, atividades físicas e orientação médica, entre outros serviços. “Conseguir meu próprio espaço pela primeira vez na vida tem um significado muito especial”, disse Osvaldo Alves da Silva, de 73 anos, aposentado como vigia. “É bom demais receber as chaves para residir na Vila Dignidade”, resumiu Maria Conceição Soares, de 87 anos, ex-dona de casa. Localizada na Rua Savério Lia Rolfsen, nº 155, no bairro CecapTancredo Neves, a Vila Dignidade Chafik Haddad é composta por residências com 39m² de área construída cada, divididos em sala conjugada com cozinha, dormitório, banheiro, área de serviço e área externa nos fundos para jardim ou horta. As casas vêm mobiliadas com mesa, geladeira, fogão, armário, cama box e guardaroupas, além de aquecedor solar. 5 e agronegócio COMÉRCIO INDÚSTRIA EDIÇÃO N°119 - JUNHO / 2015 Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Redação: Rafael Zocco Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Marcos Assumpção, Heloísa Nascimento Design: Carolina Bacardi, Bete Campos Tiragem: 5 mil exemplares Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131 A Revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região * INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 * COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Composto por vinte residências com infraestrutura adequada, novo núcleo habitacional de Araraquara é destinado a idosos e tem o nome do saudoso Chafik Haddad, o “Chafizinho”, fundador da Chalu. A inauguração aconteceu em maio, no bairro Cecap-Tancredo Neves. A Vila Dignidade, além de conforto e acessibilidade, possui uma área de convivência que possibilita maior socialização entre os idosos. O filho de Chafik, Celso Haddad, afirmou que a família se “sente muito honrada com a homenagem Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br

[close]

p. 6

6

[close]

p. 7

EDITORIAL A história da cidade, cada vez mais real Desde 2005, quando começou a ser editada, a Revista Comércio & Indústria sempre buscou resgatar os fatos históricos da cidade, dotando-os de um formato jornalístico que permite propagar o trabalho dos nossos antepassados. Vimos então que havia por parte do leitor, acentuado interesse em conhecer a imagem antiga de Araraquara e consequentemente seus personagens, muitos deles, esquecidos de maneira injusta diante da notável contribuição dada ao processo de desenvolvimento do município, nos mais diversos segmentos. Durante este caminhar de quase onze anos da RCI, mostramos que a cidade aos poucos foi tendo um hábito diferenciado e preocupação em desenvolver ações que ajudassem na conservação do seu patrimônio histórico, como fotos e filmes, documentos que no futuro serão transformados em fonte de conhecimento para os nossos jovens. A iniciativa da revista foi então perfeitamente válida, alcançando seus objetivos e despertando em outros veículos de comunicação esse mesmo interesse. Contar histórias, publicar fotos antigas, isso tudo virou moda nos jornais e revistas; até mesmo a televisão passou a se preocupar um pouco mais com o passado da nossa terra, reconhecendo e valorizando quem demonstrou através da saga, sua disposição para o trabalho. Mas, da nossa parte há que se reconhecer que não entramos sozinhos neste projeto onze anos atrás: a Associação Comercial e Industrial de Araraquara apoiou a iniciativa e fortalecidos, fomos atrás de um valioso material fotográfico elaborado por Eduardo Luiz Veiga Lopes, a partir dos anos 90. Curiosamente nos dizia Veiga, então funcionário público munici- Avenida Brasil, final do século 19, vista pela grade da Estação pal: “O meu projeto de juntar fotografias surgiu da necessidade que senti em deixar viva a memória de nossa querida Araraquara, para que minha filha, os nossos filhos, pudessem conhecer pelo menos um pouco de como viviam nossos antepassados, seus costumes, a sua vida, a nossa história, que vai se apagando com o tempo, só restando as lembranças de nossa distraída memória que com o passar dos anos tanto nos engana, tanto se ocupa... e tanto se esquece... deixando, por vezes, passar uma oportunidade que só o tempo registrou...” O Veiga foi a nossa porta de acesso à história da cidade e certamente dos outros órgãos de imprensa que entendendo o nosso projeto, também optaram em seguir esses traços. O belo acervo fotográfico finalizado por ele em CDs, em 1999 está completando neste mês de junho, 16 anos. Mas um outro fato nos chamou a atenção em maio: Luiz Flávio de Carvalho Costa lançou o livro “Fotografia e Memória em Araraquara” que vem contribuir com o fortalecimento da nossa proposta, reconhecer o apoio da Associação Comercial e colocar em evidência o trabalho da Secretaria da Cultura que tem como titular Renato Haddad. ACIA e município se juntam a esse movimento que ganha espaço cada vez mais amplo. Flavinho conseguiu realizar verdadeira obra-prima, capaz de eternamente, mostrar o que foi Araraquara, identificando imagens, fatos e pessoas que merecidamente serão lembradas pelo amor devotado a esta cidade. Essa disposição de abnegados araraquarenses é que nos entusiasma a fazer cada vez mais, algo que preserve a história de um povo ordeiro e trabalhador, que conseguiu ao longo de quase 200 anos, marcar sua passagem por aqui, deixando para o presente e futuro, uma palavra que não se esquece tão facilmente: orgulho de ser um dos nossos irmãos. 7

[close]

p. 8

Fachada da empresa e o símbolo de acreditação do Inmetro que certifica a Venturo como empresa qualificada na realização de coletas e análises ambientais REPORTAGEM DE CAPA Laboratório Venturo Análises ambientais em todo o país A Venturo na atualidade, realiza análises ambientais para viabilização operacional das hidrelétricas de Jirau, Cana Brava e Belo Monte, em função do conceito de seu laboratório e qualidade técnica dos seus profissionais. A Venturo Análises Ambientais iniciou seus trabalhos em Araraquara no início de 2012, prestando serviços em todo território nacional. Instalada em uma área com mais de 1.000m², conta com mestres e doutores especializados em meio ambiente. lidade ou para monitorar a interferência de empreendimentos na qualidade da água. Também realiza análises físico-químicas e biológicas de efluentes industriais e domésticos para avaliação do desempenho de sistemas de tratamento de esgoto de empresas e prefeituras. Espectrômetro de fluorescência atômica para especiação de Além disso, a Venturo mercúrio - primeira empresa brasileira a usar essa tecnologia faz análise de solos, sediDesta forma, o laboratório tem exce- mentos e biota, monitorando áreas conlente e completa equipe técnica-científi- taminadas por compostos orgânicos e ca, oferecendo aos clientes um suporte inorgânicos. A empresa, segundo a gerente técniqualificado para todas as questões ambientais, uma das grandes preocupações mundiais nas últimas décadas. A empresa presta serviços de análises de amostras de águas subterrâneas e superficiais para a avaliação de potabiA Venturo investe nos seus profissionais e equipamentas para atender com segurança e qualidade as legislações ambientais 8

[close]

p. 9

Doutora Vanessa Pezza, responsável pelos laboratórios da Venturo, pós doutorada em Química Analítica pelo Instituto de Química da Unesp Sistema de Garantia de Qualidade ca - Dra. Vanessa Pezza, desde seu início se preocupou em atender as exigências das legislações ambientais vigentes no país. Dessa forma, investiu em tecnologia e capacitação profissional para garantir aos seus clientes, confiabilidade analítica e suporte diferenciado para análises em quaisquer matrizes ambientais. Os laboratórios têm excelente e completa equipe técnica-científica, oferecendo aos clientes um suporte qualificado para todas as questões ambientais, uma das grandes preocupações mundiais. A Venturo conta com laboratórios de cromatografia, espectrometria de emissão, fluorescência e absorção atômica, analítico e microbiologia gerenciados por profissionais treinados e formados na área. Além disso, o laboratório conta com um departamento de amostragem apto a realizar coletas e análises em campo em quaisquer regiões do país, assegurando total controle de qualidade na análise, coleta, transporte e acondicionamento das amostras até a chegada ao laboratório. Segundo o gerente de Qualidade, Rafael Piva, desde o projeto de construção do seu prédio, a Venturo teve como principal objetivo a qualidade total dos serviços oferecidos aos seus clientes. Assim, a empresa conquistou um dos escopos de análises mais completos do país para análises ambientais. O laboratório é acreditado no INMETRO por meio da norma ABNT NBR/ISO 17025:2005, possui licença de funcionamento da Vigilância Sanitária e a habilitação da ANVISA na REBLAS (Rede Brasileira de Laboratórios Analíticos em Saúde). O químico Gilmar Martins Pereira realizando análise em um Cromatógrafo de Ions Diretoria: Capacitação Comprovada Na diretoria da Venturo, estão grandes nomes da química ambiental na América Latina, como o professor doutor Ademir dos Santos, com doutorado em Química Analítica pela USP (Universidade de São Paulo) e integrante do corpo de orientadores do programa de pós- graduação em química do Instituto de Química da Unesp de Araraquara. Também o professor doutor Júlio Cesar Rocha, com doutorado em Química pela Unesp e pós-doutorado pela Universidade ISAS, Dortmund, na Alemanha. Em 1998, Júlio foi diplomado Livre Docente em Química Analítica, pelo Instituto de Química da Unesp. Ele tem 79 artigos publicados por revistas científicas e cinco livros lançados. Professor doutor Wilson de Figueiredo Jardim, referência na América Latina em Ciências Ambientais, possui doutorado pela University of Liverpool, na Inglaterra. Jardim tem 141 artigos publicados e 13 livros oficialmente lançados. O professor doutor Luiz Fabrício Zara também possui doutorado em Química Analítica pela Unesp Araraquara e professor adjunto da UnB (Universidade de Brasília). Os quatro compõem a mesa da diretoria da empresa. O químico Rafael Piva, gerente de Qualidade da Venturo e a farmacêutica Natália Rodrigues, no Laboratório de Ensaios Físico-Químicos O biólogo Davi Rodrigues realizando ensaios microbiológicos Embarcações utilizadas por profissionais da Venturo para coletas de amostras ambientais Laboratórios móveis: veículos utilizados para coleta e análises em campo ATENDIMENTO VENTURO Rua Castro Alves, 1036 Jardim dos Ipês, próximo ao Sesc Fones: (16) 3397-5827 ou 3397-4436 www.venturoanalises.com.br comercial@venturoanalises.com.br 9

[close]

p. 10

profissionais decidiu abrir seu próprio negócio. Porém, a falta de preparo na gestão e a ausência de mão-de-obra qualificada podem emperrar o crescimento. É neste quadro que a ACIA, o Sebrae e a Facesp entram para prestar toda orientação. A economia da beleza Segundo pesquisa do Instituto Data Popular, os brasileiros gastaram R$ 58,4 bilhões com higiene e beleza em 2013. Para Renato Haddad, na análise do comportamento dos consumidores das classes C e D, o que torna o mercado tão atraente, passa não somente pela ascensão de uma grande massa de pessoas à classe média nos últimos anos, mas pelo fato de as mulheres terem entrado fortemente no mercado de trabalho nas últimas décadas. Entre 1992 e 2012, o número de mulheres com carteira assinada au- José Carlos dos Santos (Empreender) e Patrícia Peceguini Viana com as participantes do Núcleo Setorial de Estética e Beleza PROGRAMA EMPREENDER Elas buscam acesso ao mundo da beleza Especialistas de estética e beleza acreditam que o crescimento foi alavancado pelo aumento da renda da família brasileira, a inserção da mulher no mercado de trabalho e a ascensão da classe C. Junto, veio a legalização da profissão, que ocorreu há dois anos. Acaba de ser implantado o Núcleo Setorial de Beleza e Estética através do Programa Empreender, mantido pela Associação Comercial e Industrial de Araraquara em parceria com o Sebrae e a Facesp. O evento começou em maio no auditório da ACIA com a participação de futuras empresárias do setor que buscam informações e orientações para sua inclusão no mercado. O presidente da ACIA, Renato Haddad, considera que a vaidade dos brasileiros é uma excelente oportunidade de negócios para as micro e pequenas empresas. O país é o terceiro maior consumidor mundial de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, e os salões de beleza e estética lideram o movimento de formalização nas juntas comerciais. Com as boas oportunidades, um grande número de Daniela Martins Costa e o interesse de se fortalecer num dos mais importantes segmentos profissionais do momento 10

[close]

p. 11

Cécília por mais de 8 anos permaneceu em Nova Iorque com salão de beleza. Agora pretende investir na profissão em Araraquara e para isso conta com o apoio da ACIA, Sebrae e Facesp mentou 157%. “Quando elas passam a ter a própria fonte de renda, os gastos com beleza crescem”, afirma. Outra pesquisa mostra que o gasto mensal das famílias brasileiras com serviços de cabeleireiro já havia ultrapassado R$ 1 bilhão em 2008, data da última edição da pesquisa. A soma ficou próxima ao que era gasto com o consumo de carne de frango. E 53% das despesas estavam concentradas em três Estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Com um grande número de consumidores dispostos a gastar, o setor tem registrado crescimentos recordes. A consultora do Sebrae em Araraquara, Patricia Peceguini Viana, tem ressaltado para as participantes do grupo, a importância de se trabalhar coletivamente e procurar soluções para as dificuldades vivenciadas pelos proprietários de salões de beleza. Na segunda quinzena de maio elas voltaram a se encontrar com uma oficina sobre layout de salão de beleza e dentro da programação estão previstas - palestra no dia 8 de junho com o tema “Conheça seu Mercado”, uma oficina mostrando Normas e Procedimentos para salão de beleza (22 de junho) e no fechamento - visita à Feira Beauty Fair (São Paulo), em setembro. Patrícia também tem falado da importância de gerenciar um salão de beleza tal qual uma empresa, profissio- nalmente, e visando a fidelização dos clientes. Além disso valoriza a parceria entre Sebrae e Acia na continuidade dos trabalhos do núcleo associativista do Empreender. “Na verdade, temos que incentivar estas profissionais a participar do Empreender como forma de consolidar seus negócios. Durante o evento, a esteticista Marina Machado comentou sua experiência de 19 anos no setor, mas está sempre procurando informações e melhorias na gestão do salão. Ela falou da sua trajetória como ex-funcionária da Telefônica e a busca de orientações em palestras e cursos para sempre avançar no negócio. O depoimento de Cecília Aparecida Soares também marcou de forma positiva o encontro das profissionais quando fez menção sobre sua experiência como prestadora de serviços em Nova Iorque por quase 10 anos, e que mesmo com toda sua vivência, não abre mão de participar de atividades como esta lançada pela ACIA, Sebrae e Facesp. Silvia Aparecida Malaquias está disposta a se capacitar ainda mais e se consolidar em clínica de beleza e estética 11

[close]

p. 12

No ano passado o técnico de segurança no trabalho, Marcos Gobbi, levou diversos eletrônicos para o descarte correto, dizendo que apoia inteiramente ações deste tipo LIXO ELETRÔNICO Sabe o que fazer com ele? Prefeitura e Sincomercio discutem a implantação de um projeto que visa a destinação correta para o lixo eletrônico, além de lâmpadas e óleo de cozinha. No ano passado, uma campanha para coleta de resíduos eletrônicos realizada na Praça Pedro de Toledo, região central de Araraquara, arrecadou 3 toneladas de material entre a população. A ação foi uma iniciativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) e DAAE (Departamento Autônomo de Água e Esgotos), em parceria com a empresa LED Reciclagem Tecnológica de Mococa. Na época, entre os itens coletados apareceram 306 pilhas, 75 celulares, 57 fitas de videocassete, 46 fontes, 38 cabos e 34 monitores. Aparelhos de TV, disquetes e rádios também foram arrecadados entre outros materiais, totalizando 944 itens. Em maio, a Prefeitura e o Sincomercio se reuniram para verificar o descarte deste material através de um Projeto Sustentável em parceria com a EcoTraining, Itec (Instituto Tecnológico de Araraquara e Região), Núcleo de Pesquisas da USP São Carlos e Result Parceria Responsável. De acordo com o presidente do Sincomercio, Antônio Deliza Neto, o apoio da Prefeitura e do DAAE (Departamento Autônomo de Água e Esgotos), serão 12 fundamentais no projeto, que envolverá lojas e empresas da cidade para a destinação correta desses produtos descartáveis. O prefeito Marcelo destacou a importância do poder público como parceiro das causas ambientais na cidade. “Graças às políticas públicas desenvolvidas nos últimos anos nesse setor, Araraquara tem conquistado, desde 2009, o Selo Verde Azul”, enfatizou Marcelo. Vale destacar que o Selo Verde Azul foi criado pelo governo do Estado de São Paulo para premiar e destinar recursos financeiros aos municípios que apresentam as melhores políticas em defesa do meio ambiente. Discussão do projeto no gabinete do prefeito no mês passado Incentivo Ainda segundo Deliza Neto, o Projeto Sustentável é centrado em vários eixos e, por isso, também irá incentivar o comércio a reduzir seus custos operacionais, como a economia de água e energia elétrica. Para tanto, será lançado um selo de participação para as lojas que aderirem ao programa.

[close]

p. 13

Cardozo é eleito novo presidente do Comtur Desde o mês passado, o presidente do SinHoRes, José Carlos Cardozo, também passa a dirigir o Conselho Municipal de Turismo. José Carlos Cardozo, o “Zé Carlos da Casuco”, já vem presidindo o Comtur, tendo André Martins, que representa os bacharéis de Turismo, na secretaria. No final do mês, os membros do órgão iniciaram discussão sobre o regimento interno do conselho e também deram início à construção do Plano Diretor de Turismo. Também foram empossados 48 conselheiros - 24 titulares e 24 suplentes - representantes de 12 setores públicos e outros 12 privados, com mandato de dois anos. A atuação do Comtur, neste período em que Araraquara pleiteia a inclusão entre as 140 cidades paulistas que podem ser classificadas como “municípios de interesse turístico”, é bastante importante, pois a cidade pode vir a garantir recursos específicos do Estado se obtiver a classificação. Criado em 2002, diz o novo presidente José Carlos Cardozo, o Comtur é o órgão de conjugação de esforços entre o poder público e a sociedade civil, de caráter deliberativo e consultivo, para o assessoramento em questões referentes ao desenvolvimento turístico do município. Tem representatividade no Conselho as secretarias municipais de Ciência, Tecnologia, Turismo e Desenvolvimento Sustentável; de DesenvolviEspantado com a indicação, José Carlos Cardozo confessou estar honrado e disposto a trabalhar por um órgão importante dentro da administração municipal NOVA FUNÇÃO mento Urbano; de Cultura e de Esportes e Lazer, além da Câmara Municipal. Ainda possuem representantes, instituições universitárias que ministrem cursos de turismo ou afins; agências de turismo, Associação Comercial e Industrial de Araraquara, Sincomercio, Sebrae, Sindicato Rural, Sindicato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários de Araraquara e SinHoRes. 13

[close]

p. 14

Insegurança deixa lojista assustado neste inverno Coleção de inverno nas lojas de Araraquara pode ficar encalhada a partir de julho e por essa razão, algumas já decidiram investir mais cedo em liquidações. Os estoques começaram a ser feitos em março, porém a procura até aqui foi mínima. Este ano, o inverno mal havia começado e as vitrines de lojas nas ruas e nos shoppings já anunciavam promoções. O hábito nos grandes comércios tem se tornado cada vez mais frequente, muitas vezes incentivado pela oscilação de temperatura. “É verdade que nenhuma loja vai querer cometer o erro de estocar muitas peças e depois não conseguir vendê-las. Muito menos de acreditar que elas possam ser utilizadas no próximo ano. Afinal, o mercado da moda é muito volátil”, diz o presidente da Associação Comercial, Renato Haddad. Na metade de março, quase dois meses depois das lojas já estarem estocadas para o inverno que começa no dia 21 de junho, às 13h38 (sem horário de verão) e termina em 23 de setembro, a ACIA consultou lojas da cidade para conhecer a projeção de vendas neste final de outono. Renato Haddad considera que há ECONOMIA Renato Haddad, presidente da ACIA, num dos corredores comerciais da cidade (Avenida 7) lojistas apostando num crescimento de 9% a 13%; outros, analisando a atual situação econômica do país, entendem que num momento como esse - se empatar é lucro. Há também os pessimistas que apostam em retração de 10% na comparação com 2014. “Como se observa, há uma certa insegurança, ou melhor, desequilíbrio quando se busca uma resposta para a vida do comércio na atualidade, tudo gerado pela incerteza da economia”, admite o presidente da ACIA. Alguns estão prevendo situação ainda mais complicada com queda em torno de 10% menos na comparação ao ano passado. Outros afirmam que o estoque está balanceado, devido o inverno em Araraquara não ser tão rigoroso, Há dois meses as lojas começaram a formar seus estoques para o inverno 2015 neste caso, há um equilíbrio entre as roupas de inverno e meia estação. Mas também tem lojista que acredita num inverno mais intenso e por essa razão optou em ampliar suas compras em até 21% a maior que 2014. Nesta pesquisa da ACIA foi perguntado “se neste momento de instabilidade da economia há riscos nas vendas através de crediário”, e a resposta veio em tom afirmativo. Os riscos chegam a triplicar, respondem alguns. Mesmo as lojas que vendem apenas através de cartão, admitem que os critérios são mais severos na avaliação e liberação de crédito. Há quem aponte neste momento uma inadimplência em alta. Outra colocação feita pelos empresários, é de que, pelo passado das lojas, as fábricas seguem as mesmas práticas para disponibilizar crédito às lojas. “Uma grande parte do bom relacionamento com os fabricantes e essa história que vem de anos, contribui na formação de bons estoques para o inverno”, destaca Renato Haddad. 14

[close]

p. 15

15

[close]

Comments

no comments yet