Catavento Edição 49

 

Embed or link this publication

Description

Revista Catavento Edição 49

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

2 Editorial A edição número 49 vem com uma série de informações que ratificam a preocupação da instituição financeira cooperativa em proporcionar um relacionamento cada vez mais próximo com os associados. Comprovando essa verdade trazemos a grande novidade que é a ampliação do horário em mais duas horas diárias em suas unidades de atendimento, que passa a ser das 9 às 16h. Como já vem acontecendo nas últimas edições, temos as inaugurações das novas Unidades de Atendimento em Janiópolis, Engenheiro Beltrão, Goioerê, Nova Cantu e São Caetano, na região do ABCD paulista. Também destacamos a nomeação do Sr. Jaime Basso como diretor da OCEPAR (Organização das Cooperativas Paranaenses). A rodada de consórcios também alcançou grande sucesso junto aos associados que puderam entender melhor sobre o funcionamento do produto. Nesse início de ano também foi realizada a Assembleia Geral de Delegados que aprovou a união com a Sicredi FetCoop de São Paulo. São muitas as atividades realizadas nas cidades junto as comunidades, acompanhe nessa edição um pouco daquilo do que aconteceu na cooperativa de crédito. Uma ótima leitura! Despesas pessoais e profissionais: Quando o dinheiro sai da mesma fonte Ana Carolina Borges Souza* Expediente: Ano 9 - Número 49 Maio 2015 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Presidente: Jaime Basso Vice-presidente: Amauri Weber Conselheiros: Euclides Molina, Pedro Adenir Paini, Airton José Moreira, Ari Becker, Antonio de Freitas, João Roberto de Oliveira Coelho, Osmar João Bertoli Junior, Walter Andrei Dal’Boit, Verno Radetzki, Paulo Sérgio Boldrini, Waldemir Freiria Amorim, Michel Furlan Rodrigues, Leonardo Alexandre Czuczman, César Antonio Garbus. CONSELHO FISCAL Albertinho Dondoni, Lucílio Fidelis da Silva, Nildo Dalla Corte, Mario Toshio Yassue, Sebastião Antonio Polato, Dorival Pessuti. DIRETORIA EXECUTIVA Diretor Executivo: Moacir Niehues Diretor de Negócios: João Augusto da Rocha Diretor de Operações: Alisson Schach PROJETO: Assessorias de Comunicação, Marketing e Programas Sociais Edição e Editoração: Vanderlei Vanin Justo Jornalista Responsável: Michael Bueno (DRT/PR 8140) Tiragem: 5 mil exemplares Periodicidade: Bimestral www.sicredivaledopiquiriabcd.com.br Lidar com dinheiro não é um jogo fácil para a maioria dos brasileiros. Fugir das dívidas, planejar os gastos, investir e poupar muitas vezes são metas que ficam no campo das ideias. A situação complica ainda mais quando se tem que administrar, ao mesmo tempo, as finanças pessoais e as da empresa. É que, para boa parte dos micro e pequenos empresários, a fonte de recursos é a mesma - o que mudam são as expectativas. Enquanto o foco da pessoa jurídica está no negócio, nos fluxos de caixa, na rentabilidade e nas vendas, para a pessoa física as necessidades são mais subjetivas – englobam família, sonhos e qualidade de vida. Aproximadamente 500 mil novas micro e pequenas empresas solicitaram adesão ao Simples Nacional para o exercício de 2015. O número representa um aumento de 125% em relação às adesões para o exercício de 2014. Em meio a tantos novos empreendedores, uma preocupação é fundamental para a perpetuação destas organizações: estabelecer a divisão entre pessoa física e jurídica. Nada mais é do que colocar em prática a base da educação financeira que tanto o consumidor comum ouve em épocas de 13º salário: a mudança comportamental, de hábitos e de consumo. A linha que separa os gastos pessoais e os da empresa é tênue, mas pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso de um empreendimento. O primeiro passo é o empreendedor listar seus gastos com a empresa e as despesas pessoais. Colocar tudo na “ponta do lápis”, separando as contas e diagnosticando excessos. É fundamental citar todos os gastos da empresa: do contador às contas de telefone. O objetivo é que, assim, se tenha domínio sobre quanto, de fato, custa o seu negócio por mês. É válido também mudar planos de celular, internet e saúde, geralmente com custos menores quando feitos para a pessoa jurídica, e fazer uma estimativa, em percentual, de quanto combustível e estacionamento se gasta com a empresa e com próprio uso. Outro ponto é estipular um pró-labore, ou seja, o ganho mensal que a empresa paga para os sócios. O valor deve ser definido respeitando os custos mensais do empreendimento. Não adianta o empresário determinar para si um valor ínfimo mensal, pois dificilmente ele conseguirá manter o seu padrão de vida com essa quantia e acabará incorrendo no erro de misturar as contas de pessoa física com as de pessoa jurídica. Também não cabe estipular um valor muito alto, que pode comprometer a rentabilidade da empresa. É importante ainda que seja estabelecido qual será o percentual de ganhos que será reinvestido na empresa. Não são raros os casos de empresas que “quebram” justamente quando tentavam expandir suas atividades. Normalmente, em um momento de investimento, a saída é comprometer o capital de giro, o que é um grande erro. Por fim, é inevitável pensar no futuro pessoal e nas incertezas econômicas. A pessoa física tem que estabelecer uma reserva mensal pessoal, enquanto a pessoa jurídica tem que definir reserva mensal para a empresa. Pelo menos 10% do ganho mensal devem ser poupados com o objetivo de utilizar este valor como capital de giro ou para reinvestimento na empresa. E no campo particular, lembrar-se das férias, aposentadoria ou doenças e outros imprevistos. A partir desses pontos ficará mais fácil perceber o quanto esta mistura de dinheiro pode ser onerosa às economias particulares e ao seu negócio. Criando-se uma rotina financeira, vai ser possível desenvolver o hábito saudável de ordenar o dinheiro de forma coerente e ter controle total de suas economias, com rendimento real em ambas as contas. * Especialista Segmento PJ

[close]

p. 3

3 Jaime Basso representa Sicredi na diretoria da Ocepar Vice-presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ é um dos membros da diretoria da entidade No dia 1° de abril aconteceu a Assembleia Geral Ordinária (AGO) do Sistema Ocepar. Na cerimônia realizada na sede da entidade, em Curitiba, o vice-presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ, Jaime Basso, passou a fazer parte da diretoria para a gestão 2015/2019, que teve João Paulo Koslovski reeleito presidente. Na opinião de Basso, que representará o Sicredi na Organização, a Ocepar tem papel importante para o estado do Paraná, especialmente em função da representatividade do cooperativismo para o estado em 2014, as instituições somaram R$ 50,9 bilhões em faturamento e contam com 10% da população do estado como cooperados. O cooperativismo cresce pela diversidade. O fato de termos representantes de várias cooperativas é o sinal de que estamos buscando o bem comum das instituições e da comunidade, afirma o vice-presidente da Central Sicredi PR/SP/ RJ e presidente da Sicredi Vale do Piquiri ABCD. Koslovski agradeceu a confiança depositada em seu nome e pelos diretores que estarão ao lado dele na condução da Ocepar. “Vamos trabalhar juntos porque o cooperativismo do Paraná vai crescer cada vez mais, com apoio das cooperativas e da nova diretoria. A Ocepar tem sido o esteio no fomento de políticas favoráveis do cooperativismo”, afirmou. A homologação do nome de Koslovski ocorreu logo após a eleição e posse dos membros da nova diretoria da Ocepar para a gestão 2015/2019. Além de Basso, fazem parte Alfredo Lang (C.Vale), Alvaro Jabur (Uniprime), Dilvo Grolli (Coopavel), Frans Borg (Castrolanda), Jacir Scalvi (Coasul), Jorge Hashimoto (Integrada), Luiz Lourenço (Cocamar), Paulo Roberto Fernandes Faria (Unimed), Ricardo Accioly Calderari (Coamo), Luiz Roberto Baggio (Bom Jesus/Sicredi Planalto das Araucárias PR/SC), Marino Delgado (Sicoob Central Paraná), Renato João de Castro Greidanus (Batavo) e Ricardo Silvio Chapla (Copagril). Jaime Basso, João Paulo Koslovski e Alfredo Lang Diretores no dia da eleição. A Ocepar tem como objetivo realizar mais de seis mil ações de formação profissional e promoção social, com 94 mil horas/ aula e 165 mil participações, totalizando um investimento de R$ 31 milhões, montante 43% superior em relação ao ano passado. Essa é uma das metas a serem atingidas em 2015, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/ PR). A formação profissional, o monitoramento e a autogestão são a base de desenvolvimento do cooperativismo do Paraná e, Metas portanto, um dos nossos principais focos de trabalho, diz o superintendente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. Nos últimos dez anos, foram investidos R$ 130 milhões em programas de formação e promoção social para mais de 1,2 milhão de pessoas. No período, aconteceram mais de 37,6 mil ações, realizadas com o apoio financeiro do Sescoop/PR e organizadas em parceria com cooperativas e instituições educacionais. Somente em 2014, foram aplicados R$ 21,7 milhões para viabilizar 5.333 projetos, contabilizando 160.539 participações.

[close]

p. 4

4 Administradora de Consórcios Sicredi entre as 10 maiores do País Produto competitivo e com as taxas de administração mais vantajosas do mercado O consórcio pode ser comparado a uma aplicação programada, praticada por muitas pessoas, com o objetivo de economizar para a realização de um projeto ou compra de um bem. O Consórcio Sicredi se destaca no mercado principalmente pela alta adimplência de seus consorciados no pagamento mensal de parcelas, possibilitando desta forma, a aplicação das taxas de administração mais competitivas do mercado. Essas informações estão sendo repassadas pelo consultor de mercado da Administradora de Consórcios Sicredi, de Porto Alegre, Luiz Henrique Kuhn, que participou da rodada de negócios, organizada pela Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/ SP . “O Sicredi Consórcios, é com certeza, uma forma segura de realizar os sonhos que temos. E quando comparamos com o mercado, o produto se torna ainda mais competitivo, pela forma de organização cooperativa do Sicredi”, avalia. De acordo com o Banco Central do Brasil, a Administradora de Consórcios Sicredi está entre as 10 maiores do país, com mais de 130 mil cotas comercializadas. Ao mesmo tempo, a administradora de consórcios Sicredi prima pela excelente gestão Financeira de seus grupos, resultando em alto índice de contemplações. Atualmente mais de 2.200 consorciados são contempladas mensalmente. “É fato que o Sicredi Consórcio possui uma alta competividade comercial devido a comercialização de cotas somente para associados, gerando maior velocidade na constituição dos grupos e permitindo assim, altos índices de contemplações a partir da primeira assembleia”, comenta o diretor de negócios da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP , João Augusto da Rocha. Com o objetivo de divulgar os diferenciais do produto, a Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP realizou entre os dias 16 e 25 de março a rodada de negócios, com foco no Sicredi Consórcios. Foram cinco reuniões, com a participação de aproximadamente 1.500 pessoas entre associados e convidados. O evento foi dividido em duas partes, na primeira, uma palestra explicativa sobre as vantagens e diferenciais do produto. A segunda, a rodada de negócios, oportunizando a compra de cotas. “Os eventos foram uma oportunidade do associado conhecer o produto e seus diferencias, tirar dúvidas e também programar a realização de seus objetivos através da aquisição da cota de consórcio que atenda sua necessidade.”, disse a assessora da área de consórcios da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP , Dreicy Schwambach. 16 de março, evento realizado em Campo Mourão 17 de março, em Umuarama 18 de março, em Ubiratã 19 de março, em Palotina 25 de março, em São Caetano do Sul.

[close]

p. 5

Diadema SP 5 Entre os benefícios, Sicredi instalou uma unidade de negócios para melhor atender aos empresários associados A cerimônia de parceria entre Associação Comercial e Empresarial de Diadema – ACE e Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP aconteceu em março, na Churrascaria Boiadeiro. Participaram do evento mais de 200 pessoas, entre convidados, associados ACE e Sicredi. “O objetivo da parceria é aproximar as instituições, oferecendo benefícios aos nossos associados. Eu sou associado Sicredi, conheço a cooperativa e espero que muitas outras pessoas possam experimentar a arte da cooperação”, disse a presidente da Associação Comercial e Empresarial de Diadema, Vera Lúcia Alves da Rocha. O convênio prevê o fortalecimento das instituições. A Sicredi irá disponibilizar produtos e serviços bancários com os diferenciais competitivos de uma instituição financeira cooperativa para a ACE Diadema e empresas associadas. No pacote estão uma unidade de negócios nas instalações da ACE Diadema; serviços e cartão empresarial; melhores taxas em operações e capital de giro e antecipação de recebíveis de cartão e, grupo exclusivo de consórcios, com bonificação no valor médio das comercializações. “Nosso objetivo é oferecer um atendimento diferenciado aos associados ACE Diadema e Sicredi firmam parceria Representantes das instituições da ACE e fortalecer a Sicredi em Diadema”, avalia o gerente da Unidade Sicredi em Diadema, Lucas Prates. Durante o evento, os associados da ACE Diadema conheceram melhor o Sistema Sicredi e os diferenciais competitivos. A apresentação foi feita pelo diretor executivo da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP , Moa- cir Niehues. Ele reafirmou as vantagens de trabalhar com uma instituição financeira cooperativa. “É importante destacar que da nossa característica cooperativa nasce os diferenciais, como: qualidade na prestação de serviços; desenvolvimento local; gestão democrática e participação nos resultados”, analisa Niehues. Ações visam aprimorar o acesso dos pequenos negócios ao mercado financeiro, à capacitação técnica e o intercâmbio de informações Ampliar o acesso dos pequenos negócios ao mercado financeiro, à capacitação técnica dos associados e colaboradores que atuam com o segmento e o intercâmbio de informações e conhecimento são os objetivos do convênio de cooperação geral assinado pelo Sicredi e o Sebrae no início de maio. A iniciativa vai contribuir para o desenvolvimento do cooperativismo de crédito e dos pequenos negócios brasileiros. A parceria foi firmada durante o Seminário de Lideranças do Cooperativismo Financeiro para Pequenos Negócios, em Porto Alegre. O evento é uma realização do Sicredi e Sebrae, em parceria com IFC (International Finance Corporation), Banco Central, Bancoob e Confesol (Confederação das Cooperativas Centrais de Crédito Rural com Interação Solidária). O Sebrae e o Sicredi já atuam no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins por meio do Projeto de Fomento às Boas Práticas em Cooperativas de Crédito (lançado em 2011), que dissemina experiências identificadas em cooperativas de crédito para pequenos negócios. A parceria nacional foi proposta pelo Sebrae no final de 2014. O Sicredi conta com aproximadamente 300 mil associados pessoas jurídicas, que correspondem a 10% da base. Destes, 96% são micro e pequenas empresas, que atuam, principalmente, no comércio (46%) e no setor de serviços (40%). Por meio de um atendimento próximo e consultivo, a instituição oferece soluções que apoiam o empreendedor no seu dia a dia, do aumento da rentabilidade à expansão do negócio. Nos últimos 12 meses, a base de pessoa jurídica do Sicredi cresceu 13%. O Sebrae vai estimular o acesso à capacitação, consultoria, elaboração de projetos e assessoria técnica destinada às cooperativas filiadas ao Sicredi e que atuam no segmento de pequenos negócios. Para a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes, o convênio com o Sicredi é estratégico, porque busca melhorias na gestão das cooperativas, o desenvolvimento de novos produtos e serviços para pequenos negócios filiados às cooperativas e a promoção do empreen- Sicredi e Sebrae firmam convênio de cooperação geral dedorismo e associativismo, estimulando os pequenos negócios a participar das cooperativas do Sicredi. “Nossa intenção é trazer contribuições para o processo de qualificação gerencial das cooperativas do Sistema Sicredi que atendem o público do Sebrae, os pequenos negócios. Por meio da atuação conjunta, abrem-se oportunidades para a inclusão financeira dos pequenos negócios por meio do cooperativismo financeiro”, afirma. O convênio tem duração prevista de 24 meses, podendo ser ampliado para até 60 meses.

[close]

p. 6

6 Estruturas com layout apropriados, garantem a acessibilidade dos associados nas unidades de atendimento Nos projetos arquitetônicos das unidades de atendimento da Sicredi, além da funcionalidade e beleza, os arquitetos estão atentos a acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, ou que tenha, por qualquer motivo, dificuldade em movimentar-se. “Estas pessoas tem o direito de acesso e nós temos o dever de oferecer as condições para utilização destes espaços, com segurança e autonomia. Os projetos também evitam qualquer barreira ou obstáculo que impeça a liberdade de movimento. O objetivo é cada vez mais oferecer conforto e acessibilidade aos associados Sicredi”, avalia o arquiteto Jorge Luiz Leszczynski. De acordo com a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, as agências bancárias devem ter um cuidado especial nas estruturas, garantindo a acessibilidade de todos os clientes, o item consta na NBR 9050 de 2004. A norma traz itens específicos para: passeio público, acesso as agências, circulação interna, instalações sanitárias, mobílias e equipamentos, e comunicação. Para cada item, medidas e detalhes que favoreçam a circulação nas unidades, seja na parte externa ou internamente. Na área de atuação da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP todas as unidades oferecem acessibilidade, principalmente os prédios inaugurados a partir de 2011. “A acessibilidade é importantíssima, com ela a cooperativa promove a inclusão dos associados”, avalia o assessor administrativo, que acompanha a execução das obras, Henrique Almeida Westphal. O associado José Carlos Vasconcelos de Engenheiro Beltrão aprova a iniciativa. Ele é associado desde 2007 e centraliza os negócios pessoais e também da Associação Comercial e Industrial na cooperativa de crédito. “Vejo que a Sicredi vai além do trivial. Aqui me sinto como dono do empreendimento, não só pela acessibilidade, mas o bom atendimento que recebo”, diz o associado e presidente da Associação Comercial e Industrial do município. “Com certeza toda a nossa atenção está em tornar a vida do associado Sicredi muito melhor. É a união entre estética e funcionalidade que se complementam com a satisfação do dono do empreendimento”, enfatiza a arquiteta Vanessa Carla Boom, que assina a obra de Engenheiro Beltrão. Acessibilidade na Sicredi A Sicredi tem projetos arquitetônicos que atentam para a acessibilidade Associado José Carlos Vasconcelos é um dos beneficiados

[close]

p. 7

Janiópolis 7 Sicredi inaugura nova unidade de atendimento em Janiópolis Entrega da chave reuniu lideranças da Cooperativa de Crédito e de Janiópolis A solenidade de inauguração aconteceu durante café da manhã, realizado no dia 23 de março. A nova estrutura tem 375 metros quadrados de área construída com recursos do proprietário do imóvel e da cooperativa. Em Janiópolis a Sicredi está presente desde 1.999. E hoje atende mais de 1.600 pessoas entre associados e poupadores, um total de 32% da população economicamente ativa do município. “Essa bela unidade trará com certeza mais conforto aos associados, obrigado por acreditarem no cooperativismo de crédito!”, comentou o presidente Jaime Basso. Equipe de colaboradores de Janiópolis e dirigentes

[close]

p. 8

8 Associados de Engenheiro Beltrão recebem nova unidade Sicredi Engenheiro Beltrão Lideres e diretores A solenidade de inauguração aconteceu durante café da manhã, realizado do dia 30 de março. A nova estrutura tem 455 metros quadrados de área construída. A Sicredi completa em 2015, 11 anos no município e atende a 38% da população economicamente ativa do município. “Este novo espaço é um presente aos associados e sociedade que acreditam e investem no cooperativismo de crédito!”. Avaliou o presidente Jaime Basso. Entrega da chave Equipe de colaboradores com o presidente Jaime Basso e diretor executivo Moacir Niehues Jaime e frente de honra

[close]

p. 9

Goioerê 9 Goioerê recebe nova Unidade de Atendimento Associados e comunidade de Goioerê receberam a nova unidade de atendimento no dia 30 de março. A nova estrutura tem 787 metros quadrados de área construída com recursos do proprietário do imóvel e da cooperativa. Em Goioerê, a Sicredi está presente desde 1989, quando iniciou as atividades junto a cooperativa Coagel. No princípio, só poderiam se associar a cooperativa de crédito, pessoas e empresas ligadas ao setor rural. Em 2006 pas- sou a atender em sistema de livre admissão, onde todos os públicos e empresas podem se tornar associados. Hoje aproximadamente 34%, da população economicamente ativa do município realizam negócios com a cooperativa de crédito. “Há 26 anos eu acompanho a história da Sicredi em Goioerê. Nós passamos por muitas dificuldades, mas vencemos”, disse o conselheiro de administração Pedro Adenir Paini. “É importante observar que quanto mais o associado participa da vida da cooperativa, mas a instituição se fortalece. Entregar essa nova unidade hoje é mais um avanço na linda história que estamos construindo em Goioerê. Obrigado a todos!”, comentou o presidente Jaime Basso. O prefeito Luiz Roberto Costa fez referência a parceria da Sicredi ao longo dos anos para o desenvolvimento da região. “A Sicredi em nosso município é sinônimo de apoio ao desenvolvimento regional. Parabéns a todos envolvidos neste processo”, disse. Brinde Equipe Goioerê Prefeito Luiz Roberto Costa Entrega da chave

[close]

p. 10

10 Nova Cantu Sicredi tem nova unidade em Nova Cantu Associados e convidados participaram da solenidade de inauguração, em 16 de abril. A nova estrutura tem 470 metros quadrados de área construída, incluindo estacionamento. Em Nova Cantu a Sicredi está presente desde 1.994 e hoje atende mais de 1.400 associados, o que corresponde a 27,33% da população economicamente ativa do município. O prefeito Airton Antonio Agnolin, falou sobre a importância do empreendimento para o desenvolvimento da região. “A Sicredi é daqui e investe na nossa região. E agora, com esse novo prédio, deixou nossa cidade ainda mais bonita”, avaliou. “Ao longo destes 21 anos, os associados e a instituição cooperativa se fortalecem e promovem o desenvolvimento local. Obrigado a todos que contribuem para esse crescimento!”, comentou o presidente Jaime Basso. Euclides Molina Jaime Basso Entrega da chave Prefeito Airton Renata Equipe de Nova Cantú com dirigentes Fundadores Sicredi presentes na data histórica

[close]

p. 11

São Caetano do Sul 11 Sicredi começa as atividades em São Caetano do Sul A Cooperativa Sicredi chega a São Caetano do Sul como uma alternativa ao sistema financeiro tradicional Entrega da chave da nova estrutura A unidade de atendimento da Sicredi, na Avenida Goiás, n° 1.681, no bairro Santa Paula, em São Caetano do Sul, é a quinta do Sistema Sicredi na região do ABCD e foi concebida visando maior conforto, privacidade e segurança no atendimento aos associados e também a sociedade de forma geral. A estrutura tem área construída de 450 m². Na Região do ABCD, a Sicredi está presente desde 2004, com unidades de atendimento em São Bernardo do Campo e Santo André. A partir de 2013, atende em sistema de livre admissão, onde todos os públicos e empresas podem se tornar associados. “A Sicredi chega a São Caetano do Sul como a alternativa ao sistema financeiro tradicional. Na cooperativa de crédito, o associado encontra todos os produtos e serviços bancários, com a diferença de que ele é dono do empreendimento e participa das decisões e do resultado da cooperativa. Quanto mais o associado movimenta com a cooperativa, mais ganha na participação”, argumenta o diretor executivo da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP, Moacir Niehues. A cerimônia de inauguração das novas instalações, aconteceu na terça-feira, 10 de março, com a presença de associados e convidados. “Atuamos no mercado financeiro, oferecendo alguns diferenciais que só a cooperativa de crédito tem. Deixo o convite à população para que passe aqui na agência e conheça melhor o empreendimento cooperativo”, diz o gerente da unidade de São Caetano do Sul, Marcos Marchi. Um brinde ao início das atividades da Sicredi em São Caetano do Sul Associados e convidados participaram da cerimônia de inauguração Equipe de colaboradores de São Caetano do Sul

[close]

p. 12

12 Palotina Dengue: a prevenção como alternativa Pais e estudantes da Escola Municipal Luiz Moacir Percicotti participaram de uma palestra preventiva no combate a dengue, no dia 24/04. O tema foi abordado pela professora de biologia Carlise Debastiane e os alunos que trabalharam na pesquisa da fórmula na prevenção da dengue, que resultou na criação do repelente natural. “Depois de várias pesquisas, os alunos chegaram a uma receita simples e eficiente para manter afastado o mosquito aedes aegypti. Eles encontraram nas folhas de guaco e mandioca, sal de cozinha e cascas de limão taiti eficientes larcividas e inseticidas”, avaliou Carlise Debastiane. O evento foi organizado pela escola, em parceria com a Sicredi, que vem incentivando ações desta natureza no município, com o objetivo de divulgar a fórmula simples e natural de prevenção a doença. “O problema é sério e vemos a prevenção como a melhor forma de evitar que outras pessoas sejam in- Carlos Piovesan, Ronaldo Ioris, Salete Vescovi (diretora do colégio), Gabriela Rossetto, Carlise Debastiani e Vinicius Duarte Cauneto Público acompanha atento as informações fectadas, por isso o apoio da Sicredi a este e outros eventos realizados no município”, disse o gerente de Palotina, Ronaldo Ioris. Ano passado, o grupo coordenador pela professora Carlise, representou o Brasil no Liysf – London Internacional Youth Science, fórum que aconteceu em Londres. “A fórmula ideal surgiu a partir de muitos experimentos. O melhor é poder distribuir as receitas a comunidade, com o objetivo de minimizar o problema”, lembra o estudante Vinicius Duarte Cauneto, que participou do evento. Mais um ano de prazo para Cadastro Ambiental Rural Os produtores rurais terão mais um ano para se inscrever no Cadastro Ambiental Rural (CAR). O governo federal decidiu adiar a obrigatoriedade até 05 de maio de 2016. A medida foi anunciada pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, no dia 04 de maio, em Brasília, durante entrevista coletiva que contou com a presença do ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias. Houve também a participação do diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Raimundo Deusdará Filho. “A prorrogação foi feita nos temos da lei, que autoriza que o prazo seja estendido por até um ano”, disse a ministra do Meio Ambiente. “Em 2016, iremos sentar apenas para fazer um balanço do cadastro, sem a possibilidade de uma nova prorrogação”, enfatizou. Izabella destacou ainda que recebeu diversos pedidos de todo o país solicitando que os agricultores tivessem mais tempo para fazer a inscrição no CAR. Pleito – O alongamento no prazo contempla inclusive à demanda do setor produtivo paranaense. A solicitação foi feita no dia 18 de março pelo governo do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. No dia 7 de abril, a Ocepar reforçou o pedido, enviando um ofício às ministras Izabella Teixeira e Kátia Abreu, da Agricultura. Também a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) encaminhou esse pleito ao governo federal na semana passada. “A prorrogação de inscrição no CAR atende às nossas expectativas. Agora, deve- mos nos concentrar nas estratégias de divulgação e orientação dos agricultores, uma vez que será a última possibilidade que eles terão para consolidar as suas áreas produtivas e se adequar ao novo Código Florestal Brasileiro”, afirma o assessor do meio ambiente da Ocepar, Sílvio Krinski. “Os números apresentados hoje pelo Ministério do Meio Ambiente demonstram que os produtores estão querendo, de fato, regularizar suas propriedades”, acrescenta. Balanço – Na entrevista coletiva ocorrida em Brasília foi apresentado um balanço do CAR. Até o início de maio, 52,8% das áreas rurais brasileiras haviam sido registradas no Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Ru- ral (Sicar), ou seja, 196.777.419 hectares. O cadastro, criado pela Lei 12.651/2012, é um registro público eletrônico de âmbito nacional. Ele é obrigatório para todos os imóveis rurais do país e tem a finalidade de integrar as informações ambientais das propriedades e posses rurais, compondo a base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico e o combate ao desmatamento. Paraná – Segundo informações divulgadas pela Agência de Notícias do Governo do Paraná, até o dia 30 de abril, havia cerca de 101 mil propriedades rurais paranaenses registradas no CAR, o que representa cerca de 19% dos mais de 532 mil imóveis rurais existentes no Estado.

[close]

p. 13

13 Semana do Microempreendedor A Sicredi foi parceira do Sebrae PR/SP na realização da semana do Microempreendedor Individual, realizando palestras e negócios A semana do Microempreendedor Individual – MEI, aconteceu entre os dias 13 e 18 de abril. Os microempreendedores de todo o país tiveram a oportunidade de tirar dúvidas, participar de cursos e oficinas e, ainda, assistir palestras sobre empreendedorismo, tributação e legislação, além de temas específicos, como segurança alimentar e prevenção de risco de incêndio. As atividades foram gratuitas e integraram o programa da 7ª edição da Semana do Microempreendedor Individual, promovida pelo Sebrae nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. Na área de atuação da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP, as equipes foram parceiras, levando informações pertinentes para o desenvolvimento e organização financeira dos microempreendedores. “Nosso objetivo como instituição financeira cooperativa foi de estarmos juntos e auxiliar para o desenvolvimento deste público, fomentando as atividades produtivas”, comentou o diretor executivo Moacir Niehues. Desde que o MEI foi criado, 5 milhões de empreendedores atuantes em mais de 480 atividades já adotaram essa figura jurídica para se formalizar. Eles ficam sujeitos a regras simples: faturar até R$ 60 mil por ano, não possuir sociedade em nenhuma outra empresa e ter no máximo um funcionário. Reunião realizada em Palotina Campo Mourão Altônia Assis Chateaubriand

[close]

p. 14

14 Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP amplia horário de atendimento São mais duas horas diárias abertas ao público nas Unidades de Atendimento do Paraná Lançamento do novo horário em Palotina. Com o objetivo de trazer mais comodidade, conveniência e um tempo extra para receber os associados, a cooperativa inova ampliando seu horário de atendimento em duas horas por dia, que passa a ser das 9 às 16 horas. O novo horário permite uma maior aproximação com aqueles que utilizam a Unidade de Atendimento para se relacionar com a instituição financeira cooperativa, permitindo assim cada vez mais entender e atender as necessidades financeiras dos associados e comunidade. “O relacionamento diferenciado, através do atendimento pessoal ao associado, tem sido fundamental para o crescimento da cooperativa. A ampliação do horário de atendimento proporcionará mais tempo para o associado realizar seus negócios com a cooperativa. Acreditamos que desta forma estaremos facilitando e agilizando o atendimento e aumentando o relacionamento com o associado e comunidade”, destaca o Presidente da Cooperativa, Sr. Jaime Basso. Além das Unidades de Atendimento, a Sicredi disponibiliza ainda outros canais para que os associados acessem a cooperativa: Caixas eletrônicos com funcionamento das 6 às 22h, e também os canais que são 24 horas por dia: pelo telefone (Sicredi fone – 3003 4770 para capitais e regiões metropolitanas e 0800 7244770 para as demais localidades), internet (Sicredi internet: sicredi. com.br) e até em dispositivos móveis com o aplicativo Sicredi Mobi. Para marcar o início do novo horário, foram realizados encontros com associados e lideranças das diversas Unidades de Atendimento. “Um grande diferencial perante o mercado que a Sicredi traz para os associados com mais essas duas horas de atendimento. Percebemos que a preocupação da cooperativa é estar cada vez mais próxima dos associados.” - Adinar Letrari – Gerente CERPA (Cooperativa Eletricidade Rural de Palotina). “A Sicredi já tem um atendimento diferenciado, agora com o aumento no horário de atendimento proporcionará um relacionamento cada vez mais próximo. Como empresário só tenho a agradecer essa novidade pois vai auxiliar e muito na organização do meu estabelecimento.” Aliandro Barbosa – Empresário “Os bancos tradicionais tem cada vez menos gente para atender, e a Sicredi como cooperativa mais uma vez se diferencia, contratando mais colaboradores e agora com o aumento do horário de atendimento.” Jocelito Canossa – Agricultor.

[close]

p. 15

15 Altônia Assis Chateaubriand Braganey Campina da Lagoa Campo Mourão Engenheiro Beltrão Francisco Alves Goioerê Iporã Moreira Sales Pérola Perobal Ubiratã

[close]

Comments

no comments yet