O Livro dos Mártires - Jonh Fox

 

Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

o livro

[close]

p. 2

dos mÁrtires john fox primeira edição escrita por fox no século xvi e ampliação de william byron forbush no século xix tradução do espanhol para o português realizada por daniela raffo terminada em quarta-feira 16 de abril de 2008 13:28:05 nota da tradutora todas as citações bíblicas foram extraídas das versões acf almeida corrigida e revisada fiel ao texto original pjfa joão ferreira de almeida atualizada nvi:nova versão internacional esses textos aparecerão em itálico os textos bíblicos que não estão em itálico nem com a indicação de sua fonte foram traduzidos diretamente do texto original espanhol www.semeadoresdapalavra.net nossos e-books são disponibilizados gratuitamente com a única finalidade de oferecer leitura edificante a todos aqueles que não tem condições econômicas para comprar se você é financeiramente privilegiado então utilize nosso acervo apenas para avaliação e se gostar abençoe autores editoras e livrarias adquirindo os livros semeadores da palavra e-books evangélicos

[close]

p. 3

Índice sobre o autor 4 capÍtulo 1 história dos mártires cristãos até a primeira perseguição geral sob nero 9 capÍtulo 2 as dez primeiras perseguições 13 capÍtulo 3 perseguições contra os cristãos na pérsia 36 capÍtulo 4 perseguições papais 45 capÍtulo 5 uma história da inquisição 60 capÍtulo 6 história das perseguições na itália sob o papado 82 capÍtulo 7 história da vida e perseguições contra john wycliffe 122 capÍtulo 8 história da perseguição na boêmia 126 capÍtulo 9 história da vida e perseguições de martinho lutero 143 capÍtulo 10 perseguições gerais na alemanha 150 capÍtulo 11 história das perseguições nos países baixos 156 capÍtulo 12 a vida e história do verdadeiro servo e mártir de deus william tyndale 160 capÍtulo 13 história da vida de joão calvino 167 capÍtulo 14 história das perseguições na grã bretanha e irlanda 171 capÍtulo 15 história das perseguições na escócia durante o reinado de henrique viii 178 capÍtulo 16 perseguições na inglaterra durante o reinado da rainha maria 186 capÍtulo 17 surgimento e progresso da religião protestante na irlanda com um relato das bárbaras matanças de 1641 256 capÍtulo 18 o surgimento progresso perseguições e sofrimentos dos quáqueros 270 capÍtulo 19 história da vida e perseguições de john bunyan 280 capÍtulo 20 história da vida de john wesley 282 capÍtulo 21 as perseguições contra os protestantes franceses no sul da frança durante os anos 1814 e 1820 285 capÍtulo 22 o começo das missões americanas no estrangeiro 299 epÍlogo À ediÇÃo original 317

[close]

p. 4

sobre o autor john fox ou foxe nasceu em boston no condado de lincolnshire inglaterra em 1517 onde se diz que seus pais viviam em circunstâncias respeitáveis ficou órfão de pai numa idade precoce e apesar de que sua mãe logo voltou casar permaneceu sob teto paterno por sua precoce exibição de talento e disposição para o estudo seus amigos sentiram-se impelidos a enviá-lo a oxford para cultivá-lo e levá-lo à maturidade durante sua residência em oxford se distinguiu pela excelência e agudeza de seu intelecto que melhorou com a emulação de seus companheiros de estudos junto com um zelo e atividade incansáveis estas qualidades cedo lhe ganharam a admiração de todos e como recompensa pelos seus esforços e conduta gentil foi escolhido companheiro do magdalen college o que era considerado como uma grande honra na universidade e que poucas vezes era concedido só em casos de grande distinção a primeira exibição de seu gênio foi na poesia e compus algumas comedias latinas que ainda existem mas logo dirigiu sua atenção a uma questão mais séria o estudo das sagradas escrituras e a verdade é a que se aplicou à teologia com mais fervor que prudência e descobriu sua parcialidade para a reforma que então tinha começado antes de conhecer os que a apoiavam ou os que a tinham protegido e esta circunstância veio a ser a origem de seus primeiros problemas diz-se que afirmou em muitas ocasiões o que primeiro que o levou a seu exame da doutrina papista foi que viu diversas coisas muito contraditórias entre si impostas sobre os homens ao mesmo tempo por esta razão sua resolução e esforço de obediência à igreja sofreram uma certa sacudida e gradativamente se estabeleceu um desagrado para o resto seu primeiro cuidado foi pesquisar a história antiga e a moderna da igreja determinar sua origem e progresso considerar as causas de todas aquelas controvérsias que tinham surgido no intervalo e sopesar diligentemente seus efeitos solidez fraqueza etc antes de chegar aos trinta anos tinha estudado os pais gregos e latinos e outros autores eruditos as transações dos concílios e os decretos dos consistórios e tinha adquirido um conhecimento muito competente da língua hebraica a estas atividades dedicava freqüentemente uma parte considerável da noite ou até a noite inteira e a fim de relaxar sua mente depois de um estudo tão incessante acudia a um bosque perto do colégio lugar muito freqüentado pelos estudantes no final da tarde devido a sua recôndita escuridão nestes passeios solitários freqüentemente o ouviam emitir profundos soluços e suspiros e com lágrimas derramar suas orações a deus estes retiros noturnos posteriormente deram origem às primeiras suspeitas de seu afastamento da igreja de roma pressionado para dar uma explicação de sua conduta rejeitou inventar desculpas expôs suas opiniões e assim por sentença do colégio foi declarado convicto condenado como herege e expulso seus amigos ao conhecerem o fato sentiram-se profundamente ofendidos e lhe ofereceram quando tinha assim rejeitado os seus um refúgio em casa de sir tomás lucy de warwickshim aonde foi chamado como preceptor de seus filhos.

[close]

p. 5

a casa está perto de stmatford-on-avon e foi este lugar que poucos anos depois foi cena das tradicionais expedições de pesca clandestina do menino shakespeare fox morreu quando shakespeare tinha três anos posteriormente fox se casou na casa de sir lucy mas o temor dos inquisidores papistas os fez fugir rápido dali porquanto não se contentavam com castigar delitos públicos mas começavam também a meter-se nos segredos particulares de famílias começou a considerar o que devia fazer para livrar-se de maiores inconvenientes e resolveu dirigir-se à casa de seu sogro o pai de sua mulher era cidadão de coventry e suas simpatias não estavam contra ele e era provável que o pudesse persuadir por causa de sua filha resolveu primeiro ir à casa dele mas antes mediante cartas ver se seu sogro o receberia ou não assim fez e como resposta recebeu a seguinte mensagem que parecia-lhe difícil aceitar em sua casa alguém que sabia que era culpável e que estava condenado por um delito capital e que tampouco ignorava o risco em que incorreria ao aceitá-lo não obstante agiria como parente e relevaria seu próprio perigo se mudasse de idéia podia acudir sob a condição de que ficaria tanto tempo como desejar mas se não podia persuadir-se que devia contentar-se com uma estadia mais breve e não pôr em perigo nem a ele nem a sua mãe não se devia rejeitar nenhuma condição além disso foi secretamente aconselhado por sua sogra a acudir e para não temer a severidade de seu sogro porque talvez era necessário escrever como o fazia mas se se der a ocasião compensaria suas palavras com ações de fato foi melhor recebido por ambos do que havia esperado deste modo se manteve oculto durante um certo tempo e depois empreendeu viagem a londres durante a última parte do reinado de henrique viii sendo desconhecido na capital encontrou-se frente a muitas dificuldades e até ficou reduzido ao perigo de morrer de fome se a providência não se tivesse interposto em seu favor da seguinte forma um dia estando fox sentado na igreja de são paulo esgotado após longo jejum um estranho sentou-se a seu lado e o cumprimentou cortesmente colocando uma soma de dinheiro em sua mão e exortando-o a recuperar o bom ânimo ao mesmo tempo o informou que depois de poucos dias se abririam a ele novas expectativas para seu futuro mantimento nunca pôde saber quem era o estranho mas depois de três dias recebeu um convite da duquesa de richmond para encarregar-se da educação dos filhos do conde de surrey que estava encarcerado na torre junto com seu pai o duque de norfolk pelos ciúmes e a ingratidão do rei os filhos assim confiados a seu cuidado foram tomás que sucedeu no ducado henry depois conde de northampton e jane que chegou a ser duquesa de westmoreland e no cumprimento destes deveres deu plena satisfação à duquesa a tia dos meninos estes dias de calma prosseguiram durante a última parte do reinado de henrique viii e os cinco anos do reinado de eduardo vi até que maria herdou a coroa e pouco depois de sua chegada deu todo o poder aos papistas por esse tempo fox que ainda estava sob a proteção de seu nobre pupilo o duque começou a suscitar a inveja e o ódio de muitos particularmente do doutor gardiner que era então bispo de winchester e que posteriormente chegou a ser seu maior inimigo.

[close]

p. 6

fox percebeu isto e vendo que começava uma terrível perseguição começou a pensar em abandonar o reino tão pronto como o duque conheceu suas intenções tentou de persuadi-lo para permanecer ali e seus argumentos foram tão poderosos e expressados com tanta sinceridade que abandonou o pensamento de deixar seu asilo por enquanto naquele tempo o bispo de winchester tinha uma grande amizade com o duque tendo sido pelo apoio de sua família que havia negado a dignidade da qual então gozava e freqüentemente o visitava para apresentar seu serviço quando pediu várias vezes poder ver seu antigo tutor no princípio o duque negou a sua petição alegando numa ocasião sua ausência e outra vez indisposição no final aconteceu que fox não sabendo que o bispo estava em casa entrou na sala em que o duque e o bispo estavam conversando porém ao ver o bispo retirou-se gardiner perguntou de quem se tratava respondendo o duque que era seu médico que era algo rude sendo recém chegado da universidade gostei de sua cara e de seu aspecto respondeu o bispo e quando tiver ocasião o farei chamar o duque entendeu estas palavras como presságio de um perigo iminente e considerou que era hora de que fox abandonasse a cidade e inclusive o país assim fez preparar tudo o necessário para sua fuga em secreto enviando um de seus servos a ipswich para alugar uma nave e fazer todos os preparativos para a partida também arranjou a casa de um de seus servos um granjeiro para alojamento até que o vento fosse favorável tudo disposto fox despediu-se de seu nobre protetor e com sua mulher que então estava grávida partiu em segredo rumo à nave apenas se tinham alçado a vela quando sobreveio uma violenta tempestade que durou todo o dia e toda a noite e que no dia seguinte os empurrou de volta para o mesmo porto de onde tinham partido durante o tempo em que a nave esteve no mar um oficial enviado pelo bispo de winchester tinha irrompido na casa do camponês com uma ordem de arresto contra fox ali onde estivesse para devolvê-lo à cidade ao saber das notícias o granjeiro alugou um cavalo sob a aparência de partir de imediato da cidade porém voltou secretamente aquela mesma noite e fez acordo com o capitão da nave que zarpasse rumo a qualquer lugar assim que o vento mudasse somente desejando que saíssem sem duvidar que deus prosperaria sua empresa o marinheiro aceitou e depois de dois dias seus passageiros desciam em terra sãos e salvos em nieuport depois de passar uns poucos dias naquele lugar fox empreendeu viagem rumo a basiléia onde encontrou um grupo de refugiados ingleses que tinham abandonado seu país para evitar a crueldade dos perseguidores e se associou a eles e começou a escrever sua história dos atos e monumentos da igreja que foi publicada primeiro em latim em basiléia em 1554 e em inglês em 1563 durante aquele intervalo a religião reformada voltou a florescer na inglaterra e a decair muito a facção papista após a morte da rainha maria isto induziu a maioria dos exilados protestantes a voltar ao seu país natal entre outros ao aceder elisabete no trono também voltou fox ao chegar achou em seu anterior pupilo o duque de norfolk um fiel e ativo amigo até que a morte o privou de seu benfeitor depois deste acontecimento fox herdou uma pensão que o duque havia-lhe legado e que foi ratificada por seu filho o conde de suffolk.

[close]

p. 7

e não se deteve aqui o bom sucesso de fox ao ser recomendado à rainha pelo seu secretário de estado o grande cecil sua majestade o nomeou assessor de shipton na catedral de sallsbury o qual foi de certo modo obrigado a aceitar porque foi muito difícil de ser convencido a isso a voltar a instalar-se na inglaterra dedicou-se a revisar e ampliar seu admirável martirológio com um cuidado prodigioso e um estudo constante terminou a sua célebre obra em onze anos tratando de alcançar uma maior correção escreveu cada linha deste extenso livro por si mesmo e transcreveu sozinho todos os registros e documentos porém como conseqüência de um trabalho tão fervoroso ao não deixar parte de seu tempo livre de estudo e não se permitir nem o mínimo recreio que a natureza reclama sua saúde ficou tão reduzida e tão consumido e alterado que aqueles amigos e parentes seus que só o viam de tanto em tanto mal podiam reconhecê-lo mas embora cada dia se esgotava mais prosseguiu com seus estudos com tanta diligência como costumava e ninguém pôde persuadi-lo a reduzir o ritmo de seus trabalhos os papistas prevendo o prejudicial que seria para a causa deles aquela história de seus erros e crueldades recorreram a todas as artimanhas para rebaixar a reputação de sua obra porém sua malícia acabou sendo favorável tanto para o próprio fox como para a igreja de deus em geral porquanto fez com que o livro fosse intrinsecamente mais valioso ao induzir a sopesar com a mais escrupulosa atenção a certeza dos fatos que registrava e a validade das autoridades das que obtinha sua informação mas em quanto se achava assim infatigavelmente dedicado a impulsionar a causa da verdade não descuidou por isso os outros deveres de sua posição era caridoso compassivo e solícito ante as necessidades tanto espirituais como temporais de seus próximos visando ser útil de modo mais extensivo embora não tinha desejos de cultivar a amizade dos ricos e dos poderosos a seu próprio favor não declinou a amizade daqueles que a ofereciam desde as mais elevadas posições e nunca deixou de empregar sua influência entre eles em favor dos pobres necessitados como conseqüência de sua probidade e caridade bem conhecidas foram freqüentemente entregues somas de dinheiro por parte de pessoas ricas dinheiro que aceitava e distribuía entre os que padeciam necessidades também acudia ocasionalmente à mesa de seus amigos não tanto em busca de prazer como por cortesia e para convencê-los de que sua ausência não era ocasionada por temor a expor-se às tentações do desejo em resumo seu caráter como homem e como cristão era irrepreensível embora as recentes lembranças das perseguições sob maria a sanguinária agregaram amargor a sua pluma é de destacar que ele era pessoalmente o mais conciliador dos homens e embora rejeitasse de coração a igreja de roma na qual tinha nascido foi um dos primeiros em tentar a concórdia dos irmãos protestantes de fato foi um verdadeiro apóstolo da tolerância quando a peste açoitou a inglaterra em 1563 e muitos abandonaram seus deveres fox permaneceu em seu posto ajudando os desvalidos e agindo como portador de esmolas dos ricos se disse dele que jamais pôde refutar ajuda a ninguém que o pedir em nome de cristo tolerante e com um grande coração exerceu sua influência perto da rainha elisabete para confirmá-la em sua intenção de manter a cruel prática de dar morte aos que mantiverem suas convicções

[close]

p. 8

religiosas contrárias a rainha tinha-lhe em grande respeito e se referia a ele como nosso pai fox fox teve gozo nos frutos de sua obra enquanto ainda vivia seu livro viu quatro grandes edições antes de sua morte e os bispos deram ordem de que fosse colocado em cada igreja catedral da inglaterra onde amiúde estava acorrentado como a mesma bíblia naqueles tempos num tripé ao qual tinha acesso o povo no final tendo brindado longo serviço tanto à igreja como ao mundo mediante seu ministério por meio de sua pluma e pelo brilho impecável de uma vida benevolente útil e santa entregou humildemente sua alma a cristo em 18 de abril de 1587 aos setenta anos de idade foi sepultado no presbitério de st giles em cripplegate paróquia na qual tinha sido vicário durante certo tempo no começo do reinado da rainha elisabete.

[close]

p. 9

capÍtulo 1 história dos mártires cristãos até a primeira perseguição geral sob nero cristo nosso salvador no evangelho de são mateus ouvindo a confissão de simão pedro o qual antes que todos os outros reconheceu abertamente que ele era o filho de deus e percebendo a mão providencial de seu pai nisso o chamou aludindo a seu nome de rocha rocha sobre a qual edificaria sua igreja com tal força que as portas do inferno não prevaleceriam contra ela e com estas palavras se devem observar três coisas primeiro que cristo teria uma igreja neste mundo segundo que a mesma igreja sofreria uma intensa oposição não só por parte do mundo senão também com todas as forças e poder do inferno inteiro e em terceiro lugar que esta mesma igreja apesar de todo o poder e maldade do diabo se manteria vemos esta profecia de cristo verificada de modo maravilhoso por quanto todo o curso da igreja até o dia de hoje não parece mais que um cumprimento desta profecia primeiro o fato de que cristo tenha estabelecido uma igreja não necessita demonstração segundo com que força se opuseram contra a igreja príncipes reis monarcas governadores e autoridades deste mundo e em terceiro lugar como a igreja apesar de tudo tem suportado e retido o que lhe pertencia É maravilhoso observar que tormentas e tempestades ela tem vencido e para uma mais evidente exposição disto tenho preparado esta história com o fim primeiro de que as maravilhosas obras de deus em sua igreja redundem para sua glória e também para que ao expor-se a continuação e história da igreja possa redundar em maior conhecimento e experiência para proveito do leitor e para a edificação da fé cristã como não é nosso propósito entrar na história de nosso salvador nem antes nem depois de sua crucifixão só será necessário lembrar aos nossos leitores o desconcerto dos judeus pela sua posterior ressurreição ainda que um apóstolo o havia traído embora outro o tinha negado sob a solene sanção de um juramento e ainda que o resto tinha-o abandonado a exceção daquele discípulo que era conhecido do sumo sacerdote a história de sua ressurreição deu uma nova direção a todos seus corações e depois da missão do espírito santo transmitiu uma nova confiança em suas mentes os poderes de que foram investidos lhes deram confiança para proclamar seu nome para confusão dos governantes judeus e por assombro dos prosélitos gentios 1 estevÃo santo estevão foi o seguinte a padecer sua morte foi ocasionada pela fidelidade com a que predicou o evangelho aos entregadores e matadores de cristo foram excitados eles a tal grau de fúria que o expulsaram fora da cidade apedrejando-o até matá-lo a época em que sofreu supõe-se geralmente como a páscoa posterior à da crucifixão de nosso senhor e na época de sua ascensão na seguinte primavera a continuação suscitou-se uma grande perseguição contra todos os que professavam a crença em cristo como messias ou como profeta são lucas nos diz de imediato que fez-se naquele dia uma grande perseguição contra a igreja

[close]

p. 10

que estava em jerusalém e que todos foram dispersos pelas terras da judéia e de samaria exceto os apóstolos atos 8:1 acf em volta de dois mil cristãos incluindo nicanor um dos sete diáconos padeceram o martírio durante a tribulação suscitada por causa de estevão atos 11:9 pjfa 2 tiago o maior o seguinte mártir que encontramos no relato segundo lucas na história dos atos dos apóstolos é tiago filho de zebedeu irmão mais velho de joão e parente de nosso senhor porque sua mãe salome era prima irmã da virgem maria não foi até dez anos depois da morte de estevão que teve lugar este segundo martírio aconteceu que tão pronto como herodes agripa foi designado governador da judéia que com o propósito de congraçar-se com os judeus suscitou uma intensa perseguição contra os cristãos decidindo dar um golpe eficaz e lançando-se contra seus dirigentes não se deveria passar por alto o relato que dá um eminente escritor primitivo clemente de alexandria nos diz que quando tiago estava sendo conduzido ao lugar de seu martírio seu acusador foi levado ao arrependimento caindo a seus pés para pedi-lhe perdão professando-se cristão e decidindo que tiago não receberia sozinho a coroa do martírio por isso ambos foram decapitados juntos assim recebeu resoluto e bem disposto o primeiro mártir apostólico aquele cálice que ele tinha dito ao salvador que estava disposto a beber timão e parmenas sofreram o martírio por volta daquela época o primeiro em filipos e o segundo na macedônia estes acontecimentos tiveram lugar no 44 d.c 3 felipe nasceu em betsaida da galiléia e foi chamado primeiro pelo nome de discípulo trabalhou diligentemente na Ásia superior e sofreu o martírio em heliópolis na frigia foi acoitado encarcerado e depois crucificado no 54 d.c 4 mateus sua profissão era arrecadador de impostos e tinha nascido em nazaré escreveu seu evangelho em hebraico que foi depois traduzido ao grego por tiago o menor os cenários de seus trabalhos foram partia e a etiópia país no que sofreu o martírio sendo morto com uma lança na cidade de nadaba no ano 60 d.c 5 tiago o menor alguns supõem que se tratava do irmão de nosso senhor por parte de uma anterior mulher de josé isto resulta muito duvidoso e concorda demasiado com a superstição católica de que maria jamais teve outros filhos além de nosso salvador foi escolhido para supervisar as igrejas de jerusalém e foi o autor da epístola ligada a tiago a idade de noventa e nove anos foi espancado e apedrejado pelos judeus e finalmente abriram-lhe o crânio com um cacetete 6 matias dele se sabe menos que da maioria dos discípulos foi escolhido para encher a vaga deixada por judas foi apedrejado em jerusalém e depois decapitado.

[close]

p. 11

7 andrÉ irmão de pedro predicou o evangelho a muitas nações da Ásia mas ao chegar a edessa foi apreendido e crucificado numa cruz cujos extremos foram fixados transversalmente no chão 1 daí a origem do termo de cruz de santo andré 8 marcos nasceu de pais judeus da tribo de levi supõe-se que cristianismo por pedro a quem serviu como amanuense e escreveu seu evangelho em grego marcos foi arrastado e populacho de alexandria em grande solenidade de seu ídolo sua vida em suas implacáveis mãos foi convertido ao sob cujo cuidado despedaçado pelo serapis acabando 9 pedro entre muitos outros santos o bem-aventurado apóstolo pedro foi condenado a morte e crucificado como alguns escrevem em roma embora outros e não sem boas razões tenham dúvidas a esse respeito hegéssipo diz que nero buscou razões contra pedro para dá-lhe morte e que quando o povo percebeu rogaramlhe insistentemente que fugisse da cidade pedro ante a insistência deles foi finalmente persuadido e se dispus a fugir porém chegando até a porta viu o senhor cristo acudindo a ele e adorando-o lhe disse senhor aonde vãs ao que ele respondeu a ser de novo crucificado com isto pedro percebendo que se referia a seu próprio sofrimento voltou à cidade jerônimo diz que foi crucificado cabeça para abaixo com os pés para cima a petição dele porque era disse indigno de ser crucificado da mesma forma que seu senhor 10 paulo também o apóstolo paulo que antes se chamava saulo após seu enorme trabalho e obra indescritível para promover o evangelho de cristo sofreu também sob esta primeira perseguição sob nero diz obadias que quando se dispus sua execução nero enviou dois de seus cavaleiros ferega e partémio para que lhe dessem a notícia de que ia ser morto ao chegarem a paulo que estava instruindo o povo pediram-lhe que orasse por eles para que eles acreditassem ele disse-lhe que em breve acreditariam e seriam batizados diante de seu sepulcro feito isso os soldados chegaram e o tiraram da cidade para o lugar das execuções onde depois de ter orado deu seu pescoço à espada 11 judas irmão de tiago era comumente chamado tadeu foi crucificado em edessa o 72 d.c 12 bartolomeu predicou em vários países e tendo traduzido o evangelho de mateus na linguajem da Índia o propalou naquele país finalmente foi cruelmente açoitado e logo crucificado pelos agitados idólatras 13 tomÉ 1 cruz em forma de x n da t

[close]

p. 12

chamado dídimo predicou o evangelho em partia e na Índia onde por ter provocado a fúria dos sacerdotes pagãos foi martirizado sendo atravessado com uma lança 14 lucas o evangelista foi autor do evangelho que leva seu nome viajou com paulo por vários países e se supõe que foi pendurado de uma oliveira pelos idólatras sacerdotes da grécia 15 simÃo apelidado de zelote predicou o evangelho na mauritânia África inclusive na grã bretanha país no qual foi crucificado em 74 d.c 16 joÃo o discípulo amado era irmão de tiago o maior as igrejas de esmirna sardes pérgamo filadélfia laodicéia e tiatira foram fundadas por ele foi enviado de Éfeso a roma onde se afirma que foi lançado num caldeiro de óleo fervendo escapou milagrosamente sem dano algum domiciano desterrou posteriormente na ilha de patmos onde escreveu o livro do apocalipse nerva o sucessor de domiciano o libertou foi o único apóstolo que escapou de uma morte violenta 17 barnabÉ era de chipre porém de ascendência judia supõe-se que sua morte teve lugar por volta do 73 d.c e apesar de todas estas contínuas perseguições e terríveis castigos a igreja crescia diariamente profundamente arraigada na doutrina dos apóstolos e dos varões apostólicos e regada abundantemente com o sangue dos santos.

[close]

p. 13

capÍtulo 2 as dez primeiras perseguições a primeira perseguição a primeira perseguição da igreja teve lugar no ano 67 sob nero o sexto imperador de roma este monarca reinou pelo espaço de cinco anos de uma maneira tolerável mas depois deu liberdade ao maior desenfreio e as mais atrozes barbaridades entre outros caprichos diabólicos ordenou que a cidade de roma fosse incendiada ordem que foi cumprida pelos seus oficiais guardas e servos enquanto a cidade imperial estava em chamas subiu na torre de mecenas tocando a lira e cantando o cântico do incêndio de tróia declarando abertamente que desejava a ruína de todas as coisas antes de sua morte além do grande edifício do circo romano muitos outros palácios e casas ficaram derruídos vários milhares de pessoas pereceram nas chamas ou se afogaram com a fumaça ou foram sepultados sob as ruínas este terrível incêndio durou nove anos quando nero descobriu que sua conduta era intensamente censurada e que era objeto de um profundo ódio decidiu inculpar os cristãos aproveitando a oportunidade para escusar-se ao mesmo tempo que enchia seu olhar com novas crueldades esta foi a causa da primeira perseguição e as brutalidades cometidas contra os cristãos foram tais que inclusive moveram os próprios romanos à compaixão nero inclusive refinou suas crueldades e inventou todo tipo de castigos contra os cristãos que puder ter sido inventado pela mais infernal imaginação particularmente fez que alguns deles fossem costurados em peles de animais silvestres lançando-os aos cães até morrerem a outros os vestiu de camisas untadas com cera amarrando-os a postes e os incendiou nos seus jardins para iluminá-los esta perseguição foi geral por todo o império romano porém mais bem aumentou que diminuiu o espírito do cristianismo foi durante esta perseguição que foram martirizados são paulo e são pedro a seus nomes podem-se agregar erasto tesoureiro de corinto aristarco o macedônio e trófimo de Éfeso convertido por são paulo e seu colaborador assim como josé comumente chamado barsabé e ananias bispo de damasco cada um dos setenta a segunda perseguição sob domiciano em 81 d.c o imperador domiciano de natural inclinado à crueldade deu morte primeiro a seu irmão e logo suscitou a segunda perseguição contra os cristãos em seu furor deu morte a alguns senadores romanos a alguns por malícia e a outros para confiscar seus bens depois mandou que todos os pertencentes à linhagem de davi fossem executados entre os numerosos mártires que sofreram durante esta perseguição estavam simeão bispo de jerusalém que foi crucificado e são joão que foi fervido em óleo e depois desterrado a patmos flavia filha de um senador romano foi do mesmo modo desterrada ao ponto e se ditou uma lei dizendo que nenhum cristão uma vez trazido ante um tribunal fique isento do castigo sem que renuncie a sua religião

[close]

p. 14

durante este reinado se redargüiram várias histórias inventadas com o fim de danificar os cristãos tal era a paixão dos pagãos que toda fome epidemia ou terremoto que assolasse qualquer das províncias romanas era atribuída aos cristãos estas perseguições contra os cristãos aumentaram o número de informantes e muitos movidos pela cobiça testemunharam em falso contra as vidas de inocentes outra dificuldade foi que quando qualquer cristão era levado ante os tribunais era submetido a um juramento de prova e se recusavam tomá-lo eram sentenciados a morte também se confessavam serem cristãos a sentença era a mesma os seguintes foram os mais destacados entre os numerosos mártires que sofreram durante esta perseguição dionísio o areopagita era ateniense de nascimento e foi instruído em toda a literatura útil e estética da grécia viajou depois a egito para estudar astronomia e realizou observações muito precisas do grande eclipse sobrenatural que teve lugar no tempo da crucifixão de nosso senhor a santidade de sua forma de viver e a pureza de suas maneiras o recomendaram de tal modo entre os cristãos em geral que foi designado bispo de atenas nicodemo um benevolente cristão de alguma distinção sofreu na roma durante o furor da perseguição de domiciano protásio e gervásio foram martirizados em milan timóteo o célebre discípulo de são paulo foi bispo de Éfeso onde governou zelosamente a igreja até o 97 d.c neste tempo quando os pagãos estavam para celebrar uma festa chamada catagogião timóteo enfrentando-se à procissão os repreendeu severamente por sua ridícula idolatria o que exasperou de tal modo a plebe que caíram sobre ele com paus e o espancaram de maneira tão terrível que expirou dois dias depois pelo efeito dos golpes a segunda perseguição sob trajano 108 d.c na terceira perseguição plínio o jovem homem erudito e famoso vendo a lamentável matança de cristãos e movido por ela à compaixão escreveu a trajano comunicando-lhe que havia muitos milhares deles que eram mortos a diário que não tinham feito nada contrário à lei de roma motivo pelo qual não mereciam perseguição tudo o que eles contavam acerca de seu crime ou erro como deva chamar-se só consistia nisto que costumavam reunir-se em determinado dia antes do amanhecer e repetirem juntos uma oração composta de honra de cristo como deus e em comprometer-se por obrigação não certamente a cometer maldade alguma senão ao contrário a nunca cometer furtos roubos ou adultério a nunca falsear a palavra a nunca defraudar ninguém depois do qual era costume separar-se e voltar a reunir-se depois para participar em comum de uma comida inocente nesta perseguição sofreram o bem-aventurado mártir inácio quem é tido em grande reverência entre muitos este inácio tinha sido designado para o bispado de antioquia seguindo a pedro na sucessão alguns dizem que ao ser enviado da síria para a roma porque professava a cristo foi entregue às feras para ser devorado também se diz dele que quando passou pela Ásia a atual turquia estando sob o mais estrito cuidado de seus guardiões fortaleceu e confirmou as

[close]

p. 15

igrejas por todas as cidades por onde passava tanto com suas exortações como predicando a palavra de deus assim tendo negado a esmirna escreveu à igreja de roma exortando-os para que não empregassem médio algum para libertá-lo de seu martírio não fosse que o privassem daquilo que mais anelava e esperava agora começo a ser um discípulo nada me importa das coisas visíveis ou invisíveis para poder somente ganhar a cristo que o fogo e a cruz que manadas de bestas selvagens que a ruptura dos ossos e a dilaceração de todo o corpo e que toda a malícia do diabo venham sobre mim assim seja se só puder ganhar a cristo jesus e inclusive quando foi sentenciado a ser lançado às feras tal era o ardente desejo que tinha de padecer que dizia cada vez que ouvia rugir os leões sou o trigo de cristo vou ser moído com os dentes de feras selvagens para que possa ser achado pão puro adriano o sucessor de trajano prosseguiu esta terceira perseguição com tanta severidade como se antecessor por volta desta época foram martirizados alexandre bispo de roma e seus dois diáconos também quirino e hermes com suas famílias zeno um nobre romano e por volta de outros dez mil cristãos muitos foram crucificados no monte ararate coroados de espinhos sendo traspassados com lanças em imitação da paixão de cristo eustáquio um valoroso comandante romano com muitos êxitos militares recebeu a ordem de parte do imperador de unir-se a um sacrifício idólatra para celebrar algumas de suas próprias vitórias porém sua fé pois era cristão de coração era tanto maior que sua vaidade que recusou nobremente enfurecido por esta negativa o ingrato imperador esqueceu os serviços deste destro comandante e ordenou seu martírio e o de toda sua família no martírio de faustines e jovitas que eram irmãos e cidadãos de bréscia tantos foram seus padecimentos e tão grande sua paciência que calocério um pagão contemplando-os ficou absorto de admiração e exclamou num arrebato grande é o deus dos cristãos pel qual foi preso e foi-lhe feito sofrer parelha sorte muitas outras crueldades e rigores tiveram de padecer os cristãos até que quadratus bispo de atenas fez uma erudita apologia em seu favor perante o imperador que estava então presente e aristides um filósofo da mesma cidade escreveu uma elegante epístola o que levou adriano a diminuir sua severidade e a ceder em favor deles adriano ao morrer no 138 d.c foi sucedido por antonino pio um dos mais gentis monarcas que jamais reinou e que deteve as perseguições contra os cristãos a quarta perseguição sob marco aurélio antonino 162 d.c marco aurélio sucedeu no trono no ano 161 de nosso senhor era um homem de natureza mais rígida e severa e embora elogiável no estudo da filosofia e em sua atividade de governo foi duro e feroz contra os cristãos e desencadeou a quarta perseguição as crueldades executadas nesta perseguição foram de tal calibre que muitos dos espectadores se estremeciam de horror ao vê-las e ficavam atônitos ante o valor dos sofredores alguns dos mártires eram obrigados a passar com os pés já feridos sobre espinhas pregos aguçadas conchas etc colocados em ponta outros eram açoitados até que ficavam à vista seus tendões e veias e depois de

[close]

Comments

no comments yet