Desfrutar o Tejo, Art on Chairs 2014-2015

 

Embed or link this publication

Description

Catálogo Desfrutar o Tejo, Art on Chairs 2014-2015

Popular Pages


p. 1

Exposição dos projectos premiados no concurso de mobiliário urbano promovido pelas câmaras municipais de Paredes e de Lisboa O

[close]

p. 2

Ficha Técnica Exposição e Brochura “Desfrutar o Tejo” Janeiro 2015 DESFRUTAR TEJO Artur Madeira, Luís Silva, Alexandra Berger (Direção Municipal de Ambiente Urbano / DAEP / DMEV – CML) Catarina Cid, Vera Brito, Raquel Antunes (MUDE) Lígia Afreixo, Alexandra Bagão (Francisco Providência, Lda) Paulo Bago d’Uva (Universidade de Aveiro / ID+) Organização/Organization Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura [ID+] / Universidade de Aveiro MUDE – Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo Promotor/Promoter Câmara Municipal de Paredes Câmara Municipal de Lisboa / MUDE- Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo Impressão e acabamento /Printing and Binding Uniarte 1ª edição /1st edition Paredes, Janeiro 2015 Editor/Publisher António Costa Presidente da Câmara Municipal de Lisboa Celso Ferreira Presidente da Câmara Municipal de Paredes CMP CML Paredes and Lisbon together to revitalize design and industry. It is with pleasure that we welcome you to the exhibition of the winning proposals of the urban furniture, limited competition Enjoying Tejo, created by 5 Portuguese designers. Incorporated in the partnership agreed between the Municipal Councils of Paredes and Lisbon, this initiative is part of the international event Art on Chairs, and is stems from a collaboration with MUDE – the Museum of Design and Fashion, Francisco Capelo Collection, and the University of Aveiro, with the aim of affirming Portuguese creativity and manufacturing, by bringing together designers and Paredes furniture companies. The exhibition “Enjoying Tejo” shows the three winning entries that were prototyped by the furniture industry in Paredes. The final result will be submitted for the ongoing project for the remodelling of the public space of Cais do Sodré, Largo do Corpo Santo and surroundings, designed by the office of Bruno Soares Arquitetos. The proposal is to offer a space for enjoyment that combines relaxation and leisure, with comfort and excellence in design as its common denominators. This is an example of how public commissions can promote the creative industries and how municipal partnerships can connect an industrial region with the country’s capital, and together simultaneously promote investment and tourism. António Costa e Celso Ferreira Comissário/Commissioner Vasco Branco Júri/Jury Bárbara Coutinho Luís Jorge Bruno Soares Pedro Martins Pereira Design Expositivo/Exhibition Design Bruno Soares Arquitetos Design Gráfico/Graphic Design Francisco Providência Textos /Texts Bruno Soares Arquitetos, Daniel Caramelo e Bárbara Fachada, Isabel Barbas e João Matos Alves, Miguel Palmeiro, Presidentes das Câmaras de Paredes e Lisboa, Vasco Branco Fotografias/Photography Marcus Garcia Moreira, Bruno Soares Arquitetos e Pedro Albuquerque (retrato de Bárbara Coutinho) Modelações 3D/3D Modeling Autores dos projetos e Pedro Trindade (Bruno Soares Arquitetos) Coordenação/Coordination Susana Marques (Setepés) Produção /Production Ana Vieira (Setepés), Olga Moreira Laurentina Pereira (Direção Municipal de Cultura - CML) Paredes e Lisboa juntas pela dinamização do design e da indústria. É com grande agrado que damos as boas vindas à exposição das propostas de mobiliário urbano vencedoras do concurso-convite Desfrutar o Tejo e realizadas por 5 autores portugueses. Integrada na parceria assinada pela Câmara Municipal de Paredes e a Câmara Municipal de Lisboa, esta iniciativa integra o evento internacional Art on Chairs e decorre da colaboração com o MUDE - Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo e a Universidade de Aveiro com vista à afirmação da criatividade e produção nacionais, através do encontro entre designers e empresas de mobiliário de Paredes. A exposição Desfrutar o Tejo mostra as três propostas vencedoras que foram prototipadas na indústria de mobiliário de Paredes. O resultado final concorre para o projeto em curso de remodelação do espaço público do Cais do Sodré, Largo do Corpo Santo e envolventes, cujo projeto é da autoria do ateliê Bruno Soares Arquitetos. A proposta é oferecer um espaço de fruição que associa descanso e lazer, tendo como denominador comum o conforto e a excelência do desenho. Este é um exemplo de como a encomenda pública pode promover as indústrias criativas e como a parceria municipal pode associar uma zona industrial com a capital do país, juntos promovendo simultaneamente o investimento e atração turística. António Costa e Celso Ferreira Município de Paredes

[close]

p. 3

Comissário/Commissioner ID+, Universidade de Aveiro VASCO BRANCO “Enjoying the Tejo” competition was promoted by the Municipal Council of Paredes, in partnership with the Municipal Council of Lisbon as part of Art on Chairs 2014, and is organized by the University of Aveiro, through ID+ (Research Institute for Design, Media and Culture), with the collaboration of MUDE – the Museum of Design and Fashion, Francisco Capelo Collection. The competition’s principle objective was to identify innovative and original solutions for urban furniture as an indispensible component in the enjoyment of public spaces. The solutions proposed, were to fit in with the project of urban redevelopment proposed for Cais de Sodré, Largo do Corpo Santo and the surrounding area (project: Bruno Soares Arquitetos). These solutions had their programme specified in the regulations: “The challenge is oriented in two distinct, though complementary, directions: (1) The design of a structure suitable for those brief and fleeting moments of rest, typical of urban mobility. (…) (2) the design of a structure intended for those who can stay longer, should experiment with new possibilities for the duality of sociability/privacy, that are comfortable and playful, and also provide integrated eating surfaces when the urban setting is suitable. Vasco Branco Vasco Branco Convocavam-se os Designers para “Convidar à interação, ao encontro, ao diálogo, à partilha comum e às cumplicidades locais, valorizando igualmente a qualidade do ambiente urbano e a dimensão antropológica do lugar.” (citado do regulamento). A atenção privilegiada ao design português traduziu-se no convite a seis ateliês/projetistas portugueses para participarem neste concurso (dos quais cinco aceitaram participar). Carlos Pereira; Daniel Caramelo e Bárbara Fachada; Isabel Barbas e João de Matos Alves; LIKEarchitects; Miguel Palmeiro apresentaram soluções para o desafio que lhes foi proposto, assegurando, na diversidade, a qualidade esperada que elogiaria qualquer escolha. As empresas de Paredes (Camila Móveis, Guarnição, Disarte) envolveram-se com dedicação e engenho na prototipagem das três candidaturas premiadas, permitindo materializar a antecipação que qualquer projeto de design já consubstancia. Desfrutar o Tejo é um luxo. Um imaginário que corre, luxuosamente acessível, em olhares que nunca se repetem, mesmo quando a sua fugacidade não os deixa transformarse em ver. The Designers were invited to “place the emphasis on the imagination and the desire to return public space to its citizens, imbuing the location with a greater sense of creativity and playfulness, and turning it into a livelier place.” (quoted from the regulation). The special attention afforded to Portuguese design, resulted in six studios/designers being invited to participate in the competition (of which five agreed to compete). Carlos Pereira; Daniel Caramelo and Bárbara Fachada; Isabel Barbas and João de Matos Alves; LIKEarchitects; and Miguel Palmeiro presented solutions to the challenges that they were set, ensuring in this diversity, the desired quality that would make any of them a worthy choice. The Paredes’ companies (Camila Móveis, Guarnição, and Disarte) applied themselves with dedication and ingenuity to the prototyping of the three award winning entries, and made it possible to realize the expectations that any design project nowadays requires. Enjoying the Tejo is a luxury. Imagery that runs, luxuriously accessible to glimpses that are never repeated, even though their fleeting nature prevents us from transforming them into gazes. O concurso “Desfrutar o Tejo” foi promovido pela Câmara Municipal de Paredes, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, no âmbito do evento Art on Chairs 2014, e organizado pela Universidade de Aveiro, através do ID+ (Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura) com a colaboração do MUDE – Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo. Este concurso teve como primeiro objetivo identificar soluções inovadoras e originais de mobiliário urbano enquanto componente indispensável à fruição do espaço público. As soluções propostas deveriam enquadrar-se no projeto de requalificação urbana previsto para o Cais do Sodré, Largo do Corpo Santo e envolventes (projeto: Bruno Soares Arquitetos), em Lisboa. Essas soluções tinham como programa especificado no regulamento: “O desafio orienta-se em dois sentidos distintos, ainda que complementares: (1) Concepção de um apoio próprio para momentos de descanso breves e fugazes, típicos da mobilidade urbana. (...) (2) Concepção de um apoio destinado a permanências mais demoradas no local, ensaiando novas possibilidades que sejam confortáveis e lúdicas para o binómio sociabilização/ privacidade e que integrem suportes para refeições quando o enquadramento urbano se mostre favorável.”

[close]

p. 4

Arquiteto autor da Requalificação do espaço público do Cais do Sodré e Largo Corpo Santo B RUNO SOARES gura, confortável e relacionada com as principais “linhas de desejo” dos utentes, constitui objetivo prioritário. Assim, dá-se especial atenção (i) à definição e desenho dos percursos pedonais de atravessamento na ligação com a envolvente e, em particular, com as estações e terminais dos transportes públicos, assim como (ii) à definição de novos espaços de estadia, (iii) à localização de equipamentos e do mobiliário urbano, considerando a manutenção e integração de elementos notáveis já existentes, designadamente a escultura “Ao Leme” de Francisco Santos e a tipuana existente na proximidade, a placa evocativa de Roque Gameiro e os quiosques e, finalmente, (iv) à iluminação pública e ambiental dos diferentes espaços, a qual recorrerá à relocalização dos equipamentos existentes na área de intervenção. c) No caso do Largo do Corpo Santo, mantém-se o pequeno largo da igreja, propondo-se ao nível do pavimento um desenho reticulado simples que restitua até ao limite da Av. da Ribeira das Naus, onde se localizava o antigo cais, os seus limites originais. trians, related to the key “desired path” of the users, is the prime objective. Therefore, special attention is given to (i) the definition and design of intersecting pedestrian paths in connection with the surroundings and, in particular, with public transport stations and terminals, as well as (ii) the definition of new stopping places, (iii) the location of equipment and street furniture, taking into consideration maintaining and integrating existing elements of note, namely the sculpture “At the Helm” by Francisco Santos and the nearby rosewood trees, the evocative plaque of Roque Gameiro and the kiosks, and finally, (iv) the environmental and public lighting of the different spaces, which will involve relocating existing equipment within the area of intervention. c) In the case of Largo do Corpo Santo, the small church plaza will be kept, with the proposed restoration of the pavement, using a simple grid design, up to its original boundaries at the end of Av. Ribeira das Naus, where the old pier was located. A área do projeto é marcada pela diversidade morfológica do espaço público resultante do conjunto de ‘praças’ – Cais do Sodré, Duque da Terceira, Corpo Santo – que são ligadas entre si por dois arruamentos – Av. 24 de Julho/Ribeira das Naus e Rua Bernardino Costa. Revalorizar o espaço pedonal nas diversas vertentes, tanto da circulação urbana e da ligação entre modos de transporte, como do passeio e do lazer dos utentes, residentes e turistas, é uma das questões centrais do projeto. Neste sentido, são adotados os seguintes princípios e critérios: a) Manter as características da Praça Duque da Terceira, onde apenas é ajustada a geometria das faixas de rodagem às novas condições de circulação, de que resulta o alargamento dos passeios, com a ampliação da calçada de vidraço branco e manutenção dos desenhos de pavimento e das árvores existentes; b) No Cais do Sodré/Jardim Roque Gameiro, os ganhos de espaço pedonal na placa central permitem o retorno à tipologia tradicional da “Praça-Jardim”, com a inclusão de áreas verdes e arborização, a qual responde à intenção de criar condições de utilização mais diversificada deste espaço, nomeadamente áreas de estar e de encontro multigeracional, sem pôr em causa a função dominante de interface de transportes, onde a circulação dos peões, se- The project area is characterized by the morphological diversity of the public space resulting from a group of ‘plazas’ - Cais do Sodré, Duque da Terceira, Corpo Santo - which are linked by two streets - Av. 24 de Julho/Ribeira das Naus and Rua Bernardino Costa. Improving the pedestrian space in all aspects, both for urban circulation and connecting modes of transport, and for walking and recreation by its most frequent users and tourists, is one of the project’s central concerns. In this regard, the following principles and criteria have been adopted: a) Maintain the characteristics of the Praça Duque da Terceira, where only the geometry of the roadways will be adjusted to the new circulation conditions, resulting in a widening of the walkways, expanding of white cobblestone paving, while maintaining of the existing designs and trees; b) In the Cais do Sodré/Jardim Roque Gameiro, the pedestrian space gained in the centre area allows the traditional “Garden Square” typology to be reinstated with the inclusion of gardens and trees, in response to the intention to create conditions for more diversified use of this space, including areas for seating and multigenerational interaction, without compromising its dominant role as a transportation interface, where the safe, comfortable circulation of pedes- Bruno Soares Arquitetos Bruno Soares Arquitetos

[close]

p. 5

Requalificação do espaço público do Cais do Sodré e Lg Corpo Santo

[close]

p. 6

Vasco Branco Presidente Universidade de Aveiro JÚRI JURY Vasco Branco (Aveiro, 1956) Ph.D. in Electrical and Computer Engineering (Interaction Design), 1997, Currently he is Associate Professor at the Department of Communication and Arts of the University of Aveiro where he was one of the founders of the Design programs. Since 2009, he is the director of ID+ (Research Institute for Design, Media and Culture), a research unit hosted by University of Aveiro and University of Porto, where he also leads the project CIDES.PT - Interpretation Center for Portuguese Design, funded by Portuguese Foundation for Science and Technology. He represents the University of Aveiro at ADDICT (Agency for the Development of Creative Industries) and at the Executive Committee of the European Academy of Design. He is a member of the Editorial Advisory board of some international design journals (The Design Journal, The ‘Radical’ Designist: Journal of Design Culture, DISEÑO + I). estrangeiro. Luís Jorge Bruno Soares Vogal Bruno Soares Arquitetos Vasco Branco (Aveiro, 1956). Doutorou-se em Engenharia Electrotécnica e Computadores (Design de Interação) pela FEUP, em 1997. É Professor Associado do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, onde foi um dos primeiros responsáveis pelo desenvolvimento da área de Design (licenciatura, mestrados e doutoramentos). Desde 2009, e enquanto um dos seus fundadores, assume a direção do ID+ (Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura), iniciativa conjunta das Universidades de Aveiro e do Porto. Neste âmbito lidera também o projeto CIDES.PT – Centro de Interpretação do Design Português, financiado pela FCT. Representa a Universidade de Aveiro na ADDICT (Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas). É membro do Comité Executivo da European Academy of Design e do conselho editorial de algumas revistas internacionais na área do Design (The Design Journal, The ‘Radical’ Designist: Journal of Design Culture, I+DISEÑO). Luís Jorge Bruno Soares (Aveiro,1941). Arquiteto e Urbanista. Trabalha em planeamento urbano e territorial desde 1970, com trabalhos realizados em Portugal e no Coordenador técnico do Plano Diretor de Lisboa (1994) e do Projeto Geral do Espaço Público da Frente Ribeirinha entre o Cais do Sodré e Santa Apolónia (2008) Autor dos projetos de espaço público do Terreiro do Paço (2010) e da zona do Cais do Sodré e Corpo Santo (2014). Luís Jorge Bruno Soares (Aveiro, 1941). Architect and Urban Planner. He has worked in urban and regional planning since 1970, and carried out projects in Portugal and abroad. Technical coordinator of the Master Plan for Lisbon (1994) and the General Project for Public Spaces on the Riverfront between Cais do Sodré and Santa Apolonia (2008) Designer of the projects for public space of the Terreiro do Paço (2010) and the area of Cais do Sodré and Corpo Santo (2014).

[close]

p. 7

Pedro Martins Pereira Vogal Larus Design Urbano Bárbara Coutinho Vogal MUDE, Lisboa Pedro Martins Pereira (Albergaria-a-Velha, 1952). Eng. Metalúrgico U.P., proprietário das marcas LARUS e ALBA. JEEP - Jovem Empresário de Elevado Potencial (1985); Prémio Nacional de Design de Mobiliário (1991); 5 Selos de Design (Prémio de Produto 1993); nomeado para representar Portugal (LARUS) no Prémio Europeu de Design 94; Prémio Nacional de Design 88-89 (LARUS); Prémio Nacional de Design de Produto (LARUS); Prémio Hall of Fame (LARUS - 2007); Menção Honrosa no DME Award 2007 (LARUS); Red Dot 2008 (LARUS); Prémio Nacional de Design 2009 (LARUS); Prémio Nacional de Produto 2009 (LARUS); Prémio BID - Bienal Ibero-Americana de Design 2010; Prémio DME Award 2010 (LARUS); Red Dot 2011 (LARUS); Red Dot Menção Honrosa 2011; Prémio Melhor Conferência Face to Face (Ludwigsburg) 2011; Menção Honrosa BID 2012; Nomeação para o German Design Award 2013; Red Dot 2014; Red Dot 2014 (ALBA). Orador em diversos seminários, workshops. Colaborador em pós-graduações e Mestrados em Design. Pedro Martins Pereira (Albergaria-a-Velha, 1952). Metallurgical Eng. U.P., owner of LARUS and ALBA brands. JEEP - Young Entrepreneur with High Potential (1985); National Prize for Furniture Design (1991); 5 quality seals (Selos) for design (Product Award 1993); appointed to represent Portugal (LARUS) at the European Design Award 94; National Design Award 88-89 (LARUS); National Product Design Award (LARUS); Hall of Fame Award (LARUS 2007); Honourable Mention in DME Award 2007 (LARUS); Red Dot 2008 (LARUS); National Design Award 2009 (LARUS); National Product Award 2009 (LARUS); IDB Award - Ibero-American Design Biennial 2010; Award DME Award 2010 (LARUS); Red Dot 2011 (LARUS); Red Dot Honourable Mention 2011; Best of Conference Award, Face to Face (Ludwigsburg) 2011; Honourable Mention IDB 2012; Nomination for the German Design Award 2013; Red Dot 2014; Red Dot 2014 (ALBA). Speaker at various seminars, workshops. Collaborator in post-graduate and Masters theses in Design. Bárbara Coutinho (Lisboa, 1971). Mestre em História da Arte Contemporânea pela Universidade Nova de Lisboa com a tese “Carlos Ramos (1897-1969) – A procura do compromisso entre o Modernismo e a Tradição”. Atualmente a concluir a tese de doutoramento em arquitetura, com uma tese sobre as transformações do espaço expositivo nos museus de arte contemporânea/design no século XXI. Autora do conceito e programa museológico do MUDE – Museu de Design e Moda, Coleção Francisco Capelo, é a diretora do museu desde a sua fundação, em 2006. Curadora e Professora auxiliar convidada do Instituto Superior Técnico. Tem participado em várias conferências e assinado artigos/ ensaios sobre curadoria e museus/arquitetura. Entre 1998 e 2006 foi coordenadora do Departamento Educativo do Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém. Bárbara Coutinho (Lisbon, 1971). Masters in History of Contemporary Art from the University of New Lisbon with the thesis “Carlos Ramos (1897-1969) - The search for compromise between Modernism and Tradition”. Currently completing a doctoral thesis in architecture, with a thesis on the transformation of the exhibition space in contemporary art/design museums of the 21st century. As creator of the concept and museum programme for MUDE - Museum of Design and Fashion, Francisco Capelo Collection, she has been director of the museum since its founding in 2006. Curator and Assistant Guest Professor at the Instituto Superior Técnico. She has participated in several conferences and written articles/essays on curating and museums/ architecture. Between 1998 and 2006, she was coordinator of the Education Department of the Exhibition Centre of the Centro Cultural de Belém.

[close]

p. 8

1º Prémio Isabel Barbas e João Matos Alves licenciados em arquitectura pela FA/UTL trabalham em atelier próprio em Lisboa ISABEL BARBAS Licenciados em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa e bolseiros Erasmus em Itália, Isabel na Sapienza, Roma, e João no Instituto Universitario di Architettura di Venezia, Itália, reuniram-se no ano de 2014 para estabelecer uma parceria tirando partido da complementaridade e diversidade do trabalho e experiência de ambos. Têm vários trabalhos premiados com o primeiro lugar e menções honrosas, em concursos públicos e privados. Os cias, exposições e publicações nacionais e internacionais. A proposta: JARDIM DAS GAIVOTAS Os lugares têm espírito e têm história. E o design, enquanto atividade de mediação cultural, ao usar esses argumentos como base das construções metafóricas que materializa em artefactos, convoca imaginários que não pretende controlar. Assim as duas propostas, ainda que formalmente distantes, ganham coerência na partilha de objectivos e na leitura do local. Mas gaivotas ou versos de Fernando Pessoa são igualmente argumentos globais, passíveis de incorporar poeticamente o discurso de qualquer cidade. Architecture degrees from the Architecture Faculty of the Technical University of Lisbon, and Erasmus scholarships in Italy, Isabel went to Sapienza, Rome, and João went to Instituto Universitario di Architettura di Venezia, Italy, they met in 2014 to establish a partnership, building on the complementary nature and diversity of their work and experiences. Their work has received first place awards and honourable mentions, in private and public competitions. Their work has been and international publications. The proposal: SEAGULLS’ GARDEN Places have a spirit and a history, and design, as an activity of cultural mediation, in using these arguments as a basis for metaphorical constructions that are materialized in artefacts, conjures imaginaries that it does not intend to control. Thus the two proposals, although formally distinct, gain coherence in sharing objectives and in their understanding of the location. But equally, seagulls and lines from Fernando Pessoa are universal arguments, capable of poetically incorporating the discourse of any city. seus trabalhos têm sido apresentados em diversas conferên- presented at various conferences, exhibitions, and national proposta para estadias breves “O elemento ‘banco’ inspira-se proposal for short stays “The ‘bench’ element is inspired by na imagética dos toros de madeira que chegavam às tercenas, the imagery of the trunks of wood that were delivered to posteriormente aos estaleiros navais, para construção das naus. O carácter industrial e a ideia de viagem subjacente desde então, inspiraram a ideia deste projeto: construir uns the warehouses and subsequently to the naval shipyards, for the construction of ships. The industrial character, and the underlying idea of a voyage, inspired the idea for this project:

[close]

p. 9

1º Prémio Linhas de mobiliário urbano Toro e Gaivota desenhadas por Isabel Barbas e João Matos Alves, fabricadas pela Guarnição, Paredes. bancos que aparentam ser toros maciços que circulam, à semelhança dos eléctricos ou dos sistemas de transporte das matérias-primas que chegavam aos estaleiros. Este mimetismo reforça o carácter e a memória do sítio.” (citado dos autores do projeto). proposta para estadias prolongadas “(...) um ‘conjunto’ de elementos urbanos que, formalmente, nos remetem à ideia de gaivotas, tão características nesta zona, e que podem ser agrupados de várias maneiras e adquirir várias funções: sentar, deitar, comer, jogar. Transformámos o Cais do Sodré num jardim de ‘Gaivotas’ que levantam voo ou aterram, se encolhem ou se espreguiçam, em direção ao rio e convidam os transeuntes a fazer uma pausa, um piquenique, uma sesta ou simplesmente a olhar o deambular do rio e dos barcos que passam.” (citado dos autores do projeto) Como se deduz deste texto, o design joga-se simultaneamente na materialização – um banco de jardim “romântico” agarrado ao solo por pés fixos em sapatas de betão – e na imaterialidade do imaginário que permite voar. To construct benches that appeared to be solid trunks that circulate in the same way as trams or the systems for transporting raw materials that arrived at the shipyards. This mimicry reinforces the memory of the place.” (quoted from the project’s authors) proposal for prolonged stays “(…) a ‘grouping‘ of urban elements that, formally, reminded us of the idea of seagulls, so characteristic of this zone, and which can be grouped together in various ways and assume different functions: sitting, lying, eating, and playing. We transformed the Cais do Sodré into a garden of ‘Seagulls’ taking flight or landing, clustered together or stretched out, in the direction of the river and inviting passers-by to take a break, have a picnic, a siesta or simply to watch the river flowing by and the boats passing.” (quoted from the project’s authors) As can be deduced from this text, the design simultaneously plays with the material - a garden bench fixed to the ground by feet set in concrete pads - and in the immateriality of the imagination that lets it fly.

[close]

p. 10

Guarnição Empresa polivalente que integra a transformação da madeira, com carpintaria e moldação de resinas, oferecendo produção interna de acessórios metálicos. Habilitada a responder aos mais exigentes requisitos de qualidade e rigor, tem trabalhado essencialmente para o mercado francês de hotelaria e decoração comercial de luxo. A Guarnição diferencia-se pela capacidade para produzir artefactos de elevada dificuldade técnica, garantindo a sua construção e instalação. A sua experiência, rigor e meios técnicos de controlo numérico garantem-lhe uma resposta de rara eficiência. Na sua proximidade encontrase a oferta industrial de impressão sobre madeira, com a qual se podem explorar sinergias. Guarnição A versatile company which combines the transformation of wood, with carpentry and resin casting, with the option of in-house production of metal accessories. Capable of responding to the most demanding requirements of quality and rigour, it has worked essentially for the French hospitality and luxury decoration market. This company stands out for its capacity to produce artefacts of high technical difficulty, guaranteeing their construction and installation. Its experience, rigor and digitally controlled techniques ensure its exceptionally efficient response. A company for printing on wood is in the outskirts, with whom it can potentially collaborate.

[close]

p. 11

2º Prémio Constituída em 2010, a MIGUEL PALMEIRO DESIGNER oferece soluções que integram pensamento estratégico, design, branding e tecnologia MIGUEL PALMEIRO Constituída em 2010, a MIGUEL PALMEIRO DESIGNER oferece soluções que integram pensamento estratégico, design, branding e tecnologia, ajudando empresas de múltiplos canais. Sediada no Porto, os seus colaboradores desenvolvem projetos de reconhecido mérito e interesse desde 1993. O seu trabalho abrange o desenvolvimento de marcas para novas organizações, bem como pensamento estratégico sobre o reposicionamento de identidades já implementadas. A proposta: BLOCO As soluções desenhadas fazem o The proposal: block The solutions designed create elogio simbólico da madeira maciça, como se as árvores inscrevessem, já em si, estas formas, aguardando serenamente pelo traço do designer para serem reveladas. E o autor descreve essa sua decisão projectual de “adoptar uma narrativa que enuncie a origem da madeira (árvore) e utilizações primitivas dos troncos de árvore (bancos) e cepos (apoios).” Narrativa que o autor transcreve, numa atitude modernista, para formas geométricas simples: um bloco paralepipédico em madeira e pés em U construídos em aço macio, recortado, soldado, metalizado e pintado, prevendo uma fixação mecânica ao pavimento. Formas com as quais pretende “construir base para um sistema a symbolic eulogy to solid wood, as if the trees had already inscribed these forms onto themselves, and were serenely waiting for the gesture of the designer to reveal them. The designer describes his design decision to “adopt a narrative that announces the origin of the wood (tree) and uses primitive trunks (benches) and stumps (supports) from the tree.” The designer transcribes this narrative, in a modernist approach, into simple geometric forms. A rectangular block of wood and U shaped feet constructed in solid steel that are cut, welded, metalized and painted, allowing them to be mechanically fixed to the pavement. Forms with which he intends “to build the basis of a modular MIGUEL PALMEIRO DESIGNER was founded in 2010, and offers solutions that integrate strategic thinking, design, branding and technology, helping companies and oracross multiple channels. Based in Porto, its collaborators develop projects of recognised merit and significance since 1993. Its work covers not only the development of brands for new organisations but also strategic thinking on the repositioning of identities already implemented. e organizações a criar, comunicar e gerir marcas através ganisations to create, communicate and manage brands

[close]

p. 12

2º Prémio Linha de mobiliário urbano Bloco desenhada por Miguel Palmeiro, Emidio Cardeira e Pedro Sousa fabricada pela Camila Móveis Paredes. modular de mobiliário urbano composto por um léxico mínimo de elementos, garantindo a maior polivalência nas suas utilizações.” (citado do autor do projeto). proposta para estadias breves Imagine-se o corte de uma árvore. Depois do tronco cair, e ainda agarrado à terra pelas raízes, surge a possibilidade de um apoio. Esta proposta de um “apoio concebido para momentos de descanso breve, onde nos sentamos ‘quase de pé’, permitirá uma ocupação polivalente do espaço em que se insere, seja por justaposição, seja através de uma composição livre.” (citado do autor do projeto). proposta para estadias prolongadas Imagine-se outra vez a mesma árvore e o mesmo corte. O tronco que jaz na Este objecto, com a mesma lógica formal e construtiva, foi “concebido para momentos de descanso ou utilização prolongada, onde nos sentamos, encostamos, deitamos, comemos. É constituído por dois elementos: system of urban furniture composed of a minimum lexicon of elements, guaranteeing the greatest versatility in its usage.” (quoted from the project’s author) proposal for short stays The cutting down of a tree is imagined. After the trunk falls, and is still held to the ground by its roots, the possibility of a support appears. This proposal for a “support envisaged for moments of brief rest, where we sit ‘almost standing’, would allow a flexible occupation of the space in which it is placed, whether by juxtaposition or through a free composition.” (quoted from the project’s author). proposal for prolonged stays Imagine once more the same tree being cut down. The trunk that lies on the floor This object, by the same formal and constructive logic, was “envisaged for moments of rest or extended use, where we sit, lean, lie or eat. It is constituted by two elements: the back — of identical design to the support terra oferece-se imaginariamente como um banco corrido. appears in our imagination as a long bench. o encosto — de desenho idêntico ao apoio para estadias for short stays, differing from it in its overall height — breves, dele diferindo na altura total — e o banco corrido, and the long bench, supported by two feet constructed suspenso em dois pés fabricados em aço macio, metalizado e pintado.” (citado do autor do projeto). of metalized and painted solid steel.” (quoted from the project’s author).

[close]

p. 13

Camila Móveis Fábrica de pequena dimensão mas particularmente organizada, vocacionada para a produção de mobiliário maciço de madeira natural. Sem catálogo próprio, obriga-se a rigorosos processos de seleção, corte, secagem e conservação de madeira, que armazena em lotes de diversas espécies, assim garantindo sabiamente as condições de resposta ao mercado. Pela qualidade de produção e organização industrial, a Camila Móveis é frequentemente requisitada por outros fabricantes e marcas para o desenvolvimento dos seus produtos, constituindo um importante recurso para a edição de pequenas séries de alta qualidade. Camila Móveis A small but particularly well organized company. It is aimed at manufacturing solid furniture in natural wood. Without its own product range, it has to perform a rigorous process of wood selection, sawing, drying and seasoning, which then stores in batches of diverse species and guarantees a quick market response. Due to the quality of its production and industrial organization, Camila Móveis is frequently asked by other manufacturers for their own product development, and is an important resource for small, high-quality editions.

[close]

p. 14

3º Prémio Daniel Caramelo e Bárbara Fachada O colectivo Linhabranca surge como um casamento criativo entre o design industrial e a arquitectura DANIEL CARAMELO O colectivo Linhabranca surge como um casamento criativo entre o design industrial e a arquitectura em torno de objetos, espaços, serviços, ditos “sem marca”. Fundado por Bárbara Fachada, arquiteta (1979, Lisboa) e Daniel Caramelo, designer industrial (1979, Fundão), este colectivo nasce em Barcelona em 2004 e desde 2007 fixa-se em Lisboa. Tornar o que é tecnologicamente possível em culturalmente aceitável, humanizar espaços, produtos e serviços através do design, contribuindo assim para a inovação social são os objectivos da Linhabranca. A proposta: MALHETE Estes autores partem do pressuposto eudemónico da cidade (a enciclopédia ‘Britannica’ explica este conceito, no âmbito da ética, como as ações virtuosas que conduzem à felicidade ou bem-estar e que, segundo Aristóteles, teria na polis um contexto único para a sua realização). As duas propostas pretendem materializar uma nova apropriação dos espaços públicos exteriores tentando conciliá-los simbólica e funcionalmente com os espaços interiores e particulares, “mas também oferecer novos usos que possibilitem uma contemplação enquanto se estuda ou trabalha ao ar livre, um novo espaço de conversa ou de reunião fora do local de trabalho ou aquele lugar de confidências enamoradas enquanto se espera The Linhabranca collective emerged from a creative marriage between industrial design and architecture involving the so-called “no brand” objects, spaces, and services. Founded by Bárbara Fachada, architect (1979, Lisbon) and Daniel Caramelo, industrial designer (1979, Fundão), this collective was begun in Barcelona in 2004 and, since 2007, has been based in Lisbon. Making the technologically possible into the culturally acceptable, humanizing spaces, products and services through design, thus contributing to social innovation, these are Linhabranca’s objectives. The proposal: Malhete (finger-joint) These authors start from this eudemonic supposition for the city (the encyclopaedia “Britannica” explains this concept in the context of ethics, as the virtuous actions that lead to happiness or well-being and that, according to Aristotle, had in the polis, a unique context for being achieved). The two proposals aim to embody a new appropriation of outdoor public spaces, attempting to reconcile them symbolically and functionally with the private, interior spaces, “but also offer new uses that allow for contemplation while studying or working outdoors, a new space for conversation or meeting outside the workplace or a place for romantic whispering while waiting

[close]

p. 15

3º Prémio Linha de mobiliário urbano Malhete desenhada por Daniel Caramelo e Bárbara Fachada fabricada pela Disarte Móveis, Paredes. DISARTE o autocarro.” (citado dos autores do projeto). proposta para estadias breves O objecto apresentado - que ao primeiro olhar lembra um pequena sela ou uma dobradiça de dimensões generosas - oferece-se a aplicações diversas e, sendo individual, foi pensado para instalações com um mínimo de quatro elementos, tornando-se convivial e visualmente mais rítmico. A sua simplicidade geométrica e aparente fragilidade ganham, no conjunto, um carácter orgânico, como se uma nova espécie de planta crescesse alinhada, para permitir a fruição de quem passa. proposta para estadias prolongadas Um “sofá público” foi a designação que os autores deram a esta peça cuja configuração formal e material conduz a uma oscilação quanto se tenta atribuir uma classificação paradigmática e, nomeadamente, se olha para este artefacto isolado e fora de contexto: um sofá ou um banco de jardim? Este “sofá” poderá ainda acolher uma pequena mesa. Uma “pequena plataforma é aplicada no encosto do banco, entre travessas, sugerindo o seu deslocamento horizontal e possibilitando a sua utilização como lugar de trabalho, estudo ou de pequenas refeições.” (citado dos autores do projeto). for the bus.” (quoted from the project’s authors) proposal for short stays The object presented - which at first glance resembles a small saddle or a hinge of generous proportions - offers a variety of applications and, being individual, has been designed for installations with a minimum of four elements, making it user-friendly and visually more rhythmic. Its geometric simplicity and apparent fragility gain, in their grouping, an organic nature, as if a new species of plant had grown up in alignment, for the enjoyment of passers-by. proposal for prolonged stays A “public sofa” was the name that the designers gave to this piece whose material and formal configuration leads to a uncertainty when one attempts to attribute a paradigmatic classification and, in particular, when one looks at this artefact in isolation and out of context: a sofa or park bench? This “sofa” may also accommodate a small table. A “small platform is applied to the seat back, between struts, suggesting its horizontal movement and enabling its use as a place for work, study or small meals.” (quoted from the project’s authors).

[close]

Comments

no comments yet