Jornal Eco da Tradição - Abril de 2015

 

Embed or link this publication

Description

Jornal eco da Tradição do mês de Abril de 2015

Popular Pages


p. 1

ECO DA TRADIÇÃO - ANO XIII - Nº 164 - ABRIL DE 2015 Kauã Bueno, o personagem da 27ª edição da FECARS Foto: Rogério Bastos Luiz Alberto Ibarra, um nome que não deve ser esquecido Foto: Rogério Bastos EDITORIAL O elo vital da tradição Página 02 NOTICIA Teixeirinha e a emoção do MOBRAL Página 06 ENTREVISTA Página 20 Página 13 Agapito e a voz que emociona Página 12 Os representantes da 25ª RT conquistaram vários prêmios. Entre estes prêmios, o troféu de laço Seleção, equipe de 10 laçadores, chegando à 48 armadas de 50. 25ª Região é campeã da FECARS A equipe da 25ªRT venceu, em um ano, três grandes eventos: 26ª FECARS, o Rodeio Nacional de Campeões da CBTG, em Piratuba/SC e a 27ª FECARS. Foto: Rogério Bastos Página 10 Páginas Centrais Seminário de Cultura Campeira, que aconteceu no sábado (21), da FECARS, reuniu mais uma vez grande quantidade de jovens de diversas partes do estado. Foram mais de 500 inscrições e, palestras, que prenderam o público até o último minuto. Página 14

[close]

p. 2

2 Ano XIII - Edição 164 EDITORIAL Manoelito Savaris - Presidente Abril de 2015 OPINIÃO Por: Dauro Soares Conselheiro do MTG Rua Guilherme Schell, 60 Porto Alegre / RS CEP: 90640-040 Email: ecodatradicao@mtg.org.br www.mtg.org.br mtg-rs.blogspot.com wp.clicrbs.com.br/mtg Contato: 51. 3223-5194 Os momentos mais importantes e o elo vital da tradição Há momentos das nossas vidas em que parece nada valer a pena. São aquelas horas em que temos vontade de “sair fora”, de “largar tudo”, de “parar”. São estas as horas mais importantes porque nos oferecem a oportunidade de reflexão sobre o que fizemos, o que estamos fazendo e o que temos a fazer. No Movimento Tradicionalista Gaúcho esses momentos de dúvida são frequentes, especialmente para quem dirige entidades. Tenho comigo que isso ocorre porque nossa atividade é complementar. Não é uma atividade essencial. Não nos garante emprego, não melhora o orçamento familiar, não oferece qualquer vantagem material. O tradicionalismo gaúcho, para quem realmente é tradicionalista, somente oferece a oportunidade de amealhar amigos, de auxiliar aos outros, de contribuir para a formação cidadã dos jovens, para fortalecimento das famílias, entre outras coisas gratificantes. O exercício da liderança nos impõe dificuldades normais como: a falta de tempo, a escassez de dinheiro, a administração de vaidades e interesses pessoais, a necessidade de atender inúmeras demandas ao mesmo tempo, a crescente dificuldade em manter o interesse das pessoas que tem inúmeras opções de espaços e ati- Um movimento de sentimentos controversos As motivações que levaram ao surgimento do MTG, os seus fundamentos , objetivos e princípios, e as inúmeras conquistas em prol da cultura gaúcha, a manutenção da instituição familiar e a contribuição direta para o melhoramento da sociedade cidadã em geral, por si só explicam o seu rápido crescimento, e acho que isso me permite dizer que o MTG é um fenômeno. Por tanto, não é difícil de entender que um fenômeno de crescimento, desperte os mais diversos interesses e atraia para si inúmeros holofotes dos mais variados segmentos. E até aí, tudo bem, não temos um problema, e sim uma circunstância natural da lei da oferta e da procura, e aqui quero citar um exemplo: o da bombacha, que pouco antes do surgimento do movimento e nos primórdios deste, somente se conseguia obter por encomenda através de alfaiates e costureiras, sendo inclusive, em não raras vezes, motivo de chacotas, deboches e até ofensas,e hoje, têm marcas consolidadas , produção em série e a utilização disseminada nos mais diversos segmentos da nossa sociedade , onde a sua utilização é ostentada com orgulho. No entanto, muitos destes interesses, não têm sido benéficos, e seguidamente tem colocado o MTG, em verdadeiras cruzadas, e aqui volto mais uma vez as bombachas: Nascem modas, e uma das peças da indumentária gaúcha que mais nos identifica e caracteriza, está sendo descaracterizada. As bombachas (calças muito largas) vem estreitando e são comercializadas sobre os mais diversos pretextos e teorias infundadas, e dentro do tradicionalismo, que surgiu com o objetivo de não deixar morrer nossos usos e costumes bem como nossa indumentária, ela vem sendo descaracterizada. Este é um exemplo, mas temos tantos outros, como é o caso das nossas encilhas e arreios, tão peculiares e tão identificados com as realidades de época e região, onde cada peça nos mostra uma razão de ser e existir. Inclusive, é importante que se diga que estes, vem de forma cuidadosa acompanhando o progresso do próprio cavalo e de tudo o que cerca o mundo da equitação gaúcha. E mesmo assim, sempre aparecem aquelas peças mais ousadas, americanizadas, estilizadas e que também acabam por descaracterizar a essência das nossas coisas tradicionais. Isso tudo, obriga ao MTG enquanto instituição, a sair na defesa do seu propósito e fundamento, regulamentando e cobrando durante as manifestações oficiais de seus eventos a utilização correta do que foi convencionado. E isso tem dado vaza a discussões e debates intermináveis os quais muitas vezes são inócuos e desprovidos de conhecimento de causa. Buscar espalhar conhecimento e entendimento é o desafio, mas para isso temos que ter presente, de que não podemos pedir ao MTG, que deixe de ser ele mesmo e se renda a modas e modinhas que venham no sentido contrário aos princípios e objetivos para o qual ele foi criado. E também não podemos pedir ao MTG que se renda a teorias e ideias que trazem no seu âmago interesses de ordem pessoal ou coletiva, e que sejam antagônicos aos seus propósitos e fundamentos. O MTG não se julga, e não é, o dono da nossa cultura, mas nada mais faz do que trabalhar e existir em prol dela. Também, não quer tornar ninguém mais gaúcho do que ninguém, “se é que isso é possível”, mas trabalha para formar tradicionalistas conscientes do seu papel e responsabilidade. O MTG é formado por pessoas, e por isso pode cometer erros, que com certeza são irrisórios em comparação aos acertos e contribuições que o movimento proporciona e proporcionou ao longo de sua história. Por tanto, não pode ser visto e julgado por olhos de quem não o conhece, não o entende, ou só procura nele benefício próprio. EXPEDIENTE: SUPERVISÃO: Manoelito Carlos Savaris DIREÇÃO GERAL: Nairioli Callegaro DIREÇÃO DE REDAÇÃO: Rogério Bastos DIAGRAMAÇÃO E DESIGN: Liliane Pappen CONSELHO EDITORIAL: Nairioli Callegaro, Odila Paese Savaris e Gustavo Bierhaus JORNALISTAS RESPONSÁVEIS: Rogério Bastos (16.834) Liliane Pappen (16.835) Fúlvio Lopes (16.200) ESTÁGIO E REVISÃO: Ticiana Leal COMERCIAL E EXPEDIÇÃO: Emeli Duarte IMPRESSÃO: Zero Hora TIRAGEM: 3 mil exemplares “A travessia sempre é mais tranquila quando realizada com o apoio dos amigos.” vidades sociais. Tudo isso é sabido e não assusta quando se tem a certeza da importância do que fazemos. O que realmente incomoda é quando somos acusados e expostos publicamente. É nestas horas que precisamos nos fortalecer e fortalecer as instituições. Termos ciência de que as coisas são dessa forma e que ataques, ingratidões ou sacanagens são inerentes à maldade humana. Quando isso ocorre, só a união e a perseverança nos garantem. É nesses momentos que a parceria se mostra fundamental. A travessia sempre é mais tranquila quando realizada com o apoio dos amigos. É na dificuldade que se mede o tamanho da amizade. A grande questão é sabermos separar o essencial do resto. O segredo é perceber se aquilo que estamos fazendo é o correto. Assim como precisamos entender as razões, os objetivos e as causas daquelas coisas que nos fazem ter vontade de “largar tudo”. Quem nos aponta o dedo? Por que faz isso? Qual o valor de quem nos acusa? O que temos a temer? Fizemos alguma coisa errada? Responder bem a essas questões é crucial para que escolhamos os caminhos adequados. De qualquer forma, não podemos perder de vista que o Movimento Tradicionalista Gaúcho, como já disse Barbosa Lessa, existe, também, para demonstrar que “Uma grande nação não se faz somente com o progresso industrial e tecnologia urbana. Se faz também com as mãos calosas do trabalhador do campo, com o senso de grandeza em face da herança recebida, com a humildade do reconhecimento aos que vieram antes, enfim com a emoção das gerações interligadas pelo elo vital da tradição”. Atendimento 09 às 12 horas e das 13 às 18 horas De segunda a sexta-feira Valores da Anuidade R$ 932,05 Plena R$ 801,24 Parcial R$ 496,03 Especial Estudantis R$ 147,21 40% do valor é repassado às RTs. Abril Valor MTG: PRESIDENTE: Manoelito Carlos Savaris VICE PRESIDENTE DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS: Nairioli Callegaro VICE PRESIDENTE DE CULTURA: Elenir Winck VICE PRESIDENTE ARTÍSTICO: José Roberto Fischborn VICE PRESIDENTE CAMPEIRO: José A. Araújo VICE PRESIDENTE ESPORTES: Martim Guterres Damasco Não nos responsabilizamos pelas opiniões publicadas no jornal

[close]

p. 3

Ano XIII - Edição 164 CIRANDA CULTURAL DE PRENDAS Abril de 2015 3 ENTREVERO DE PEÕES Programação da 45ª Ciranda Cultural de Prendas 21 de maio - Quinta-feira 14h - Recepção às prendas concorrentes, familiares e delegações das Regiões Tradicionalistas - Local 1 16h - Passeio pelo Centro Histórico de Rio Grande 19h - Missa Crioula Local: Catedral de São Pedro - Rua General Bacelar esquina General Neto (Calçadão) 20h - Coquetel e despedida das Prendas do Rio Grande do Sul - Gestão 2014/15 - Local 1 Secretaria de Estado da Cultura apresenta: Prendas CIRANDA CULTURAL DE 45ª Programação da 27º Entrevero Cultural de Peões (Programação opcional aos concorrentes) 16hs: Recepção e credenciamento - CTG Felipe Portinho 19hs: Missa na Igreja Matriz Cristo Rei 20hs: Jantar de despedida dos atuais peões e guris estaduais - Salão Social do CTG Felipe Portinho Dia 16/04/15 – Quinta-feira Rio Grande, uma história de amor... Dia 17/04/15 – Sexta-feira 9hs: Prova escrita – EMEF. Higino Coelho Portella 11h30min: Almoço - CTG Felipe Portinho 14h: Inicio das Provas Artísticas: Peão - Palco A – Salão Social do CTG Guri – Palco B – Salão de Ensaios do CTG Piá – Palco C – Sede Jeep Clube Marau 19h30min: Jantar 21hs: Sessão solene de abertura do 27º Entrevero Cultural de Peões - CTG Felipe Portinho Parque Municipal Lauro Ricieri Bortolon 22 de maio - Sexta-feira 9h - Prova escrita - Local 2 9h30 - Acolhida aos familiares, delegações e visitantes - Local 2 11h às 12h30 - Montagem da Mostra Folclórica Local 2 12h - Cerimônia no Monumento Tumulo do Gal. Bento Gonçalves da Silva - Rua General Neto - Praça Tamandaré. 13h - Almoço. 14h - Início da avaliação da Mostra Folclórica - Local 2 20h30 - Sessão Solene de Instalação da 45ª Ciranda Cultural de Prendas - Local 2 Dia 18/04/15 – Sábado 21, 22 e 23 de maio de 2015 Rio Grande/RS Apoio Promoção Realização Financiamento 23 de maio - Sábado 8h30 - Início das provas Orais e Prova artística para todas as categorias - Local 2 Folder ciranda_2_novo.indd 1 Categoria Mirim: Palco A Categoria Juvenil: Palco B Categoria Adulta Palco C 12h - Almoço 13h30 - Reinício das provas Orais e Artísticas 22h30 - Fandango com a divulgação dos resultados da Ciranda - Local: Sociedade Amigos do Cassino - Av. Rio Grande, 98 - Cassino 02/03/2015 10:07:46 8h30min: Início das Provas Campeiras 12hs: almoço - CTG Felipe Portinho 13h30min: Reinício das provas Campeiras 20hs: Jantar - CTG Felipe Portinho 22h30min: Baile e divulgação dos resultados do 27º Entrevero Cultural de Peões do Rio Grande do Sul - Salão Social do CTG Felipe Portinho - Animação: Grupo Brasil Gaúcho - Ingressos: R$ 25,00 individual - Será obrigatório o uso de pilcha RECEPÇÃO E CREDENCIAMENTO: Katia Schu – (54) 9159 5070 Geni La Maison – (54) 9986 5490 Derli Pacheco – (54) 9997 7910 Cristiane Ataides – (54) 9685 4498 DIVULGAÇÃO: Eder Rigo - (54) 9172 9117 Dilceu Rizzotto – (54) 9981 6178 Jose Maculan e João Maria de Lima ALIMENTAÇÃO: Ruth Ana e Cério Catanio – (54) 3342 2795 Leda e Darli Panarotto – (54) 9191 0335 Juraci e Jandir Zancanaro – (54) 9954 1659 INFRAESTRUTURA: Gentil Carolo e Valmor Bassani – (54) 9968 7860 HOSPEDAGEM E ALOJAMENTO: Roseli e Enio Isele – (54) 9951 4306 Ivone e Donlai Lunelli – (54) 9905 5936 Marinete e Getulio Bugs – (54) 9983 1541 DECORAÇÃO: Gessy La Maison e Salete Dias dos Santos ESPIRITUALIDADE: Maria Rizzotto – (54) 9936 8547 Juraci Zancanaro – (54) 9154 1659 SEGURANÇA E SAÚDE: Volmar Varizza e Lisiane D. Variza - (54) 9983 0437 CAMPEIRA: Esivaldo Sotoriva - (54) 9917 4885 Paulo Rodrigues – (54) 91242170 Dilceu Rizzotto – (54) 9981 6178 27ºEntrevero Cultural de Peões do Rio Grande do Sul 16 a 18 de Abril de 2015 CTG Felipe Portinho Endereços dos palcos Local 1 - Câmara do Comércio Rua General Osório, 430 Local 2 - CIDEC/Sul na Univ. Federal de Rio Grande - Av. Itália Marau/RS Comissão Executiva Presidente - Luciano Gonçalves Fone: 53 9945 8786 Vice-Presidente - Hurben Luis Castro Borges Fone: 53 8423 4879 Tesoureiro - Roberto dos Santos Ferreira Fone: 53 9909 3806 Secretária - Carmem Cenira Fone: 53 8466 1671 1ª Prenda do RS - Caroline C. de Ávila de Lemos Fone: 53 8108 6144 Hospedagem e Alojamento - Nilton Damasceno Fone: 53 9942 1921 Alimentação - Aryoni Gomes Muller Fone: 53 9937 7097 Recepção - Neila Gonçalves Silva Fone: 53 9971 2877 PROMOÇÃO REALIZAÇÃO APOIO VETERINÁRIO RESPONSÁVEL: Cláudio Andre Sartor INFORMAÇÕES ÚTEIS: Eder Rigo - (54) 9172 9117 Ana Amélia - (54) 91914746 Jovino Segala - (54) 9971 7024.

[close]

p. 4

4 PROSEANDO COM TENÊNCIA Ano XIII - Edição 164 Abril de 2015 MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO Por Rogério Bastos Casos e Acasos 27ª FECARS Todos os textos levam para o sucesso que foi a Festa Campeira de Santa Cruz. Mas a atitude de Kauã Martins, o pequeno Cruz-altense, que emocionou a todos na modalidade Vaca Parada, ao não querer disputar o titulo deixando seu amigo Leonardo Pereira, de Caxias do Sul em 1º Lugar merece um destaque. Atitude de campeão. O local não deixou dúvidas, pois tem espaços de sobra e sombra em abundância. Erros podem ter ocorrido mas faz parte de uma festa do tamanho da FECARS que traz delegações das 30 regiões com enormes acampamentos e uma belíssima convivência de amigos e famílias. DATA 11/04 12/04 Calendário do MTG - 1º Semestre EVENTO Painel Artístico Painel Artístico 27º Entrevero Cultural de Peões - Fase estadual Curso para Juizes de Campeira Prazo final - Inscrições 45ª Ciranda Cultural de Prendas Painel de indumentária - Sede 25ª RT Painel de indumentária FEGADAN - Sede 25ª RT 3ª Reunião de Coord. Regionais e Diretores Culturais 3ª Reunião do Conselho Diretor MTG Curso para instrutores iniciantes danças tradicionais 1ª Renovação cartão administrativo- Instrutor de danças 45ª Ciranda Cultural de Prendas - Fase Estadual Prazo final - Inscrições 46ª Ciranda Cultural de Prendas e 28º Entrevero Cultural de Peões – fase regional Cfor Patronagem 28ª RT 4ª Reunião Ordinária do Conselho Diretor (Provas) 46ª Ciranda Cultural de Prendas - fase regional 28º Entrevero Cultural de Peões – fase regional 4ª Reunião Coord. Regionais e Diretores Culturais Acendimento da Chama Crioula Internacional 80ª Convenção Tradicionalista Gaúcha - Ordinária CIDADE Santa Maria Porto Alegre Marau A definir Porto Alegre Caxias do Sul Caxias do Sul Porto Alegre Porto Alegre A definir A definir Rio Grande Porto Alegre A definir Porto Alegre Regiões Regiões Porto Alegre Colônia/Uruguai Porto Alegre 16 a 18/04 21/04 21/04 25/04 26/04 01/05 02/05 06/05 07/05 21 a 23/05 27/05 13/06 20/06 27/06 27/06 04/07 12/07 25/07 Estivemos no final do mês em Vacaria, à convite do Weslen Vitório, no GCG Guardiões da tradição, onde se tratou deste tema. Estamos em abril e ainda não vejo a movimentação das entidades para comemoração desta data “fechada” do ciclo farroupilha. O fato do tema dos festejos farroupilhas de 2015 não ter sido este, nada impede as entidades de pensar por este viés o campeirismo gaúcho, afinal, todos os lideres farroupilhas era estancieiros e, por consequência, tinham campos onde se desenvolviam atividades campeiras. Quem sabe consigamos ver a Revolução Farroupilha através de um “recorte”, como faz a nova história cultural, e analisarmos o que faziam nossos heróis e seus campeiros no século XIX. Fica a dica. 180 anos da Revolução Farroupilha Gilberto Silveira, realmente é um inovador. Podemos dizer que, assim como transmitimos o 1º ENART em 2009, sendo os pioneiros neste assunto, a 18ªRT também fez uma coisa inédita: Transmitiu, pela primeira vez, um Encontro Regional, e foi em Santa Margarida do Sul. Parabens 18ª pelo pioneirismo. 18ª RT faz transmissão inédita do Encontro Cezar Farias toma posse no Aparício Borges Assumiram, mais uma vez, as rédeas do GTF Coronel Aparício Borges, de Santo Ângelo, 3ª. RT, os tradicionalistas João Cezar Medeiros de Farias e sua esposa, Clotilde Mousquer Farias, durante o jantar festivo que reuniu mais de 600 tradicionalistas, no sábado, dia 28 de março, na sede da entidade, no Parque da Fenamilho. Na ocasião o patrão eleito recebeu das mãos do ex-patrão Cesar Moura, a bandeira da entidade, a qual conduzirá durante o ano de 2015: “ Com toda certeza eles conduzirão com muita competência e dedicação as tradições do Rio Grande, marca maior deste tradicionalista que possui uma vasta trajetória no Movimento Tradicionalista Gaúcho”, disse Iara Rott, conselheira do MTG, presente ao evento. A posse foi oficializada pelo coordenador da 3ª. RT, Marcelino Olisan Brum de Oliveira, que também contou com a presença do prefeito municipal de Santo Angelo, Luiz Valdir Andres Foto: Divulgação Foi um grande achado. Uma pessoa que fez tanto pelo tradicionalismo gaúcho, lá no inicio, quando ninguém acreditava que fosse crescer tanto. Ajudou a organizar o 1º Congresso, em Santa Maria. Pois, aos 85 anos, cheio de energia, o engenheiro agrônomo e jornalista, Luiz Alberto Ibarra, abriu as portas de sua casa para que pudéssemos conversar com ele e nos mostrou um belíssimo acervo. Não podemos esquecer quem começou tudo isso que vivemos hoje Luiz Alberto Ibarra Palestras 09/04 - Gravataí - palestra sobre regulamentos e coletânea 11/04 - Livramento - Tese: O sentido e o valor do tradicionalismo 30/04 - Viamão - palestra sobre regulamentos e coletânea 14/05 - Porto Alegre - palestra sobre regulamentos e coletânea 25/05 - Santana do Livramento - tema dos festejos farroupilhas 30/05 - Cachoeirinha - Câmara de Vereadores. Sessão comentada do filme contos gauchescos. Casal Cezar e Clotilde (D) voltam a patronagem do Aparício Vacaria teve Encontro Cultural em março O GCG Guardiões da Tradição recebeu quase 100 pessoas para o encontro cultural de prendas e peões promovido pelo guri farroupilha da entidade, Weslen Vitório, dia 29 de março. Uma comitiva, de duas entidades de Santa Catarina, fez costado para as demais da cidade de Vacaria. A prenda do estado vizinho, Priscilla Dors, deu uma palestra de excelente qualidade sobre o tem anual do MTG do Rio Grande do Sul: “Para cada competição, momento de confraternização”. A patroa da entidade, a jovem Josiméri Basso, e seu esposo Edgar Bueno, ajudaram Weslen a organizar o evento que recebeu as entidades: GAT Aba Larga, GC Gaúchos de 35, CTG Sentinela da Querência, CTG Rancho da Integração, CTG Porteira do Rio Grande e, de Santa Catarina, CTGs Barbicacho Colorado e Planalto Lageano. Também esteve presente a coordenadora da 1ª Região Tradicionalista de Santa Catarina. Foto: Rogério Bastos “Você esta no barco da vida. Jamais reclame da falta de vento. Reme. Não são os obstáculos ou as dificuldades que podem impedi-los, somente a desistência”! ( ) Carlos Hilsdorf Por ir Elom a Malt REFLEXÃO Weslen conseguiu trazer as entidades de Vacaria para o evento

[close]

p. 5

Ano XIII - Edição 164 DEPARTAMENTO JOVEM Abril de 2015 5 Marcel Heinrich – Diretor do Dpto Jovem do MTG Juventude Tradicionalista Gaúcha reunida Tradição para o futuro: Toda vez que nos encontramos, nossa tradição �ica maior e mais viva! Uma parte da nossa imensa juventude tradicionalista esteve presente no 28° Seminário Estadual de Prendas lá na Sociedade Gaúcha Lomba Grande em Novo Hamburgo- RS. Uma parte, porque se todos viessem não ia ter lugar o suficiente. Casa cheia para um dia especial, relançamento do ABC do Tradicionalismo Gaúcho, palestra com o Rogério Bastos, gincana, brincadeiras que aproximaram todas as gerações que lá estiveram. Aproveitamos e realizamos uma pequena reunião lá no seminário para o esboço dos eventos do Departamento Jovem. E já na sequencia estivemos no 27º FECARS , de 19 a 22 de abril em Santa Cruz do Sul, evento fantástico, onde a juventude foi presença marcante, desde a vaca parada até na seleção do laço, com destaque especial para o Kauã, da 9ªRT, que abriu mão da disputa de 1º lugar pelo amigo que fez em Piratuba-SC no nacional. Mais um dos tantos exemplos que temos dentro do tradicionalismo, a amizade, o companheirismo e as parcerias da lida e da vida valem mais que um troféu ou um título. O mundo voltou no tempo e o parque virou o campo, prendas laçando, piás, guris, prendinhas, peões, uma legião num evento campeiro que tem também truco, bocha, tetarfe, o jogo do osso, a tradição sendo mantida e repassada as novas gerações. No Seminário da Cultura Campeira uma palestra excepcional sobre facas, sobre o preparo do churrasco e do charque, das lides do gaúcho, não podia ser melhor. Outra vez casa cheia, outra vez mais um evento do Movimento Tradicionalista Gaúcho daqueles que vão deixar saudade. Quem vive o tradicionalismo sabe, e quem foi, teve o privilégio de vivenciar nossa tradição, a conviver com os mais velhos , com os mais novos, pôde aprender, pôde ensinar, pôde repartir conhecimentos e a alegria de estar dentro da maior festa campeira do Rio Grande do Sul. Estivemos lá, eu e o Diego juntamente com mais alguns dos Diretores das Inter regiões, participando, ajudando, contribuindo para o que o nosso departamento jovem, o nosso movimento seja cada vez maior, cada vez melhor, porque somos muitos e a cada evento que passa somos mais, mais juventude, mais unidos, mais dedicados, mais tradicionalistas, mais gaúchos. Somos a força jovem tradicionalista!! Juntos somos o Rio Grande!! Foto: Liliane Pappen Encontro reuniu centenas de jovens durante o seminário promovido pelas prendas estaduais TEMA ANUAL: PARA CADA COMPETIÇÃO, MOMENTO DE CONFRATERNIZAÇÃO.

[close]

p. 6

6 NOTÍCIAS Ano XIII - Edição 164 ESPAÇO DO IGTF Abril de 2015 Por: Vinicius Brum - Presidente IGTF 2º Sarau de Talentos do CTG Osório de Assis, da 14ªRT A 1ª prenda, da 14ª Região Tradicionalista, Fernanda Pinheiro, promoverá, no dia 11 de abril, o 2º SARAU DE TALENTOS do CTG Osório de Assis, no município de Fontoura Xavier, evento este, que realizou sua primeira edição na sua gestão, enquanto prenda juvenil, e que pretende dar continuidade agora. As atividades iniciam na tarde a partir das 15h com Encontro Regional de Prendas e palestra com a técnica vocal Taiane Nunes sobre a Importância do bom uso da voz. A partir das 18h30min iniciará o 2º SARAU DE TALENTOS, com apresentações artísticas não competitivas, mas sustentadas pela vontade de cultuar as manifestações artísticas que constituem patrimônio subjetivo da nossa cultura gaúcha. Relembrando os antigos Serões das Estâncias, onde vizinhos, amigos encontravam-se e expressavam através de versos, canto e música o seu amor a terra, a querência. As inscrições deverão ser feitas até o dia 30 de março pelos telefones: 5492071752 ou 54-91127510 e-mail: fernandapinheiro24@gmail.com Com este evento, que é um projeto do CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha pretende-se aquerenciar os tradicionalistas da região, estudantes das escolas locais e comunidade em geral para apreciar os talentos que irão apresentar-se e fazer o show da noite. A Prenda buscou parceria com a Secretaria de Educação Municipal e patrocínio com o Banrisul e Sicredi que a apoiaram ratificando a importância sociocultural deste evento. Foto: Divulgação Personagens do Campo A canção regional e a literatura rio-grandense consagraram páginas memoráveis à vida campeira. Personagens como o Veterano de Antônio Augusto Ferreira, o Tropeiro doido de Aureliano de Figueiredo Pinto, o Tio Anastácio de Jayme Caetano Braun, a Campesina de Sérgio Napp, a Leontina das Dores de Luiz Coronel, o Esquilador de Telmo de Lima Freitas. Tantos que se poderia passar largas horas apenas a citá-los sem estabelecer nenhuma reflexão sobre a importância de cada um deles na construção arquetípica do gaúcho. Indo um tanto além das fronteiras no sul da América, ainda se deve destacar a iconicidade de Martin Fierro de José Hernandez e Don Segundo Sombra de Ricardo Guiraldes: monumentos literários do universo campeiro. Estes pioneiros que, dos embates com a natureza inóspita de um continente recém-descoberto, fizeram surgir o mundo que nos toca levar adiante. Somos, pois, a sua herança ao mesmo tempo em que também somos seus herdeiros. Estamos comemorando neste ano o sesquicentenário do nascimento de João Simões Lopes Neto, um dos autores mais importantes da literatura gaúcha, cuja obra, quer pelo pioneirismo, quer pela excelência estética, figura entre as maiores escritas no Brasil. Através da compilação das Lendas do Sul, Simões narra a formação histórica do nosso estado. A M’boitatá nos diz do homem primitivo, o índio senhor destas terras antes da chegada do branco europeu; a Salamanca do Jarau que conta a chegada dos jesuítas e sua interação com o povo índio, e Negrinho do Pastoreio que dá conta da primeira organização social com base no modelo da estância e da escravidão negra. Mas é nos Contos Gauchescos que Simões nos apresenta o gaúcho modelar: Blau Nunes, o vaqueano. Blau não foi herói, nem foi bandido. Jamais terá sido o centauro dos pampas da idealização romântica: foi apenas um gaúcho de verdade – como nos mostra Aldyr Garcia Schlee em sua edição crítica da obra simoneana. No setembro que se aproxima, mais uma vez visitaremos nossa alma gaúcha. O tema escolhido para os Festejo Farroupilhas é O campeirismo gaúcho e a sua importância social e cultural. Parece oportuno, pois, que saudemos o gênio de Simões Lopes Neto na figura ímpar de sua criação, o tapejara, o genuíno tipo – crioulo – rio-grandense, rijo para o machado e para o raio: Blau Nunes, o campeiro! Fernanda Pinheiro será anfitriã do Sarau de Talentos A emoção de ter estado no 2º festival Empossada nova patronagem do CTG do Mobral em 1978 Estancia da Vendinha, 15ªRT Joaquim José Hugo. Mas por cada etapa pela qual passavam até esse nome quase ninguém conhece. chegar a grande final. “Me orgulho Trata-se do trovador Teixeirinha, 74 muito de participar do ENART e trazer anos, repentista que se orgulha de junto a memória lá do inicio, no festiter o troféu do 2º Festival do Mobral, val do Mobral. Quando as trovas são no ano de 1978. à dinheiro a gente nem é convidado. Teixeirinha, aos 37 anos, fi- Por isso me orgulho de um festival cou sabendo do festival por que era onde todos disputam igualmente”, brigadiano e ouviu falar da elimina- concluiu Teixeirinha. Foto: Rogério Bastos tória em Canguçú, a eliminatória municipal. Ao vencer foi levado par aa fase maior em Pelotas, onde se classificou também, indo para Porto Alegre, na final do Auditório Araújo Viana. O presidente do MTG na época era José Theodoro Bellaguarda de Menenzes, e a coordenação estadual do Mobral, um dos promotores do evento, era Colorinda Emilia Sordi. O trovador Teixeirinha se emociona ao mostrar o velho troféu e a medalha que, para ele, tem um valor inestimável. Traz consigo os diTeixeirinha exibe orgulhoso o troféu, a medalha e os diplomas de 78 plomas entregues em Num gesto de coragem, e desafio, e a exemplo do GAN Anita Garibaldi, de Encantado, assumiu a nova patronagem do CTG Estancia da Vendinha, 15ª RT, composta apenas por mulheres. Dia 07 de março foi a data escolhida como forma de homenagear as mulheres de todos os segmentos dentro do tradicionalismo gaúcho. Com jantar e fandango, a casa ficou cheia de amigos, CTGs co-irmãos, sócios e convidados. Entre os presentes estiveram o coordenador da 15ª RT, Paulo Alfeu de Melo, o ex-coordenador, e conselheiro do MTG, Pedro Angeli e a secretaria da 15ª RT, Terezinha Angeli, além de Eduardo Flores Ramos – 3º lugar na Rodeio dos Campeões, em Piratuba, Santa Catarina e os ex- patrões da entidade Silon Rambor, Álvaro Ferreira, Leonildo Kommers, Valdoir Kuhn Dionosio Ramos e André S. Kuhn. A composição da nova patronagem ficou assim definida: Patroa: Vera Lúcia S. Kuhn 1º Capataz: Josiane de Paz Borba 2º Capataz: Patrícia Souza Oliveira 1º Sota Capataz: Rita Veridiana 2º Sota Capataz: Marieli O. Kuhn 1º Agregada das Pilchas: Juliana Souza Oliveira 2º Agregada das Pilchas: Seloi Kautzmann Foto: Divulgação As mulheres tomando conta. A exemplo de Encantado, mulheres assumem patronagem do CTG da 15ªRT

[close]

p. 7

Ano XIII - Edição 164 ESPAÇO DA CBTG Por: João Ermelino Melo - Presidente da CBTG Abril de 2015 ORCAV 7 Relembrando datas O mês de abril apresenta diversas datas comemorativas como a Páscoa (5 abril), Dia do Hino Nacional Brasileiro (13), Dia do Índio e Dia do Exército Brasileiro (19), Dia de Tiradentes (21), Dia do Descobrimento do Brasil e Dia Mundial da Água (22), Dia Internacional da Dança (29), entre outras. Para o tradicionalismo gaúcho acrescentamos algumas datas comemorativas e de extrema importância para sua história: 21 de abril - Fundação da CITG: A Confederação Internacional da Tradição Gaúcha (CITG) foi fundada no dia 21 de abril de 1984, no Parque Roosevelt, em Canelones/Uruguai, por tradicionalistas gaúchos da Argentina, Brasil e Uruguai. A instituição é internacional e de caráter tradicionalista-cívico-cultural com objetivos de incentivar nesses países os usos e costumes do tradicionalismo gaúcho, além da aproximação e intercâmbio cultural. O atual Presidente é Dorvílio José Calderan. 24 de abril - Fundação 35 CTG: Em agosto de 1947 na cidade de Porto Alegre/RS jovens estudantes oriundos do meio rural, de todas as classes sociais, liderados por Paixão Cortes, criaram o Departamento de Tradições Gaúchas do Colégio Júlio de Castilhos. A proposta era de preservar as tradições gaúchas e desenvolver uma revitalização da cultura rio-grandense. Diante do movimento surgiu a criação da Ronda Crioula (7 a 20 de setembro daquele ano) aproveitando a Semana da Pátria. O Fogo Simbólico da Pátria foi transformado na Chama Crioula. Paixão Cortes, um dos líderes do movimento, foi convidado para montar guarda de gaúchos pilchados em honra ao herói farrapo David Canabarro, porque seriam trazidos os restos mortais do herói de Santana do Livramento para Porto Alegre. Naquela oportunidade Paixão Cortes reuniu um piquete de oito gaúchos e no dia cinco de setembro de 1947 prestaram a homenagem a Canabarro. Este piquete é conhecido como “Grupo dos Oito”. Desses acontecimentos surgiu no dia 24 de abril de 1948 a fundação do 35 CTG - o primeiro Centro de Tradições Gaúchas - em Porto Alegre/RS, pelos estudantes do Colégio Júlio de Castilhos. O marco de toda a grandiosidade do movimento tradicionalista gaúcho. 24 de abril - Dia do Tradicionalista: Durante o Congresso da CBTG realizado em Cascavel/PR (ano 2000) foi instituído o dia 24 de abril como o Dia do Tradicionalista. No Estado do Rio Grande do Sul a data também foi escolhida para comemorar o Dia do Churrasco e do Chimarrão sugerida pelo MTG/RS. As datas comemorativas foram propostas em homenagem a criação do 35 CTG, que aconteceu no dia 24 de abril de 1948. Para comemorarmos as datas relembramos o Hino Tradicionalista, com letra e música de Luiz Carlos Barbosa Lessa. A CBTG deseja que os símbolos e os significados da Páscoa renovem as esperanças de uma vida iluminada e regrada pelos preceitos de DEUS. A todos uma Feliz Páscoa! Foto: Rogério Bastos Ordem dos Cavaleiros cria mais duas outorgas A Ordem dos Cavaleiros do Rio Grande do Sul, presidida pelo tradicionalista Airto Glademir Timm, realizou no ultimo final de semana de março, em Marau, o 3º Encontro de organizadores de cavalgadas, para discutir elementos que compõe essa atividade campeira tão importante para os gaúchos. Foram criados mais dois graus na outorga de Cavaleiro – Farroupilha e Monarca. Participará na condição de Cavaleiro da Ordem dos Cavaleiros do Rio Grande do Sul, todo aquele que receber o título de cavaleiro aspirante, de 1º grau, 2º grau 3º grau 4º Grau ou 5º Grau com a observância dos seguintes pré-requisitos: Cavaleiro Aspirante Todo aquele que tiver percorrido no mínimo 200 km; Cavaleiros de 1º grau Cavaleiro Rio-grandense, após haver percorrido mínimo de 2000 km; Cavaleiros de 2º grau Cavaleiro Antônio de Souza Netto: Mín. de 3500 Km; Cavaleiro de 3º grau Cavaleiro Bento Gonçalves: Mín. de 5000 km; Cavaleiro de 4º grau Cavaleiro Farroupilha: mín. de 7000 km; “A comenda Farroupilha é uma homenagem a todos aqueles que lutaram na revolução farroupilha e que, voluntariamente, defenderam nossos ideais, independente de sua condição social ou posto militar”. Cavaleiro de 5º grau Cavaleiro Monarca: mín. de 10.000 km; “A comenda monarca é uma homenagem ao homem que no lombo de seu cavalo se torna um rei (entronado nos bastos), independente de sua condição econômica quando montado tem imponência de Monarca”. Foram inscritas 11 regiões, 64 pessoas e 28 grupos de cavalgadas pelo estado. Segundo o presidente da Ordem dos Cavaleiros, Airto Timm, a escolha das nomenclaturas se deram por vários motivos: “A comenda Foto: Rogério Bastos 28 Grupos de cavalgadas se fizeram presentes ao Encontro Foto: Rogério Bastos Tio Beno(E) do Piquete Memórias do Passado e Verceli de Oliveira (D) dos Cavaleiros do Planalto estavam em Marau Foto: Rogério Bastos A força da mulher gaúcha. Gilda (C) com as Anitas Foto: Rogério Bastos com nomenclatura de pessoas, ficou definido que, Bento Gonçalves é o ultimo, todas as demais comendas se referem a fatos ou orgulho do tradicionalismo, ou mesmo, honrarias consideradas altamente relevantes”- relatou. Presidente da OrCav, Airto Timm, preocupado com as Cavalgadas Trovador maratonista recebe disco de platina Vitor Hugo de Medeiros Júnior, que recebeu em certa oportunidade, pela mídia, o titulo de trovador maratonista, por percorrer o Rio Grande correndo, sem ajuda de veículos, acaba de bater mais um recorde: Venda de CDs e DVDs, de mão em mão, pelos rodeios do estado. De 2010 para cá, quando começou a tirar das vendas o seu sustento, Vitor hugo já vendeu 15 mil CDs e 5 mil DVDs de trovas. Ele busca o reconhecimento de seus pares, já que, popularmente, recebeu a alcunha de “imperador da trova”. Independente de títulos, Vitor Hugo batalha, dia a dia, para sobreviver com seu suor vendendo seus CDs. Presidente da CBTG, João Ermelino e sua família em Piratuba, durante o FENART TEMA ANUAL: PARA CADA COMPETIÇÃO, MOMENTO DE CONFRATERNIZAÇÃO.

[close]

p. 8

8 NOTÍCIAS Ano XIII - Edição 164 NOTÍCIAS Abril de 2015 Tarde Cultural “Cantando a Região Missioneira na 3ªRT” No dia 29 de março, junto ao CTG Os Legalistas, 3ª RT, Santo Ângelo, a 1ª Prenda, adulta, Juvenil e Mirim da 3ª RT, respectivamente, Diana Juciéli Ribeiro, Jayne Nacimento Machado e Carine Dieminger, realizaram um evento denominado “Tarde Cultural”, que teve como temática “Cantando a região missioneira: conhecendo e valorizando o hino da 3ª RT”. A atividade, que foi integrante do projeto CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha das prendas, objetivou divulgar o Hino da 3ª Região e homenagear seu autor, Otávio Reichert. “Constatamos que Foto: Divulgação 18ª RT faz transmissão inédita pela internet do encontro de patrões O coordenador da 18ª RT, Gilberto Silveira, está eufórico. Conseguiu, dentro de sua gestão, transmitir o Encontro Regional no novo site da região. Seguindo o que preconizou Luiz Carlos Barbosa Lessa quando disse: “...no entanto, aquela etapa é essencial para a compreensão do que vem ocorrendo com a cultura desde os anos 90 do Foto: Rogério Bastos muitos tradicionalistas que iniciaram sua participação no movimento de aproximadamente 4 anos pra cá, não conheciam o hino, e foi isto que nos motivou a desenvolver este trabalho”, contou Diana, 1ª Prenda da 3ª RT. A “Tarde Cultural” contou com reflexão sobre o significado do símbolo da região missioneira, explanação do próprio autor do Hino acerca do conteúdo da letra, homenagem ao autor da letra do Hino e muita cantoria. Findo o projeto, as prendas planejam incentivar a execução do Hino em todos os eventos regionais, afim de que ele não seja esquecido. Gilberto (E) acreditou e conseguiu realizar a transmissão século XIX. Ou seja: ciclicamente, de trinta em trinta anos, ao ensejo de alguma rebordosa mundial ou nacional, e havendo clima de abertura para as indagações do espírito, termina surgindo algum “ismo” relacionado com a Tradição” – e continuou, “Assim foi com o gauchismo dos anos 90 (1890). Com o regionalismo dos anos 20 (1920). Com o tradicionalismo dos anos 50 (1947...). Com o nativismo de 1970. E sou capaz de jurar que lá pelo ano 2010 surgirá uma espécie de telurismo antinuclear ou cibernético, resultante da inquietação de analistas de sistemas em conluio com artistas plásticos, incluindo cartunistas e comunicadores visuais”. Chegaria o momento em que utilizaríamos a tecnologia existente para levarmos as coisas da tradição gaúcha mais longe. Foram 406 acessos (apesar da pouca divulgação) e o site teve 1.143 visitas. 18ª RT tem novo diretor artístico Evento buscou divulgar o hino da região missioneira para que não se perca pelo tempo Foi um sucesso o curso de avaliadores da 1ªRT A 1ª Região Tradicionalista realizou em sua sede o Curso de Formação de Avaliador de Danças Tradicionais, ministrado pela equipe artística do MTG/RS na cidade de Porto Alegre. O curso vem de encontro com os novos projetos e trabalhos desempenhados pelo diretor do artístico 1ª RT, Rodrigo Adriano Maciel, e do departamento cultural, conduzido pela diretora, Vera Lucia Menna Barreto, que tem se dedicado e apoiado mutuamente os departamentos, fortalecendo a região com a formação de novos avaliadores de danças tradicionais. O evento reuniu dez regiões do estado e mais gente de outras localidades. “Isso fez uma forte corrente de integração e informação entre as diferentes regiões e Estados 1ªRT, 5ªRT, 9ªRT, 11ªRT,12ªRT, 13ªRT, 14ªRT, 16ªRT, 23ªRT, 26ªRT, além dos nossos amigos do estado de Mato Grosso do Sul, da cidade de Tangará do Sul, CTG Aliança da Serra” – concluiu Jeandro Garcia, do setor de comunicação da região. Foto: Divulgação Ubirajara Garcia, ha 15 anos é formador de invernadas artísticas no CTG General Abreu, em Rosário do Sul, como coordenador artístico da entidade, sempre com o objetivo de ajudar na formação social, educacional e profissional dos integrantes. Atualmente Garcia é o diretor artístico da 18º RT. “Minha esposa Ana Lucia Barreto Garcia, trabalha atualmente no Departamento Cultural da SMEC ( Secretaria Municipal de Educação e Cultura) e esta elaborando um projeto (tradicionalismo nas escolas municipais ), que se constitui de oficinas com palestras e material prático sobre o cavalo, o campo, a culinária e as danças tradicionais, enfim, todos os tópicos tradicionalistas na sala de aula de cada escola municipal, sendo que em setembro este trabalho será apresentado a nossa população por cada escola que escolherá seu tema”. O filho, Gabriel Barreto, percorre aproximadamente 900 Km ida e volta de Rosário até Campo Bom, para ensaiar e dançar rodeios pelo CTG M’Bororé. “Minha filha percorre um pouco menos, 200 Km, para ensaiar no DTG Clube Juventude, de Alegrete” – concluiu Ubirajara. Foto: Rogério Bastos Bira é o novo Diretor Artístico da 18ªRT Presilha volta com o retiro jovem na 18ª Região Tradicionalista A patronagem do CTG Presilha do Pago da Vigia estará promovendo mais um retiro de jovens na 18ª região, como tema “Para cada competição, momentos de confraternização”. “Será realizado em dois dias, O esforço do Diretor Artístico da 1ªRT foi recompensado com o sucesso do evento 11 e 12 de abril, com momentos de estudos, palestras, jogos, gincana cultural e confraternização, além é claro, do acampamento no local, Dois dias integração da juventude tradicionalista” – contou Andrea Rodrigues, patroa do CTG. TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 9

Ano XIII - Edição 164 ENTREVERO CULTURAL DE PEÕES Abril de 2015 TURISMO NO SUL 9 Por Jeandro Garcia No mês do Entrevero, conheça os concorrentes, das três categorias RT 02ª 03ª 04ª 06ª 07ª 09ª 11ª 13ª 14ª 18ª 20ª 21ª 24ª 25ª 26ª 27ª Nome dos PIÁS Humberto Pletz Gabriel K. Macht Bernardo A. . Leite Douglas V. Farias Raí Paulo Sagotto Bernardo Cossetin Alexandre Antônio Jr Leonardo P. Mello Arthur Haumpenthal Elimar M. dos Santos Leônidas A. da Silva Victor H. Quevedo Felipe Rafael Castro Guilherme Sizin Lucas D. dos Passos Douglas T. da Luz Entidade DTG Polivalente CTG Querência Crioula CTG Tríplice Aliança CCN Sentinela do Rio Grande CTG Pousada Tropeiros GF Chaleira Preta CTG Galpão da Saudade CTG Sentinela da Querência CTG Guido Mombelli GAN Campo Aberto CTG Carreteiros de Horizonte CTG Joaquim P. de Freitas CTG Tropilha Farrapa CTG Ronda Charrua CTG Sinuelo Do Sul CTG Querência Localidade São Jerônimo Giruá Uruguaiana Rio Grande Sto. Antônio do Palma Ijuí Serafina Correa Santa Maria Tapera Bagé Horizontina Canguçu Lajeado Farroupilha Pelotas Canela Frederico Westphalen, sua linda Catedral e seus encantos Mais ao norte: Dona de uma catedral majestosa, com 2 torres que apontam o céu, lembrando aos homens o poder de Deus, Frederico Westphalen é uma das cidades destaque do norte do estado. Cercada de atrativos, será um dos palcos a receber uma inter-regional do ENART em 2015. Foto: Leandro Kempka RT 01ª 03ª 04ª 05ª 06ª 07ª 09ª 11ª 12ª 13ª 15ª 22ª 23ª 24ª 25ª 26ª Nome dos GURIS Jean Mateus Pereira Henrique B. dos Santos Victor Matheus da Conceição Thalys Bulsing De Oliveira Arthur Da Silva Mendonça Guilherme Nervo Erick Rocha Da Silveira Tiago Luigi Guadagnin Léo Bruno Moreira Gustavo Bica Regio Mikael Fernando Frese Guilherme De O. Ochôa Leandro Borges Serafim Gabriel Ferreira Felipe Bernardi Zorzo Paulo Roberto Bastos Jr Entidade CPF O Tempo E O Vento CTG Chama Crioula DTG Clube Juventude CTG Estância do Chimarrão CCN Sentinela do Rio Grande PL Pai João CTG Tapera Velha CTG Pousada do Imigrante CTG Mata Nativa DT Querencia Das Dores PL Timbaúva DTG Querencia Azaleia GTC 20 de Setembro CPF Terra de Um Povo DTG Herança da Tradição CTG Sinuelo do Sul Localidade Alvorada Santa Rosa Alegrete Cachoeira do Sul Rio Grande Água Santa Tupanciretã Nova Bassano Canoas Santa Maria Portão Parobé Xangri-Lá Venâncio Aires Flores Da Cunha Pelotas Rt 01ª 03ª 04ª 05ª 06ª 07ª 08ª 09ª 11ª 13ª 14ª 15ª 18ª 22ª 24ª Nome dos PEÕES Renan Bezerra Marques Luan Andrey Vieira Marco A. S. Saldanha Jr Taylor Bulsing De Oliveira Pablo Da Silva Nogueira Leonardo Pinheiro Felipe Lima Pires Jardelino Neto Coelho Lucas Roso Rossetto Thiago da Cunha José Anildo da Silva Lourenço Nunes Diego Quadros Garcia Matheus Da Luz Matheus Alan Bergmann Entidade CTG Porteira da Tradição CTG Passo do Ijui Centro Farroupilha de T G CTG Estancia do Chimarrão CCN Sentinela do Rio Grande CTG Felipe Portinho CTG Rancho da Integração CTG Tapera Velha CTG Sinuelo da Serra CPF Piá do Sul CTG Guido Mombelli PL Timbaúva CTG Prenda Minha DTG Querência CTG Pagos De São Rafael Localidade Eldorado Do Sul Entre-Ijuis Alegrete Cachoeira do Sul Rio Grande Marau Vacaria Tupanciretã Serafina Correa Santa Maria Tapera Portão Bage Parobé Cruzeiro do Sul Continuando a série sobre as cidades que sediarão as inter-regionais do ENART, trazemos a cidade de Frederico Westphalen, sendo a terceira e última etapa classificatória para o nosso grande encontro artístico. Embora não seja uma cidade voltada ao turismo, possui belos lugares que merecem a nossa visita, tendo como a principal atração a Catedral Santo Antônio, a sétima maravilha arquitetônica religiosa do Brasil. A sua construção iniciou-se em 18 de setembro de 1950, com projeto de Ticiano Bettanin. Suas fundações são de pedras maciças, sem vigas de sustentação. A grandiosidade desta obra se reflete em seus números: Com 53 metros de comprimento, a catedral apresenta 34 pilares que não contêm ferro. As duas torres, com 63 metros de altura cada, abrigam um total de 08 relógios, 04 em cada torre. A catedral possui características góticas, como: as aberturas de arcos de ogiva e as rosáceas nos acessos laterais. Visite o Santuário de Schoenstatt, sendo um monumento que pertence à igreja católica. Os santuários estão espalhados pelo mundo todo; no Brasil existem apenas 22 e um deles localiza-se em Frederico Westphalen. Sendo um Santuário da Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes admirável de Schoenstatt. O local, sagrado e abençoado, traz como foco principal a oração, contemplação e vinculação especial à mãe de Deus. Outro local interessante para conhecer a história da cidade é o Museu Wülson Jehovah Lütz Farias, é claro. Seu nome é uma homenagem ao homem que se dedicou a buscar peças para o museu. O acervo conta com mais de duas mil peças históricas além de fotos da comunidade catalogadas, com grande parte das peças do museu sendo doadas pelos Frederiquenses. A principal característica do museu é trazer à luz história da Colonização Italiana em que se podem encontrar máquinas, utensílios domésticos, ferramentas de trabalho entre outros. Aproveite também e conheça outros pontos como: Monumento Cristo Rei, A Praça da Matriz e a Praça do Barril. Foto: Jorge Luiz Marcon A fé representada em uma das mais belas catedrais do estado

[close]

p. 10

10 Ano XIII - Edição 164 Abril de 2015 25ª Região vence o laço seleção e a Festa Fotos: Rogério Bastos Uma festa campeira dotada de muita emoção. Na abertura as crianças levaram uma flor para seus pais coma bênção Veja a lista dos vencedores da 27ª FECARS, nas modalidades campeiras LAÇO SELEÇÃO – TROFÉU ALFREDO JOSÉ DOS SANTOS 1º Lugar: 25ª Região Tradicionalista 2º Lugar: 5ª Região Tradicionalista 3º Lugar: 15ª Região Tradicionalista LAÇO VETERANO 1º Lugar: Edir José da Silveira – CTG Rodeio de Encruzilhada – 5ª RT 2º Lugar: João Batista de Oliveira – DTG Morada de Guapos – 12ª RT 3º Lugar: Lauro da Silva Lopes – PL Três Estâncias – 22ª RT LAÇO PIÁ /MENINA DUPLA 1º Lugar: Alan da Silva Coutinho Martini - PTG Machry - 24ª RT 2º Lugar: Lucas Lorenzi Pereira – C Felipe Moraes Cavalheiro – PL Alm 3º Lugar: Eduardo Alberto da Silva Vitor Soares Maciel – CTG Galpão 25ª RT vem com um trabalho constante. Em um ano, três grandes títulos LAÇO VAQUEANO 1º Lugar: Erotides Andrade Vieira – DTG OAB – 30ª RT 2º Lugar: Nataniel C. P. da Rosa – AT Estância do Minuano – 13ª RT 3º Lugar: Gentilício L. Pereira – CTG Porteira da Amizade – 29ª RT LAÇO PATRÃO 1º Lugar: Gabriel Damiani – QL Faustino Bertoldi – 7ª RT 2º Lugar: Sergio Rocha – CTG Gritos de Liberdade – 29ª RT 3º Lugar: Gilson Boff – PL Veteranos – 25ª RT LAÇO CAPATAZ 1º Lugar: Alan Soares – PL Sinuelo do Cerrito – 27ª RT 2º Lugar: Odirlei Cechele – CTG Presilha Gaúcha – 9ª RT 3º Lugar: Fabio Gonçalves – CTG Tapera Velha – 14ª RT LAÇO GURI/GURIA DUPLA 1º Lugar: Matias Trintini Hartmann Fernando Maldaner Dendena – CT 2º Lugar: Tiago Bergamo – CTG U Machado – CTG Tropeiros da Fé – 3º Lugar: Roberson de Moraes Cav Pampa e Naivel da Rocha Martins LAÇO RAPAZ/PRENDA DUPLA 1º Lugar: Everton de Deus Valim da Silveira Teixeira – CTG Porteira 2º Lugar: Romulo Trindade – CTG – PL Saiqui – 27ª RT 3º Lugar: Eduardo Keller de Olivei Ginetes da Tradição – 25ª RT 5ªRT disputou até as ultimas armadas para conquistar o heroico e inédito 2º lugar LAÇO COORDENADOR 1º Lugar: Roberto D. de Oliveira – CTG Sinuelo dos Pagos – 14ª RT 2º Lugar: Raul Elior Pereira Teles – DC Os Carreteiros – 25ª RT 3º Lugar: Carlos Eduardo da Silva – CTG Querência da Serra – 9ª RT LAÇO PEÃO 1º Lugar: Diogo Reis Medeiros – PL 2º Lugar: Paulo Rosa Pereira – CTG LAÇO DIRETOR CAMPEIRO DE RT 3º Lugar: Ademar Fernandes de L 1º Lugar: Raul Reis – PL João de Barro – 27ª RT 2º Lugar: Daniel Sisnandes Pereira – PL Três Porteiras – 14ª RT 3º Lugar: Ricardo Silva da Silva – PT Querência dos Vargas – 10ª RT LAÇO PRENDA DUPLA 1º Lugar: Ariane da Silva Soares – Teixeira dos Reis – PL Lajeado Bon 2º Lugar: Maria Eduarda K. de Oliv Priscila Veigas Jardim – PCN Farro 3º Lugar: Bruna Agel Oliveira – PL Milbrandt – CTG Andarilhos do Pag LAÇO BRAÇO DE OURO 1º Lugar: Diogo Reis Medeiros – PL. Sinuelo de São Chico – 27ª RT 2º Lugar: Ariane da Silva Soares – PL Sinuelo do Cerrito – 27ª RT 3º Lugar: Yuri da Silveira Teixeira – CTG Porteira do Litoral – 23ª RT Laço Geração - Simboliza e resume a filosofia do Movimento VACA PARADA PIAZINHO DUPLA 1º Lugar: João Pedro Filipin Pelisso Bruno Gabriel Bastiano Voos – CTG 2º Lugar: Alan Antonio da Silva Co Vinicius Correa – GAN Anita Gariba 3º Lugar: Lauro Gargnin Pegoraro Gabriel Moraes da Silva – PL Almir LAÇO BRAÇO DE DIAMANTE 1º Lugar: Rodrigo Rocha Moretto – PL Porteira da Coxilha – 7ª RT 2º Lugar: Alan Soares – Pl Sinuelo do Cerrito – 27ª RT 3º Lugar: Leandro Bueno – GN Araganos – 19ª RT LAÇO PAI E FILHO 1º Lugar: Jacques de Moraes Pedroso e Pedro Pinto Pedroso – CTG Ronda Crioula – 13ª RT 2º Lugar: Pedro Geraldo Macedo de Lima e Pedro Henrique de Aguiar de Lima – CTG Herança Gaudéria – 25ª RT 3º Lugar: José Almeida e Mauricio Alneida – PTG Memorias do Passado – 12ª RT LAÇO DUPLA DE IRMÃO 1º Lugar: Gelson Joel Hoff – PTG Capão do Cedro e Volnei Eduardo Hoff – CTG Herança Farroupilha – 5ª RT 2º Lugar: Marcelo Nunes Baratto e Roberto Nunes Baratto – PL São Geraldo – 23ª RT 3º Lugar: Lucas Felipe Janhel e Mateus Fernando Janhel – CTG Sentinela da Tradição – 22ª RT LAÇO GERAÇÃO 1º Lugar: Gecio da Luz, Jair Prestes da Luz e Cassiano Menegola da Luz – CTG Vinte e Nove de Setembro – 27ª RT 2º Lugar: Wilmar A. da Silveira – CTG Estância da Serra, Luan E. da Silveira e Vilnei Silva da Silveira – PL General Osório – 23ª RT 3º Lugar: Adão Sutil da Cruz – CTG Crioulo Expeditense, Vanderlei Sutil da Cruz e Jonathan de Lima Cruz – CTG Orly Teles – 29ª RT VACA PARADA PIAZINHO INDIVID 1º Lugar: João Pedro F. Pelisson – P 2º Lugar: Alan A. da Silva Coutinho 3º Lugar: Nicolas Motta Moreira – VACA PARADA PIAZITO DUPLA 1º Lugar: Pedro Henrique Fanton Guilherme Barreto – CTG Presilha 2º Lugar: Kauã Martins Boeno – P Scapin Segatto – PL Andarilhos do 3º Lugar: Eduardo Massing Carpes Gilson Felipe dos Santos – CTG Fili Odila Savaris e eEdna Fischborn entram na cancha com a nova geração do RS VACA PARADA PIAZITO INDIVIDU 1º Lugar: Leonardo P. Camelo – CT 2º Lugar: Kauã Martins Boeno – P 3º Lugar: Francisco da S. Nunes – C VACA PARADA PRENDINHA DUP 1º Lugar: Emilly N. de Souza Kaise Micheli Mafalda – CTG Sentinela d 2º Lugar: Allana Isadora de Souza Lago e Maria Eduarda França Boe 3º Lugar: Roberta Camara Scolari Milena Martins da Silva – PQT Três Narrador Evandro e Maria Celene, com laçadores da modalidade Vaca Parada VACA PARADA PRENDINHA INDI 1º Lugar: Emilly N. de Souza Kaise 2º Lugar: Micheli Mafalda – CTG S 3º Lugar: Allana de Souza Simioni –

[close]

p. 11

Ano XIII - Edição 164 Abril de 2015 11 Campeira do Rio Grande do Sul em 2015 VACA PARADA BONEQUINHA DUPLA 1º Lugar: Maria L. Vargas da Silva – PQT Herança Gaúcha – e Marina Chapeus Baptista – CTG Laço da Amizade – 15ª RT 2º Lugar: Emily dos Santos Dias e Poliana Azevedo Nunes – CTG Fagundes dos Reis – 7ª RT 3º Lugar: Luma Lorensi Pereira – CTG Maneco Rodrigues e Maria Luísa Morais Cavalheiro – PL Almiro Borges – 13ª RT VACA PARADA BONEQUINHA INDIVIDUAL 1º Lugar: Suely Hack da Rosa – CTG Miguel Rocha Sampaio – 17ª RT 2º Lugar: Maria L. Vargas da Silva – PQT Herança Gaúcha –15ª RT 3º Lugar: Marina Chapeus Baptista – CTG Laço da Amizade – 15ª RT RÉDEAS PIÁ 1º Lugar: Diego F. Rubin – PQT Lourival Dias de Freitas – 4ª RT 2º Lugar: Fernando A. de Andrade – CTG Quer. do Pai Quati – 18ª RT 3º Lugar: Gabriel S. Machado – CTG Lanceiros da Zona Sul – 1ª RT RÉDEAS GURI 1º Lugar: Felipe F. Soares – PQT Lourival Dias de Freitas – 4ª RT 2º Lugar: João V. Fernandez – CTG Trop. dos Campos Neutrais – 6ª RT 3º Lugar: Roberson Cavalheiro – DTCE Marcas do Pampa – 13ª RT RÉDEAS PEÃO 1º Lugar: Vladimir Fachini – CTG Querência Pampeana – 12ª RT 2º Lugar: João Oneide da Silva Godois – Agrop. Barcelos – 3ª RT 3º Lugar: Felipe Cabral Lessa – CTG Porteira da Restinga – 1ª RT RÉDEAS VETERANO 1º Lugar: Ananias Ladi da Costa – CTG Sinuelo dos Pagos – 14ª RT 2º Lugar: Ruben José F. Pegoraro – CF Porteira da Tradição – 13ª RT 3º Lugar: José Martins da Rosa – PTG Tunel Verde – 23ª RT RÉDEAS MENINA 1º Lugar: Gabriele M. Soares – DTG Morada de Guapos – 12ª RT 2º Lugar: Emily Viana dos Santos – Pl Campeiros do Geribá – 5ª RT 3º Lugar: Ana Luiza Bitencourt – CTG Rincão dos Brochier – 15ª RT RÉDEAS GURIA 1º Lugar: Thais Kailane Sales – CTG Porteira da Restinga – 1ª RT 2º Lugar: Julia Winckel Avila – CTG Tropeiro Velho – 9ª RT 3º Lugar: Natali Guimarães Pereira – CTG Pedro Serrano – 30ª RT RÉDEAS PRENDA 1º Lugar: Laíne Araújo – CTG Querência Pampeana – 12ª RT 2º Lugar: Monique Taschetto – CTG Desg. da Querência – 30ª RT 3º Lugar: Maria J. Guimarães – PQT Lourival Dias de Freitas – 4ª RT CHASQUE 1º Lugar: 25ª RT / 2º Lugar: 9ª RT / 3º Lugar: 21ª RT GINETEADA 1º Lugar: Schaimon Trindade – CTG Gaudérios da Querência – 2ª RT 2º Lugar: Nelson Moreira Silveira – CTG Júlio de Castilhos – 9ª RT 3º Lugar: Marcio B. da Silveira – DTG Morada de Guapos – 12ª RT LAÇO CONSELHEIRO DE REGIÃO 1º Lugar: Jó Arse - CTG Herança Gauderia - 25ª RT 2º Lugar: José Nicanor Castilhos de Oliveira - DC Ginetes da Tradição - 25ª RT 3º Lugar: Dauro Soares - Bento Gonçalves - 11ª RT LAÇO NARRADOR 1º Lugar: Fábio G. dos Santos - CTG Tapera Velha - 14ª RT 2º Lugar: Arlindo Lopes - CTG Neco Goulart - 7ª RT 3º Lugar: Ricardo da Silva - PQT Quer. dos Vargas - 10ª RT LAÇO AUTORIDADE 1º Lugar: Arlindo Antonio Lopes - Prefeito Municipal de Ciríaco 7ª RT 2º Lugar: James Ayres Torres - Prefeito Municipal de Faxinalzinho - 19ª RT 3º Lugar: Alceu Barbosa Velho - Prefeito Municipal de Caxias do Sul - 25ª RT TRUCO CEGO 1º Lugar: CTG Encosta da Serra – 11ª RT 2º Lugar: CTG Encosta da Serra – 11ª RT 3º Lugar: CTG Estancia Gaúcha – 12ª RT TRUCO DE AMOSTRA 1º Lugar: Grupo Pampa Minuano – 18ª RT 2º Lugar: CTG Glauco Saraiva – 1ª RT 3º Lugar: CTG Pealo de Estância – 1ª RT BOCHA 48 1º Lugar: CTG Sovéu de Ouro – 12ª RT 2º Lugar: CTG Rodeio de Encruzilhada – 5ª RT 3º Lugar: DTG Querência Azaléia - 22ª RT BOCHA CAMPEIRA 1º Lugar: CTG Sentinela do Pago – 7ª RT 2º Lugar: EN Taquarembó – 9ª RT 3º Lugar: DTG Querência Azaléia – 22ª RT TAVA INDIVIDUAL 1º Lugar: CTG Alma Crioula – 12ª RT 2º Lugar: CTG Joaquim Paulo de Freitas – 21ª RT 3º Lugar: CTG Carreteiros da Saudade – 1ª RT TAVA EQUIPE 1º Lugar: CTG Alma Crioula – 12ª RT 2º Lugar: CTG Alma Crioula – 12ª RT 3º Lugar: CTG Carreteiros da Saudade – 1ª RT TETARFE INDIVIDUAL 1º Lugar: CTG Carreteiros da Saudade - 1ª RT 2º Lugar: CTG Tapera Velha – 9ª RT 3º Lugar: CTG Herdeiros da Tradição – 25ª RT SOLO 1º Lugar: CTG Coxilha Aberta - 1ª RT 2º Lugar: CTG Espora de Prata – 14ª RT 3º Lugar: CTG Alma Crioula - 12ª RT TROFÉU CYRO DUTRA FERREIRA 1º Lugar: 25ª RT 2º Lugar: 9ª RT 3º Lugar: 12ª RT o de Nossa Senhora Aparecida. Laço geração uniu avô, pai e filho e o pequeno Kauã, da 9ªRT, deu uma lição de vida. - CTG João Dorneles e Arthur CTG Maneco Rodrigues e Luis miro Borges – 13ª RT a – CTG Sinuelo das Coxilhas e Hospitaleiro – 14ª RT n - CTG Marciano Brum e TG Porteira do Faxinal – 14ª RT União Campeira e Luiz Carlos – 29ª RT valheiro – DTCE Marcas do – DT Coxilha dos Indios – 13ª RT Junior – PL Vento Xucro e Yuri do Litoral – 23ª RT G Baio Ruano e Fernando Zanatta ira e Matheus Marques – DC – PL Sinuelo do Cerrito e Bruna nito – 27ª RT veira – CTG 20 de Setembro e oupilha – 15ª RT L Os Gaudérios e Mônica Helena go - 13ª RT L Sinuelo de São Chico – 27ª RT G Rodeio de Encruzilhada - 5ª RT Lima – CTG Neco Goulart – 7ªRT A on – PQT Balneario Cascatinha e G Epopéia Farroupilha – 20ª RT outinho – CTG João Dornelles e aldi – 24ª RT o – CF Porteira da Tradição e ro Borges – 13ª RT DUAL PQT Balneario Cascatinha 20ª RT o – CTG João Dornelles – 24ª RT PL Sangue Farrapo – 23ª RT Foram juízes e narradores da 27ª FECARS: - Ângelo Tedesco - Veranópolis - Expedito Fonseca - Veranópolis - Gilberto Antoniolli - Veranópolis - Elias Leal - Santa Maria - Pedro Elci - Cachoeira do Sul - Laerte Moreira - Santa Cruz do Sul - João Orlando Mello - Campos Borges - Solano Lemos - Cambará do Sul - Dalmei Amado - Jaquirana - Emerson Gomes - Cambará do Sul - Luciano Santos - Canela - Joner Mendonça - Santa Maria - Pablo Costa - São Sepé - Ubiratam Ferreira - Caçapava do Sul Flavio Marcolin, 11ª RT, Guaporé Eberton Braz Magri, 19ª RT, Rio dos Índios Ricardo Henrique Favin, 28ª RT, Frederico Wesphalen Antônio O. P. de Oliveira, 9ªRT, Tupanciretã Felipe Tomaz De Freitas, 14ª RT, Lagoão Clodoaldo Dorival Rezende, 8ª RT, Vacaria Agapyto Chaves Júnior, 18ª RT, São Gabriel Tiago Baggiotto, 5ª RT, Santa Cruz do Sul Vitor César Santos, 9ª RT, Ibirubá Evandro Dos Santos Meireles, 7ª RT, Passo Fundo – CTG Pousada do Imigrante e da Serra – 11ª RT PL Presilha Cruzaltense e Pedro o Pampa – 9ª RT s – CTG Cancela da Palmeira e igêncio Martins de Melo – 17ª RT UAL TG Estancieiros do Laço – 25ª RT PL Presilha Cruzaltense – 9ª RT CTG Porteira da Amizade – 14ª RT PLA er – Pl Teodorico Andrade e da Ramada – 9ª RT a Simioni – GTCC Estância do eira – PL Nero Boeira – 7ª RT i – CTG Crioulos da Querência e s Palmeiras – 17ª RT IVIDUAL er – Pl Teodorico Andrade – 9ª RT Sentinela da Ramada – 9ª RT – GTCC Estância do Lago – 7ª RT

[close]

p. 12

12 ECO ENTREVISTA Ano XIII - Edição 164 NOTÍCIAS Abril de 2015 Agapito Júnior, a cada armada, narrando as emoções da vida Agapito Chaves Junior, 38 anos, narrador de rodeios há 19 anos e instrutor de danças tradicionais há 18 anos, casado com Juliana Fernandes Chaves, com quem teve 2 filhos – Erik Chaves e Gabriel Fernandes Chaves. É integrante do Conselho de Vaqueanos do CTG Caiboaté, de São Gabriel, onde já foi capataz por 3 gestões e integrante do Conselho de Vaqueanos do departamento de narradores do MTG. Os primeiros passos no tradicionalismo foi no CTG Querência Xucra, de São Gabriel, com 7 anos nos grupos de danças e na invernada campeira; Eco – Agapito como começou essa paixão por narrar rodeios? Desde os 7 anos participo de rodeios como laçador, em um certo rodeio na cidade de Vila Nova do Sul (rodeio do PL Marco de Ferro) no dia 02 de março de 1996, o narrador contratado não apareceu, fui convidado pelo meu grande amigo José Carlos Coradine - o Biduca - já falecido, para apenas ler o nome e dizer se era boa ou ruim as armadas, meio contrariado por medo do microfone acabei aceitando, e lá tentei fazer o que eu via os outros narradores fazendo quando eu estava laçando... Resultado, acabei narrando o resto do rodeio e já sai contratado para o outro evento da entidade. Assim já se vão 19 anos nesta lida de narrador; Eco – Quantos rodeios narra por mês? Em média 3 rodeios por mês. Eco – Nessa vida de rodeios, uma passagem que muito te emocionou? Em 2013 tive que fazer uma cirurgia nas cordas vocais, pois estava com um cisto nas cordas vocais, fiquei 15 dias sem poder falar uma palavra sequer, fiquei 6 meses sem poder narrar, então, quando voltei a narrar, foi uma emoção muito grande... Ter narrado meu pai, que hoje já é falecido, e meus filhos, sempre me emocionou muito. Ter narrado o Gabriel na 27ª FECARS, foi emocionante, pois eu sabia do grande sonho que ele tava realizando. Eco – Quando não está narrando rodeios, o que o Agapito gosta de fazer? Gosto de fica em casa com a família, lidar com nossos cavalos, levar o Gabriel para treinar um tiro de laço, acompanhar o Erik em um jogo de futebol. Eco – Comida preferida: Churrasco. Eco – Livro: Liderança (Daniel Goleman) - Liderança - A Inteligência Emocional Na Formação do Líder de Sucesso; Eco – Um ídolo gaúcho: Meu pai. Meu grande ídolo. Ele que me colocou no mundo, me levou para o tradicionalismo, sempre foi uma pessoa humilde, amigo, trabalhador, honesto, tenho muito orgulho de ser filho do Agapito da Silva Chaves. Se eu conseguir ser e passar para os meus filhos 50% do que ele foi e me passou já estarei muito feliz. Cachoeirinha pulsa cultura gaúcha aos domingos Reiniciou neste domingo (dia 15/03/2015) as oficinas de danças gaúchas de salão “Fandango”, do Projeto Tradição pela Raiz – 2ª Edição. Com público recorde para a primeiro dia (mais de 150 pessoas), em sua maioria novos, o CTG Guapos da Amizade – Cachoeirinha ficou lotado. O Projeto Tradição pela Raiz existe desde 2010, e já recebeu financiamento do Fundo da Cultura de Cachoeirinha por dois anos, democratizando o acesso da comunidade à cultura do Rio Grande do Sul. Em 2014 o projeto beneficiou mais de 492 alunos, divididos em 02 oficinas, mantendo um site para canal de divulgação que obteve desde 2012 mais de 19.853 acessos. O Projeto prevê para 2015 a abertura de mais 5 oficinas de danças (contemplando Cachoeirinha – sendo 02 em escolas da rede municipal - e Gravataí). O Projeto Tradição pela Raiz, é muito mais que um curso de danças. É um projeto que busca transformar o ser humano, usando da cultura do RS como ferramenta, abrindo possibilidades, criando vínculos permanentes com a Tradição e proporcionando a convivência e a prática dos usos e costumes, formadores deste povo. Ser sustentável, em tempos de crise é fundamental para qualquer projeto! O projeto leva as turmas para conhecer as belezas do Rio Grande, com o intuito de desafiar cada um a fazer sua parte para a preservação. Os Cursos são abertos a comunidade de forma gratuita, atingindo todas faixas etarias, e tem em sua essência o trabalho com as danças gaúchas de salão (FANDANGO) conforme compêndio técnico ilustrado do MTG que consiste nas danças: Vaneira, Vanerão, Búgio, Milonga, Marcha, Chamamé, Valsa, Rancheira e Chote afigurado. O projeto TRADIÇÃO PELA RAIZ, vem pra mostrar que é possível sim resgatar o público que se afastou, fortalecendo o movimento tradicionalista gaúcho. A comunidade vê no projeto o sentimento de pertença a cultura gaúcha, aflorando principalmente durante as comemorações da Semana Farroupilha. O Grupo de Danças Força Jovem Gaúcha completa em 2015, 24 anos, com uma trajetória de muito trabalho pela cultura gaúcha. A coordenação técnica é do instrutor João Batista, que é o responsável técnico e produtor cultural junto ao MinC, do projeto Tradição pela Raiz. Além da atuação na área de produção cultural é também funcionário público responsável pela gestão dos convênios federais na SMED de Cachoeirinha. Foto: Divulgação Trabalho realizado mobiliza jovens em Cachoeirinha Prendas do Rio Grande do Sul participaram de Seminário em Marau No domingo, 29 de março, no CTG Sentinelas do Pago, de Marau aconteceu o Encontro Regional de Patrões e lideranças tradicionalistas e, paralelo, aconteceu XVI Seminário Regional de Prendas e Peões e IV Encontro Regional de Prendas Mirins. Foi tratado o tema anual 2015 do MTG, com palestras das prendas estaduais, Laura Durli, 1ª prenda mirim do RS e Laura Callegaro, 2ª prenda do RS. Elas procuraram passar a importância e conscientização sobre confraternizar em cada competição que participar. Laura Callegaro propôs uma conversa com as prendas e peões para debater estas questões. Estiveram presentes, entre outros, as prendas e peões da 7ªRT, Marina Giolo, 1ª prenda, Diovana Morates, 1ª prenda juvenil, Ranyelli Albina Ramos, 2ª prenda juvenil, Gabriele Winckler Guedes, 3ª prenda juvenil, Gabriele Portela Ramos, 1ª prenda mirim, Rani Molinari Presser , 2ª prenda mirim, Leonardo Pinheiro 1º peão farroupilha, Guilherme Nervo 1º guri, e um numero expressivo de prendas e peões das cidades de Passo Fundo, Carazinho, Marau, Agua Santa e Tapejara Foto: Divulgação Prendas do RS fizeram maratona pelo estado atendendo a todos os chamados TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 13

Ano XIII - Edição 164 NOTÍCIAS Abril de 2015 GRANDES PERSONAGENS DA HISTÓRIA 13 VI Charla Regional da Tradição Gaúcha No dia 27 de março, aconteceu na sede social do CTG Querência da Serra, de Seberi, o evento regional promovido pela 1ª Prenda da 17ª RT, Eduarda Regina Wagner, juntamente com a gestão regional. A palestrante da noite foi a 1ª Prenda do Rio Grande do Sul, Caroline Lemos. O tema escolhido para ser trabalhado foi o objetivo anual do MTG “Para cada competição, momento de confraternização” . O evento regional reuniu em torno de 100 tradicionalista, participando várias cidades da região, e, ao final, para confraternizar, foi servido um coquetel. Foto: Arquivo Pessoal Luiz Alberto Ibarra, um jovem calouro de 85 anos Depois de uma trajetória dedicada às tradições gaúchas e às atividades como agrônomo e jornalista, Luiz Alberto Ibarra, 85 anos, decidiu que não poderia mais ignorar uma vontade antiga, desde 1940, que era fazer o curso de Direito. Matriculou-se na Faculdade de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (Fadergs), em Porto Alegre. Trabalhou na Emater e no extinto Jornal Diário de Notícias. Com a aposentadoria, em 2000, viu-se inquieto, então tomou a decisão de voltar a estudar, encorajado pro Dona Suely, sua esposa. Quando os tradicionalistas da década de 50 pensaram em organizar um Congresso reunindo as entidades existentes na época, Barbosa Lessa reuniu-se, em 1953, com Sady Scalante, Emilio Rodrigues e Fernando Brokstedt e pensaram em formar uma comissão em que o pioneiro, 35 CTG, não ficasse de fora. Então foram convidados os intelectuais mais conceituados daquele momento: Manoelito de Ornellas e Walter Spalding (35CTG), Sady Scalante e Luiz Alberto Ibarra (União Gaúcha) e Emilio Rodrigues (ponche Verde CTG). Assim, Luiz Alberto Ibarra começou a marcar sua trajetória tradicionalista. Um jornalista, autor dos livros “Canção do Sul”, “Um canto para meu chão”, “Causos de Fronteira” e “As mais belas poesias gauchescas”, engenheiro Agrônomo com uma vontade muito forte de se formar em direito. Ibarra é fundador da Estancia da Poesia Crioula, do CTG Patrulha do Oeste, de Uruguaiana, e faz parte da Comissão Gaúcha de Folclore. Eduarda Regina, 1ª Prenda da 17ªRT, ao lado de Caroline Lemos, 1ª Prenda do RS (D) 2º Fórum da Cultura em Três Passos No dia 8 de março, domingo, aconteceu nas dependências do CTG Missioneiro dos Pampas, na cidade de Três Passos, o II Fórum Regional da Cultura Gaúcha, com o tema “PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUÍNDO O FUTURO”. O fórum foi promovido pelas prendas Yasmin de Castro Reinehr, 1ª prenda mirim e Vitória Rolim Lampert, 1ª prenda juvenil em conjunto com as demais prendas da 20ª região tradicionalista, gestão 2014/2015. O fórum encerrou o projeto “CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha”, desenvolvido pelas prendas durante o seus prendados. Todas as ações promovidas foram desenvolvidas com o objetivo da preservação das raízes, dos usos e dos costumes do gaúcho. O evento contou com a palestra com a 1ª Prenda Mirim do Rio Grande do Sul, 2012/2013, Luana Wojciechowski, que abordou o tema “Preservando o passado, Construindo o futuro”, falando sobre a real importância da preservação de nosso patrimônio, quer seja cultural, social ou histórico e destacou alguns brinquedos do tempo de nossos avós, como o bilboquê. Além da palestra de Luana, à tarde ocorreram mais duas ações: do II Fórum, a IX OFICINA REGIONAL DE PRENDINHAS E PIÁS e o XVII TCHÊNCONTRO REGIONAL DA JUVENTUDE GAÚCHA. Fotos: Rogério Bastos Foto: Divulgação Luana (C) palestrou no Fórum Regional em Três Passos Casal muito positivo. Ibarra (D) foi um dos pioneiros na organização dos Congressos Tradicionalistas TEMA ANUAL: PARA CADA COMPETIÇÃO, MOMENTO DE CONFRATERNIZAÇÃO.

[close]

p. 14

14 TESES Ano XIII - Edição 164 NOTÍCIAS Abril de 2015 Por Ana Paula Vieira Labres 3ª Prenda do RS 2005/2006 Sempre é bom relembrar valiosos ensinamentos... Recentemente, no mês de março, relembramos a perda de um dos ícones do tradicionalismo gaúcho, o saudoso Barbosa Lessa. Então, neste espaço compartilho uma das passagens da tese “O Sentido e o Valor do Tradicionalismo”, na qual serve de base pra nos guiarmos e refletirmos. “O movimento tradicionalista rio-grandense - que vem se desenvolvendo desde 1947, com características especialíssimas - visa precisamente combater os dois reconhecidos fatores de desintegração social. O fundamento científico deste movimento encontra-se na seguinte afirmação sociológica: “Qualquer sociedade poderá evitar a dissolução enquanto for capaz de manter a integridade de seu núcleo cultural. Desajustamentos, nesse núcleo, produzem conflitos entre indivíduos que compõem a sociedade, pois esses vêm a preferir valores diferentes, resultando, então, a perda da unidade psicológica essencial ao funcionamento eficiente de qualquer sociedade”. Através da atividade artística, literária, recreativa ou esportiva, que o caracteriza - sempre realçando os motivos tradicionais do Rio Grande do Sul - o Tradicionalismo procura, mais que tudo, reforçar o núcleo da cultura rio-grandense, tendo em vista o indivíduo que tateia sem rumo e sem apoio dentro do caos de nossa época. E, através dos Centros de Tradições, o Tradicionalismo procura entregar ao indivíduo uma agremiação com as mesmas características do “grupo local” que ele perdeu ou teme perder: o “pago”. Mais que o seu “pago”, o pago das gerações que o precederam. Cada Centro de Tradições Gaúchas, em si, é um novo “Grupo Local”. E a medida que surgem novos Centros, em todos os municípios do Rio Grande do Sul, vai o Tradicionalismo confundindo-se com o Regionalismo, pois opera para que todos os indivíduos que compõem a Região sintam os mesmos interesses, os mesmos afetos, e desta forma reintegrem a unidade psicológica da sociedade regional. E com isso o Tradicionalismo pode se transformar na maior força política do Rio Grande do Sul. Para evitar confusão de “política” com “política partidária”, expressemo-nos assim: O Tradicionalismo pode constituir-se na maior força a auxiliar o Estado na resolução dos problemas cruciais da coletividade. Para compreendermos tal afirmativa, basta repetir a transcrição já feita: “Se os cidadãos tiverem interesses e culturas comuns, com vontade unificada que daí advem, quase qualquer tipo de organização formal de governo funcionará eficientemente. Mas, se isso não se verificar, nenhuma elaboração de padrões formais de governo, nenhuma multiplicação de lei, produzirá um Estado eficiente ou cidadãos satisfeitos”. 16º Seminário de Cultura Campeira, na FECARS, foi um sucesso O sábado pela manhã, no galpão do parque de eventos de Santa Cruz do Sul, era concorrido, pela procura das inscrições para o 16º Seminário de Cultura Campeira, evento que acompanha a FECARS, há 16 anos, instruindo os peões que se preparam para, no mês seguinte, concorrer no Entrevero Cultural de Peões. Apesar das inscrições terem sido feitas antecipadamente pela internet para evitar filas e desgastes no dia do evento, dado o numero de participantes, a procura na hora foi muito grande, como aconteceu no mês anterior no seminário de prendas, na Lomba Grande. Foram mais de 500 inscritos. O primeiro momento do seminário foi a palestra sobre a faca gaúcha, desde sua história, sua confecção, afiação e o uso na carne. Leandro Piva palestrou sobre a afiação de faca mostrando a pratica desta atividade. A equipe de churrasqueiros do CTG Alexandre Pato, de Lagoa Vermelha, Nicanor Lima, Helio Ferreira, Oscar Mena Barreto Grau e Dirceu Rosa deram uma verdadeira aula sobre como preparar a carne para charquear e assar, detendo-se no corte da carne, que torna o assado de Lagoa diferenciado. Foto: Rogério Bastos (O Sentido e o Valor do Tradicionalismo - Barbosa Lessa) Foto: Arquivo Pessoal Público, mais uma vez, lotou um seminário organizado para proporcionar conhecimentos da tradição gaúcha Aceguá promove o 3º Marco da Canção A pequena cidade de Aceguá, a 60 km de Bagé, tem buscado aprimorar as relações com seus vizinhos, tanto brasileiros quanto uruguaios. Distrito de Bagé por muitos anos, Aceguá comemora, este ano, 15 anos de emancipação politica e, para isso, promove o 3º Marco da Canção Gaúcha, de 10 a 12 de abril, evento já característico na cidade, que faz divisa com Aceguá (Uruguaia – que tem 1500 habitantes). Visitar o município permite, assim como em Rivera-Livramento, passear pelos free shops, pois Aceguá é cidade fronteiriça com forte comercio entre os dois países. TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 15

Ano XIII - Edição 164 Abril de 2015 15

[close]

Comments

no comments yet