Mérito Reconhecido 2012

 

Embed or link this publication

Description

Edição Vencedores do Mérito Reconhecido

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3



[close]

p. 4

Troféu “Mérito Reconhecido” - 2012 Nossos leitores já estão familiarizados com este trabalho que realizamos a cada dois anos, uma pesquisa nacional nos segmentos de transporte de cargas e passageiros, para saber quais são as marcas de peças, produtos e de serviços que eles preferem utilizar na manutenção de seus veículos e na formação de sua frota. Esta é a 6a. versão dessa pesquisa e devo salientar que é feita sem patrocinadores, com investimento feito por conta e risco da publicação. Para sua realização, utilizamos um universo de oito mil empresas que constam em nossos cadastros que são permanentemente atualizados. Apurado o resultado, nossa única missão é convidar os vencedores e colocar em suas mãos um troféu que chamamos de “Mérito Reconhecido”. E nós, aqui na Revista Jornauto , continuamos a fazer nosso trabalho de sempre. Manter a periodicidade de uma publicação que leva notícias úteis aos leitores, de vários estados brasileiros, utilizando experientes correspondentes. Pesquisar e ser, a cada dois anos, o intermediário entre fabricantes e usuários. Perguntar a eles quem são os maiores fabricantes e as melhores marcas de peças, produtos, veículos e equipamentos, espalhar a notícia distinguindo devidamente cada um deles. Todos sabem que os números são muito importantes para definir estratégias de trabalho. É muito difícil conquistar participações em um mercado cada vez mais competitivo e, além de todos os requisitos que envolvem um produto como tecnologia, preço e logística, existem as questões de aplicação de grandes somas em dinheiro e de esforço pessoal em equipes caras que precisam ser competentes e ser direcionadas da maneira mais eficiente possível. Portanto, ações positivas em estratégia de marketing dependem, basicamente, de números, e de números confiáveis. Pelo lado dos usuários, é um mercado que exige uma série cada vez mais complexa de requisitos não só com respeito à qualidade, mas estratégia, conhecimento técnico e administrativo para manter as frotas funcionando perto da perfeição. Por fim, peço observar que não participamos dessa verdadeira indústria de premiação que foi criada no mercado nacional. Repito: não temos patrocinadores, o investimento feito nesse trabalho é todo nosso. Parabéns a todos os ganhadores do troféu “Mérito Reconhecido”, fizeram por merecer. Gilberto Gardesani Diretor DIRETOR RESPONSÁVEL: GILBERTO GARDESANI EDITORIA@JORNAUTO.COM.BR DIRETORA ADMINISTRATIVA: NEUSA COLOGNESI GARDESANI EDITOR RICARDO CONTE COLABOROU ALEXANDRE AKASHI CADASTRO: CADASTRO@JORNAUTO.COM.BR DISTRIBUIÇÃO/ASSINATURAS: DANIELA BAPTISTA DE CAMPOS ASSINATURA@JORNAUTO.COM.BR ASSISTENTE GIULIO GARDESANI Equipe Jornauto EDIÇÃO ESPECIAL MAIO 2012 Uma publicação da PRODUÇÃO GRÁFICA: MANÁ COMUNICAÇÃO Rua Oriente, 753 São Caetano do Sul - SP Cep. 09551-010 PABX: (5511) 4227-1016 Fax: (5511) 4229-2563 JORNAUTO@JORNAUTO.com.br http://www.JORNAUTO.com.br IMPRESSÃO: COMERCIAL DUO GRAF SÉRGIO RIBEIRO SERGIO.RIBEIRO@JORNAUTO.COM.BR Visite nosso site: www.jornauto.com.br

[close]

p. 5

fique EM boas mãos com O melhor pós-venda do brasil A Volvo foi eleita a montadora que oferece o melhor pós-venda do Brasil em uma pesquisa realizada pela Editora Jornauto, com a maior nota na avaliação feita por frotistas brasileiros de cargas e passageiros. sua empresa merece o melhor conte com a volvo SoluÇões em transporte www.volvo.com.br

[close]

p. 6

Melhores marcas apontadas pelo mercado recebem premiação da Jornauto Como acontece a cada dois anos, o setor de transporte de carga e passageiros foi pesquisado pela Revista Jornauto, publicação da AutoCam Editora, para saber qual marca é usada para determinado produto, mas também a que considera a mais confiável no mercado. A resposta conferiu a fabricantes e fornecedores o prêmio “Mérito Reconhecido” Na tarde do dia 10 de maio último, o Espaço Millenium, em São Paulo, acolheu executivos do setor automotivo que compareceram à cerimônia de premiação aos maiores e melhores fabricantes de peças, de veículos comerciais, sua rede e serviços de Pós-Venda, eleitos pelo mercado de transporte e carga e passageiros. Trabalho lançado na virada do milênio, quando os primeiros caminhões e ônibus eletrônicos rodavam pelo Brasil, a pesquisa inédita investida pela publicação completa 12 anos. “Nossa pesquisa expressa a vontade do mercado”, disse o diretor Gilberto Gardesani. Os resultados apurados nacionalmente no mercado são reais, verdadeiros e sem intervenção de terceiros. E divulgados nesta edição especial, como parâmetro fiel do que pensa o autônomo, o transportador ou empresa que possui frota própria a respeito da marca e do fornecedor. É um instrumento importante para as áreas comerciais e de marketing das empresas envolvidas para reposicionar e repensar sobre sua marca com o cliente e, ao mesmo tempo, fortalecê-la no mercado como um todo. Esta é a sua 6ª versão da pesquisa, agora ampliada, justamente no momento em que a indústria de veículos comerciais entra em nova fase tecnológica, exigida pelas atuais leis de redução de emissões poluentes, e coincidindo com a chegada de novas marcas estrangeiras no Brasil. Na cerimônia foi entregue a cada empresa indicada o troféu “Mérito Reconhecido”. Concorreram 33 categorias, tendo um empate técnico em uma delas (Melhor Serviço de Pós-Venda). Alguns fornecedores abocanharam dois ou mais prêmios. As marcas mais cobiçadas do mercado podem ser conhecidas nas últimas páginas. “Um farto material para especialistas estudarem os dados apurados direto com os responsáveis pela compra e renovação de frota, e seus produtos voltados à manutenção da mesma”, informa. Segundo o diretor, a pesquisa é feita a cada dois anos para dar tempo ao fornecedor desenvolver melhor sua marca. A AutoCam Editora investe tempo e dinheiro próprio para apurar a verdade dos fatos direto com os usuários dos segmentos de carga e passageiros. 6

[close]

p. 7

“Nossos leitores estão familiarizados com este trabalho e devo salientar que é feita sem patrocinadores e por nossa conta e risco”, destaca. Conta Gardesani que as empresas consultadas constam nos cadastros da editora, que são permanentemente atualizados. “É um patrimônio nosso”, afirma. Segundo ele, a publicação continuará fazendo jornalismo de sempre e levando notícias úteis aos leitores. E mais do que isso, continuará pesquisando e sendo, em dois em dois anos, o intermediário entre fabricantes e usuários, para saber quem são os maiores e melhores. Apurados os resultados, os fornecedores das maiores e melhores marcas eleitas, além de receberem o troféu “Mérito Reconhecido”, conhecem em primeira mão outra pesquisa, mais profunda, que traça mudanças e tendências do perfil do Mercado de Transporte Viário de Carga e passageiro. Como seus leitores, maioria empresários e executivos ligados aos diversos segmentos do setor de transporte de carga e passageiros, a Revista Jornauto sabe que números de mercado são importantes para definir estratégias de trabalho. Gardesani argumenta que um mercado que exige mais qualidade, precisa de estratégias e de conhecimentos técnicos para manter frotas de clientes funcionando perto da perfeição. Por isso, pesquisas sérias, como a da Jornauto, merecem crédito. “Não participamos dessa verdadeira indústria de premiação criada no mercado editorial. Repito: não temos patrocinadores. Todo investimento feito nesse trabalho é nosso”, finaliza. JORNALISMO IRREVERENTE MAS CRÍTICO Uma das revistas mais irreverentes do setor de transportes de cargas e passageiros, a Revista Jornauto, além de divulgar fatos e notícias, comenta e analisa com seriedade crítica esses e outros segmentos do setor automotivo, como os de peças e serviços, incluindo automóveis de passeio. Nos seus 23 anos de mercado, a cada ano, torna-se uma importante fonte de consulta. É hoje uma formadora de opinião, consequência da sua circulação nacional e conteúdo escrito por profissionais especializados, em diversos estados do País. A única revista especializada que possui colaboradores fora de São Paulo. Soma-se a isso suas várias edições especiais, como “Mercado Brasileiro de Transporte Viário de Cargas e PassaSegundo o publisher, além de todos geiros”, “Mercado Brasileiro de os requisitos que envolvem um proReparação”, entre outras voltadas “ NOSSA PESQUISA duto, existem as questões da aplicaa cenários do transporte. E, como fiEXPRESSA A VONTADE ção de grandes somas em dinheiro e cou dito, a sua pesquisa de mercado DO MERCADO.” do esforço de equipes caras e compebianual, a “Jornauto Pesquisas”, tentes, que precisam ser direcionadas que resulta na premiação “Mérito da maneira mais eficiente possível. Reconhecido” e que já ocupa espaço próprio, como ferramenta de trabalho para executivos “É muito difícil conquistar participações em um mercado da indústria. cada vez mais competitivo e, portanto, ações positivas em estratégia de marketing dependem, basicamente, de númeEssas edições podem ser acessadas no website ros, ou melhor, de números confiáveis”, ressalta Gardesani. www.jornauto.com.br. A Revista Jornauto mantém uma relação comercial independente com seus anunciantes e leitores. É uma publicação séria com tiragem auditada pelo IVC. “Todos sabem a importância desse instituto e o que significa. É uma questão de confiança”, destaca Gilberto Gardesani. Por essa razão, a revista tem como slogan “Cultura Automotiva”. Conseguiu impor um estilo único no mercado, mantendo média de 50 mil leitores (3,2 por exemplar). Fala sobre tudo de mais importante que acontece no mercado automotivo e circula em todos os segmentos ligados ao transporte. A sua edição impressa também pode ser acessada no seu site, inclusive com os anúncios, sem cobrar nenhum adicional por isso. A AutoCam Editora, ainda, mantém um boletim eletrônico semanal com artigos assinados por destacados executivos, consultores e jornalistas da indústria automotiva que abordam cenários do Brasil e compartilha informações com seu público por meio do Twitter. 7

[close]

p. 8

MOMENTOS DE EXPECTATIVAS A cerimônia de abertura que antecedeu a solenidade de premiação aos melhores fornecedores do mercado proporcionou momentos de descontração de executivos de montadoras, da indústria de autopeças, de transportadoras, do comércio varejista e de entidades representativas do setor. Um encontro aguardado com muita expectativa, enquanto o editor técnico da revista, o engenheiro Carlos Fernandez, abordava sobre pontos importantes apurados na pesquisa da Revista Jornauto junto ao mercado e levantava curiosidades de números e fatos. “Publicar uma revista especializada envolvem responsabilidades maiores do que a simples divulgação de notícias”, ressalta Gardesani. De fato, nos últimos dez anos, uma série de trabalhos estatísticos gerou e construiu análises de números confiáveis, creditados pelo próprio mercado, para desenvolver cenários de mudanças e transformações no setor. O engenheiro forneceu subsídios e amostragens que, certamente, darão sequências na aplicação de novos focos estratégicos de marketing que envolve um produto. O impacto das informações recebidas pelas empresas eleitas, pelo mercado, como as maiores e melhores é a compro- vação e o reconhecimento de um trabalho árduo investido com competência pelas mesmas. Saber que seus planos arduamente elaborados estão dando certo, é sinal de que estão reagindo de acordo com às necessidades do mercado. E que o esforço empenhado pelas suas equipes não foram em vão. Nesses doze anos de pesquisa, a publicação busca colocar nas mãos desses incansáveis executivos da indústria automobilístico nacional um tipo de prêmio que represente, de maneira fiel, o resultado de seu trabalho no mercado. Para isso, a revista criou uma base legítima de dados, através da qual apura os valores diante das reações positivas e negativas dos variados segmentos ligados ao setor. Isto porque, sempre repudia a idéia de simplesmente premiar apenas os maiores anunciantes. “Com esta pesquisa de mercado podemos extrair informações e dados suficientes para transmitir a opinião de quem efetivamente usa os produtos e os serviços de suas empresas”, esclarece. Segundo ele, a Revista Jornauto é a única publicação brasileira a dispor dessas informações. O que quer dizer que sabe realmente com que marcas e produtos os empresários do transporte de cargas e passageiros fazem a manutenção de suas frotas de veículos. CONFIABILIDADE E CREDIBILIDADE A Revista Jornauto realiza, a cada dois anos, uma pesquisa nacional junto aos segmentos de transporte de cargas e passageiros para saber quais são as marcas de peças, produtos e serviços que empresas preferem usar na manutenção de seus veículos. Nesta 6ª versão de 2012, oito mil empresas foram consultadas. Entre as perguntas feitas, duas resultam na indicação dos maiores e melhores fornecedores e fabricantes: Qual é a marca de determinado produto que eles usam, e listadas as marcas existentes no mercado; e, em seguida perguntado, qual é a melhor, seguida da mesma lista. Os percentuais nunca são os mesmos. Assim, presume-se que compram e utilizam determinada marca por questões de atendimento, de preço ou qualquer outro motivo, mas acham que uma ou outra marca é mais confiável ou tem uma imagem melhor. 8

[close]

p. 9



[close]

p. 10

Lançada a versão 2012 do Perfil do Mercado de Transporte de Cargas e Passageiros Além de buscar no mercado quais os melhores fornecedores de peças, produtos e serviços, a Revista Jornauto tem outra faceta que vai mais a fundo e apura dados que traçam riquezas em detalhes na sua pesquisa sobre o perfil do transporte de cargas e passageiros. Essas informações são publicadas em edição especial separada: (foto ao lado) Mercado Brasileiro do Transporte Viário 2012 – Cargas e Passageiros. Para conhecê-la, só encomendando à AutoCam Editora, responsável também pela publicação. Antes da cerimônia de premiação aos Maiores e Melhores Fornecedores, o editor técnico Carlos Fernandez apresentou e antecipou fatos que mostram mudanças, comparadas à última edição publicada há seis anos. A primeira versão do perfil do mercado de transporte de carga e passageiros foi lançada em 1998, traçando quadros diferenciados ao longo da evolução desse mercado nos anos de 2001, 2002, 2006 e, agora, na sua edição 2012. São 15 anos contribuindo à indústria de veículos comerciais, com objetivo de oferecer a seus executivos informações sólidas e contextualizadas sobre como pensam e agem seus clientes. “Captar a informação é uma especialidade que requer fundamento, preparo acadêmico, experiência e envolvimento direto com o mercado e os clientes”, declara. Nesta 6ª edição, oito mil empresas foram consultadas, mas apenas consideradas na pesquisa 5% dos formulários corretamente preenchidos de 401 empresas. O motivo é bem simples: a informação tem que ser confiável. “Um índice bastante representativo”, argumenta. 10

[close]

p. 11

CONHEÇA O PERFIL DE QUEM RESPONDEU TRANSPORTADOR AUTÔNOMO, MAS NEM TANTO Segundo ele, o perfil de quem respondeu é maioria (62,8%) proprietários de frotas e diretores. O restante tem nível gerencial. “Queremos gente que seja capaz de reportar, de verdade, e que sabe como a empresa é, como pensa e age”, disse. Esses percentuais garantem que a sondagem reflete o comportamento real de compra do frotista. Os autônomos ficaram agrupados na categoria “sócio/proprietário”. Porém, deve-se levar em conta que o número dos que se declararam autônomos também declararam “agregar” outros veículos de terceiros às suas operações. O autônomo, na verdade, não é bem autônomo. O que confirma o elevado grau de informalidade, indicando uma quantidade de veículos próprios entre 2 e 6 unidades. “Não foi aceito ninguém que não participasse de um dos dois itens de aquisições”, informa. RESPOSTAS VINDAS DE TODO O BRASIL As respostas vieram de todo o Brasil, concentrando-se nas regiões Sudeste (64,5%) e Sul (24,7%). O Norte e Nordeste participaram com 7,6% e o Centro Oeste com 3,2%. PESQUISA CAPTA 1,47% CAMINHÕES COM RNTRC Fernandez informou também que mais da metade dos participantes decide diretamente sobre as principais questões de negócios, como aquisições de veículos (60,6%) e compra de peças e serviços (66,3%). Ao saber que tipo de carroçaria predomina nas frotas das empresas pesquisadas, a revista capturou 1,47% dos veículos comerciais – especificamente do segmento de carga, incluindo terceiros contratados pelas transportadoras – com Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga (RNTRC). “Esse índice envolve uma frota total de 33.465 veículos, sendo 8.043 mil unidades terceirizadas”, informa. QUASE METADE DA FROTA PERFAZ PERCURSOS LONGOS Do universo pesquisado, quase metade tem frota que perfazem percursos longos de ida e volta – entre distâncias acima de 300 quilômetros até 1.000 km e a partir daí até 3.000 km – representando, respectivamente, 28,2% e 21,2%. “São distâncias continentais que vão condicionar problemas na base de manutenção, quebras esporádicas, confiabilidade do veículo e durabilidade de suas peças”, esclarece. PRINCIPAIS MONTADORAS DOMINAM PRIMEIRAS POSIÇÕES Na amostragem, segundo o editor, predominaram as principais marcas vendidas no mercado doméstico: Mercedes-Benz (73,9%), VWC/MAN (48,5%), Scania (43,6%), Volvo (26,1%) e Ford (22,4%). Destacou que a Iveco, marca relativamente nova no mercado nacional, já ocupa a sexta posição, com 9,7%, na sondagem. “Os cinco primeiros players continuam exatamente nas mesmas posições com percentuais próximos desde a primeira vez que fizemos esse levantamento em setembro de 1997”, lembra. 11

[close]

p. 12

E O QUE AS EMPRESAS RESPONDERAM Na sua palestra, Carlos Fernandez antecipou alguns dos resultados da amostragem da pesquisa. Como, por exemplo, o aumenta do número de empresas que passaram a comprar mais veículos em menor espaço de tempo. 38% do universo pesquisado compram anualmente e 35,4% a cada 2 ou 3 anos. O restante depois de 4 anos. Conseqüentemente, a idade média do caminhão apurada está em torno de 5,6 anos, com tendência a diminuir, a cada ano, em ritmo acelerado. “Com a evolução tecnológica, quem chega primeiro e agrega à sua frota um veículo mais moderno, ganha uma vantagem competitiva”, explica. ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL PASSA A PESAR MAIS Público ouve atento às informações. Outro resultado interessante foi que 57% dos entrevistados indicaram a economia de combustível como o principal fator considerado na hora da compra do veículo. Segundo ele, o diesel e lubrificante correspondem a 25,7% dos custos das empresas, talvez, essa seja a principal preocupação dos empresários. Em seguida, aparece a confiabilidade e durabilidade do bem (ou seja, falta de quebra) com 48,5%. Em terceiro, com 44,2%, a preferência pela aquisição de marcas já experimentadas. O preço do veículo está como quarto item da lista. CAI ACEITAÇÃO DE CONTRATO DE GARANTIA Segundo o editor técnico isso mostra que o esforço pela excelência é reconhecido pelos clientes. No entanto, ressalta o bom desempenho da Citroen, que aparece pela primeira vez na pesquisa, bem como a evolução e desempenho da Renault e Iveco, com avaliações bem melhores que nas pesquisas anteriores. Lamenta que o último lugar pertence sempre à mesma marca, desde o início da pesquisa. NOVAS MARCAS PODEM ATRAIR FROTISTA A pesquisa também apontou que desce o nível de aceitação de contrato de garantia. O que é preocupante, pois é um agregado de valor importante para a montadora, que busca vender esse serviço. “Tem aumentado o nível de rejeição em quase 6% a cada pesquisa”, alerta. PREFERÊNCIA DE AQUISIÇÃO DE PEÇAS Falou também da chegada de newcomers no mercado. Apesar da metade dos entrevistados responder contrária à aquisição de um importado, o frotista não está fechando os olhos para as novas marcas. 46% deles podem se aventurar na compra de um modelo, dependendo de aspectos ilustrados no gráfico a seguir. Tanto que aumentou o número de respostas “sim” (17,1%) daquelas que antes diziam “depende” (32,3%). Independente de vir a ser um importado, ou não, para experimentar e ver como o veículo se comporta na sua atividade econômica, a pesquisa também revelou que, em geral, boa parte do frotista está aberta a mudanças na sua frota. Mais de 75% das empresas de transporte podem abrir mão de mudar de marca. Apesar de se manter estável desde a sondagem de 2001, no item sobre aquisição de peças, nota-se leve preferência por peças originais, enquanto as peças genuínas recuaram 7,7%. Enquanto isso, as peças remanufaturadas ganham espaço nas respostas, certamente pelo aumento da qualidade e durabilidade da sua fabricação. Porém, a preferência por peças não originais também cresceu (1,7%). NEWCOMERS GANHAM ESPAÇO EM PÓS-VENDA Como poderá conferir nas páginas seguintes, houve empate técnico na categoria Serviço de Melhor Pós-Venda. Comparada à série iniciada em 2001, as marcas premiadas pela Revista Jornauto e indicadas pelo mercado, obtiveram valores pouco menores do que na sondagem anterior. Mas significativamente melhores do que as notas obtidas em 2001, 2003 e 2005. 12

[close]

p. 13



[close]

p. 14

Hábitos de manutenção Como dissemos, a pesquisa realizada pela revista Jornauto é muito mais ampla e abrange outros aspectos de interesse dos fabricantes de peças e fornecedores de serviços. Assim sendo, achamos interessante reproduzir aqui esta página que contém informações importantes para esses profissionais que lidam com o mercado de reposição. A matéria original está publicada na edição especial da revista Jornauto Pesquisa, edição de maio. Visite nosso site www.jornauto.com.br . Apesar dos persistentes esforços dos fabricantes de veículos no melhoramento dos serviços de pós-venda, pouco mais de um terço dos respondentes consideram boa a garantia oferecida pelos fabricantes. Este percentual, todavia, vem melhorando ao longo da série de sondagens. Em 2001, o número de satisfeitos era de 24%, 25% em 2006 e atingindo o ponto mais alto nesta amostra. sondagem para 40% em 2006, atingindo o mais elevado nível de rejeição nesta pesquisa, percentual alimentado pela redução continua de respostas condicionais (“depende da oferta”), indicando também um incremento da refratariedade dos clientes. O percentual de frotas que seguem todas as recomendação de manutenção dos fabricantes dos veículos aumentou de 30% na nossa primeira sondagem para 36,7% nesta amostra. Indicativo de um subsegmento menos desenvolvido é a persistência de percentuais elevados de frotas que fazem apenas manutenção corretiva ou somente “revisões gratuitas”. A maioria das respostas foi negativa quanto à utilização de um contrato de manutenção ou extensão de garantia oferecido pelos fabricantes, com apenas 20% de respostas positivas, contra 29% na amostra de 2006. O número de respostas negativas passou de 38% na nossa primeira 14

[close]

p. 15

O futuro do transporte passa por aqui! Troféu Mérito Reconhecido Melhor Fabricante de Carrocerias de Ônibus 2012 Paradiso 1800 DD Viale BRT Com uma combinação perfeita entre tecnologia e design inovador, a Marcopolo produz soluções que trazem, em sua concepção, o que há de mais moderno e avançado nos segmentos de ônibus rodoviários e urbanos para aproximar pessoas com conforto e segurança. ANDE MAIS DE ÔNIBUS. MENOS POLUIÇÃO, MAIS PRESERVAÇÃO... TERRA MAIS VIVA. APROXIMANDO PESSOAS w w w. ma r co p o l o . co m. b r facebook.com/OnibusMarcopolo twitter.com/OnibusMarcopolo youtube.com/OnibusMarcopolo Respeite a sinalização de trânsito APROXIMANDO PERSONAS

[close]

Comments

no comments yet