Expedição Piracicaba "300 Anos Depois" - 15 Anos

 

Embed or link this publication

Description

Edição Especial - 15 Anos Depois - Março de 2015 - Dia Mundial das Águas

Popular Pages


p. 1

EXPEDIÇÃO PIRACICABA 300 ANOS DEPOIS 15 especial anos O Piracicaba agoniza.. O que será da economia da região se o rio Piracicaba secar?

[close]

p. 2

De Ouro Preto a Ipatinga, revendo a história e pensando o futuro Março de 2015 EXPEDIÇÃO PIRACICABA 300 ANOS DEPOIS especial anos 2 15 Em 1999, a Expedição “Piracicaba 300 anos depois” fez uma avaliação detalhada da realidade socioambiental da região e construiu o alicerce do Comitê da Bacia do Rio Piracicaba. O Jornal Bom Dia apresenta aqui uma mostra de fotos e textos do que foi essa Expedição, seus objetivos, metodologia e oferece a possibilidade de fazermos uma comparação com a nossa realidade hoje e refletirmos sobre nosso futuro. Hoje, 15 anos depois, cabe-nos fazer as mesmas “perguntas chaves” da Expedição Piracicaba: Como estamos? Como estaremos daqui a 15 anos? Entretanto, vivendo uma crise hídrica sem precedentes no país cabe-nos acrescentar mais duas perguntas: . Quanto custa um rio, monetariamente? . O que será da economia da região se o Rio Piracicaba secar?

[close]

p. 3

Março de 2015 Expedição fez um resgate dos 300 anos da ocupação da região 3 O TERRITÓRIO DA BACIA DO RIO PIRACICABA metodologia de trabalho interdisciplinar e interativo para avaliação da realidade socioeconômica e ambiental de uma região.  Ao mesmo tempo, ela foi um movimento de exercício de cidadania e uma inteligente estratégia para a formação do Comitê da Bacia do Rio Piracicaba. A Expedição fez um resgate dos 300 anos da ocupação da região: saindo das nascentes do rio, em Ouro Preto, onde outrora havia muito ouro, voltamos na História  e revivemos os caminhos dos  bandeirantes, passando por lugares, paisagens, construções históricas etc. Assim como eles, na nossa jornada, utilizamos o Rio Piracicaba como nossa referência”. (Cláudio Guerra, idealizador e coordenador técnico da Expedição) “A Expedição Piracicaba 300 anos depois foi um trabalho pioneiro de caráter técnico e de mobilização social e que passou a ser um marco na história ambiental da região. Ela trouxe dados concretos da realidade, incorporou informações técnicas e conhecimentos e obteve uma visão de conjunto dos problemas socioambientais da Bacia do Rio Piracicaba. Sua metodologia de trabalho priorizou o processo interativo: durante três semanas, uma equipe técnica, formada por 16 profissionais, observou, coletou dados e amostras de água, ouviu, falou, discutiu, passou e recebeu informações nas 14 cidades visitadas. A Expedição Piracicaba se consolidou também como uma importante

[close]

p. 4

Trabalho pioneiro de caráter técnico e de mobilização social Março de 2015 DADOS GERAIS DA BACIA DO RIO PIRACICABA ÁREA : 6.000 Km2 MUNICÍPIOS : 20 ( 17 centros urbanos) POPULAÇÃO TOTAL : 800.000 habitantes( estimativa 2006) COBERTURA VEGETAL : Pastagens( 25%), eucalipto( 25%); Mata Atlântica original (0,2%) ; lavouras, cidades, minas, cursos dágua e outros( 30%); capoeira e capoeirinhas( 20%); RPPN do Caraça (12.000 ha);Parque Estadual do Rio Doce ( 36.000 ha ) ECONOMIA : Agricultura e pecuária, com 10 mil prop.rurais ; Serviços nos centros urbanos Mineração, silvicultura(eucaliptos) e siderurgia de grande portes IDH : a maioria dos municípios tem um bom IDH, comparado com a média dos 853 de MG PRINCIPAIS CURSOS DÁGUA : Rios Maquiné, Santa Bárbara, Peixe, Prata, dezenas de ribeirões e a lagoa Teobaldo 4 Os ambientes das várias regiões da Bacia do Rio Piracicaba são bem diferenciados: Topografia . Solos . Reservas minerais . Cobertura vegetal Disponibilidade hídrica . Biodiversidade (fauna e flora) . Clima (temperaturas e regime de chuvas). Atividades econômicas. Indicadores sócio-econômicos (IDH) Quem faz a “ligação ” entre as regiões ? - O Rio Piracicaba - A ferrovia EFVM : a mais importante do Brasil e uma das 3 maiores do mundo - As rodovias BR-262, BR- 381

[close]

p. 5

Março de 2015 Trabalho interdisciplinar e interativo para avaliação da realidade 5 IMPORTÂNCIA ECONÔMICA DA BACIA DO RIO PIRACICABA O maior complexo siderúrgico da América Latina: BELGO MINEIRA, ACESITA, ARCELOR MITTAL, APERAM e USIMINAS Grandes projetos de mineração : CVRD e outras empresas Grandes projetos de reflorestamento com eucaliptos Geração de divisas pelas exportações de minério de ferro, aços, celulose Níveis de Qualidade, Produtividade Industrial e de produtividade dos plantios de eucalipto entre os maiores do mundo Crescimento econômico X Desenvolvimento Humano X Preservação Ambiental: A situação do Rio Piracicaba OBJETIVOS DA EXPEDIÇÃO PIRACICABA: 1. Avaliar a situação geral do meio ambiente físico, sócio-econômico e cultural da bacia 2. Interagir e ouvir os diferentes segmentos sociais sobre problemas e alternativas de soluções 3. Publicar um diagnóstico da realidade, com um enfoque propositivo 4. Incentivar e orientar a formação do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba ROTEIRO DA EXPEDIÇÃO PIRACICABA 07 a 22 Junho de 1999 Dia 7 : Ouro Preto : Abertura Dia 8 : Ouro Preto ( Nascentes do Rio Piracicaba) Dia 9 : Mariana(distrito Santa Rita Durão) Alvinópolis(distrito de Fonseca) Dia 10 : Catas Altas e Parque do Caraça Dia 11 : Santa Bárbara (distrito de Brumal) Dia 12 : Santa Bárbara Dia 13 : Barão de Cocais Dia 14 : Rio Piracicaba Dia 15 : João Monlevade Dia 16 : Nova Era Dia 17 : Itabira Dia 18 : Antônio Dias Dia 19 : Antônio Dias ( Lagoa do Teobaldo ) Dia 20 : Timóteo e Parque Estadual do Rio Doce Dia 21 : Coronel Fabriciano Dia 22 : Ipatinga ( Encerramento )

[close]

p. 6

Visão de conjunto dos problemas sócio econômicos e ambientais Março de 2015 1ª FASE : ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO : DEFINIÇÃO DO ROTEIRO E VISITAS PRÉVIAS A TODOS OS MUNICÍPIOS PARTICIPANTES ORGANIZAÇÃO DE PARCERIAS : UFMG, UFV, FIAT, BELGO MINEIRA, SEMAD, PRFEITURAS MUNICIPAIS, ESCOLAS PÚBLICAS COMUNICAÇÃO SOCIAL : materiais informativos, folders, banners, cartazes, camisa, releases para a imprensa etc MONTAGEM DE 7 EQUIPES TÉCNICAS E DE SEU PLANO DE TRABALHO: Coordenação + Águas + Peixes + Agricultura + Plantas Medicinais Mobilização Social + Registro ( Imagens) 19 PROFISSIONAIS 6 2ª FASE : TRABALHO DE CAMPO : 16 dias LEVANTAMENTO DE DADOS EM 14 MUNICÍPIOS VISITADOS DE ACORDO COM O PLANO DE TRABALHO DE CADA EQUIPE TRAJETOS A PÉ, DE CARRO E DE BARCO REUNIÕES PÚBLICAS À NOITE NAS CIDADES VISITADAS . Discussão com as comunidades sobre os problemas ambientais locais . Distribuição de material informativo sobre o tema Recursos Hídricos ( O que é a Expedição, objetivos, Agenda 21, nova legislação das águas, conceito de Comitê de Bacia Hidrográfica e sua importância etc)

[close]

p. 7

Março de 2015 Trabalho de observação, coleta de dados, amostras, discussão 7 DESCRIÇÃO DO TRABALHO DA EXPEDIÇÃO - PLANEJAMENTO :Participação ativa de comunidades locais - COMUNICAÇÃO SOCIAL - COORDENAÇÃO TÉCNICA: Equipes: Águas Peixes Agricultura Plantas Medicinais Mobilização Social Registro ( Imagens) AUDIÊNCIAS PÚBLICAS NAS CIDADES VISITADAS O MEIO AMBIENTE NO MUNICÍPIO E CIDADE ABASTECIMENTO DE ÁGUA (Captação, tratamento e distribuição) ESGOTAMENTO SANITÁRIO ( coleta de esgotos, tratamento e disposição ) RESÍDUOS SÓLIDOS (coleta, transporte, reciclagem e disposição final) DRENAGEM URBANA CONTROLE DE VETORES DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS EDUCAÇÃO SANITÁRIA E AMBIENTAL CONTROLE AMBIENTAL DAS FONTES POLUIDORAS POLÍTICA AMBIENTAL E DE SANEAMENTO DO MUNICÍPIO A situação do Rio Piracicaba e dos recursos hídricos

[close]

p. 8

Exercício de cidadania e estratégia para o CBH Piracicaba Março de 2015 BACIA DO RIO PIRACICABA. COMO ESTAMOS? - Conhecemos bem os problemas ambientais da bacia? - Conhecemos as causas desses problemas e as consequências deles no nosso meio ambiente? - Conhecemos os responsáveis pelos problemas ambientais e pelas fontes de poluição (pontuais e não pontuais)? - Quem são os maiores consumidores de água da bacia? - Quem são os maiores poluidores da água da bacia? - O que aprendemos com os erros do passado? - Sendo nosso economia muito dependente dos recursos naturais e a continuar o cenário insustentável de sua exploração perguntamos: 8 Como ficará a região e sua economia daqui a 20 anos?

[close]

p. 9

Março de 2015 9 PLANEJAMENTO Participação ativa de comunidades locais Reunião preparatória da Expedição Piracicaba com a comunidade, em Catas Altas. Rio Piracicaba em Santa Rita Durão, distrito de Mariana Mineração em Catas Altas (Alto Piracicaba) Horizonte minerário de Catas Altas (MG) Coordenador técnico da Expedição

[close]

p. 10

Março de 2015 Registros fotográficos da Expedição Piracicaba 10 Cinegrafistas da Expedição e engenheiros da SAMARCO Equipe das águas no Rio Santa Bárbara Agricultor do Médio Piracicaba Chapeleiras em Antônio Dias O rio Piracicaba compondo a paisagem rural em Santa Bárbara Rio Piracicaba na região da Pedra Furada - Nova Era( MG )

[close]

p. 11

Março de 2015 11 Registros fotográficos da Expedição Piracicaba Lagoa de rejeitos em Itabira Maciço florestal de eucalipto-município de Antônio Dias Expedição Piracicaba na Lagoa do Teobaldo –Antônio Dias(MG) Expedição Piracicaba na Lagoa do Teobaldo -Antônio Dias(MG) Bacia na região do entorno da Lagoa do Teobaldo Rio Piracicaba chegando ao Vale do Aço Rio Piracicaba chegando ao Vale do Aço Parque Estadual do Rio Doce

[close]

p. 12

Março de 2015 3ª FASE : ELABORAR OS PRODUTOS E DEVOLVÊ-LOS ÀS COMUNIDADES LOCAIS PRODUTOS DA EXPEDIÇÃO - VÍDEO DOCUMENTÁRIO-16 min - EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS - LIVRO-RELATÓRIO - ORGANIZAÇÃO COMITÊ BACIA PIRACICABA 12 4ª FASE : DESDOBRAMENTOS DA EXPEDIÇÃO - REUNIÕES PREPARATÓRIAS PARA A REALIZAÇÃO DA CONFERÊNCIA DAS ÁGUAS DA BACIA DO RIO PIRACICABA ( ALTO, MÉDIO E BAIXO PIRACICABA, para escolha dos representantes ) - CONFERÊNCIA DAS ÁGUAS DA BACIA DO RIO PIRACICABA Em 25/10/1999 contando com 320 participantes : Criação do Comitê da Bacia; definido o número de cadeiras e escolhido seus representantes(instituições) - APRESENTAÇÃO E DEFESA DO CBH PIRACICABA NO PLENÁRIO DO CERH ( Conselho Estadual de Recursos Hídricos) PARA SUA APROVAÇÃO - CRIAÇÃO OFICIAL do CBHPIRACICABA, através de decret administrativo 40929 do Governador Itamar Franco, em 16/02/2000

[close]

p. 13

Março de 2015 13 CONCLUSÕES DA EXPEDIÇÃO PIRACICABA : ELEMENTOS CHAVES NO PROCESSO DE MUDANÇAS NA REGIÃO . Importância da difusão da informação e do conhecimento a respeito da realidade socioambiental LOCAL e REGIONAL . Necessidade de mudança de valores(mentalidade) , atitudes e comportamentos nas pessoas atuando nos diferentes segmentos sociais . Vontade política para as mudanças e melhorias nos diferentes órgãos públicos e empresas . Participação efetiva das comunidades locais em questões importantes para seu presente e futuro . Implementação de parcerias entre Empresas, Órgãos Públicos e Sociedade Civil . Capacitação e fortalecimento de instituições públicas relacionadas ao meio ambiente . Atuação mais efetiva dos órgãos de controle ambiental do Estado e Municípios . Atuação do CBH Piracicaba voltada para os interesses coletivos e não apenas para os interesses das empresas ASPECTOS A DESTACAR DURANTE A EXPEDIÇÃO : - A mudança de cenários e a visão de conjunto da região - Preocupação das Prefeituras com a imagem da cidade - A participação das escolas( feriado escolar) - A acolhida, o carinho e a admiração das comunidades locais - O processo interativo com as comunidades( DRP e audiências públicas) - O medo das pessoas de criticar as empresas, nas reuniões públicas à noite - “Acompanhamento” das grandes empresas durante toda a Expedição - O apoio da SEMAD( presença do Secretário de Meio Ambiente em 8 cidades) - Divulgação e repercussão na Mídia ( rádios, TV e jornais de todo o país)

[close]

p. 14

Apoio: Secretaria Nacional de Recursos Hídricos - MMA Março de 2015 EQUIPE TÉCNICA DA EXPEDIÇÃO PIRACICABA A Equipe multidisciplinar da Expedição contou com 19 PROFISSIONAIS : 5 engenheiros, 3 biólogos, administradores, 2 sociólogos, 1 farmacêutico, 1 técnico em Meio Ambiente, 2 jornalistas e 3 motoristas 14 • COORDENAÇÃO : ESCRITÓRIO DA BACIA DO RIO DOCE (EBRD)-Ipatinga (Projeto da Secretaria Nacional de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente-DF) Marco Antônio Fernandez (Engenheiro Arquiteto) Coordenador do EBRD Cláudio Bueno Guerra ( Engenheiro Ambiental- Consultor EBRD)- Coordenador Técnico Rosimeire Magalhães (Técnica Meio Ambiente- EBRD) - Apoio administrativo • ÁGUAS Maria Margarida Marques ( Bióloga- ICB /UFMG) Fernando Magalhães Bueno ( Engenheiro Agrícola) • PEIXES Jorge Dergam ( Biólogo- Professor UFV ) Samuel Paiva ( Mestrando UFV) • AGRICULTURA Ricardo S. Carvalho ( Administrador Rural- TERRA) Alessandro Vanini ( Engenheiro Agrônomo-TERRA) • PLANTAS MEDICINAIS Maria das Graças Lins Brandão (Farmacêutica- FAFAR/UFMG)   • MOBILIZAÇÃO SOCIAL José Norberto Muniz ( Sociólogo – Professor UFV) Fabio Faria Mendes ( Historiador- Professor UFV) José Ambrósio F. Neto ( Sociólogo- Professor UFV) Paulo Célio Figueiredo (Policial Florestal- PMMG) • REGISTROS Ana Cláudia Romano ( Jornalista) Carlos Eduardo Freitas ( Cinegrafista) Sálvio Penna (Fotógrafo ) Ricardo A. Lourenço ( Ilustrador) SITES DE TEMAS RELACIONADOS www.mma.gov.br www.ana.gov.br www.cbhdoce.org.br www.cbhpiracicabamg.org.br www.agenda21.org.br www.sosmataatlantica.org.br www.greenpeace.org.br www.oeco.com.br www.claudiobuenoguerra.com.br

[close]

p. 15

Março de 2015 15

[close]

Comments

no comments yet