ADERES - Associação de Desenvolvimento Rural Estrela-Sul

 

Embed or link this publication

Description

REVISTA Estrela-Sul

Popular Pages


p. 1

Distribuição gratuita ESTRELA - SUL Uma aposta no desenvolvimento 20 anos a promover a Região REVISTA ∗ TURISMO GASTRONOMIA EVENTOS PRODER 2007/2013 20 ANOS DE ADERES

[close]

p. 2

ÍNDICE ADERES: MISSÃO E VALORES 04 05 MENSAGEM DO PRESIDENTE A REGIÃO E AS FREGUESIAS 06 08 TURISMO RECURSOS HíDRiCOS 14 20 PATRIMÓNIO

[close]

p. 3

REVISTA ESTRELA SUL GASTRONOMIA 28 30 EVENTOS PRODER 2007/2013 36 38 DESENVOLVIMENTO OU AUTO-ESTIMA REGIONAL ADERES: PASSADO, PRESENTE E FUTURO 40 42 20 ANOS, 20 PROJECTOS DE RELEVO

[close]

p. 4

ADERES: MISSÃO E VALORES. A estratégia da ADERES tem como objetivo criar, conjuntamente com os atores e as entidades locais, mecanismos de construção e manutenção de um futuro promissor e sustentável, para o seu território de atuação. A partir das potencialidades e recursos endógenos da região, as suas atividades/ações integradas, e objetivos centram-se em: • Reforçar os mecanismos de criação e fomento de emprego; • Intensificar e aproveitar os recursos tradicionais; • Diversificar as atividades produtivas, enriquecendo-as do ponto de vista tecnológico e inovação, tendo por base a tradição; • Potenciar o setor turístico; • Potenciar e dinamizar o património histórico, artístico e cultural, através da dinamização das Associações existentes na região; • Modernizar os saber-fazer tradicionais, acrescentando-lhes valências de controlo de qualidade, inovação, publicidade e comercialização; • Impulsionar processos de produção, transformação e comercialização dos produtos locais e do artesanato. Em suma, a política desenvolvida pela associação visa congregar e desenvolver esforços no sentido de diversificar as atividades rurais, numa região onde os recursos agrícolas não são suficientes para assegurar um rendimento socialmente aceitável. O seu objetivo fundamental visa a criação de emprego a fim de lutar contra o êxodo rural, melhorando as condições de vida das populações rurais. “Potenciar e dinamizar o património histórico, artístico e cultural...” 4

[close]

p. 5

MENSAGEM DO PRESIDENTE A Revista Estrela-Sul pretende apresentar os resultados da nossa Estratégia Local de Desenvolvimento - ELD 2007/2013 e, ao mesmo tempo, passar em retrospetiva o trabalho que desenvolvemos, ao longo de duas décadas, para dar corpo à nossa Missão, ou seja, implementar uma Estratégia de Desenvolvimento Sustentado e Harmonioso que conduza à melhoria da qualidade de vida e bem-estar das populações do território. A estratégia foi sempre de engrandecimento da ADERES, como uma associação de relevo no contexto do desenvolvimento da região em geral e do território Estrela-Sul em particular. O objetivo foi garantir uma adequada satisfação das necessidades dos seus Associados e a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Da nossa atividade e da síntese que espelhamos, na nossa Revista, ressalta que o nosso contributo foi decisivo para: ordenar e infraestruturar o espaço rural; proteger, preservar e valorizar o património natural, cultural e ambiental; fomentar e promover o aproveitamento económico dos recursos endógenos; desenvolver o conhecimento; melhorar e diversificar as competências; dinamizar a informatização e o acesso à sociedade de informação e do conhecimento; promover a cidadania, a coesão social e a qualidade de vida; fomentar a cooperação e intercâmbios institucionais; dinamizar e elaborar candidaturas aproveitando as oportunidades dos diferentes quadros e programas. O acervo fotográfico que apresentamos dá-nos uma visão, ainda que resumida, das realizações e transformações operadas e das potencialidades e recursos locais. O futuro coloca-nos inúmeros desafios, e temos a convicção de que existirão oportunidades de desenvolvimento suscetíveis de aproveitamento, desde que, prossigamos o trabalho dedicado, esforçado e empenhado que sempre nos caracterizou e que levou a que a ADERES se afirmasse como Grupo de Ação Local de referência e de excelência. Foi este o caminho que nos conduziu à afirmação e reconhecimento público, junto de todas as instituições públicas e privadas, em especial os serviços centrais e desconcentrados do Ministério da Agricultura, das Instituições financeiras, dos técnicos de acompanhamento e das entidades gestoras dos diferentes programas. O bom trabalho e os resultados obtidos, só foram possíveis porque tenho tido a sorte de presidir e coordenar Órgãos Diretivos, de Gestão e Equipas Técnicas, competentes, empenhados e dedicados. Aos associados e parceiros informais e a todos quantos comigo trabalharam e trabalham a minha profunda gratidão e bem hajam. Cortes do Meio, Dezembro de 2014 O Presidente e Coordenador José Armando Serra dos Reis

[close]

p. 6

A REGIÃO E AS FREGUESIAS População Total: 20.241 habitantes Área de intervenção: 927 km2 Este território integra as Freguesias de Aldeia de São Francisco de Assis, Barco, Casegas, Cortes do Meio, Coutada, Erada, Ourondo, Paul, Peso, São Jorge da Beira, Sobral de São Miguel e Unhais da Serra, do Concelho da Covilhã; da Barroca, Bogas de Baixo, Bogas de Cima, Janeiro de Cima, Lavacolhos e Silvares, do Concelho do Fundão; e de Almaceda, Louriçal do Campo, Juncal do Campo, Santo André das Tojeiras, São Vicente da Beira, Sarzedas e Sobral do Campo, do Concelho de Castelo Branco. 6

[close]

p. 7

DA MONTANHA AOS CAMPOS No que diz respeito aos recursos naturais e património construído, está delimitado pelo importante conjunto de serras da Cordilheira Central onde avultam a Serra da Estrela a Norte, a Serra da Gardunha e Campo Albicastrense a Sudeste, a Serra do Açor e a Serra de Alvéolos e Muradal a Oeste e o Campo Albicastrense a Sul. É uma das regiões mais ricas do ponto de vista paisagístico e ambiental. Destaca-se a existência, no território, de 3 zonas protegidas: Parque Natural da Serra da Estrela, Sítio da Gardunha e a Paisagem Protegida do Açor. Em termos geomorfológicos não existem grandes diferenças entre os três concelhos. Ao longo do rio Zêzere, Ocreza e seus afluentes, observam-se terraços fluviais com minerais, cuja importância na economia dos povos indígenas, e posteriormente, dos romanos, poderá ter tido alguma relevância. Trata-se de uma área muito montanhosa, profundamente recortada por ribeiras e ribeiros, que correm em vales encaixados, onde a água vai brotando mesmo em épocas estivais. O território possui um conjunto relevante de vestígios patrimoniais, nomeadamente nos traçados dos aglomerados populacionais, como são exemplo os elementos de revestimento dos edifícios (o xisto e gogos), as árvores centenárias, socalcos, trilhos, caminhos e estradas milenares, conferindo a estas aldeias e às suas gentes uma identidade particular, com um património rural muito rico e com fortes potencialidades para a atração turística. 7

[close]

p. 8

TURI A NEVE SOBRE O MACIÇO CENTRAL DA SERRA DA ESTRELA, VISTO DOS PIORNOS, COM O CÉU ESTRELADO. 8

[close]

p. 9

ISMO 9

[close]

p. 10

CASAS DE CAMPO Empreendimentos de turismo no espaço rural, são os estabelecimentos que se destinam a prestar, em espaços rurais, serviços de alojamento a turistas, dispondo para seu funcionamento de um adequado conjunto de instalações, estruturas, equipamentos e serviços complementares, tendo em vista a oferta de um produto turístico completo e diversificado no espaço rural. 10

[close]

p. 11

11

[close]

p. 12

AGROTURISMO 12

[close]

p. 13

Empreendimentos de agroturismo, são os imóveis situados em explorações agrícolas que permitem aos hóspedes o acompanhamento e conhecimento da exploração agrícola ou a participação nos trabalhos aí desenvolvidos. 13

[close]

p. 14

RECURSOS HÍDRICOS RIBEIRA DAS CORTES Com poços naturais e azinhal nas suas margens, nasce nos Piornos, Serra da Estrela, e desagua no Zêzere, com os seus tradicionais moinhos e a paisagem envolvente, é um ponto de atração turística na freguesia. 14

[close]

p. 15

15

[close]

Comments

no comments yet